Printer Friendly

Storytelling at stake: poetic data as power/ Contacao de historias em jogo: dados poeticos como potencia.

Introducao

Criar ou contar, eis a questao! Professores do curso de Pedagogia tem enfrentado dificuldades no momento da contacao de historias; muitas vezes esquecem que contar e deixar os sentimentos falarem atraves do nosso olhar, gestos, posturas. E lembrar das historias que ouviamos quando criancas, das sensacoes que sentiamos; dizer o nao dito, externar sentimentos que, em um outro momento, nao seriam possiveis de vivenciar.

A contacao de historias nos proporciona entrar em um mundo magico que nos permite viajar a lugares jamais alcancados; tem grande relevancia na formacao de uma crianca e, nos professores, precisamos entender essa importancia para que possamos levar aos infantes uma historia que permita o encantamento, abra as portas do mundo da imaginacao, coloque em um tapete magico e nos leve ate as nuvens.

As experiencias vividas pelas criancas permitem que, quando estao em sala de aula no momento da contacao de historias, coloquem em pratica e assimilem as acoes, palavras, gestos com os conhecimentos previos adquiridos. Vigotski nos diz que "[...] quanto mais a crianca vir, ouvir, e experimentar, quanto mais aprender e assimilar, quanto mais elementos da realidade a crianca tiver a sua disposicao na sua experiencia, mais importante e produtiva, em circunstancias semelhantes, sera sua atividade imaginativa." (Vigotski, 2014:13). Assim, proporcionar um momento de contacao de historias que permita a ativacao desses elementos, poderao levar esse infante ao exercicio da imaginacao.

As historias possibilitam o aflorar de sentimentos que, muitas vezes, estao trancados em lugares inalcancaveis, mas que de alguma forma faz com que a crianca se projete a lugares onde ela pode sentir que esta segura, pois "[...] qualquer atividade imaginativa tem sempre uma historia longa atras de si". (Vigotski, 2014:25).

A questao que se instalou foi em "como" realizar uma contacao de historias. Entendemos que e de grande relevancia estudar, pensar no que pode ser feito de melhor, encenar, pensar no ambiente para que possa se tornar acolhedor e aconchegante, no publico que ira ouvir a contacao, no aquecimento que antecede a historia para preparar os ouvintes, refletir sobre o que sera realizado apos, saber qual historia contar e qual estrategia se encaixa para que possa ser proporcionado ao ouvinte o mergulhar no fantastico mundo imaginario. Autores como Coelho (1989), Machado (2004), Matos e Sorsy (2007), viabilizam essa compreensao para que possamos ter em mente que o ato de contar historias requer intenso preparo. "Quando uma professora fica frustrada porque as criancas nao prestaram atencao a sua historia, ela precisa saber que isso aconteceu nao porque nao e dotada, e sim porque nao se preparou adequadamente". (Machado, 2004:73).

Diante de tantas possibilidades de preparacao para o ato de uma contacao de historias, a considerando como arte e pensando em como contribuir com a formacao de futuros professores do curso de Pedagogia, foi criado um jogo de dados intitulado "Dados Poeticos" que contempla o trabalho com a arte, a producao textual, o imaginario, o trabalho em equipe, entre outros aspectos.

Nesse artigo esta em evidencia o jogo de Dados Poeticos e sua construcao onde traremos sua relevancia como potencia para o trabalho docente e suas versoes que foram sendo recriadas em um processo de aprimoramento.

1. O jogo de Dados Poeticos e sua potencia

Refletir e criar? Sim, a reflexao nos leva a criacao artistica porque a Arte nos possibilita o pensar, refletir! Assim, os Dados Poeticos foram criados a partir de obras de arte. "Um contato com constelacoes de imagens que revela para quem escuta ou le a infinita variedade de imagens internas que temos dentro de nos como configuracoes de experiencia" (Machado, 2004: 27). Por meio de imagens, e possivel resgatar momentos, ouvir o que o silencio esta dizendo antes de trazermos a tona a palavra cantada, dita, expressada, encenada.

A arte nos impulsiona e a experiencia criativa, partindo dela, nos fez reverberar sobre dois momentos que se fundem: a criacao de historias e a contacao de historias. Assim, para criar e contar os Dados Poeticos (DP) se tornaram um jogo que possibilita uma acao poetica que contribui para o trabalho docente.

O jogo parte de quatro cubos com uma tematica em cada um. Em suas faces ha obras de arte que levam a reflexao para a pratica da criacao de historias, essas permitirao o olhar sobre, o pensar, o sentir sobre cada imagem para a criacao de historia.

Apresentamos as versoes do jogo que foram revistas, chegando a tres versoes ate o presente momento, visando a melhoria do mesmo, para a beleza e o encantamento que o jogo Dados Poeticos pode proporcionar na formacao docente.

1.1 O jogo: criacao e versoes

A intencao inicial para o jogo DP era somente a contacao de historias, visto que essa tematica nos acompanha desde antes da graduacao e havia a preocupacao em externar a relevancia desse momento na formacao do professor, no curso de Pedagogia. Mas, no primeiro momento do qual a pesquisa foi colocada em pratica, percebemos que a criacao de historias ficou em evidencia, pois as obras protagonizaram a provocacao, para a criacao, trazendo o imaginario e a ludicidade como pontos relevantes no momento da construcao da historia.

Nosso direcionamento esta sobre um jogo que possibilita o criar e (re)criar; um jogo que envolve varios aspectos contribuindo no processo de ensino aprendizagem.

O jogo DP, objeto e um instrumento de trabalho que pode levar o professor a uma eficaz e produtiva experiencia da qual levara seus alunos a acoes prazerosas e significativas (Figura 1).

Na primeira versao, o jogo foi construido com papel parana, as imagens impressas em papel foto, o autor da obra vem logo abaixo da imagem e o tema do dado esta na vertical.

Essa primeira versao foi colocada em pratica na sala do terceiro semestre do curso de Pedagogia no Centro Universitario de Sao Roque/UniSR; havia quarenta e sete alunas. Foi nessa primeira acao com o jogo DP que percebi o quanto era necessario rever a estrutura dos cubos para melhor visualizacao. Foi entao que, externando minha preocupacao em conversa com minha orientadora, que ela me explicou a relevancia de se pensar na qualidade das imagens, pois estao em evidencia, no jogo, o trabalho com as imagens, a compreensao, a leitura das mesmas.

A primeira versao do jogo foi construida em casa e, diante das observacoes, fui em busca da melhoria do jogo, em uma grafica especializada para que, nas proximas acoes, tanto as imagens, quanto a estrutura do cubo estivesse valorizando as obras dispostas nele e para que o manuseio colaborasse para um excelente resultado.

Apos colocarmos em pratica a primeira versao, percebemos que para a melhoria da visualizacao das imagens, da eficacia do andamento das etapas a estrutura e imagens deveriam ser repensadas. Diante disso, foram revista as imagens; retiramos umas e inserimos outras para que nossos participantes pudessem visualizar as vastas linguagens que envolvem a arte.

Com uma curadoria educativa cuidadosa buscamos diferentes linguagens como grafite, fotografia, pintura, desenho, de tempos e lugares diversos. Pensamos em contemplar o antigo e o contemporaneo para mediar o contato com as obras, superando a ideia equivocada de que muitos professores em formacao tem de que, Arte e somente o "quadro antigo pintado". Assim, para essa construcao, analisamos as possibilidades de mudanca, para melhor contemplar as necessidades para melhoria da nossa proposta investigativa.

Os Cubos de Imagens da segunda versao sao compostos pelas seguintes imagens:

1.1 Dado tema: Personagens

Para este foco foram pesquisadas imagens criadas por artistas de epocas diversas, sendo quatro pinturas, um desenho e uma escultura, apresentando criancas, adultos, idosos e animais (Figura. 2).

1.2 Dado-tema: Lugar

Quanto ao foco que se volta para o lugar, foram pesquisadas imagens criadas por artistas de epocas diversas, sendo cinco pinturas e um grafite, apresentando uma cena dentro de casa, uma paisagem de floresta, uma cidade antiga e uma cidade moderna, uma praia e a obra de Munch que neste dado se coloca como um elemento surpresa para o momento da apresentacao das historias criada (Figura. 3), ou seja, o grupo que jogou o dado e obteve essa face, no momento da representacao das historias criadas, tera que inserir um lugar, um personagem etc. que os outros grupos de comum acordo escolheram. Com isso, nosso objetivo e trabalhar o improviso, pois no momento da contacao de historias temos que lidar com situacoes que nao estao previstas em nosso planejamento.

1.3 Dado-tema: Clima

O clima pode nao so se definir pelas condicoes do tempo em determinado local ou epoca do ano, como a presenca da neve, da chuva ou da neblina, ou ainda o dia e a noite, mas tambem pode ser percebido como uma atmosfera mais tranquila, estranha ou contemplativa, entre outros aspectos. Neste sentido foram escolhidas quatro pinturas, uma gravura e uma fotografia, todas criadas por artistas de epocas diversas (Figura. 4).

1.4 Dado-tema: Etnia/Cultura

Deste foco fazem parte as etnias e culturas que sao apresentadas por duas pinturas, duas fotografias, uma gravura e pequenos objetos que compoe uma producao contemporanea. Brancos, negros, indigenas, asiaticos e orientais podem desafiar a imaginacao para alem de personagens ou lugares (Figura. 5).

Na segunda versao as obras foram impressas em lona e o que preenche o dado e uma espuma para proporcionar leveza e melhor habilidade no momento do sorteio das obras (Figura. 6).

A cada acao com as turmas das universidades que nos permitiram realizar a acao do jogo, novas reflexoes sobre a melhoria do mesmo surgiram.

Na primeira versao do jogo, trouxemos obras mais antigas, de artistas renomados no mundo da arte. Mas, na primeira pratica, percebi que deveria substituir algumas obras por linguagens mais contemporaneas sem deixar de lado as obras ja consagradas.

Entendi que e necessario desmistificar a ideia de arte, pois ainda temos o conceito de que a arte se resume ao quadro pintado e pendurado na parede, nao que esse movimento seja arcaico, pelo contrario, e atraves dele que podemos refletir sobre o novo e realizar novas leituras, mas proporcionar o entendimento do que pode ser arte e de grande relevancia e o jogo DP pode proporcionar essa compreensao.

Assim, para a segunda versao do jogo trouxemos obras mais contemporaneas mesclando com as anteriores.

No que se refere a terceira versao, percebemos que faltava algo para a visualizacao no momento da construcao da historia e, com isso pensamos em cartas com as imagens dos dados. Nas versoes anteriores as alunas tinham que voltar ao dado, para rever a obra sorteada; com as cartas poderao te-las nas carteiras para que tenham a facilidade de todo o grupo voltar as imagens. Nao as trouxemos nesse trabalho, pois estao em fase de producao.

2. Conclusoes em processo

Essa historia esta se desenvolvendo com seus personagens protagonistas e coadjuvantes, que juntos formam uma potencia narrativa orquestrada por palavras. Ja temos contacoes de historias cantadas, encenadas, em poesia, em expressao corporal e ainda as que estao por vir, tendo o jogo DP como aporte para a criacao.

O jogo tem proporcionado o reverberar sobre seu conteudo e tem potencializado a capacidade criativa dos estudantes do curso de Pedagogia nas varias situacoes em que foi utilizado, estimulando aqueles que, muitas vezes, se encontram desmotivados e desacreditados no potencial que cada um tem. Ainda temos acoes a serem repensadas que trarao novas reflexoes e acoes e esperamos acender uma fogueira na imaginacao de quem ler esse artigo.

Portanto, em se tratando de historias, o jogo de DP, traz em seu conteudo varias possibilidades de trabalho que visam o desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem. O mesmo vislumbra a metodologia do criar, ou seja,

[...] explorar as amarras do didatico, do exemplar e do mero informativo. Saltar da obrigacao de ensinamento para a nocao de fruicao, de prazer estetico, de embelezamento que procura a forma adequada para dizer-se de si mesmo. (Sisto, 2012: 142).

Isto e, possibilitar ao participante o exercicio da reflexao, alem da criacao de historias, da interacao, do dialogo, do trabalho colaborativo, do pensar nos inumeros modos de criar partindo de obras, da pesquisa pelo nao conhecimento de alguma obra de arte, do colocar em pratica a arte do teatro, da musica, da pantomima, da poesia, entre outros. E (re)criar sempre!

Referencias

Coelho, Betty, (1989),Contar historias: uma arte sem idade. Sao Paulo: Atica S. A..

Machado, Regina, (2004), Acordais: fundamentos teoricos-poeticos da arte de contar historias. Sao Paulo: DCL.

Matos Gislayne Avelar; Sorsy, Inno, (2007), O oficio do contador de historias: perguntas e respostas, exercicios praticos e um repertorio para encantar. 2a ed. Sao Paulo: Martins Fontes.

Sisto, Celso. Textos & Pretextos sobre a arte de contar historias, (2012), 3a ed. Belo Horizonte: Aletria.

Vigotski, L. S, (2004), Imaginacao e criatividade na infancia. Sao Paulo: Martins Fontes.

SIMONICA DA COSTA FERREIRA * & MIRIAN CELESTE MRTINS **

Artigo completo submetido a 04 de Maio de 2019 e aprovado a 15 de maio de 2019

* Brasil, professora.

AFILIACAO: Centro Universitario de Sao Roque (UniSR), Rua Sotero de Souza, 104, CEP 18.130-200 Sao Roque Brasil. E-mail: simonicacf@facsaoroque.br

** Brasil, Professora.

AFILIACAO: Universidade Presbiteriana Mackenzie. Rua da Consolacao, 930, CEP 01302-907 Sao Paulo, Estado de Sao Paulo, Brasil. E-mail: mcmart@uol.com.br

Caption: Figura 1 * Primeira versao do jogo. Fonte: propria.

Caption: Figura 2 * Obras que compoem o Dado Personagens: Pieter Bruegel. Jogos Infantis, 1560; Chagall. Sobre a Cidade, 1918; Pablo Picasso. Crianca com Pomba, 1901; Gustavo Rosa. Cachorro verde com passaro vermelho em fundo amarelo, 2006; Albrecht Durer. Coelho, 1502 e Ron Mueck. Duas mulheres, 2005.

Caption: Figura 3 * Obras que compoem o Dado Lugar: Johannes Vermeer. O astronomo, 1668; Ana Ruas. Floresta Encantada, 2017; Francisco Rebolo. Suburbio de Sao Paulo, 1938; Os Gemeos. Mural na Dewey Square, 2012; Jose Pancetti, Farol da Barra, 1952; e Edvard Munch. O Grito, 1893.

Caption: Figura 4 * Obras que compoem o Dado Clima: Salvador Dali. A Persistencia da Memoria, 1931; Vincent Van Gogh. Noite Estrelada, 1889; Oswaldo Goeldi. Chuva, 1957; Brigida Baltar. Instantaneos do Tempo, 1994-2001; Pieter Brueger. Cacadores na Neve, 1565 e Claude Monet. Crepusculo de Veneza, 1912.

Caption: Figura 5 * Obras que compoem o dado Etnia/Cultura: Tarsila do Amaral. Operarios, 1933; Candido Portinari. Mestico, 1934; Shirin Neshat. Identified, 1995; Claudia Andujar. Serie Catrimani, 1971-72; Kikugawa Eizan. Courtisane en Kamuro entre 1800 e 1867e Rosana Paulino. Parede da Memoria, 1994-2015.

Caption: Figura 6 * Segunda versao do jogo. Fonte: propria.
COPYRIGHT 2019 Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:Original articles/Artigos originais
Author:Ferreira, Simonica da Costa; Mrtins, Mirian Celeste
Publication:Materia-Prima
Date:May 1, 2019
Words:2377
Previous Article:The Best Peace Offer/A Melhor Oferta de Paz: Leilao Beneficente de trabalho dos alunos.
Next Article:Appropriation: a tool to use the work of art in class/ A apropriacao como ferramenta para a utilizacao da obra de arte na sala de aula.

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters