Printer Friendly

PALAVRAS DOS EDITORES.

No presente volume da Alea, desponta em primeiro plano o Dossie dedicado aos 150 anos da publicacao de Le Spleen de Paris (1869), de Charles Baudelaire. Organizado por dois pesquisadores brasileiros e dois pesquisadores franceses, o conjunto de artigos aborda por vieses diversos a coletanea de "pequenos poemas em prosa" que constituiria um marco singular na poesia da segunda metade do seculo XIX em sua reivindicacao de uma forma nova que desse conta das experiencias de transformacao do cotidiano impostas pela "vida moderna". Como dizem os organizadores em sua apresentacao do Dossie, os textos "ratificam a importancia de Baudelaire e de seus poemas em prosa para a literatura moderna e testemunham do vigor dos estudos baudelairianos no Brasil como na Franca".

Na secao de Artigos que acompanha o Dossie, reunimos sete ensaios. Quatro circulam por temas variados da poesia, dois se interessam por problemas dos generos narrativos e um ultimo texto tem um perfil teorico-historiografico.

O primeiro dos textos voltados para o estudo da poesia apresenta os principais preceitos poeticos elaborados por Richard Wagner em seu tratado Opera and Drama (1893), bem como suas reverberacoes na poesia modernista hispano-americana, enfatizando o modo como os estudos sobre a musicalidade na poesia simbolista e modernista tem se apropriado da preceptiva musico-poetica do artista alemao para dar fundamento a suas analises. O segundo artigo e dedicado a poesia de Carlos Drummond de Andrade, em particular, a seu livro postumo O amor natural. A autora distingue como o sentimento do mundo nao e alheio ao discurso erotico do livro. Nessa linha, instaura um espaco critico que se distancia de grande parte dos comentaristas da obra do poeta brasileiro que vislumbram "o desaparecimento do mundo" e "a recusa da historia" na cena intima desse livro.

Ja o terceiro texto desse conjunto, distinguindo a potencia da palavra poetica e sua capacidade de articular logos e mitos na expressao de um universo poetico, propoe um exercicio interpretativo de um texto de Orides Fontela, "Kant (Relido)", onde se imbricam passagens Kant com a releitura do mito de Gaia e Uranos na obra de Hesiodo. E o ultimo e quarto artigo desse nucleo, trata da imitacao da forma testamentaria pela poesia medieval francesa. O autor explica o caminho que percorre o testamento poetico do final do seculo XII ate ser adaptado a lirica cortes do seculo XV pelos poemas pertencentes a querela literaria da Belle Dame sans Mercy, de Alain Chartier, especula sobre o modo como a parodia da forma testamentaria foi assumida pelos diversos generos comicos da epoca e, finalmente, fundamenta como os dois poemas longos em forma de testamento atribuidos ao poeta frances Francois Villon sao uma parodia da estrutura e das personagens do testamento amoroso da epoca.

Na sequencia, o nucleo de artigos voltados para o estudo de textos narrativos reune dois trabalhos dedicados a estudar a autoficcao e o genero testemunhal, respetivamente. No primeiro, visando a investigacao do papel do nome real de terceiros no jogo literario que enseja a autoficcao de Christine Angot, o autor coteja seus romances com correspondencias, notas e manuscritos da escritora e questiona, no nivel da recepcao, o efeito que tem um nome real identificavel na leitura do romance. O segundo artigo remete a obra testemunhal de Primo Levi e ao lugar que o escritor italiano concede a figura do estrangeiro na sua escrita. Ciente de que a percepcao do estrangeiro oscila sempre entre dois polos, identificacao e embate, a autora ilustra como, na obra de Levi, prevalece sempre a hospitalidade como motor dos relacionamentos humanos, representando em suas narrativas o encontro com o estrangeiro sob o signo oposto a qualquer conflito.

Encerra a secao e o volume um texto que reflete sobre a Teoria da Literatura de Aguiar e Silva (1976), um livro que foi referencia para geracoes de pesquisadores em Portugal e no Brasil. O artigo discute como se engendrou a matriz teorica desse programa, analisa o conceito do literario implicado nesse modelo de Historia que a Teoria da Literatura propoe e estuda as alternativas que Aguiar e Silva oferece ao catalogo periodologico das historias literarias de seu tempo, com atencao especial a sua visao do Maneirismo e do Barroco, destacando os ecos desse projeto e os retos teoricos que ainda convoca.

Como ja e habitual na revista Alea, participam como autores pesquisadores de diferentes instituicoes brasileiras (Universidade de Sao Paulo, Universidade de Campinas, Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Uberlandia, Universidade Federal do Triangulo Mineiro, Pontificia Universidade Catolica do Rio de Janeiro, Universidade Estadual de Rio de Janeiro e Colegio Pedro II do Rio de Janeiro) e do mundo. No caso do Dossie dedicado a obra de Charles Baudelaire, participam pesquisadores especialistas na obra do grande poeta frances que trabalham em diferentes instituicoes francesas (Universite Aix-Marseille, Universite Paris-Nanterre, Universite Paris Sorbonne, Institut Catholique de Paris, Universite Sorbonne Nouvelle - Paris 3 e Universite de Nantes). A todos os autores nosso agradecimento.

Ao leitor, desejamos, como sempre, uma otima leitura.

Referencias

AGUIAR E SILVA, Vitor M. de. Teoria da Literatura. Sao Paulo: Martins Fortes, 1976.

BAUDELAIRE, Charles. Le Spleen de Paris. In: Oeuvres completes de Charles Baudelaire. Tome IV. Paris: Michel Levy, 1869.

WAGNER, Richard. Opera and Drama. Tr. William Ashton Ellis. In Richard Wagner's Prose Works, vol. 2. London: K. Paul, Trench, Trubner, 1893.

Elena Palmero Gonzalez e graduada em Filologia Hispanica (1983) e doutorada em Ciencias Filologicas pela Universidad Central de Las Villas (1997). Possui estudos de posdoutorado em Literatura Latino-americana na Universite Paris IV-Sorbonne (2005-2007), na Universidade de Sao Paulo (2016) e um Estagio Senior em Yale University (2017). Atualmente, e Professora Titular de Literaturas Hispano-americanas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. E Editora chefe da revista Alea: Estudos Neolatinos. Membro do GT/ANPOLL Relacoes Literarias Interamericanas e lider do grupo de pesquisa Estudos Literarios Interamericanos e Transatlanticos (UFRJ). Atua nas linhas de pesquisa da Literatura comparada e da Historia da literatura, com enfase na literatura cubana, latino-americana e nas relacoes literarias interamericanas.

E-mail: elenacpgonzalez@gmail.com

Ana Maria Lisboa de Mello e graduada em Letras-Licenciatura em Portugues e Frances e respectivas literaturas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e Mestrado e Doutorado em Letras pela Pontificia Universidade Catolica do Rio Grande do Sul (PUCRS), na Area de Teoria da Literatura. Fez estagios de pos-doutoramento no Centre de Recherches sur l Imaginaire, na Universite Stendhal, Grenoble III (1995-96), com bolsa do CNPq, na Sorbonne Nouvelle - Paris III (2004) e na University of Toronto (2013-2014), com bolsa CAPES. E membro associada ao Centro de Literaturas e Culturas Lusofonas e Europeias (CLEPUL) da Universidade de Lisboa, e ao Centre de Recherches sur les Pays Lusophones (CREPAL) da Universite de la Sorbonne Nouvelle. Tem experiencia na area de Letras, subareas de Literatura Brasileira e Teoria da Literatura, com enfase em poesia, narrativa, teorias e criticas do imaginario. Vinculou-se em 2017 ao Programa de Pos-Graduacao em Letras Neolatinas (PPGLEN), da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e editora da revista Alea: Estudos Neolatinos.

E-mail: ana.lisboa11@gmail.com

Edson Rosa da Silva e graduado e licenciado em de Letras (Portugues-Frances) (1971) e mestrado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1977) e doutorado em Letras Modernas (Literatura Francesa) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984). Atualmente e professor Titular de Lingua e Literatura Francesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e editor da revista Alea: Estudos Neolatinos. Tem experiencia na area de Letras, com enfase em Literaturas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas: Andre Malraux, Walter Benjamin, escritura, museu imaginario e literatura magrebina.

E-mail: edsonros@gmail.com

Marcelo Jacques de Moraes e graduado em Psicologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1986), mestrado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992) e doutorado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996). E professor de literatura francesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 1994 e pesquisador o CNPq desde 2002 (atualmente 1-D). Realizou estagios de pos-doutorado na Universidade de Paris 8, com bolsa da CAPES (2003), na Universidade de Paris 7, no ambito do acordo CAPES-Cofecub (2010), e na UNICAMP (2014-2015). E editor da revista Alea: Estudos Neolatinos e atua regularmente como professor convidado da Universidade Aix-Marselha desde 2008. E professor titular de literatura francesa na Universidade Federal do Rio de Janeiro e, atualmente, recebe a bolsa Cientista do Nosso Estado (FAPERJ).

E-mail: mjdemoraes@gmail.com

Elena Palmero Gonzalez (1)

ORCID 0000-0003-2396-2539

Ana Maria Lisboa de Mello (1)

ORCID 0000-0002-0651-1974

Edson Rosa da Silva (1)

ORCID 0000-0003-2587-3804

Marcelo Jacques de Moraes (1)

ORCID 0000-0001-8695-3280

(1) Universidade Federal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, RJ, Brasil

https://dx.doi.org/10.1590/1517-106X/212912
COPYRIGHT 2019 Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Letras (UFRJ)
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Gonzalez, Elena Palmero; de Mello, Ana Maria Lisboa; da Silva, Edson Rosa; de Moraes, Marcelo Jacque
Publication:Alea: Estudos Neolatinos
Date:May 1, 2019
Words:1570
Previous Article:POR UMA RESSICNIFICACAO DA POESIA E DO LUCAR DO POETA: IN SEARCH OF A RESSICNIFICATION OF POETRY AND THE PLACE OF THE POET.
Next Article:LE SPLEEN DE PARIS: 150 ANOS/PARIS SPLEEN: 150 YEARS.

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters