Printer Friendly

SISTEMA SOCIO-ECOLOGICO DA ILHA SAO CRISTOVAO, GALAPAGOS: UMA ANALISE A PARTIR DAS PERCEPCOES DOS ATORES LOCAIS.

SOCIO-ECOLOGICAL SYSTEM OF SAO CRISTOVAO ISLAND, GALAPAGOS: NA ANALYSIS OF THE PERCEPTIONS FROM LOCAL POPULATION

1 INTRODUCAO

O uso que as pessoas fazem da natureza e influenciado por fortes tracos culturais onde estao embutidos valores, aspectos sociais e politicos, direito de uso, leis, governanca e regras de mercado. Nesta dinamica ocorre a integracao dos processos e componentes socioeconomicos e biofisicos, formando um Sistema Socioecologico (SSE) (BUSCHBACHER et al., 2016, p.21). Athayde et al. (2016, p.15) descrevem-no como um conjunto articulado entre atores sociais e suas instituicoes em escalas que vao desde a unidade dos recursos utilizados ate os espacos ou territorios em que as comunidades encontram-se inseridas.

O uso que as pessoas fazem da natureza esta embutido no sistema socioeconomico (seus valores, relacoes sociais e politicas, direito de uso, leis, governanca, mercado, entre outros) (BUSCHBACHER, 2014, p.13). Nas interacoes homem e ambiente um aspecto importante e a capacidade dos ecossistemas de fornecer bens e servicos para alcancar a sustentabilidade, por exemplo, os parques nacionais oferecem boas oportunidades para adquirir experiencias do ambiente natural e os servicos ambientais que preve (GROOT, 1992, p.322), ou seja, a conquista do desenvolvimento do milenio depende dos servicos proporcionados pelo sistema natural.

Segundo Tapia et al. (2009, p.129), em Galapagos os distintos componentes do SSE guardam estreitos vinculos entre si e estao interconectados por fluxos biofisicos, economicos e socioculturais que operam em distintas escalas espaco temporais. Um dos pontos relevantes para a compreensao dos processos socioeconomicos e a mensuracao dos impactos em Galapagos esta no contexto da formacao geologica do arquipelago e peculiaridade de sua biodiversidade (SANTOS et al., 2015, p.255).

As ilhas tropicais surgiram por processos tectonicos de forma isolada e nao conectadas a historia geologica do continente (THEOFILOS, 2011, p.144). Para o referido autor, esse isolamento no tempo, desde sua formacao ha cinco milhoes de anos, permitiu que processos evolutivos produzissem uma biodiversidade de aspecto singular.

Os padroes biogeograficos nas ilhas sao caracterizados por feicoes adaptativas unicas em condicoes ambientais extremas quanto a regimes climaticos e disponibilidade de agua nao salobra. Esta dinamica adaptativa culminou na formacao de uma comunidade de especies endemicas de animais configurados por varias radiacoes adaptativas (WALLACE, 2003, p. 536; GRANT; GRANT, 2008, p.02; BASSETT, 2009, p.30-31). Desta forma, Galapagos se tornou um dos principais pontos de grande interesse cientifico sobre processos evolutivos, e os padroes fenotipicos de algumas especies de vertebrados chegou a inspirar o naturalista Charles Darwin em partes de suas hipoteses sobre a teoria da evolucao.

Em 12 de Fevereiro de 1832, o governo do Equador tomou posse das Ilhas Galapagos, estabelecendo uma pequena colonia de pessoas na Ilha Floreana (LARSON, 2002, p 59.), um ano depois comecou o primeiro projeto de colonizacao, onde um grupo de habitantes prisioneiros chegaram ao Equador para cumprir sua sentenca (IDROVO, 2005, p.40). Em 1936, durante a presidencia de Federico Paez, a provincia de Galapagos foi declarada Reserva Nacional de Fauna e Flora, medida que possibilitou a protecao da biodiversidade, com excecao de areas povoadas. Em 20 de julho de 1959, mais de 96,7% do territorio foi declarado Parque Nacional de Galapagos (7800 km) e 3,3% permaneceram do lado de fora (NICHOLLS, 2014, p.120). Em 23 de julho do mesmo ano, a Fundacao Charles Darwin foi criada para as Ilhas Galapagos, a qual se dedicava a pesquisas sobre especies da flora e fauna que deveriam ser protegidas e especies estrangeiras que deveriam ser colonizadas (IDROVO, 2005, p.197).

A area terrestre de Galapagos entrou para a Lista de Patrimonio Natural em 1978, fato justificado pela presenca de novas especies endemicas bem como um numero significativo de plantas e animais raros ou em perigo, requerendo um esforco para conservacao. Em 1986, o governo do Equador criou a Reserva de Recursos Marinhos que atingiu 15 milhas nauticas, para completar o nivel de protecao da flora e fauna nas ilhas (ECHEVERRIA, 2011, p.34) e em 1998, atraves da Lei Especial de Conservacao e Desenvolvimento Sustentavel da Provincia de Galapagos foi prevista uma extensao de 40 milhas, o equivalente a uma area de 130.000 [km.sup.2], tornando-se a setima maior reserva marinha do mundo, sendo permitida nessa reserva, apenas atividades como a pesca artesanal e o turismo de natureza (ECHEVERRIA, 2011. p.34; NICHOLLS, 2014 p.137).

A estruturacao e organizacao formal do turismo nas ilhas Galapagos com interesse de conhecer o santuario ecologico iniciou apenas em 1969. Contudo, a gestao do territorio tem sido complexa e dinamica, caracterizada por diversas mudancas ao longo dos ultimos 30 anos, conforme indicado no plano de gestao oficial (DPNG, 2005, p.10; 2014, p.48), e promotora de mudancas de organizacao e controle no arquipelago.

Galapagos e frequentemente citada quando se trata de conflitos relacionados entre a conservacao de recursos e o desenvolvimento economico, associado tambem as pressoes do turismo na natureza, particularmente sobre especies emblematicas, paisagens unicas e ambientes marinhos, os quais se desenvolveram e evoluiram como consequencia do isolamento geografico e ecologico que gerou disponibilidade de nichos para colonizacao. Modelos dinamicos, usadas para examinar as interacoes entre o homem e o ambiente nas Ilhas Galapagos e as politicas, descrevem efeitos geradores de diferentes respostas humanas e alguns desses resultados sao prejudiciais para a sustentabilidade socioecologica em Galapagos (WALSH; MENA, 2016, p.14536).

Neste contexto, os problemas apresentados no arquipelago tem sido analisados e discutidos nas sessoes da UNESCO no periodo 1998 ate 2016, sendo esta uma estrategia do governo equatoriano para expor avancos significativos sobre a gestao do territorio. Assim, compreendendo Galapagos como um Sistema Socioecologico, esta pesquisa objetivou analisar a Ilha de Sao Cristovao a partir das percepcoes dos habitantes sobre ameacas, mudancas e impactos ocorridos a partir da publicacao da Lei Especial de Galapagos em 10 de marco de 1998 ate 2017.

2 MATERIAIS E METODOS

2.1 Area de estudo

O arquipelago de Galapagos e isolado do continente americano a uma distancia aproximada de 960 km do Equador (Figura 1), sendo localizado a 928 km da ilha dos Cocos, na Costa Rica, e a 3700 km da ilha de Juan Fernandez, no Chile (BARRIGA, 2015, p.405). O arquipelago e composto por 13 ilhas com mais de 10 [km.sup.2] de superficie, cinco ilhas medias entre um a cinco [km.sup.2] de superficie e as restantes 216 unidades sao ilhotas e rochas atingindo um total de 234 unidades terrestres, sendo este um numero variavel porque esta sujeito a atualizacao, pois como sao de origem vulcanica pode originar outras ilhas (DPNG, 2005, p.18; 2014 p.26).

Outro ponto importante e a Reserva Marinha de Galapagos criada em 1998 com a emissao da Lei Especial de Galapagos, e compreende uma faixa de 40 milhas com uma area de 138.000 [km.sup.2], tornando-se a setima maior area protegida marinha do mundo (GALAPAGOS, 1998, p.08). O Arquipelago foi declarado provincia do Equador em 18 de fevereiro de 1973, porque o governou reconheceu seu valor biologico e como ponto turistico. Conforme o Plano de Gestao de 2014 (DPNG, 2014, p.29), Galapagos esta dividido politicamente em tres territorios: Ilha de Sao Cristovao com seu capital Porto Baquerizo Moreno (Figura 1), onde estao situadas as instituicoes governamentais; Ilha de Santa Cruz com sua cidade Porto Ayora onde esta a maior infraestrutura hoteleira e Ilha Isabela com sua cidade pequena Porto Villamil, que depende da pesca e do turismo que Porto Ayora oferece.

2.2 Contexto estudado

A Ilha de Sao Cristovao (Figura 1) foi selecionada para este estudo, uma vez que questoes centrais sobre a gestao e normatizacao no arquipelago sao discutidas nesta localidade. A declaracao como provincia desta ilha, favoreceu a implementacao de um gabinete do governo, projetos publicos, hospitais e estradas, bem como aumentou o turismo e gerou imigracao entre as ilhas do arquipelago (IDROVO, 2005 p. 214), tornando assim, um ambiente oportuno para investigar as percepcoes dos moradores sobre as politicas das instituicoes locais, e as recomendacoes da UNESCO que buscam preservar este patrimonio.

Foram realizadas entrevistas semiestruturadas (Figuras 2A e B), baseadas em Sobreiro (2016, p.120), com residentes de Porto Barquerizo Moreno e o bairro rural de Progresso com suas vilas de Soledade, Socavon, Cerro mundo e Cerro verde. Para tanto, foi utilizado questionario com 46 perguntas que versavam sobre: a) Caracterizacao social, b) Ambiente, c) Turismo, d) Educacao, e) Pesca, f) Especies introduzidas e g) Aspectos Institucionais.

Para realizar a projecao do tamanho da amostra usada na analise, foi necessario conhecer o numero de residentes em Porto Baquerizo Moreno. Segundo informacoes disponiveis no sitio eletronico da Secretaria Nacional de Planejamento (2016) o tamanho da populacao no ano em 2017 para a cidade de Porto Baquerizo Moreno e bairro Progresso e seus recintos foi estimado em 8.909 residentes. Considerando estes dados, calculou-se o tamanho da amostra de entrevistados, para populacao finita, com um nivel de confianca de 90%, Z = 1, 645, com a margem de erro de 5%, conforme mostrada abaixo:

n = N x [Z.sup.2] x p x (1 - p)/(N -1) x [e.sup.2] + [Z.sup.2] x p.(1 - p)

n = Tamanho da amostra que se quer calcular

N=Tamanho do universo

Z =E o desvio do valor medio que se aceita para alcancar o nivel de confianca desejado, os valores mais

* Nivel de confianca 90% Z = 1, 645

* Nivel de confianca 95% Z = 1,96

E = A margem de erro maximo que se quer admitir (5%)

P = Como regra geral p =50%

Com base nessas informacoes, o tamanho da amostra do presente estudo foi correspondente a 260 pessoas. As entrevistas com questionarios foram dirigidas as populacoes da area urbana (Porto Baquerizo Moreno) e rural (Recintos Progreso, Cerro Verde, Soledad, Socavon e Cerro Mundo), no periodo de dois meses (05 de junho a 05 de agosto de 2017). Os entrevistados foram escolhidos de maneira aleatoria, contudo deveriam obedecer aos seguintes criterios: maiores de 18 anos de idade, pai ou mae, possuirem tempo de residencia na Ilha Sao Cristovao maior que um ano.

Para as informacoes obtidas foram realizadas abordagem qualitativa, para compreender as respostas dos moradores aos questionamentos; e quantitativa com aplicacao das tecnicas exploratorias de analise fatorial multipla e analise de Cluster--tree clustering e k-means of clustering de correspondencia atraves do uso da estatistica multivariada, com o programa Statistica 6.0 da Statsoft. O programa Statistica tambem foi utilizado para fazer a analise fatorial de correspondencia multipla "AFCM".

As 46 perguntas encontram-se agrupadas em 30 variaveis, que foram, seguindo a metodologia de Scatena (2005, p. 62), codificadas com zero (0) quando se referiu a "Nao" e um (1) quando se referiu a "Sim" (Quadro um), para ser usada como entrada de dados brutos desta analise.
Quadro 1--Variaveis e codificacoes utilizadas na analise estatistica.

Variaveis e suas codificacoes

A1:0 Nao e um turismo de conservacao da flora e fauna A1:1 E um
turismo de conservacao da flora e fauna

A2:0 O turismo nao e economicamente bom para as grandes empresas A2:1
O turismo e economicamente bom para as grandes empresas

A3:0 Turismo nao e uma ameaca para conservacao da ilha Sao Cristovao
A3:1 Turismo e uma amaca para conservacao da ilha Sao Cristovao

A4:0 Parque Nacional nao faz os controles nos sitios de visitas A4:1
Parque Nacional faz os controles nos sitios de visitas

A5:0 Nao tem aumentado a populacao devido a migracao e natalidade A5:1
Tem aumentado a populacao devido migracao e natalidade

A6:0 Nao tem melhorado a administracao do sistema de residuos solidos
A6:1 Tem melhorado a administracao do sistema de residuos solidos

A7:0 Nao existe um sistema efetivo de manejo de aguas residuais A7:1
Existe um sistema efetivo de manejo de aguas residuais

A8:0 Nao existe um sistema efetivo de manejo de residuos solidos A8:1
Existe um sistema efetivo de manejo de residuos solidos

A9:0 Nao conhece o que e viver em um Patrimonio Natural da Humanidade
A9:1 Conhece o que e viver em um Patrimonio Natural da Humanidade

A10:0 Nao e um privilegio viver em um Patrimonio A10:1 E um privilegio
viver em um Patrimonio

A11:0 Nao tem pesca em epoca de piracema A11:1Tem pesca em epoca de
piracema

A12:0 Nao e uma ameaca a pesca ilegal por barcos nacionais e
estrangeiros A12:1 E uma ameaca a pesca ilegal por barcos nacionais e
estrangeiros

A13:0 Nao conhecia que pepino do mar esta ameacado e e proibido pescar
A13:1 Conhecia que o pepino do mar esta ameacado e e proibido pescar

A14:0 A sobrepesca nao causa diminuicao do pepino do mar A14:1 A
sobrepesca causa a diminuicao do pepino do mar

A15:0 As especies introduzidas nao sao uma ameaca para as especies
endemicas A15:1 As especies introduzidas sao uma ameaca para as
especies endemicas

A16:0 Nao conhece as medidas de biosseguranca existentes A16:1 Conhece
as medidas de biosseguranca existentes

A17:0 Nao e uma medida de controle de biosseguranca mais apropriada
informar A17:1 E uma medida de controle de biosseguranca mais
apropriada informar

A18:0 Aumento de chegadas de voos domesticos a ilha Sao Cristovao nao
aumenta o risco de ingresso de especies introduzidas A18:1 Aumento de
chegadas de voos domesticos a ilha Sao Cristovao aumenta o risco de
ingresso de especies introduzidas

A19:0 Aumento de chegadas de embarcacoes de carga a ilha Sao Cristovao
nao aumenta o risco de ingresso de especies introduzidas A19:1 Aumento
de chegadas de embarcacoes de carga a ilha Sao Cristovao aumenta o
risco de ingresso de especies introduzidas

A20:0 O sistema de biosseguranca nao esta funcionando corretamente
A20:1 O sistema de biosseguranca esta funcionando corretamente

A21:0 A implementacao de um porto na ilha de Baltra e outro em
Guayaquil como unicos pontos autorizados no embarque e desembarque de
carga nao melhoraria os controles A21:1 A implementacao de um portona
ilha de Baltra e outro em Guayaquil como unico pontos autorizados no
embarque e desembarque de carga melhoraria os controles

A22:0 A estrategia para optar por um cargo publico nao e ter formacao
em pos graduacao e idiomas A22:1 A estrategia para optar por um cargo
publico e ter formacao em pos graduacao e idiomas

A23:0 Os residentes nao conhecem a Lei Especial de Galapagos A23:1 Os
residentes conhecem a Lei Especial de Galapagos

A24:0 A lei especial de Galapagos nao e importante para a conservacao
A24:1 A lei especial de Galapagos e importante para a conservacao

A25:0 A gestao do Parque Nacional nao contribui para conservacao de
biodiversidade A25:1 A gestao do Parque Nacional contribui para
conservacao de biodiversidade

A26:0 Nao esta de acordo com o zoneamento como uma ferramenta de
organizacao de atividades na ilha Sao Cristovao A26:1 Esta de acordo
com zoneamento como uma ferramenta de organizacao de atividades na
ilha Sao Cristovao

A27:0 Nao existe conflito entre a gestao do Parque Nacional e os
habitantes A27:1 Existe conflito entre a gestao do Parque Nacional e
os habitantes

A28:0 Nao e possivel alcancar uma agricultura local sustentavel de
baixo impacto na ilha Sao Cristovao A28:1 E possivel alcancar uma
agricultura local sustentavel de baixo impacto na ilha Sao Cristovao

A29:0 Nao e ameaca a expansao e desenvolvimento de especies
introduzidas de flora e fauna na ilha Sao Cristovao A29:1 E ameaca a
expansao e desenvolvimento de especies introduzidas de flora e fauna
na ilha Sao Cristovao

A30:0 A mina que esta proximo a praia Loberia nao esta reduzindo a
nivel critico pela extracao de areia, cascalho e pedra para fazer as
construcoes A30:1 A mina que esta proximo a praia Loberia esta
reduzindo a nivel critico pela extracao de areia, cascalho e pedra
para fazer as construcoes


As variaveis perpassam os problemas levantados pela UNESCO (1. Turismo, 2. Especieis introduzidas, 3. Falta de um sistema efetivo de gerenciamento de residuos solidos e manejo de aguas residuais, 4. Ausencia de ordenamento institucional). Aliado a isso, considerou tambem como dificuldades: 5. A pesca e 6. O reconhecimento de Galapagos como Patrimonio de Valor Universal. Desta forma, as 30 variaveis percorrem estes seis aspectos, considerados nesse estudo como condutores de mudanca no SSE.

3 RESULTADOS E DISCUSSAO

3.1 Perfil socioeconomico da Ilha Sao Cristovao

Na ocasiao da pesquisa foram entrevistados 260 residentes. Na tabela 1 apresenta-se um panorama geral de suas condicoes socioeconomicas.

Com base nesse perfil, vale especificar alguns pontos importantes. Na questao educacional, 58,85% nao apresentaram uma profissao reconhecida por um diploma universitario, contudo 8% sao biologos marinhos, 6,92% sao bachareis em educacao, profissionais estes que atuam em escolas de nivel medio. As profissoes mais representativas sao aquelas relacionadas a instituicoes publicas e empresas privadas dedicadas ao turismo, por exemplo, 21% dos entrevistados sao biologos marinhos, seguidos por 18% graduados em educacao, seguidos por administradores e graduados em turismo com 12% e 10% dos entrevistados, respectivamente.

A respeito da origem, registrou-se que 60% sao chamados de residentes permanentes, ou seja, sao pessoas que chegaram na ilha por volta do ano de 1985 a 1998 e criaram lacos familiares e empregaticios, sendo que aproximadamente 30% dos moradores vivem na regiao a cerca de 16 a 29 anos. Galapagos nao tem populacao nativa. Os processos de colonizacao iniciaram em 1832 com a posse do territorio pelo governo equatoriano, favorecendo a migracao para a ilha. Em 1998 foi publicada a Lei Especial de Galapagos que estabeleceu limite de mobilidade e comercio com o Equador continental, mecanismo este que reduziu a entrada de migrantes. As pessoas vieram para Galapagos motivadas pelo trabalho (53,46%); porque as familias vivem em Sao Cristovao (28,46%); ou ainda porque gostam do clima da ilha (14,23%).

Alem destas variaveis mostradas na tabela 1, houve relatos dos moradores sobre a paisagem, locais turisticos, migracao e dificuldades que encontram na vida cotidiana. Para a paisagem, 70% dos moradores narraram que gostam do lugar, especialmente pela tranquilidade e pela natureza, e a biodiversidade (24,23%). No entanto, 35% relataram que houve impacto na paisagem pela extracao de pedra para a construcao de casas, rodovias e projetos governamentais, haja vista que nao tem outro espaco, uma vez que sao areas protegidas.

Entre os locais turisticos (Figura 3) mais atrativos pela beleza cenica, 25,77% citaram a Lagoa de Junco (Figura 4A), a qual e a unica de agua doce em Galapagos. Reconhecida mundialmente por sua biodiversidade de flora e fauna endemicas, 86,15% respondentes sugerem que nao ha nada a mudar na paisagem da ilha Sao Cristovao, pois tem orgulho do seu ambiente natural. No entanto, 10% sugeriram que deveria voltar para o que era ha 30 anos, onde existiam poucas casas e poucas pessoas.

A praia dos Marinheiros (Figura 4B) era usada para o lazer de criancas, mas 23,85% dos entrevistados disseram que essa praia passou a ser um local de manutencao de barco. A esse respeito, 10,38% descreveram que o Pedreal (Figura 4C), porto de aguas profundas e lugar onde as pessoas aproveitam o mar, tornou-se um local de desembarque e embarques de conteineres provenientes do continente equatoriano. Praias de Porto Chino, Praia Mann, Colina do Bruxo (Figura 4D, 4E e 4F, respectivamente), indicadas por 7,69% dos entrevistados, sao locais turisticos, porem tem bastante lixo como plasticos e outros poluentes.

O agente promotor da economia da ilha e o turismo, que originou a necessidade de contratar homens e mulheres do Equador Continental e que, por sua vez, gerou imigracao para Galapagos (WALSH; MENA, 2016, p.14537). Conforme discutem estes autores, a populacao permanente e pequena (aproximadamente 30.000), mas crescente e dinamica. Nao ha populacao indigena, e no primeiro censo de 1972, 3.488 residentes e, em 1990, 10.000 moradores foram contados. O turismo esta crescendo exponencialmente. Em 2015, havia 25225.000 turistas que visitaram Galapagos, em comparacao com 65.000 em 2000 e 40.000 em 1990. Neste tema, de acordo com 58,85% dos entrevistados, o crescimento populacional e devido a imigracao e natalidade. Com a Lei Especial promulgada em 1998, Galapagos foi declarada de regime especial e, para sua conservacao, e limitada a livre mobilidade e o comercio. Contudo, 32,69% dos entrevistados consideram que ganhar 80% mais do que no Equador Continental motiva o transito humano. Finalmente, a Lei Especial de Galapagos promulga dar preferencia de trabalho aos residentes, no entanto, 4,21% dos entrevistados sugerem que este nao e o caso.

Diante desse quadro geral da Ilha Sao Cristovao fica perceptivel um sistema complexo com nuances social, ecologico e economico interligadas, mas conflitantes. Para Tapia et al. (2009, p.133), a dinamica do sistema social e sustentada em varios processos culturais, sociopoliticos e economicos, mediados por uma serie de atores que interagem de forma complexa uns com os outros e com o sistema natural. Essas interacoes sao comandadas por logicas de relacionamento parcialmente independentes dos padroes de funcionamento do ecossistema, como o equilibrio de poder entre os atores, a interacao entre seus interesses materiais e os patrimonios culturais em que se movem.

A ciencia e a conservacao em Galapagos se tornam mais complexas com o aumento do numero de organizacoes. Para 2006, foram 16 instituicoes nao governamentais com presenca fisica em Galapagos, e pelo menos 60 fundacoes nacionais e internacionais que fornecem assistencia financeira a Galapagos, mas nao tem presenca fisica no arquipelago (WATKINGS; MARTINEZ, 2007, p.19). A declaracao da UNESCO em 2007 (p.09) aponta que Galapagos sofre "uma abordagem fragmentaria de planejamento, falta de coordenacao interinstitucional, falta de vontade politica, lideranca e autoridade", e que, portanto, "ha um enfraquecimento das instituicoes". Resultante dessa situacao houve a publicacao da nova Constituicao da Republica do Equador, que atraves do artigo 258 permitiu a fusao entre Instituto Nacional de Galapagos (INGALA) e do governo provincial em uma organizacao chamada Conselho do Regime Especial de Galapagos "LOREG", como um esforco para simplificar a governanca nas ilhas (CAIRNS, 2011, p.22).

Condutores de mudancas: o que os atores sociais pensam sobre o SSE da Ilha Sao Cristovao?

3.2 Turismo

As Ilhas Galapagos sao um conjunto de maravilhas da natureza, encantando tanto os residentes permanentes como os turistas (PALOMO et al., 2014, p.186). Essa interpretacao corresponde ao trabalho realizado na Ilha Sao Cristovao, onde 24,2% concordam que e um dever de todos conservarem a flora e a fauna do arquipelago. O desejo dos residentes e que os turistas visitem tudo o que ha na ilha; 15% dos entrevistados acreditam que os proprietarios de restaurantes e hoteis tem cuidado para oferecer servicos de qualidade bem como ha guias turisticos para completar a estadia; 14,2% acreditam que deve haver mais turistas para ficar, porque as vezes so sao vistos quando eles levam seu barco para viajar pelas ilhas ou quando eles vao para o aeroporto de volta ao continente equatoriano. Para Walsh e Mena (2016, p.14537) essas viagens tornaram-se regra desde 2009, quando o turismo de cruzeiro navegavel diminuiu devido a recessao economica.

Sao Cristovao e a capital da provincia de Galapagos, a qual tem um aeroporto em que o turista chega das cidades de Quito e Guayaquil; portanto, oferece alguns lugares para conhecer e observar a flora e a fauna e explorar suas paisagens. A esse respeito, 13,5% dos entrevistados concordaram que a desvantagem gerada pela falta de informacao, promocao e disseminacao da Ilha Sao Cristovao se deve ao fato de que a maioria das tarifas aereas e pacotes turisticos oferecidos pelas agencias de viagens sao vendidos em maior demanda para a Ilha de Santa Cruz.

Poucos entrevistados (3,8%) consideraram que o papel das autoridades em manter a ordem e a limpeza dos sitios turisticos e fundamental, por isso tambem seria importante para as autoridades gerenciarem a construcao de rotas alternativas de acesso a todos os setores turisticos de Sao Cristovao como, por exemplo, a Praia Ochoa. Os entrevistados (4,2%) consideraram que devem renovar o servico de internet fornecido aos turistas na ilha, da mesma forma, e necessario melhorar a atencao e o conforto nos restaurantes e lojas para os turistas.

A chegada de turistas a ilha (68,85%) e benefica economicamente para as grandes empresas, uma vez que traz vantagens, segundo 9,23% dos informantes, contudo para 13% dos moradores as atividades turisticas geram pressao ao ecossistema. Porem, nao se constituiu como uma ameaca a conservacao de Galapagos, de acordo com 88,85% dos entrevistados, encontrando-se bem gerenciado.

Apesar disso, existe a necessidade de se estabelecer um turismo sustentavel nas ilhas. Para tanto, 40% responderam que e importante fazer o controle dos sitios de visita, 37,31% opinaram que deve ter um acordo entre as comunidades e as agencias de viagem para se estabelecer o ecoturismo nas ilhas; 12,31% disseram ser necessario o cumprimento das leis que regulam os sitios de visita.

Ate 1967 poucos turistas visitaram Galapagos, mas apos o sucesso do primeiro cruzeiro realizado em 1967 o numero de visitantes aumentou dramaticamente, por exemplo, de 6.000 que visitaram o arquipelago em 1972 a 17. 636 em 1980. Nesta situacao, uma comissao de alto nivel foi estabelecida no ano de 1981 e um maximo anual de 25.000 turistas por ano foi novamente estabelecido com uma media de seis dias de estadia. Em 1983, a capacidade real de carga dos locais de visita foi calculada com base em fatores como: erosao da trilha em cada local de visita, perturbacao da fauna, entre outros. Para o Plano de Manejo do Parque Nacional de Galapagos a capacidade de carga real e de 41.767 turistas por ano (GRENIER, 2007,

p.281).

De acordo com Bassett (2009, p.16), a maioria das empresas de turismo em Galapagos contribui pouco com a economia local. O numero de turistas cresceu sendo necessario maior numero de embarcacoes. Portanto, o desejo dos entrevistados e ter um turismo mais equitativo com a comunidade. Sob essa otica, tambem e basilar que as autoridades promovam mais oportunidade para Sao Cristovao para que os turistas permanecam pelo menos um dia desfrutando das suas praias, da gastronomia e do artesanato produzidos na cidade.

Apesar de que na percepcao dos moradores de Sao Cristovao, o turismo nao ameaca a conservacao da biodiversidade, estudiosos, como Barriga (2015, p.409), afirmam que o turismo e uma atividade a ser praticada, mantendo um equilibrio entre o meio ambiente e o desenvolvimento das reservas de biosfera. No caso de Galapagos, o turismo por si e um dos principais fatores de risco para a conservacao da biodiversidade, devido ao aumento acelerado do numero de turistas (BARRIGA, 2015, p.409; WALSH; MENA, 2016, p.14536).

3.3 Residuos Solidos e Tratamento das Aguas residuais

A respeito dos residuos solidos em Sao Cristovao, os entrevistados afirmaram que a gestao desses residuos melhorou pela boa administracao das autoridades a partir de 2004 (69%); 21% argumentaram que falta informacao e conscientizacao sobre o manejo dos residuos e 5% mencionaram a formulacao de leis como entraves a gestao municipal. O processo completo de gestao de residuos solidos e liderado pela Unidade de Gestao Ambiental do Municipio responsavel pela coleta, transporte e gestao no Centro de Gerenciamento de Residuos Solidos e quanto ao seu destino final, os entrevistados tem preocupacoes sobre o destino dos residuos, uma vez que estes chegam ao continente.

A UNESCO declarou Galapagos Patrimonio Natural da Humanidade e o governo, ao estabelecer seu compromisso com a conservacao, cria a Lei Especial de Galapagos em 1998, que estabelece saude, educacao, saneamento, entre outros. A esse respeito, os entrevistados acreditam que seria bom promulgar leis adicionais para atingir um nivel maximo em politicas de tratamento de residuos solidos. Eles concordaram que a geracao de residuos solidos e pequena, devido a ausencia de fabricas ou industrias. Alem disso, muitos moradores reciclam o lixo inorganico ou queimam, e o organico serve para compostagem. A queima de lixo e feita pelos moradores do Cerro Verde, porque o servico de coleta dos residuos pelo municipio de Sao Cristovao nao e continuo.

No que diz respeito ao tratamento de agua, 68,85% dos entrevistados concordaram que existe um sistema eficaz, mas que apresenta inconvenientes, como falhas no sistema causadas por fortes chuvas que colapsam alguns tubos, mau cheiro e, na estacao chuvosa, o tubo de encanacao de agua encontrada na Praia de Oro colapsa e parte desta agua vai para o mar, sem manutencao da obra.

Na gestao de aguas residuais, a area urbana tem servico de tratamento de esgoto, em que ha esforcos para tratar bem a agua. Entretanto, necessita de mais investimento na implementacao de um laboratorio que realize a analise e o controle permanente da qualidade da agua tratada antes de sua disposicao final na Baia de Naufragio.

3.4 Reconhecimento de Galapapos como Patrimonio de Valor Universal

Interrogados sobre Galapagos ser declarada como Patrimonio de Valor Universal pela UNESCO, 63,46% dos entrevistados expressaram um resultado positivo, o que significa que eles concordam que os ecossistemas marinhos e terrestres devem ser conservados para as geracoes presentes e futuras. Outros 18,46% mostraram ignorancia em relacao ao assunto, tornando evidente a falta de informacao, como e o caso dos 18,08% dos entrevistados que optaram por nao responder.

Aproximadamente 49% dos informantes se sentiram privilegiados em viver nesse ambiente, mas 43% reconheceram que seja uma responsabilidade de manter o patrimonio natural da humanidade, estando sujeita a diferentes regulamentos para minimizar impactos por atividades humanas.

Os entrevistados sabiam que Galapagos foi declarada Patrimonio do Valor Universal Excepcional pela UNESCO em 2013 e eles concordaram que e um orgulho viver neste Patrimonio. No entanto, existem limitacoes, como as areas de pesca, as quais estao inseridas em areas de conservacao. Essas circunstancias tornam Galapagos um valioso laboratorio socioeconomico para pesquisas sobre o desenvolvimento de interacoes entre sistemas sociais e naturais, bem como uma referencia para monitorar as consequencias das atividades humanas nos ecossistemas e nos processos naturais diante de mudancas globais (GONZALEZ et al., 2008, p.13).

3.5 Pesca

Na ilha Sao Cristovao, segundo 62% dos entrevistados, ocorre pesca ilegal, especialmente em epoca de reproducao, inclusive de especies ameacadas, a exemplo, do tubarao. As principais ameacas provem de navios nacionais e estrangeiros, incentivados pelos mercados asiaticos. De acordo com 32% dos entrevistados, existem muitas restricoes e regulamentos, por exemplo, em areas que anteriormente estavam liberados para a pesca nas ilhas de Darwin e Wolf. Pescadores locais tiveram que se mudar dessas areas de conservacao sem alguma compensacao, ficando tambem sem o oferecimento de alternativas por parte do Estado. Tambem, 20% dos informantes apontaram que falta controle pelas autoridades no monitoramento da Reserva Marinha de Galapagos.

Bassett (2009, p.173) afirma que a Reserva Marinha de Galapagos tornou-se a setima maior reserva do mundo, sendo constituida pelo governo equatoriano, mas gerencialmente impossivel de monitorar. Esta situacao de fragilidade favorece a pesca excessiva de pepino de mar, a caca de tubarao, e o uso de praticas de pesca proibidas do tipo "palangre". O pepino do mar (Isostichopus fuscus (5) Ludwig, 1875), em particular, e uma especie esgotada em Galapagos. Em 1990, as capturas foram iniciadas devido a sua alta demanda no mercado asiatico. Em 1995, um grupo de pescadores descontentes lutou com os escritorios do Parque Nacional de Galapagos, porque nao concordava com quotas estabelecidas para o pepino do mar, o que gerou discussoes entre ambientalistas e pescadores, e um eventual colapso do pepino do mar (NICHOLS, 2014, p.136). No primeiro censo de 2001, em uma area do tamanho de um campo de futebol, 115 especimes de pepino do mar foram recolhidos na Ilha Fernandina para ser explorada comercialmente. Atualmente na mesma area, existem menos do que cinco amostras, e a baixa densidade tem levado a sua quase extincao (NICHOLS, 2014, p.25). Hoje, o resultado dessa exploracao, e que o pepino do mar estava seriamente ameacado (BASSETT, 2009, p.229). Para esta especie, 68,46% dos entrevistados expressaram que esta ameacado, no entanto, 21,15% dos entrevistados nao conhecem o assunto e 10,38% nao responderam.

3.6 Especies vegetais introduzidas

Na ilha, 47,69% consideraram que as especies exoticas sao uma ameaca para as especies endemicas, ja que competem com estas. Tambem e um problema na agricultura, porque elas invadem as areas, podendo ser portadores de doencas ou posteriormente tornarem-se pragas. Um dos riscos de introducao de especies e o aumento nas viagens aereas de Guayaquil para Galapagos, segundo 63,08% dos entrevistados, e os navios que transportam carga do porto de Guayaquil para as ilhas, apontados por 83% dos interlocutores. Conforme indicado por 81% dos moradores, estas especies sao ameaca a flora e fauna endemica da ilha.

A especie vegetal Rubus niveus Thunb., que e uma planta agressiva, de acordo com informacao de 13,46%, proliferou devido ao abandono da terra. As extensas plantacoes de amora sao consideradas ameacas a vegetacao endemica e nativa, localizadas nas areas agricolas da Ilha de Sao Cristovao e podem ser vistas em todos os lugares. Rubus niveus e uma especie que foi introduzida para fins agricolas em Sao Cristovao nos anos 1975 e 1978 (RENTERIA, et al., 2012, p.2). A Fundacao Charles Darwin relatou que e uma das piores plantas invasoras, penetra todos os tipos de solo, ocupa espacos na vegetacao nativa e uma vez estabelecida pode formar moitas densas impenetraveis e espinhoso, competindo com vegetacao nativa e plantas endemicas (CABI, 2018 p.1). A introducao de especies exoticas em Galapagos e uma das ameacas mais graves para a conservacao de especies nativas que esta indiretamente associada ao aumento do numero de turistas e residentes para as ilhas (BARRIGA, 2015, p.409).

A maioria das pessoas (75%) conhece as medidas de biosseguranca, entre as quais, a mais apropriada e a que oferece maior informacao aos turistas para conservar a biodiversidade. Neste caso, 66% dos informantes consideraram que a medida funciona corretamente. Entretanto, 51,5% sugeriram que, a implantacao do cais na ilha de Baltra e na cidade de Guayaquil, iria favorecer os controles, e 41,54% sugeriram que aumentaria os custos do transporte de mercadorias, o que elevaria o custo de vida.

De acordo com 73% dos entrevistados, e possivel alcancar uma agricultura local sustentavel (baixo impacto nas ilhas) e, assim, reduzir a renda dos produtos do Equador, isso diminuiria a entrada de especies introduzidas nas ilhas.

3.7 Ordenamento institucional

Os moradores locais podem ocupar cargos publicos na regiao e como estrategias para isso, os entrevistados responderam que e imprescindivel que haja preferencia pelos residentes para ocupar os cargos; que existam universidades publicas no estado e formacao de microempresas. A opiniao de 41,31% e de que as vagas de emprego deveriam ser ocupadas primeiro pelos moradores, mas 46,92% dos entrevistados sugeriram que os residentes deveriam ter estudos universitarios e se especializar em diferentes areas do conhecimento, conhecer outras linguas, entre outras habilidades que facilitariam a competitividade das pessoas provenientes do Equador continental. Os programas de treinamento, segundo 30,08% dos entrevistados sao necessarios para microempresas, ou seja, na instalacao e gerenciamento de uma empresa.

E comum encontrar pessoas do continente equatoriano trabalhando em cargos publicos como funcionarios, assessores em instituicoes como o Conselho de Governo, o Parque Nacional de Galapagos e na area de Saude, em que esta situacao foi permitida pela Lei Especial de Galapagos ao estabelecer o termo "Preferente".

O residente para escolher um emprego deve participar de competicoes publicas, mas o que define no final, o trabalho ou nao, sao as habilidades adquiridas como estudos de posgraduacao, linguas, experiencia e estar ligados na politica, entre outros. Esta e uma seria desvantagem para os residentes, porque as pessoas que residem no continente equatoriano tem uma melhor chance de treinar, aprender linguas, ter uma melhor experiencia e participar ativamente da politica, enquanto que o residente de Sao Cristovao nao tem a mesma oportunidade.

A grande maioria dos entrevistados, representada por 83,85%, esta ciente da lei especial de Galapagos, e 18,46% das entrevistadas sabiam que a mesma foi criada como estrategia de conservacao. Os entrevistados concordaram que esta Lei orienta Galapagos para a conservacao de sua biodiversidade. Contudo, restringe a pesca artesanal somente aos que tem licenca, e os agricultores nao podem contratar pessoas do continente para trabalhar porque este procedimento e muito burocratico, os custos sao altos, devem ser adicionadas as seguintes taxas: Seguro de fazendeiro + Seguro Instituto Equatoriano de Seguranca Social + garantia ao Conselho de Governo + salario. Nesse sentido, isso torna dificil para o agricultor trazer trabalhadores do Equador continental.

A respeito do Parque Nacional de Galapagos 46,92% dos entrevistados acreditam que o mesmo contribui para a conservacao da biodiversidade, e 75% sugeriram que o zoneamento e importante para o gerenciamento da area protegida, mas deve ser analisado bem, porque um setor pode ser prejudicado e beneficiar outros setores, como o turismo e a pesca.

3.8 Analise estatistica dos condutores de mudancas

As informacoes obtidas sobre os condutores de mudancas na Ilha Sao Cristovao foram tratadas estatisticamente a fim de entender a complexidade das relacoes entre gestao de conservacao biologica e os aspectos administrativos, bem como, os padroes das respostas diante dos principais alinhamentos da dinamica institucional que atua sobre as regras administrativas em Galapagos.

As variaveis foram dispostas em grupos, os quais elucidam as relacoes de associacao ou de oposicao que estabelecem entre si. A primeira dimensao ou Fator 1 (F1) apresentou um grau de generalidade bastante satisfatorio uma vez que 34 modalidades, de um total de 60, tiveram registros de coordenadas com correlacoes maiores, e para o Fator 2 (F2) foi encontrado 26 modalidades (Tabela 2). O que diferencia uma modalidade da outra, quando estao correlacionadas no mesmo fator, na maioria das vezes, e a coordenada positiva ou negativa. Assim, as duas dimensoes sao formadas pelas associacoes das principais ameacas: turismo, residuos solidos e tratamento de agua residual, reconhecimento de Galapagos como Patrimonio Universal, pesca, especies introduzidas e ordenamento institucional.

Cada grupo apresentou variaveis mais relevantes, assim foi possivel identificar que "A20: 0 O sistema de biosseguranca nao esta funcionando corretamente" (Grupo 1 Fator 1-); "A28:1 E possivel alcancar uma agricultura local sustentavel de baixo impacto na ilha Sao Cristovao" (Grupo 1 Fator 1 +);"A19:0 Aumento de chegadas de embarcacoes de carga a ilha Sao Cristovao nao aumenta o risco de ingresso de especies introduzidas" (Grupo 3 Fator 2 -), e "A6:1 Tem melhorado a administracao do sistema de residuos solidos" (Grupo 4 Fator 2 +) (Tabela 2). Corroborando com esses dados, a figura 5 apresenta essas variaveis no plano fatorial 1 e 2, em que e possivel identificar grupos de residentes com diferentes percepcoes de ameacas.

Na figura 6, e possivel observar grupos claramente formados. Ao lado esquerdo da figura 6 ha um grupo uniforme com 22 variaveis e no direito um grupo mais disperso composto por oito variaveis. Para este ultimo observa-se que aparecem questoes relacionadas ao turismo (A1: 1; A3: 1 e A4: 1), aos residuos solidos (A8: 1), ao patrimonio natural (A10: 1), a gestao do Parque Nacional (A25: 1), as especies introduzidas (A29: 1) e a mina (A30: 1). Neste caso, e importante ressaltar que existe uma tendencia a respostas positivas, sugerindo alguns impactos no modo de vida local a exemplo do turismo, das especies introduzidas e da mina.

4 CONSIDERACOES FINAIS

Diante de uma situacao de gestao e controle territorial do arquipelago, a dinamica do SSE foi analisada pela perspectiva do componente social. Neste sentido, as percepcoes dos atores locais permitiram concluir que existe uma convivencia prazerosa nas cidades e povoados, onde existe tranquilidade, seguranca e a disponibilidade do espaco natural como um ambiente ludico. Contudo, diante de certos problemas ambientais, como a falta de agua potavel e restricoes de uso de alguns recursos (pesca), a interacao sociedade e ambiente se da numa dinamica que necessita de averiguacao e controle por orgaos oficiais. Principalmente nos aspectos do aumento do turismo, especies introduzidas, pesca ilegal, migracao e geracao de residuos solidos.

Para entender a Ilha de Sao Cristovao, e necessario descrever que falta mao-de-obra, existem altos custos de insumos agricolas e transporte de produtos das fazendas para a comunidade. E para o seu comercio e complicado, nao ha projetos da coleta de aguas subterraneas, falta um sistema de irrigacao, deixando as culturas dependentes da chuva, falta trabalho local, ou seja, e dificil obter moradores que desejam trabalhar, e ao procurar pessoas do continente aumentam a populacao e a migracao.

Recomenda-se que as autoridades promovam mais oportunidade para a Ilha Sao Cristovao para que os turistas permanecam pelo menos um dia desfrutando das suas praias, da gastronomia e do artesanato produzidos na cidade, pois os entrevistados nao visualizam o turismo como ameaca desde que traga beneficios a todos. Faz-se necessario tambem fortalecer a Agencia de Biosseguranca, investindo recursos financeiros para contratacao de mais tecnicos, adquirindo tecnologia como os raios "X", solicitando um porto de quarentena para uma revisao abrangente de cada navio estrangeiro ou nacional que chega a ilha e implantando piscinas de agua doce e raios ultravioleta, as quais tendem a eliminar todas as incrustacoes que tem no casco dos barcos.

O SSE de Galapagos, a partir das percepcoes dos moradores, necessita de mudancas para melhorar sua capacidade adaptativa frente as perturbacoes que tem experimentado. Os condutores de mudanca: turismo, residuos solidos e tratamento de agua residual, reconhecimento de Galapagos como Patrimonio, pesca, especies introduzidas e ordenamento institucional demonstraram um sistema complexo que requer transformacoes nas suas estruturas para elevar a qualidade de vida da populacao residente e para que tenha conservado a biodiversidade local, de modo que seja possivel seu uso por geracoes futuras.

REFERENCIAS

ATHAYDE, S.; BERNASCONI, P.; BARTELS, W.L.; SELUCHINESK, R.; BUSCHBACHER, R. Avaliacao da resiliencia socioecologica como ferramenta para a gestao da fronteira amazonica: experiencias e reflexoes. Sustentabilidade em Debate, Brasilia, v.7, n.2, p.14-19, 2016.

BARRIGA, A.M. La contradiccion del turismo en la conservacion y el desarrollo en Galapagos-Ecuador. Estudios y perspectivas en turismo, Ciudad Autonoma de Buenos Aires, v.24, n.2, p.399-413, 2015.

BASSETT, C.A. Galapagos at the Crossroards: pirates, biologits, tourists, and creationists battle for Darwin's cradle of evolution. Washington DC: National Geographic Books, 2009.

BUSCHBACHER, R. A Teoria da resiliencia e os sistemas socioecologicos: como se preparar para um futuro imprevisivel?. Boletim regional, urbano e ambiental, n.9, p. 11-24, 2014.

BUSCHBACHER, R.; ATHAYDE, S.; BARTELS, W.L.; MELLO, R. Resilience Assessment as a tool for understanding the Amazon frontier as a socialecological system. Sustentabilidade em Debate, Brasilia, v.7, n.2, p.20-35, 2016.

CABI. Invasive Species Compendium. Disponivel em: <https://www.cabi.org/isc/datasheet/107939>2. 2018. Acesso em: 01 set. 2018.

CAIRNS, R. A critical analysis of the discourses of conservation and science on the Galapagos Islands. University of Leeds: Disponivel em: Http://etheses.whiterose.ac.uk/2301/1/Cairns_R _PhD_2011.pdf, 2011. 241 p. >. Acesso em: 01 set. 2018.

DPNG, Direccion del Parque Nacional Galapagos. Plan de Manejo Parque Nacional Galapagos. 2005. Puerto Ayora, Galapagos, Ecuador. Disponivel em: https://pt.scribd.com/document/333817633/DP NG-Plan-de-Manejo-Parque-Nacional. Acesso em: 08 out. 2016.

DPNG, Direccion del Parque Nacional Galapagos. Plan de Manejo de las Areas Protegidas de Galapagos para el Buen Vivir. 2014. Puerto Ayora, Galapagos, Ecuador. Disponivel em: http://www.galapagos.gob.ec/wpcontent/uploads/downloads/2016/07/DPNG_Pl an_de_Manejo_2014.pdf. Acesso em: 01 out. 2016.

ECHEVERRIA, H.; QUIROGA, D.; TORAL GRANDA, V. Manual de aplicacion del derecho penal ambiental como instrumento de proteccion de las areas naturales de Galapagos. Sea Shepherd, World Wildlife Fund y Galalpagos Academic Institute for the Arts and Sciences de la Universidad San Francisco de Quito-Ecuador, 2011.

GALAPAGOS. Ley de Especial de Galapagos publicado el 18 de marzo de 1998. Quito Ecuador. no. 67, p.32, 1998. Disponivel em http://www.ambiente.gob.ec/wpcontent/uploads/downloads/2015/02/LEY- ORGANICA-DE-REGIMEN-ESPECIAL-PARA-LAPROVINCIA-DE-GALAPAGOS.pdf>.Acesso em: 01 out. 2016.

GONZALEZ, J.; MONTES, C.; RODRIGUEZ, J.; TAPIA, W. Rethinking the Galapagos Islands as a complex social-ecological system: implications for conservation and management. Ecology and Society, Nova Scotia, v.13, n.2, p.13-26, 2008.

GRANT, P.; GRANT, R. How and way species multiply. The radiation os darwin finches. Princepton University Press. 2008.

GRENIER, C. Conservacion contra natura: Las islas Galapagos. QUITO ECUADOR: ABYA-YALA, 2007. 463 p.

GROOT, R.S. Evaluation of enviromental functions as a tool in planning, management and decision-making. Wolters-Noordhoff: [s.n.], 1992. 315 p.

IDROVO, H. Galapagos footsteps in the paradise: Crucible. 1 edicao. Galapagos: Libreria Ediciones QuitoEquador-Libri Mundi, 205p. 2005.

IUCN. Uniao Internacional para Conservacao da Natureza. Disponivel em: http://www.iucnredlist.org/details/18037370. Acesso em: 01 set. 2018.

LARSON, E.J. Evolution's Workshop: God and Science on the Islands. [S.I.]. London 2002.

NICHOLLS, H. The galapagos a natural history. New York: [s.n.], 2014. 144 p.

PALOMO, I.; MONTES, C.; MARTIN-LOPEZ, B.; GONZALEZ, J. A.; GARCIA-LLORENTE, M.; ALCORLO, P.; MORA, M. R. G. Incorporating the social-ecological approach in protected areas in the Anthropocene. BioScience, Oxford, v.64, n.3, p.181-191, 2014.

RENTERIA, J.; GERDENER, M.; PENETTA, D. Possible Impacts of the Invasive Plant Rubus niveus on the Native Vegetation of the Scalesia Forest in the Galapagos Islands. PLOS ONE, [S.L], v.7, n.10, p.1-8, 2012. Disponivel em: <https://journals.plos.org/plosone/article/file7id =10.1371/journal.pone.0048106>. Acesso em: 01 set. 2018.

SANTOS, G.L.; HAUFF, S.N.; MOTTA, C.L.; LOYOLLA, I.N.; BARBOSA, J.P.; PEQUENO, M. C.; CAMPOS, H.L. Pelos Caminhos de Darwin: um material multimidiatico interativo de divulgacao cientifica. Nuevas Ideas en Informatica Educativa, Porto Alegre, v.55, n.61, p. 249-260, 2015.

SCATENA, L.M. Acoes em educacao ambiental: analise multivariada da percepcao ambiental de diferentes grupos sociais como instrumentos de apoio a gestao de pequenas bacias--estudo de caso da microbacia do corrego da Capituva, Macedonia, SP. 2005. 262f. Tese (Doutorado em Hidraulica e Saneamento)--Escola de Engenharia de Sao Carlos, Sao Carlos.

SECRETARIA NACIONAL DE PLANEJAMENTO. Proyecciones referenciales de poblacion a nivel de cantonal--Parroquial periodo 2010-2020. Disponivel em: http://sni.gob.ec/ proyecciones-yestudios-demograficos). Acesso em: 20 mar. 2017.

SOBREIRO, T. Dinamica Socioecologica e Resiliencia da Pesca Ornamental no Rio Negro, Amazonas, Brasil. Sustentabilidade em Debate, Brasilia, v. 7, n. 2, p. 118-134, 2016.

TAPIA, W.; GONZALEZ NOVOA, J.A.; OSPINA, P.; QUIROGA, D.; RECK, G.; MONTES DEL OLMO, C. Entendiendo Galapagos como un sistema socioecologico complejo: implicaciones para la investigacion cientifica en el archipielago. 2009. Disponivel em: https://repositorio.uam.es/bitstream/handle/104 86/3210/23094_cap_tapia.pdf?sequence=1. Acesso em: 01 jan. 2017.

THEOFILOS, T. Volcanica Galapagos Volcanico. Ediecuatorial. Quito. 2011.

UNESCO. Organizacao das Nacoes Unidas para Educacao, Ciencia e Cultura. Intergovernmental Committee for the protection of the world cultural and natural heritage. Galapagos ecosystem in a state of risk and national priority his conservation. Then UNESCO Decides to inscribe the Galapagos Islands (Ecuador) in the List of World Heritage in Danger. 2007. Disponivel em: <http://whc.unesco.org/en/list/1/documents/>. Acesso em: 01 out. 2016.

WALSH, S.J.; MENA, C.F. Interactions of social, terrestrial, and marine sub-systems in the Galapagos Islands, Ecuador. Proceedings of the National Academy of Sciences, United States of America, v.113, n. 51, p. 14536-14543, 2016.

WALLACE, A.R. On the law which has regulated the introduction of new species. Scientiae Studia, Sao Paulo, v. 1, n. 4, p. 531-548, 2003.

WATKINGS, G.; MARTINEZ, A. The changing organizational framework in Galapagos. GALAPAGOS REPORT 2007 - 2008, Santa Cruz, p. 60-68, mar./abr., 2007. Disponivel em: https://www.galapagos.org/wpcontent/uploads/2012/01/changing-org- framework-watkinsmartinez.pdf >Acesso em: 01 set. 2018.

Luis Vladimir Mora Andrade (1), Gerciene de Jesus Miranda Lobato (2), Peter Mann de Toledo (3), Ima Celia Guimaraes Vieira (4)

Recebido em: 30/01/2018

Aceito em: 12/12/2018

(1) Universidade Federal do Para, Belem/PA, email: vladimir197805@hotmail.com

(2) Universidade Federal do Para, Belem/PA, email:gercienelobato@hotmail.com

(3) Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Sao Jose dos Campos/SP, email: peter.toledo@hotmail.com

(4) Museu Paraense Emilio Goeldi, Belem/PA, email: ima@museu-goeldi.br

(5) Especie que esta catalogada "Em perigo" para a Uniao Internacional para Conservacao da Natureza (IUCN), porque verificaram-se importantes reducoes populacionais em varias partes do espectro desta especie. A area de maior densidade conhecida para esta especie, as Ilhas Galapagos, teve reducoes na ordem de 80% ou mais.

Leyenda: Figura 1--Localizacao do Arquipelago de Galapagos, Equador.

Leyenda: Figura 2. Entrevistas. A. Residencia localizada em Porto Baquerizo Moreno, Ilha Sao Cristovao, Galapagos; B. Area rural em Recinto Socavon.

Leyenda: Figura 3--Mapa de Localizacao da Lagoa de Junco, Praia dos Marinheiros, Pedreal, Praias de Porto Chino, Praia Mann, Colina do Bruxo, Ilha de Sao Cristovao, Galapagos.

Leyenda: Figura 4--A. Lagoa de Junco; B. Praia dos Marinheiros; C. Pedreal; D. Praias de Porto Chino; E. Praia Mann; F. Colina do Bruxo, Ilha de Sao Cristovao, Galapagos. Fonte: Pesquisa de campo (2017).

Leyenda: Figura 5--Localizacao das variaveis no plano Fatorial 1 e Fatorial 2.

Leyenda: Figura 6.--Dendograma de saida de analise de agrupamento para um grupo de 260 residentes da Ilha Sao Cristovao.
Tabela 1--Condicoes socioeconomicas dos residentes da Ilha
Sao Cristovao, Galapagos.

Variavel                      Classificacao              Percetual (%)

Sexo                            Masculino                   53,46%
                                 Feminino                   46,54%
Local de Moradia             Porto Baquerizo                71,92%
dos Entrevistados           Recinto Progresso               11,92%
                             Recinto Soledade                6,54%
                           Recinto Cerro Verde               3,08%
                             Recinto Socavon                  5%
                           Recinto Cerro Mundo               1,54%
Origem                          Galapagos                     60%
                                  Guayas                    10,77%
                                  Outro                     29,23%
Faixa etaria                   19 a 25 anos                  9,23%
                               26 a 32 anos                 20,77%
                               33 a 39 anos                 14,62%
                               40 a 46 anos                 14,23%
                               47 a 53 anos                 15,77%
                               54 a 60 anos                 12,69%
                             Acima de 60 anos               12,69%
Estado Civil                      Casado                    57,31%
                                 Solteiro                   24,62%
                               Uniao Livre                  13,08%
                                  Outro                       5%
Educacao                    Superior completo               41,15%
                          Ensino medio completo             34,62%
                       Ensino fundamental completo          12,69%
Ocupacao                  Funcionarios publicos             31,92%
                    Pessoas que se dedicam ao turismo       22,69%
                              Donas de casa                 11,54%

Tabela 2--Distribuicao das variaveis nos grupos. Legenda: As
marcacoes em verde sao referentes a variavel de maior
representatividade de cada grupo.

Grupo 1        Grupo 2      Grupo 3      Grupo 4

Factor 1 -    Factor 1 +   Factor 2 -   Factor 2 +
A1:0             A1:1         A3:0         A3:1
A2:0             A2:1         A5:0         A5:1
A4:0             A4:1         A6:0         A6:1
A12:0           A12:1         A7:0         A7:1
A13:0           A13:1         A8:0         A8:1
A15:0           A15:1         A9:0         A9:1
A16:0           A16:1        A10:0        A10:1
A17:0           A17:1        A14:0        A11:1
A18:0           A18:1        A19:0        A14:1
A20:0           A20:1        A22:0        A19:1
A21:0           A21:1        A25:0        A22:1
A23:0           A23:1        A29:0        A25:1
A24:0           A24:1                     A29:1
A26:0           A26:1
A27:0           A28:1
A28:0           A30:1
A30:0
COPYRIGHT 2019 Editora da UFPR
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:Mora Andrade, Luis Vladimir; de Jesus Miranda Lobato, Gerciene; de Toledo, Peter Mann; Guimaraes Vie
Publication:Ra'e Ga
Article Type:Ensayo
Date:Mar 1, 2019
Words:9566
Previous Article:IDENTIFICACAO DE CLUSTER DE CONCENTRACAO DE RENDA E DEPENDENCIA DEMOGRAFICA NOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI.
Next Article:A GEOGRAFIA E A ARTE NO PROCESSO DE AUTOCONSCIENCIA DA HUMANIDADE: PRINCIPIOS METODOLOGICOS PARA A CONSTRUCAO DAS INSTALACOES GEOGRAFICAS.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters