Printer Friendly

RESEARCH, EDUCATION AND NOTHING ELSE? AN ANALYSIS BASED ON THE CURRICULA OF POSTDOC CAPES GRADUATES ON THE LATTES PLATFORM/ ENSINO E PESQUISA E NADA MAIS? UMA ANALISE COM BASE EM CURRICULOS LATTES DE POS-DOUTORES EGRESSOS DA CAPES.

INTRODUCAO

O estudo e parte de um estudo maior (castro, 2013) que busca identificar a influencia e o impacto da realizacao do estagio pos-doutoral sobre as atividades da pos-graduacao. Esse recorte versa sobre o impacto do pos-doutorado (nas modalidades de pesquisa pos-doutoral para recem-doutores e tambem estagio senior) sobre as atividades tecnicas e de extensao universitaria.

A visao nesse artigo e que a capacitacao via estagio pos-doutoral age enquanto peca recente na engrenagem universitaria, especialmente no subsistema da pos-graduacao, sendo um componente opcional para a carreira academica, mas que, no entanto ganha grande destaque nos ultimos anos, dentre outros aspectos, dado a sua relevancia para o conhecimento, o aprimoramento de competencias, a reciclagem profissional e de forma geral a necessidade de atualizacao. Ideia esta presente e fortemente alicercada em dados empiricos, em trabalho constante em Castro, Porto e Kannebley Jr., (2013) e tambem corroborada pelo levantamento de Calvosa, Repossi e Castro (2011).

Pesquisando-se em sites de revistas nacionais e tambem nas bases de dados do: Web of Science, Pro Quest, Scielo e portal periodicos da capes, buscouse a literatura cientifica publicada em periodicos utilizando as palavraschaves: postdoctoral research, sabbatical stay, postdoctoral stage, post doctorate, postdoctoral training, capacitacion postdoctorales, etapa de post-doctorado, post-doctorado, pos-doutorado, estagio pos-doutoral e treinamento pos-doutoral. E, surpreende a tamanha escassez de trabalhos sobre um assunto, em principio, tao relevante, seja para a academia, para a gestao e fomento, para os aspectos da carreira docente, da capacitacao e formacao do pesquisador e para as politicas publicas de maneira mais ampla.

Todos os estudos encontrados sao nacionais, nao foram encontrados estudos elaborados no exterior e todos tiveram a linha de investigacao na direcao de uma afericao dos outputs do pos-doutorado. Neste campo investigativo a revisao encontrou apenas cinco artigos (CASTRO; PORTO, 2008, 2010, 2012; calvosa; repossi; castro, 2011; CASTRO; PORTO; KANNEBLEY JR., 2013) o que mostra que a literatura cientifica expressa em midia prestigiosa ainda e escassa e por ser tao recente, tambem mostra, ser um campo de exploracao em pesquisa, ainda raro, em fase exploratoria e com imenso potencial de desenvolvimento.

O artigo de Castro e Porto (2008), publicado na revista Organizacoes e Sociedade, parece ser pioneiro, abrindo com exito um campo de pesquisa ate entao nao explorado. Castro e Porto (2010) e Calvosa, Repossi e Castro (2011) acabam seguindo a mesma linha deste primeiro paper possuindo em seus trabalhos um mesmo "fio condutor" no que diz respeito as investigacoes empiricas; pois, utilizam o mesmo metodo--o da afericao do antes e depois do pos-doutorado e analisam o fenomeno pos-doutoral a luz do referencial teorico da Gestao do Conhecimento.

Castro, Porto e Kannebley (2013) e o unico que foge um pouco dessa linha de verificacao ex ante e ex post, para a verificacao por meio de grupos de controle e analise quasi-experimental. De comum, em todos os cinco artigos ha a mensuracao com a atribuicao de pesos e ponderacoes para os diversos tipos de producao bibliografica e sobressai-se que ha o balanco de que a atual conjuntura impulsiona a valorizacao da capacitacao docente, o que configura relevancia a analise do valor final da qualificacao promovida, estabelecendo motivacao para a pesquisa e busca de afericao dos seus resultados.

Todavia, tem-se que ressaltar que a Pos-Graduacao enquanto parte integrante do sistema universitario, tambem tem como sustentaculo o tripe Ensino-Pesquisa-Extensao, mas surgiu uma lacuna vez que todos os artigos trabalharam com a afericao exclusiva da producao em Pesquisa e nao havia nenhum indicador construido para a afericao nas demais outras atividades da pos-graduacao. Diante disso, se fez necessario criar indicadores proprios, como sera descrito minuciosamente na secao de metodo.

Dessa maneira como objetivo geral o estudo procurou desenvolver indicadores de analise que dimensionassem a influencia do sistema de capacitacao em nivel de pos-doutoramento para o desempenho docente no que diz respeito as atividades proprias do sistema de pos-graduacao nacional e mais especificamente, das atividades que vao alem da Pesquisa e do Ensino, envolvendo as atividades tecnicas, producoes tecnologicas e de uma forma mais ampla, a prestacao de servicos por meio da extensao universitaria.

O POS-DOUTORADO E A EXTENSAO

A universidade enquanto instituicao tem suas origens na historia no inicio da modernidade, nessa epoca, a ciencia, entendida como o saber nascido do exame sistematico e cuidadoso de fenomenos, passou a ser vista como motor do desenvolvimento e simbolo do progresso. Desde entao, estabeleceu-se uma forte associacao entre ciencia e desenvolvimento economico-social, fazendo surgir organizacoes universitarias com o proposito de produzir ciencia e reverte-la em resultados praticos para a humanidade (GOERGEN, 1998).

Desde a sua genese, dimensoes foram se constituindo ao longo da historia das universidades modernas com o proposito de produzir conhecimento, formar pessoas e transformar saber e atividades de desenvolvimento economico e social. Considerando esse proposito, Moraes (1998) considera a existencia de tres identidades que coexistem na organizacao universitaria:

* a universidade como lugar privilegiado de preparacao para o exercicio de profissoes, cada vez mais regulamentadas e credenciadas; [ensino]

* a universidade como lugar de pesquisa, do ensino da pesquisa e da busca de novos conhecimentos; e, [pesquisa]

* a universidade como agente prestador de servicos a comunidade. [extensao]

Em sintonia com essas identidades, do ponto de vista legal e normativo, no Brasil, de acordo com a LDB/96, Lei de Diretrizes e Bases, define-se universidades como "Instituicoes pluridisciplinares de formacao dos quadros profissionais de nivel superior, de pesquisa, de extensao e de dominio e cultivo do saber humano" (LEI 9.394/96, Art. 52).

Goergen (1998) aborda que ao longo dos tempos, as mudancas economicas e sociais imprimiram mudancas na relacao existente entre universidade, ciencia e sociedade. Hoje se espera, que cada vez mais, realize servicos, produza conhecimentos e tambem forme pessoas capazes de atender aos quesitos de um mundo moldado pela ciencia e tecnologia; com consequencias para a estrutura administrativa, organizacoes curriculares, procedimentos academicos e para a propria funcao da universidade.

No momento atual, conhecimento virou sinonimo de vantagem competitiva, qualidade de vida e possibilidade de insercao no mundo globalizado. Paises "avancados", com alto grau de desenvolvimento em c&t (Ciencia e Tecnologia), que concentram a capacidade de inovar, detendo a propriedade do conhecimento, fazem com que a relacao do mundo globalizado seja assimetrica e exija, assim, novos arranjos das universidades brasileiras. Elas devem ser capazes de atender as exigencias por novos conhecimentos e tecnologias economicamente viaveis e socialmente necessarias, unindo o universal-global ao particular-nacional (KAWASAKI, 1997).

A Pos-Graduacao enquanto parte integrante do sistema universitario, tambem tem como sustentaculo o tripe Ensino-Pesquisa-Extensao, o surgimento dos estudos em nivel de Pos-Graduacao, no mundo contemporaneo, adveio com o acumulo de conhecimentos nos diversos ramos da ciencia e a crescente especializacao das tecnicas. O desenvolvimento da ciencia e tecnologia aconselharia introduzir na educacao superior uma hierarquizacao de niveis de estudo: graduacao, cujo objetivo seria a instrucao cientifica, humanista, "da massa critica" e formacao profissional, e a pos-graduacao, cujo objetivo seria criar uma superestrutura destinada a pesquisa e o desenvolvimento da Ciencia, Tecnologia e da Cultura (MEC, PARECER 977, 1965).

Visoes mais recentes enxergam o processo de extensao universitaria inserido no contexto da educacao superior como um caminho em direcao a execucao de sua funcao social, promovendo a integracao com a comunidade externa e elevacao do nivel cultural do entorno a partir da participacao da universidade como agente ativa do desenvolvimento (FERNANDES et al., 2012; HERNANDEZ, 2013; CAMARGO; MIGUEL; ZANATA, 2015).

No Brasil, em 1965, com o Parecer 977 do Conselho Federal de Educacao, da-se a implantacao formal dos cursos de pos-graduacao. Este parecer tendo como relator o conselheiro Newton Sucupira, distinguiu os cursos de PosGraduacao em duas categoriais: lato sensu e stricto sensu. Os cursos lato sensu referem-se a cursos de especializacao, cujos objetivos sao de carater tecnico-profissional e os stricto sensu referem-se a cursos, de mestrado e doutorado, que sao orientados para o carater cientifico e tecnologico, a natureza academica e a pesquisa.

Pela visao dos egressos do sistema de pos-graduacao na area de administracao, ha um entendimento de que os orgaos governamentais (MEC e CAPES) valorizam mais a formacao do pesquisador em detrimento da formacao docente, dados os criterios adotados para a avaliacao dos programas de pos-graduacao (SOUZA-SILVA; DAVEL, 2005), e considera-se que nao se trata apenas da dicotomia foco na pesquisa versus foco na docencia, dados pelos proprios docentes na sua atuacao nas Instituicoes de Ensino Superior, mas pode ser um reflexo dinamico de um contexto mais amplo de fomento, que tambem se encontra impregnado por essa dicotomia (VALADAO JR.; RODRIGUES, 2012).

Nesse contexto de formacao para a pesquisa; vale frisar, que a posgraduacao stricto sensu no Brasil, nao se limita a elaboracao de uma dissertacao ou tese, compreende uma serie de disciplinas que coloca o aluno a cobrir ampla extensao de um campo do conhecimento, trata-se de uma experiencia intensiva de aprendizagem, que envolve a pos-graduacao stricto sensu na formacao de recursos humanos altamente especializados.

O Pos-doutorado surge no cenario da pos-graduacao na decada de 90, como um item "extra" na carreira academica, que considerando o escalonamento existente, tem seu ponto maximo de exigencia o titulo de doutorado. A ideia inicial foi potencializar o uso dos recursos humanos e financeiros envoltos diretamente com o cenario da producao e disseminacao da ciencia e tecnologia, com vistas a ampliar a participacao dos pesquisadores brasileiros no mainstream da ciencia e facilitar a insercao na comunidade cientifica internacional.

Conforme levantando por Coraiola etal. (2013), os professores universitarios da area de Administracao, que realizam pos-doutorado possuem um perfil nao voltado para atividades da empresa ou para o setor produtivo, os docentes que realizaram pos-doutorado possuem um perfil que volta-se, sobretudo para as atividades academicas, do ensino e sobretudo da pesquisa. Esse mesmo carater e visto na literatura em outros paises (RECOTILLET, 2007). No entanto, para Coraiola et al (2013) o pos-doutorado nao deveria ser relevante somente para o aumento da producao cientifica, mas tambem para a melhoria de outras atividades docentes.

A luz da gestao do conhecimento (NONAKA; TAKEUCHI, 1997), da gestao do conhecimento cientifico (LEITE; COSTA, 2007; LEYDESDORFF 2007) e sob a perspectiva da producao cientifica, Castro e Porto (2008), abordam o pos-doutorado situando-se em uma regiao hibrida que abre espaco para uma situacao onde se mescla e se alterna condicoes de desenvolvimento e de aquisicao de conhecimentos via praticas de outros laboratorios de pesquisa e conectividade com outras praxis academicas, caracterizando um processo de interacao e de socializacao entre os pesquisadores em que se estabelecem situacoes de aprendizagem por meio de conhecimentos que sao eminentemente tacitos, entretanto espera-se que o processo depois possa convergir para novas producoes cientificas e tecnologicas.

Apesar de ser atualmente motivo de desejo de muitos doutores, por desenhar-se como um caminho atrativo e promissor, os dados da literatura mostram que atuar em parceira com o objetivo centrado unicamente na busca do incremento na producao bibliografica e aumento dos "escores e linhas adicionais no Lattes" parece nao ser uma estrategia liquida e certa. Castro, Porto e Kannebley (2013), por exemplo com o uso de grupos de controle contra factuais na Universidade de Sao Paulo e o uso de tecnicas multivariadas nao colocam a situacao de realizacao do pos-doutorado como sendo o principal agente de essencial influencia sobre a produtividade docente, mas atuando um item complementar e opcional por ser valido em alguns casos.

Mostrando que nao ha uma 'receita' ou caminho unico a ser seguido o artigo de Castro, Porto e Kannebley (2013) mostra uma variabilidade enorme, dos pos-doutores em relacao aos seus pares sem pos-doutorado. A Figura 1, extraida de Castro, Porto e Kannebley Junior (2013), mostra que em varios momentos os docentes com pos-doutorados realizados possuem producao cientifica nos mesmos patamares ou ate mesmo abaixo da producao dos pesquisadores que nao realizaram pos-doutorado (linha constante ilustrada na figura--sendo mais visivel essa questao nos pontos de 2, 5 e 9 anos apos a obtencao do titulo de doutor).

E, esse fenomeno aconteceu sistematicamente para os recem-doutores (considerados ate cinco anos de conclusao do doutorado), entretanto, o fenomeno tambem ocorreu em menor grau com doutores seniores, em que os dados empiricos apontaram que os pares com e sem pos-doutorado, aos nove e aos dezesseis anos apos a conclusao do doutorado, possuiam producao equivalentes (Figura 1). Nao sendo o pos-doutorado essencial para essa diferenciacao na carreira.

Alem desse ponto, os dados obtidos por Castro, Porto e Kannebley Jr. (2013) convergem com os dados de Calvosa, Repossi e Castro (2011) no sentido de que os resultados de influencia do pos-doutorado sobre a producao bibliografica sao mais promissores para os pesquisadores seniores.

Nota-se que todo o reportado e expresso na literatura ate o momento refere-se exclusivamente os resultados no pos-doutorado sobre as atividades de pesquisa, surgindo uma lacuna e uma questao crucial: Se os estagios pos-doutorais com foco centrado na pesquisa apesar de ter uma influencia positiva, nao possui um impacto tao grande a ponto de ser decisivo para o sucesso na carreira de pesquisador, qual seria a influencia do pos-doutorado se considerado de uma forma mais ampla, abrangendo as atividades da posgraduacao que vao alem da pesquisa?

Para analisar o impacto do estagio pos-doutoral no sucesso de atividades mais amplas da pos-graduacao, fez necessario enxergar que o processo seria maior que 'expandir' a producao bibliografica, e para avaliar esses quesitos era tambem necessario criar criterios de avaliacao e ponderar essas producoes em funcao de sua importancia. Esses criterios fomra defendidos na Tese de Castro (2013) acerca do 'Impacto dos estagios pos-doutorais no exterior: A influencia alem da producao cientifica no sistema de posgraduacao', o qual reportamos o seu metodo, na secao a seguir.

METODO

Esta e uma pesquisa quantitativa descritiva, que utilizou como metodo a analise de dos dados dos sistemas Lattes em um cenario ex ante e ex post. A pesquisa sobre impacto pautou-se tambem na construcao de um indice de desempenho docente que foi inserido no contexto da pesquisa como proposicao para a afericao de impacto alem das atividades de extensao no ambito do sistema de producao da pos-graduacao, como sera descrito a seguir.

OUTRAS PRODUCOES DA POS-GRADUACAO

A investigacao de impacto, por meio de um indice de desempenho, almejou funcionar como ferramenta de comparacao do desempenho entre o "antes" e "depois" do pos-doc, e assim, funcionar como especie de "repertorio de entrada" do docente permitindo comparar, em referencia a essa mesma base, se houve diferencas significativas de producao academica. Nesse ambito seguiu-se proximo ao metodo com dimensoes diferenciadas constante da literatura acerca da investigacao acerca do pos-doutorado, com as seguintes dimensoes que foram analisadas:

Assessoria a Agencias de Fomento

Atuacao em Trabalhos de Intercambio

Participacao como Referee (ou consultor) em Conselhos Editoriais

Participacao em Atividades de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) ou de

Cooperacao iEs/Setor Produtivo

Producao Artistica/Cultural

Producao Tecnica

Outras Atividades Tecnico-Cientificas Listadas pelo Docente

COMPUTO DA DIMENSAO DE FORMA AGREGADA

Antes de detalhar a forma de se computar as demais producoes na posgraduacao, vale frisar que nada impediu do estudo trabalhar, tanto com o computo geral por meio do Indice de Desempenho, como em funcao dos dados levantados, trabalhar-se com o pontual, verificando a variacao de itens especificos bem como, o mesmo analisado de forma agrupada; ou seja, existia a possibilidade de se trabalhar tanto com o indice, quanto as producoes item a item.

A categoria "outras producoes da pos-graduacao" compreendeu, especialmente, atividades de extensao, constituida por servicos relevantes prestados pelos docentes. Esses servicos dizem respeito a assessoria a agencias de fomento, colaboracao em redes de pesquisa, participacao como referee (ou consultor) em conselhos editoriais de periodicos, participacao em atividades de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) ou de cooperacao ies/Setor Produtivo, producoes artisticas e culturais e producao tecnica como um todo.

O item "Producao Tecnica" seguiu os moldes do definido atualmente no sistema lattes, abrangendo:

* O desenvolvimento de softwares e/ou de produtos;

* o desenvolvimento de processos inovadores e/ou de trabalhos tecnicos;

* o desenvolvimento de material didatico;

* a editoria de periodicos;

* cursos de curta duracao ministrados;

* organizacao de eventos;

* producao de outros tipos de producao tecnica (como palestras, manutencao de obras artisticas, etc.), e com um peso maior,

* a obtencao de propriedade intelectual (registros e patentes).

* Proposta para computo de outras producoes da pos-graduacao e apresentada na Tabela 1.

Em relacao a patentes, cabe o parentesis que: algumas areas, a exemplo da Biotecnologia, estao propensas a fornece-lhe um peso relacionado com publicacoes (uma patente equivalente a x publicacoes nivel Qualis y). Criterios esses ainda em discussao, no momento essa forma de calculo especifico nos diversos comites nao e uma regra geral, mas enquanto "embriao", abre espaco junto as comissoes de areas, como possibilidades de novas tendencias.

Apos o calculo de cada dimensao conforme ilustra a Tabela 1, o score dessas atividades e a soma de cada um dos elementos constitutivos. Assim: "outras producoes da Pos-Graduacao" = A + B + C + D + E + F + G.

ABRANGENCIA DO ESTUDO

O indice foi calculado para a dimensao OP--Outras Producoes da Pos-Graduacao e para cada grande area do conhecimento, a saber: Sociais Aplicadas, Biologicas, Engenharias, Ciencias da Saude, Humanidades, Exatas e da Terra, Agrarias, Letras, Linguistica, Artes e Multidisciplinares (vide Tabela 2).

PROCEDIMENTOS

A meta era realizar a distribuicao do convite de avaliacao de forma censitaria, tendo como escopo todo o universo de ex-bolsistas da Capes desde a criacao do programa de pos-doutorado (em 1996) ate o ano de 2008 (quando o programa foi dividido em dois--pesquisa pos-doutoral e estagio senior, inclusive com valores de bolsas diferenciados).

Dos 3.820 ex-bolsistas do quadro da Capes, muitos nao compuseram a populacao por motivos adversos, como: o mesmo docente ter recebido bolsa de pos-doutorado em dois (ou mais) diferentes momentos, egresso que nao possuia vinculo empregaticio, docentes que nao integravam o sistema de pos-graduacao, seja por trabalhar apenas na graduacao, seja por ter assumido cargos administrativos na reitoria com desligamento voluntario concomitante, falecimento, aposentadoria e outras questoes adversas, [pasmem] entre elas o fato de haver docentes que (ainda) nao possuiam curriculos on-line constantes do sistema Lattes e informacoes incompletas ou desatualizadas no banco de dados da Capes, que impossibilitavam o contato.

De 1996, quando da criacao do programa, ate 2008; das 3.820 bolsas de pos-doutorado no exterior concedidas pela Capes, verificou-se que 1.034 diziam respeito a bolsistas egressos que nao trabalhavam inseridos na posgraduacao por diversos motivos: por atuarem apenas na graduacao (334), por estarem lotados em instancias administrativas da ies que exigiam dedicacao exclusiva (6) ou por nao possuirem vinculo empregaticio (694). Somem-se, ainda, 93 que estavam duplicados no banco de dados, pois haviam recebido bolsa em dois ou mais momentos, nove que ja haviam se aposentado e onze que haviam falecido, bem como, 108 casos com curriculos nao encontrados ou dados desatualizados/incompletos. Nao se considerando esses casos relatados, configurou-se, entao, uma populacao de 2.565 doutores com posdoutorado realizado e efetivos para os objetivos dessa pesquisa.

AMOSTRA

Da populacao de 2.565 doutores, 978 responderam ao e-mail convite respondendo a um breve questionario e apos a atualizacao do curriculo Lattes, nos autorizavam a verificacao dos seus dados de producao apos a sua efetiva atualizacao.

A investigacao de impacto alicercado pelo indice de producao docente mais ampla na pos-graduacao foi realizada com base em uma amostra nao probabilistica de voluntarios, com a perspectiva de que fizeram parte da amostra somente os docentes que responderem a convocacao por e-mail. Estrategia adotada para assim obter maior alcance na afericao de impacto, convem lembrar que muitos doutores pesquisas sequer atualizavam nos seus curriculos, os dados de producao mais amplas [alem da producao bibliografica], por considerar que as mesmas nao seriam objetos de analise de comites de avaliacao.

Em relacao ao genero, a amostra de docentes que realizaram estagios pos-doutorais no exterior totalizou 978 docentes pesquisadores, sendo 395 docentes (40,4%) do genero feminino e 583 docentes (59,6%) do genero masculino. Os docentes e suas respectivas areas de atuacao academica encontra-se conforme disposto no Anexo I. No que diz respeito a distribuicao dos participantes e suas respectivas Unidades da Federacao, os dados ilustrados na Tabela 3 mostram que quase um terco (30,1%) dos egressos respondentes foram do estado de Sao Paulo.

Vale pontuar que, dos estados brasileiros na sua totalidade, apenas os estados de Tocantins, Espirito Santo, Roraima, Maranhao e Piaui encontram-se nao representados pela amostra de docentes. E, em uma situacao inversa, notase que em alguns estados como Acre, Sergipe, Paraiba e Goias, houve uma configuracao de retorno dos questionarios bastante superior e expressiva. O Acre, por exemplo, teve a participacao de um numero de respondentes praticamente com o mesmo patamar que o estado da Bahia; Sergipe, Paraiba e Goias foram superiores ao Rio de Janeiro no numero absoluto de retorno de aceitacao para participar do atual levantamento, portanto com esta configuracao posta, essas Unidades da Federacao encontram-se superrepresentadas pela devolucao dos Lattes atualizados pelos docentes.

Em relacao as regioes geograficas a amostra mostrou-se bastante equilibrada e cobrindo todas as regioes do pais (Tabela 4), com uma composicao proxima da regionalidade da distribuicao de recursos publicos que na ultima decada foram destinados ao desenvolvimento de recursos humanos (CAPES).

A distribuicao dos docentes participantes da pesquisa, de acordo com o ano de obtencao do titulo de doutorado, indicou uma distribuicao com uma moda de conclusao do curso de doutorado no ano de 1995, havendo tambem o desenho de um pico em conjunto do numero de docentes com titulo de doutorado obtido entre os anos de 1994 e 1999 (vide Figura 2).

A distribuicao do ano de termino do doutorado dos docentes que realizaram o estagio pos-doutoral pertencentes a amostra (Figura 2), possuiu como media o ano de 1995, com desvio padrao de 5,62 anos; tendo o minimo de 1971, o maximo de 2008 e uma mediana de 1996. Indicando uma concentracao na porcao central do grafico e mostrando uma distribuicao com tendencia de concentracao da realizacao do pos-doutorado para os docentes com conclusoes do doutorado a partir de meados da decada de 90.

Em relacao ao ano de realizacao do ultimo pos-doutorado pelos docentes que participaram deste levantamento nota-se que nos quatro ultimos anos da decada de 90, quando do inicio do programa de fomento, ha uma procura bem menor por parte dos docentes, havendo o aumento expressivo dos estagios a partir dos anos 2000. Com um grande sobressalto de 2001 para 2002, patamar esse que se manteve praticamente constante de 2003 a 2005, havendo novamente um sobressalto com crescimento que passa a ser praticamente exponencial a partir do ano de 2006 (Figura 3).

Este desenho da amostra em relacao ao ano de realizacao do pos-doutorado no exterior ilustrado na Figura 3 teve um perfil bastante semelhante a configuracao estabelecida para o Programa de Estagio Pos-doutoral no Exterior conforme expresso em Castro e Porto (2012) e, assim, ambas as informacoes, a do universo e da amostra, possuiram perfis bastante semelhante ambas caminhando numa mesma direcao e sentido.

A Figura 4 ilustra graficamente uma idade relativa, considerando-se a idade que o pesquisador possuia quando realizou o pos-doutorado no exterior. Caracterizou-se que 46 docentes nao responderam a essa questao e a figura traz a faixa etaria dos participantes e ilustra em termos percentuais a idade de uma forma categorizada.

Quando considerado a idade que o docente possuia quando realizou o posdoutorado essa disposicao na Figura 4 indica uma concentracao, com pouca dispersao e indica uma distribuicao com moda de realizacao da capacitacao pos-doutoral concentrada e uma idade media de 42 anos, pontuando de uma forma mais nitida que quase metade dos docentes quando realizou o pos-doutorado estava na faixa etaria dos 41 aos 50 50 anos.

RESULTADOS E DISCUSSAO

Considerando-se que participaram do levantamento apenas docentes que estavam com o curriculo Lattes devidamente atualizado, conforme descrito anteriormente, em primeira instancia chama a atencao que em relacao a Outras Producoes da pos-graduacao, que foram agrupadas no composito OP, apesar da grande variabilidade de atividades e do largo escopo em relacao aos itens que o compoem, os resultados da pesquisa mostram ser esse um lado relegado e esquecido por muitos dos docentes pesquisados. Pois 106 docentes nao registraram no seu curriculo Lattes nenhuma atividade tecnica desenvolvida durante toda a sua carreira academica.

Essa e a ocorrencia que mais se destaca. Apesar da composicao do indice OP abranger servicos amplos e diversos como a assessoria a orgaos de fomento, a emissao de pareceres, desenvolvimento de produtos, aperfeicoamento de processos, cursos de curta duracao, registros de software, patentes, desenvolvimento de material didatico, participacao em atividades de cooperacao com o setor produtivo, organizacao de eventos, editoria e outras atividades tecnico-cientificas relevantes listadas pelo docente. Houve 106 docentes, o que corresponde a 10,8% dos pesquisados, que nao desenvolveram nenhuma dessas atividades antes de realizar o pos-doutorado no exterior e continuaram nao desenvolvendo nenhuma dessas atividades apos a realizacao do estagio pos-doutoral no exterior.

Esse dado em si ja e um forte indicador que a influencia do estagio posdoutoral sobre atividades mais amplas deixa a desejar. Soma-se a isso que alem destes 106 professores que registraram pontuacao zero ao longo de toda a sua carreira academica--e a realizacao do pos-doutorado nao ajudou a mudar esse quadro; houve tambem o registro de 59 professores (+ 6% da amostra) que possuiam alguma producao tecnica, mesmo que infima, antes da realizacao do estagio pos-doutoral no exterior e no cenario ex post essa producao praticamente deixou de existir, apresentando queda de mais de 80% nos escores obtidos por meio do indice de desempenho em outras producoes da pos-graduacao, antes e depois do pos-doutorado.

Um cenario nada animador.

Conforme a Figura 5 apesar da media elevada, certamente provocada pelos outliers, houve a tendencia clara de predominancia das variacoes negativas e tambem das nao variacoes (impacto nulo), a moda igual a zero indica que a influencia nula e a situacao que mais se repete, no que diz respeito ao pos-doutorado no exterior e algum efeito sobre producoes mais amplas no sistema de pos-graduacao.

Por outro lado, apensar da predominancia claramente nao deixar duvidas que o cenario da producao de extensao na pos-graduacao deixa mesmo a desejar e necessita de melhorias; e a realizacao de um pos-doutorado no exterior, atualmente nao parece ser o caminho mais adequado para que essas melhorias acontecam, ha que se observar que pelo valor da mediana ha a indicacao que pelo menos em mais de 50% dos casos houve algum impacto e variacao da producao na extensao antes e depois da atividade pos-doutoral no exterior (Figura 5).

Na busca de respostas para quais seriam os preditores desse impacto, impacto esse de certa forma ate destoante do cenario global, dentre as tentativas de equaciona-las por meio de diversos modelos de regressao estas nao chegaram a outputs satisfatorios. Os modelos de regressao logistica, incluindo-se o passo a passo progressivo, nao passaram dos 9% de acuracia, os modelos de regressao multipla tambem mostraram equacoes com baixo poder de predicao e explicando no maximo 5% da variancia.

Dessa forma, os resultados apontam que nao ha como estabelecer uma relacao de predicao de uma forma mais nitida ou definida. Ao ter-se em perspectiva as variaveis que foram mensuradas neste levantamento, a questao da producao tecnica vai alem das variaveis que foram objetos de analise na atual pesquisa (vide detalhamento das variaveis na Tabela 5).

No entanto, dentro do contexto das variaveis que foram coletadas (Tabela 5) embora nao se tenha encontrado preditores, cabe apontar que registrou-se uma relacao de diferenciacao da variacao tecnica de acordo com a area de atuacao do docente (Figura 6) e encontrou-se uma associacao positiva entre a variacao da producao tecnica e as reacoes dos colegas do docente ao posdoutorado realizado (Figura 7--vide Anexo II para maior detalhamento). Nesses ultimos dois casos, ocorrem situacoes que abrem o caminho de pesquisa para que se investiguem no futuro outras variaveis que aprofundem e que coletem mais aspectos qualitativos ou de cunho psicossocial, que pelo que se sugere, parecem interferir nesse processo.

Em relacao a grande area do conhecimento, ha uma media de variacao tecnica menor para as grandes areas de Agrarias e de Engenharias--que deveriam ser areas aplicadas de prestacao de servicos, mas isso nao e uma regra para todas as engenharias, conforme pode-se observar na Figura 6, algumas areas das engenharias possuem uma media mais elevada e diferenciada, bem como, algumas areas do conhecimento classificadas pela Capes na grande area de Agrarias, tambem conseguem se destacar, a exemplo da medicina veterinaria, engenharia florestal e engenharia agricola.

Essas diferencas de medias apresentadas pelas areas (Figura 6) foram submetidas por meio da anova ao teste de diferencas medias entre grupos combinados, encontrou-se uma probabilidade associada (p-value = 0,018), que mostra que ha pouca possibilidade das medias encontradas e diferenciadas para algumas areas terem sido decorrentes de erro amostral.

Algumas areas do conhecimento mostraram-se como mais propicias para a visualizacao de impacto do pos-doutorado na extensao por partes dos seus docentes. Entre as "campeoes" estao as areas de Biologia Geral, Ciencia Politica e Morfologia, acompanhadas das areas de Astronomia, Ciencia da Informacao, Comunicacao, Enfermagem, Engenharia Agricola, Filosofia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Genetica e Zoologia. Nessas areas em maior grau e em um grau um pouco menor nas demais areas listadas no grafico superior da Figura 6, a percepcao de que o pos-doutorado pode ser util para a extensao mostrou-se diferenciada positivamente em relacao as demais areas do conhecimento.

Embora com um impacto menor em relacao a estas areas citadas, nota-se na Figura 6 que ha outras areas do conhecimento que apresentam uma influencia positiva do pos-doutorado sobre as atividades tecnicas e de extensao, entre elas a area de administracao. O que pode ser considerado louvavel, considerandose o cenario academico registrado e que tende a um impacto nulo.

Em relacao a reacao ao pos-doutorado realizado (vide Figura 7), mostrase que a satisfacao com o pos-doutorado (do ponto de vista dos seus pares) e a insatisfacao com o pos-doutorado realizado (tambem do ponto de vista da heteroavaliacao dos pares), mantem relacao com a ocorrencia maior de producao tecnica apos a realizacao do pos-doutorado. Mas a boa reacao dos docentes, nao e suficiente para explicar o fenomeno, afinal como dito anteriormente houve inumeros casos de docentes com producao tecnica nula e que mantiveram esse status independentemente de terem gostado, mostrarem-se satisfeitos e terem reagido bem ao pos-doutorado.

No entanto, certamente (Figura 7), a dimensao social tao discutida na area de Treinamento, Desenvolvimento e Educacao, ou seja, capacitacao, mostrouse em principio realmente associada e com relacao importante com essa questao, uma boa reacao dos colegas dos docentes aparentemente favorece a producao tecnica na pos-graduacao, mas talvez os resultados nao sejam tao contundentes talvez por que ela ocorra em interacao com outros aspectos qualitativos que nao foram aqui coletados, como por exemplo, a natureza dos conteudos trabalhados no pos-doutorado, o perfil academico do colaborador no exterior, os interesses academicos envolvidos, bem como em especial, a motivacao inicial do docente para a realizacao do pos-doutorado no exterior.

Mas de qualquer maneira, fica o registro da variavel de natureza psicossocial que mostrou ter uma parcela de contribuicao que foi a reacao dos pares/colegas apos a realizacao do pos-doutorado (Figura 7).

Essa variavel 'reacao dos colegas' mostrou-se com uma correlacao situada entre fraca e moderada (r = 0,369) e as diferencas de medias apontadas na Figura 7 entre os docentes que percebem a reacao dos colegas como desfavoraveis (n = 163) e os docentes que percebem a reacao dos colegas como favoraveis (n = 615), foram submetidas ao Teste t de amostras independentes (Independent-samples T Test) e apresentaram um resultado apontando que essas diferencas apenas podem ser consideradas significativas com um intervalo de 90% de confianca (p value = 0,063), o que mostra que as reacoes dos colegas, como pode-se notar visualmente, contribuem para uma performance diferenciada, mas possuem uma influencia leve sobre o comportamento da producao da tecnica e extensao no contexto posdoutoral.

CONSIDERACOES FINAIS

Alem da producao bibliografica, em sintese, os resultados mensurados pelo meio do indice no composito OP--Outras producoes, em suas vertentes, apontam que o pos-doutorado no exterior consegue desenhar um razoavel e mediano impacto sobre o desempenho do docente, no que diz respeito a publicacoes cientificas (castro; porto, 2008, 2010, 2012; calvosa; repossi; castro, 2011; castro; porto; n 2013,), mas nao consegue atuar de forma adequada como agente propulsor da melhoria e expansao das demais producoes da pos-graduacao, em sua maioria voltadas para as atividades de extensao.

De uma forma geral, o que sobressai quanto a questao da producao tecnica e de extensao pelo conjunto dos resultados desta pesquisa, nada animadores, e que as atividades que vao alem da producao bibliografica parecem estar atualmente como um lado esquecido do sistema de pos-graduacao, e a sua melhoria pode ate ocorrer mediante a utilizacao do pos-doutorado como instrumento--deu certo em alguns casos, mas parece necessitar de um panorama mais integrado que envolva as politicas publicas de incentivo por parte do Estado, as politicas e as diretrizes internas das instituicoes de ensino superior, a motivacao e posicionamento de cada docente, e principalmente a valorizacao dessas atividades no proprio sistema de avaliacao, para que as mesmas possuam o devido status que merecem diante da sua importancia e relevancia para o funcionamento do sistema de pos-graduacao.

Como reflexao e ate mesmo motivacao para mudanca, fica a questao sobre o que enquanto academicos queremos para o futuro da pos-graduacao brasileira? Ensino? Pesquisa? Nada mais?

REFERENCIAS

BRASIL. Lei 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educacao nacional. Publicada no DOU de 23.12.96; disponibilizado em: <http://www. planalto.gov.br/>. Acesso em: 11/2011.

CALVOSA, M.VD.; REPOSSI, M. G.; CASTRO, P. M. R. Avaliacao de resultados da capacitacao docente: O Pos-doutorado na Universidade Federal Fluminense sob a otica da Producao Cientifica e Bibliografica. Revista da Avaliacao da Educacao Superior. v. 16, n. 1, p. 99-122. 2011.

CAMARGO, M. R. R. M.; MIGUEL, J. C.; ZANATA, E. M. A extensao universitaria como ponte do fazer, do aprender, do pensar. Cadernos Cedes, v. 35, n. 96, p. 257-276, 2015.

CASTRO. P. M. R. Impacto dos estagios pos-doutorais no exterior: a influencia alem da producao cientifica no sistema de pos-graduacao. 222f, 2013. Tese (doutorado). Faculdade de Economia, Administracao e Contabilidade, Universidade de Sao Paulo, Sao Paulo.

CASTRO, P. M. R.; PORTO, G. S. Retorno ao Exterior Vale a Pena? A questao dos estagios pos-doutorais sob a perspectiva da producao em C&T. Organizacoes & Sociedade, v. 15, n. 47, p. 155-173. 2008.

CASTRO, P. M. R.; PORTO, G. S. Analise exploratoria sobre avaliacao e mensuracao de resultados da capacitacao via estagios pos-doutorais: heterogeneidade entre grandes areas do conhecimento? Revista de Administracao da USP, v. 45, n. 1, p. 43-56, 2010.

CASTRO, P. M. R.; PORTO, G. S.; KANNEBLEY JUNIOR, S. Pos-doutorado, Essencial ou Opcional? Revista da Avaliacao da Educacao Superior, v.18, n.3, p.773-801, 2013.

CASTRO, P. M. R.; PORTO, G. S. Avaliacao de resultados da capacitacao via estagios pos-doutorais: Breves notas sobre a producao cientifica em periodicos. Ensaio--Fundacao Cesgranrio, v. 20, n. 1, p. 51-72, 2012.

CORAIOLA, D. M.; BARATTER M. A.; TAKAHASHI, A. R. W; MAY, M. R. Posdoutorado na formacao dos docentes de programas de pos-graduacao em administracao no Brasil--Perfil e configuracao. Administracao: Ensino e pesquisa, v. 14, n. 4, p. 725-758, 2013.

FERNANDES, M. C.; SILVA, L. M. S.; MACHADO, A. L. G; MOREIRA, T. M. M. Universidade e a extensao universitaria. Educacao em Revista, v. 28, n. 4, p. 169-194, 2012.

GOERGEN, P. Ciencia, sociedade e universidade. Educacao & Sociedade, v. 19, n. 63, p. 53-79. 1998.

HERNANDEZ, M. O. A educacao de habilidades sociais a partir da Extensao universitaria: Proposta de acoes. Educar em Revista. n. 50, p. 269-283. 2013.

KAWASAKI, C. S. Universidades Publicas e Sociedade: uma parceria necessaria. Revista da Faculdade de Educacao, Sao Paulo, v. 23, n.1-2, 1997.

LEITE, F. C. L.; COSTA, S. M. S. Gestao do conhecimento cientifico. Ciencia da Informacao. Brasilia, v. 36, n. 1, p. 92-107, 2007.

LEYDESDORFF, L. Scientific communication and cognitive codification: social systems and sociology of scientific knowledge. European Journal of Social Theory, v.10, n.3,p.1-22, 2007.

MORAES, R. C. C. Universidade hoje--Ensino, pesquisa, extensao. Educacao & Sociedade, v. 19, n. 63, p. 19-37, 1998.

RECOTILLET, I. PhD graduates with Post-Doctoral qualification in the private sector. Labour, v. 21, n. 3, p. 473-502, 2007.

SOUZA-SILVA, J. C.; DAVEL, E. Concepcoes, praticas e desafios na formacao do professor: Examinando o caso do ensino superior de administracao no Brasil. Organizacoes & Sociedade, v. 12, n. 35, p. 113-134, 2005.

VALADAO JR., V M.; RODRIGUES, H. G. Competencias na pos-graduacao: O olhar dos egressos. Administracao: Ensino epesquisa, v. 13, n. 2, p. 325-354, 2012.
ANEXO I--PARTICIPANTES DA PESQUISA

Distribuicao dos pesquisadores com pos-doutorado e
suas respectivas areas

Area                              Numero   Percentual

Biologia Geral                    2        0,2%
Biofisica                         2        0,2%
Bioquimica                        13       1,33%
Botanica                          3        0,31%
Ecologia                          10       1,02%
Farmacologia                      7        0,72%
Fisiologia                        17       1,74%
Genetica e Melhoramento           11       1,12%
Imunologia                        7        0,72%
Microbiologia                     11       1,12%
Morfologia                        5        0,51%
Parasitologia                     5        0,51%
Zoologia                          8        0,82%
Biologicas                        101      10,3%
Administracao                     22       2,25%
Arquitetura e Urbanismo           13       1,33%
Ciencia da Informacao             4        0,41%
Comunicacao                       19       1,94%
Demografia                        4        0,41%
Desenho Industrial                3        0,31%
Direito                           18       1,84%
Economia                          20       2,04%
Museologia                        1        0,1%
Servico Social                    6        0,61%
Planej. Urbano e Regional         6        0,61%

Sociais Aplicadas                 116      11,9%

Antropologia                      20       2,04%
Ciencia Politica                  7        0,72%
Educacao                          41       4,19%
Filosofia                         32       3,27%
Geografia                         10       1,02%
Historia                          35       3,58%
Psicologia                        24       2,45%
Sociologia                        29       2,97%
Teologia                          1        0,1%

Humanas                           199      20,3%

Agronomia                         28       2,86%
Engenharia Agricola               2        0,2%
Engenharia Florestal              5        0,51%
Medicina Veterinaria              8        0,82%
Tecnologia de Alimentos           7        0,72%
Zootecnia                         15       1,53%

Agrarias                          65       6,6%

Total                             978      100,0%

Engenharia Aeroespacial           4        0,41%
Engenharia Biomedica              6        0,61%
Engenharia Civil                  18       1,84%
Engenharia de Materiais           7        0,72%
Engenharia de Minas               1        0,1%
Engenharia de Producao            6        0,61%
Engenharia de
Transportes                       3        0,31%
Engenharia Eletrica               24       2,45%
Engenharia Mecanica               23       2,35%
Engenharia Oceanica               1        0,1%
Engenharia Quimica                10       1,02%
Engenharia Sanitaria              9        0,92%

Engenharias                       112      11,5%

Educacao Fisica                   10       1,02%
Enfermagem                        13       1,33%
Farmacia                          12       1,23%
Fisioterapia                      2        0,2%
Fonoaudiologia                    2        0,2%
Medicina                          50       5,11%
Nutricao                          3        0,31%
Odontologia                       22       2,25%
Terapia Ocupacional               2        0,2%
Saude Coletiva                    19       1,94%
Astronomia                        6        0,61%
Computacao                        29       2,97%
Estatistica                       3        0,31%
Fisica                            33       3,37%
Quimica                           37       3,78%
Geociencias                       21       2,15%
Matematica                        26       2,66%
Oceanografia                      5        0,51%

Exatas e da Terra                 160      16,4%

Artes                             14       1,43%
Letras                            35       3,58%
Linguistica                       17       1,74%

Letras, Linguistica e Artes       66       6,7%

Multidisciplinar                  24       2,5%


ANEXO II--ITENS DE REACAO DOS COLEGAS

O mencionado na Figura 7 deriva de dois itens do questionario, respondido pelos docentes:

Com a escala invertida para a segunda assertiva, considerou-se para efeitos da pesquisa 1 e 2 como reacao "desfavoravel" dos colegas; 3 reacao "neutra"; e, 4 e 5 como avaliacao de uma reacao "favoravel" por parte dos colegas.

NOTAS DE FIM

1: A variacao media e obtida pelo somatorio do calculo (pontos/ano depois)/ (pontos/ano antes) de cada docente divido por n e, por isso, o resultado de variacao apresentada nao e uma relacao exata das duas colunas, que a representam.

Caption: Onde a escala significava

DADOS DOS AUTORES

PEDRO MARCOS ROMA DE CASTRO * pedro.castro@capes.gov.br

Doutor em Administracao pela USP

Instituicao de vinculacao: Coordenacao de Aperfeicoamento de Pessoal de Nivel Superior

Brasilia/DF--Brasil

Areas de interesse em pesquisa: Ensino e Pesquisa, Treinamento e Desenvolvimento, Educacao Corporativa e Pos-graduacao brasileira.

* SBN Quadra 2, Bloco L, Lote 06, 8 andar, Universidade Aberta do Brasil (UAB) Capes--Brasilia, DF 70.040-020

GECIANE SILVEIRA PORTO geciane@usp.br

Livre Docente em Administracao pela USP

Instituicao de vinculacao: Universidade de Sao Paulo--Campus Ribeirao Preto

Ribeirao Preto/SP--Brasil

Areas de interesse em pesquisa: Indicadores de Ciencia, Tecnologia e Inovacao, Gestao Tecnologica, Gestao Universitaria, Educacao a Distancia, Ensino e Pesquisa em Administracao.

Recebido em: 04/09/2015 * Aprovado em: 17/11/2015

Avaliado pelo sistema double blind review

Editora Cientifica: Claudia de Salles Stadtlober

PEDRO MARCOS ROMA DE CASTRO pedro.castro@capes.gov.br

COORDENACAO DE APERFEICOAMENTO DE PESSOAL DE NIVEL SUPERIOR

GECIANE SILVEIRA PORTO

UNIVERSIDADE DE SAO PAULO--CAMPUS RIBEIRAO PRETO

DOI: 10.13058/raep.2016.v17n1.355

Caption: Figura 1 Producao de docentes com pos-doutorado em relacao aos seus pares sem pos-doutorado e uma curva de estimacao que se aproxima dos dados empiricos encontrados na USP (CASTRO; PORTO; KANNEBLEY JR., 2013).

Caption: Figura 2 Distribuicao dos docentes da amostra e o ano de obtencao do titulo de doutorado

Caption: Figura 3 Distribuicao do ano do ultimo pos-doutorado realizado pelos docentes que participaram da pesquisa

Caption: Figura 5 Histograma mostrando a frequencia/distribuicao do impacto do pos-doutorado no exterior medido por meio da variacao da producao tecnica

Caption: Figura 6 Areas do conhecimento agrupadas em relacao a media diferenciada para com o impacto do pos-doutorado em atividades tecnicas e de extensao na pos-graduacao

Caption: Figura 7 Reacao dos colegas apos o pos-doutorado realizado e medias da variacao do indice de desempenho em producao tecnica dos docentes
Tabela 1 Computo para outras producoes da pos-graduacao

1 Cod.   Dimensao Analisada       Forma de Calculo

(A)      Assessoria a Agencias    Assessoria a Agencias
         de Fomento               de Fomento = [2(Ag.
                                  Nacional) + 1(Ag.
                                  Estadual)]

(B)      Atuacao em Redes de      Atuacao em Redes de
         Pesquisa e Intercambio   Pesq. = [5(rede
                                  internacional + 3(rede
                                  de IES nac.)]

(C)      Atividades de P&D ou     Participacao em
         de Cooperacao IES/       atividades de P&D ou
         Setor Produtivo          de Cooperacao IES/
                                  Setor Produtivo =
                                  3(Ativid. Desenv.)

(D)      Participacao como        --
         Referee (ou consultor)
(E)      em Conselhos             --
         Editoriais Producao
         Artistica/Cultural

Cod.     Dimensao Analisada       Forma de Calculo

(F)      Producao Tecnica         Producao Tecnica = [
                                  3(Desenv. Aplicativo +
                                  Desenv. Produto + Org.
                                  de Evento) + 2(Desenv.
                                  Tecnico + Desenv.
                                  Processo + Curso de
                                  curta duracao + Desenv
                                  Mat Didatico +
                                  Editoria) +
                                  5(Registros ou
                                  Patentes) + 1(Outra
                                  Prod.)]

(G)      Outras Atividades        --
         Tecnicos Cientificas
         Listadas pelo Docente

Tabela 2 Detalhamento da composicao das grandes areas

Biologicas                Sociais Aplicadas      Engenharias

Biologia Geral            Administracao          Eng. Aeroespacial
Biofisica                 Arquitetura e          Eng. Biomedica
                          Urbanismo
Bioquimica                Ciencia da             Eng. Civil
                          Informacao
Botanica                  Comunicacao            Eng. de Materiais
Ecologia                  Contabeis              Eng. de Minas
Farmacologia              Demografia             Eng. de Producao
Fisiologia                Desenho Industrial     Eng. de Transportes
Genetica e                Direito                Eng. Eletrica
Melhoramento

Imunologia                Economia               Eng. Mecanica
Microbiologia             Museologia             Eng. Oceanica
Morfologia                Planejamento           Eng. Nuclear
                          Urb.e Regional
Parasitologia             Servico Social         Eng. Quimica
Zoologia                  Turismo                Eng. Sanitaria

Saude                     Humanas                Exatas e da Terra

Educacao Fisica           Antropologia           Astronomia
Enfermagem                Arqueologia            Computacao
Farmacia                  Ciencia Politica       Fisica
Fisioterapia              Educacao               Quimica
Terapia Ocupacional       Filosofia              Geociencias
Fonoaudiologia            Geografia              Matematica
Medicina                  Historia               Oceanografia
Nutricao                  Psicologia             Estatistica
Odontologia               Sociologia
Saude Coletiva            Teologia

Agrarias                  Letras, Linguistica    Multidisciplinar
                          e Artes

Agronomia                 Artes                  Areas de Pos/
Engenharia Agricola       Letras                 Graduacao
Engenharia Florestal      Linguistica            Multidisciplinares,
Engenharia de Pesca                              conforme
Medicina Veterinaria                             classificados
Tecnologia de Alimentos                          pelos comites de
Zootecnia                                        avaliacao/CAPES.

Fonte: Informacoes constantes no sitio da capes (2014).

Tabela 3 Distribuicao dos docentes respondentes pelas Unidades
da Federacao

UF                    Numero de respondentes   Porcentagem

Para                  1                        0,1%
Amazonas              4                        0,4%
Mato Grosso do Sul    4                        0,4%
Mato Grosso           7                        0,7%
Pernambuco            8                        0,8%
Alagoas               10                       1%
Rio Grande do Norte   10                       1%
Acre                  13                       1,3%
Bahia                 14                       1,4%
Ceara                 14                       1,4%
Santa Catarina        25                       2,6%
Rondonia              27                       2,8%
Parana                28                       2,9%
Distrito Federal      29                       3%
Rio Grande do Sul     32                       3,3%
Rio de Janeiro        48                       4,9%
Paraiba               59                       6%
Sergipe               65                       6,6%
Goias                 117                      12,0%
Minas Gerais          168                      17,2%
Sao Paulo             294                      30,1%
--                    1                        0,1%

Total                 978                      100%

Tabela 4 Distribuicao da amostra por regioes geograficas e
comparativo com o perfil dos investimentos publicos realizados pela
Capes

Regiao do Pais   Frequencia   %        Comparativo com
                                       investimentos
                                       da Capes no pais

Sudeste          510          52,1%    48%
Nordeste         184          18,8%    21%
Centro-Oeste     157          16,1%    11%
Sul              85           8,7%     16%
Norte            41           4,2%     4%
--               1            0,1%     --
Total            n = 978      100,0%

Fonte: Dados da pesquisa e da Coordenacao de Aperfeicoamento
de Pessoal de Nivel Superior (CAPES).

Tabela 5 Quadro geral acerca da configuracao das medias da variavel
"pontos/ano" (OP) em relacao a situacao ex ante e ex post da
realizacao do pos-doutorado e as demais variaveis explanatorias

Variavel                            OP media    OP media    Variacao
                                    pontos/     pontos/     Media (1)
                                    ano         ano
                                    Antes       Depois

Genero       Masculino              3,08        6,82        2,20
             Feminino               3,57        9,33        3,31

Faixa        Ate 40 anos            2,47        7,35        3,37
etaria       De 41 a 50 anos        3,39        7,91        2,52
relativa     De 51 a 60 anos        3,88        8,52        2,08
             De 61 a 70 anos        3,80        5,62        1,85

Grande       Agrarias               4,16        6,25        1,31
Area         Biologicas             2,39        6,41        3,32
             Engenharias            2,33        4,13        1,43
             Exatas e da Terra      2,00        3,99        2,47
             Humanas                4,19        12,18       3,86
             Letras, Linguistica    5,35        11,39       2,70
             e Artes
             Multidisciplinar       3,19        9,33        4,26
             Saude                  2,17        6,17        3,73
             Sociais Aplicadas      4,21        10,02       3,16

Duracao      < que 6 meses          4,43        10,73       2,27
do pos-      6 a 11 meses           3,22        8,34        3,43
doutorado    12 meses               2,91        6,57        3,02
             > que 12 meses         1,18        1,08        -0,08

No. de       1                      3,27        7,72        2,96
Pos-Docs     2                      3,21        7,48        2,94
Realizados   3                      3,64        10,20       3,62
             Mais de 3              3,41        12,18       2,43

Anos apos    Menor que 4 anos       1,76        6,82        3,32
Conclusao    4 a 8 anos             2,92        7,65        2,02
do           8 -| 12 anos           3,70        8,56        2,14
Doutorado    Mais de 12 anos        4,06        7,26        1,96

Figura 4 Faixa etaria dos respondentes quando da realizacao
do estagio pos-doutoral

mais de 70 anos
de 61 a 70 anos   1,9
de 51 a60 anos    22,1
de 41 a 50 anos   49,4
ate 40 anos        26,6

Note: Table made from bar graph.
COPYRIGHT 2016 Associacao Nacional dos Cursos de Graduacao em Administracao - ANGRAD
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:De Castro, Pedro Marcos Roma; Porto, Geciane Silveira
Publication:Administracao: Ensino e Pesquisa RAEP
Date:Jan 1, 2016
Words:7692
Previous Article:DEVELOPING FINAL COURSE MONOGRAPHS USING A TEAM-BASED LEARNING METHODOLOGY/A CONSTRUCAO DO TRABALHO DE CONCLUSAO DO CURSO POR MEIO DA METODOLOGIA...
Next Article:FINANCIAL LITERACY: A STUDY USING THE APPLICATION OF ITEM RESPONSE THEORY/ ALFABETIZACAO FINANCEIRA: UM ESTUDO POR MEIO DA APLICACAO DA TEORIA DE...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2021 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters