Printer Friendly

Series #3--solitude/Serie #3--solidao/Serie #3--soledad.

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

Sobre a serie #3--solidao

No inicio de 2012, Piercarlo, Jorge Bascunan, Lais Aranha e Debora Gepp, por meio da uniao de seus conhecimentos em diferentes campos da arte, criaram o Baillistas: um coletivo que utiliza a danca e a fotografia para expressar a condicao do corpo contemporaneo em meio a rotina, ao habitat e outras condicoes que as grandes cidades impoem aos seus habitantes. Junto ao quarteto estao mais de trinta interpretes-bailarinos, alem da equipe de producao e making of.

O terceiro ensaio do coletivo, chamado "solidao", conversa diretamente com a historia e a transformacao urbana do local onde foi fotografado: a Vila Maria Zelia, a primeira vila industrial, no coracao da zona leste paulistana. A peculiaridade do processo de urbanizacao da Zona Leste de Sao Paulo, em especial, os bairros do Bras e Belenzinho, tem um impacto direto e eminente na vida cotidiana local.

No seculo XX, as ferrovias viabilizaram o crescimento industrial da regiao, atraindo mao de obra imigrante e migrante, que desenvolveu uma cultura identitaria local, arraigada no convivio urbano em vilas industriais. No decorrer do tempo, no inicio da decada de 1980, as industrias sairam da zona leste paulistana rumo ao interior do estado; sendo assim, a regiao se reorganizou funcionalmente, com evidencias do processo de urbanizacao moderno, como a especulacao imobiliaria e a construcao da radial leste, que cortou o bairro ao meio, enfraquecendo as relacoes de convivio urbano.

As marcas do passado, muitas vezes abandonado, como na vila Maria Zelia, estao inseridas dentro do presente "moderno", em que nao ha relacao comunitaria entre os habitantes, causando uma sensacao de esgotamento e solidao. Com isso, a poetica da serie exalta a memoria abandonada e os dialogos expressivos entre o passado e o presente por meio da expressao dos corpos em meio a arquitetura em ruinas que fora cenario da serie.

DOI: 10.1590/1807-57622014.0908

Debora Gepp

baillistas@gmail.com

www.baillistas.com

facebook.com/baillistas

Recebido em 03/09/14. Aprovado em 23/09/14.

Baillistas *

* Baillistas e um coletivo que utiliza a danca e a fotografia para expressar a condicao do corpo contemporaneo em meio a rotina, ao habitat e outras condicoes que as grandes cidades impoem aos seus habitantes. E composto por Piercarlo, Jorge Bascunan, Lais Aranha e Debora Gepp. Trabalha com mais de trinta interpretes-bailarinos, alem da equipe de producao e making of.

COPYRIGHT 2014 Fundacao UNI
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2014 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:creacion; texto en portugues
Author:Gepp, Debora
Publication:Interface: Comunicacao Saude Educacao
Date:Oct 1, 2014
Words:420
Previous Article:A teaching strategy for education in health in Brazil: dialogic problematizing inquiry/Una estrategia didactica para la formacion de educadores de...
Next Article:Horsdal, M.: Telling lives: exploring dimensions of narratives.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2018 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters