Printer Friendly

Using methodology for teaching-learning in schools of futsal with children aged between 6 to 10 years/A UTILIZACAO DA METODOLOGIA PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM NAS ESCOLINHAS DE FUTSAL PARA CRIANCAS COM FAIXA ETARIA DE 6 A 10 ANOS.

INTRODUCAO

O esporte tras beneficios fisicos, psicologicos e sociais, tendo que ser ensinado de forma prazerosa e respeitando a individualidade dos alunos (Costa e Nascimento, 2004).

Mas para que isso aconteca, e necessario segundo Costa e Nascimento (2004), que o professor tenha conhecimentos sobre todas as metodologias para o ensino do esporte.

Voser (2004) complementa dizendo que o professor precisa desenvolver coordenacao motora fina e grossa, esquema corporal, equilibrio, organizacao do corpo, espaco e tempo, lateralidade alem das caracteristicas da idade que sao correr, saltar, transportar, rastejar, rolar entre outros. Complementado por Scaglia (1990) onde segundo ele os professores devem ensinar alem do jogo em si, aumentar o repertorio motor, solidariedade, cooperacao, autonomia, criatividade e uma funcao social.

Para desenvolver certas habilidades, temos hoje varias metodologias, que segundo Tenroller (2004) e facilitador do desenvolvimento das habilidades motoras e cognitivas, que poderao ser ou nao efetivas, entre elas existem a analitica, global e as novas tendencias (pedagogia da rua).

O metodo analitico e caracterizado por Greco citado por Costa e Nascimento (2004) pela apresentacao atraves de exercicios rudimentares da modalidade que esta sendo ensinada.

Ja a metodologia global e desenvolvida por Costa e Nascimento (2004) atraves da situacao de jogo, onde a tecnica e a tatica sao ensinadas juntas.

E por ultimo as novas tendencias (pedagogia da rua) que segundo Garganta, Greco, Greco e Souza e Mesquita citado por Costa e Nascimento (2004) e a metodologia que utiliza as situacoes do jogo formal para o ensino da modalidade, com variacoes no numero de jogadores, nas regras, no tempo de jogo e no espaco fisico.

Essas metodologias sao utilizadas por escolas e professores que ministram aulas, que hoje em dia tem como publico alvo criancas e adolescentes entre 6 a 16 anos, que reproduzem e vao continuar reproduzindo o que e feito nas escolas formais, nao dando importancia e acabam ignorando a historia de vida do aluno e do professor (Scaglia, 1996).

O problema das escolinhas com fins lucrativos e a sua montagem por ex-jogadores. Isso acaba sendo um problema, pois acabam nao agregando uma metodologia correta para o ensino do esporte (Scaglia, 1996).

Hoje ha pelo querer dos pais em ter um filho jogador de futebol e as escolas por querer satisfazer a vontade dos pais, abrem o esporte para criancas com idade de aprendizagem motora geral. Santana e Reis

(2003), mostram os dois lados desse querer.

O lado positivo e que as criancas vao aprender um esporte que e patrimonio cultural, sendo direito de meninas e meninos igualmente. Se houver um planejamento pedagogico, pode ser um facilitador educacional e favorece a autoestima, levando a crianca a gostar de praticar esportes. Ja o lado ruim, e a introducao precoce destas criancas em campeonatos, a cobranca do resultado por dirigentes, tecnicos, pais e midia.

Segundo os estudos de Gallahue e Ozmun (2005) as criancas de 6 a 10 anos estao na fase da construcao do seu acervo motor, onde as criancas de 6 a 7 anos estao no estagio maduro, onde se caracteriza pelos movimentos coordenados e execucao controlada, sendo o terceiro estagio da fase motora fundamental, onde devera aprender a correr, saltar, arremessar, chutar, defender, receber, quicar entre outros movimentos de fundamental importancia para poder passar para a proxima fase de aprendizado, sendo ela dos 7 aos 10 anos.

Nesta fase a crianca estara no estagio transitorio, onde tera capacidade de aprender a combinar as habilidades motoras fundamentais descritas acima, devendo ser estimulado o aumento do controle motor e as competencias motoras em inumeras atividades, estando pronto para o desenvolvimento das habilidades motoras especializadas em um ambiente ludico, sendo o primeiro estagio da fase motora especializada, isto e, preparar a crianca para conseguir desenvolver as habilidades para o jogo, no segundo estagio de aplicacao.

Com base na pesquisa de Scaglia (1996) sobre as escolinhas, decidi focar a minha pesquisa de campo nas escolinhas de futsal e na metodologia que esta sendo utilizada para o ensino-aprendizagem da modalidade, e nos estudos de Gallahue e Ozmun (2005) sobre as fases do desenvolvimento para a escolha da idade das criancas de 6 a 10 anos.

Contudo, tenho como objetivo averiguar as metodologias que estao sendo utilizadas pelas escolas e pelos professores, se e feito o planejamento das aulas, que segundo Tenroller (2008) e indispensavel para o controle do desenvolvimento do aluno pelo professor, onde nele estara os conteudos ja trabalhados e identificados facilmente se for posteriormente questionado o trabalho do professor, e se e realizada a avaliacao dos alunos, instrumento importante para detectar falhas no metodo utilizado pelo professor para o aprendizado (Teixeira, 2008).

MATERIAIS E METODOS

Foi aplicado um questionario contendo 20 perguntas a 13 professores com media de idade de 31,5 anos de escolinhas variadas no Estado de Sao Paulo (Sao Paulo, Chute Inicial, A.E.C Incriveis Futsal, A.A. Embuense, Olimpia e uma nao identificada), sendo as 8 primeiras perguntas sobre a formacao e a carreira do profissional e as 12 ultimas sobre a metodologia utilizada por ele ou pela escola.

As perguntas sao de alternativas, sendo que as perguntas 7, 9, 11, 12 e 17 poderiam assinalar mais de uma alternativa. Alem dos 13 respondidos, foram entregues mais 15 questionarios que nao foram entregues a avaliadora e 1 entregue incompleto.

Antes do envio dos questionarios, me comuniquei com os coordenadores e os responsaveis legais das escolinhas para a liberacao da pesquisa. Apos foi enviado via email e/ou levado pessoalmente na unidade. Em algumas escolinhas nao obtive reposta positiva.

No ato da entrega/envio, foi orientado detalhadamente como seria o preenchimento dos dados e como deveria ser respondido o mesmo. Alem da orientacao, foi disponibilizado o envio de duvidas via e-mail. Apos o questionario respondido, os professores poderiam enviar o mesmo via e-mail, correio e pessoalmente.

Neste estudo, foi utilizada estatistica descritiva.

RESULTADOS E DISCUSSAO

100% das escolas que foram avaliadas tem fins lucrativos e tiveram superioridade de professores, sendo 77% e os outros 23% sao professoras, descordando com o estudo de Melo e colaboradores (2006) realizados em Fortaleza-CE onde 100% dos professores avaliados foram homens.

Dos professores avaliados pelo determinado estudo a media de idade foi de 31,5, nao tendo diferenca significativa dos estudos de Melo e colaboradores (2006), onde a media de idade dos professores avaliados foi de 31,81.

Referente ao tempo de trabalho na escola avaliada e informacao do numero do CREF nao foram encontrados estudos para a comparacao, mas a informacao do CREF e descartavel, pois os questionarios numero 9 e 11 foram informados o numero do CREF, mas, em ambos foi informado que a sua formacao foi ate o Ensino Medio Completo.

No presente estudo 2 (15,39%) dos professores entrevistados tem o Ensino Medio Completo, 6 (46,15%) sao formados em Educacao Fisica, 4 (30,77) e Pos-Graduando e 1 (7,69%) e Pos-Graduado. Comparando com os estudos de Melo e colaboradores (2006), 5 (31,25%) tem superior incompleto, 4 (25%) superior completo, 3 (18,75%) especializacao incompleta, 3 (18,75%) especializacao completa e 1 (6,25%) mestrado incompleto, informacao que nao sera comparado.

Para poder comparar o presente estudo com os estudos de Melo e colaboradores (2006), foi preciso transformar a resposta do questionario 8 em Graduacao Plena pois o mesmo respondeu que e Licenciado e Bacharel em Educacao Fisica para descobrir qual foi o valor absoluto dos dados informados em porcentagem e compara-los com Melo e colaboradores (2006).

Mesmo nao tendo a mesma quantidade de questionarios (13 e 16), a comparacao mostrou que houve o aumento de 1 (20%) professores formados em Educacao Fisica, diminuindo em 4 (80%) os professores que ainda estao estudando, aumento de 1 (20%) professores que sao estudantes de Pos-Graduacao, e diminuicao de 2 (33,33%) professores Pos-Graduados no presente estudo.

Comparando todos os resultados com 13 professores, 1 (7,69%) so tiveram experiencia trabalhando, 1 (7,69%) como exjogador (a), trabalhando, na faculdade e cursos de extensao, 1 (7,69%) como exjogador (a) e como estagiario, 3 (23,08%) como ex-jogador (a) e trabalhando, 2 (15,39%) como ex-jogador e cursos de extensao, 1 (7,69%) so como estagiario, 1 (7,69%) so trabalhando, 1 (7,69%) como estagiario, na faculdade e cursos de extensao e 2 (15,39) so como ex-jogador (a). Discordar de Voser (2004) quando diz em seu livro que o professor, para o ensino da modalidade, tenha um conhecimento aprofundado da mesma ou ate mesmo uma vivencia pratica, pois de 13 (100%) professores apenas 4 (30,80%) realizaram curso de extensao. Ja comparando a vivencia pratica teve um resultado positivo, pois 9 (69,23%) dos professores (as) responderam ser ex-jogadores (as).

Comparando com os estudos de Scaglia (1990), o resultado foi negativo em relacao a experiencia como jogador, onde 8 ex-jogadores que se tornaram donos/professores de escolinhas, nao colocam em pratica o que lhe ensinou a jogar e sim, suas experiencias como profissional.

Referente ao tempo que trabalha na escola e periodo que trabalha com a faixa etaria de 6 a 10 anos nao foram encontrados estudos para a comparacao.

O esporte quando apresentado na infancia, e necessario um cuidado com a maneira adequada, respeitando a individualidade independente do objetivo da instituicao diz Filgueira (2006), mas nao foi o que encontramos neste estudo, onde 6 (46,16%) escolinhas utilizam os metodos global e analitico, 1 (7,69%) so global, 1 (7,69%) so analitico e 5 (38,46%) nao tem metodologia propria, confirmando o que Scaglia (1990) diz em seus estudos, que as escolinhas vao continuar a reproduzir o que e feito nas escolas formais, pois as duas, nao dao importancia a historia de vida do aluno e do professor sao ignoradas.

Nao foram diferentes aos resultados encontrados sobre a metodologia utilizada pelo professor, em comparacao a metodologia da escola, onde responderam por apenas 8 dos 13 professores, sendo 2 (25%) professores utilizando o metodo analitico, 3 (37,5%) o metodo global, 1 (12,5%) global e analitico e 2 (25%) a pedagogia da rua.

8 (61,54%) escolas e 5 (62,5%) professores, utilizaram metodologia que se preocupa com o gesto tecnico, focando as habilidades exigidas no futsal, indo contra Voser (2004) onde defende que as atividades apresentadas para as criancas devem ser de forma recreativa. Sendo a brincadeira e o ludico tao importante para as criancas do que respirar, comer e dormir e ainda segundo Filgueira (2006) para aprender a jogar qualquer esporte, e necessario que a crianca tenha a possibilidade de experimentar um bom numero de situacoes. Estas situacoes abrirao possibilidades, e atraves da sua vivencia, poderao possibilitar outras. O que a metodologia analitica e global nao da segundo Greco citado por Costa e Nascimento (2004) e Costa e Nascimento (2004) nas suas definicoes sobre os mesmos ja citadas na introducao.

Filgueira (2006) tambem concorda que e fundamental o ensino dos componentes motores basicos e a psicomotricidade, antes da utilizacao do metodo analitico, onde precisa ter base para o desenvolvimento tecnico, tem um momento certo para ser ensinado.

Ja Voser (2004) e Filgueira (2006), defendem a pedagogia da rua que segundo eles ela da o que e preciso, como diz Tostao citado por Scaglia (1990): "...a melhor maneira de se formar um craque e nos campos de terra, sem regras, onde os meninos, em total descontracao e improviso, brincavam e se divertem com a bola, e ai fez-se a diferenca do futebol brasileiro para os outros paises".

A rua tambem foi citada por Scaglia (1990) dizendo que a rua, mesmo nao tendo um sistema pedagogico, formou grandes craques do futebol, e hoje as criancas precisam de ajuda para aprender futebol, o que a infancia ensinava e mesmo sendo outros tempos, acredita que a pedagogia da rua pode ser adaptada para a aplicacao nas escolinhas de maneira ludica como era antigamente.

Ja Freire (2006) aponta os dois lados da pedagogia da rua dizendo que a mesma e suscetivel a erros e acertos, mas nao podemos ignorar a competencia da rua em ensinar.

Isto e, as criancas que brincavam na rua, aprendiam de forma ludica e prazerosa, conseguindo assim, dominar as habilidades necessarias para o esporte, conseguindo tornarem-se atletas.

Segundo Voser (2004) ja citado acima, para o ensino da modalidade, o professor tem que ter conhecimento aprofundado. Comparando com os resultados, sobre a busca do conhecimento sobre a metodologia, temos uma resposta positiva onde apenas 1 (7,69%) professor respondeu que nao buscou conhecimentos.

Referente a frequencia do planejamento, nao foram encontrados estudos para a comparacao, nem saber qual e o tempo certo para o planejamento.

Tenroller (2008) que defende o planejamento como um controle do professor do que o aluno sabe ou nao fazer, podendo dificultar as atividades de acordo com a evolucao do aluno dentro do objetivo, com base em uma metodologia adotada para o desenvolvimento do objetivo.

O planejamento das aulas para Castro e colaboradores (2008) e muito importante, mas ainda existem professores que nao planejam as suas aulas e improvisam as atividades.

Realidade apontada por so 3 (23,08%) dos 13 (100%) professores avaliados neste estudo, que segundo Darsie (1996) sem o planejamento o professor nao consegue ter conhecimentos suficientes das turmas sem saber quando aumentar a dificuldade ou nao.

Ja comparando nos estudos de Castro, Tucunduva e Arns (2008), a montagem do planejamento com a participacao dos outros professores pode ser prejudicial, porque segundo eles, o professor tem que se basear no desenvolvimento da sua turma, sabemos que podem ter diferencas ou nao das turmas dos professores, alem de levar em conta os conhecimentos ja obtidos pelo aluno segundo Darsie (1996), que sao diferentes de aluno para aluno.

Mas este problema pode ser resolvido se o planejamento for flexivel, para que os professores possam realizar alteracoes durante a aula (Castro, Tucunduva e Arns, 2008), resolvendo assim, possiveis imprevistos, poder adequar a aula para um aluno com mais dificuldade entre outros acontecimentos imprevisiveis que possam ocorrer.

O planejamento e necessario para a organizacao das atividades dentro dos objetivos do professor, sendo um aliado para alcanca-los ao longo do periodo programado (Castro, Tucunduva e Arns, 2008).

Com base nos estudos ja citados neste estudo, ja esta comprovado a sua importancia. Comparando os estudos com os resultados encontrados, obtive resultados positivos, pois, 6 (46,16%) dos professores dao 8 a 9 a importancia do planejamento, 5 (38,46%) dao 10 e apenas 2 (15,38%) dao de 6 a 7. Sendo que 2 (15,39%) dos 6 (46,16%) que responderam de 8 a 9, nao fazem o planejamento das aulas.

Em relacao de quanto em quanto tempo o aluno deve ser avaliado, nao foram encontrados estudos que comprovem o tempo certo, mas Bartolomeis citado por Teixeira (2008), diz que o aluno deve ser avaliado, mas nao estipula o tempo, sendo ele determinado pelas decisoes administrativas da escola em relacao as avaliacoes mensais, bimestrais, trimestrais e semestrais.

Segundo Teixeira (2008) a cinco propositos para se avaliar, um deles diz que a avaliacao e usada para saber se os processos educacionais escolhidos estao tendo resultados. Informacao nao obtida neste estudo, mas, foi o que ocorreu no presente estudo.

Em relacao aos processos educacionais escolhidos, pois, 10 professores (76,92%) avaliados responderam que avaliam habilidades isoladas do futsal (tabela 13) batendo com a alta porcentagem de escolhas pelo metodo global e analitico e apenas 3 (23,08%) nao realizam a avaliacao dos seus alunos, o que e prejudicial ao professor e o aluno que segundo Darsie (1996) o professor nao tem bases para escolher qual metodologia utilizar, nao conseguindo identificar se a mesma e eficaz ou nao. Ainda segundo a autora, a avaliacao possibilita que o aluno tambem acompanhe o seu desenvolvimento, comparando e comprovando o aprendizado, desta forma estimulando a continuidade do aluno.

Vejamos que nao a muita diferenca das habilidades avaliadas anteriormente, pois ainda ha grande presenca de habilidades especificas, sendo 5 (52,5%) dos 8 (100%) professores que responderam. Vejamos que houve presenca de avaliacao de habilidades que contribuem para o desenvolvimento geral do aluno, avaliados por 4 (50%) dos professores de 8 (100%), tendo comparacao positiva com os estudos de Filgueira (2006), ja citados na introducao, pois fala da importancia de desenvolver a coordenacao motora geral, espaco e tempo, lateralidade, e, Scaglia (1990) da juncao social, aumento do repertorio motor e a sociabilizacao. Vendo-os citados pelos professores.

A avaliacao esta ligada ao planejamento, pois, segundo Teixeira (2008) a avaliacao esta ligada a aprendizagem, pois fornece informacoes importantes do processo final e da formacao do aluno. Se ela falhar, nao sera possivel avaliar os processos utilizados, nao fornecendo informacoes para direcionar o professor.

Distribua aos seus alunos uma folha sulfite em branco e peca para que eles desenhem a parte principal da aula e anexe a esta folha.

Na figura 1 o aluno desenhou o jogo com menos jogadores que o real, o que caracteriza o jogo reduzido. Como tambem desenhou outros alunos, ocorreu a sociabilizacao dele com os demais alunos.

Na figura 2 o aluno tambem desenhou o jogo com numero inferior de jogadores do que o jogo real, caracterizando o jogo reduzido. Como tambem ocorreu a sociabilizacao do aluno com os demais alunos.

Na figura 3 o aluno desenhou o jogo real, ocorrendo a sociabilizacao com os outros alunos. O que tambem ocorreu na figura 4, onde o aluno desenhou ele em uma situacao real de jogo junto com os outros alunos caracterizando a sociabilizacao.

Na figura 5 o aluno o lhe desenhou cobrando uma falta, com barreira e o goleiro, sendo criativo, e ocorrendo a sociabilizacao.

Na figura 6 o aluno desenhou o jogo real, caracterizando a socializacao.

Na figura 7 o aluno desenhou o jogo reduzido, com a participacao dos outros alunos caracterizando a sociabilizacao.

Na figura 8 o aluno desenhou um jogo adaptado e utilizou da sua criatividade, caracterizado com o desenho das traves na lateral da quadra. Neste jogo a presenca dos outros alunos, ocorrendo a sociabilizacao.

Na figura 9 o aluno desenhou o jogo real, caracterizado pela torcida ao lado da quadra, sendo muito criativo, e ocorrendo a sociabilizacao do aluno com a torcida e os outros jogadores.

Na figura 10 o aluno desenhou um jogo reduzido, com a presenca dos outros alunos caracterizando a sociabilizacao.

Na figura 11 o aluno tambem desenhou o jogo reduzido, sendo muito criativo, identificou os jogadores pelo nome, sendo mais evidente ainda a sociabilizacao.

Na figura 12 o aluno desenhou o jogo adaptado com inferioridade numerica, ocorrendo a sociabilizacao.

Na figura 13 e ultima, o aluno o desenhou no momento mais esperado, o gol, mostrando a sua criatividade e a sociabilizacao, pois a a presenca dos outros jogadores.

Analisando os resultados encontrados nos desenhos dos alunos, nao foi o esperado, pois, foi pedido que a crianca desenhasse a parte principal da aula, e de acordo com o questionario 2, o unico que forneceu desenho para o estudo, utiliza a metodologia analitica e global para o ensino do futsal, e os alunos desenharam eles e os outros alunos em jogos formais, reduzidos e adaptados, sendo que, como visto na introducao, a metodologia utilizada pelo professor do questionario 2 nao proporcionam essas situacoes.

Mas mostra que o mais importante para eles na aula e o ato de jogar, a sociabilizacao, pois nos 13 (100%) desenhos os alunos alem deles, colocaram outros alunos tambem jogando, em um dos desenhos ate os identificou.

Pude-se constatar que ainda a uma grande predominancia na utilizacao do metodo analitico e global, tanto pelos professores como pelas escolas. Mas tivemos resultados positivos comparados com os estudos de Filgueira (2006), Greco citado por Costa e Nascimento (2004), Costa e Nascimento (2004), Voser (2004) e Scaglia (1990) com apenas 2 (15,38%) dos professores avaliados estao utilizando a pedagogia da rua juntamente com os metodos global e analitico.

CONCLUSAO

E o que os alunos gostam, resultado encontrado na analise dos desenhos, onde todos demonstravam situacoes de jogo.

Resultado que mostra que o ensinoaprendizado dos alunos da faixa etaria de 6 a 10 anos esta acontecendo.

Recebido para publicacao em 01/04/2014

Aceito em 20/06/2014

REFERENCIAS

1-Castro, P. A. P. P.; Tucunduva, C. C.; Arns, E. M. A importancia do planejamento das aulas para organizacao do trabalho do professor em sua pratica docente. Athena: Revista Cientifica de Educacao. Vol. 10. Num. 10. 2008.

2-Costa, L. C. A.; Nascimento, J. V. O ensino da tecnica e da tatica: novas abordagens metodologicas. Revista da Educacao Fisica/UEM. Maringa. Vol. 15. Num. 2. 2004. p. 49-56.

3-Darsie, M. M. P. Avaliacao e aprendizagem. Cad. Pesq. Sao Paulo. Num. 99. 1996.p. 47-59.

4-Filgueira, F, M. Aspectos fisicos, tecnicos e taticos da iniciacao ao futebol. Revista Digital. Buenos Aires. Ano 11. Num. 103. 2006.

5-Freire, J. B. Pedagogia do Futebol. 2 edicao. Campinas: Autores Associados. 2006. p. 3-23.

6-Gallahue, D. L.; Ozmun, J. C. Compreendendo o desenvolvimento motor de bebes, criancas, adolescente e adultos. 3a edicao. Phorte: Sao Paulo. 2005.

7-Melo, M. L. S.; Sales, V. A.; Sampaio, Y. F.; Lima, D. L. F.; Fontenele, F.G. Perfil do profissional que trabalha em escolinhas de iniciacao ao futsal. Colecao Pesquisa em Educacao Fisica. Vol. 6. Num. 2. 2007.

8-Santana. W. C.; Reis. H. H. B. Futsal Feminino: perfil e implicacoes pedagogicas. Revista Brasileira de Ciencias e Movimento. Brasilia. Vol. 11. Num. 4. 2003. p. 45-50.

9-Scaglia, A. J. O futebol que se aprende e o futebol que se ensina. Dissertacao de Mestrado. Faculdade de Educacao Fisica da Unicamp. 1990.

10-Scaglia, A. J. Escolinha de futebol: uma questao pedagogica. Motriz. Vol. 2. Num. 1. 1996.

11-Teixeira, G. Metodologia: Construcao de uma proposta cientifica: Avaliacao da Aprendizagem. Curitiba. Camoes. 2008. p. 5761.

12-Tenroller, C. A. Futsal: Ensino e Pratica. 2a edicao. Canoas. ULBRA. 2008.

13-Voser, R, C. Iniciacao ao Futsal: Abordagens recreativas. 3a edicao. Canoas. ULBRA. 2004. p. 19-26.

Amanda Rezende Alves (1) Antonio Coppi Navarro (1)

(1)-Programa de Pos-Graduacao Lato Sensu da Universidade Estacio de Sa em Futebol e Futsal: As Ciencias do Esporte e a Metodologia do Treinamento, Brasil.

E-mail:

professora_alves@hotmail.com ac-navarro@uol.com.br

Endereco para correspondencia: Rua Gustavo Avelino Correis, 52. Vila Gustavo Correia--Carapicuiba--SP. CEP: 06310-310.

Caption: Figura 1--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 2--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 3--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 4--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 5--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 5--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 6--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 7--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 8--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 9--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 10--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 11--Desenho do aluno do questionario 2.

Caption: Figura 12--Desenho do aluno do questionario 2.
Tabela 1--Questionarios que foram informados ou nao o
numero do CREF.

Questionario   Nao Informado   Informado

1                              1 (7,69%)
2                              1 (7,69%)
3                              1 (7,69%)
4                              1 (7,69%)
5                1 (7,69%)
6                              1 (7,69%)
7                              1 (7,69%)
8                              1 (7,69%)
9                              1 (7,69%)
10               1 (7,69%)
11                             1 (7,69%)
12               1 (7,69%)
13               1 (7,69%)

Tabela 2--Escolaridade dos professores avaliados com ano de
inicio e termino.

Alternativas         1           2           3           4

Ensino Medio
  Completo
Estudante de                 1 (7,69%)
  Educacao                     11/14
  Fisica
Formado em
  Educacao
  Fisica--
  Licenciatura
Formado em
  Educacao
Fisica--
  Bacharel
Formado em                               1 (7,69%)   1 (7,69%)
  Educacao                                 04/07       07/13
Fisica--
  Graduacao
  Plena
Pos-Graduando    1 (7,69%)
  na area de       12/14
  Futsal
Pos-Graduado
  na area de
  Futsal

Alternativas         5           6           7           8

Ensino Medio
  Completo
Estudante de
  Educacao
  Fisica
Formado em                                           1 (7,69%)
  Educacao                                             07/10
Fisica--
  Licenciatura
Formado em       1 (7,69%)                           1 (7,69%)
  Educacao         00/04                               11/12
Fisica--
  Bacharel
Formado em
  Educacao
Fisica--
  Graduacao
  Plena
Pos-Graduando
  na area de
  Futsal
Pos-Graduado                 1 (7,69%)   1 (7,69%)
  na area de                   11/12       12/14
  Futsal

Alternativas         9          10          11

Ensino Medio     1 (7,69%)               1 (7,69%)
  Completo          N I                     N I
Estudante de
  Educacao
  Fisica
Formado em
  Educacao
  Fisica--
  Licenciatura
Formado em
  Educacao
Fisica--
  Bacharel
Formado em                   1 (7,69%)
  Educacao                     10/13
Fisica--
  Graduacao
  Plena
Pos-Graduando
  na area de
  Futsal
Pos-Graduado
  na area de
  Futsal

Alternativas        12          13

Ensino Medio
  Completo
Estudante de
  Educacao
  Fisica
Formado em
  Educacao
  Fisica--
  Licenciatura
Formado em
  Educacao
Fisica--
  Bacharel
Formado em
  Educacao
Fisica--
  Graduacao
  Plena
Pos-Graduando    1 (7,69%)   1 (7,69%)
  na area de       13/14       12/14
  Futsal
Pos-Graduado
  na area de
  Futsal

Legenda: NI--Nao informada

Tabela 3--Experiencia na area de futsal dos professores avaliados.

Alternativas             1           2           3           4

Ex-jogador                       1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
Trabalhando                      1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
Como estagiario
Na faculdade         1 (7,69%)   1 (7,69%)
Cursos de extensao               1 (7,69%)

Alternativas             5           6           7           8

Ex-jogador           1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
Trabalhando          1 (7,69%)
Como estagiario
Na faculdade
Cursos de extensao               1 (7,69%)   1 (7,69%)

Alternativas             9          10          11

Ex-jogador           1 (7,69%)
Trabalhando                                  1 (7,69%)
Como estagiario                  1 (7,69%)
Na faculdade
Cursos de extensao

Alternativas            12          13

Ex-jogador                       1 (7,69%)
Trabalhando
Como estagiario      1 (7,69%)   1 (7,69%)
Na faculdade         1 (7,69%)
Cursos de extensao   1 (7,69%)

Tabela 4--Periodo que os professores avaliados trabalham com a
faixa etaria de 6 a 10 anos.

Alternativas             1           2           3           4

De 1 dia a 3 meses
De 4 meses a 8
  meses
De 9 meses a 1 ano
De 1 ano e 1 dia a   1 (7,69%)
  1 ano e 6 meses
De 1 ano e 7 meses
  a 2 anos
De 2 anos e 1 dia
  a 3 anos
Mais de 3 anos e                 1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  1 mes

Alternativas             5           6           7           8

De 1 dia a 3 meses
De 4 meses a 8
  meses
De 9 meses a 1 ano
De 1 ano e 1 dia a
  1 ano e 6 meses
De 1 ano e 7 meses
  a 2 anos
De 2 anos e 1 dia                            1 (7,69%)
  a 3 anos
Mais de 3 anos e     1 (7,69%)   1 (7,69%)
  1 mes                                                  1 (7,69%)

Alternativas             9          10          11

De 1 dia a 3 meses
De 4 meses a 8
  meses
De 9 meses a 1 ano                           1 (7,69%)
De 1 ano e 1 dia a
  1 ano e 6 meses
De 1 ano e 7 meses
  a 2 anos
De 2 anos e 1 dia
  a 3 anos
Mais de 3 anos e
  1 mes              1 (7,69%)   1 (7,69%)

Alternativas            12          13

De 1 dia a 3 meses
De 4 meses a 8       1 (7,69%)
  meses
De 9 meses a 1 ano
De 1 ano e 1 dia a
  1 ano e 6 meses
De 1 ano e 7 meses
  a 2 anos
De 2 anos e 1 dia
  a 3 anos
Mais de 3 anos e
  1 mes                          1 (7,69%)

Tabela 5--Metodologia utilizada pelas escolas avaliadas.

Questionarios   Analitico    Global     Pedagogia
                                         da rua

1                           1 (7,69%)
2               1 (7,69%)   1 (7,69%)
3
4               1 (7,69%)   1 (7,69%)
5               1 (7,69%)
6               1 (7,69%)   1 (7,69%)
7               1 (7,69%)   1 (7,69%)
8               1 (7,69%)   1 (7,69%)
9               1 (7,69%)   1 (7,69%)
10
11
12

13

Questionarios   Metodologia    A escola
                  propria      nao tem
                              metodologia
                                propria

1
2
3                              1 (7,69%)
4
5
6

7
8
9
10                             1 (7,69%)
11                             1 (7,69%)
12                             1 (7,69%)
13                             1 (7,69%)

Tabela 6--Metodologia utilizada pelos professores avaliados.

Questionarios   Analitico    Global     Pedagogia
                                         da rua

1
2
3               1 (7,69%)
4
5
6                                       1 (7,69%)
7                                       1 (7,69%)
8
9                           1 (7,69%)
10              1 (7,69%)
11                          1 (7,69%)
12              1 (7,69%)   1 (7,69%)
13                          1 (7,69%)

Tabela 7--Busca de conhecimentos sobre as metodologias utilizadas
pelos professores avaliados.

Questionario   Nao busquei       Via       Livros      Artigos
               conhecimento   internet

1                             1 (7,69%)
2                             1 (7,69%)   1 (7,69%)
3                                         1 (7,69%)
4                                         1 (7,69%)
5                1 (7,69)
6                             1 (7,69%)               1 (7,69%)
7                             1 (7,69%)   1 (7,69%)
8                             1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
9                             1 (7,69%)
10                                                    1 (7,69%)
11                            1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
12                            1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
13                            1 (7,69%)   1 (7,69%)

Tabela 8--Planejamento das aulas e a frequencia com que e feita.

Questionario     Nao ha        Semanal     Mensal      Semestral
               planejamento               Trimestral     Anual

1                                                      1 (7,69%)
2                             1 (7,69%)                1 (7,69%)
3               1 (7,69%)
4               1 (7,69%)
5               1 (7,69%)
6                             1 (7,69%)   1 (7,69%)
7                             1 (7,69%)   1 (7,69%)
8                                         1 (7,69%)
9                                         1 (7,69%)
10                            1 (7,69%)
11                                                     1 (7,69%)
12                                        1 (7,69%)
13                                                     1 (7,69%)

Tabela 9--Como e feito o planejamento das aulas pelos professores
avaliados.

Alternativas            1           2           3           4

Sim, e feito
  somente por mim
Sim, e feito com    1 (7,69%)   1 (7,69%)
  a participacao
  dos outros
  professores
Nao faco o                                  1 (7,69%)   1 (7,69%)
  planejamento
  das aulas

Alternativas            5           6           7           8

Sim, e feito                    1 (7,69%)   1 (7,69%)
  somente por mim
Sim, e feito com                                        1 (7,69%)
  a participacao
  dos outros
  professores
Nao faco o          1 (7,69%)
  planejamento
  das aulas

Alternativas            9          10          11

Sim, e feito                    1 (7,69%)
  somente por mim
Sim, e feito com    1 (7,69%)               1 (7,69%)
  a participacao
  dos outros
  professores
Nao faco o
  planejamento
  das aulas

Alternativas           12          13

Sim, e feito        1 (7,69%)   1 (7,69%)
  somente por mim
Sim, e feito com
  a participacao
  dos outros
  professores
Nao faco o
  planejamento
  das aulas

Tabela 10--Importancia do planejamento segundo os professores
avaliados.

Alternativas       1           2           3           4

0 a 1
2 a 3
4 a 5
6 a 7
8 a 9                      1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
10             1 (7,69%)

Alternativas       5           6           7           8

0 a 1
2 a 3
4 a 5
6 a 7          1 (7,69%)
8 a 9                      1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
10

Alternativas       9          10          11

0 a 1
2 a 3
4 a 5
6 a 7
8 a 9
10             1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)

Alternativas      12          13

0 a 1
2 a 3
4 a 5
6 a 7          1 (7,69%)
8 a 9
10                         1 (7,69%)

Tabela 11--Avaliacao dos alunos pelos professores avaliados.

Alternativas        1           2           3           4

Nao e feita                                         1 (7,69%)
  a avaliacao
  dos alunos
Mensal          1 (7,69%)
Bimestral
Trimestral
Semestral                   1 (7,69%)   1 (7,69%)

Alternativas        5           6           7           8

Nao e feita     1 (7,69%)
  a avaliacao
  dos alunos
Mensal
Bimestral
Trimestral                                          1 (7,69%)
Semestral                   1 (7,69%)   1 (7,69%)

Alternativas        9          10          11

Nao e feita                             1 (7,69%)
  a avaliacao
  dos alunos
Mensal          1 (7,69%)
Bimestral
Trimestral
Semestral                   1 (7,69%)

Alternativas       12          13

Nao e feita
  a avaliacao
  dos alunos
Mensal          1 (7,69%)
Bimestral
Trimestral
Semestral                   1 (7,69%)

Tabela 12--Habilidades avaliadas e idade.

Alternativas             1           2           3           4

Dominio com a        1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69)
  perna esquerda        N I       8 a 10      4 a 12        N I
Dominio com a        1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  perna direita         N I       8 a 10      4 a 12        N I
Dominio de sola                  1 (7,69%)
  com a perna                     8 a 10
  direita
Dominio de sola                  1 (7,69%)
  com a perna                     8 a 10
  esquerda
Passe com a perna    1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  direita               N I       8 a 10      4 a 12        N I
Passe com a perna    1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  esquerda              N I       8 a 10      4 a 12        N I
Finalizacao com      1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  a perna direita       N I       8 a 10      4 a 12        N I
Finalizacao com      1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  a perna esquerda      N I       8 a 10      4 a 12        N I
Conducao de bola     1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  com a perna           N I       8 a 10      4 a 12        N I
  direita
Conducao de bola     1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  com a perna           N I       8 a 10      4 a 12        N I
  esquerda
Entendimento         1 (7,69%)               1 (7,69%)   1 (7,69%)
  do jogo               N I                   8 a 12        N I
Movimentacao         1 (7,69%)               1 (7,69%)   1 (7,69%)
  sem bola              N I                   8 a 12        N I

Alternativas              5       6           7           8

Dominio com a perna
  esquerda
Dominio com a perna
  direita
Dominio de sola com a                                 1 (7,69%)
  perna direita                                         5 a 7
Dominio de sola com a
  perna esquerda
Passe com a perna                         1 (7,69%)
  direita                                    N I
Passe com a perna                         1 (7,69%)
  esquerda                                   N I
Finalizacao com a perna       1 (7,69%)   1 (7,69%)
  direita                      11 a 17       N I
Finalizacao com a perna       1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  esquerda                     11 a 17       N I        5 a 7
Conducao de bola com a                    1 (7,69%)
  perna direita                              N I
Conducao de bola com a                    1 (7,69%)
  perna esquerda                             N I
Entendimento do jogo

Movimentacao sem bola                                 1 (7,69%)
                                                       9 a 13

Alternativas                  9          10          11

Dominio com a perna       1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  esquerda                   N I         N I         N I
Dominio com a perna       1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  direita                    N I         N I         N I
Dominio de sola com a     1 (7,69%)   1 (7,69%)
  perna direita              N I         N I
Dominio de sola com a     1 (7,69%)   1 (7,69%)
  perna esquerda             N I         N I
Passe com a perna         1 (7,69%)   1 (7,69%)
  direita                    N I         N I
Passe com a perna         1 (7,69%)   1 (7,69%)
  esquerda                   N I         N I
Finalizacao com a perna   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  direita                    N I         N I
Finalizacao com a perna   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  esquerda                   N I         N I
Conducao de bola com a    1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  perna direita              N I         N I         N I
Conducao de bola com a    1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
  perna esquerda             N I         N I         N I
Entendimento do jogo      1 (7,69%)   1 (7,69%)
                             N I         N I
Movimentacao sem bola     1 (7,69%)   1 (7,69%)
                             N I         N I

Alternativas              12       13

Dominio com a perna            1 (7,69%)
  esquerda                         9
Dominio com a perna            1 (7,69%)
  direita                          9
Dominio de sola com a          1 (7,69%)
  perna direita                    7
Dominio de sola com a          1 (7,69%)
  perna esquerda                   7
Passe com a perna              1 (7,69%)
  direita                          7
Passe com a perna              1 (7,69%)
  esquerda                         7
Finalizacao com a perna        1 (7,69%)
  direita                          9
Finalizacao com a perna        1 (7,69%)
  esquerda                         9
Conducao de bola com a         1 (7,69%)
  perna direita                    9
Conducao de bola com a         1 (7,69%)
  perna esquerda                   9
Entendimento do jogo           1 (7,69%)
                                   10
Movimentacao sem bola          1 (7,69%)
                                   10

Legenda: N I--Nao informada.

Tabela 13--Outras habilidades que os professores avaliam.

Questionarios   Respostas

1               Leitura do jogo e atencao quanto as informacoes
2               Habilidades gerais
3               Cabeceio, dominio de peito e sistema de jogo
4               Cabeceio, dominio com a coxa e peito,
                  finalizacao de cabeca, drible, trabalho
                  fisico, coordenacao motora, salto, rolamento,
                  lateralidade e agilidade
6               Altura, peso, agilidade, resistencia e abdominal
7               Altura, peso, agilidade, resistencia, abdominal,
                  passe e conducao com a perna dominante
10              Coletividade, percepcao do espaco e tempo,
                  sociabilizacao e psicomotricidade
11              Coordenacao motora

Tabela 14--Porcentagem que o professor avaliado da a importancia
da avaliacao dos alunos.

Alternativas       1           2           3           4

0 a 1
4 a 5
6 a 7
8 a 9                      1 (7,69%)   1 (7,69%)   1 (7,69%)
10             1 (7,69%)

Alternativas       5           6           7           8

0 a 1          1 (7,69%)
4 a 5                                  1 (7,69%)
6 a 7
8 a 9                      1 (7,69%)               1 (7,69%)
10

Alternativas       9          10          11

0 a 1
4 a 5
6 a 7
8 a 9          1 (7,69%)
10                         1 (7,69%)   1 (7,69%)

Alternativas      12          13

0 a 1
4 a 5
6 a 7          1 (7,69%)   1 (7,69%)
8 a 9
10

Grafico 1--Porcentagem de escolas de futsal avaliadas.

Nome da escola

A. A. Embuense              7%    1
A. E. C. Incriveis Futsal   8%    1
Chute Inicial               15%   2
Meninos da Vila             8%    1
Olimpia                     23%   3
Sao Paulo                   31%   4
Nao Informado               8%    1

Note: Table made from pie chart.

Grafico 2--Porcentagem do genero dos professores avaliados.

Feminino    23%   3
Masculino   77%   10

Note: Table made from pie chart.

Grafico 3--Media de idade dos professores avaliados.

20 a 25     23%    3
26 a 30     23%    3
31 a 35     23%    3
Maisde 36   31%    4

Note: Table made from pie chart.

Grafico 4--Tempo de trabalho na escola avaliada.

Quanto tempo faz que esta trabalhando nesta escolinha?

De 1 dia a 3 meses            15%   2
De 1 ano e 7 meses a 2 anos   31%   4
De 2 anos e 1 dia a 3 anos    15%   2
Mais de 3 anos e 1 mes        39%   5

Note: Table made from pie chart.

Grafico 5--Porcentagem de exigencia do planejamento das aulas
da escola ou pelo controle do professor.

E exigido pela escola ou feito para o seu controle?

E exigido pela escola       31%   4
E para o meu controle       46%   6
Nao e exigido pela escola   23%   3

Note: Table made from pie chart.
COPYRIGHT 2015 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2015 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Alves, Amanda Rezende; Navarro, Antonio Coppi
Publication:Revista Brasileira de Futsal e Futebol
Date:Apr 30, 2015
Words:6388
Previous Article:Theoretical assumptions that guiding the practical work coaches of schools of initiation of futsal/PRESSUPOSTOS TEORICOS QUE ORIENTAM O TRABALHO...
Next Article:Motivation of taekwondo players: An inquiry research among gyms in Belo Horizonte/MOTIVACAO DOS PRATICANTES DE TAEKWONDO: ESTUDO REALIZADO EM...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters