Printer Friendly

Peso medido, peso percebido e fatores associados em adolescentes.

A dualidade entre o amadurecimento do corpo e o amadurecimento psicologico frequentemente esta relacionada com algum grau de instabilidade emocional. Em nivel mais extremo, pode levar ao consumo de drogas ou alcool, a problemas mentais ou disturbios alimentares (como anorexia e bulimia) e tambem a problemas sociais, tais como estigmatizacao ou discriminacao (1).

Um importante atributo na adolescencia e a aparencia fisica, determinada social e culturalmente. Com relacao a formacao dos padroes corporais entre os jovens, merecem destaque duas forcas opostas que exacerbam os conflitos nesse dominio: de um lado, a midia, que tem um poder extraordinariamente forte na exaltacao de formas corporais dificilmente atingiveis pela maioria dos adolescentes; de outro, a crescente sofisticacao da industria de alimentos, que disponibiliza produtos extremamente agradaveis a vista e ao paladar, com alta densidade energetica e precos cada vez mais acessiveis. Alem disso, um agravante na genese do excesso de peso e a atual tendencia ao sedentarismo, tanto na populacao geral quanto especificamente em adolescentes (2, 3). Os resultados imediatos dessas interacoes sao o aumento nas prevalencias de sobrepeso e obesidade em todas as faixas etarias e a crescente e inevitavel insatisfacao com o peso corporal (4).

Por sua natural instabilidade emocional, os adolescentes sao muito suscetiveis a uma sequencia de acontecimentos que pode causar problemas de saude e emocionais: excesso de peso, estigmatizacao social, insatisfacao corporal, praticas de alimentacao restritiva e possivelmente disturbios fisicos e emocionais extremamente graves (4, 5). Um estudo de revisao de 1987 (4) evidencia que a preocupacao com a percepcao corporal e a obesidade nao e recente. Dois outros estudos mais recentes (5, 6) reforcam uma tendencia a insatisfacao com a imagem corporal nao apenas em adolescentes, mas tambem em criancas.

O objetivo do presente estudo foi comparar a autopercepcao corporal de adolescentes com o seu estado nutricional, determinado a partir dos criterios da Organizacao Mundial da Saude (OMS) (7), e avaliar os fatores associados a discordancia entre essas duas medidas.

MATERIAIS E METODOS

Todos os partos hospitalares ocorridos na Cidade de Pelotas, Estado do Rio Grande do Sul, no ano de 1993, foram monitorados. Mais de 99% dos partos nesse ano foram hospitalares. As maes foram entrevistadas nas primeiras 24 horas pos-parto. Apos essa visita perinatal, subamostras dos nascidos em 1993 foram visitadas quando completaram 1, 3 e 6 meses de idade e posteriormente aos 1, 4, 6 e 9 anos. Em 2004 e 2005 ocorreu o primeiro acompanhamento de todos os jovens, os quais apresentavam, em media, 11 anos de idade (8, 9). Os dados do presente artigo referem-se a este ultimo acompanhamento.

Na visita dos 11 anos, foram aplicados tres questionarios: materno, adolescente e adolescente confidencial. No questionario do adolescente, ao qual se referem os resultados do presente artigo, foi incluida a seguinte pergunta: "Como tu te sentes em relacao ao teu peso"? As opcoes de respostas eram: muito magro, magro, normal, gordo e muito gordo. Todos os questionarios estao disponiveis em http://www.epidemio-ufpel.org.br/ _projetos_de_pesquisas/coorte1993/#. Para fins de analise, a autopercepcao do estado nutricional foi agrupada em a) magro/muito magro; b) normal; c) gordo/muito gordo.

Alem do questionario, os adolescentes tiveram seu peso, altura e dobras cutaneas tricipital e subescapular medidos duplamente, sendo a media dos valores utilizada nas analises. Com base nas medidas antropometricas, o estado nutricional dos adolescentes foi definido de acordo com o criterio da OMS (7). Foram considerados portadores de obesidade os adolescentes com indice de massa corporal (IMC) igual ou superior ao percentil 85 e com ambas as pregas cutaneas, tricipital e subescapular, iguais ou superiores ao percentil 90; os adolescentes com IMC igual ou superior ao percentil 85 foram considerados como estando em risco de sobrepeso. As categorias "risco de sobrepeso" e "obesidade" foram agrupadas para fins de analise.

Foram considerados como concordantes os seguintes casos: a) autopercepcao do estado nutricional como "magro/ muito magro" e classificacao de "magreza" pelo criterio da OMS; b) autopercepcao do estado nutricional como "normal" e classificacao de "eutrofico" segundo a OMS; e c) autopercepcao do estado nutricional como "gordo/muito gordo" e classificacao de "risco de sobrepeso" ou "obesidade" conforme a OMS.

Definiu-se como superestimacao a autopercepcao do adolescente como normal ou gordo/muito gordo diante de classificacao de magreza segundo a OMS, ou a autopercepcao como gordo/ muito gordo diante de uma classificacao de eutrofico. Foi considerada subestimacao a autopercepcao do adolescente como normal ou magro/muito magro quando tinha risco de sobrepeso ou quando era obeso, a autopercepcao de normal, magro ou muito magro quando era obeso ou ainda a autopercepcao de magro ou muito magro quando era eutrofico.

As variaveis independentes utilizadas nas analises foram: sexo, cor da pele (classificacao do entrevistado), indice de bens (um escore de bens domesticos dividido em quintis apos analise fatorial), sedentarismo (pratica de atividade fisica inferior a 300 minutos por semana) (10), dieta inadequada (alto consumo de gorduras e baixo consumo de fibras de acordo com o questionario de Block) (11), discriminacao (relato de rejeicao por qualquer motivo no ano anterior a entrevista: cor da pele, nivel socioeconomico, estetica), realizacao de regime nos 12 meses anteriores a entrevista, sentimento de bem-estar (mensurado pela escala de faces) (12) e autopercepcao do adolescente em relacao a opiniao dos pais sobre si, medida atraves da seguinte pergunta: "A tua mae e o teu pai pensam que tu es ... (ler opcoes): 1) muito gordo; 2) gordo; 3) normal; 4) magro; 5) muito magro".

Para a analise dos dados, primeiramente foi feita uma descricao da amostra estudada. A seguir, apresentou-se a distribuicao do desfecho conforme as categorias das variaveis independentes. Tendo em vista que o desfecho do estudo e categorico nominal, tanto a analise bruta quanto a ajustada foram realizadas por meio de regressao multinomial, considerando-se o grupo que "concordou" como a categoria de referencia. Para a analise ajustada, elaborou-se um modelo conceitual para a determinacao dos possiveis fatores de confusao (13). No primeiro nivel (mais distal), foram incluidas as variaveis demograficas e socioeconomicas (sexo, cor da pele e indice de bens); no segundo nivel (intermediario), ficaram sedentarismo, dieta e discriminacao; e no terceiro nivel (proximal), ficaram as variaveis regime, bem-estar e percepcao dos pais sobre o estado nutricional dos filhos. Todas as analises foram posteriormente estratificadas por sexo. O nivel de significancia empregado foi de 5% para testes bicaudais. As analises foram feitas utilizando-se o pacote estatistico Stata, versao 9.2.

O Comite de Etica em Pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas aprovou o projeto. Os pais ou responsaveis assinaram um termo de consentimento livre e esclarecido autorizando a participacao dos adolescentes, os quais deram consentimento verbal.

RESULTADOS

Dos 5 249 participantes da coorte, 141 faleceram antes do acompanhamento de 11 anos de idade. Nesse acompanhamento, foram entrevistados 4 452 participantes da coorte, os quais, somados aos obitos, representam 87,5% da coorte original. Cerca de metade dos jovens era do sexo feminino; 67% se declararam de cor branca, 58% foram classificados como sedentarios, 28% consumiam dieta inadequada, 16% sentiam-se discriminados por algum motivo, 9% fizeram regime no ultimo ano e 86% expressaram bem-estar (indicado pelas figuras 1 e 2 da escala de faces).

A distribuicao do estado nutricional dos adolescentes foi a seguinte: 7,1% foram classificados como magros, 69,8% como eutroficos, 11,6% na categoria de sobrepeso e 11,6% como obesos. As meninas eram mais magras (7,7%) do que os meninos (6,4%). A prevalencia de obesidade foi maior entre os meninos (15,1% vs. 8,2% nas meninas), enquanto que o sobrepeso foi maior entre as meninas (13,0% vs. 10,1% nos meninos). Com relacao ao peso percebido, 19% dos jovens se achavam magros ou muito magros, 56% se sentiam normais quanto ao peso e 25% consideraram-se gordos ou muito gordos. Em 58% houve concordancia entre estado nutricional e percepcao quanto a opiniao dos pais sobre a condicao nutricional do adolescente.

Para o desfecho deste estudo (comparacao entre autopercepcao corporal e estado nutricional), foram obtidas informacoes completas para 4 426 adolescentes (nao havia informacao sobre o estado nutricional em 4 casos, em 16 casos nao houve resposta sobre o peso percebido e em 6 casos nao havia nenhuma dessas informacoes). A concordancia global entre a autopercepcao dos adolescentes e o seu estado nutricional foi de 65% (kappa = 0,36).

A comparacao entre as categorias de IMC e autopercepcao corporal, segundo o estado nutricional, mostrou que 2,8% dos adolescentes classificados como muito magros/magros e 13,4% daqueles classificados como normais superestimaram sua condicao nutricional. Dentre os jovens com excesso de peso ou normais, 7,4 e 21,7%, respectivamente, subestimaram seu estado nutricional. A subestimacao foi maior entre os meninos (24,9 vs. 20,3% entre as meninas) e a superestimacao foi mais elevada entre as meninas (15,8 vs. 8,5% entre os meninos). Se o estado nutricional dos adolescentes fosse definido a partir da autopercepcao corporal, a proporcao de magros aumentaria em 13,2% para os meninos e 11,8% para as meninas; a proporcao de meninos com excesso de peso diminuiria 3,5%; e a proporcao de meninas com excesso de peso aumentaria 11,8%. Em ambos os sexos, houve concordancia entre autopercepcao e estado nutricional em aproximadamente dois tercos dos adolescentes (66,6% dos meninos e 64,0% das meninas).

A tabela 1 apresenta a distribuicao do desfecho de acordo com as categorias das variaveis estudadas: 23% subestimaram seu estado nutricional, em 65% houve concordancia e 12% superestimaram. A tabela 2 apresenta os riscos de sub- e superestimacao brutos e ajustados para as categorias das variaveis independentes. Apos ajuste, os seguintes grupos apresentaram maior probabilidade de subestimar o estado nutricional: meninos, mais pobres, adolescentes que nao fizeram regime no ultimo ano e aqueles cujos pais, na sua opiniao, tambem subestimavam o estado nutricional do jovem. Por outro lado, um maior risco de superestimacao foi observado nos seguintes grupos: meninas, jovens que se sentiam discriminados por qualquer motivo no ano anterior a entrevista, com baixo nivel de percepcao de bem-estar e aqueles cujos pais tambem superestimaram o estado nutricional do jovem.

As tabelas 3 e 4 apresentam os resultados separadamente para meninos e meninas. Entre os meninos, houve uma tendencia a menor probabilidade tanto de subestimacao quanto de superestimacao entre aqueles de cor da pele parda ou mulata. Houve maior probabilidade de superestimacao entre os meninos mais pobres. Meninos que apresentaram dieta inadequada tiveram maior probabilidade de subestimar o estado nutricional. Sentirse discriminado por qualquer motivo foi associado com maior possibilidade de superestimacao entre os meninos. Quando os pais subestimavam o estado nutricional dos filhos, os mesmos tinham tendencia a subestimar o seu proprio estado nutricional. Associacao similar foi encontrada para a superestimacao (tabela 3).

As meninas pobres apresentaram maior probabilidade de subestimar o estado nutricional. Aquelas que se sentiram discriminadas no ano anterior a entrevista apresentaram maior probabilidade de superestimar seu estado nutricional. As meninas que fizeram regime no ano anterior a entrevista tiveram menor probabilidade de subestimar seu estado nutricional. Aquelas com baixa sensacao de bem-estar foram as mais propensas a superestimar seu estado nutricional. Igualmente ao observado entre os meninos, a sub- e superestimacao estiveram fortemente relacionadas a percepcao dos pais quanto ao estado nutricional dos filhos (tabela 4).

DISCUSSAO

Poucos sao os estudos em paises de renda media e baixa que tem avaliado a autopercepcao corporal e fatores associados, especialmente entre adolescentes. Uma importante caracteristica do presente estudo e a investigacao da autopercepcao corporal em uma amostra populacional. Outro aspecto positivo refere-se a alta qualidade das medidas antropometricas, coletadas por entrevistadoras treinadas e padronizadas a cada 2 meses, durante todo o trabalho de campo.

Por outro lado, o estudo apresenta algumas limitacoes metodologicas que merecem ser consideradas: o desenho do tipo transversal nao permite que se facam inferencias de causa-efeito; isso significa que nao se sabe o que ocorre primeiro nas associacoes encontradas, especialmente com relacao as variaveis mais proximais, que sao discriminacao, bem-estar e regime para emagrecer. Outra limitacao e o fato de a pergunta sobre como os pais percebem o peso do adolescente ter sido feita para o proprio adolescente, e nao para os pais. Ainda, o fato de as entrevistas terem sido realizadas no domicilio (face a face) pode, de alguma forma, ter influenciado a resposta dos adolescentes quanto a sua percepcao corporal. Entretanto, acreditamos que o trabalho tenha fornecido importantes informacoes sobre a autopercepcao corporal dos adolescentes.

Os resultados do presente estudo mostram que adolescentes de ambos os sexos apresentam algum grau de distorcao de sua imagem corporal, sendo que a subestimacao do estado nutricional e mais frequente do que a superestimacao. Entretanto, o percentual de superestimacao e quase o dobro entre as meninas, enquanto que o percentual de subestimacao e apenas um pouco maior entre os meninos. A mesma tendencia foi encontrada por Brug et al. (14), que relataram que as meninas superestimavam seu peso cinco vezes mais do que os meninos.

No presente estudo, se a classificacao do estado nutricional fosse calculada a partir da autopercepcao corporal de adolescentes de ambos os sexos, a prevalencia de baixo peso seria quase tres vezes maior; em relacao ao excesso de peso, os meninos teriam prevalencias mais baixas e, entre as meninas, essas seriam mais altas. Outro estudo (15) relatou prevalencias mais baixas tanto para baixo peso como para excesso de peso, quando aferidas a partir do peso e altura autorrelatados, para ambos os sexos.

Apenas os meninos mais pobres superestimaram seu estado nutricional. Entre as meninas essa associacao nao foi observada. Um estudo com adolescentes suecos (16) nao encontrou associacao entre distorcao de imagem corporal e situacao socioeconomica avaliada atraves da escolaridade da mae. A ausencia de associacao com o nivel socioeconomico tambem foi identificada por Pinheiro e Giugliani (17) em amostra de escolares na Cidade de Porto Alegre, no mesmo estado onde foi realizado o nosso estudo. No presente estudo, e improvavel atribuir tal resultado a possivel falta de capacidade cognitiva dos adolescentes, tendo em vista que eles foram questionados de forma muito simples sobre como se sentiam em relacao ao seu peso corporal, sendo as opcoes lidas pela entrevistadora. Nenhum tipo de imagem ou teste mais sofisticado foi aplicado. Deve-se destacar, entretanto, a heterogeneidade socioeconomica entre adolescentes brasileiros e suecos, o que poderia ajudar a explicar a discordancia entre os achados em relacao aos meninos.

Em relacao a cor, somente os meninos com cor da pele preta/negra superestimaram sua condicao nutricional. Os resultados de dois estudos de revisao com amostras representativas de adolescentes norteamericanos com idade entre 12 e 16 anos (6) mostraram inconsistencia nas associacoes entre autorrelato de peso e altura e grupos raciais.

Os meninos e as meninas que se sentiram discriminados por qualquer motivo tenderam a superestimar seu estado nutricional. Independentemente do sexo e do estado nutricional medido, aqueles que se autoperceberam como sendo muito magros/magros ou gordos/muito gordos foram tambem os que mencionaram mais a discriminacao. Particularmente, a adolescencia traz uma grande preocupacao com a imagem corporal projetada exteriormente, especialmente entre os pares. Um estudo com adolescentes japoneses e vietnamitas mostrou que as meninas preferem uma imagem corporal mais magra, ao inves da imagem corporal saudavel, e acreditam que os meninos apreciem um corpo mais magro (18).

Primariamente, o que move um individuo de qualquer idade a realizar um regime para perder peso e a insatisfacao com sua imagem corporal. Esse processo parece ser fortemente influenciado pelas mensagens transmitidas pela midia (televisao, revistas), que expoe ostensivamente imagens de modelos anormalmente magros, representando um ideal de beleza dificilmente alcancavel. Esse efeito e tao poderoso que um estudo realizado nas Ilhas Fiji (19) mostrou que, ate a chegada da televisao, em 1995, as mulheres eram encorajadas a apresentar um tipo corporal mais arredondado. Em 1998, a frequencia de dietas subiu vertiginosamente, de 0 para 69%, e, pela primeira vez, os habitantes da ilha comecaram a apresentar transtornos alimentares. Os resultados do presente estudo mostram uma associacao entre subestimar a condicao nutricional e realizar regime para emagrecimento nos 12 meses precedentes a entrevista, sugerindo uma preocupacao, ja aos 11 anos de idade, com a forma fisica. Estudos tem mostrado (5) que ate mesmo criancas com 8 anos de idade manifestam insatisfacao com seu peso corporal.

Ha indicios de que a autoestima esteja associada com o nivel de satisfacao corporal (5). No presente estudo avaliou-se apenas o nivel de bem-estar referido pelo adolescente. Os resultados apontam que as meninas que se sentem em situacao de pior bem-estar superestimam mais sua condicao nutricional. A revisao de Ricciardelli e McCabe (5) sugere que as preocupacoes com a imagem corporal sao diferentes entre meninos e meninas na faixa etaria entre 8 e 10 anos de idade.

Com relacao a percepcao dos pais quanto ao estado nutricional dos filhos (conforme relato dos proprios filhos), encontrou-se uma forte associacao (razoes de prevalencia em torno de 10) com a autopercepcao dos filhos para ambos os sexos. Isso ocorreu tanto para a subestimacao quanto para a superestimacao. Tais resultados sao consistentes com os de varios outros estudos, especialmente entre as meninas, e mostram o importantissimo papel dos pais na construcao da autoimagem e da satisfacao corporal dos filhos. Entretanto, tal associacao deve ser vista com cuidado, uma vez que a opiniao do filho sobre o que ele acredita ser a opiniao dos pais quanto a sua forma corporal pode ser influenciada pela sua propria percepcao. No estudo de revisao ja citado, Ricciardelli e McCabe (5) mostram que, entre as meninas, o desejo de ser mais magra esta relacionado com o estimulo recebido do pai e da mae para perder peso. Especialmente a mae parece ter forte influencia sobre o comportamento e as atitudes relacionadas a alimentacao de adolescentes do sexo feminino. Entretanto, outro estudo mencionado no mesmo artigo de revisao sugere que os meninos sao menos influenciados pelos pais para perder peso. A argumentacao com relacao a esse ultimo achado e de que essa tendencia talvez ocorra tendo em vista que a perda de peso entre meninos poderia leva-los a nao alcancar um padrao corporal mais bem aceito pela sociedade.

Em resumo, os nossos principais achados foram a maior tendencia de as meninas superestimarem seu estado nutricional e de os meninos subestimarem o mesmo. Alem disso, detectou-se uma forte influencia da opiniao dos pais sobre a autopercepcao de estado nutricional dos adolescentes.

Sugere-se que estudos futuros incluam, alem da autopercepcao e do estado nutricional medido, informacoes sobre o tipo corporal desejado, estado nutricional mais saudavel e formato corporal mais atraente para o sexo oposto, na opiniao dos adolescentes. Tais informacoes sao de grande relevancia para o estudo de transtornos alimentares, como anorexia e bulimia, pois a forma corporal desejada e considerada como mais atraente para o sexo oposto e um potencial fator de influencia sobre esses transtornos.

Agradecimentos. O estudo de coorte e apoiado pela Fundacao Wellcome Trust. As fases iniciais do estudo de coorte foram financiadas pela Uniao Europeia, pelo Programa Nacional para Centros de Excelencia (PRONEX) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnologico (CNPq) e pelo Ministerio da Saude do Brasil.

Manuscrito recebido em 10 de agosto de 2009. Aceito em versao revisada em 20 de dezembro 2009.

REFERENCIAS

(1.) Weinshenker N. Adolescence and body image. School Nurse News. 2002;19(3):12-6.

(2.) Sisson SB, Katzmarzyk PT. International prevalence of physical activity in youth and adults. Obes Rev. 2008;9(6):606-14.

(3.) Hallal PC, Bertoldi AD, Goncalves H, Victora CG. Prevalencia de sedentarismo e fatores associados em adolescentes de 10-12 anos de idade. Cad Saude Publica. 2006;22(6):1277-87.

(4.) Wright EJ, Whitehead TL. Perceptions of body size and obesity: a selected review of the literature. J Community Health. 1987;12(2-3): 117-29.

(5.) Ricciardelli LA, McCabe MP. Children's body image concerns and eating disturbance: a review of the literature. Clin Psychol Rev. 2001; 21(3):325-44.

(6.) Sherry B, Jefferds ME, Grummer-Strawn LM. Accuracy of adolescent self-report of height and weight in assessing overweight status: a literature review. Arch Pediatr Adolesc Med. 2007;161(12):1154-61.

(7.) WHO Expert Committee on Physical Status. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Genebra: WHO; 1995. (Technical Report Series No. 854). Disponivel em: www.who.int/childgrowth/publications/physical_status/en/index.html. Acessado em maio de 2010.

(8.) Victora CG, Araujo CL, Menezes AM, Hallal PC, Vieira MF, Neutzling MB, et al. Methodological aspects of the 1993 Pelotas (Brazil) Birth Cohort Study. Rev Saude Publica. 2006; 40(1):39-46.

(9.) Victora CG, Hallal PC, Araujo CL, Menezes AM, Wells JC, Barros FC. Cohort profile: the 1993 Pelotas (Brazil) birth cohort study. Int J Epidemiol. 2008;37(4):704-9.

(10.) Strong WB, Malina RM, Blimkie CJ, Daniels SR, Dishman RK, Gutin B, et al. Evidence based physical activity for school-age youth. J Pediatr. 2005;146(6):732-7.

(11.) Block G. Improving diet methods, improving epidemiologic methods. Ann Epidemiol. 1994;4(3):257-8.

(12.) McDowell I, Newell C. Measuring health: a guide to rating scales and questionnaires. Nova Iorque: Oxford University; 1996.

(13.) Victora CG, Huttly SR, Fuchs SC, Olinto MT. The role of conceptual frameworks in epidemiological analysis: a hierarchical approach. Int J Epidemiol. 1997;26(1):224-7.

(14.) Brug J, Wammes B, Kremers S, Giskes K, Oenema A. Underestimation and overestimation of personal weight status: associations with socio-demographic characteristics and weight maintenance intentions. J Hum Nutr Diet. 2006;19(4):253-62.

(15.) Elgar FJ, Roberts C, Tudor-Smith C, Moore L. Validity of self-reported height and weight and predictors of bias in adolescents. J Adolesc Health. 2005;37(5):371-5.

(16.) Rasmussen F, Eriksson M, Nordquist T. Bias in height and weight reported by Swedish adolescents and relations to body dissatisfaction: the COMPASS study. Eur J Clin Nutr. 2007;61(7):870-6.

(17.) Pinheiro AP, Giugliani ER. Body dissatisfaction in Brazilian schoolchildren: prevalence and associated factors. Rev Saude Publica. 2006;40(3):489-96.

(18.) Sano A, Le DS, Tran MH, Pham HT, Kaneda M, Murai E, et al. Study on factors of body image in Japanese and Vietnamese adolescents. J Nutr Sci Vitaminol (Tokyo). 2008; 54(2):169-75.

(19.) Derenne JL, Beresin EV. Body image, media, and eating disorders. Acad Psychiatry. 2006; 30(3):257-61.

Como citar

Araujo CL, Dumith SC, Menezes AMB, Hallal PC. Peso medido, peso percebido e fatores associados em adolescentes. Rev Panam Salud Publica. 2010;27(5):360-7.

Cora L. Araujo, [1] Samuel C. Dumith, [1] Ana Maria B. Menezes [1] e Pedro C. Hallal [1]

[1] Universidade Federal de Pelotas, Centro de Pesquisas Epidemiologicas. Enviar correspondencia a Samuel C. Dumith no seguinte endereco: Rua Marechal Deodoro 1160, 3 piso, 96020-220, Pelotas, RS, Brasil. E-mail: scdumith@yahoo.com.br
TABELA 1. Descricao da amostra total e autopercepcao de imagem
corporal comparativamente ao estado nutricional em adolescentes
nascidos no ano de 1993, Pelotas (RS), Brasil, 2004 e 2005

                                           Total

Variavel                           No.
                                                        %
Sexo (n= 4 452)
  Masculino                      2 192                 49,2
  Feminino                       2 260                 50,8
Cor da pele (n= 4 212)
  Branca                         2 953                 70,1
  Parda/mulata                     704                 16,7
  Preta/negra                      555                 13,2
Indice de bens (quintil)
  (n = 4 284)
  1[grados] (menor)                863                 20,1
  2[grados]                        851                 19,9
  3[grados]                        857                 20,0
  4[grados]                        857                 20,0
  5[grados]                        856                 20,0
Sedentarismo (< 300 min
  atividade/semana)
  (n = 4 289)
  Nao                            1 793                 41,8
  Sim                            2 496                 58,2
Dieta inadequada (n = 4 443)
  Nao                            3 206                 72,2
  Sim                            1 237                 27,8
Discriminacao por algum
  motivo (n = 4 435)
  Nao                            3 711                 83,7
  Sim                              724                 16,3
Regime no ultimo ano
  (n = 4 447)
  Nao                            4 067                 91,5
  Sim                              380                  8,5
Escala de bem-estar
  (n = 4 426)
  1 (mais feliz)                 2 187                 49,4
  2                              1 618                 38,0
  3 a 7                            621                 14,0
Percepcao dos pais
  sobre o Enc dos
  adolescentes
  (n = 4 423)
  Subestimam EN                  1 465                 33,1
  Concordam EN                   2 581                 58,4
  Superestimam EN                  377                  8,5
Total                                       4 452

                                 Subestimam (a)       Concordam (a)
Variavel                              (%)                  (%)

Sexo (n= 4 452)                    P < 0,001            P = 0,067
  Masculino                           24,9                 66,6
  Feminino                            20,3                 64,0
Cor da pele (n= 4 212)            P = 0,025            P = 0,019
  Branca                              22,0                 65,4
  Parda/mulata                        21,0                 68,5
  Preta/negra                         26,9                 60,9
Indice de bens (quintil)         P = 0,001 (b)        P < 0,001 (b)
  (n = 4 284)
  1[grados] (menor)                   25,9                 60,4
  2[grados]                           25,1                 62,8
  3[grados]                           21,2                 68,4
  4[grados]                           19,0                 68,9
  5[grados]                           21,6                 66,4
Sedentarismo (< 300 min            P = 0,080            P = 0,514
  atividade/semana)
  (n = 4 289)
  Nao                                 23,9                 64,8
  Sim                                 21,6                 65,8
Dieta inadequada (n = 4 443)       P = 0,268            P = 0,454
  Nao                                 22,1                 65,6
  Sim                                 23,6                 64,5
Discriminacao por algum            P = 0,394            P < 0,001
  motivo (n = 4 435)
  Nao                                 22,3                 66,4
  Sim                                 23,8                 59,4
Regime no ultimo ano               P = 0,003            P = 0,001
  (n = 4 447)
  Nao                                 23,1                 64,5
  Sim                                 16,4                 73,4
Escala de bem-estar              P = 0,067 (b)        P = 0,015 (b)
  (n = 4 426)
  1 (mais feliz)                      21,3                 66,8
  2                                   23,5                 64,7
  3 a 7                               24,2                 61,6
Percepcao dos pais                 P < 0,001            P < 0,001
  sobre o Enc dos
  adolescentes
  (n = 4 423)
  Subestimam EN                       50,9                 44,7
  Concordam EN                        8,8                  81,2
  Superestimam EN                     6,4                  36,3
Total                                 22,6                 65,3

                                 Superestimam (a)
Variavel                              (%)

Sexo (n= 4 452)                    P < 0,001
  Masculino                            8,5
  Feminino                            15,8
Cor da pele (n= 4 212)            P = 0,308
  Branca                              12,6
  Parda/mulata                        10,5
  Preta/negra                         12,3
Indice de bens (quintil)         P = 0,318 (b)
  (n = 4 284)
  1[grados] (menor)                   13,8
  2[grados]                           12,1
  3[grados]                           10,5
  4[grados]                           12,1
  5[grados]                           12,1
Sedentarismo (< 300 min            P = 0,197
  atividade/semana)
  (n = 4 289)
  Nao                                 11,3
  Sim                                 12,7
Dieta inadequada (n = 4 443)       P = 0,745
  Nao                                 12,3
  Sim                                 11,9
Discriminacao por algum            P < 0,001
  motivo (n = 4 435)
  Nao                                 11,3
  Sim                                 16,8
Regime no ultimo ano               P = 0,240
  (n = 4 447)
  Nao                                 12,4
  Sim                                 10,3
Escala de bem-estar              P = 0,230 (b)
  (n = 4 426)
  1 (mais feliz)                      11,9
  2                                   11,8
  3 a 7                               14,2
Percepcao dos pais                 P < 0,001
  sobre o Enc dos
  adolescentes
  (n = 4 423)
  Subestimam EN                        4,4
  Concordam EN                        10,0
  Superestimam EN                     57,3
Total                                 12,2

(a) Autopercepcao subestima, concorda ou supersetima o estado
nutricional medido objetivamente.

(b) Valor Ppara tendencia linear.

(c) EN = estado nutricional.

TABELA 2. Associacao da autopercepcao da imagem corporal versus
estado nutricional em adolescentes nascidos no ano de 1993,
Pelotas (RS), Brasil, 2004 e 2005

                                         Subestimam (a)

                                         Analise bruta

Nivel   Variavel                    OR (IC95%)              P

1       Sexo                                              0,023
          Masculino                     1,00
          Feminino               0,85 (0,73 a 0,98)
1       Cor da pele                                       0,017
          Branca                        1,00
          Parda/mulata           0,92 (0,75 a1,12)
          Preta/negra            1,31 (1,06 a 1,63)
1       Indice de bens                                    0,001 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)      1,32 (1,05 a 1,66)
          2[grados]              1,23 (0,98 a 1,55)
          3[grados]              0,95 (0,75 a 1,21)
          4[grados]              0,85 (0,67 a 1,08)
          5[grados]                     1,00
2       Sedentarismo                                      0,128
          Nao                           1,00
          Sim                    0,89 (0,77 a 1,03)
2       Dieta inadequada                                  0,288
          Nao                           1,00
          Sim                    1,09 (0,93 a 1,28)
2       Discriminacao por                                 0,079
          algum motivo
          Nao                           1,00
          Sim                    1,19 (0,98 a 1,45)
3       Regime no ultimo ano                              0,001
          Nao                           1,00
          Sim                    0,62 (0,47 a 0,83)
3       Escala de bem-estar                               0,033 (b)
          1 (mais feliz)                1,00
          2                      1,14 (0,97 a 1,33)
          3 a 7                  1,23 (0,99 a 1,52)
3       Percepcao dos pais                               <0,001
          sobre o EN (c) dos
          adolescentes
          Subestimam EN          10,5 (8,84 a 12,5)
          Concordam EN                  1,00
          Superestimam EN        1,62 (1,03 a 2,55)

                                         Subestimam (a)

                                         Analise ajustada

Nivel   Variavel                    OR (IC95%)              P

1       Sexo                                              0,027
          Masculino                     1,00
          Feminino               0,85 (0,73 a 0,98)
1       Cor da pele                                       0,074
          Branca                        1,00
          Parda/mulata           0,87 (0,70 a 1,07)
          Preta/negra            1,20 (0,95 a 1,50)
1       Indice de bens                                    0,001 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)      1,30 (1,03 a 1,65)
          2[grados]              1,23 (0,98 a 1,56)
          3[grados]              0,96 (0,76 a 1,22)
          4[grados]              0,86 (0,67 a 1,09)
          5[grados]                     1,00
2       Sedentarismo                   0,590              0,590
          Nao                           1,00
          Sim                    0,96 (0,82 a 1,12)
2       Dieta inadequada                                  0,113
          Nao                           1,00
          Sim                    1,15 (0,97 a 1,35)
2       Discriminacao por              0,342              0,342
          algum motivo
          Nao                           1,00
          Sim                    1,10 (0,90 a 1,35)
3       Regime no ultimo ano                              0,342
          Nao                           1,00
          Sim                    0,67 (0,49 a 0,92)
3       Escala de bem-estar                               0,646 (b)
          1 (mais feliz)                1,00
          2                      1,09 (0,91 a 1,31)
          3 a 7                  1,01 (0,78 a 1,31)
3       Percepcao dos pais                               <0,001
          sobre o EN (c) dos
          adolescentes
          Subestimam EN          10,5 (8,78 a 12,5)
          Concordam EN                  1,00
          Superestimam EN        1,54 (0,97 a 2,46)

                                         Superestimam (a)

                                         Analise bruta

Nivel   Variavel                     OR (IC95%)             P

1       Sexo                                             <0,001
          Masculino                     1,00
          Feminino               1,94 (1,60 a 2,35)
1       Cor da pele                                       0,213
          Branca                        1,00
          Parda/mulata           0,80 (0,61 a 1,04)
          Preta/negra            1,04 (0,79 a 1,39)
1       Indice de bens                                    0,099 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)      1,26 (0,94 a 1,68)
          2[grados]              1,07 (0,79 a 1,44)
          3[grados]              0,85 (0,62 a 1,15)
          4[grados]              0,97 (0,72 a 1,31)
          5[grados]                     1,00
2       Sedentarismo                                      0,336
          Nao                           1,00
          Sim                    1,10 (0,91 a 1,33)
2       Dieta inadequada                                  0,916
          Nao                           1,00
          Sim                    0,99 (0,81 a 1,22)
2       Discriminacao por                                <0,001
          algum motivo
          Nao                           1,00
          Sim                    1,66 (1,33 a 2,09)
3       Regime no ultimo ano                              0,080
          Nao                           1,00
          Sim                    0,73 (0,52 a 1,04)
3       Escala de bem-estar                               0,112 (b)
          1 (mais feliz)                1,00
          2                      1,02 (0,84 a 1,25)
          3 a 7                  1,29 (0,99 a 1,69)
3       Percepcao dos pais
          sobre o EN (c) dos                             <0,001
          adolescentes
          Subestimam EN          0,79 (0,59 a 1,05)
          Concordam EN                  1,00
          Superestimam EN        12,8 (9,93 a 16,4)

                                         Superestimam (a)

                                         Analise ajustada

Nivel   Variavel                    OR (IC95%)             P

1       Sexo                                             <0,001
          Masculino                     1,00
          Feminino               1,99 (1,64 a 2,43)
1       Cor da pele                                       0,071
          Branca                        1,00
          Parda/mulata           0,72 (0,54 a 0,95)
          Preta/negra            1,01 (0,75 a 1,37)
1       Indice de bens                                    0,054 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)      1,33 (0,98 a 1,80)
          2[grados]              1,09 (0,80 a 1,49)
          3[grados]              0,85 (0,62 a 1,16)
          4[grados]              0,98 (0,72 a 1,32)
          5[grados]                     1,00
2       Sedentarismo                                      0,587
          Nao                           1,00
          Sim                    0,95 (0,77 a 1,16)
2       Dieta inadequada                                  0,910
          Nao                           1,00
          Sim                    1,01 (0,81 a 1,26)
2       Discriminacao por                                <0,001
          algum motivo
          Nao                           1,00
          Sim                    1,55 (1,22 a 1,97)
3       Regime no ultimo ano                              0,171
          Nao                           1,00
          Sim                    0,78 (0,54 a 1,12)
3       Escala de bem-estar                               0,019 (b)
          1 (mais feliz)                1,00
          2                      1,15 (0,91 a 1,45)
          3 a 7                  1,47 (1,07 a 2,01)
3       Percepcao dos pais
          sobre o EN (c) dos                             <0,001
          adolescentes
          Subestimam EN          0,82 (0,61 a 1,09)
          Concordam EN                  1,00
          Superestimam EN        14,0 (10,7 a 18,4)

(a) Autopercepcao subestima ou supersetima o estado nutricional
medido objetivamente. O grupo cuja autopercepcao concorda com o
estado nutricional foi considerado como referencia (grupo de
comparacao). OR = razao de chances (odds ratio).

(b) Teste de tendencia linear.

(c) EN = estado nutricional.

TABELA 3. Associacao da autopercepcao da imagem corporal versus
estado nutricional em meninos nascidos no ano de 1993, Pelotas
(RS) Brasil, 2004 e 2005

                                          Subestimam (a)

                                          Analise bruta

Nivel   Variavel                      OR (IC95%)            P

1       Cor da pele                                       0,054
          Branca                         1,00
          Parda/mulata            0,70 (0,52 a 0,95)
          Preta/negra             1,05 (0,77 a 1,42)
1       Indice de bens                                    0,232 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)       1,12 (0,83 a 1,53)
          2[grados]               1,05 (0,77 a 1,44)
          3[grados]               0,78 (0,57 a 1,08)
          4[grados]               0,86 (0,63 a 1,18)
          5[grados]                      1,00
2       Sedentarismo                                      0,905
          Nao                            1,00
          Sim                     0,99 (0,81 a 1,21)
2       Dieta inadequada                                  0,053
          Nao                            1,00
          Sim                     1,24 (1,00 a 1,23)
2       Discriminacao por                                 0,812
          algum motivo
          Nao                            1,00
          Sim                     0,97 (0,72 a 1,29)
3       Regime no ultimo ano                              0,039
          Nao                            1,00
          Sim                     0,64 (0,42 a 0,98)
3       Escala de bem-estar                               0,067 (b)
          1 (mais feliz)                 1,00
          2                       1,06 (0,85 a 1,32)
          3 a 7                   1,33 (1,01 a 1,77)
        Percepcao dos pais                               <0,001
          sobre o EN (c) dos
          adolescentes
          Subestimam EN           11,1 (8,71 a 14,1)
          Concordam EN                   1,00
          Superestimam EN         1,08 (0,53 a 2,21)

                                        Subestimam (a)

                                        Analise ajustada

Nivel   Variavel                     OR (IC95%)             P

1       Cor da pele                                       0,054
          Branca                         1,00
          Parda/mulata            0,68 (0,50 a 0,94)
          Preta/negra             1,00 (0,72 a 1,38)
1       Indice de bens                                    0,135 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)       1,18 (0,86 a 1,62)
          2[grados]               1,11 (0,81 a 1,54)
          3[grados]               0,82 (0,59 a 1,14)
          4[grados]               0,89 (0,64 a 1,22)
          5[grados]                      1,00
2       Sedentarismo                                      0,767
          Nao                            1,00
          Sim                     0,97 (0,79 a 1,19)
2       Dieta inadequada                                  0,030
          Nao                            1,00
          Sim                     1,28 (1,03 a 1,60)
2       Discriminacao por                                 0,979
          algum motivo
          Nao                            1,00
          Sim                     1,00 (0,74 a 1,35)
3       Regime no ultimo ano                              0,146
          Nao                            1,00
          Sim                     0,70 (0,43 a 1,13)
3       Escala de bem-estar                               0,426 (b)
          1 (mais feliz)                 1,00
          2                       1,01 (0,78 a 1,31)
          3 a 7                   1,17 (0,84 a 1,64)
        Percepcao dos pais                               <0,001
          sobre o EN (c) dos
          adolescentes
          Subestimam EN           11,5 (8,94 a 14,7)
          Concordam EN                   1,00
          Superestimam EN         1,10 (0,54 a 2,25)

                                        Superestimam (a)

                                        Analise bruta

Nivel   Variavel                     OR (IC95%)             P

1       Cor da pele                                       0,027
          Branca                         1,00
          Parda/mulata            0,54 (0,32 a 0,92)
          Preta/negra             1,26 (0,82 a 1,95)
1       Indice de bens                                    0,005 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)       1,66 (1,02 a 2,70)
          2[grados]               1,67 (1,02 a 2,72)
          3[grados]               0,85 (0,49 a 1,48)
          4[grados]               0,94 (0,55 a 1,62)
          5[grados]                      1,00
2       Sedentarismo                                      0,648
          Nao                            1,00
          Sim                     0,93 (0,68 a 1,27)
2       Dieta inadequada                                  0,560
          Nao                            1,00
          Sim                     0,90 (0,63 a 1,28)
2       Discriminacao por                                <0,001
          algum motivo
          Nao                            1,00
          Sim                     2,07 (1,44 a 2,98)
3       Regime no ultimo ano                              0,025
          Nao                            1,00
          Sim                     0,38 (0,17 a 0,88)
3       Escala de bem-estar                               0,557 (b)
          1 (mais feliz)                 1,00
          2                       0,84 (0,59 a 1,18)
          3 a 7                   1,28 (0,84 a 1,95)
        Percepcao dos pais                               <0,001
          sobre o EN (c) dos
          adolescentes
          Subestimam EN           0,76 (0,46 a 1,24)
          Concordam EN                   1,00
          Superestimam EN         13,7 (9,32 a 20,1)

                                        Superestimam (a)

                                        Analise ajustada

Nivel   Variavel                      OR (IC95%)            P

1       Cor da pele                                       0,022
          Branca                         1,00
          Parda/mulata            0,49 (0,29 a 0,85)
          Preta/negra             1,13 (0,71 a 1,79)
1       Indice de bens                                    0,003 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)       1,74 (1,06 a 2,86)
          2[grados]               1,79 (1,09 a 2,93)
          3[grados]               0,90 (0,51 a 1,57)
          4[grados]               0,98 (0,57 a 1,67)
          5[grados]                      1,00
2       Sedentarismo                                      0,502
          Nao                            1,00
          Sim                     0,89 (0,64 a 1,24)
2       Dieta inadequada                                  0,844
          Nao                            1,00
          Sim                     0,96 (0,66 a 1,40)
2       Discriminacao por                                <0,001
          algum motivo
          Nao                            1,00
          Sim                     2,01 (1,38 a 2,93)
3       Regime no ultimo ano                              0,124
          Nao                            1,00
          Sim                     0,52 (0,23 a 1,20)
3       Escala de bem-estar                               0,259 (b)
          1 (mais feliz)                 1,00
          2                       0,92 (0,63 a 1,36)
          3 a 7                   1,47 (0,90 a 2,40)
        Percepcao dos pais                               <0,001
          sobre o EN (c) dos
          adolescentes
          Subestimam EN           0,77 (0,46 a 1,27)
          Concordam EN                   1,00
          Superestimam EN         13,2 (8,66 a 20,1)

(a) Autopercepcao subestima ou supersetima o estado nutricional
medido objetivamente. O grupo cuja autopercepcao concorda com o
estado nutricional foi considerado como referencia (grupo de
comparacao). OR = razao de chances (odds ratio).

(b) Teste de tendencia linear.

(c) EN = estado nutricional.

TABELA 4. Associacao da autopercepcao da imagem corporal versus
estado nutricional em meninas nascidas no ano de 1993, Pelotas (RS)
Brasil, 2004 e 2005

                                        Subestimam (a)

                                        Analise bruta

Nivel   Variavel                    OR (IC95%)            P

1       Cor da pele                                     0,002
          Branca                       1,00
          Parda/mulata          1,21 (0,91 a 1,64)
          Preta/negra           1,69 (1,25 a 2,29)
1       Indice de bens                                 <0,001 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)     1,64 (1,15 a 2,32)
          2[grados]             1,52 (1,08 a 2,15)
          3[grados]             1,23 (0,86 a 1,74)
          4[grados]             0,86 (0,59 a 1,25)
          5[grados]                    1,00
2       Sedentarismo                                    0,116
          Nao                          1,00
          Sim                   0,83 (0,67 a 1,05)
2       Dieta inadequada                                0,585
          Nao                          1,00
          Sim                   0,94 (0,74 a 1,19)
2       Discriminacao por                               0,005
          algum motivo
          Nao                          1,00
          Sim                   1,47 (1,13 a 1,91)
3       Regime no ultimo ano                            0,016
          Nao                          1,00
          Sim                   0,62 (0,42 a 0,92)
3       Escala de bem-estar                             0,349 (b)
          1 (mais feliz)               1,00
          2                     1,22 (0,97 a 1,53)
          3 a 7                 1,03 (0,73 a 1,46)
3       Peso percebido                                 <0,001
          pelos pais versus
          EN (c)
          Subestimam EN         9,82 (7,67 a 12,6)
          Concordam EN                 1,00
          Superestimam EN       2,30 (1,27 a 4,19)

                                        Subestimam (a)

                                        Analise ajustada

Nivel   Variavel                   OR (IC95%)             P

1       Cor da pele                                     0,082
          Branca                       1,00
          Parda/mulata          1,09 (0,81 a 1,46)
          Preta/negra           1,45 (1,05 a 1,99)
1       Indice de bens                                  0,001 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)     1,49 (1,04 a 2,14)
          2[grados]             1,43 (1,01 a 2,03)
          3[grados]             1,16 (0,82 a 1,66)
          4[grados]             0,83 (0,57 a 1,21)
          5[grados]                    1,00
2       Sedentarismo                                    0,580
          Nao                          1,00
          Sim                   0,94 (0,74 a 1,25)
2       Dieta inadequada                                0,929
          Nao                          1,00
          Sim                   1,01 (0,79 a 1,30)
2       Discriminacao por                               0,086
          algum motivo
          Nao                          1,00
          Sim                   1,28 (0,97 a 1,69)
3       Regime no ultimo ano                            0,040
          Nao                          1,00
          Sim                   0,64 (0,41 a 0,98)
3       Escala de bem-estar                             0,605 (b)
          1 (mais feliz)               1,00
          2                     1,12 (0,86 a 1,45)
          3 a 7                 0,77 (0,50 a 1,11)
3       Peso percebido                                 <0,001
          pelos pais versus
          EN (c)
          Subestimam EN         9,53 (7,39 a 12,3)
          Concordam EN                 1,00
          Superestimam EN       2,01 (1,10 a 3,70)

                                        Superestimam (a)

                                        Analise bruta

Nivel   Variavel                   OR (IC95%)             P

1       Cor da pele                                     0,819
          Branca                       1,00
          Parda/mulata          0,91 (0,66 a 1,26)
          Preta/negra           0,93 (0,64 a 1,35)
1       Indice de bens                                  0,937 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)     1,11 (0,77 a 1,60)
          2[grados]             0,81 (0,55 a 1,19)
          3[grados]             0,82 (0,56 a 1,19)
          4[grados]             0,95 (0,66 a 1,37)
          5[grados]                    1,00
2       Sedentarismo                                    0,834
          Nao                          1,00
          Sim                   0,97 (0,76 a 1,25)
2       Dieta inadequada                                0,856
          Nao                          1,00
          Sim                   1,02 (0,79 a 1,33)
2       Discriminacao por                               0,016
          algum motivo
          Nao                          1,00
          Sim                   1,43 (1,07 a 1,92)
3       Regime no ultimo ano                            0,308
          Nao                          1,00
          Sim                   0,82 (0,55 a 1,21)
3       Escala de bem-estar                             0,047 (b)
          1 (mais feliz)               1,00
          2                     1,18 (0,92 a 1,52)
          3 a 7                 1,39 (0,98 a 1,97)
3       Peso percebido                                 <0,001
          pelos pais versus
          EN (c)
          Subestimam EN         0,86 (0,60 a 1,22)
          Concordam EN                 1,00
          Superestimam EN       13,4 (9,47 a 18,8)

                                        Superestimam (a)

                                        Analise ajustada

Nivel   Variavel                    OR (IC95%)            P

1       Cor da pele                                     0,074
          Branca                       1,00
          Parda/mulata          0,86 (0,61 a 1,21)
          Preta/negra           0,96 (0,65 a 1,42)
1       Indice de bens                                  0,802 (b)
          (quintis)
          1[grados] (menor)     1,15 (0,78 a 1,69)
          2[grados]             0,83 (0,56 a 1,23)
          3[grados]             0,84 (0,57 a 1,23)
          4[grados]             0,97 (0,67 a 1,40)
          5[grados]                    1,00
2       Sedentarismo                                    0,867
          Nao                          1,00
          Sim                   0,98 (0,76 a 1,26)
2       Dieta inadequada                                0,895
          Nao                          1,00
          Sim                   1,02 (0,78 a 1,33)
2       Discriminacao por                               0,016
          algum motivo
          Nao                          1,00
          Sim                   1,44 (1,07 a1,92)
3       Regime no ultimo ano                            0,508
          Nao                          1,00
          Sim                   0,87 (0,57 a1,32)
3       Escala de bem-estar                             0,031 (b)
          1 (mais feliz)               1,00
          2                     1,30 (0,98 a1,73)
          3 a 7                 1,42 (0,96 a 2,11)
3       Peso percebido                                 <0,001
          pelos pais versus
          EN (c)
          Subestimam EN         0,84 (0,59 a 1,21)
          Concordam EN                 1,00
          Superestimam EN       13,5 (9,50 a 19,1)

(a) Autopercepcao subestima ou supersetima o estado nutricional
medido objetivamente. O grupo cuja autopercepcao concorda com o
estado nutricional foi considerado como referencia (grupo
de comparacao). OR = razao de chances (odds ratio).

(b) Teste de tendencia linear.

(c) EN = estado nutricional.
COPYRIGHT 2010 Pan American Health Organization
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2010 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:Investigacion original
Author:Araujo, Cora L.; Dumith, Samuel C.; Menezes, Ana Maria B.; Hallal, Pedro C.
Publication:Revista Panamericana de Salud Publica
Article Type:Perspectiva general de la enferm
Date:May 1, 2010
Words:7775
Previous Article:Examen de los efectos a largo plazo de Cuidate, un programa de reduccion del riesgo sexual en jovenes mexicanos.
Next Article:Desempeno cognoscitivo y mortalidad en personas mayores de 50 anos en Mexico.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2021 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters |