Printer Friendly

THE PRODUCTION OF KNOWLEDGE ABOUT SPORT AND LEISURE POLICIES IN BRAZIL: AN ANALYSIS OF THE RESEARCHERS AND THE INSTITUTIONS/A PRODUCAO DO CONHECIMENTO SOBRE POLITICAS PUBLICAS PARA O ESPORTE E LAZER NO BRASIL: UMA ANALISE DOS PESQUISADORES E INSTITUICOES/PRODUCCION DE CONOCIMIENTO SOBRE POLITICAS PUBLICAS PARA DEPORTE Y OCIO EN BRASIL: UN ANALISIS DE INVESTIGADORES E INSTITUICIONES.

INTRODUCAO

As Politicas Publicas, para alem das acoes dos governos, podem ser tratadas tambem como uma subdisciplina das ciencias politicas (Frey, 2000; Souza, 2006; 2007). Quando se refere as pesquisas da tematica voltadas a esfera do Esporte e do Lazer, observa-se conforme salientam pesquisadores como Starepravo (2011; 2013), Amaral, Ribeiro e Silva (2014) e Malina et al. (2015), que a tematica mostrase em evidencia no cenario brasileiro. Rojo et al. (2016), salienta que as pesquisas em Politicas Publicas em Esporte e Lazer vem se consolidando no Brasil por diversos fatores, entre eles destacam-se os seguintes aspectos: a) consolidacao no Colegio Brasileiro de Ciencias do Esporte (CBCE) do Grupo de Trabalho Tematico (GTT) 12--Politicas Publicas; b) criacao do Ministerio do Esporte em 2003; c) escolha do pais como sede para os megaeventos esportivos.

Com o fortalecimento da tematica na producao academica surge a proposta, dentro do proprio GTT 12 do CBCE, de se analisar o que vem sendo produzido pelos pesquisadores brasileiros acerca da tematica. Dentro dessa tipologia de estudos aparecem num primeiro momento os estudos de Linhares e Pereira Filho (1999), Hungaro et al (2009) e parte da tese de doutoramento defendida por Starepravo (2011), em que os autores analisaram a producao relativa ao GTT--12 (4). Ainda dentro dos quadros do mesmo GTT foi publicado mais recentemente um artigo que versava sobre a producao do referido grupo de trabalho (Malina et al. 2015).

Alem dos estudos mencionados acima, tambem foram encontradas outras pesquisas que versam sobre a producao do conhecimento sobre Politicas Publicas de Esporte e Lazer no Brasil.

Destaque para os artigos de Monteiro, Mourao e Votre (2012) e de Amaral, Ribeiro e Silva (2014). No primeiro, os autores analisam a producao cientifica sobre a tematica realizada entre os anos de 2001 a 2010, com enfase em estudos que possuiam relacao com as categorias de genero e raca. Ja o segundo, se propos a analisar a producao academica, entre os anos de 2009 a 2013, concentrada em cinco periodicos brasileiros.

Por sua vez o presente artigo pretende realizar analises diferentes das feitas anteriormente, centrando-se mais no entendimento de quem sao os pesquisadores e instituicoes envolvidos no "fazer ciencia" em Politicas Publicas de Esporte e Lazer no Brasil. Nesse sentido, o estudo busca responder a seguinte problematica de pesquisa: quem sao os autores e instituicoes que vem publicando artigos em periodicos brasileiros sobre Politicas Publicas de Esporte e Lazer, no periodo compreendido entre os anos de 2013 a 2016?

Desse modo, o objetivo do presente trabalho foi realizar um mapeamento de quem sao os pesquisadores envolvidos na producao do conhecimento em Politicas Publicas de Esporte e Lazer no Brasil.

METODOLOGIA

O presente estudo caracteriza-se como exploratorio e descritivo, no qual se realizou um mapeamento da producao cientifica sobre as Politicas Publicas de Esporte e Lazer, publicada em lingua portuguesa e disponivel em periodicos brasileiros. Elegeram-se para compor o escopo os artigos indexados nas seguintes bases de dados: Lilacs e Medline acessados por meio da interface da Biblioteca Virtual da Saude (BVS-BIREME), Scielo e Portal de Periodicos da Capes. Estas foram escolhidas por serem, conforme lembram Souza, Moraes e Silva e Moreira (2016), abrangentes em termos da indexacao de um maior numero de periodicos, visto que nestas bases se encontram revistas de diferentes estratos Qualis e de distintas areas do conhecimento.

Para alem dos artigos encontrados nas bases citadas, foram realizadas buscas diretamente nas plataformas de 10 revistas da area da Educacao Fisica (5). A presente medida foi adotada visando uma maior consistencia nos dados apresentados, uma vez que, nem todos os artigos disponibilizados pelos periodicos constavam nas bases de dados pesquisadas no momento da coleta.

As buscas foram feitas nas bases de dados com a utilizacao dos seguintes descritores: "Politica Publica Esporte", "Sport Policy, "Politica Publica Lazer" e "Leisure Policy". Ja nas buscas realizadas nas plataformas das revistas foi utilizado somente o descritor "Politicas Publicas". Selecionaram-se para compor o escopo da pesquisa apenas artigos em periodicos brasileiros disponiveis online, publicados no periodo entre os anos de 2013 a 2016. A temporalidade corresponde ao ultimo periodo de avaliacao da Coordenacao de Aperfeicoamento de Pessoal de Nivel Superior (CAPES), quadrienio (2013-2014-2015-2016) (6). Os artigos encontrados em mais de uma base de dados foram considerados uma unica vez. Tambem foram excluidos manuscritos que nao versavam diretamente sobre a tematica, como por exemplo, os artigos que versam sobre politicas educacionais. Apos a coleta, os dados foram inseridos em uma planilha eletronica na qual foram identificadas as seguintes informacoes: 1) ano de publicacao; 2) area de conhecimento; 3) periodico; 4) estratificacao no Qualis (7); 5) autores; e 6) instituicoes. Os dados relativos a instituicao de vinculo dos autores foram extraidos dos proprios artigos. Ja as informacoes dos pesquisadores com maior numero de publicacao foram retiradas do Curriculo Lattes de cada investigador.

Apos as buscas foram utilizados na analise 85 artigos. Para a exposicao dos resultados da pesquisa, inicialmente apresentam-se os numeros gerais indicando a quantidade de publicacoes. Na sequencia, detalharam-se os periodicos que publicaram sobre a tematica e posteriormente, apresentam-se os autores e instituicoes com maior produtividade e suas redes de colaboracao.

RESULTADOS E DISCUSSOES

Como resultado das informacoes catalogadas, a primeira analise realizada refere-se a distribuicao da producao durante a temporalidade da pesquisa. Estes elementos podem ser visualizados no grafico abaixo:

O grafico 1 apresenta a distribuicao dos 85 artigos selecionados. O ano com o maior numero de publicacoes foi o de 2014, totalizando 31 artigos (36,47%). O ano com o menor numero de artigos foi o de 2016, com 9 produtos (10,59%).

A menor quantidade de manuscritos no ano de 2016 pode ser explicada pelo fato de que a catalogacao foi realizada no mes de maio de 2016, tendo assim, um pouco mais de um semestre para que novas publicacoes sobre o tema sejam realizadas e anexadas nas bases de dados e nas plataformas das revistas.

O numero de 85 artigos selecionados dentro do recorte temporal mostra o avanco quantitativo da producao academica sobre a tematica. Ao comparar tais dados com os levantados por Amaral, Ribeiro e Silva (2014), que apresentaram um resultado de 22 manuscritos distribuidos entre 2009 e 2013, nota-se o crescimento na quantidade absoluta de manuscritos. Apos fazer a analise quantitativa parte-se para um diagnostico a partir do criterio qualitativo estabelecido pela Capes:

Os artigos em periodicos com o estrato B2 foram o que apresentaram um maior numero, totalizando 52 publicacoes (61,18%), seguido de 16 artigos (18,82%) B1. Publicados na categoria A2 foram encontrados 9 manuscritos (10,59%). Os demais estratos somam 8 textos, publicados nos niveis B3, B4 e B5. Com excecao do estrato A1, todos os outros se mostraram presentes.

A ausencia de artigos em periodicos A1 e justificada, conforme lembra Go Tani (2014), pela nao existencia de revistas brasileiras com essa classificacao na area de Educacao Fisica. Ao comparar os dados da presente pesquisa com os levantados por Starepravo (2011; 2013), pode-se tambem notar um avanco qualitativo na producao do conhecimento sobre Politicas Publicas de Esporte e Lazer. No estudo apresentado pelo autor nao consta nenhum manuscrito sobre a tematica publicado em revistas classificadas em estratos "A". No panorama exposto nos dados coletados para o presente estudo, 90,59% dos artigos estao vinculados em revistas com estrato iguais ou superiores a B2. Tal salto qualitativo pode ser justificado pela ampliacao dos estudos sobre a tematica, amadurecimento academico dos pesquisadores envolvidos nestas pesquisas, ao mesmo tempo, em que tambem ocorreu uma melhora nas classificacoes dos estratos das revistas que publicam sobre o tema (8).

Ao dar sequencia na analise apresentam-se agora os periodicos brasileiros que publicaram em suas paginas artigos sobre Politicas Publicas de Esporte e Lazer. Foram catalogadas 14 diferentes revistas:

9Os manuscritos foram distribuidos pela classificacao do WebQualis valido do ano de 20132016, na area da Administracao.

A Tabela 1 mostra o numero de artigos que cada periodico publicou sobre Politicas Publicas de Esporte e Lazer entre 2013 a 2016. Percebe-se que as tres primeiras colocadas sao revistas de classificacao B2: Licere (25,88%), Motrivivencia (18,82%) e Pensar a Pratica (14,12%). Em quarto lugar aparece a Revista Movimento (A2), que reune 9 producoes (10,59%). Na sequencia surge a RBCE (B1) com 8 artigos (9,41%).

Com uma menor incidencia, somando 21,18%, estao os demais periodicos, assim distribuidos: RBEFE (3); Revista Educacao Fisica UEM (3); Podium: Sport, Leisure and Tourism Review (3); Conexoes (2); RMEFE (2); Saude e Sociedade (1); Motriz (1) e RBH (1).

Como visto a producao do conhecimento sobre Politicas Publicas de Esporte e Lazer esta distribuida em um numero significativo de revistas. Outro ponto a se considerar, e que os periodicos, mesmo com uma forte ligacao com a area do Esporte e do Lazer, possuem uma heterogeneidade em seus escopos.

Pode-se visualizar na Tabela 2 que os periodicos apresentam objetivos e escopos diversos. Como visto na Tabela 1, a revista que houve maior numero de publicacoes foi a Licere. Essa e a unica revista brasileira, dentro do recorte da pesquisa, que apresenta um escopo voltado a tematica do Lazer (Isayama & Melo, 2014). Outro ponto a ser salientado e que apenas dois periodicos nao estao diretamente relacionados a area da Educacao Fisica. Tratam-se das revistas Saude e Sociedade e da RBH. A primeira versa sobre Saude Publica e a segunda sobre Historia. Contudo, os periodicos Conexoes, Motriz, Motrivivencia, Movimento, Pensar a Pratica, RBCE, RBCM, RBEFE, RMEFE e Revista de Educacao Fisica/UEM possuem uma linha editorial com escopo amplo dentro da area da Educacao Fisica. Por sua vez a Podium: Sport, Leisure and Tourism Review possui um foco mais especifico, com as publicacoes voltadas para a gestao do esporte, lazer e turismo. Tal diversidade nos escopos indica que as pesquisas sobre Politicas Publicas de Esporte e Lazer seguem a mesma pluralidade epistemologica existente no campo da Educacao Fisica no Brasil (Rigo, Ribeiro & Hallal 2011; Rosa & Leta 2011; Tavares 2015; Souza, Moraes E Silva & Moreira, 2016).

A proxima analise realizada refere-se ao numero de pesquisadores presentes em cada artigo. O Grafico 4 apresenta os dados relativos ao numero de textos em relacao a quantidade de autores:

Ao analisar o Grafico 4 nota-se que a publicacao de artigos com colaboradores e uma realidade presente na atual conjuntura da pesquisa em Educacao Fisica no Brasil (Lazzarotti Filho et al., 2012; Pereira Da Silva, Moreira & Goncalves-Silva, 2014; Souza, Moraes E Silva & Moreira, 2016). Os manuscritos com dois autores ficam em primeiro lugar totalizando 25 (29,41%). Tambem se destacam os trabalhos com tres e quatro autores com respectivamente 22 (25,88%) e 15 (17,65%) artigos publicados. Em seguida, aparecem as publicacoes com autor unico, totalizando 14 manuscritos (16,47%). Por fim aparecem os artigos com 5 e 6 autores, que juntos somam 11 trabalhos (10,59%). Constata-se que 83,53% das publicacoes, possuem mais de um autor, com isso pode-se afirmar que os trabalhos coletivos fazem parte da realidade da producao de conhecimento cientifico sobre a tematica na atualidade. Essa tendencia de producao coletiva, independente da tematica analisada, j a havia sido apontada em analise de Lazzaroti Filho et al. (2012), afirmando que pelas evidencias encontradas naquele estudo, o pesquisador isolado tenderia a desaparecer.

Com um cenario um pouco diverso, mas nao ausente, o modus-operandi da producao academica atual, levantado por Lazzaroti Filho et al. (2012), tambem e observado na colaboracao entre diferentes instituicoes.

Pode ser visualizado no Grafico 5 que existe um maior numero de pesquisas produzidos por autores de uma mesma instituicao. Isso e comprovado pelos numeros, que mostram que 56 (65,88%) trabalhos foram produzidos pelos autores de uma mesma entidade. Subsequentemente aparecem 22 (25,88%) artigos que envolveram 2 instituicoes. Os trabalhos que vincularam 3 e 4 universidades totalizam 7 (8,41%) textos. Porem, mesmo com a predominancia de uma unica instituicao, ainda sim e observada a colaboracao entre membros de entidades diferentes, que somam 34,22% da producao total. Tal numero mostra que futuramente pode haver um crescimento nestas parcerias interinstitucionais no "fazer ciencia", conforme ja foi levantado por Rossoni, Silva e Ferreira Junior (2008), na area da Administracao Publica. Entre as instituicoes com maior incidencia de cooperacao na producao do conhecimento aparecem com 7 manuscritos a parceria entre a Universidade Estadual de Maringa (UEM) e Universidade Federal do Parana (UFPR). Outro vinculo existente ocorre entre pesquisadores da Universidade Federal do Espirito Santo (UFES) e Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com 4 artigos produzidos. As demais producoes em conjunto entre instituicoes nao seguem a mesma relacao estreitada como a observada nos dois casos levantados.

Como visto existe um modus-operandi no fazer ciencia na tematica de Politicas Publicas de Esporte e Lazer no Brasil, que se configura numa producao do conhecimento em redes de colaboracao (Lazzarotti Filho et al., 2012). Diante deste quadro surge a proposta de investigar como essa configuracao em redes de parceria se estabelece. Por isso o esforco pauta-se a partir de agora em analisar os pesquisadores e as instituicoes envolvidas e quais os niveis de relacao que se firmam.

Para o primeiro momento desse esforco, apresentam-se os pesquisadores que mais publicaram sobre a tematica no Brasil:

Conforme indicado na Tabela 3 alguns pesquisadores se destacam na producao do conhecimento. Nesse momento opta-se por apresentar a producao dos pesquisadores com mais de 5 artigos.

O primeiro e o Prof. Dr. Fernando Augusto Starepravo, com 11 artigos publicados. Atualmente o pesquisador e docente do Departamento e do Programa de Pos-Graduacao em Educacao Fisica da UEM. Porem, toda sua formacao academica--graduacao, mestrado e doutorado--foi realizada no Departamento de Educacao Fisica da UFPR. Seus textos foram publicados nas seguintes revistas: Licere (2), Movimento (2), Pensar a Pratica (3), RBCE (2), RBEFE (1) e Revista da Educacao Fisica/UEM (1). Os periodicos em que o pesquisador publicou seus textos demonstram que seus meritos nao podem ser pensados simplesmente pelo vies quantitativo, mas tambem pelo qualitativo, visto que todos os seus manuscritos foram inseridos em periodicos com estratos iguais e/ou superiores a B2.

A seguir aparece o Prof. Dr. Fernando Marinho Mezzadri, docente do Departamento e do Programa de Pos-Graduacao em Educacao Fisica da UFPR. Sua producao conta com 7 textos que foram publicados na Licere (1), Motrivivencia (2), Pensar a Pratica (2), RBEFE (1) e Revista da Educacao Fisica/UEM (1). Assim como a producao de Starepravo o docente tem seus artigos distribuidos em periodicos diversos, sendo eles classificados entre os estratos B1 (2) e B2 (5).

Com 6 artigos publicados cada, aparecem outros dois pesquisadores ligados ao Departamento e do Programa de Pos-Graduacao em Educacao Fisica da UFPR. Refere-se ao Prof. Dr. Marcelo Moraes e Silva e Prof. Dr. Wanderley Marchi Junior.

O primeiro pesquisador teve seus textos publicados nas seguintes revistas: Licere (1), Motrivivencia (2), Pensar a Pratica (2) e Revista da Educacao Fisica/UEM (1). Por sua vez o segundo teve seus artigos vinculados na Movimento (1), Pensar a Pratica (2), RBCE (2) e RBEFE (1). A questao qualitativa tambem se mostrou presente, visto que os artigos dos dois pesquisadores foram vincula dos em periodicos com classificacao minima de B2.

Outros tres pesquisadores somaram 5 publicacoes: Prof. Dr. Fernando Mascarenhas, Prof. Dr. Pedro Fernando Avalone Athayde e Prof. Dr. Dirceu Santos Silva. O primeiro publicou seus artigos na Licere (2), Motrivivencia (1), Pensar a Pratica (1) e RBCE (1). O segundo teve seus textos publicados na Licere (2), Motrivivencia (1), Pensar a Pratica (1) e RBCE (1). Os dois primeiros sao docentes da graduacao e posgraduacao em Educacao Fisica da UnB. Por fim, aparece o Prof. Dr. Dirceu Santos Silva, que defendeu em 2016 seu doutoramento na UNICAMP. O mesmo veiculou seus manuscritos na Conexoes (1), Licere (1), Motrivivencia (1), RBCE (1) e RBEFE (1). Como visto os tres autores mantem o mesmo padrao qualitativo dos outros pesquisadores, pois publicam suas pesquisas em periodicos com classificacao minima de B2. A excecao e um unico artigo B4 publicado por Dirceu Santos Silva na revista Conexoes.

Os pesquisadores com maior producao, bem como os demais contidos na Tabela 3, sao vinculados a importantes universidades brasileiras, conforme pode ser visualizada na Tabela 4:

A UFPR aparece em primeiro lugar com 19, seguida da UEM com 14 e UnB com 10. Destaque tambem para a UNICAMP e UFMG com respectivamente 8 e 5 artigos. Com 4 publicacoes cada aparecem a UNESP, UFSC, UFES, USP e UFRJ. Entre as universidades com maior producao figuram duas instituicoes paranaenses a UEM e UEL. As demais universidades estao localizadas no Centro-Oeste (UnB), Sudeste (UNICAMP, UFMG, UNESP, UFES, USP e UFRJ) e Sul (UFSC) do Brasil.

A pesquisa anteriormente publicada por Amaral, Ribeiro e Silva (2014), indica que das 5 instituicoes com mais publicacao sobre a tematica, todas possuem grupos de pesquisas cadastrados no Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnologico (CNPq) com estudos voltados a area das Politicas Publicas de Esporte e Lazer. Dentre os grupos estao os das duas mais efetivas na producao. A UFPR, com o Centro de Pesquisa em Esporte, Lazer e Sociedade (CEPELS), em que estao vinculados todos os 6 pesquisadores que figuram entre os mais produtivos. Assim como a UEM, com o grupo Corpo, Cultura e Ludicidade, no qual Fernando Augusto Starepravo atua como um dos coordenadores.

Ao realizar o cruzamento dos dados referentes aos pesquisadores e as instituicoes com maior volume de publicacoes sobre a tematica e possivel fazer uma analise mais pormenorizada do cenario vigente. Dentre os 14 pesquisadores com maior numero de artigos publicados, 6 possuem algum vinculo institucional com a UFPR. Tal fato explica a ampla producao academica sobre a tematica oriunda da instituicao. Ja referente a UEM, observa-se somente o nome de Fernando Augusto Starepravo entre os mais atuantes. Dos 14 manuscritos realizados por membros desta universidade 11 sao de autoria/co-autoria do referido pesquisador.

Outro elemento que se destaca na producao de Fernando Augusto Starepravo refere-se a rede de colaboracao que se estende a 18 pesquisadores. Sendo esses de instituicoes diversas (UFPR, UNIOESTE, UNIVASF, FACAPE). Dos 18 nomes que foram parceiros do pesquisador, 4 deles figuram entre os mais produtivos: Edimilson Santos dos Santos (UNIVASF), Fernando Marinho Mezzadri (UFPR), Fernando Renato Cavichiolli (UFPR) e Wanderley Marchi Junior (UFPR). Cabe ressaltar que o nome com maior incidencia na producao conjunta e o de Wanderley Marchi Junior, que somam 6 artigos escritos em parceria, ou seja, todos as publicacoes de Marchi Junior sobre a tematica foram realizadas em conjunto com Fernando Augusto Starepravo. A relacao entre os dois pesquisadores, surge do vinculo entre orientador/orientado, visto que Wanderley Marchi Junior foi o responsavel pela orientacao do pesquisador da UEM durante seu doutoramento, defendido em 2011, na UFPR. Periodo nao muito distante, o que explicaria o grande volume de manuscritos produzidos em parceria entre eles.

Ao analisar a producao de Fernando Marinho Mezzadri, encontra-se um numero total de 13 coautores. Dentre estes 5 estao presentes no quadro de pesquisadores mais produtivos sobre a tematica (Fernando Augusto Starepravo, Fernando Renato Cavichiolli, Katiuscia Mello Figueroa, Marcelo Moraes e Silva e Wanderley Marchi Junior). Destaque para relacao estabelecida com Marcelo Moraes e Silva (6 publicacoes) e Katiuscia Mello Figueroa (5 artigos). Nestes dois casos, nota-se novamente a associacao entre orientador/orientado. O primeiro realizou estagio de pos-doutoramento sob a supervisao de Fernando Marinho Mezzadri e como visto anteriormente atualmente e docente da UFPR. Ja a segunda realiza seus estudos no estagio de posdoutoramento sob a supervisao do docente.

Outra rede de colaboracao, que se baseia no vinculo orientador/orientando, e a estabelecida entre Fernando Mascarenhas e Pedro Fernando Avalone Athayde. Ambos os pesquisadores tem 5 artigos publicados e desses 4 foram produzidos em colaboracao mutua. Essa relacao inicia-se da dissertacao de mestrado de Pedro Avalone Athayde, defendida em 2009, a qual foi realizada sob a orientacao de Fernando Mascarenhas. Atualmente esta rede de colaboracao ainda se encontra em vigor, visto que os dois pesquisadores sao docentes lotados na UnB.

O quadro encontrado na presente pesquisa corrobora com os argumentos levantados por Silva, Goncalves-Silva e Moreira (2014), de que as redes de colaboracao existentes atualmente na Educacao Fisica brasileira tem ligacoes intimas entre orientadores e orientandos. Os autores apontam que as diretrizes dos Programas de Pos-Graduacao da area definem numeros minimos de artigos publicados para os alunos defenderem suas dissertacoes e teses, alem de incentivarem publicacoes de seus egressos. Baseia-se nestas consideracoes para afirmar que os Programas de Pos-Graduacao e aos processos de orientacao tambem afetam o modo de se "fazer ciencia" na tematica de Politicas Publicas de Esporte e Lazer no Brasil.

Ao buscar compreender a producao do conhecimento em coautoria encontra-se elementos interessantes no artigo de Balancieri et al.(2005). Texto no qual os autores afirmam que em outras areas, ja na decada de 1960, os estudos eram feitos em coautoria entre orientadores e orientandos. Outro ponto levantado neste artigo e que nos estudos das ciencias naturais, este modo de operacionalizar a pesquisa e mais comum do que com pesquisadores das humanidades. Ao analisar os dados apresentados por Silva, Goncalves-Silva e Moreira (2014), dialogando com o estudo de Balancieri et al. (2005), nota-se que o fazer ciencia em Educacao Fisica, tambem observado na tematica de Politicas Publicas de Esporte e Lazer, comecou a percorrer, a cerca de dez anos, um caminho que outras areas mais consolidadas cientificamente percorreram a mais de quatro decadas.

Como foi apontado por Silva, Goncalves-Silva e Moreira (2014) e Souza, Moraes e Silva e Moreira (2016), existe na area de Educacao Fisica uma forte contribuicao dos Programas de Pos-Graduacao na producao do conhecimento. Esta assertiva dos autores tambem se mostra presente nas pesquisas relativas as Politicas Publicas de Esporte e Lazer. Afinal quase todas as instituicoes que figuram entre as mais produtivas possuem mestrado e doutorado na area 21. A excecao e a UFMG, aonde o Programa de Pos-Graduacao e Interdisciplinar e possui o foco na tematica do Lazer. Ao analisar detalhadamente a relacao dos pesquisadores mais produtivos nota-se que os que lideram o ranking de maior produtividade sao em sua maioria docentes de Programas de Pos-Graduacao em Educacao Fisica e/ou sao egressos recentes destes cursos.

CONSIDERACOES FINAIS

O presente artigo buscou mapear quem sao os pesquisadores e instituicoes envolvidos na producao do conhecimento em Politicas Publicas de Esporte e Lazer no Brasil. Procurou-se tambem identificar os periodicos e suas respectivas classificacoes no Qualis. Vale salientar que se reconhecem algumas limitacoes no presente estudo. Uma vez que somente foram utilizados artigos redigidos em lingua portuguesa e publicados em periodicos nacionais ainda mais num contexto aonde a internacionalizacao e algo bastante presente e contundente na area da Educacao Fisica, assim como aponta o estudo de Tani (2014).

O estudo catalogou um numero de 85 artigos publicados em 14 diferentes periodicos. A revista com maior publicacao sobre a tematica foi a Licere, classificada em B2 no sistema Qualis. Tal estrato foi o que obteve o maior numero de manuscritos produzidos, totalizando 52 (61,18%) do total geral. Tal numero evidencia que a producao sobre a tematica se encontra principalmente vinculada em classificacoes medianas do sistema de avaliacao da Capes. No que concernente ao modelo de producao dos artigos sobre a Politica Publica para o Esporte e Lazer, constatou-se que a mesma se constroi via uma rede de colaboracao entre autores, corroborando com os elementos levantados por Lazzarotti Filho et al (2012), Silva, Goncalves-Silva e Moreira (2014) e Souza, Moraes e Silva e Moreira (2016). Ainda em relacao as redes de colaboracao, observou-se que a mesma se manifesta principalmente pela relacao entre orientador e orientando.

No que se refere aos centros de producao a UFPR aparece como a instituicao com o maior numero de manuscritos publicados, seguida da UEM. As universidades das regioes Sul e Sudeste, sao as que possuem o maior numero de instituicoes que estao produzindo sobre a tematica.

A excecao e a presenca da UnB, universidade localizada na regiao Centro-Oeste do pais. A supremacia do Sul e do Sudeste e de certa forma previsivel visto que conforme apontam Rigo, Ribeiro e Hallal (2011), os Programas de Pos-Graduacao em Educacao Fisica estao concentrados em sua maioria nestas regioes.

Pode-se concluir que o presente estudo pode apresentar uma contribuicao para a comunidade academica, apontando o modus operandi relativo a producao do conhecimento sobre Politica Publica de Esporte e Lazer. Afinal evidenciam quem sao os pesquisadores e instituicoes e quais relacoes os mesmos estabelecem para "fazer ciencia" sobre a tematica.

REFERENCIAS

Amaral, S. C. F., Ribeiro, O. C. F., & Silva, D. S. (2014). Producao cientifico-academica em Politicas Publicas de Esporte e Lazer no Brasil. Motrivivencia, 26(42), 27-40.

Balancieri, R., Bovo, A. B., Kern, V. M., Pacheco, R. D. S., & Barcia, R. M. (2005). A analise de redes de colaboracao cientifica sob as novas tecnologias de informacao e comunicacao: um estudo na Plataforma Lattes. Ciencia da informacao, 34(1), 64-77.

Frey, K. (2000) .Politicas Publicas: um debate conceitual e reflexoes referentes a pratica da analise de politicas publicas no Brasil. Planejamento e Politicas Publicas. 21,211-259.

Hungaro, E., Oliveira, B. A. D., Custodio, M. L., & Damasceno, L. (2009). Balanco inicial da producao do GTT de politicas publicas do CBCE (1997-2005): avancos, ausencias e perspectivas. Cultura, educacao, lazer e esporte: fundamentos, balancos e anotacoes criticas, 1, 93-124.

Isayama, H. F., & de Melo, V. A. (2014). Licere: uma revista brasileira de lazer. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte, 36(4), 773-779.

Lazzarotti Filho, A. et al (2012). Modus operandi da producao cientifica da EF: uma analise das revistas e suas veiculacoes. Revista da Educacao Fisica/UEM, 23, 1-14.

Linhales, M. A., & Pereira Filho, J. R. (1999). Intervencao, conhecimento e mudanca: a Educacao Fisica, o esporte e o lazer nas politicas publicas. Goellner, SV Educacao Fisica/Ciencias do Esporte: intervencao e conhecimento. Campinas, SP: Autores Associados, 87-106.

Malina, A et al. (2015). O Estado da arte no referencial teorico dos trabalhos do GTT Politicas Publicas em Esporte e Lazer do CBCE. In: Rechia, S. A. et al. (Orgs.). Dilemas e Desafios da Pos-Graduacao em Educacao Fisica. Unijui: Editora Unijui, 1, 517-540.

Monteiro, R. V., Mourao, L., & Votre, S. J. (2012). Producao cientifica sobre politicas publicas na educacao fisica: abordagem sobre genero e raca. Journal of Physical Education, 23(1), 141-153.

Rigo, L. C., Ribeiro, G. M., & Hallal, P. C. (2012). Unidade na diversidade: desafios para a Educacao Fisica no seculo XXI. Revista Brasileira de Atividade Fisica & Saude, 16(4), 339-345.

Rojo, J. R. et al. (2016). Resenha: Politicas Publicas e Esporte. Pensar a Pratica, 19(1), 256-259.

Rosa, S., & Leta, J. (2011). Tendencias atuais da pesquisa brasileira em Educacao Fisica. Parte 2: a heterogeneidade epistemologica nos programas de pos 1423-1445.

Souza, C. (2006). Politicas Publicas: uma revisao da literatura 1. Sociologias, #(16), 20-45.

Souza, C. (2007). Estado da arte da pesquisa em politicas publicas. In: Hochman, G., Arretche, M., & Marques, E. Politicas publicas no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz, 65-86.

Souza, D. L., Moraes, M., & Moreira, T. S. O Perfil Da Producao Cientifica Online Em Portugues Relacionada As Modalidades Olimpicas E Paralimpicas. Movimento (ESEFID/UFRGS), 22(4), 1105-1120.

Starepravo, F. A. (2011). Politicas publicas de esporte e lazer no Brasil: aproximacoes, interseccoes, rupturas e distanciamentos entre os subcampos graduacao. Revista Brasileira de Educacao Fisica e Esporte, 25(1), 7-18.

Rossoni, L., Hocayen-da-Silva, A. J., & Junior, I. F. (2008). Aspectos estruturais da cooperacao entre pesquisadores no campo de administracao publica e gestao social: analise das redes entre instituicoes no Brasil. Revista de Administracao Publica, 42(6), 1041-1067.

Pereira da Silva, J. V., Goncalves-Silva, L. L., & Wey Moreira, W. (2014). Produtivismo na posgraduacao. Nada e tao ruim, que nao possa piorar. E chegada a vez dos orientandos!. Movimento, 20(4),

politico/burocratico e cientifico/academico. Tese (Doutorado), Universidade Federal do Parana. Curitiba, Parana, Brasil.

Starepravo, F. A. (2013). Esporte, Politica e Ciencia: a producao cientifica sobre politicas publicas de esporte e lazer no Brasil. Editora CRV.

Tani, G. (2014). Editoracao de periodicos em educacao fisica/ciencias do esporte: dificuldades e desafios. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte, 36(4), 715-722.

Tavares, O. (2015). Desafios e Dilemas da posgraduacao em Educacao Fisica: os estudos socioculturais. In: Rechia, Simone Aparecida. et al. (orgs,). Dilemas e Desafios da Pos-Graduacao em Educacao Fisica. Ijui: Ed. UNIJUI, 219-234.

e-ISSN: 2316-932X

DOI: 10.5585/podium.v8i1.303

Data de recebimento: 21/06/2018

Data de Aceite: 28/10/2018

Organizacao: Comite Cientifico Interinstitucional

Editor Cientifico: Julio Araujo Carneiro da Cunha

Avaliacao: Double Blind Review pelo SEER/OJS

Revisao: Gramatical, normativa e de formatacao

(1) Jeferson Roberto Rojo

(2) Fernando Marinho Mezzadri

(3) Marcelo Moraes e Silva

(1) Doutorando em Educacao Fisica pela Universidade Estadual de Maringa--UEM, Parana (Brasil). E-mail jeferson.roio@hotmail.com Orcid id: https://orcid.org/0000-0002-6291 -6247

(2) Doutor em Educacao Fisica pela Universidade Estadual de Campinas--UNICAMP, Sao Paulo, (Brasil). E-mail: fmezzadri@uol.com Orcid id: https://orcid.org/0000-0001-8601-5227

(3) Doutor em Educacao pela Universidade Estadual de Campinas--UNICAMP, Sao Paulo, (Brasil). E-mail: moraes marc@yahoo.com.br Orcid id: https://orcid.org/0000-0001-6640-7952

(4) A tese de doutoramento de Starepravo (2011) explorou,

alem da producao do referido GTT, os artigos vinculados em alguns importantes periodicos da area. Posteriormente este trecho da tese se materializa em livro que versou especificamente sobre a producao cientifica sobre Politicas Publicas de Esporte e Lazer no Brasil (STAREPRAVO, 2013).

(5) Foram consultadas as plataformas dos seguintes periodicos brasileiros: Conexoes, Licere, Motriviencia, Movimento, Pensar a Pratica, Revista Brasileira de Ciencias do Esporte, Revista de Educacao Fisica/UEM, Revista Brasileira de Educacao Fisica e Esporte, Revista Brasileira de Ciencia e Movimento e Revista Mackenzie de Educacao Fisica e Esporte.

(6) As buscas foram realizadas no periodo compreendido entre os dias 19 e 26 de maio de 2016.

(7) Os manuscritos foram distribuidos pela classificacao do WebQualis valido do ano de 2014.Disponivel em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/col eta/veiculoPublicacaoQualis/listaConsultaGeralPeriodicos jsf Acesso em 1 de julho de 2015.

(8) Tal diferenca entre a presente pesquisa e a de Starepravo (2011; 2013), pode ser observada, por exemplo, no ocorrido com a Revista Movimento, que apos o ano de 2010 saltou de B1 para A2 e da Revista Motrivivencia, que no ano de 2016 subiu de B4 para B2.
Tabela 1: Revistas que publicaram artigos sobre Politicas
Publicas para o Esporte e Lazer--Sistematizado pelos autores

Periodicos            Qualis   Qualis    N. de        %
                        EF     Adm (9)   Artigos

LICERE                  B2       B4        22      25,88%
MOTRIVIVENCIA           B2       ***       16      18,82%
PENSAR A PRATICA        B2       B3        12      14,12%
MOVIMENTO               A2       B1         9      10,59%
RBCE                    B1       B1         8       9,41%
RBEFE                   B1       B2         3       3,53%
REV. EDUCACAO           B1       ***        3       3,53%
FISICA UEM
PODIUM: Sport,          B5       B3         3       3,53%
Leisure
and Tourism
Review
CONEXOES                B4       ***        2       2,35%
RMEFE                   B3       ***        2       2,35%
RCBM                    B2       ***        2       2,35%
SAUDE E SOCIEDADE       B1       A2         1       1,18%
MORTIZ                  B1       ***        1       1,18%
Revista Brasileira      **       B1         1       1,18%
de Historia (RBH)                          85      100,00%
Total Geral

Tabela 2: Escopo dos periodicos--Sistematizado pelos autores (10).

Periodicos            Escopo

Conexoes              Ciencias do Esporte e areas correlatas

Licere                Area do Lazer

                      Cultura corporal na sua interface
                      com as ciencias
Motrivivencia         humanas e sociais, notadamente abordagens
                      socioculturais, filosoficas e pedagogicas.

                      Pesquisas originais em Ciencias do Movimento
Motriz                Humano e areas relacionadas com o desporto e
                      exercicio fisico

                      Educacao Fisica em interface com as Ciencias
Movimento             Humanas e Sociais, mais especificamente em
                      seus aspectos pedagogicos, historicos,
                      politicos e culturais

Pensar a Pratica      Campo Academico-Profissional da Educacao
                      Fisica

                      Gestao de organizacoes esportivas, de
                      lazer e de turismo, abrangendo disciplinas
                      da Administracao

Podium: Sport,        de Empresas, bem como interconexoes com o
Leisure and           Direito, a Economia, a Historia, a
Tourism Review        Sociologia, a Antropologia e a Educacao
                      Fisica.

Revista Brasileira    Historia
de Historia (RBH)

Revista Brasileira    Areas da atividade fisica, do exercicio
de Ciencia e          e do esporte
Movimento (RBCM)

Revista Brasileira    Educacao Fisica/Ciencias do Esporte
de Ciencias do
Esporte (RBCE)

Revista Brasileira     Areas de Educacao Fisica, Esporte e afins
de Educacao Fisica
e Esporte (RBEFE

Revista de            Area da Educacao Fisica
Educacao Fisica/UEM

Revista Mackenzie     Area de Educacao Fisica e Esporte
de Educacao Fisica
e Esporte (RMEFE)

Saude e Sociedade     Area de Saude Publica/Coletiva
                      e de areas afins

Tabela 3: Autores com mais artigos publicados--Sistematizado pelos
autores.

Autores                                   No. de artigos

Fernando Augusto Starepravo (UEM)               11
Fernando Marinho Mezzadri (UFPR)                7
Marcelo Moraes e Silva (UFPR)                   6
Wanderley Marchi Junior (UFPR)                  6
Fernando Mascarenhas (UnB)                      5
Pedro Fernando Avalone Athayde (UnB)            5
Dirceu Santos Silva (UNICAMP)                   5
Katiuscia Mello Figueroa (UFPR)                 4
Gisele Maria Schwartz (UNESP)                   4
Edmilson Santos dos Santos (UFVSF)              4
Giselle Helena Tavares (UFU)                    4
Helder Ferreira Isayama (UFMG)                  4
Carlos Nazareno Ferreira Borges (UFES)          3
Fernando Renato Cavichiolli (UFPR)              3
Simone Rechia (UFPR)                            3

Tabela 4: Numero de artigos publicados pelas instituicoes--
Sistematizado pelos autores.

Instituicoes      No. de artigos

UFPR                    19
UEM                     14
UnB                     10
UNICAMP                 8
UFMG                    5
UNESP                   4
UFSC                    4
UFES                    4
USP                     4
UFRJ                    4

Grafico 1: Distribuicao da producao do conhecimento por ano
Analisado--Sistematizado pelos autores.

Distribuicao dos artigos por ano

        2013        2014   2015    2016

%       22.35%   36.47%   30.59%   10.59%

Total     19       31       26       9

Note: Table made from bar graph.

Grafico 2: Distribuicao da producao por estrato do Qualis/
Capes---Sistematizado pelos autores.

Distribuicao pelo Qualis/Capes

         **       A2       B1      B2       B3      B4      B5

%       1.18%   10.59%   18.82%   61.18%   2.35%   2.35%   3.53%

Total     1       9       16        52        2     2        3

** nap indexada na area 21.

Note: Table made from bar graph.

Grafico 4: Distribuicao de artigos por numero de autores--
Sistematizado pelos autores.

Autores e Co-autores

        2        3        4        1        5       6

%       29.41%   25.88%   17.65%   16.47%   5.88%   4.71%

Total   25       22       15       14       5       4

Note: Table made from bar graph.

Grafico 5: Distribuicao por numero de instituicoes
colaboradoras--Sistematizado pelos autores.

Instituicoes por artigo

           1          2          3          4

%        65.88%     25.88%     5.83%      2.35%

Total      56         22         5          2
COPYRIGHT 2019 Universidade Nove de Julho
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Rojo, Jeferson Roberto; Mezzadri, Fernando Marinho; Silva, Marcelo Moraes e.
Publication:Podium: Sport, Leisure and Tourism Review
Date:Jan 1, 2019
Words:5623
Previous Article:BELO HORIZONTES GREEN PARKS: ATTRIBUTES AND A ENVIRONMENTAL PERSPECTIVE WEIGHTS/PARQUES VERDES NA CIDADE DE BELO HORIZONTE: ATRIBUTOS E PESOS NA...
Next Article:SWIMMING FOR INDIVIDUALS WITH INTELLECTUAL DISABILITY: A INTEGRATIVE REVIEW/NATACAO PARA INDIVIDUOS COM DEFICIENCIA INTELECTUAL: UMA REVISAO...

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters