Printer Friendly

Strike media coverage on Facebook: reader's engagement on the Gazeta do Povo's fanpage/Cobertura da greve paranaense no Facebook: engajamento dos leitores na pagina da Gazeta do Povo.

Introducao

Este artigo tem como objetivo analisar como as noticias sobre a greve dos professores do Parana (1), postadas na pagina do jornal Gazeta do Povo no Facebook, geraram feedback entre os usuarios que tiveram acesso ao conteudo. A analise compara a interacao dos usuarios em relacao as noticias que tratam da greve com o comportamento usual que ocorre no restante do conteudo postado pela Gazeta do Povo. A hipotese central levantada e que o tema pautado devido as suas caracteristicas fora da internet--define o nivel de interacao entre leitor e conteudo e, nesse caso a ser estudado, ha diferencas significativas entre o tema "greve" e qualquer outro tipo de postagem feita pelo veiculo durante o periodo analisado na rede social digital estudada. Isso pode ser explicado por se tratar de um assunto local, que atinge diretamente o publico-alvo do veiculo, majoritariamente do estado do Parana, e tem implicacoes amplas na populacao.

Trata-se de um estudo voltado para entender as dinamicas do engajamento on-line e do processo de circulacao de informacao pelas redes sociais e tem-se como ponto de partida que elas sao utilizadas como ferramentas de disseminacao de conteudo jornalistico na internet, possibilitando que a informacao chegue a varias sub-redes (Recuero, 2009). Ao mesmo tempo, tambem permitem interacao dos usuarios, os quais podem comentar, curtir e compartilhar o conteudo, gerando um novo tipo de comportamento.

A pesquisa parte do pressuposto de que os meios de comunicacao que se utilizam de paginas em rede sociais conseguem maior alcance das noticias. O conteudo que e replicado na pagina oficial de veiculos jornalisticos no Facebook, por exemplo, atinge mesmo aqueles que nao possuem necessariamente contato direto com o post produzido, por meio de opcoes como "curtir" e "compartilhar" chegando ao fenomeno que Aggio e Reis (2015) chamam de ecologia dos fluxos de informacao on-line. Alem disso, as opcoes de fazer um comentario, compartilhar e curtir tambem demonstram o interesse dos leitores quanto a determinado assunto, o que podemos chamar aqui de engajamento on-line, mesmo que seja uma forma um tanto restritiva.

Para desenvolver a analise proposta, foram coletados todos os posts da pagina da Gazeta do Povo no Facebook (2), entre os dias 15 de abril a 26 de junho de 2015, o que totalizou um corpus de 1691 unidades. Foram analisados o tema geral, o numero de compartilhamento, comentarios e curtidas em cada postagem. A pesquisa trabalha com os dados de modo comparado, separando os posts sobre a greve dos servidos dos demais, justamente para tentar identificar as diferencas quanto a interacao dos leitores e sua relacao com o assunto em questao.

O artigo esta dividido da seguinte forma: na primeira parte discute-se o uso das redes sociais pelo jornalismo e, na sequencia, as potencialidades da ferramenta quanto a ampliacao do debate e engajamento on-line. Depois, apresenta-se o contexto da pesquisa--retomando alguns fatos importantes da greve--e a metodologia de analise para, em seguida, apresentar os dados, usando testes de media para ver se as diferencas no comportamento sao significativas ou nao. Por fim, faz-se as consideracoes finais, retomando o debate teorico e enfatizando a discussao sobre a importancia do tema como fator para criar ou incitar o engajamento dos leitores por meio das redes sociais digitais.

Jornalismo, redes sociais e circulacao de informacao

Com a popularizacao da internet e, mais recentemente, com o uso constante das redes sociais, o cidadao ganhou novas possibilidades para buscar informacao, tornando-se menos dependente da cobertura televisiva ou dos grandes veiculos impressos. Na pratica, isso significa que os veiculos jornalisticos deixaram de ser unicos no processo de consumo (Heinrich, 2011) e transitam, junto com outros espacos on-line, como redes sociais, blogs, foruns, e-mails e sites de conteudos variados, na composicao do ambiente informacional dos cidadaos (Primo, 2011; Dalmaso, 2012). Segundo Primo (2011), o individuo consome toda e qualquer informacao que estiver on-line, o que vai muito alem dos sites jornalisticos. O autor nomeia esse cruzamento de informacao de "composto informacional midiatico" (Primo, 2011), que gera a visao de mundo que cada cidadao tera. No entanto, isso nao significa dizer que os veiculos informativos perderam sua funcao, mas, sim, que precisaram se adaptar a essa tendencia.

Uma das maneiras de os veiculos informativos fazerem isso e por meio da apropriacao dos espacos nos sites de rede social. Os jornais impressos passaram a ter os proprios portais na internet, sendo que agora tambem ocupam as redes sociais. Essa migracao para o on-line tem relacao com o aumento significativo do uso da internet entre os usuarios brasileiros. O tempo gasto nas redes aumentou consideravelmente nos ultimos anos. De acordo com a Pesquisa Brasileira de Midia (PBM, 2014), 48% dos brasileiros utilizam a internet, sendo que 37% acessam a rede todos os dias. Dos usuarios frequentes, 67% afirmam que a usam para consumir noticias e se informar. No que concerne as redes sociais, o Facebook aparece como a rede mais utilizada, com 83% da preferencia dos brasileiros (Brasil 2014). Segundo survey realizado pelo PewResearch Center (2015) nos Estados Unidos (BARTHEL e outros, 2015), 63% dos usuarios do Facebook consideram a rede como uma boa fonte de informacao.

Com a presenca nas redes sociais on-line, uma estrategia adotada pelos jornais para garantir outro espaco de divulgacao e circulacao da noticia foi criar paginas oficiais em sites como Facebook e Twitter. Dessa maneira, alem de garantir maior proximidade com o publico devido as ferramentas interativas, podem divulgar conteudos paralelos ao site e, assim, ampliar o sistema de difusao e circulacao de informacoes (Dalmaso, 2012; Zago, 2012; Zago e Bastos, 2013; Barros e Carreiro, 2015). Nas redes sociais, a atividade do usuario--como curtir e compartilhar--tem um impacto significativo na difusao das noticias de cada jornal (Zago e Bastos, 2013). Essa replicacao confere visibilidade as noticias, que passam a receber maior atencao e maior audiencia, porque permeiam as sub-redes (Recuero, 2009) e chegam ate mesmo aqueles usuarios que nao estao em contato direto com a publicacao.

A divulgacao do material do site no Facebook, por exemplo, pode fazer com que alguns temas ganhem destaque e maior visibilidade ao passo que outros podem ser obstruidos (Zago e Bastos, 2013). No caso de jornais ou portais de noticia, nem tudo o que esta no site e replicado no Facebook, ou seja, ha um filtro que determina o que segue para a rede social. Alem disso, as materias produzidas para o site, e divulgadas posteriormente nas redes sociais, podem agregar informacoes aprofundadas e proporcionar pluralidade de fontes e visoes sobre os acontecimentos, conforme preve a estrutura do texto para web (Canavilhas, 2006). Ainda nesse sentido, o numero de materias produzidas sobre o mesmo assunto poderia aumentar, ja que se trabalharia com essas informacoes complementares. Dessa forma, nota-se mudancas nos modos de fazer jornalismo na internet, assim como na forma de distribuicao da informacao agora tambem pelas redes sociais que contribuem com o processo de circulacao de conteudo (Zago, 2012), antes restritos aos meios tradicionais.

Engajamento on-line e interacao pelas redes sociais digitais

Alem de as redes sociais possibilitarem uma nova maneira de circulacao e consumo de conteudos informativos na internet, elas estabelecem novas formas de interacao entre jornal e usuario (Teixeira, 2014), assim como e recorrente na relacao entre candidatos e eleitores em periodos eleitorais, a partir da interacao por meio dessas ferramentas (Aggio, 2010). Barros e Carreiro (2015) argumentam que a rede possibilita ao usuario integrar uma esfera conversacional, seja ela temporal (poder de comentar a noticia enquanto ela ainda e transmitida), ou espacial (fazer comentarios no mesmo ambiente em que o conteudo e disseminado). No caso das noticias postadas nas paginas dos jornais no Facebook, essa esfera e bastante visivel, ja que o leitor tem a possibilidade de comentar, curtir ou compartilhar instantaneamente o conteudo assim que ele e publicado, interferindo no alcance da informacao (Zago, 2012) e indicando, ainda, seu interesse e engajamento quanto ao assunto.

Por meio das ferramentas das redes sociais e possivel falar de um novo tipo de engajamento, agora na esfera on-line (Aggio, 2010). O ato de curtir, compartilhar e ate mesmo comentar determinada postagem de noticia indica, ao menos, um interesse previo, podendo ser comparado a uma pseudomobilizacao (Klotz, 2007). Entende-se por engajamento aqui o ato de colaborar ou empenhar-se em determinado tema ou questao utilizando as ferramentas das redes sociais. Essas possibilidades oferecidas podem ou nao ser "acatadas" pelos usuarios de internet que acessam as noticias pelo Facebook e isso depende do modo como ele pretende interagir com o conteudo, ou engajarse nele. Embora essa midia tenha caracteristicas estruturais que permitam a interacao e participacao, conforme lembram Barros e Carreiro (2015), ela nao leva automaticamente ao engajamento civico (Ferreira e Alves, 2014). E preciso que eles se sintam instigados para interagirem com o conteudo por meio desses mecanismos, sendo que isso pode variar conforme o tema, a intensidade das mobilizacoes no mundo off-line, a proximidade, o impacto social, entre outros fatores.

Numa perspectiva mais abrangente dos estudos sobre internet e participacao politica, para a vertente deliberacionista, a internet possibilitaria uma arena fertil para o engajamento e, inclusive, de deliberacao por parte dos cidadaos. Dentre as suas atribuicoes estariam a de gerar novas modalidades de interacao, ampliar o estoque de informacao acessivel e o de fomentar o debate publico (Mendonca e Pereira, 2011). No entanto, Marques (2006) ressalta que viabilizar o debate nao garante que todos queiram discutir, tampouco que se dediquem a chegar a algum consenso sobre determinados assuntos. Em termos de redes sociais, pode ser que o leitor nao queira curtir, compartilhar e nem falar de determinado assunto. Sampaio e Barros (2010) ja indicaram, ao estudar a deliberacao em espacos de comentarios em portais de noticia, que o tema e uma variavel importante para gerar mais ou menos debate. Neste texto, pretende-se observar, de modo similar, se o tema e importante para definir maior ou menor interacao entre os leitores e as postagens feitas no Facebook, mas observando nao apenas o numero de comentarios, mas tambem as possibilidades de compartilhamento e curtidas.

A associacao defendida aqui e entre as possibilidades interativas das redes sociais--curtir, compartilhar e comentar--e como isso pode ser considerado como caracteristicas de engajamento quando se trata de publicacoes de noticias, considerando o interesse dos seguidores. Trata-se, obviamente de niveis diferentes de se interessar por determinado assunto, sendo que uma "curtida" desprende menos esforco do que o engajamento por meio do debate on-line atraves dos comentarios, por exemplo. No entanto, nao deixa de ser uma forma de interacao com o conteudo que, na hipotese deste artigo, tem relacao intrinseca com o tema. Ou seja, a opcao ou nao por essas acoes de engajamento depende do tema ou assunto, tendo um valor social relevante quando se trata de assunto de interesse publico, tal qual se pretende analisar neste texto. Portanto, nem sempre o leitor estaria disposto a interagir com o conteudo e contribuir com a circulacao da informacao.

A conversacao que se estabelece na rede--podendo ser por meio de comentarios--e ainda importante para que se amplie o entendimento que os participantes tem sobre determinado assunto, segundo Maia (2001). Assim, e possivel compartilhar pontos de vista (Zuniga e outros, 2010) sobre os temas que ganham visibilidade na midia, sendo que as posicoes dos atores sao publicizadas a partir da interacao--que colabora para a disseminacao da noticia e com a conexao do interesse da rede de amigos com um tema publico (Barros e Carreiro, 2015). Montardo e Araujo (2013) indicam ainda que, por possuir carater mais horizontal de comunicacao, as redes garantem visibilidade as mobilizacoes nas quais se engajam um numero relevante de individuos.

Ferreira e Alves (2014) reiteram que o Facebook tem se mostrado uma plataforma potencial para promover encontros, desenvolver debates e criar lacos, para alem da divulgacao de informacoes, o que corrobora com a ideia de engajamento por meio de redes sociais a diferentes temas. Este estudo trabalha com a hipotese de que esses lacos e debates nao ocorrem de modo identico e estavel para com todos os assuntos: ha temas que geram mais engajamento que outros. A presenca de leitores ou de ferramentas nao leva, automaticamente, a interacao. Isso vai ocorrer, como se defende na hipotese de pesquisa, quando o tema gerar interesse devido as suas caracteristicas. O "nivel de engajamento" seria diferente entre o assunto estudado--greve--e os demais destaques publicados pelos jornais no Facebook.

Nao se trata de uma participacao dos leitores, na perspectiva literal das teorias da democracia, mas de mecanismos que podem indicar o quanto as pessoas tendem a se envolver com determinado assunto, empenhandose na mobilizacao, circulacao da informacao, proliferacao do tema ou debate. Os estudos tem voltado suas analises para o engajamento e potenciais de mobilizacao da rede em campanhas eleitorais (Aggio, 2010), sendo que o objetivo deste artigo e discutir esses mesmos conceitos, mas nao atrelado a perspectiva de campanha, e, sim, de temas quaisquer que, dependendo de suas caracteristicas, tambem geram interesse e possibilitam a interacao, quando aparecem nas redes sociais por intermedio dos veiculos de comunicacao.

Portanto, parte-se do pressuposto de que e necessario algum tipo de incentivo para que as pessoas se engajem na rede, principalmente para interagir com o conteudo jornalistico. Nao sao todos que chamam a atencao, tal como se argumenta. E preciso um assunto em comum, de destaque fora do mundo on-line, que esteja no debate. Assim, acredita-se que a greve dos professores e servidores do Parana--e seus desdobramentos--deve gerar maior engajamento e mobilizacao do que os demais assuntos, que sao recorrentes a opiniao publica, mas que pouco sao atrativos do ponto de vista de um empenho do publico que gere, posteriormente, mobilizacao por meio das redes sociais. Para se conhecer os caminhos metodologicos adotados nesta pesquisa, bem como o contexto do qual estamos nos referindo, apresentamos o topico a seguir.

Desenho da pesquisa e contexto de analise

Os dados referentes a esta pesquisa foram coletados a partir do aplicativo Netvizz (3) e correspondem ao periodo do dia 15 de abril a 26 de junho de 2015. O recorte considera todo o periodo da segunda paralisacao realizada pelos docentes do Parana, a qual teve inicio no dia 23 de abril e terminou somente no dia 25 de junho. O periodo agrega, ainda, uma semana anterior ao dia 23 de abril, ja que o assunto estava bastante presente no debate publico, e tambem o dia seguinte da decisao pelo fim da paralisacao. Ao todo, foram publicadas na pagina da Gazeta do Povo 1.691 postagens, replicando o conteudo noticioso do portal do veiculo, sendo que 132 correspondiam a tematica da paralisacao dos docentes e servidores.

Neste artigo, o objetivo e identificar as diferencas no que diz respeito a interacao por meio das ferramentas do Facebook explicar os diferentes niveis de engajamento do publico. Para tanto, compara-se as postagens sobre a greve (n=132) com aquelas referentes aos demais assuntos replicados na rede social, analisando o numero de compartilhamentos, comentarios, curtidas e os temas especificos categorizados a partir de um livro de codificacao, produzido previamente para a analise de conteudo (4).

Complementar a primeira hipotese ja discutida ao longo da discussao teorica, a segunda proposicao afirma que dentre os assuntos especificos dos posts sobre greve (confronto, votacoes, manifestacoes e efeitos sociais da paralisacao), tambem ha diferencas na maneira como as pessoas interagem, sendo que alguns grupos tendem a gerar maior engajamento e interesse que outros, como e o caso do subtema "confronto", em que as postagens gerariam maior quantidade de comentarios em funcao do contexto politico e da violencia dos atos do dia 29 de abril, que geraram mobilizacao, tanto on-line como offline. Para testar tais hipoteses e as distincoes referidas, sao feitos testes de diferenca de media, tais como o teste T e ANOVA (5). Por ser um estudo de caso, nao se pode fazer generalizacoes dos resultados para outros cenarios. Porem, a partir da discussao teorica e empirica e possivel ampliar o debate que relaciona jornalismo, engajamento e publico nas redes sociais.

Em termos de contextualizacao do periodo e do tema analisado e necessario fazer algumas ponderacoes sobre o movimento grevista. A greve dos professores da rede estadual do Parana de 2015 foi dividida em dois periodos: comecou no dia nove de fevereiro e tinha como principal ponto de reivindicacao a retirada do projeto de lei que autorizava o governo a sacar dinheiro da Parana Previdencia e a mudar o sistema da aposentadoria. Com a retirada da proposta da Assembleia Legislativa do Parana (Alep) e uma "carta de compromisso", a paralisacao foi suspensa e as aulas foram retomadas em meados de marco. No entanto, apos o governo descumprir um dos itens estabelecidos na carta de compromisso, a segunda etapa da greve iniciou-se no dia 27 de abril. O projeto foi a votacao na Alep no dia 29 de abril, dia em que ocorreu o enfrentamento entre a politica e os manifestantes, o qual ficou conhecido como "massacre". O projeto foi aprovado e sancionado pelo governador no dia seguinte. No inicio de maio, comecou o debate sobre a data-base, ja que o governo nao garantiu a reposicao inflacionaria do periodo 2014/2015, que ficou em 8,17%. As negociacoes seguiram pelos meses de maio e junho. No dia nove de junho, os servidores da rede basica de ensino, ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educacao Publica do Parana (APP Sindicato), decidiram aceitar a proposta do Executivo e encerraram a greve. Ja os professores e servidores do ensino superior mantiveram a paralisacao. Apesar dos esforcos, o projeto foi aprovado no dia 16 de junho. Nos dias seguintes, os sindicatos de varias universidades convocaram assembleia docente para avaliar a situacao e, embora nao se tenha conseguido avancos na pauta de reivindicacao, os docentes votaram pelo fim da greve que foi suspensa no dia 25 daquele mes.

Engajamento no Facebook: compartilhamento, comentarios e curtidas

O primeiro dado a ser destacado e que durante as oito semanas de analise --15 de abril a 27 de junho--do total de 1.691 postagens feitas pela Gazeta do Povo no Facebook, 8,4% do total diziam respeito a greve dos professores. Portanto, de cada 10 posts, um deles se referia ao tema em analise, o que resultou em 132 entradas somente sobre a greve dos servidores. Destaca-se que as postagens apresentam um link que direciona o leitor ao portal da Gazeta do Povo, sendo que o post do Facebook, na maior parte dos casos, apresentava uma foto, seguido de uma breve chamada sobre o assunto e o link. Dessa forma, caso o leitor se interessasse pelo tema, seria direcionado ao site para a leitura da noticia completa (6). Isso ja mostra um intercambio entre as redes sociais e os portais com conteudo no formato mais tradicional de noticias.

A analise proposta e comparativa, dividindo em dois grupos as postagens durante o periodo estudado. De um lado, textos sobre a greve e, de outro, assuntos que nao dizem respeito ao fato e poderiam ter qualquer abrangencia ou abordagem, seja voltado ao interesse publico ou nao. O objetivo aqui e isolar as noticias sobre a greve replicadas no Facebook e observar se o nivel de interacao dos leitores difere, tendo em conta que a greve era um assunto de proximidade com os leitores do jornal. Portanto, ao longo da analise, os dados estao divididos e observa-se, como segue na tabela 1, a media e o desvio padrao da quantidade de curtidas, comentarios e compartilhamentos gerados nas noticias que tratam da greve e daquelas que dizem respeito as demais postagens.

Esses primeiros dados, comparando a media das distintas formas de interacao com o conteudo, ja indicam diferencas importantes entre os textos que tratam da greve em relacao aqueles sobre os demais temas replicados no Facebook da Gazeta do Povo. Todas as medias--tanto de curtidas, comentarios ou compartilhamentos, sao maiores para as noticias referentes a greve. A postagem "No Parana, 17 policiais se recusam a fazer cerco a professores e sao presos, por exemplo, teve 8.099 compartilhamentos. Da mesma forma, a noticia "Base governista ignora batalha campal e aprova lei da previdencia" obteve 3.497 comentarios na rede social.

Nota-se ainda que embora as medias das noticias sobre a greve--para os tres quesitos analisados--sao bem superiores, a maior diferenca esta no caso dos compartilhamentos, com uma media de 1.641 para as noticias referentes a paralisacao, contra 227 para aquelas que sao referentes a outros temas no mesmo periodo, o que revela um valor sete vezes maior. Deve-se salientar aqui que o compartilhamento tambem faz parte de um fenomeno de ampliacao do alcance das noticias, o que indica que as noticias da greve tiveram um amplo alcance, inclusive muito maior do que apenas entre os seguidores, com ressalta Recuero (2009) e Zago e Bastos (2013). A proposta dos leitores era fazer com que a noticia tivesse sua circulacao ampliada para as redes de amigos (Zago, 2012).

Alem disso, nas postagens sobre a greve tambem se identificou alto grau de debate--considerado como uma das possibilidades da rede por Ferreira e Alves (2014)--muito mais significativo do que nas postagens de outros temas, com uma media quase quatro vezes maior, passando de 86 para 308 comentarios de media. O resultado indica que os leitores procuraram formar arenas conversacionais a partir da exposicao de suas opinioes sobre o assunto especifico da greve (Marques, 2006) e inclusive pode-se retomar a ideia de que por ser um tema extremamente polemico para o momento houve mais debate (Sampaio e Barros, 2010), ainda que nao se saiba, com esta analise, o teor do processo deliberativo.

Por outro lado, e preciso considerar que, apesar das grandes diferencas entre as medias, ha um alto desvio padrao tanto para compartilhamentos, comentarios ou curtidas quando se observa as noticias sobre a greve. O desvio padrao aqui e maior do que para os demais temas nos tres tipos de interacao. Isso indica que, mesmo entre as postagens somente sobre a greve, ha algumas com alto numero de comentarios e outras com poucos comentarios. Pode-se usar como exemplo os casos da postagem do dia 29 de abril, falando sobre o numero de feridos no confronto entre professores e policiais no Centro Civico, que teve 1.307 comentarios; e do post que trata sobre o total de dias de paralisacao dos servidores, que obteve apenas um comentario.

Esses dados indicam para duas consideracoes importantes ja de inicio. A primeira diz respeito a media mais elevada para os tres quesitos de interacao observados nas postagens referentes a paralisacao em relacao aquelas sobre outros assuntos, o que leva a crer que o tema chamou a atencao dos usuarios da rede social, instigando-os para curtir, compartilhar e comentar, sendo este ultimo o mais exigente em termos de esforco desprendido, ja que o individuo precisa estar disposto a introduzir sua propria opiniao e compartilha-la com os demais participantes do debate (Zuniga, 2010). Por outro lado, o compartilhamento permite maior abrangencia do tema, onde os leitores contribuem com a distribuicao de informacoes sobre o assunto, o que vai ao encontro do que Zago e Bastos (2013) defendem, pois acreditam que a atividade do usuario tem um impacto significativo na propagacao desses conteudos. Mas, alem disso, e preciso notar que ha grande variacao na quantidade de comentarios, o que demonstra que nem toda informacao sobre a paralisacao interessava e gerava maior engajamento, o que tem a ver com postagens menos atrativas e menos instigantes em relacao as outras em que havia conflito/confronto.

Para reduzir essas inconsistencias, apresenta-se os graficos boxplot, que indicam a amplitude da variacao dentro dos quartis, assim como o valor da mediana, que nao sofre interferencia de casos isolados, diferente da media. Os graficos analisados na sequencia trazem a relacao entre a quantidade de comentarios, compartilhamentos e curtidas, tambem dividindo entre postagens sobre a greve e outros temas replicados na rede social analisada. A diferenca e que por meio deles pode-se observar o valor da mediana e a distribuicao dos casos, o que salienta a diferenca no engajamento quando as postagens se referem a greve, corroborando com a confirmacao da hipotese inicial e ampliando as discussoes sobre a importancia de temas para fomentar o debate em locais onde nao ha outro tipo de incentivo claro (Sampaio e Barros, 2010).

O boxplot a seguir mostra a variacao na quantidade de curtidas referentes as postagens sobre a greve e outros temas e suas respectivas medianas. O grafico do boxplot e dividido em quatro partes e cada uma apresenta 25% dos casos envolvidos, excluindo-se os outliers, sendo que a linha que corta a caixa representa o valor da mediana, ou seja, representa ate ela ou acima dela 50% dos casos. O tamanho do grafico indica quao homogenea e a distribuicao de curtidas nos textos, seja sobre a greve ou outros temas. O primeiro dado, como se pode ver, e que a mediana dos comentarios refente as postagens sobre a paralisacao e de 835, sendo que dos demais textos e de 311. Portanto, metade das postagens gerais tem menos de 311 curtidas, sendo que no caso da greve a metade chega ate 835 curtidas.

[GRAPHIC 1 OMITTED]

Nota-se, ainda, que as postagens gerais possuem maior homogeneidade quanto a quantidade de curtidas, concentrando principalmente nos dois primeiros quadrantes, diferente do caso das noticias sobre a greve, as quais tem maior heterogeneidade, com textos muito pouco curtidos e outros que chegam a quase tres mil curtidas. Ainda que ambos se aproximem no que diz respeito a baixa quantidade--com algumas postagens com muito poucas curtidas em ambos os casos--a diferenca esta no fato de que o grafico referente a greve agrupa textos com quantidades de curtidas muito maiores do que aqueles que dizem respeito a outros temas. Como as curtidas tambem ajudam no processo de circulacao de conteudo, nota-se maior distribuicao nas redes sociais deste tema.

Comportamento semelhante e percebido quando se trata da quantidade de comentarios nas postagens referentes a greve. O tamanho dos graficos e bastante diferente, o que demonstra que as noticias sobre outros temas tendem a concentrar os comentarios ate 200, com um boxplot bastante concentrado, com hastes e caixas pequenas. Ja nos textos sobre a greve o boxplot e bem mais extenso, demonstrando heterogeneidade, com postagens de ate 600 comentarios, ainda que tenham algumas tambem com poucos. Como ja foi dito, tambem ha casos pouco emblematicos dentro da propria tematica greve. Comparando os dois graficos, nota-se como praticamente metade das noticias sobre a greve apresentam mais comentarios em relacao aquelas sobre outros assuntos. O debate sobre a greve foi muito maior do que sobre outros temas no periodo, evidenciando a possibilidade da internet para postar opiniao (Marques, 2006). Inclusive, enquanto nas materias sobre a greve nao foram identificados posts sem algum comentario, dentre aquelas com outra tematica apareceram 50 postagens que nao apresentaram nenhuma publicacao por parte do leitor, como e o caso de uma materia sobre a contratacao de empregadas domesticas.

[GRAPHIC 2 OMITTED]

Alem da heterogeneidade percebida pelo tamanho do grafico em relacao ao outro, a mediana dos comentarios das postagens sobre a greve e de 196,5 contra 29 daquelas referentes a outros assuntos. Enquanto metade dos textos sobre a greve chega ate quase 200 comentarios, no caso dos demais, metade das postagens nao alcancaram mais de 30 comentarios. Isso indica um debate muito mais expressivo sobre a greve do que outros assuntos, evidenciando a confirmacao da hipotese inicial. O tipo de assunto das postagens e sua importancia diante dos seguidores da pagina interfere na intensidade do debate, lembrando a proximidade, a implicacao social e outros valores-noticias imbricados nos textos que se referiam a greve.

O compartilhamento e outra forma do leitor demonstrar interesse pelo tema das postagens e, ao mesmo tempo, contribuir com a ampliacao de acesso a informacao por outros leitores, revigoando a idea das redes como amplificadoras de conteudo (Dalmaso, 2012). O grafico seguinte mostra que a intensidade de compartilhamento em noticias sobre a paralisacao foi muito maior do que nos demais temas replicados no Facebook. Esse interesse tambem tem relacao com a proximidade do tema com os leitores ja que a greve causava impacto direto a muitos paranaenses e envolvia o Governo Estadual e o Legislativo, ganhando destaque no debate publico, o que tambem se traduz nas redes sociais com a interacao com as postagens.

A comparacao entre postagens sobre a greve com outros temas ressalta que, embora ambos tenham textos com poucos compartilhamentos, os quais nao ganharam tanto destaque e interesse, no caso dos textos sobre a greve ha maior distribuicao com posts com ate mil compartilhamentos. Ja no caso dos textos sobre outros assuntos replicados no Facebook do jornal, a concentracao fica evidente com ate pouco mais de 400 compartilhamentos. Quando se observa o tamanho das hastes e caixas, 25% das postagens sobre a greve tem mais compartilhamentos do que aqueles sobre outros temas, os quais sao representados pela haste superior.

[GRAPHIC 3 OMITTED]

Comparando as medianas, no caso das postagens sobre a greve chega a 304,5 compartilhamentos enquanto sobre outros temas nao passa de 58. Esse dado enfatiza que o tema "greve" chama mais a atencao e foi mais replicado por meio das redes sociais do que outros assuntos, alcancando a um publico maior que nao necessariamente curte a pagina do jornal no Facebook (Aggio e Reis, 2015), mas recebeu o conteudo pela pratica de compartilhamento de amigos, chegando entao as sub-redes (Recuero, 2009). De modo comparado, observando os tres tipos de praticas interativas proporcionadas pelas redes sociais, nota-se que quanto maior a exigencia, menor e o nivel de participacao, com menor mediana para comentarios e maior para curtidas. No caso das redes sociais, fica evidente que quanto menor a exigencia, maior o engajamento que requer menos esforcos, tempo e contato continuo. No grafico seguinte tem-se a soma de todas as formas de interacao com o conteudo, tambem divididas entre temas referente a paralisacao e posts sobre outros assuntos.

Os dados apresentados aqui reafirmam a ideia de que o tema interfere na quantidade de interacao dos leitores, enfatizando a hipotese apresentada, pelo menos no que diz respeito a assuntos polemicos. Neste caso, um dos motivos levantados--que ja aparecem na literatura--pode ser pela natureza da tematica, que tende a nao ser consenso entre os cidadaos. Conforme identificaram Barros e Carreiro (2015), temas onde a posicao das pessoas nao e homogenea tendem a ser mais debatidos do que aqueles onde ha um consenso, justamente pela necessidade de expor sua opiniao individual e, quem sabe, convencer a outra pessoa.

Para testar se as diferencas sao realmente significativas ao nivel de confianca de 95%, fez-se o teste T de medias, comparando as medias para curtidas, compartilhamentos e comentarios entre postagens sobre greve ou outros temas (variavel binaria). Os dados que seguem na tabela abaixo mostram que e possivel estabelecer a hipotese alternativa, de que ha diferencas entre as medias, e pode-se refutar a hipotese nula de que a distribuicao dos comentarios, curtidas e compartilhamentos ocorre de maneira semelhante em todas as postagens (10).

Aqui fica evidente que em temas polemicos e de proximidade os leitores sao mais engajados nas redes sociais tanto no formato mais simples, de curtir, quanto de comentar, que exige maior interesse e disposicao. As diferencas sao altamente significativas, com sig. de 0.000 para os tres casos e, tambem, para o engajamento que representa o conjunto de interacoes, confirmando a partir do teste estatistico a diferenca no processo de interacao, valorizado quanto o tema e a greve. Esse achado corrobora com a ideia de Sampaio e Barros (2010), ainda que os autores se referissem apenas ao processo de debate por meio de comentarios. Essa confirmacao tambem leva a conclusao de que o tema greve circulou mais na esfera publica digital, contribuindo com os estudos sobre circularidade de conteudo por meio das redes sociais digitais (Dalmaso, 2012; Zago, 2012; Zago e Bastos, 2013).

No entanto, dentro do tema "greve", os temas das postagens (n=132) tambem eram bastante diferentes na cobertura, sendo que foram divididos entre negociacoes, confronto, manifestacao, votacoes, efeitos sociais da greve e outro (11). A tabela que segue indica a quantidade de posts relacionados a cada tema, a media de comentarios, compartilhamentos e curtidas de cada um, o desvio padrao e os valores minimo e maximo. Nota-se que no que se refere aos comentarios a variacao e bastante significativa em todos os temas. O maior numero de comentarios, assim como a media, se deu para as postagens sobre o confronto, chegando ate 3.497 comentarios. A menor media de comentarios se deu nos textos sobre as votacoes, onde o maximo nao passou de 673. Isso indica algumas variacoes quanto ao maior ou menor interesse dos leitores.

Em relacao as curtidas, a maior media se encontra no tema "confronto" tambem, com 2.452 curtidas, sendo que o numero maximo neste tema chegou a mais de 15 mil, como e o caso da publicacao* "Cenas de violencia no Centro Civico". (13) Ja sobre os compartilhamentos, a maior media tambem e para os posts sobre o confronto, sendo que o reverso sao as postagens sobre efeitos sociais da greve, com menos de 600. No caso do confronto, os compartilhamentos passaram de 60 mil. A tabela segue abaixo:

Ate entao notam-se medias maiores e menores em relacao as tres formas de interacao pelo Facebook, com alguns destaques, tais como aqueles citados acima. No entanto, nao se sabe se esses valores sao significativos, usando o limite critico de 0,000 e confianca de 95%. O objetivo entao, usando o teste ANOVA de comparacao de medias para grupos com tres ou mais categorias, e chegar a conclusao se tais diferencas podem ser generalizadas. Abaixo tem-se os resultados no que diz respeito as categorias dentro da variavel "tema" e as diferencas entre elas.

O teste ANOVA indica que nao se pode generalizar tal resultado quanto as diferencas nas medias de comentarios, compartilhamentos e curtidas nos subtemas dentro do grande leque sobre a greve, o que refuta a segunda hipotese apresentada. A relacao entre as categorias para cada tipo de interacao nao e significativa em nenhum dos casos, com todos os resultados acima do limite critico de 0,000. Isso indica que o tema "greve" e capaz de mobilizar os leitores e chamar a atencao, tendo medias significativamente diferentes para os tres tipos de interacao em relacao aos posts sobre outros temas, mas que ao observar temas diferentes dentro do assunto "greve" as diferencas nao podem ser generalizadas. Portanto, pode-se afirmar que o tema "greve" mobiliza mais o leitor que participa mais, confirmando a primeira hipotese, mas nao se pode dizer o mesmo quanto aos subtemas--"efeitos", "votacoes", etc.--sendo que a segunda hipotese foi, entao, refutada. Retomaremos os principais achados da analise a seguir.

Conclusao

Este artigo teve como principal objetivo identificar como as postagens sobre a greve dos professores do Parana geraram interacao entre os usuarios e os conteudos na pagina do jornal Gazeta do Povo, no Facebook. Trata-se de um estudo de caso que buscou mensurar o engajamento gerado pelos posts sobre a tematica, em comparacao com os conteudos que nao diziam respeito a greve. Parte-se da literatura sobre circulacao e consumo de noticias nas redes (Recuero, 2009; Zago, 2013; Ferreira e Alves, 2014; Zago e Bastos, 2014) e tambem da vertente que classifica a rede como um espaco propenso a disponibilizacao de informacao de maneira mais acessivel e local de promocao do debate (Mendonca e Pereira, 2011; Ferreira e Alves, 2014).

Os dados indicam que a tematica greve gerou mais engajamento do que as demais--somando curtidas, comentarios e compartilhamentos--, com destaque para os compartilhamentos, que foram sete vezes maiores do que referente as noticias de outras tematicas; e aos comentarios, que totalizaram um numero quatro vezes maior quando comparado aos demais posts. O alto grau de engajamento possibilita que o conteudo chegue as sub-redes dos usuarios (Recuero, 2009), tendo um impacto significativo na propagacao desse conteudo (Zago e Bastos, 2013), fazendo com que mais pessoas tenham acesso a esse tipo de informacao. O grande numero de comentarios tambem indica que a rede social foi usada como espaco de conversacao para expor opinioes dos usuarios, algo que tambem e identificado como possibilidade da internet por Marques (2006).

A confirmacao da hipotese quanto a diferenca na interacao entre leitores e conteudo nas postagens sobre a greve em relacao as demais publicacoes corrobora com a ideia de que nem todos os temas geram interesse nos usuarios, sendo que assuntos polemicos tendem a ocasionar maior interatividade (Barros e Carreiro, 2015; Sampaio e Barros, 2010), principalmente no debate on-line por meio dos comentarios, o que leva a crer que o tipo de tema deve ser lavado em conta para estudar a maneira como as pessoas se envolvem em mobilizacoes e interagem nas redes sociais. Nao basta estar na rede para ser lido e compartilhado, por exemplo. Por outro lado, nossa segunda hipotese foi refutada, conforme demonstrado na analise. Acreditava-se que haveria diferencas significativas de engajamento dentro os subtemas referentes a greve. Porem, o que se observa e que o tema "greve" e capaz de mobilizar os leitores e chamar a atencao, tendo medias significativamente diferentes para os tres tipos de interacao em relacao aos posts sobre outros temas, mas que ao observar subtemas dentro do assunto "greve", as diferencas nao sao altamente significativas e nao podem ser generalizadas.

Embora este artigo se limite a verificar padroes de engajamento sobre um determinado assunto, ele indica que determinados temas tendem a impactar na maneira como o leitor se comporta na rede, sendo interessante para verificar que nem todo tema jornalistico ganha amplitude nas redes sociais, a menos que haja relacao de proximidade, interesse, entre outros valoresnoticias imbricados (Harcup e O'Neill, 2001). Por fim, os dados indicam que as redes sociais foram fundamentais para a circularidade de conteudo (Zago, 2012) sobre a greve durante o periodo, o que e constatado pelo alto numero de curtidas e compartilhamentos e contribui para pensar a convergencia e migracao de midias tradicionais para a internet. Espera-se, ainda, que esta pesquisa--dedicada somente a um estudo de caso--incite estudos futuros que busquem identificar diferencas de engajamento dos leitores a partir de tematicas diferentes em contextos menos especificos para ver em que medida esses achados e argumentos se sustentam, assim como a verificar, em termos quanti-qualitativos, o conteudo dessas interacoes, seguindo os estudos na perspectiva da deliberacao on-line.

Link DOI: http://dx.doi.org/ 10.15448/1980-3729.2016.2.22334

Referencias

AGGIO, Camilo. Campanhas On-line: o percurso de formacao das questoes, problemas e configuracoes a partir da literatura produzida entre 1992 e 2009. Opiniao Publica, Campinas, v. 16, n. 2, p. 426-445, nov. 2010. Disponivel em: <http://www. scielo.br/scielo.php?script=sci arttext&pid=S0104-62762010000200006&lng= en&nrm=iso>. Acesso em: 4 nov. 2015.

--; REIS, Lucas. Campanha eleitoral no Facebook: usos, configuracoes e o papel atribuido por tres candidatos eleitos nas eleicoes municipais de 2012. In: ALDE, Alessandra; MARQUES, Francisco Paulo Jamil. Internet e Poder local. Salvador: Edufba, 2015.

BARROS, Samuel; CARREIRO, Rodrigo. A discussao publica e as redes sociais on-line: o comentario de noticias no Facebook. Revista Fronteiras, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 174-185, mai/ago. 2015. Disponivel em: <http://www.revistas.unisinos.br/ index.php/fronteiras/article/view/fem.2015.172.05/4732>. Acesso em: 2 nov. 2015.

BARTHEL, Michael e outros. The Evolving Role of News on Twitter and Facebook. In: Journalism.org, 2015. Disponivel em:<http://www.iournalism.org/2015/07/14/ the-evolving-role-of-news-on-twitter-and-facebook>. Acesso em: 17 jul. 2015.

BRASIL. Presidencia da Republica. Secretaria de Comunicacao Social. Pesquisa Brasileira de Midia 2015: habitos de consumo de midia pela populacao brasileira. Brasilia: Secom, 2014. Disponivel em: <http://www.secom.gov. br/atuacao/pesquisa/lista-de-pesquisas-quantitativas-e-qualitativas-decontratos-atuais/pesquisa-brasileira-de-midia- pbm-2015.pdf>. Acesso em: 23 dez. 2014.

CANAVILHAS, Joao. Webjornalismo: da piramide invertida a piramide deitada. BOCC Biblioteca On-line de Ciencias da Comunicacao, 2006. Disponivel em: <http:// www.bocc.ubi.pt/pag/canavilhas-ioao-webiornalismo-piramide-invertida. pdf>. Acesso em: 5 jul. 2015.

DALMASO, Silvana. Usos do Facebook na publicacao de conteudo jornalistico: um estudo inicial das postagens do Jornal A Razao. In: 10. Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, 2012, Curitiba. Anais do 10 Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo. Curitiba: PUCPR, 2012. p. 1-14

FERREIRA, Luciana Gomes; ALVES, Anabela Gradim. Comunicacao e Sociabilidade na Cibercultura a partir do consumo, apropriacao, producao e recirculacao de noticias locais nas redes sociais on-line. In: PINTO-COELHO, Zara; ZAGALO, Nelson. Comunicacao e Cultura. III JORNADAS DOUTORAIS, CIENCIAS DA COMUNICACAO E ESTUDOS CULTURAIS. Braga: Centro de Estudos de Comunicacao e Sociedade, p. 89-103, 2014.

GADINI, Sergio. (org). Coberturas jornalisticas (de)marcadas: a greve dos professores na midia paranaense em 2015. Ponta Grossa: Estudio Texto, 2015.

HEINRICH, Ansgard. Network Journalism: Journalistic Practice in Interactive Spheres. Routledge, 2011.

HARCUP, Tony ; O"NEILL, Deirdre. What Is News? Galtung and Ruge revisited. Journalism Studies, v. 2, n. 2, p. 261-280, 2001.

KLOTZ, Robert. J. Internet Campaigning for Grassroots and Astroturf Support. Social Science Computer Review, v. 25, n. 01, p. 3-12, 2007.

MAIA, Rousiley. Democracia e internet como esfera publica virtual: aproximando as condicoes do discurso e da deliberacao. In: X Compos, 2001, Brasilia. Anais do X Encontro Anual da Compos. Brasilia, UnB, 2008. Disponivel em: <http://www. compos.org.br/data/biblioteca 1252.pdf>. Acesso em: 2 nov. 2015.

MARQUES, Francisco Paulo Jamil Almeida. Debates politicos na internet: a perspectiva da conversacao civil. Opiniao Publica, Campinas, v. 12, n. 1, p. 164-187, abr/ mai. 2006. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/op/v12n1/29402.pdf>. Acesso em: 2 nov. 2015.

MENDONCA, Ricardo Fabrino; PEREIRA, Marcus Abilio. Democracia digital e deliberacao on-line: um estudo de caso sobre o VotenaWeb. IV Congresso Latino Americano de Opiniao Publica (WAPOR), Belo Horizonte, 2011. Anais do IV Congresso Latino Americano de Opiniao Publica (WAPOR). Belo Horizonte, UFMG, 2011. Disponivel em: <https://www.ufmg.br/on-line/arquivos/anexos/Ricardo.pdf>. Acesso em: 2 nov. 2015.

MONTARDO, Sandra Portella; ARAUJO, Willian. Performance e praticas de consumo online: ciberativismo em sites de redes sociais. Revista FAMECOS, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 472-494, mai/ago 2013. Disponivel em: <http://revistaseletronicas. pucrs.br/ois/index.php/revistafamecos/article/view/13078/10020>. Acesso em: 2 nov. 2015.

PRIMO, Alex. Transformacoes do jornalismo em rede: sobre pessoas comuns, jornalistas e organizacoes; blogs, Twitter, Facebook e Flipboard. Intexto, Porto Alegre, v. 2, n. 25, p. 130-146, dez 2011. Disponivel em: <http://seer.ufrgs.br/intexto/article/ viewFile/24309/14486>. Acesso em: 10 ago. 2015.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

SAMPAIO, Rafael; BARROS, Samuel. Deliberacao no jornalismo on-line: um estudo dos comentarios do Folha.com. In: Intexto. Porto Alegre, v. 2, n. 23 p. 183--202, jul/ dez 2010.

TEIXEIRA, Mabel Oliveira. A interacao usuario x jornal em um site de rede social: indicios de uma mudanca. Brazilian Journalism Research, v. 10, n. 1,2014.

ZAGO, Gabriela. Da circulacao a recirculacao jornalistica: filtro e comentario de noticias por interagentes no Twitter. In: XXI Compos, 2012, Juiz de Fora. Anais do XXI Encontro Anual da Compos. Juiz de Fora, UFJF, 2012.

--; BASTOS, M. Visibilidade de noticias no Twitter e no Facebook: analise comparativa das noticias mais repercutidas na Europa e nas Americas. Brazilian Journalism Research, v. 9, n. 1, p. 116-133, 2013. Disponivel em: <http://bjr. sbpior.org.br/bir/article/view/510/445>. Acesso em: 20 ago. 2015.

ZUNIGA, Homero Gil. e outros . Digital democracy: reimagining pathways to political participation. Journal of Information Technology & Politics, v. 7, n. 1, p. 36-51, fev 2010.

Recebido em: 4/11/2015

Aceito em: 23/11/2015

Endereco Autoras:

Michele Goulart Massuchin <mimassuchin@gmail.com>

R. Urbano Santos, s/n--Centro

Imperatriz, MA--Brasil

CEP 65900-410

Camilla Quesada Tavares <camilla.tavares8@gmail.com>

R. Urbano Santos, s/n--Centro

Imperatriz, MA--Brasil

CEP 65900-410

Michele Goulart Massuchin

Professora adjunta do Curso de Comunicacao Social/Jornalismo da Universidade Federal do Maranhao (UFMA), Doutora em Ciencia Politica pela Universidade Federal de Sao Carlos (UFSCar), mestre em Ciencia Politica pela Universidade Federal do Parana (UFPR) e graduada em Comunicacao Social--Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). <mimassuchin@gmail.com>

Camilla Quesada Tavares

Doutoranda em Comunicacao pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e mestre em Ciencias Sociais Aplicadas pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Professora substituta do Departamento de Jornalismo da UEPG. <camilla.tavares8@gmail.com>

(1) A greve dos professores da rede estadual do Parana em 2015 ganhou destaque na imprensa local, nacional e ate internacional devido ao periodo longo da paralisacao e dos fatos violentos do dia 29 de abril. Mais informacoes sobre o contexto do tema analisado sera apresentado em um topico especifico, que antecede a analise.

(2) A pagina oficial da Gazeta do Povo no Facebook possuia, em julho de 2015, mais de 410 mil curtidas.

(3) O Netvizz e um aplicativo disponibilizado pelo proprio Facebook que permite a captacao das postagens de paginas publicas. O aplicativo permite fazer o download a partir de uma quantidade de posts especifica ou por delimitacao do periodo de tempo. No caso deste estudo, optou-se pela segunda opcao. Um banco de dados com todas as informacoes e criado e a categorizacao dos posts e feita a nartir dessa nlanilha

(4) Uma versao contendo a analise dos conteudos das noticias replicadas no Facebook foi publicada na coletanea Coberturas jornalisticas (de)marcadas: a greve dos professores na midia paranaense, em 2015.

(5) Os testes foram feitos com o auxilio do pacote estatistico SPSS.

(6) Outra informacao importante para ser destacada e que embora a analise tenha sido feita considerando 1.691 postagens, algumas delas remetiam para a mesma noticia. Portanto, embora a informacao da postagem fosse diferente, o link da noticia era o mesmo. O que significa que nao foram exatamente o numero de 132 noticias replicadas na rede social, mas um numero menor devido aos casos de repeticao de link. Isso aconteceu com bastante frequencia, por exemplo, no dia 29 de abril, data do confronto, em que a cobertura sobre a greve, ainda que parecesse continua pelo Facebook, nao tinha o mesmo ritmo no Portal da Gazeta do Povo. Alem disso, como neste caso a analise referia-se ao conteudo do post, em determinados casos havia divergencia entre o conteudo/abordagem dado ao post e ao conteudo da noticia replicada.

(7) O grafico mostra apenas as postagens que apresentam menos de quatro mil curtidas, excluindo-se assim grande parte dos outliers que se encontram entre 37.383 curtidas e quatro mil curtidas (57 casos).

(8) O grafico mostra apenas as postagens que apresentam menos de 800 comentarios, excluindo-se grande parte dos outliers que possuem entre 3.497 comentarios ate 800 comentarios (23 casos).

(9) O grafico mostra apenas as postagens que apresentam menos de 1100 compartilhamentos, excluindo-se grande parte dos outliers que possuem entre 67846 compartilhamentos ate 1100 (50 casos).

(10) Em relacao as medias, ver a tabela 1 do artigo.

(11) No subtema "negociacoes" foram classificadas as materias que tratavam sobre as etapas de negociacao da reposicao inflacionaria entre governo e sindicatos; em "confronto" entraram os posts que abordaram exclusivamente o confronto ocorrido entre a Policia Militar e os servidores publicos; "manifestacao" envolveu as materias que focavam na agenda da greve, como as passeatas e demais atividades que envolviam o movimento; em "votacoes" foram categorizadas as noticias sobre as votacoes da Assembleia Legislativa sobre a pauta de reivindicacao; os "efeitos sociais da greve" referemse aos assuntos que englobavam calendario de reposicao de aula, corte de servicos prestados a comunidade, entre outros; e aquelas noticias que nao cabiam em nenhuma da categorias anteriores foram coletadas como "outro".

(13) Fanpage da Gazeta do Povo. "Atualizacao: Segundo a Prefeitura de Curitiba, 213 pessoas ficaram feridas nas manifestacoes (...)". 29 abr. 2015
Tabela 1--Comparativo sobre curtidas, comentarios e compartilhamentos

                    GREVE       N       Media    Desvio Padrao

Likes               Nao     1.559      848,87       1.922,157
                    Sim       132    1.773,39       2.499,102

Comentarios         Nao     1.559       86,60         169,143
                    Sim       132      308,62         382,350

Compartilhamentos   Nao     1.559      227,94         615,229
                    Sim       132    1.641,72       6.528,065

Fonte: Autoras (2015)

Tabela 2--Teste T de independencia de medias
para comparar os dois grupos

                                           Sig.      Diferenca
                         T        df    (2-tailed)    de Media

Curtidas               -5,169    1689      ,000       -924,513
Comentarios           -12,610    1689      ,000       -222,025
Compartilha--mentos    -8,158    1689      ,000      -1413,776
Engajamento--total     -9,323    1689      ,000      -3124,254

                                  95% de Intervalo de Confianca
                      Diferenca
                       do Erro       Valor          Valos
                       Padrao        Minimo         Maximo

Curtidas               178,845      -1275,295       -573,731
Comentarios             17,608       -256,560       -187,490
Compartilha--mentos    173,290      -1753,661      -1073,890
Engajamento--total     335,101      -3781,512      -2466,997

Fonte: Autoras (2015)

Tabela 3--Dados descritivos da media de
interacao para cada tema especifico

                                                       Desvio
                                      N     Media      Padrao

Comentarios         Negociacoes       22    283,18     251,201
                    Confronto         42    440,62     583,289
                    Manifestacao      27    231,81     115,876
                    Votacoes          21    182,62     182,604
                    Efeitos sociais   12    266,08     214,542
                      da greve
                    Outro              8    339,38     393,962
                    Total            132    308,62     382,350

Curtidas            Negociacoes       22   1262,32    1967,022
                    Confronto         42   2452,43    3515,106
                    Manifestacao      27   2054,85    1828,366
                    Votacoes          21   1137,48    1415,242
                    Efeitos sociais   12    820,42     429,239
                      da greve
                    Outro              8   1762,63    2794,675
                    Total            132   1773,39    2499,102

Compartilhamentos   Negociacoes       22    554,32     704,147
                    Confronto         42   3612,67   11253,314
                    Manifestacao      27    634,04     791,409
                    Votacoes          21   1259,48    2320,613
                    Efeitos sociais   12    281,75     179,417
                      da greve
                    Outro              8    728,88    1018,230
                    Total            132   1641,72    6528,065

                                     Minimo   Maximo

Comentarios         Negociacoes         12     1027
                    Confronto           28     3497
                    Manifestacao        39      499
                    Votacoes            15      673
                    Efeitos sociais      1      632
                      da greve
                    Outro               42     1124
                    Total                1     3497

Curtidas            Negociacoes        153     8616
                    Confronto          167    15935
                    Manifestacao       372     8924
                    Votacoes           103     5058
                    Efeitos sociais     86     1401
                      da greve
                    Outro              101     8590
                    Total               86    15935

Compartilhamentos   Negociacoes         49     2990
                    Confronto            1    67846
                    Manifestacao        51     3924
                    Votacoes            41     7963
                    Efeitos sociais     10      591
                      da greve
                    Outro               50     3162
                    Total                1    67846

Fonte: Autoras (2015)

Tabela 4--Teste ANOVA comparando grupos dentro do tema "greve"

           ANOVA                     F     Sig.

Comentarios         Entre Grupos   1,787   0,120
Curtidas            Entre Grupos   1,523   0,187
Compartilhamentos   Entre Grupos   1,174   0,326

Fonte: Autoras (2015)
COPYRIGHT 2016 Editora da PUCRS
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:Comunicacao
Author:Massuchin, Michele Goulart; Tavares, Camilla Quesada
Publication:Revista Famecos - Midia, Cultura e Tecnologia
Date:May 1, 2016
Words:8312
Previous Article:Mussum, Os Originais do Samba and the pagode carioca sound/Mussum, "Os Originais do Samba" e a sonoridade do pagode carioca.
Next Article:Gender studies in Brazilian journalism research: a fragile relationship/Estudos de genero na pesquisa em jornalismo no Brasil: uma tenue relacao.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2022 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters |