Printer Friendly

PERFIL DOS USUARIOS DE CREATINA FREQUENTADORES DE ACADEMIAS DE MUSCULACAO.

INTRODUCAO

A pratica regular de atividade fisica proporciona beneficios aos praticantes. A associacao de uma vida mais ativa e a adocao de uma dieta equilibrada influencia diretamente na saude. Alem disso, a pratica de exercicios favorece o bem-estar fisico e mental, o que tem incentivado a promocao da vida saudavel (Alves e colaboradores, 2008).

Nesse sentido, as academias tem sido o alvo constante na busca nao somente de saude, mas tambem de beneficios esteticos (Silva e Colaboradores, 2010). Entretanto, essa busca descontrolada pelo fisico, pode influenciar a adocao de medidas extremas e de praticas nao saudaveis (Tahara, 2003).

Dentre essas medidas, destacam-se o uso de suplementos nutricionais, comum entre os frequentadores de academias, principalmente os praticantes de musculacao (Bacurau, 2009; Quintiliano e colaboradores, 2009).

Aliados a pouca fiscalizacao e facilidade ao acesso, o uso de suplementos alimentares sem orientacao de especialistas tem se tornado frequente (Pereira e Lajolo, 2003; Souza e colaboradores, 2007).

Dentre os suplementos mais consumidos pelos praticantes de musculacao, destaca-se a creatina, uma amina nitrogenada com grande potencial ergogenico, muito usada no ambiente das academias com a finalidade de ganho de massa muscular (Neto, 2001).

Pesquisadores ressaltam que os frequentadores de academias, em geral, sao individuos de alta escolaridade e com nivel socioeconomico elevado (Pereira e Lajolo, 2003).

Assim, provavelmente esses individuos detenham de fontes mais seguras sobre a nutricao associada a pratica de exercicios fisicos (Silva e colaboradores, 2010).

Diante do exposto, o presente estudo tem como objetivo identificar o perfil dos frequentadores de academias de musculacao consumidores de creatina.

MATERIAIS E METODOS

Estudo descritivo de corte transversal. A coleta foi realizada em academias de musculacao da cidade de Montes Claros-MG. Montes Claros e um municipio norte mineiro, com populacao de 402.027 habitantes estimada pelo IBGE em julho de 2017.

A amostra foi definida em dois estagios. O primeiro foi a selecao das academias de musculacao, as academias foram convidadas a participar da pesquisa. No segundo estagio todos os praticantes de musculacao e consumidores do suplemento creatina foram convidados a participar. Participaram da pesquisa 93 consumidores de creatina selecionados em oito academias de musculacao. Os praticantes de musculacao que aceitaram participar da pesquisa assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Os criterios de exclusao foram ter menos de 18 anos de idade e nao consumir creatina como suplementacao.

O questionario avaliou caracteristicas sociodemograficas, perfil de saude e perfil do usuario quanto ao consumo de creatina. No questionario demografico, as variaveis foram referentes ao sexo, idade, escolaridade, casa propria e renda familiar. As variaveis relacionadas ao perfil de saude foram, tabagismo, doenca diagnosticada por medico e uso regular de medicamentos. O perfil de consumo de creatina pelos praticantes de musculacao foi relacionado nas variaveis "consumo de creatina", "a forma de consumo", "o tempo de uso", "o que levou a usar" e "os resultados obtidos com o consumo".

Os dados foram analisados atraves da estatistica descritiva (frequencia e porcentagens). Foi utilizando o programa Statical Package for Social Science (SPSS), versao 18.0. O projeto dessa pesquisa foi aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa da Universidade Estadual de Montes Claros--Unimontes, com parecer consubstanciado no 2189. Todos os preceitos eticos da resolucao 466 de 2012 foram devidamente respeitados.

RESULTADOS

O presente estudo apresenta dados analisados de 93 praticantes de musculacao usuarios de creatina, distribuidos em 8 academias de musculacao.

A Tabela 1 apresenta o Sociodemografico dos praticantes de musculacao usuarios de creatina, podendo observar que mais de 63% tem idade entre 20 a 30 anos, e 91,4% dos participantes sao do sexo masculino.

Os dados da Tabela 2 mostra o perfil de saude dos praticantes de musculacao. E possivel observar que 10% faz uso regular de medicamento. A Tabela 3 indica que mais de 45% dos praticantes de musculacao faz uso continuo de creatina e quase 40% tem como objetivo o ganho de massa magra.

DISCUSSAO

Os dados do presente estudo apontam que aproximadamente 45% dos praticantes de musculacao fazem consumo continuo de creatina. A literatura apresenta que a creatina nao deve ser utilizada por um periodo muito prolongado, em suma sugere-se um mes de intervalo a cada tres meses de suplementacao (Peralta e Amancio, 2002).

No entanto esse consumo continuo foi tambem verificado no estudo de Domingues e Marins (2007) com relato de 47,5% dos avaliados. Estudo de Garrido e colaboradores (2008) na qual constataram que a maioria dos usuarios de creatina entrevistados consumia a creatina de forma continua, por ate tres meses.

Lollo (2004) apresenta dados encontrados na cidade de Campinas-SP, mostrando um percentual de 36,3% de praticantes de musculacao com idade entre 23 e 28 anos. Ja o estudo de Theodoro e colaboradores (2009) verificaram na cidade de Caxias do Sul-RS uma media de idade de 22 anos entre os frequentadores de academias.

No presente estudo, mais de 60% dos praticantes de musculacao tem idade entre 20 a 30 anos, corroborando com os estudos. Entretanto podemos observar que 91,4% desses participantes sao do sexo masculino. Estudos de Albino e colaboradores (2009) e Domingues e Marins (2007) tambem constataram a forte presenca do sexo masculino usuarios de suplementos, respectivamente 83,3% e 90,5%.

No presente estudo, 92,5% dos participantes relataram nao terem o habito de fumar e 62,4% afirmaram nao que tem o habito de consumir bebidas alcoolicas. Segundo Rodrigues e colaboradores (2008), praticantes de exercicio fisicos tendem a ter habitos de vida mais saudaveis, tendo uma baixa prevalencia do tabagismo. No entanto, essa correlacao nao tem muita significancia com o habito de consumir bebidas alcoolicas. Os dados do perfil de saude apontam que 7,5% dos praticantes de musculacao relataram possuir diagnostico clinico de alguma doenca cronico-degenerativa e o uso regular de medicamentos foi relatado por 9,7% dos entrevistados.

A respeito da forma de uso da creatina 80,2% dos entrevistados informaram consumila antes do treino e 19,8% relataram consumo apos a realizacao do treino de musculacao. Alem disso, 44,8% da amostra revelaram consumir a creatina de forma continua e 34,4% o consomem de forma esporadica. Autores chamam atencao dos usuarios de suplementos ressaltando que ao consumi-los deve-se levar em consideracao a alimentacao, intensidade e frequencia do treino afim de nao sobrecarregar o organismo ocasionando efeitos adversos associados ao excesso de nutrientes no corpo (Domingues e Marins, 2007; Garrido e colaboradores, 2008).

Com relacao aos motivos pelos quais os entrevistados utilizam da suplementacao de creatina, 39,8% afirmaram utiliza-la visando ganho de massa, 20,4% ganho de forca e 25% relataram ingeri-la afim de melhorar o rendimento.

Segundo Hirshbruch e Colaboradores (2008), o ganho de massa muscular e um dos principais motivos para os usuarios de suplementos alimentares.

No entanto Garrido e colaboradores (2008) verificaram que o principal motivo para o uso de creatina foi para o aumento da resistencia (45%) seguido de motivos esteticos (36%), incluindo hipertrofia e definicao muscular. Resultado parecido ao presente estudo foi realizado por Alencar e colaboradores (2010) em que aproximadamente 70% dos participantes consumiam suplementos no para ganho de massa muscular e 26,4% melhora de resistencia.

Quando indagados sobre a obtencao de resultados associados ao uso da creatina, 39,8% relataram que aparentemente houve um ganho de massa muscular, 20,4% ganho de forca e 28% relataram melhorias do rendimento durante o treino de musculacao. Os dados obtidos por Garrido e colaboradores (2008) tambem apresentaram que quase 60% dos usuarios de creatina afirmaram ter percebido ganho de massa muscular.

CONCLUSAO

Neste estudo, encontramos prevalencia elevada de praticantes de musculacao usuarios de creatina que consomem creatina de forma continua.

Esses resultados estao relacionados aos possiveis ganhos de massa muscular e ganho de forca desejados pelos praticantes de musculacao.

Intervencoes diretas devem ser feitas nos ambientes das academias como campanhas de esclarecimento e conscientizacao, incluindo todos os usuarios de suplementos, para que o uso de produtos, como a creatina, ocorra somente atraves de profissionais qualificados na area de nutricao esportiva, garantindo melhor confianca e menor risco para a saude dos consumidores.

REFERENCIAS

1-Albino, C.S.; Campos, P.E.; Martins, R.L. Avaliacao do consumo de suplementos nutricionais em academias de Lages, SC. EFDESPORTES.com. Revista Digital, Buenos Aires. Vol. 14. Num. 134. 2009.

2-Alves, L.F.; Abe, T.A.; Nacif, M. Academias de ginastica: objetivos, nutricao e culto ao corpo. EFDESPORTES.com, Revista Digital. Buenos Aires. Vol. 13. Num. 127. 2008.

3-Bacurau, R.F. Nutricao e suplementacao desportiva. Editora Phorte. Sao Paulo, SP, 2009.

4-Domingues, A.F.; Marins, J.C.B. Utilizacao de recursos ergogenicos e suplementos alimentares por praticantes de musculacao em Belo Horizonte-MG. Fitness & Performance. Vol. 6. Num. 4. 2007. p. 218-226.

5-Garrido, R.G.; Farias, T.C.; De Brito, C.E.; Macedo, O.M. Suplementacao de Creatina por Praticantes de Musculacao de Vitoria da Conquista-BA. Rev. Bras. Cienci. e Mov. Vol.16. Num. 4. 2008.

6-Hirschbruch, M.D.; Fisberg, M.; Mochizuki, L. Consumo de suplementos por jovens frequentadores de academias de ginastica em Sao Paulo. Rev Bras Med Esporte. Vol. 14. Num. 6. 2008.

7-Lollo, P.C.B. Perfil dos alunos das academias de ginastica de Campinas. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires. Vol.10. Num. 76. 2004.

8-Neto, T.L. A Controversia dos Agentes Ergogenicos: Estamos Subestimando os Efeitos Naturais da Atividade Fisica. Arq. Bras. Endocrinol. Metab. Vol. 45. Num. 2. 2001. p.12.

9-Peralta, J; Amancio, O.M.S. A creatina como suplemento ergogenico para atletas. Rev. Nutr. Vol. 15. Num. 1. 2002.

10-Pereira, R.F.; Lajolo, F.M. Consumo de suplementos por alunos de academias de ginastica em Sao Paulo. Rev. Nutr. Campinas. Vol. 16. Num. 3. 2003. p.44.

11 -Quintiliano, E.L. Consumo de suplemento alimentar por homens praticantes de musculacao, nas academias centrais do municipio de Guarapuava/PR. Rev. Polidisc. Eletr. Fac. Vol. 2. Num. 1. 2009. p. 3-13.

12-Rodrigues, E.S.R.; Cheik, N.C.; Mayer, A.F. Nivel de Atividade Fisica e Tabagismo Universitarios em. Rev. Saude Publica. Vol. 42. Num. 4. 2008.

13-Silva, D.A.; Santos, E.A.; Akamine, G.; Esquilarro, L.N.K.; Cotillo, T.H.C. Viebig, R.F. Profissional nutricionista no mercado de fitness e wellness: atuacao, entraves e perspectivas. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires. Vol. 15. Num. 147. 2010.

14-Souza junior, J.; Tacito, P.; Dubas, J.P.; Pereira, B.; Oliveira, P.R. Suplementacao de creatina e treinamento de forca: alteracoes na resultante de forca maxima dinamica e variaveis antropometricas em universitarios submetidos a oito semanas de treinamento de forca (hipertrofia). Rev. Bras. Med. Esporte. Vol. 13. Num. 5. 2007. p.303-309.

15-Tahara, A. K.; Silva, K.A. A pratica de exercicios fisicos na promocao de um estilo de vida ativo. Efdesportes, Revista Digital. Buenos Aires. Vol. 9. Num. 61. 2003.

16-Theodoro, H.; Ricalde, S.R.; Amaro, F.S. Avaliacao nutricional e autopercepcao corporal de praticantes de musculacao em Academias de Caxias do Sul-RS. Rev. Bras. Med. Es. Vol. 15. Num. 4. 2009. p. 291-294.

Evandro Goncalves da Cruz Junior (1)

Francielly Oliveira de Sa (1)

Luana Lemos Leao (1)

Nayra Suze Souza e Silva (1)

Grassyara Pinho Tolentino (2)

(1)-Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Montes Claros-MG, Brasil

(2)-Universidade de Brasilia (UnB), Brasilia-DF, Brasil.

E-mails dos autores:

evan_gonc@hotmail.com

fram.oliveira@gmail.com

luanalemosleao@outlook.com

nayrasusy@hotmail.com

grassyara@yahoo.com.br

Recebido para publicacao em 31/05/2018 Aceito em 05/08/2018
Tabela 1 - Sociodemografico dos praticantes de musculacao usuarios de
creatina.

Variaveis                    n   %

Sexo
Masculino                    85  91,4
Feminino                      8   8,6
Idade
Ate 20 anos                  14  15,1
Entre 20 e 30 anos           59  63,4
Entre 30 a 40 anos           17  18,3
Superior a 40 anos            3   3,2
Escolaridade
Ensino medio incompleto       2   2,1
Ensino medio completo        25  26,9
Ensino Superior              42  45,2
Pos-Graduacao                21  22,6
Mestrado                      2   2,1
Doutorado                     1   1,1
Casa propria
Sim                          66  71,0
Nao                          27  29,0
Renda Familiar
Ate 1 salario minimo          1   1,1
De 2 a 4 salarios minimo     17  18,3
De 5 a 7 salarios minimo     11  11,8
De 8 a 10 salarios minimo    16  17,2
De 11 a 13 salarios minimo   12  12,9
Acima de 14 salarios minimo  36  38,7

Tabela 2 - Perfil de saude dos praticantes de musculacao usuarios de
creatina.

Variaveis  n   %

Fumante
Sim         7   7,5
Nao        86  92,5
Bebida Alcoolica
Sim        35  37,6
Nao        58  62,4
Doenca diagnosticada por medico
Sim         7   7,5
Nao        86  92,5
Uso regular de medicamentos
Sim         9   9,7
Nao        84  90,3

Tabela 3 - Perfil dos praticantes demusculacao quanto ao consumo de
creatina.

Variaveis                           n   %
Consumo de creatina
Antes do treino                     77  80,2
Durante o treino                     4   4,2
Depois do treino                    19  19,8
A forma do consumo de creatina
Esporadico                          33  34,4
Continuo                            43  44,8
Carga de manutencao com intervalos  17  17,7
Tempo de uso da creatina
1 a 3 meses                         33  35,5
3 a 6 meses                         14  15,1
Mais de um ano                      25  26,9
O que levou a usar a creatina
Ganho de massa                      37  39,8
Ganho de forca                      19  20,4
Melhora no rendimento               26  28
Resultados obtidos com a creatina
Hipertrofia                         37  38,5
Ganho de forca                      25  26
Melhora no rendimento               13  13,5
COPYRIGHT 2018 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2018 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:da Cruz Junior, Evandro Goncalves; de Sa, Francielly Oliveira; Leao, Luana Lemos; Silva, Nayra Suze
Publication:Revista Brasileira de Nutricao Esportiva
Date:Dec 15, 2018
Words:2467
Previous Article:AVALIACAO DA INGESTAO DE PROTEINA E SUPLEMENTACAO EM PRATICANTES DE MUSCULACAO EM UMA ACADEMIA DE ERECHIM-RS.
Next Article:TEOR DE SODIO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES PROTEICOS: UMA ANALISE DA ROTULAGEM.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2021 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters |