Printer Friendly

Performance in the auditory abilities of selective attention and hearing memory in a group of elderly with hearing aids: influence of hearing loss, age and gender/Desempenho nas habilidades auditivas de atencao seletiva e memoria auditiva em um grupo de idosos protetizados: influencia de perda auditiva, idade e genero.

* INTRODUCAO

A deficiencia auditiva, que impede o idoso de desempenhar plenamente seu papel na sociedade, e um dos mais incapacitantes disturbios de comunicacao. A presbiacusia e a perda da sensibilidade auditiva resultante do envelhecimento. Caracteriza-se por ser bilateral para sons de alta frequencia, devido a mudanca degenerativa e fisiologica do sistema auditivo [1], acompanhada de decrescimo na discriminacao da fala [2].

A deficiencia auditiva e considerada um problema de saude publica, haja vista sua prevalencia que acomete cerca de 84,2% dos idosos [3]. Para estes, a perda da sensibilidade periferica correlaciona-se com as dificuldades de reconhecimento de fala, principalmente em ambientes ruidosos [4,5]. A presbiacusia compromete a capacidade para as atividades da vida diaria dos idosos e aumenta o risco de declinio funcional.

A maneira como o sistema auditivo recebe, analisa e organiza aquilo que ouvimos e chamado de processamento auditivo [6]. A avaliacao do processamento auditivo verifica como o individuo recebe as informacoes acusticas, utilizando habilidades auditivas que sao essenciais para compreender o que se ouve [7].

O interesse na relacao entre o envelhecimento e o processamento auditivo tem sido crescente. Tal crescimento se deve a existencia de idosos que possuem integridade auditiva periferica e/ou idosos protetizados com ganho funcional do aparelho auditivo adequado para a perda auditiva, mas que apresentam manifestacoes audiologicas incompativeis com tais caracteristicas [8].

Estudos que evidenciaram que as dificuldades de reconhecimento de fala em ambientes acusticamente desfavoraveis podem estar relacionadas a perdas da capacidade de realizar o processamento auditivo dos sons associadas ao envelhecimento. Mostra-se, assim, a importancia dessas pessoas aprenderem a entender o que se escuta e nao apenas ouvir os sons, sem saber seus significados [8-10].

A tecnologia das proteses auditivas evoluiu muito nos ultimos anos, especialmente com a introducao das proteses auditivas digitais, que possibilitam regulagens personalizadas e diferentes programacoes para diferentes ambientes. Estas se destinam a fornecer a maior quantidade de informacao acustica possivel. Tal caracteristica favorece que idosos possuam ganho funcional adequado para seu tipo e grau de perda auditiva. Entretanto apesar da alta tecnologia implementada nas proteses auditivas, sabe-se que, muitos idosos permanecem com a queixa de nao compreensao da fala em ambientes acusticamente desfavoraveis, justificando-se assim a necessidade de estudar-se o desempenho do teste SSW em portugues em idosos protetizados.

Torna-se, pois, importante conhecer as associacoes entre a deficiencia auditiva e o disturbio do processamento auditivo, especialmente nos idosos, tendo em vista que, na maioria das vezes, esses disturbios nao sao perceptiveis ate que seus efeitos comprometam a comunicacao. O diagnostico precoce e a consequente intervencao causam efeitos positivamente significantes.

Partindo dos pressupostos teoricos descritos, este estudo tem por objetivo verificar se existe relacao entre o grau e a configuracao da perda auditiva, a idade e o genero no desempenho das habilidades auditivas de atencao seletiva e memoria auditiva em um grupo de idosos protetizados.

* METODO

Para esta amostra foram selecionados, nos prontuarios dos pacientes de uma instituicao privada situada na cidade de Santa Maria (RS, Brasil), no periodo de setembro de 2009 a junho de 2010, 30 idosos usuarios de aparelhos auditivos portadores de perda auditiva neurossensorial bilateral simetrica de grau leve a moderado e que aceitaram participar da pesquisa.

Para compor a amostra, os individuos foram selecionados de acordo com os seguintes criterios de elegibilidade:

--Ter idade acima de 60 anos (conforme criterios para classificacao de idoso da World Health Organization [11]);

--Apresentar perda auditiva neurossensorial de grau leve a moderado em ambas as orelhas;

--Apresentar indice de reconhecimento de fala simetrico e igual ou maior do que 72% acertos bilateralmente;

--Ser usuario de proteses auditivas intra-aurais em ambas as orelhas ha pelo menos tres meses [12];

--Nao apresentar alteracoes neurologicas (aparentes), motoras, mentais ou sindromes associadas que possam prejudicar a compreensao e realizacao das tarefas propostas.

Para a determinacao do grau de perda auditiva e suas configuracoes, foi utilizada a classificacao de Carhart, 1945 e Lloyd e Kaplan, 1978 [13]. Esta consiste na media dos limiares tonais para as frequencias de 500, 1.000 e 2.000 Hz. Foram considerados normais os resultados de 0 a 25 dB NA; perda auditiva leve, de 26 a 40 dB NA; moderada, de 41 a 55 dB NA; moderadamente severa de 56 a 70 dB NA, severa de 71 a 90 dB NA; profunda maior que 91 dB NA. Com relacao a configuracao audiometrica, considera-se as mudancas entre as oitavas de frequencia a partir de 1.000 Hz.

Foram consideradas configuracoes audiometricas ascendentes aquelas que tinham como resposta a melhora igual ou maior que 5 dB por oitava em direcao as frequencias altas; configuracao audiometrica horizontal aquelas onde os limiares auditivos alternaram melhora ou piora de 5dB por oitava em todas as frequencias; e configuracao audiometrica descendente a piora de 5 a 20 dB por oitava em direcao as frequencias altas.

A seguir serao descritos os procedimentos realizados para a avaliacao do processamento auditivo:

Foi realizada anamnese por meio de um questionario constituido por questoes fechadas, proposto por Pereira e Schochat [14] para avaliacao do processamento auditivo, sendo adaptado para idosos usuarios de aparelhos auditivos.

Tambem realizou-se a meatoscopia, com a finalidade de excluir da amostra individuos que apresentassem alguma alteracao no meato acustico externo que pudesse interferir nos resultados das avaliacoes propostas.

Na sequencia, o paciente foi submetido a avaliacao audiologica convencional que consistiu-se de: audiometria tonal liminar por via aerea e via ossea, estando os individuos fazendo uso da proteses auditivas bilaterais intra-aurais com regulagens similares em ambas as orelhas; pesquisa do limiar de reconhecimento de fala (LRF), e pesquisa do indice percentual de reconhecimento de fala (IPRF). Tambem foram realizadas as medidas de imitancia acustica, por meio da timpanometria e pesquisa dos reflexos acusticos nos modos contra e ipsilateral.

Apos, ocorreu a avaliacao do processamento auditivo que constou do seguinte teste:

Staggered spondaic word--SSW em portugues: utilizou-se como estimulos sonoros palavras dissilabicas paroxitonas, apresentadas ao individuo a 50 dB NS, com base na media dos limiares auditivos nas frequencias de 500, 1.000 e 2.000 Hz por orelha. Foram formados 40 itens com 4 palavras cada um, com total de 160 estimulos. Cada orelha foi estimulada por duas palavras, sendo que o estimulo iniciou com alternancia de orelhas. A primeira e a quarta palavra foram apresentadas de forma isolada e separadamente a cada uma das orelhas e a segunda e a terceira palavras foram apresentadas parcialmente sobrepostas. Apos, foi realizada a analise quantitativa do teste, utilizando-se a media das condicoes competitivas (DC e EC) [14]. Nesta classificacao, considera-se normal o individuo que apresenta a media DC + EC e total de acertos, maior ou igual a 90%. Individuos com escores abaixo de 90% sao considerados portadores do disturbio do processamento auditivo. Todos os individuos da amostra realizaram o teste SSW em portugues utilizando proteses auditivas bilaterais.

Este estudo faz parte do projeto de pesquisa intitulado "Eficacia da reabilitacao do processamento auditivo em um grupo de idosos usuarios de aparelhos auditivos", aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa da Universidade Federal de Santa Maria sob o processo de numero 23081.008171/2010-18 e autorizado pelos pacientes por meio da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido.

Com base nos resultados da avaliacao do processamento auditivo, foram utilizadas tecnicas de estatistica descritiva como tabelas de frequencia simples e cruzadas. Para a comparacao entre os resultados da avaliacao do processamento e o grau e a configuracao audiometrica de perda auditiva, foi utilizado o teste de Mann-Whitney. Todos os dados foram tratados estatisticamente por um profissional da area a fim de verificar a relacao entre as variaveis perda auditiva, idade, genero e o desempenho da avaliacao do processamento auditivo.

* RESULTADOS

A analise dos dados evidenciou que dos 29 (100%) idosos avaliados, 17 (58,62%) eram do genero feminino e 12 (41,38%) eram do genero masculino. As idades variaram entre 60 e 84 anos: 14 (48,28%) tinham entre 60 e 69 anos; 10 (34,48%), entre 70 e 79 anos; 5 (17,24%), entre 80 e 89 anos. Conforme os dados obtidos, constatou-se que a maioria dos idosos da amostra era do genero feminino e estava na faixa etaria de 60-69 anos.

Dos 29 idosos avaliados, constatou-se que 7 apresentaram perda auditiva de grau leve com configuracao horizontal, 4 apresentaram perda auditiva de grau leve com configuracao descendente, e 1 apresentou perda auditiva de grau leve com configuracao ascendente, 12 apresentaram perda auditiva de grau moderado com configuracao horizontal e 5 apresentaram perda auditiva de grau moderado com configuracao descendente, conforme demonstra tabela 1.

Conforme os achados, verificou-se que a maioria dos idosos apresentou perda auditiva de grau moderado com configuracao horizontal (41,38%), seguida de perda auditiva de grau leve com configuracao horizontal (24,14%), sendo que a maioria dos idosos possui grau de perda auditiva moderado, 18 (62,06%), e a configuracao audiometrica predominante foi a horizontal, 19 (65,51%).

A Tabela 2 contem os dados da analise dos resultados obtidos na avaliacao do processamento auditivo em relacao ao genero.

Os individuos do genero masculino atingiram o valor minimo de 34,25 e maximo de 98,75. A media de acertos nas respostas foi de 69,78. Os individuos do genero feminino apresentaram valor minimo de 36,25 e maximo de 98,75 acertos, com media de acertos de 78,06, estando os valores minimos e medios do genero feminino acrescidos em relacao aos do genero masculino.

Para verificar a relacao entre o grau e configuracao de perda auditiva e o desempenho na avaliacao do processamento auditivo, realizou-se a analise considerando-se grau e configuracao de perda auditiva e a media dos escores obtidos no teste SSW--total de acertos. Os resultados estao apresentados na Tabela 3.

Verificou-se que os idosos com perda auditiva de grau leve apresentaram escores significantemente melhores do que idosos com perda auditiva de grau moderado (p=0,0020). Nao houve diferenca estatisticamente significante levando-se em conta apenas as diferentes configuracoes audiometricas de perda auditiva.

A figura 1 contem a analise dos resultados obtidos no teste SSW na condicao total de acertos em relacao a idade.

Estes achados confirmam que quanto maior a idade, pior o desempenho no teste, ou seja, a idade pode influenciar no desempenho da avaliacao do processamento auditivo. Observou-se, de uma forma geral, diminuicao gradual nos escores com o aumento de idade, esta diminuicao e estatisticamente significante quando comparadas as faixas etarias de 60-69 e 80-89 (p=0,0052).

* DISCUSSAO

A obtencao de informacoes sobre o desempenho nas habilidades auditivas de atencao seletiva e memoria auditiva depende da realizacao de teste que seja sensivel para detectar comprometimento de determinadas regioes do sistema auditivo.

Na Tabela 1, no que se refere ao grau de perda auditiva dos individuos da amostra, a maior parte dos idosos avaliados apresenta perda auditiva de grau leve ou moderado, sendo que a configuracao audiometrica predominante foi a horizontal, resultados estes semelhantes aos obtidos por outros autores [3,15,16]. Este grau de perda auditiva nao impede completamente o individuo de perceber os sons ambientais, mas gera uma serie de transtornos auditivos, que com a adaptacao de proteses auditivas sao parcialmente sanados, pois as proteses auditivas amplificam o som gerado naturalmente, eliminando assim o deficit do sistema auditivo periferico, fazendo com que o sinal acustico seja melhor elaborado no sistema auditivo central.

No que se refere ao genero, conforme apresentado na Tabela 2, o genero feminino obteve escores superiores ao genero masculino, estando a media de acertos para o genero feminino em 78,09 e para o genero masculino em 69,78. A analise dos resultados evidenciou que a variavel genero nao possui diferenca estatisticamente significante nos resultados da avaliacao do processamento auditivo. Estes achados confirmam os achados dos outros autores [17,18]. Entretanto, pesquisas sobre genero e avaliacao do processamento auditivo sao controversas, devido a reduzida literatura comparativa sobre o tema e aos procedimentos utilizados para a avaliacao do processamento. Em alguns casos, porem, o que se percebe e que a maior parte das mulheres tem pior desempenho na avaliacao do processamento auditivo, talvez por serem mais longevas [19,20].

Conforme demonstrado na tabela 3, quando comparados os individuos que possuem grau leve e moderado com configuracao audiometrica horizontal (p=0,0020), bem como os individuos que possuem grau leve com configuracao horizontal e grau moderado com configuracao descendente (p=0,0014), observou-se valores minimos, maximos e medios superiores nos idosos com perda auditiva de grau leve com configuracao horizontal, sendo estas diferencas estatisticamente significantes. Tal achado corrobora com o que ja foi observado por outros autores [21,22] no que diz respeito ao grau de perda auditiva influenciar significantemente no desempenho da avaliacao do processamento auditivo, devido principalmente ao fato de quanto maior o prejuizo no sistema auditivo periferico, maior sera o disturbio auditivo central desse individuo, acarretando inclusive, deficit nas habilidades auditivas de atencao seletiva e memoria auditiva, entre outras.

Com relacao a configuracao audiometrica da perda auditiva, apesar de se ter encontrado valores medios, minimos e maximos diminuidos em configuracoes descendentes quando comparados com configuracoes ascendentes e configuracoes horizontais, estas diferencas nao foram estatisticamente significantes, desde que o grau de perda auditiva fosse o mesmo, estando o grau de perda auditiva evidentemente relacionado com o desempenho da avaliacao do processamento auditivo.

A Figura 1 contem a analise dos resultados obtidos na avaliacao do processamento auditivo em relacao a idade. Conforme os achados a faixa etaria de 60-69 anos obteve media de acertos no SSW de 84,81. De 70-79, media de acertos de 73,77. De 80-89 media de acertos de 51,39. Estes achados confirmaram que quanto maior a idade, pior o desempenho da avaliacao do processamento auditivo, havendo uma diminuicao gradual nos escores com o aumento de idade. Observou-se que houve diferencas estatisticamente significantes entre as faixas etarias de 60-69 e 80-89. Tais resultados ratificaram estudos realizados por outros autores [2,23]. Isto ocorre devido a entendermos que, quanto maior e a faixa etaria, maior e o disturbio auditivo central da populacao estudada.

A perda gradual da audicao, como ocorre na presbiacusia, leva a dificuldade crescente na comunicacao oral e ao consequente isolamento social, com implicacoes nos resultados da avaliacao do processamento auditivo, podendo atingir idosos de ambos os generos e de qualquer faixa etaria [24]. O uso adequado e uma correta adaptacao de proteses auditivas esta associado a um aumento das possibilidades de reabilitacao [25], que pode estar relacionada a possiveis melhoras no desempenho da avaliacao do processamento auditivo [24,26]. Colocacoes estas que vem ao encontro dos referidos pela amostra estudada, pois, havia idosos de ambos os generos e de diversas faixas etarias, bem como, todos os idosos faziam o uso de proteses auditivas bilaterais. Ressalva-se tambem que o nao uso das proteses auditivas pelos idosos, provavelmente, acarretaria em resultados diferentes dos encontrados pela amostra, estando esses escores piorados em relacao aos encontrados pela amostra.

Levantamos algumas hipoteses que podem explicar melhor os nossos achados:

O envelhecimento afetaria determinadas habilidades auditivas, dependendo da susceptibilidade de cada individuo;

Os comprometimentos observados em todos os idosos da amostra, nao seriam devidos exclusivamente ao envelhecimento, podendo ser decorrentes de outros problemas de saude ao longo da vida, fatores fisiologicos gerais, estilo de vida, entre outros.

O uso de proteses auditivas bilaterias, somente, nao elimina o disturbio auditivo central, e esse fato independe da perda auditiva, idade e genero.

Compreender o funcionamento da via auditiva e essencial para o conhecimento sobre como o cerebro integra e discrimina estimulos auditivos, como os sons da fala. Entender como as estruturas centrais do sistema auditivo reagem as diferentes etapas da terceira idade, bem como aos diferentes graus e configuracoes de perdas auditivas pode ajudar no desenvolvimento de metodos que garantam melhor aproveitamento para a comunicacao do individuo.

A pesquisa envolvendo a relacao entre a perda auditiva, a idade e o genero com o desempenho nas habilidades auditivas pretende compreender as possiveis mudancas relacionadas as diferentes variaveis, que ocorrem com o processo da informacao auditiva durante o envelhecimento e possivelmente contribuir no processo da comunicacao humana.

* CONCLUSAO

A partir da analise dos resultados obtidos no presente estudo, conclui-se que, as variaveis configuracao de perda auditiva e genero nao possuem relacao direta no desempenho nas habilidades auditivas. Ja as variaveis grau de perda auditiva e a idade possuem relacao no desempenho das habilidades auditivas de atencao seletiva e memoria auditiva visto que, idosos que possuem perda auditiva de grau leve, com idade entre 60-69 anos possuem melhor desempenho que os demais idosos estudados na amostra.

* REFERENCIAS

[1.] Huang T. Age-related heraring loss. Minn Med. 2007; 90 (10):48-50.

[2.] Pinheiro MMC, Pereira LD. Processamento auditivo em idosos: estudo da interacao por meio de testes com estimulos verbais e nao verbais. Rev Bras Otorrinolaringol. 2004; 70(2): 209-14.

[3.] Beria JU, Raymann BCW, Gigante LP, Figueiredo ACL, Jotz G, Roithmann R et al. Hearing impairment and socioeconomic factors: a population-based survey of an urban locality in southern Brazil. Pan Am J Public Health. 2007; 21(6): 381-7.

[4.] Pichora-Fuller MK, Stingh G. Effects of age on auditory and cognitive processing: implications for hearing aid fitting and audiologic rehabilitation. Trends in Amplification. 2006; 10(1): 29-59.

[5.] Martins JS, Jerger JF. Some effects of aging on central auditory processing. JRRD. 2005; 42 (4):25-44.

[6.] Gielow I. Escutacao: treino auditivo para a vida. Sao Paulo: Thot, 2008. 6p.

[7.] Kraus N, Banai K. Auditory-Processing malleability: focus on language and music. Current Directions in Psychological Science; 2007;16(2):105-10.

[8.] Neves VT, Feitosa MAG. Controversias ou Complexidade na relacao entre processamento temporal auditivo e envelhecimento. Rev Bras Otorrinolaringol. 2003; 2: 242-9.

[9.] Frisina DR. Speech recognition in noise and presbycusis: relations to possible neural mechanisms. Hear Res. 1997; 106: 95-104.

[10.] Versfeld NJ, Dreschler WA. The relationship between the intelligibility of time-compressed speech and speech in noise in young and elderly listeners. J Acousti Soc Am. 2002; 111(1):401-8.

[11.] WHO--World Health Organization. Ageing. Disponivel em: <http://www.shoint/topics/ageing/ en> Acesso em: 30 set 2010.

[12.] Gatehouse S. The time course and magnitude of perceptual acclimatization to frequency responses: evidence from monoaural fitting of hearing aids. J Acoust Soc Am. 1992;92(3):1258-68.

[13.] CFFa--Conselho Federal de Fonoaudiologia. Audiometria Tonal, logoaudiomatria e medidas de imitancia acustica: Orientacoes dos conselhos de fonoaudiologia para o laudo audiologico. Abril 2009. Disponivel em <http://www.fonoaudiologia.org.br/ publicacoes/eplaudoaudio.pdf> Acesso em: 05 nov 2010.

[14.] Pereira LD, Schochat E. Manual de avaliacao do processamento auditivo central. Sao Paulo: Lovise, 1997. 231 p.

[15.] Teixeira AR, Freitas CLR, Millao LF, Goncalves AK, Becker Jr B, Vieira AF et al. Relacao entre perda auditiva, idade, genero e qualidade de vida em idosos. Arq. Int Otorrinolaringol. 2008;12(1):62-70.

[16.] Almeida LG, Teixeira AR, Jotz GP, De Barba MC. Qualidade de vida de aduotos e idosos pos adaptacao de proteses auditivas. Rev Bras Soc Bras Fonoaudiol 2008, 13(4):357-61.

[17.] Almeida OP. The Mini-mental state examination and the diagnosis of dementia in Brazil. Art NeuroPsiquiatr. 1998; 56(3): 605-12.

[18.] Gordom-Salant S. Hearing loss and aging: new research findings and clinical impairment. JRRD. 2005; 42(4):9-24.

[19.] Pereira RJ, Cotta RRM, Franceschini SCC, Ribeiro RCL, Sampaio, RF, Priore SE et al. Contribuicao dos dominios fisico, social, psicologico e ambiental para a qualidade de vida global de idosos. Rev Psiquiatr Rio Gd Sul. 2006; 28(1): 27-38.

[20.] Rait G, Fletcher A, Smeeth L, Brayne C, Stirling S, Nunes M et al. Prevalence of cognitive impairment: results from the MRC trial of assessment and management of older people in th community. Age Ageing. 2005; 34(3): 242-8.

[21.] Bilton T, Ramos LR, Ebel S, Teixeira LS, Tega LP. Prevalencia da deficiencia auditiva em uma populacao idosa. O mundo da saude. 1997; 21(4):218-25.

[22.] Amaral LCG, Sena APRC. Perfil Audiologico dos pacientes da terceira idade atendidos no Nucleo de Atencao Medica Integrada da Universidade de Fortaleza. Fono Atual. 2004; 27(7): 58-64.

[23.] Kopper H, Teixeira AR, Dorneles SS. Desempenho cognitivo em um grupo de idosos: influencia da audicao, idade, sexo e escolaridade. Arq Int Otorrinolaringol. Sao Paulo, 2009;13(1):39-43

[24.] Silva AS, Venites JB, Bilton T. A relacao entre o uso do aparelho de amplificacao sonora individual AASI --e a melhora na avaliacao do processamento auditivo. Disturb Comun. 2002; 14(1): 63-89.

[25.] Megale RL, lorio MCM, Schochat E. Treinamento auditivo: avaliacao do beneficio em idosos usuarios de protese auditiva. Pro-Fono R. Atual. Cient. 2010 abr-jun;22(2):101-6.

[26.] Heine C, Browning C. Communication and psychocosial consequences of sensory loss in older adults: overview and rehabilitation directions. Disability and Rehabilitation. 2002; 24(15):763-73.

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462012005000100

RECEBIDO EM: 24/03/2011

ACEITO EM: 19/03/2012

Endereco para correspondencia: Leonardo Henrique Buss Av. Presidente Vargas, 539 Santa Maria--RS CEP: 97020-000

E-mail: lhbuss@yahoo.com.br

Leonardo Henrique Buss (1), Angela Garcia Rossi (2), Ceres Helena Buss (3), Rafael Cruz de Oliveira (4)

(1) Fonoaudiologo Clinico, Mestrando em Disturbios da Comunicacao Humana pelo Centro de Ciencias da Saude da Universidade Federal de Santa Maria--UFSM.

(2) Fonoaudiologa; Professora Adjunta do Departamento de Fonoaudiologia do Centro de Ciencias da Saude da Universidade Federal de Santa Maria--UFSM; Doutora em Disturbios da Comunicacao Humana pela Universidade Federal de Sao Paulo--UNIFESP.

(3) Fonoaudiologa; Professora Adjunta do Departamento de Fonoaudiologia do Centro de Ciencias da Saude da Universidade Federal de Santa Maria--UFSM; Doutora em Disturbios da Comunicacao Humana pela Universidade Federal de Sao Paulo--UNIFESP.

(4) Medico; Graduacao em Medicina pela Universidade Federal de Santa Maria--UFSM.

Conflito de interesses: inexistente
Tabela 1--Grau e configuracao de perda auditiva
dos componentes da amostra

Audicao                N      %

Leve horizontal        7    24,14
Leve descendente       4    13,80
Leve ascendente        1    3,44
Moderada horizontal    12   41,38
Moderada descendente   5    17,24
Total                  29    100

Legenda: N = valores absolutos; % = valores
relativos

Tabela 2--Escores da avaliacao do processamento
auditivo--Teste SSW (total de acertos) com relacao
ao sexo

Sexo        Minimo   Maximo   Media   Desvio     p valor
                                      Padrao

Feminino    36,75    98,75    78,06   17,16    0,2318 (ns)
Masculino   34,45    98,75    69,78   21,05        --

Legenda: ns = valor de p nao significante

Tabela 3--Escores do Teste SSW de acordo com o grau de
perda auditiva

Grau da perda          N    Minimo   Maximo   Media    DP

Leve horizontal        7    84,37    98,75    93,62   6,03
Leve descendente       4    67,25    90,62    82,49   11,03
Leve ascendente        1    88,37    88,37    88,37    --
Moderada horizontal    12   36,25    93,18    69,34   17,76
Moderada descendente   5    34,45    76,25    53,82   14,72
Total                  29     --       --      --      --

Legenda: GD--gravidade do desvio fonologico evolutivo;
DL--Desvio Leve; DLM--Desvio Leve-Moderado; DMG--Desvio
Moderado-Grave; DG--Desvio Grave; Teste estatistico utilizado:
Kruskal-Wal lis, nivel de significancia fixado em 0,05 (5%).
A presenca de asterisco marca os valores de p com
significancia estatistica (p<0,05).

Figura 1 - Comparacao entre escores do SSW e faixa etaria

60-69    84,81
70-79    73,77
80-89    51,39

Note: Table made from bar graph.
COPYRIGHT 2013 CEFAC - Associacao Institucional em Saude e Educacao
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2013 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Buss, Leonardo Henrique; Rossi, Angela Garcia; Buss, Ceres Helena; de Oliveira, Rafael Cruz
Publication:Revista CEFAC: Atualizacao Cientifica em Fonoaudiologia e Educacao
Date:Sep 1, 2013
Words:3819
Previous Article:Quality of life in dysphagia in Parkinson's disease: a systematic review/Qualidade de vida em disfagia na doenca de Parkinson: uma revisao...
Next Article:Average values of phrase in different severities of phonological disorder/Media dos valores da frase em diferentes gravidades do desvio fonologico...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters