Printer Friendly

STUDY WITH BRAZILIAN MINING AND STEELMAKERS: ANALYSIS OF THE LEVEL OF EVIDENCE SOCIO-ENVIRONMENTAL INFORMATION /ESTUDO COM MINERADORAS E SIDERURGICAS BRASILEIRAS: ANALISE DO NIVEL DE EVIDENCIACAO DE INFORMACOES SOCIOAMBIENTAIS.

1 INTRODUCAO

A partir da adaptacao das empresas brasileiras pelas normas e regulamentacoes, e de acordo com as praticas socioambientais exigidas pelos mais diferenciados usuarios da informacao, tais como: ISI, ISE, IA, GRI, empresas tem buscado se adaptar as boas praticas sociais e ambientais, com o intuito de responder as pressoes advindas da sociedade.

A preservacao do meio ambiente tornou-se recorrente no ambito do mercado economico. Isso se deve ao fato das constantes pressoes vindas da sociedade por boas praticas ambientais, principalmente das empresas que sao responsaveis pela maior parcela de degradacao ao meio ambiente.

Diversos estudos relatam a questao socioambiental das empresas brasileiras. Dentre estes, pode-se indicar o trabalho desenvolvido por Sampaio etal. (2012), que objetivou analisar as alteracoes no nivel de divulgacao de informacoes socioambientais.

A contabilidade e a area fundamental para a geracao e divulgacao de informacoes das empresas aos usuarios internos e externos. De acordo com Cormier, Magnan & Van Velthoven (2005), empresas que adotam estrategias de divulgacao, podem gerar beneficios para o aumento de sua credibilidade, e influenciar na reputacao no mercado financeiro.

Diante disso, percebe-se que as empresas, principalmente as que sao as maiores responsaveis por causar impactos ambientais, vem divulgando, por meio dos relatorios anuais e de sustentabilidade, informacoes que demonstram um trabalho responsavel, onde ao mesmo tempo em que a empresa desenvolve suas atividades, desenvolve tambem praticas e projetos voltados para relacoes socioambientais. Entre os objetivos de uma boa evidenciacao da informacao constam a atracao de novos investidores, buscar destaque economico e ambiental perante a sociedade.

E nesse contexto que se insere este estudo, com o intuito de verificar a qualidade e responsabilidade dos relatorios anuais e socioambientais de empresas de mineracao e siderurgicas, com o proposito de fornecer informacoes sociais e ambientais aos usuarios da informacao. Com isso, surge a questao que norteou a pesquisa: qual e a variacao do nivel de evidenciacao socioambiental nos relatorios contabeis e de sustentabilidade das empresas brasileiras de mineracao e siderurgicas durante os anos de 2012 a 2016?Para responder a esta questao, realiza-se um estudo do comportamento comparativo entre 10 empresas brasileiras de mineracao e siderurgicas, com o objetivo de identificar o nivel de evidenciacao de informacoes ambientais e sociais nos relatorios contabeis e de sustentabilidade em um intervalo temporal de 2012 a 2016.

O objetivo geral desta pesquisa e identificar o nivel de evidenciacao das informacoes socioambientais dos relatorios contabeis e de sustentabilidade, em empresas brasileiras de mineracao e siderurgicas, para o periodo entre 2012 a 2016.

Os setores de mercado escolhidos se justificam pelos seguintes motivos: evolucao do mercado de minerio e siderurgia no Brasil; importancia da sustentabilidade para lucratividade e para geracao de valorizacao; sustentabilidade social como forma de exemplo para outros setores de producao; e, principalmente, por serem segmentos de forte impacto aos ecossistemas.

Quanto aos documentos analisados, a preferencia em analisar os relatorios anuais e de sustentabilidade divulgados pelas empresas, deve-se ao fato destes disponibilizarem informacoes necessarias para o desenvolvimento da pesquisa, contendo informacoes necessarias em relacao as variaveis utilizadas na pesquisa, alem de servir como ferramenta de analise das informacoes divulgadas ao longo do periodo temporal estudado.

2 REVISAO DA LITERATURA

2.1 Disclosure Socioambiental e os Relatorios anuais e de Sustentabilidade

Berthelot, Cormier & Magnan (2003) definem disclosure ambiental como um conjunto de informacoes que relatam o passado, presente e futuro do desempenho e da gestao ambiental das empresas, bem como as implicacoes financeiras das acoes e das decisoes ambientais. Murcia et al. (2008) completam o conceito, explicando disclosure como o processo de divulgacao, evidenciacao, tornar algo publico, que possa ser consultado pela sociedade. E relacionado com o conceito de transparencia e evidenciacao de informacoes. Alem disso, a divulgacao de informacoes suplementares, ou seja, que nao sao exigidas pode resultar em vantagens competitivas no mercado financeiro, atuando como um fator de reducao de riscos aos investidores.

Meek, Roberts & Gray (1995) apontam que o disclosure voluntario excede o que e exigido por lei e representa a decisao espontanea das empresas em divulgar informacoes adicionais capazes de auxiliar no processo decisorio dos usuarios. Ainda em relacao ao disclosure voluntario, Healy & Palepu (2001) afirmam que os investidores confiam nas informacoes adicionais divulgadas pelas empresas.

De acordo com Kothari, Li & Short (2009) como o mercado financeiro tem se desenvolvido, analistas de mercado e investidores criam uma maior demanda por relatorios anuais com garantia de disclosure. Neste contexto, nota-se a importancia dos relatorios anuais no processo de tomada de decisao.

Kothari, Li & Short (2009)sugerem que ha uma relacao entre o conteudo da divulgacao, com destaque ao disclosure obrigatorio, e o mercado financeiro. Segundo eles, o disclosure reduz o custo de capital e a dispersao na previsao de analistas.

Dessa forma, o disclosure pode ser entendido como o processo em que as empresas divulgam a sociedade informacoes referente as suas operacoes, informacoes relevantes relacionadas a gestao ambiental e social, a responsabilidade da empresa perante as suas atividades, alem de evidenciar informacoes uteis no processo de tomada de decisao.

Bushman & Smith (2001) ressaltam que a divulgacao de informacoes relevantes reduz a assimetria informacional no mercado financeiro, com isso, reduzir o risco de os investidores tomarem decisoes erradas. Alem de reduzir a assimetria informacional, a informacao com transparencia e um fator fundamental na construcao de confianca entre empresa e investidor (BERTOLINET al., 2008).

Com o objetivo de normatizar a divulgacao de informacoes socioambientais o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) publicou a Norma Brasileira de Contabilidade (NBC) T--15 em 2004. A norma estabelece procedimentos e regras de divulgacao de informacoes para a sociedade.

O estudo de Sampaio et al. (2012) baseou-se nesta norma e criou um modelo para operacionalizar o nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais composto por quatro indicadores. Os indicadores utilizados no estudo sao compostos por: Indicadores Sociais Internos (ISI), Indicadores Sociais Externos (ISE), Indicadores Ambientais (IA), e GlobalReportingInitiative(GRI) metodologia utilizada pelas empresas para divulgacao de informacoes de sustentabilidade.

2.2 Responsabilidade social e ambiental

De acordo com Wilmshurst & Frost (2000), as empresas devem conduzir suas atividades respeitando alguns limites tidos como aceitaveis pela comunidade em que estao inseridas. Quando as atividades desenvolvidas pelas empresas causarem riscos ao meio ambiente, os gestores devem procurar restabelecer sua reputacao e divulgar informacoes de carater socioambiental para que a sociedade entenda que suas atividades sao aceitaveis.

Com advento das atividades que exploram recursos naturais, a sociedade esta exigindo e pressionando as empresas a adotarem praticas economicas responsaveis. De acordo com o Instituto Ethos (4) a responsabilidade social empresarial e a forma de gestao que se define pela relacao etica e transparente da empresa com todos os orgaos publicos com os quais ela se relaciona neste caso incluindo governo e os orgaos reguladores, preservando recursos ambientais e culturais para as geracoes futuras, respeitando a diversidade e promovendo a reducao da desigualdade social.

Para Myszczuk & Glitz (2009), a era da responsabilidade social faz com que as empresas comecem a pensar nos reflexos de sua atuacao na sociedade e no meio ambiente. Desta forma, a propria sociedade demonstra interesse em empresas que adotem para suas atividades valores eticos e responsaveis, nao visando exclusivamente a obtencao de lucros sem demonstrar preocupacoes com os riscos socioambientais.

O principal objetivo da contabilidade ambiental e fornecer informacoes uteis e tempestivas aos seus usuarios acerca de eventos ambientais que impactam a situacao da respectiva entidade. Gray & Bebbington (2001) relatam que a divulgacao de informacoes ambientais se tornou um tema de grande importancia social ao longo da decada de 1990. Esse processo se tornou a maior interacao entre as empresas e o meio ambiente. De acordo com o autor, algumas das razoes para as empresas divulgarem informacoes de carater ambiental sao referentes ao impacto positivo da divulgacao no preco das acoes, beneficios politicos, vantagens competitivas, alem de desenvolver uma imagem corporativa.

A contabilidade ambiental vem ganhando espaco na sociedade, tornando as demonstracoes contabeis mais um instrumento de gestao ambiental, podendo abranger diferentes usuarios destas informacoes, como governo, orgaos reguladores, gestores, alem dos investidores (MYSZCZUK; GLITZ, 2009).

Segundo Cho & Patten (2007) as empresas utilizam a divulgacao ambiental como uma ferramenta para reduzir a exposicao destas no ambiente sociopolitico. Os autores afirmam que a exposicao das informacoes ambientais e afetada por varios fatores de natureza politica, economica, social e cultural.

Verrecchia (2001) defende que nao existe uma teoria de divulgacao unica e que abrange todos os assuntos que devem ser evidenciados. De acordo com o autor, a divulgacao das informacoes contabeis pode ser explicada por diversas perspectivas. Verrecchia (2001) propoe tres categorias que buscam explicar a evidenciacao contabil: pesquisa sobre evidenciacao baseada em associacao, que investiga a relacao entre evidenciacao e as mudancas no comportamento dos investidores; pesquisa sobre divulgacao fundamentada em julgamento, compreendendo pesquisas que identificam os motivos da divulgacao; pesquisa sobre evidenciacao baseada em eficiencia, discute quais os tipos de evidenciacao mais eficientes.

O estudo realizado por Clarkson et al. (2008), teve como resultado uma relacao positiva entre o desempenho ambiental e o volume de informacoes ambientais discricionarias. O estudo foi realizado com 191 empresas dos cinco setores mais poluentes dos EUA. A adocao dos sistemas de gestao ambiental implica a necessidade de mensurar, registrar e evidenciar os investimentos, obrigacoes e resultados alcancados pela empresa. Com isso, abre-se espaco para a transparencia das informacoes contabeis divulgados aos seus usuarios, estreitando a relacao entre o sistema de gestao ambiental e a contabilidade ambiental (ELIAS; OLIVEIRA; QUINTARIOS, 2009). Com o aumento na transparencia da informacao, nota-se a criacao de oportunidades para questionamentos por parte da sociedade.

Ahmad, Hassan & Mohammad (2003) analisaram os beneficios que motivam as empresas da Malasia a evidenciar informacoes ambientais. Os resultados indicam que empresas auditadas por firmas de auditoria pertencentes ao grupo de Big Four tendem a apresentar maior nivel de evidenciacao. Os autores concluiram que a rentabilidade influencia negativamente a evidenciacao da informacao.

Segundo Alciatore & Dee (2006), o nivel de evidenciacao ambiental esta relacionado com o tamanho das empresas, seguindo uma elevacao ao longo dos anos, isso pode ser explicado pelo aumento na regulamentacao para a divulgacao das informacoes ambientais.

3 PROCEDIMENTOS METODOLOGICOS

O enquadramento da pesquisa e caracterizado por uma abordagem quantitativa, envolvendo um levantamento documental por meio dos demonstrativos contabeis e relatorios de sustentabilidade das empresas dos segmentos analisados.

A amostra da pesquisa e composta pelas empresas do segmento de mineracao e siderurgia listadas na Bolsa de valores de Sao Paulo (BM&FBOVESPA). Assim, a amostra do estudo totalizou 10 empresas, analisadas para os periodos entre 2012 e 2016. Na tabela 1, constam as empresas da amostra, e tambem do respectivo setor de atuacao.

O periodo temporal analisado abarca anos de 2012 ate 2016. A coleta de dados foi realizada nos relatorios contabeis, relatorios de sustentabilidade divulgados no sitio de cada empresa, e no sitio da BM&FBOVESPA. Durante o periodo de realizacao da pesquisa, foram analisadas 50 Demonstracoes Financeiras e 50 Relatorios de Sustentabilidade, com objetivo de verificar o nivel de evidenciacao socioambiental.

Para analisar o nivel de evidenciacao socioambiental nas empresas estudadas, adotou-se como metrica de analise o grupo de indicadores socioambientais estabelecido por Sampaio et al. (2012). Os autores investigaram a fixacao de indicadores, com relacao ao ambiente social interno e externo e as relacoes da empresa com o meio ambiente no segmento de mineracao. Em relacao aos indicadores do Instituto Ethos e Ibase, os indicadores selecionados foram aqueles que compoem os relatorios anuais e de sustentabilidade, direcionados aos aspectos sociais internos, externos e ambientais. Considerando a relevancia do GRI no cenario internacional e tambem o numero de empresas que adotaram esta metodologia para elaboracao de Relatorios de Sustentabilidade, considerou-se viavel incluir como variante, o estabelecimento de um indicador que investigue o atendimento as diretrizes do Global ReportingInitiative.

Os indicadores utilizados para mensurar o nivel de evidenciacao socioambiental nas empresas da amostra foram: Indicadores Sociais Internos (ISI), Indicadores Sociais Externos (ISE), Indicadores Ambientais (IA) e uma analise de atendimento as diretrizes do GRI. Para cumprir esta etapa, foram construidas questoes para cada grupo de indicador (ver quadro 1).As respostas destas questoes foram convertidas em variaveis Dummy.

Com o objetivo de mensurar o nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais, foi calculado um indice, com base na formula apresentada a seguir. Na analise da evidenciacao foi adotado o seguinte procedimento: para cada questao dos indicadores, atribuiu-se codigo

"0" (zero) para os casos em que as empresas nao divulgam informacoes relacionadas ao item analisado. Atribui-se codigo "1" (um) para os casos em que as empresas divulgam informacoes relacionadas ao item analisado.

Indice de evidenciacao: [SIGMA]Quantidade de itens evidenciados/Quantidade total de itens

Portanto, foram somadas as respostas que serviram como parametro para verificacao do nivel da informacao evidenciada em cada quadrante. Dessa forma, quanto maior a quantidade de evidenciacoes individuais em cada quadrante, maior e o valor atribuido para o nivel de evidenciacao.

Para analise dos dados foi utilizado o metodo de regressao linear multipla, estimado pelo metodo dos minimos quadrados ordinarios, com uso do software Gretl. Assim, por meio da aplicacao da analise de regressao linear multipla buscou-se verificar o nivel de evidenciacao das informacoes socioambientais, conforme o modelo apresentado na equacao abaixo.

EVID= [alpha]+[beta]l LnREC + [beta]2 AUDIT + [beta]3 LUC + [beta]4 LIQC + [beta]5 AN + [beta]6 GOVC + [epsilon].

Foram utilizadas neste modelo de regressao as seguintes variaveis explicativas: Tamanho (LnREC), Auditoria (AUDIT), Lucro (LUC), Liquidez Corrente (LIQC), Ano(AN) e Governanca Corporativa (GOVC).

Tamanho (LnREC): Entre as medidas mais comumente utilizadas para tamanho da empresa e a receita de vendas. Segundo Watts & Zimmerman (1986), acredita-se que grandes empresas evidenciam mais informacoes se comparadas com empresas menores, buscam evidenciar mais informacoes pelo fato de possuirem maior interesse por parte dos usuarios externos. Como proxy para o tamanho da empresa, empregou-se o logaritmo natural da receita bruta de cada empresa analisada.

Auditoria (AUDIT): De acordo com Ahmad, Hassan & Mohammad (2003), empresas de auditoria que possuem destaque no mercado em que atuam, tendem a nao prestar o servico de auditoria para empresas que possuem baixo nivel de evidenciacao. Para esse estudo, as empresas classificadas como Big Four(BigN) sao: Ernst & Young Terco, Deloitte Touche Tohmatsu, KPMG e Pricewaterhouse Coopers. Para mensurar esta variavel fez-se uso de uma variavel dummy com valor igual a "1" (um) caso a empresa tenha sido auditada por uma firma de auditoria BigN e "0" (zero) caso contrario.

Lucro (LUC): Segundo Cowen, Ferreri & Parker (1987), uma forma de relacionar o lucro com o nivel de evidenciacao e considerar que uma gestao com competencia para gerar lucros deve estar em sintonia com as pressoes vindas por parte dos usuarios externos da informacao, com isso as empresas divulgam mais informacoes socioambientais. Para operacionalizar essa variavel, utilizou-se a variavel dummy com valor igual a "1" (um) para empresas que apresentaram lucro no encerramento do exercicio e "0" (zero) caso a empresa apresentasse prejuizo no encerramento do exercicio.

Indice de Liquidez Corrente (LIQC): Para Watson, Shrives & Marston (2002), empresas com uma posicao financeira segura desejam evidenciar isso aos investidores, sendo que maiores indices de liquidez correntes proporcionam um maior nivel de evidenciacao. Para esta variavel, foram calculados os indices de liquidez corrente de cada empresa para os analisados.

Ano (An): Como o nivel de evidenciacao das empresas tem impacto no mercado financeiro, ao longo dos anos as empresas passaram a preocupar-se mais com a evidenciacao da informacao. Para Alciatore & Dee (2006), o nivel de divulgacao das informacoes tende a elevar-se ao longo dos anos, acredita-se que ao longo do periodo temporal analisado, as empresas aumentam o nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais.

Governanca Corporativa (GOVC): Segundo Bushman & Smith (2001), as divulgacoes das informacoes das empresas influenciam positivamente a governanca corporativa, reduzindo os problemas de agencia entre acionistas e administradores. Dessa forma, espera-se uma relacao positiva entre as praticas de governanca corporativa adotadas nas empresas com o nivel de evidenciacao das informacoes socioambientais. Em relacao a governanca corporativa, fez-se uso da variavel dummyon de atribui-se valor "1" (um) se a empresa analisada esta listada em algum nivel de governanca corporativa da BM&FBOVESPA e com valor "0" (zero) caso contrario.

4 ANALISE DOS RESULTADOS

Com base nas demonstracoes financeiras e nos relatorios de sustentabilidade divulgados pelas empresas ao longo do periodo temporal analisado, foi possivel identificar por meio das questoes dos indicadores analisados, conforme exposto na metodologia do estudo, o nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais das empresas selecionadas na amostra.

Na tabela 2, e possivel visualizar o nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais das empresas analisadas durante o periodo de 2012 a 2016.

Nota-se que entre as empresas analisadas, a Vale S.A. e a empresa que apresentou melhores resultados referente ao nivel de evidenciacao entre os anos analisados na pesquisa. Ela apresentou uma media de evidenciacao de 83%, pois evidenciou de maneira mais completa informacoes de carater qualitativo e quantitativo dos indicadores analisados.

Na tabela 3, e possivel verificar as estatisticas descritivas do estudo, com base no nivel de evidenciacao ao longo dos anos, por setor analisado.

Entre os setores analisados, verifica-se que o setor de siderurgia apresentou melhor indice de evidenciacao, com aproximadamente 60% dos itens evidenciados do total de quesitos analisados nos quatro indicadores estudados. Ja o setor de mineracao apresentou o nivel de evidenciacao de 51% durante os cinco anos analisados. Dentre as empresas do setor de mineracao a Vale que apresentou melhor indice, 83% dos itens atendidos, ou seja, evidenciou 83% dos quesitos estudados nos quatro indicadores. Ja no setor de siderurgia, a empresa que apresentou maior indice de evidenciacao de informacoes socioambientais foi a Cia Ferro Ligas da Bahia Ferbasa, com 70% dos quesitos atendidos.

A figura 1 mostra a evolucao do nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais das empresas de mineracao ao longo dos anos de 2012 a 2016.

Ja na figura 2, e exposto o nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais das empresas siderurgicas ao longo do periodo temporal analisado.

Ao longo dos anos analisados, ha um crescimento no nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais divulgados pelas empresas. Esse crescimento pode ser observado nas empresas que possuem como atividade de mineracao assim como as empresas siderurgicas. Isso pode ser explicado pelo aumento ao longo dos anos da pressao por parte da sociedade por maiores e melhores informacoes nas demonstracoes financeiras assim como nos relatorios de sustentabilidade.

Na tabela 4 e demonstrado o resultado do modelo de regressao linear multipla estimado pelo metodo dos minimos quadrados ordinarios. Inicialmente vale ressaltar que os sinais dos coeficientes das variaveis explicativas estao de acordo com arcabouco teorico que fundamenta a pesquisa, com excecao da variavel auditoria. Pode-se afirmar que as estatisticas [R.sup.2] e o [R.sup.2] ajustado mostram bom ajustamento ao modelo estatistico. Alem disso, conclui-se que o modelo de regressao e significante, considerando 95% de nivel de confianca.

Entre as variaveis explicativas analisadas, duas foram refutadas. As variaveis relacionadas a lucro e auditoria mostraram-se nao significativas a um nivel de significancia de 5%, ou seja, apresentou Valor-P acima de 5%, o que se permite afirmar que essas variaveis nao influenciaram no nivel de evidenciacao socioambiental.

Quanto a variavel ano, confirmou-se significativa a um nivel de significancia de 5%, e seu parametro indica uma relacao de aumento de 7% no nivel de evidenciacao socioambiental ao longo dos anos analisados. Uma explicacao para esse resultado e que ao longo dos anos as empresas passaram a preocupar-se mais com a evidenciacao das informacoes socioambientais para atender as pressoes da sociedade e do mercado financeiro. O resultado corrobora com a pesquisa de Alciatore & Dee (2006) que indica que longo dos anos, acredita-se que as empresas passam a aumentar o nivel de evidenciacao das informacoes socioambientais.

O fato de a empresa apresentar melhores indices de liquidez corrente apresenta uma relacao positiva de 3%, o parametro estimado e tambem significante ao nivel de 5%. Essa constatacao corrobora com o estudo de Watson, Shrives & Marston (2002), que afirma que empresas que possuem uma boa posicao financeira, tendem a evidenciar isso de maneira mais completa aos usuarios da informacao.

O tamanho das empresas confirmou-se significativo a um nivel de significancia de 5%, e sua relacao indica um aumento de 2% no nivel de evidenciacao. Uma das razoes para este resultado e que empresas maiores tendem a possuir mais recursos para investir em responsabilidade socioambiental alem de serem mais visadas socialmente. O resultado encontrado corrobora com o estudo de Watts & Zimmerman (1986), na medida em que empresas maiores tendem a evidenciar mais informacoes se comparadas com empresas menores.

A variavel de maior impacto no modelo de regressao foi a variavel governanca corporativa, a caracteristica mostrou-se significante ao nivel de significancia de 5%, estimando uma diferenca positiva em 12% para as empresas que adotaram praticas de governanca corporativa ao longo do periodo analisado. Assim, empresas que estao listadas em algum nivel de governanca corporativa na BM&FBOVESPA evidenciam mais informacoes socioambientais do que empresas que nao possuem esta caracteristica.

Por fim, verifica-se que o modelo analisado e valido e explica cerca de 68% do nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais das empresas brasileiras de mineracao e de siderurgia. As variaveis lucro e auditoria apresentaram resultados contrarios ao esperado. Vale ressaltar que as variaveis ano, liquidez corrente, tamanho da empresa e governanca corporativa estao positivamente correlacionadas com o nivel de evidenciacao, indicando que empresas que possuem como caracteristica as variaveis citadas acima evidenciam mais informacoes de carater socioambiental.

5 CONSIDERACOES FINAIS

Neste artigo, buscou-se averiguar um possivel aumento no nivel de informacoes socioambientais nos relatorios contabeis das empresas brasileiras que exploram a atividade de mineracao e siderurgia, alem de identificar caracteristicas que influenciam no nivel de evidenciacao das empresas analisadas. Para isto, foram aplicados quatro indicadores, sendo tres deles extraidos da Norma Brasileira de Contabilidade T--15 e, em consonancia, com as recomendacoes dos institutos Ethos e IBASE. Alem desses, essa pesquisa elencou mais um indicador para verificar o atendimento as diretrizes do GRI. Desta forma, por meio de um modelo de regressao linear multipla, foi investigado o nivel evidenciacao socioambiental dos relatorios anuais e de sustentabilidade, no periodo que compreende os anos de 2012 a 2016, das empresas dos setores analisados.

Os resultados obtidos permitiram confirmar um aumento no nivel de evidenciacao das informacoes socioambientais nas empresas estudadas. Tais resultados encontrados podem ter sido influenciados por uma maior percepcao das empresas sobre a normatizacao de aspectos sociais e maiores investimentos em relacao a sustentabilidade, a fim de respeitar o meio ambiente e mudar de forma positiva a imagem das empresas junto aos clientes e investidores.

Os resultados tambem fornecem evidencias para a discussao de regulamentacao sobre a evidenciacao de aspectos ambientais e sociais. Verificou-se que as empresas do segmento de mineracao e siderurgicas, buscam por meio de programas de autocontrole ambiental, minimizar os impactos causados ao meio ambiente. Ao longo do periodo analisado, nota-se uma maior preocupacao por parte das empresas em relacao aos reflexos socioambientais, procurando se adequar aos parametros das demais organizacoes.

No que se refere as variaveis independentes analisadas, constatou-se que os itens ano, liquidez corrente, tamanho e governanca corporativa estao correlacionadas com o nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais, indicando que influenciam na evidenciacao das empresas analisadas. Em contrapartida, a variavel auditoria e a variavel lucro nao se mostraram significantes no modelo. Uma possivel explicacao quanto a variavel lucro, e o fato de que empresas que apresentam lucro no periodo passam a evidenciar um numero menor de informacoes pelo fato de nao haver a preocupacao em justificar um resultado negativo. Ja quanto a variavel auditoria, uma das razoes pode ser o fato de firmas de auditoria Big Four possuir uma preocupacao maior com as normatizacoes nos padroes IFRS do que com a evidenciacao de informacoes socioambientais das empresas.

Outro aspecto que merece destaque, e que a evidenciacao das informacoes relacionadas aos aspectos ambientais, que indicam impactos negativos ou atividades de risco ambiental desenvolvidas pelas empresas estudadas, nao sao divulgadas de maneira completa o evento na qual a empresa esta envolvida. Sendo assim, nao foi encontrado um aumento de destaque no nivel dessas informacoes nos relatorios analisados.

A partir do estudo, observou-se a necessidade de trabalhar os itens evidenciados em cada grupo de indicador com os dados relativos aos encontrados nos relatorios anuais e de sustentabilidade das empresas brasileiras de mineracao e siderurgia. Desta forma, maior suporte gerencial pode ser dado aos agentes internos e externos das organizacoes, que buscam informacoes de apoio a tomada de decisao.

Essas conclusoes se restringem a amostra e ao periodo analisado. Para pesquisas futuras, sugere-se que sejam agregados outros indicadores, alem de analisar outras variaveis e amostras diferentes com objetivo de melhorar o poder explicativo do modelo, assim como verificar diferencas e similaridades entre as variaveis explicativas do nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais.

DOI--http://dx.doi.org/ 10.17800/2238-8893/aos.v7n1jan/jun2018p7-22

REFERENCIAS

AHMAD, Z.; HASSAN, S.; MOHAMMAD, J. Determinants of environmental reporting in Malaysia. International Journal of Business Studies, v.11, n.1, p.69-90, 2003.

ALCIATORE, M.L.; DEE, C.C. Environmental disclosures in the oil and gas industry. Advances in Environmental Accounting and Management, v.3, n.1, p.49-75, 2006.

BERTHELOT, S.; CORMIER, D.; MAGNAN, M. Environmental disclosure research: review and synthesis. Journal of Accounting Literature, v.22, n1, p.1-44, 2003.

BERTOLIN, R.V. et al. Assimetria de Informacao e confianca em interacoes cooperativas. Revista de Administracao Contemporanea, v.12, n.1, p.59-81, 2008.

BUSHMAN, R.; SMITH, A. Financial Accounting Information and corporate governance. Journal of Accounting and Economics, v.32, n.1, p.237-333, 2001.

CHO, C .H.; PATTEN, D. M. The role of environmental disclosures as tools of legitimacy: a research note. Accounting, Organizations and Society, 32, 639-647, 2007.

CLARKSON, P. M. et al. Revisiting the relation between environmental performance and environmental disclosure: an empirical analysis. Accounting, Organizations and Society, v.33, p.303-27, 2008.

CORMIER, D.; MAGNAN, M.; VANVELTHOVEN, B. Environmental disclosure quality in large German companies: economic incentives, public pressures or institutional conditions? European Accounting Review, 14, 3-39, 2005.

COWEN, S.; FERRERI, L.; B.; PARKER, L. D. The impact of corporate characteristics on social responsibility disclosure: a typology and frequency-based analysis. Accounting, Organizationsand Society, v.12, n.2, p.111-122, 1987.

ELIAS, L.M.S de L.; OLIVEIRA, E. A. de A. Q.; QUINTARIOS P. C. de R. Responsabilidade ambiental: um estudo sobre o uso da evidenciacao contabil pelas industrias de transformacao mineral no estado do Para. Revista Brasileira de Gestao e Desenvolvimento Regional, v.5, n.3, p.204-220, 2009.

GRAY, R.; BEBBINGTON, J. Accounting for the environmental. 2.ed. London: Sage, 2001.

HEALY, P. M.; PALEPU, K. Information asymmetry, corporate disclosure and the capital markets: a review of the empirical disclosure literature. Journal of Accounting and Economics, v.31, n.1, p.405-440, 2001.

KOTHARI, S. P.; LI, Xu; SHORT, James. The effect of disclosure by management, analysis, and business press on cost of capital, return volatility, and analyst forecasts: a study using content analysis. The Accounting Review, v.84, n.1, p.639-1670, 2009.

MEEK, G.; ROBERTS, C.; GRAY, S. Factors influencing voluntarily annual report disclosure by U.S., U.K., and continental European multinational corporations. Journal of International Business Studies, n.26, p.555-572, 1995.

MURCIA, F.D. et al. Determinants of corporate environmental reporting in Brazil: the case of industries sensitive to the environment. In: NORTH AMERICAN CONGRESS ON SOCIAL AND ENVIRONMENTAL ACCOUNTING RESEARCH, 1, 2008, Anais [...] Montreal, Quebec, Canada.

MYSZCZUK, Ana Paula; GLITZ, Frederico Eduardo. Accountability socioambiental, lei e mercado: novas estrategias de defesa do meio ambiente no seculo XXI. Cadernos da Escola de Direito e Relacoes Internacionais, Curitiba, v.11, p.336-358, 2009.

RESOLUCAO CFC 1.003 de 19.08.2004. Dispoe sobre as Informacoes de natureza social e ambiental. Diario Oficial da Uniao. Brasilia, DF: Conselho Federal de Contabilidade.

SAMPAIO, M. S. et al. Evidenciacao de Informacoes Socioambientais e Isomorfismo: um estudo com mineradoras brasileiras. Revista Universo Contabil, v.8, p.105-122, 2012.

VERRECCHIA, R. E. Essays on disclosure. Journal of Accounting and Economics, v.32, n.1, p. 87-105, 2001.

WATSON, A.; SHRIVES, P.; MARSTON, C. Voluntary disclosure of accounting ratios inthe UK. British Accounting Review, n. 34, p.289-313, 2002.

WATTS, R. L.; ZIMMERMAN, J. L. Positive accounting theory: englewood cliffs, NJ: PrenticeHall, 1986.

WILMSHURST, T.D.; FROST, G.R. Corporate environmental reporting a test of legitimacy theory. Accounting Auditing and Accountability Journal, v.13, n.1, p.10-26, 2000.

David Daniel Hammes Junior (1)

Leonardo Flach (2)

Gabriel Nilson Coelho (3)

(1) Graduacao em Contabilidade pela Universidade Federal de Santa Catarina--UFSC. Mestrando em Contabilidade pelo Programa de Pos-graduacao em Contabilidade da UFSC (PPGC). E-mail: juniorhammes@yahoo.com.br

(2) Pos-doutor em Contabilidade e Financas pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT/EUA). Docente do Programa de Pos-graduacao em Contabilidade da UFSC (PPGC). E-mail: Leonardo.flach@ufsc.br

(3) Graduacao em Contabilidade pela Universidade Federal de Santa Catarina--UFSC. Mestrando em Contabilidade pelo Programa de Pos-graduacao em Contabilidade da UFSC (PPGC). E-mail: gn.coelho@hotmail.com

(4) INSTITUTO ETHOS. Disponivel em: www.ethos.org.br. Acesso em: 13jun. 2017

Caption: Figura 1--Nivel de evidenciacao ao longo dos anos das empresas de mineracao

Caption: Figura 2--Nivel de evidenciacao ao longo dos anos das empresas siderurgicas
Tabela 1--Empresas que compoe a amostra por setor

Empresa                                      Setor

BRADESPAR S.A.                             Mineracao
LITEL PARTICIPACOES S.A.                   Mineracao
MMX MINERACAO E METALICOS S.A.             Mineracao
VALE S.A.                                  Mineracao
CCX CARVAO DA COLOMBIA S.A.                Mineracao
CIA FERRO LIGAS DA BAHIA--FERBASA          Siderurgia
CIA SIDERURGICA NACIONAL                   Siderurgia
GERDAU S.A.                                Siderurgia
METALURGICA GERDAU S.A.                    Siderurgia
USINAS SID DE MINAS GERAIS S.A.-USIMINAS   Siderurgia

Fonte: Dados da pesquisa

Tabela 2--Nivel de evidenciacao de informacoes socioambientais

                        Mineradoras

Ano    Bradespar   Litel   MMX    Vale   CCX

2012     0,30      0,30    0,38   0,68   0,24
2013     0,30      0,37    0,39   0,83   0,36
2014     0,33      0,42    0,39   0,86   0,38
2015     0,42      0,50    0,58   0,88   0,41
2016     0,58      0,69    0,72   0,90   0,44

                     Siderurgicas

Ano    Ferbasa   CSN    Gerdau   Met. Gerdau   Usiminas

2012    0,63     0,31    0,47       0,45         0,58
2013    0,63     0,33    0,52       0,51         0,61
2014    0,75     0,38    0,58       0,56         0,61
2015    0,75     0,52    0,69       0,69         0,66
2016    0,76     0,66    0,80       0,79         0,72

Fonte: Dados da pesquisa (2017).

Tabela 3--Media do nivel evidenciacao de informacoes socioambientais
por setor analisado

Mineradoras      Media da empresa   Siderurgicas     Media da empresa

Brade spar             0,39         Ferbasa                0,70
Litel                  0,46         CSN                    0,44
MMX                    0,49         Gerdau                 0,61
Vale                   0,83         Met. Gerdau            0,60
ccx                    0,37         Usiminas               0,64
Media do Setor         0,51         Media do setor         0,60

Fonte: Dados da pesquisa (2017).

Tabela 4--Resultados da regressao linear multipla estimado pelo metodo
dos minimos quadrados ordinarios

Variavel             Coeficiente              Erro Padrao

Ano                     0,0680                  0,0104
Liquidez corrente       0,0278                  0,0105
Auditoria               -0,2106                 0,1122
Lucro                   0,0104                  0,0307
LN tamanho              0,0240                  0,0043
Governanca
Corporativa             0,1206                  0,0363
Intersecao             -136,6358                21,0387
Total de
observacoes                            50
[R.sup.2]                            0,7173
[R.sup.2] Ajustado                   0,6778

Variavel             Estatistica T       Valor-P

Ano                            6,5131    0,0000
Liquidez corrente              2,6581    0,0110
Auditoria                     -1,8780    0,0672
Lucro                          0,3370    0,7377
LN tamanho                     5,6323    0,0000
Governanca
Corporativa                    3,3217    0,0018
Intersecao                    -6,4945    0,0000
Total de
observacoes          Erro Padrao         0,1014
[R.sup.2]            Estatistica F       18,1805
[R.sup.2] Ajustado   F de Significacao   0,0000

Fonte: Dados da pesquisa, 2017.

Quadro 1--Questoes elaboradas para cada grupo de indicadores

Analise de Indicadores Sociais       Analise de Indicadores Sociais
Internos(ISI)                                 Externos(ISE)

Evidencia a remuneracao media dos   Evidencia gastos com educacao?
funcionarios?
                                    Evidencia gastos com cultura?
Evidencia os gastos com encargos
sociais? Evidencia os gastos com    Evidencia gastos com saneamento?
alimentacao e transporte?
                                    Evidencia gastos com saude?
Evidencia os gastos com
previdencia privada e saude?        Evidencia gastos com esporte e
                                    lazer?
Evidencia os gastos com
seguranca e medicina do trabalho?
Evidencia os gastos com educacao
e cultura?

Evidencia os gastos com
desenvolvimento profissional?

Evidencia os gastos com creches
ou auxilio creche?

Evidencia informacao das
participacoes nos lucros?

Evidencia a movimentacao de
funcionarios (admissao, demissao
de funcionarios e estagiarios)?

Evidencia quantidade de
funcionarios por genero, faixa
etaria, nivel de escolaridade?

Evidencia informacoes com relacao
a ca usas trabalhistas?

Analise de Indicadores Ambientais   AnalisedeAtendimentoasDiretrizes
(IA)                                           doGRI(GRI)

Evidencia os investimentos e        Evidencia a estrategia e analise?
gastos com manutencao nos
processos operacionais para a       Define os parametros do
melhoria do meio ambiente?          relatorio?

Evidencia os investimentos e        Evidencia sobre governanca,
gasto com a preservacao e/ou        compromissos e engajamento?
recuperacao de ambientes
degradados?                         Evidencia as formas de gestao?

Evidencia os investimentos e        Evidencia o resultado economico?
gastos coma educacao ambiental
para empregados, terceirizados,     Evidencia informacoes sobre a
autonomos e administradores da      gestao de materiais, energia, a
entidade?                           gua, biodiversidade, emissoes de
                                    residuos, produtos e servicos, t
Evidencia os investimentos e        ransportes, outros?
gastos c om e ducacao ambiental
para a comunidade?                  Evidencia informacoes sobre
                                    praticas trabalhista se trabalho
Evidencia os investimentos e        decente?
gastos com outros projetos
ambientais?                         Evidencia i nformacoes sobre os
                                    direitos humanos?
Evidencia a quantidade de
processos a mbientais,              Evidencia informacoes sobre a
administrativos e judiciais         sociedade?
movidos contra a entidade?
                                    Evidencia informacoes sobre a
Evidencia impactos ambientais       responsabilidade pelo produto?
negativos/riscos ambientais?

Evidencia o valor das multas e
das indenizacoes relativas a
materia ambiental, determinadas a
dministrativa e/ou judicialmente?

Evidencia informacoes sobre
passivos e contingencias
ambientais?

Fonte: Sampaio et al.(2012)
COPYRIGHT 2018 Amazonia, Organizacoes e Sustentabilidade-AOS
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2018 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Hammes, David Daniel, Jr.; Flach, Leonardo; Coelho, Gabriel Nilson
Publication:AOS-Amazonia, Organizacoes e Sustentabilidade
Date:Jan 1, 2018
Words:5570
Previous Article:EDITORIAL.
Next Article:SOCIAL RESPONSIBILITY, CERTIFICATIONS AND TEXTILE CHAIN: EMPIRICAL EVIDENCE FROM MANAGERS' PERCEPTION OF MICRO AND SMALL ENTERPRISES/RESPONSABILIDADE...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters