Printer Friendly

Stomatognatic system changes in dysphonic individuals/ Alteracoes de sistema estomatognatico em individuos disfonicos.

INTRODUCAO

O sistema estomatognatico (SE) e composto por diferentes estruturas como os ossos fixos da cabeca, mandibula, hioide, esterno, musculos da mastigacao, da degluticao, faciais, entre outros [1-3]. Tais estruturas sao de grande relevancia para que as funcoes do SE (fala, respiracao, degluticao, succao e voz) sejam realizadas de forma harmoniosa, juntamente com o comando do sistema nervoso central e periferico [1,4,5].

E necessario que haja equilibrio entre o cranio e a coluna cervical para a estabilidade da posicao da cabeca e sustentacao das atividades dinamicas. Desse modo, e possivel mobilizar os ossos moveis do cranio, cartilagens, articulacoes e a musculatura para a execucao das funcoes. No caso da producao vocal, que e uma das funcoes do SE, ainda e necessario haver o dominio do conteudo a ser transmitido e integridade do aparato fonador [6,7].

Com relacao a fonacao, sabe-se que o SE funciona como filtro da voz, pois a lingua, labios, faringe e cavidade nasal modificam a qualidade vocal, agindo como ressoadores. Assim, alteracoes na configuracao dessas estruturas, bem como nos musculos que compoem o aparato fonador ou em auxiliares que atuam de forma indireta, como alteracoes posturais, funcionais e/ou de tonicidade interferem simultaneamente na realizacao das funcoes da respiracao, fonacao, articulacao e ressonancia [8]. Tais dados elucidam que a motricidade orofacial e a voz apresentam uma relacao estreita, tanto por aspectos anatomicos, funcionais, fisiologicos como neuromusculares [2].

Dessa maneira, o conhecimento sobre a fisiologia de tais aspectos se faz necessario no processo de reabilitacao vocal, a fim de reconhecer a associacao entre essas duas areas da Fonoaudiologia [9,10]. A visao integrada das estruturas do SE e da producao vocal podem subsidiar a terapia fonoaudiologica, auxiliando a otimizacao dos resultados e a diminuicao do tempo de tratamento.

Considerando o exposto, o presente estudo teve como objetivo verificar a presenca de alteracoes do sistema estomatognatico e sua associacao com sexo, profissao, relato de alergias, tipo respiratorio e diagnostico fonoaudiologico do tipo de disfonia em individuos disfonicos que procuraram atendimento em uma clinica-escola fonoaudiologica.

METODOS

Esta pesquisa de carater transversal, quantitativo e retrospectivo foi realizada por meio da coleta de informacoes do banco de dados do setor de voz de uma clinica-escola. O grupo estudado foi composto por prontuarios de sujeitos que realizaram avaliacao fonoaudiologica no periodo entre 1998 a 2012 e que assinaram o assentimento as avaliacoes por meio do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). O trabalho foi aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa da Universidade Federal de Santa Maria sob o numero 23081.016945/2010-76.

Os criterios de inclusao para os sujeitos foram: diagnostico fonoaudiologico de disfonia, idade entre 18 e 44 anos e ambos os sexos. Os prontuarios cujos dados estavam incompletos, ou que apresentavam evidencia de doencas neurologicas, sindromes, provaveis questoes psiquiatricas, metabolicas ou endocrinologicas, historico de cirurgia laringea e/ou qualquer procedimento cirurgico de cabeca e pescoco, registro de perdas auditivas, registro de tratamento fonoaudiologico e/ou ortodontico e os habitos de tabagismo e etilismo foram excluidos da pesquisa [11].

Considerando-se a faixa etaria, foram encontrados 315 sujeitos, destes, 158 foram descartados por nao conter nos prontuarios todas as avaliacoes necessarias para este estudo. Excluiram-se ainda: 36 por relato de tratamento ortodontico ou fonoaudiologico para voz e/ou motricidade orofacial previo a avaliacao na clinica-escola; 29 por tabagismo e/ou etilismo; 17 por historia clinica de doencas endocrinas ou metabolicas; quatro por perda auditiva e dois por falhas dentarias. Desse modo, a amostra totalizou 69 prontuarios, sendo que 58 (84,06%) eram de sujeitos do sexo feminino e 11 do sexo masculino (15,94%), com idades entre 19 e 44 anos (media de 27,07 anos).

As variaveis consideradas para a coleta de dados da pesquisa nos prontuarios dos pacientes foram: profissao (classificando-se em Qprofissional da vozQ ou' Qnao profissional da vozQ), relato de alergias (presenca' ou ausencia); diagnostico fonoaudiologico do tipo de disfonia, tipo respiratorio e dados da avaliacao do SE (dados da avaliacao antroposcopica do sistema estomatognatico: oclusao, alteracoes horizontais e transversais de mordida, largura e profundidade do palato duro, modo respiratorio e tensao de labios, lingua e bochechas).

O diagnostico fonoaudiologico forneceu a classificacao do tipo de disfonia (funcional, organofuncional ou organica) e foi realizado com base no diagnostico otorrinolaringologico e nos achados da avaliacao fonoaudiologica clinica [6].

Para a avaliacao do SE, utilizou-se um protocolo adaptado da clinica-escola. Foram considerados os dados referentes a oclusao e demais questoes dentarias, tensao muscular e funcoes estomatognaticas (respiracao, mastigacao e degluticao) [12].

Quanto a oclusao, considerou-se a sua classificacao (Classe I, Classe II, Classe I e II ou I e III e Classe III de Angle) e tambem alteracoes horizontais da mordida (ausente, sobressaliencia e mordida cruzada anterior), alteracoes verticais (ausente, sobremordida, mordida aberta anterior, mordida aberta posterior) e alteracoes transversais da mordida (ausente, mordida cruzada posterior unilateral e mordida cruzada posterior bilateral) [12]. Quanto a morfologia do palato duro, foram analisados os aspectos de largura (normal ou alterada) e profundidade (normal ou alterada) [12].

Para a avaliacao da tensao muscular de labios, lingua e bochechas foram realizadas provas de toque com o dedo enluvado, bem como provas de contra resistencia com o abaixador lingual. Considerou-se a tensao como normal ou alterada para cada estrutura [12].

O diagnostico do modo respiratorio (nasal ou oral) foi realizado por meio da analise da postura de labios durante toda a anamnese e avaliacao, a fim de verificar se o paciente permanecia com labios entreabertos ou abertos, indicativo de respiracao oral ou oronasal, ou se permanecia com labios ocluidos, indicativo de respiracao nasal. Tambem, utilizou-se o espelho de Glatzel que era colocado suavemente abaixo das narinas para observar o fluxo nasal, o que auxiliou na informacao quanto a existencia de obstrucao nasal. Por ultimo, foi realizada a prova de possibilidade nasal em que o paciente devia permanecer com um gole de agua na boca com o objetivo de verificar a capacidade de manutencao da respiracao nasal. Assim, o modo respiratorio foi classificado como nasal quando o sujeito nao apresentava indicativos de bloqueio das vias areas superiores, bem como postura adequada de labios e mostrava possibilidade de respiracao nasal por mais de dois minutos, o inverso das informacoes possibilitou a classificacao em modo respiratorio oral ou oronsal [12].

Todos os pacientes haviam realizado avaliacao otorrinolaringologica (ORL) que incluiu inspecao visual da laringe, da qual se considerou o diagnostico ORL da condicao laringea para posterior conclusao do diagnostico fonoaudiologico.

Os dados foram tabulados e as variaveis foram descritas e analisadas estatisticamente por meio do teste nao-parametrico Qui-Quadrado de Pearson. Foi adotado nivel de significancia de 5%.

RESULTADOS

Com relacao a profissao, dos 69 sujeitos estudados, observou-se que 28,99% (n=20) desses individuos eram profissionais da voz. Quanto aos fatores alergicos, 33,33% (n=23) apresentavam alergias, sendo que desses, 65,22% (n = 15) relataram apresentar rinite, 8,69% (n=2) sinusite, 4,35% (n = 1) bronquite, 13,04% (n=3) rinite e sinusite, e 4,35% (n = 1) rinite e asma. O tipo respiratorio predominante foi o misto com 75,36% (n=52), seguido pelo superior com 20,29% (n = 14) e costodiafragmaticoabdominal com 4,35% (n=3). O tipo de disfonia predominante foi o funcional (n=42; 66,67%), seguido pelo organofuncional (n = 19; 23,54%) e organico (n=8; 11,59%).

A Tabela 1 mostra os resultados descritivos da avaliacao do sistema estomatognatico.

Na Tabela 2, observa-se a associacao entre o tipo respiratorio e relato da presenca de alergias e as alteracoes do SE.

Observa-se, na Tabela 3, a associacao entre o modo respiratorio e relato da presenca de alergias e as alteracoes do SE

Visualiza-se, na Tabela 4, a associacao entre o diagnostico fonoaudiologico dos tipos de disfonia e relato da presenca de alergias, as alteracoes do SE e o tipo respiratorio.

A Tabela 5 mostra a associacao entre profissional da voz e tipos de disfonias, relato da presenca de alergias e alteracoes do SE.

Na Tabela 6 visualiza-se a associacao entre relato da presenca de alergias e as alteracoes do SE.

Observa-se na Tabela 7 a associacao entre sexo e as alteracoes do SE.

DISCUSSAO

A relacao entre disturbios vocais e alteracoes alergicas envolvendo as vias aereas superiores engloba, principalmente, alteracoes da ressonancia e de projecao vocal, ocasionado esforco laringeo como mecanismo compensatorio [2].

A literatura refere que os fatores alergicos sao uma das etiologias comuns das disfonias [2]. Alem disso, alta porcentagem de pacientes com rinite alergica costuma apresentar alteracao no modo respiratorio [13]. No presente estudo, a maioria dos sujeitos nao apresentou alergias e possuia modo respiratorio nasal (Tabela 1), porem, apesar de nao significante, a maioria dos sujeitos que apresentava alergia possuia modo respiratorio oral (Tabela 3), o que vai ao encontro da literatura.

Existe uma relacao entre as queixas de disturbios alergicos e/ou digestivos e a disfon ia, uma vez que esses sao co-fatores para o estabelecimento da disfonia e da lesao laringea [14]. Nesse trabalho, essa relacao nao foi observada, havendo predominancia de sujeitos com disfonia funcional independente de possuir ou nao alergias (Tabela 4).

Verificou-se ainda, na analise descritiva, que a maioria percentual dos sujeitos disfonicos apresentou mordida, oclusao, largura e profundidade de palato, tensao de labio, lingua e bochechas normais (Tabela 1), achado que nao corrobora com a literatura. Para a producao da voz, o individuo se utiliza de estruturas do sistema respiratorio e do aparelho digestivo. Assim, a postura, a tonicidade e a mobilidade dos orgaos do SE influenciam diretamente a articulacao e interferem na projecao vocal, nos ajustes laringeo e faringeo e, portanto, tem alguma relacao com a qualidade vocal e o sistema de ressonancia 2. A posicao da lingua na cavidade oral influencia a ressonancia da voz, o corpo da lingua em posicao anterior e elevado pode produzir uma voz infantilizada, ja a lingua em uma posicao posteriorizada, pode produzir uma ressonancia mais abafada com pitch mais grave 2.

Apesar de a laringe ser um orgao fundamental para a producao vocal, sabe-se que outras estruturas tem igual importancia para a producao de uma voz normal, dentre elas destacam-se a musculatura do abdomen, caixa toracica, pulmoes, faringe, cavidade oral e nasal, sendo que alteracoes nessas estruturas podem ocasionar disfuncoes vocais [2]. No presente estudo, a maioria percentual apresentava modo respiratorio nasal e tipo respiratorio misto (Tabela 1). Pesquisas que analisaram o tipo e modo respiratorio de futuros profissionais da voz e de profissionais da voz falada e cantada tambem encontraram modo nasal e tipo misto, corroborando os achados desta investigacao [15-17].

O modo respiratorio nasal e considerado fundamental para o adequado funcionamento da laringe e das demais estruturas e funcoes do SE, ja o tipo respiratorio misto nao e o ideal, porem, e considerado aceitavel em sujeitos que nao possuem grande demanda vocal como os profissionais da voz [2,6]. Nao foi encontrada nesta pesquisa relacao entre as alteracoes do SE com o tipo (Tabela 2) e o modo respiratorio (Tabela 3). Tais dados eram esperados, considerando-se que a maioria dos sujeitos (28,99%) nao era profissional da voz e conseguia exercer as atividades diarias sem a respiracao costodiafragmaticoabdominal automatizada. Apesar disso, sabe-se que a respiracao costodiafragmaticoabdominal e essencial para uma producao vocal normotensa e ideal para o uso profissional da voz [6,15-17].

Neste estudo, a maioria percentual apresentava disfonia funcional, caracterizada por desordens do comportamento vocal, podendo ser do tipo primaria por uso incorreto da voz, secundaria por inadaptacoes vocais ou de ordem psicogenica [6]. Acredita-se que esse tipo de disfonia e o que pode apresentar maior influencia sobre o SE, considerando-se que o SE faz parte direta ou indiretamente da producao vocal [6], porem, essa afirmacao nao se confirmou nesta pesquisa. Apesar disso, comparando-se os tipos de disfonia, as maiores alteracoes de SE quanto aos aspectos alteracoes horizontais, verticais e transversais de mordida; oclusao; largura e profundida de palato; modo respiratorio e tensao de labios, lingua e bochecha; bem como quanto as alteracoes de tipo respiratorio ocorreram nos sujeitos com disfon ias funcionais (Tabela 4).

Tal achado sugere que, no grupo estudado, as alteracoes do SE nao interferiram diretamente na disfonia apresentada pelos sujeitos, mas poderiam estar atuando, em conjunto com outras caracteristicas vocais e laringeas, como auxiliares na piora das alteracoes de voz ou do prognostico, sem configurar uma relacao direta entre tipo de disfonia e uma alteracao especifica de SE. Em outra pesquisa, tambem nao foram encontradas mudancas na qualidade vocal de respiradores orais que apresentavam alteracoes do SE quando comparados com a qualidade vocal de um grupo controle de respiradores nasais sem alteracoes do SE, concordando com os resultados do presente estudo [9].

Um trabalho que avaliou a atividade dos musculos mastigatorios por meio de eletromiografia em dois grupos de mulheres, sendo o grupo de estudo com disfonia e o grupo de controle sem disfonia, mostrou que, mesmo no repouso da mandibula, as mulheres disfonicas tinham a atividade da musculatura mastigatoria aumentada significantemente quando comparada ao grupo de controle [18], possivelmente por que a maior parte dos individuos disfonicos apresenta hipertensao muscular. Porem, outro estudo verificou que, mesmo na ausencia de dor, sujeitos com sintomatologia da disfuncao temporomandibular podem apresentar alteracoes acusticas da voz, visto que a producao vocal relaciona-se com toda a musculatura e influencia a movimentacao da laringe ou que, por desorganizacao das funcoes da articulacao temporomandibular, ocorre sobrecarga no nivel laringeo [19]. No presente estudo, a maioria dos sujeitos apresentou musculatura com tensao normal, porem, sabe-se que a avaliacao por meio do toque e subjetiva e passivel de falha, mas ainda e a mais utilizada nas praticas de clinicas-escola pelo facil acesso e baixo custo (Tabela 1).

Nao houve associacao entre profissionais e nao profissionais da voz com as alteracoes do SE, tipo respiratorio e tipo de disfonia. Porem, a maioria dos sujeitos profissionais da voz (minoria na amostra) nao apresentava alteracoes de SE, mas o tipo respiratorio predominante foi o misto e o tipo de disfonia foi a funcional (Tabela 5). Nos profissionais da voz, um comprometimento que afete a funcao aerea pode influenciar negativamente loudness, pitch e qualidade vocal, bem como os aspectos temporais da emissao [2,10,16,17,20,21].

O tipo respiratorio inadequado pode prejudicar a producao vocal considerando-se que nao se dispoe do suporte aereo necessario, o que gera esforco e sobrecarrega os demais niveis de producao vocal como o laringeo [21,22]. Na presente pesquisa, o tipo predominante na amostra inteira foi o misto, onde ocorre pouca movimentacao das regioes superior e inferior do torax, sendo aceito para individuos que nao tem grande demanda vocal e utilizam a voz apenas na fala cotidiana. Porem, e contraindicado durante o uso vocal profissional, pois o suporte aereo insuficiente pode gerar desiquilibrio entre os niveis respiratorio, fonatorio, ressonantal e articulatorio, bem como cansaco, instabilidade vocal e falta de ar [6,16,17]. Esses fatores podem influenciar o tipo de disfonia, estando normalmente relacionados as disfonias funcionais e, posteriormente, as organofuncionais. Tais afirmacoes concordam com os achados da presente pesquisa (Tabela 5), onde, apesar de sem associacao significante, a maioria dos sujeitos disfonicos apresentava disfonia do tipo funcional, seguida pela organofuncional e organica.

Em relacao a associacao significante encontrada entre o sexo feminino com ausencia de alteracoes verticais de mordida, nao foram encontrados na literatura dados que pudessem embasar esse aspecto, portanto sugere-se maior numero de estudos para esclarecer esse achado.

CONCLUSAO

Os pacientes disfonicos estudados eram predominantemente mulheres; adultos; nao profissionais da voz; sem relato de alergias; com disfonia funcional; sem alteracoes de SE; com tipo e modo respiratorios adequados e nao houve associacao de alteracoes do SE com o tipo de disfonia, tipo e modo respiratorios ou profissionais da voz, apenas do sexo feminino com ausencia de alteracoes verticais de mordida.

doi: 10.1590/1982-021620161833815

REFERENCIAS

[1.] Rehder MI, Ferreira LP, Befi-Lopes DM, Limongi SCO. Inter-relacoes entre voz e motricidade oral. In: Ferreira LP, Befi-Lopes DM, Limongi SCO. (Org.). Tratado de fonoaudiologia. Sao Paulo: Roca, 2004. p.59-64.

[2.] Tavares JG, Silva VA, Alves EHA. Consideracoes teoricas sobre a relacao entre respiracao oral e disfonia. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2008;13(4):40510.

[3.] Castro MSJ, Toro AADC, Sakano E, Ribeiro JD. Avaliacao das funcoes orofaciais do sistema estomatognatico nos niveis e gravidade de asma. J Soc Bras Fonoaudiol. 2012;24(2):119-24.

[4.] Felicio CM. Fonoaudiologia aplicada a casos odontologicos. Sao Paulo: Pancast, 1999.

[5.] Nascimento GKBO, Cunha DA, Lima LM, Moraes KJR, Pernambuco LA, REgis RMFL et al. Eletromiografia e superficie do musculo masseter durante a mastigacao: uma revisao sistematica. Rev CEFAC. 2012;14(4):725-31.

[6.] Behlau M. Voz: o livro do especialista. Rio de Janeiro: Revinter, 2001.

[7.] Bonatto MTRL, Silva MAA, Costa HO. A relacao entre respiracao e sistema sensorio-motor oral em criancas disfonicas. Rev CEFAC. 2004;6(1):58-66.

[8.] Garcia RAS, Campiotto AR. Disturbios vocais x disturbios musculares orais: possiveis relacoes. Pro-Fono R Atual Cient. 1995;7(2):33-9.

[9.] Viegas D, Viegas F, Atherino CCT, Baeck HE. Parametros vocais em respiradores orais. Rev CEFAC. 2010;12(5):820-30.

[10.] Nishimura CM, Gimenez SRML. Perfil da fala do respirador oral. Rev CEFAC. 2010;12(3):50-58.

[11.] Colton RH, Casper JK, Leonard R. Compreendendo os problemas de voz: uma perspectiva fisiologica ao diagnostico e ao tratamento. Rio de Janeiro: Revinter, 2010.

[12.] Genaro KF, Berretin-Felix G, Rehder MIBC e Marquesan IQ. Avaliacao miofuncional orofacialprotocolo MBGR. Rev CEFAC. 2009;11(2):237-55.

[13.] Lemos CM, Willo NS, Mion OG, Junior JFM. Alteracoes funcionais do sistema estomatognatico em pacientes com rinite alergica: estudo caso-controle. Braz J Otorhinolaryngol. 2009;75(2):268-74.

[14.] Cielo CA, Finger LS, Roman-Niehues G, Deuschle VP, Siqueira MA. Disfonia organofuncional e queixas de disturbos alergicos e/ou digestivos. Rev CEFAC. 2009;11(3):431-9.

[15.] Soares EB, Brito CMCP. Perfil vocal do guia de turismo. Rev CEFAC. 2006;8(4):5018.

[16.] Soares EB, Brito CMCP. Habito e perfil vocal em coralistas. Acta ORL. 2009;27(1):2835.

[17.] Cielo CA, Hoffmann CF, Scherer T, Christmann M. Tipo e modo respiratorio de futuros profissionais da voz. Rev Saude. 2013;39(1):12130.

[18.] Rodrigues-Bigaton D, Schwarzenbeck A, Berni KC, Guirro RR, Silverio KC. Activation pattern masticatory muscles in dysphonics woman. Electromyogr Clin Neurophysiol. 2010;50(6):289-94.

[19.] Boton LM, Morisso MF, Silva AMT, Cielo CA. Dor muscular em cabeca e pescoco e medidas vocais acusticas de fonte glotica. Rev CEFAC. 2012;14(1):104-13.

[20.] Rossi DC, Munhoz DF, Nogueira CR, Oliveira TCM, Britto ATBO. Relacao do pico de fluxo expiratorio com o tempo de fonacao em pacientes asmaticos. Rev CEFAC. 2006;8(4)50917.

[21.] Christmann MK, Scherer TM, Hoffmann CF, Cielo CA. Tempo maximo de fonacao de futuros profissionais da voz. Rev CEFAC. 2013;15(3):622-30.

[22.] Silverio KCA, Pereira EC, Menoncin LM, Dias CAS, Santos CLG, Schwartzman PP. Avaliacao vocal e cervicoescapular em militares instrumentistas de sopro. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2010;15(4):497504.

Carla Aparecida Cielo (1)

Vanessa Veis Ribeiro (2)

Mara Keli Christmann (1)

Joziane Padilha de Moraes Lima (1)

Andrielle de Bitencourt Pacheco-Rubim (1)

Carla Franco Hoffmann (1)

Angela Leusin Mattiazzi (1)

(1) Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

(2) Universidade de Sao Paulo (FOB/USP), Bauru, Sao Paulo, Brasil.

Fonte de auxilio: CAPES; CNPq; FAPERGS

Programa de Pos-Graduacao em Disturbios da Comunicacao Humana da Universidade Federal de Santa Maria/UFSM.

Conflito de interesses: inexistente

Recebido em: 24/03/2015

Aceito em: 22/07/2015

Endereco para correspondencia:

Vanessa Veis Ribeiro UFSM--Av. Roraima no. 1000 Cidade Universitaria--Bairro Camobi Predio 26--4 andar Departamento de Fonoaudiologia Santa Maria--RS--Brasil CEP: 97105-900

E-mail: vanessaribeirooo@hotmail.com
Tabela 1. Resultados descritivos da avaliacao
do sistema estomatognatico

   Classificacao            Subclassificacao         n      %

Oclusao                      Oclusao normal         46    66,67
                                Classe I            17    24,64
                               Classe II             6     8,69
                               Classe III            0      0

Alteracoes                      Ausente             64    92,75
horizontais             Mordida Cruzada Anterior     5     7,25
de mordida                  Sobressaliencia          0      0

Alteracoes                      Ausente             60    86,95
verticais               Mordida aberta anterior      4     5,60
de mordida                    Sobremordida           4     5,60
                        Mordida aberta posterior     1     1,45

Alteracoes                      Ausente             55    79,71
transversais           Mordida cruzada posterior    13    18,84
de mordida                      unilateral
                       Mordida cruzada posterior     1     1,45
                                bilateral

Largura palato                  Alterado             9    13,04
                                 Normal             60    86,96

Profundidade palato             Alterado            14    20,22
                                 Normal             55    79,71

Modo respiratorio                 Oral               7    10,14
                                 Nasal              46    66,67
                                Oronasal            16    23,19

Tensao labios                   Alterado             3     4,35
                                 Normal             66    95,65

Tensao lingua                   Alterado            14    20,29
                                 Normal             55    79,71

Tensao bochechas                Alterado             9    86,95
                                 Normal             60    13,04

Analise Descritiva.

Legenda: n=numero de sujeitos; %=porcentagem de sujeitos.

Tabela 2. Associacao entre o tipo respiratorio e relato
da presenca de alergias e as alteracoes do sistema estomatognatico

                                         Tipo respiratorio

   Alergias;                          Misto   Superior   CDA
   Tipos de
alteracao do SE   Subclassificacao      n        n        n    p-valor

Alergias                 Sim           14        7        2     0,121
                         Nao           38        7        1

Oclusao                Normal          37        7        2     0,625
                      Classe I         11        5        1
                      Classe II         4        2        0
                     Classe III         0        0        0

Alteracoes             Ausente         49        12       3     0,487
horizontais       Cruzada Anterior      3        2        0
de Mordida         Sobressaliencia      0        0        0

Alteracoes             Ausente         46        12       2     0,542
verticais de       Mordida aberta       2        1        1
mordida               anterior
                    Sobremordida        3        1        0
                   Mordida aberta       1        0        0
                      posterior

Alteracoes             Ausente         42        11       2     0,343
transversais       Mordida cruzada     10        2        1
de mordida            posterior
                     unilateral
                   Mordida cruzada      0        1        0
                      posterior
                      bilateral

Largura palato        Alterado          7        2        0     0,787
                       Normal          45        12       0

Profundidade          Alterado         12        2        0     0,515
palato                 Normal          40        12       3

Tensao labios         Alterado          3        0        0     0,598
                       Normal          49        14       3

Tensao lingua         Alterado         12        1        1     0,356
                       Normal          40        13       2

Tensao                Alterado          5        3        1     0,287
bochechas              Normal          47        11       2

* Valores estatisticamente significantes
(p [less than or equal to] 0,05)--Teste Qui-Quadrado

Legenda: CDA=costodiafragmaticoabdominal; n=numero de sujeitos;
SE=sistema estomatognatico.

Tabela 3. Associacao entre o modo respiratorio e relato da
presenca de alergias e as alteracoes do sistema estomatognatico

   Alergias;                             Modo respiratorio
   Tipos de
alteracao do SE   Subclassificacao   Oronasal   Oral   Nasal   p-valor

                                        n        n       n

Alergias                Sim             9        11      3      0,052
                        Nao             7        4      35

Oclusao                Normal           9        4      33      0,448
                      Classe I          4        2      11
                     Classe II          3        1       2
                     Classe III         0        0       0

Alteracoes            Ausente           14       7      43      0,537
horizontais       Mordida Cruzada       2        0       3
de mordida            Anterior
                  Sobressaliencia       0        0       0

Alteracoes            Ausente           13       6      41      0,650
verticais de       Mordida aberta       2        1       1
mordida               anterior
                    Sobremordida        1        0       3
                   Mordida aberta       0        0       1
                     posterior

Alteracoes            Ausente           13       6      36      0,408
transversais      Mordida cruzada       2        1      10
de mordida           posterior
                     unilateral
                  Mordida cruzada       1        0       0
                     posterior
                     bilateral

Largura palato        Alterado          1        2       6      0,343
                       Normal           15       5      40

Profundidade          Alterado          1        2      11      0,269
palato                 Normal           15       5      35

Tensao labios         Alterado          0        0       3      0,456
                       Normal           16       7      43

Tensao lingua         Alterado          2        1      11      0,568
                       Normal           14       6      35

Tensao                Alterado          4        2       3      0,073
bochechas              Normal           12       5      43

* Valores estatisticamente significantes
(p [less than or equal to] 0,05)--Teste Qui-Quadrado

Legenda: n=numero de sujeitos; SE=sistema estomatognatico.

Tabela 4. Associacao entre o diagnostico fonoaudiologico dos tipos
de disfonia e relato da presenca de alergias, as alteracoes do
sistema estomatognatico e o tipo respiratorio

  Alergias;                                 Tipo de disfonia
   Tipos de
 alteracao do                               Organofuncional   Funcional
   SE; Tipo
 respiratorio        Subclassificacao              n              n

Alergias                   Sim                     7             13
                           Nao                    12             29

Oclusao                   Normal                  13             27
                         Classe I                  5             10
                        Classe II                  1              5
                        Classe III                 0              0

Alteracoes               Ausente                  16             40
horizontais      Mordida Cruzada Anterior          2              3
de mordida           Sobressaliencia               0              0

Alteracoes               Ausente                  16             37
verticais        Mordida aberta anterior           1              2
de mordida             Sobremordida                2              2
                 Mordida aberta posterior          0              1

Alteracoes               Ausente                  15             35
transversais         Mordida cruzadax              3              7
de mordida          Teste Qui-Quadrado
                     Mordida cruzada               1              0
                   posterior bilateral

Largura palato           Alterado                  3              5
                          Normal                  16             37

Profundidade             Alterado                  5              8
palato                    Normal                  14             34

Tensao labios            Alterado                  1              2
                          Normal                  17             41

Tensao lingua            Alterado                  4              9
                          Normal                  15             33

Tensao                   Alterado                  2              7
bochechas                 Normal                  17             35

Modo                       Oral                    3              4
respiratorio              Nasal                   13             28
                         Oronasal                  3             10

Tipo                      Misto                   13             33
respiratorio             Superior                  5              7
                           CDA                     1              2

  Alergias;                                 Tipo de
   Tipos de                                 disfonia
 alteracao do                               Organica
   SE; Tipo
 respiratorio        Subclassificacao          n       p-valor

Alergias                   Sim                 3       0,871
                           Nao                 5

Oclusao                   Normal               6        0,806
                         Classe I              2
                        Classe II              0
                        Classe III             0

Alteracoes               Ausente               8        0,215
horizontais      Mordida Cruzada Anterior      0
de mordida           Sobressaliencia           0

Alteracoes               Ausente               7        0,851
verticais        Mordida aberta anterior       1
de mordida             Sobremordida            0
                 Mordida aberta posterior      0

Alteracoes               Ausente               5        0,332
transversais         Mordida cruzadax          3
de mordida          Teste Qui-Quadrado
                     Mordida cruzada           0
                   posterior bilateral

Largura palato           Alterado              1        0,915
                          Normal               7

Profundidade             Alterado              1        0,681
palato                    Normal               7

Tensao labios            Alterado              0        0,286
                          Normal               8

Tensao lingua            Alterado              1        0,843
                          Normal               7

Tensao                   Alterado              0        0,408
bochechas                 Normal               8

Modo                       Oral                0        0,623
respiratorio              Nasal                5
                         Oronasal              3

Tipo                      Misto                6        0,864
respiratorio             Superior              2
                           CDA                 0

* Valores estatisticamente significantes
(p [less than or equal to] 0,05)--Teste Qui-Quadrado

Legenda: CDA=costodiafragmaticoabdominal; n=numero de sujeitos;
SE=sistema estomatognatico.

Tabela 5. Associacao entre profissional da voz e tipos
de disfonias, relato da presenca de alergias e alteracoes
do sistema estomatognatico

                                                Profissional
                                                  da voz

Tipos de disfonia,                              Nao   Sim
    Alergias e
 Alteracoes do SE        Subclassificacao        n     n      p-valor

Tipo de disfonia         Organofuncional        12     7       0,871
                            Funcional           32    10
                             Organica            5     3

Alergias                       Sim              16     7       0,851
                               Nao              33    13

Oclusao                       Normal            32    14       0,782
                             Classe I           12     5
                            Classe II            5     1
                            Classe III           0     0

Alteracoes                   Ausente            45    19       0,645
horizontais de           Cruzada Anterior        4     1
Mordida                  Sobressaliencia         0     0

Alteracoes                   Ausente            42    18       0,246
verticais            Mordida aberta anterior     4     0
de mordida                 Sobremordida          3     1
                     Mordida aberta posterior    0     1

Alteracoes                   Ausente            40    15       0,279
transversais             Mordida cruzada         9     4
                       posterior unilateral
                         Mordida cruzada         0     1
                       posterior bilateral

Largura palato               Alterado            7     2       0,631
                              Normal            42    18

Profundidade                 Alterado           11     3       0,485
palato                        Normal            38    17

Tensao labios                Alterado            2     1       0,865
                              Normal            47    19

Tensao lingua                Alterado           10     4       0,969
                              Normal            39    16

Tensao bochechas             Alterado            5     4       0,273
                              Normal            44    16

Modo respiratorio              Oral              5     2       0,686
                              Nasal             34    12
                             Oronasal           10     6

Tipo respiratorio             Misto             38    14       0,801
                             Superior            9     5
                               CDA               2     1

* Valores estatisticamente significantes
(p [less than or equal to] 0,05)--Teste Qui-Quadrado

Legenda: CDA=costodiafragmaticoabdominal; n=numero de sujeitos;
SE=sistema estomatognatico.

Tabela 6. Associacao entre relato da presenca de alergias
e as alteracoes do sistema estomatognstico

                                                   Alergias

                                                  Sim   Nao   p-valor
   Classificacao
  alteracao do SE         Subclassificacao         n     n

Oclusao                        Normal             16    30     0,465
                              Classe I             4    13
                              Classe II            3     3
                             Classe III            0     0

Alteracoes                     Ausente            20    44     0,189
horizontais de        Mordida Cruzada Anterior     3     2
                           Sobressaliencia         0     0

Alteracoes                     Ausente            21    39     0,843
verticais              Mordida aberta anterior     1     3
de mordida                  Sobremordida           1     3
                      Mordida aberta posterior     0     1

Alteracoes                     Ausente            20    35     0,127
transversais de            Mordida cruzada         2    11
mordida                 posterior unilateral
                           Mordida cruzada         1     0
                         posterior bilateral

Largura palato                Alterado             3     6     1,000
                               Normal             20    40

Profundidade palato           Alterado             4    10     0,672
                               Normal             19    36

Tensao lsbios                 Alterado             1     2     1,000
                               Normal             22    44

Tensao lingua                 Alterado             4    10     0,672
                               Normal             19    36

Tensao bochechas              Alterado             3     6     1,000
                               Normal             20    40

Modo respiratorio               Oral               3     4     0,052
                                Nasal             11    35
                              Oronasal             9     7

* Valores estatisticamente significantes
(p [less than or equal to] 0,05)--Teste Qui-Quadrado

Legenda: n=numero de sujeitos; SE=sistema estomatognstico.

Tabela 7. Associacao entre sexo e as alteracoes
do sistema estomatognatico

                                                   Sexo

                                                Fem   Mas   p-valor
  Classificacao
 alteracao do SE        Subclassificacao         n     n

Oclusao                      Normal             37     9     0,404
                            Classe I            15     2
                            Classe II            6     0
                           Classe III            0     0

Alteracoes                   Ausente            53    11     0,311
horizontais         Mordida Cruzada Anterior     5     0
de mordida               Sobressaliencia         0     0

Alteracoes                   Ausente            52     8    0,020 *
verticais de         Mordida aberta anterior     4     0
mordida                   Sobremordida           2     2
                    Mordida aberta posterior     0     1

Alteracoes                   Ausente            44    11     0,189
transversais             Mordida cruzada        13     0
de mordida            posterior unilateral
                         Mordida cruzada         1     0
                       posterior bilateral

Largura palato              Alterado            50    10     0,671
                             Normal              8     1

Profundidade                Alterado            46     9     0,849
palato                       Normal             12     2

Tensao labios               Alterado             3     0     0,440
                             Normal             55    11

Tensao lingua               Alterado            12     2     0,849
                             Normal             46     9

Tensao bochechas            Alterado             9     0     0,161
                             Normal             49    11

Modo respiratorio             Oral               7     0
                              Nasal             39     7     0,312
                            Oronasal            12     4

* Valores estatisticamente significantes
(p [less than or equal to] 0,05)--Teste Qui-Quadrado

Legenda: n=numero de sujeitos; SE=sistema estomatognatico;
Fem=feminino; Mas=masculino.
COPYRIGHT 2016 CEFAC - Associacao Institucional em Saude e Educacao
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:Cielo, Carla Aparecida; Ribeiro, Vanessa Veis; Christmann, Mara Keli; Lima, Joziane Padilha de Morae
Publication:Revista CEFAC: Atualizacao Cientifica em Fonoaudiologia e Educacao
Date:May 1, 2016
Words:4821
Previous Article:Factors associated to pacifier use in preterm infants/ Fatores associados ao uso de chupeta por lactentes nascidos pre-termo.
Next Article:Vocal range profile of chorists after the tongue-trill technique associated with scales/ Perfil de extensao vocal em coristas apos tecnica de...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters