Printer Friendly

Oral health status and use of dental services in battery factory workers/Condicao bucal de trabalhadores de fabricas de baterias e uso de servicos odontologicos.

INTRODUCAO

A saude e a seguranca dos trabalhadores sao de vital importancia para o bom funcionamento de todos os setores de uma empresa. Colaboradores despreparados, distraidos e nao focados em suas funcoes podem comprometer o processo de producao gerando, como consequencia, a queda da produtividade. As condicoes do meio ou do ambiente de trabalho estao intimamente relacionadas com o processo saude-doenca dessa populacao, influenciando no desenvolvimento de alteracoes e problemas bucais, como pigmentacao de dentes e mucosa, infeccoes, traumas e processos patologicos (1).

O campo da saude bucal do trabalhador, cujos principios se aproximam aos da saude do trabalhador, tem como objeto a relacao entre saude bucal e trabalho, tratando de promover, preservar e recuperar a saude bucal de populacoes inseridas nos diversos processos de trabalho contribuindo, assim, para a sua qualidade de vida (2). Desse modo, haj a vista os disturbios a saude do trabalhador decorrentes do ambiente laboral, a Odontologia do Trabalho e a especialidade odontologica imprescindivel para a harmonia do ambiente de trabalho, seja pela preservacao da saude do trabalhador, seja pela manutencao desses em suas funcoes, garantindo a produtividade da empresa. Para isso, deve-se ter conhecimento sobre os problemas bucais que podem acometer os trabalhadores, fazendo analises epidemiologicas e etiologicas, possibilitando a compreensao dos impactos bucais em sua qualidade de vida (3,4).

A boca e a porta de entrada do sistema digestorio, atuando tambem de forma auxiliar na respiracao. Em virtude de sua localizacao e das funcoes que exerce, e uma zona de absorcao, retencao e excrecao de substancias toxicas que penetram no corpo, estando sujeita a agressoes de diferentes naturezas (5). Sabe-se que, no ambiente do trabalho, o homem esta exposto a um conjunto diversificado de agentes que podem causar danos a saude. Nesse sentido, as condicoes de trabalho sao importantes para a preservacao das estruturas bucais, podendo desencadear uma serie de doencas em consequencia de exposicoes de natureza ocupacional (6).

Trabalhadores de fabricas de bateria estao expostos a nevoas acidas, decorrentes do manuseio de materiais potencialmente toxicos, dentre eles, o chumbo. Dados obtidos em estudos evidenciaram a associacao que pode existir entre exposicao ocupacional e a ocorrencia de problemas bucais em trabalhadores desse setor da industria (7-9).

Sendo assim, a finalidade do presente estudo foi avaliar as condicoes bucais de trabalhadores em duas fabricas de baterias e o uso de servicos odontologicos no municipio de Bauru, Sao Paulo.

METODOS

Um estudo transversal descritivo foi conduzido para a avaliacao das condicoes de saude bucal de trabalhadores do setor metalurgico--fabricas de baterias automotivas --e do uso de servicos odontologicos do municipio de Bauru, Sao Paulo. O protocolo de pesquisa do estudo foi aprovado pelo Comite de Etica em Pesquisa da Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de Sao Paulo (USP) (Processo no. 48495/2012).

O calculo amostral deste estudo foi realizado utilizando-se a diferenca entre duas proporcoes, com efeito de desenho de 5% e erro de 20%. Foram utilizados os dados do Levantamento Nacional de Saude Bucal SB Brasil 2010 relativos a prevalencia de bolsas periodontais (rasas e profundas--19,4%) na populacao adulta (35 a 44 anos) (10) e dados sobre a prevalencia de contaminacao por chumbo (43,4%) em trabalhadores de fabricas e de reciclagem de baterias automotivas (11). Utilizando-se esses parametros, segundo o efeito de desenho, obteve-se amostra de 134 individuos--trabalhadores de duas fabricas de bateria na cidade de Bauru, Sao Paulo.

Apos os esclarecimentos sobre os metodos, riscos e beneficios da participacao na pesquisa, os trabalhadores de ambos os generos, com idades entre 16 e 56 anos, foram incluidos na amostra apos a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os criterios de exclusao adotados foram o edentulismo total e o uso de medicamentos anti-inflamatorios, antibioticos e anticonvulsivantes.

O estudo foi composto por duas etapas: aplicacao de questionario e exame clinico, realizados em sequencia. O questionario aplicado--baseado no utilizado pelo SB Brasil 2010 (10)--foi composto por questoes sobre o uso de servicos odontologicos, sendo de facil entendimento pelos entrevistados, uma vez que as perguntas formuladas foram respondidas e devolvidas sem haver a interferencia dos pesquisadores. Os questionamentos, em um total de quatro, consistiram nas seguintes perguntas:

* Alguma vez na vida o(a) Sr(a). ja foi ao consultorio de um cirurgiao-dentista?

* Quando consultou o cirurgiao-dentista pela ultima vez?

* Onde foi a ultima consulta?

* Qual o motivo da sua ultima consulta?

Os exames clinicos foram conduzidos por dois examinadores devidamente treinados e calibrados. Foi calculado o coeficiente Kappa intraexaminador--com o re-teste em 10% da amostra (12)--, cujo resultado foi de 0,94. A coleta de dados foi realizada nas dependencias das empresas participantes, sob iluminacao natural, com auxilio de espelhos bucais planos no. 5 e sondas periodontais tipo point ball (12).

Os indices utilizados foram:

* Indice CPOD para a carie dentaria;

* Indice Periodontal Comunitario (IPC) e Perda de Insercao Periodontal (PIP) para a doenca periodontal (13); e

* Indice de Desgaste Dentario (IDD) para o desgaste dentario (14).

A analise dos dados foi realizada de forma descritiva, por meio de frequencias absolutas e relativas.

RESULTADOS

A amostra dos trabalhadores avaliados foi constituida por 88,06% de individuos do sexo masculino e 11,94% do sexo feminino, que apresentavam uma faixa etaria media de 33,20 [+ or -] 9,7 anos.

Na aplicacao do questionario--composto por questoes sobre o uso de servicos odontologicos--observou-se que a grande maioria dos trabalhadores (90,30%) ja havia frequentado um cirurgiao-dentista ao menos uma vez na vida, sendo que 55,22% tinham sido consultados ha menos de 1 ano. Os mesmos relataram que a ultima consulta foi realizada por meio de um plano de saude ou convenio (40,30%), servico particular (36,57%) ou servico publico (14,93%). Com relacao ao motivo dessa ultima consulta, 33,58% disseram que a finalidade foi realizar uma revisao (check-up) e 22,85% para realizar tratamento.

Em relacao aos dados obtidos no exame bucal, a media encontrada para o CPOD foi de 8,49 [+ or -] 5,71. A decomposicao do CPOD encontrado mostra que a media de dentes cariados foi de 0,52 [+ or -] 0,85, a de dentes perdidos de 1,75 [+ or -] 2,53 e a de dentes obturados examinados de 6,22 [+ or -] 5,03, sendo o ultimo o dado mais relevante na composicao do CPOD (Grafico 1).

Dos participantes, 12,6% se mostraram livres de carie, 29,1% apresentaram pelo menos 1 dente cariado, 52,2% apresentaram ao menos 1 dente perdido por carie e 80,6% tinham pelo menos 1 dente restaurado na boca (Grafico 2).

Segundo o IPC, o numero de sujeitos que apresentaram indice 0 (zero)--que representa nenhum problema de origem periodontal--correspondeu a 22,4% da amostra. A porcentagem de colaboradores que exibiu indice 3--correspondente a bolsa periodontal de 4 a 5 mm--foi de 17,9% e a porcentagem desses que exibiu indice 4--bolsa periodontal de 6 mm ou mais--foi de 1,5%. Nenhuma pessoa apresentou apenas sangramento gengival apos sondagem, referente ao indice 1 do IPC. Entretanto, 25% dos sujeitos avaliados mostraram sangramento apos sondagem associado a outro problema periodontal de maior gravidade. O indice 2 do IPC--que trata apenas da presenca do calculo--, foi detectado em 56,7% dos colaboradores. Todavia, a porcentagem total de calculo encontrada, seja ela associada a outro problema ou nao, foi de 75% (Grafico 3).

O indice PIP, que avalia a perda de insercao periodontal tendo como base a juncao cemento-esmalte, mostra que 73,48% da amostra observada apresentou indice 0 (zero), ou seja, perda de insercao de 0 a 3 mm, que configura uma situacao de normalidade; 22,73% apresentaram uma perda de insercao em concordancia com o indice 1--perda de insercao de 4 a 5 mm. As perdas de insercao mais severas, caracterizadas pelos indices 2--perda de insercao de 6 a 8 mm--, 3-perda de insercao de 9 a 11 mm--e 4--perda de insercao de 12 mm ou mais--representam apenas 3,79% do total dos trabalhadores avaliados respectivamente (Grafico 4).

Quando ao IDD, foi detectado desgaste das estruturas minerais dentarias em 100% dos individuos observados. Cerca de 19% da amostra apresentou dentes com desgaste tipo 1--desgaste incipiente, somente em esmalte--, 70% mostrou dentes com desgaste tipo 2--desgaste moderado, envolvendo dentina--e 11% dos trabalhadores exibiram dentes com desgaste tipo 3--desgaste severo, se estendendo ate a polpa--(Grafico 5). Dentre os dentes avaliados, os mais acometidos pelo desgaste em dentina foram os incisivos (48%), seguidos por caninos (33%), premolares (14%) e molares (5%). Com relacao ao desgaste em esmalte, apresentaram maior acometimento os incisivos (31%), seguidos pelos molares (30%), pre-molares (27%), e caninos (11%) (Grafico 5).

DISCUSSAO

Os dados obtidos revelaram que a amostra estudada foi composta predominantemente por trabalhadores do sexo masculino, provavelmente devido ao tipo do trabalho realizado na fabricacao das baterias automobilisticas. A media de idade encontrada foi de 33,20 anos--em sua maioria na faixa etaria entre 20 e 40 anos--, o que condiz com 78% dos participantes da pesquisa. Em 2011, o Ministerio do Trabalho e Emprego, citando levantamento realizado em 2009 pela Relacao Anual de Informacoes Sociais (RAIS) (15), relatou que a maior parcela de trabalhadores ativos no Brasil esteve situada na faixa entre 30 e 39 anos, demonstrando que a amostra estudada neste trabalho pertence a um grupo de pessoas que se encontra em plena atividade laborativa e, portanto, sujeita aos acidentes e as doencas causadas pelas condicoes de trabalho.

A utilizacao de servicos esta associada a diversos fatores, tais como o nivel economico, educacional e social, bem como padroes de cultura e tradicao popular (16). Nessa pesquisa, no questionario aplicado sobre o uso de servicos odontologicos, 76,86% dos trabalhadores afirmaram terem consultado um cirurgiao-dentista ha menos de 2 anos. Apenas 10% dos sujeitos relataram que a ultima consulta ao dentista foi por motivo de dor, 34% passaram por consulta de rotina (check-up) e 30% por tratamento que nao fosse extracao. Isso pode sugerir que o tipo de tratamento que os funcionarios buscam esta relacionado a estetica. Embora as diferencas nas necessidades em saude nao sejam eliminadas apenas com o uso de servicos de saude, e inegavel que o acesso a servicos de qualidade pode amenizar condicoes desfavoraveis de saude nas populacoes.

Em relacao a carie dentaria, a media do CPOD encontrada nos trabalhadores foi de 8,49; para a faixa etaria padrao dos estudos nacionais--35 a 44 anos--encontramos a media de 10,49. Esse dado demonstra que a condicao bucal apresentou-se melhor do que a encontrada nos levantamentos SB Brasil 2003 (17) e SB Brasil 2010 (10) para a mesma faixa etaria, cujas medias foram de 20,13 e 16,75, respectivamente. Outro dado que revela a melhor condicao dos trabalhadores estudados nesta pesquisa e o numero de individuos livres de carie, 12,6% da amostra. O projeto SB Brasil 2010 constatou que apenas 0,9% do total de pessoas entre 35 e 44 anos mostrava-se com CPOD igual a 0 (zero).

Quanto aos componentes do indice CPOD, o que se mostrou mais expressivo na amostra estudada foi a quantidade de dentes restaurados, sendo que 80,6% dos sujeitos tinham pelo menos 1 dente restaurado na boca, estando esses resultados de acordo com outras pesquisas que avaliaram a mesma faixa etaria (18,19). As melhores condicoes de saude bucal em relacao a carie encontradas na amostra do presente estudo podem ser explicadas pelo fato das duas fabricas pesquisadas possuirem programa de saude bucal, no qual os funcionarios recebem tratamento gratuito para procedimentos menos complexos.

Foi observada maior prevalencia de carie dentaria e dentes perdidos por carie em individuos com faixa etaria mais avancada, quando comparados com aqueles de idade inferior, seguindo o achado de outros pesquisadores (20). A media mais baixa para CPOD (1,67) foi apresentada pelos individuos com idades entre 16 e 19 anos. Alguns autores afirmam que houve uma queda na prevalencia de carie dentaria em varios paises nas ultimas decadas, apontando que a prevalencia da carie diminui a medida que melhora a condicao socioeconomica, mesmo em areas sem a adicao de fluor a agua de abastecimento publico (21,22). Como consequencia disso, atualmente ha um maior numero de jovens e adultos jovens livres de carie ou com niveis de CPOD baixos (23,24). Portanto, o que se pode inferir e que as diferencas de CPOD entre as faixas etarias podem ser resultado de mudancas historicas ocorridas na sociedade e tambem em razao das diferencas entre os niveis socioeconomicos.

As condicoes do ambiente e de determinados tipos de trabalho podem influenciar a saude dos tecidos periodontais. Alguns estudos investigaram a exposicao a produtos acidos no ambiente de trabalho como sendo um fator de risco ao desenvolvimento de alteracoes no periodonto e observaram associacao positiva entre essa exposicao e problemas ocorridos nos tecidos de sustentacao, como sangramento gengival e bolsas periodontais (8,25,26).

Quanto as condicoes gengivais, os dados encontrados nos colaboradores das empresas revelam que 22,4% da amostra esteve livre de qualquer problema periodontal. Observou-se grande prevalencia de calculo dentario, porem, pequena quantidade de sujeitos com bolsas profundas. Esses achados estao em concordancia com outros trabalhos nacionais (27,28). Os resultados encontrados no presente estudo, quando comparados aos encontrados no levantamento SB Brasil 2010 na mesma faixa etaria, mostram que a condicao periodontal desses trabalhadores e melhor do que a da media nacional da populacao que se encontra em atividade laborativa para todas as categorias desse indice (10). Porem, quando comparamos os resultados com o levantamento SB Brasil 2003, observou-se que a condicao periodontal piorou de 2003 para 2010. Esse fato pode ter relacao com a forma do envelhecimento da populacao brasileira (17,28,29).

Para o desgaste dentario, 100% da amostra apresentou algum tipo de desgaste nos dentes. Contudo, estava presente de forma leve e moderada em 89%, sugerindo que sua causa seja fisiologica, pois e um processo natural, que pode ocorrer com o envelhecimento (30,31). Em contraposicao, alguns autores afirmam que a exposicao ocupacional a nevoas acidas atinge o tecido dentario e pode causar perda mineral, demonstrando que esses riscos podem estar mais relacionados as industrias de bateria e de galvanizacao (6,32).

Autores afirmam que a exposicao constante aos produtos quimicos do ambiente de trabalho esta fortemente associada a uma erosao dentaria severa, sendo possivel observar areas com presenca de dentina secundaria e tambem areas afetadas localizadas na regiao da polpa (33). No presente estudo, apenas 11% dos trabalhadores apresentaram desgaste severo, representando somente 2,5% do total de dentes avaliados, sendo o grupo dentario mais acometido o dos incisivos, tanto em esmalte quanto em dentina. Essas evidencias sugerem que o desgaste apresentado por esses individuos nao tem relacao com a atividade realizada no trabalho. Estudos afirmam que o estresse ocupacional e um problema que pode estar associado ao surgimento de diversos processos patologicos bucais, sendo um deles o desgaste dentario (34).

CONCLUSOES

Conclui-se que a condicao bucal dos trabalhadores avaliados neste estudo demonstrou-se favoravel, fato que pode ser explicado devido a assistencia odontologica oferecida pelas empresas pesquisadas, na qual os funcionarios receberam tratamento para procedimentos menos complexos.

Recebido: 28/07/2015

Aceito: 15/09/2015

Fonte de financiamento: nenhuma

REFERENCIAS

(1.) Peres AS, Olympio KPK, Cunha LSC, Bardal PAP. Odontologia do Trabalho e Sistema Unico de Saude: uma reflexao. Rev ABENO. 2004;4(1):38-41.

(2.) Araujo ME, Marcucci G. Estudo da prevalencia das manifestacoes bucais decorrentes de agentes quimicos no processo de galvanoplastia: sua importancia para a area de saude bucal do trabalhador. Odontologia e Sociedade. 2000;2(1/2):20-5.

(3.) Araujo ME, Gonini Junior A. Saude bucal do trabalhador: os exames admissional e periodico como um sistema de informacao em saude. Odontologia e Sociedade. 1999;1(1/2):15-8.

(4.) Macedo IAB, Costa SS. Saude bucal e sua influencia na qualidade de vida do trabalhador: uma revisao de artigos publicados a partir do ano de 1990. Rev Bras Med Trab. 2015;13(1):2-12.

(5.) Aznar-Longares G, Nava R. Riesgos bucodentales de los trabajadores. Practica Odontologica. 1988;9:10-18.

(6.) Vianna MIP, Santana VS. Exposicao ocupacional a nevoas acidas e alteracoes bucais: uma revisao. Cad Saude Publica. 2001;17(6):1335-44.

(7.) Petersen PE, Gormsen C. Oral conditions among German battery factory workers. Community Dent Oral Epidemiol. 1991;19(2):104-6.

(8.) Almeida TF, Vianna MIP, Santana VS, Gomes Filho IS. Occupational exposure to acid mists and periodontal attachment loss. Cad Saude Publica. 2008;24(3):495-502.

(9.) Spinola AG, Prata PR. Uso de biomarcadores como indicadores do historico de exposicao ocupacional ao chumbo. Rev Bras Med Trab. 2009;4,5,6:39-45.

(10.) Brasil. Ministerio da Saude. Secretaria de Atencao a Saude/ Secretaria de Vigilancia em Saude. SBBrasil 2010: Pesquisa Nacional de Saude Bucal--Resultados Principais. Brasilia: Ministerio da Saude, 2011. 92 p.

(11.) Minozzo R, Wagner SC, Santos CH, Deimling LI, Mello RS. Prevalencia de anemia em trabalhadores expostos ocupacionalmente ao chumbo. Rev Bras Hematol Hemoter. 2009;31(2):94-7.

(12.) Landis JR, Koch GG. Biometrics. The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics. 1977;33(1):159-74.

(13.) World Health Organization (WHO). Oral health surveys: basic methods. Geneva: WHO; 1997.

(14.) Sales-Peres SHC, Goya S, Araujo JJ, Sales-Peres A, Lauris JR, Buzalaf MA. Prevalence of dental wear among 12-year-old Brazilian adolescents using a modification of the tooth wear index. Public Health. 2008;122(9):942-8.

(15.) Brasil. Ministerio do Trabalho e Emprego. Manual de Orientacao da Relacao Anual de Informacoes Sociais (RAIS): ano-base 2011. Brasil: MTE, SPPE, DES, CGET; 2012. 60 p.

(16.) Camargo MBJ, Dumith SC, Barros AJD. Uso regular de servicos odontologicos entre adultos: padroes de utilizacao e tipos de servicos. Cad Saude Publica. 2009;25(9):1894-906.

(17.) Brasil. Ministerio da Saude/Secretaria de Atencao a Saude. Projeto SBBrasil 2003: condicoes de saude bucal da populacao brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasilia: Ministerio da Saude, 2004. 68 p.

(18.) Silva DD, Sousa MLR, Wada RS. Saude bucal em adultos e idosos na cidade de Rio Claro, Sao Paulo, Brasil. Cad Saude Publica. 2004:20(2):626-31.

(19.) Batista MJ, Silva DD, Sousa MLR. Saude bucal em uma populacao de adultos no municipio de Paulinia, Sao Paulo. Rev Odontol UNESP. 2010;39(4):185-91.

(20.) Frazao P, Antunes JLF, Narvai PC. Perda dentaria precoce em adultos de 35 a 44 anos de idade. Estado de Sao Paulo, Brasil, 1998. Rev Bras Epidemiol. 2003;6(1):49-57.

(21.) Jones CM, Worthington H. Water fluoridation, poverty and tooth decay in 12-year-old children. J Dent. 2000;28(6):389-93.

(22.) Marcenes W, Bonecker MJS. Aspectos epidemiologicos e sociais das doencas bucais. In: Lascala NT. Promocao de saude bucal na clinica odontologica. Sao Paulo: Artes Medicas; 2000.

(23.) Cypriano S, Sousa MLR, Rihs LB, Wada RS. Saude bucal dos pre-escolares, Piracicaba, Brasil, 1999. Rev Saude Publica. 2003;37(2):247-53.

(24.) Marthaler TM. Changes in dental caries 1953-2003. Caries Res. 2004;38(3):173-81.

(25.) Tuominen ML. Occurrence of periodontal pockets and oral soft tissue lesions in relation to sulfuric acid fumes in the working environment. Acta Odontol Scand. 1991;49(5):261-6.

(26.) Amin WA, Al-Omoush SA, Hattab FN. Oral health status of workers exposed to acid fumes in phosphate and battery industries in Jordan. Int Dent J. 2001;51(3):169-74.

(27.) Gesser HC, Peres MA, Marcenes W. Condicoes gengivais e periodontais associadas a fatores socioeconomicos. Rev Saude Publica. 2001;35(3):289-93.

(28.) Abreu MH, Pereira MLS, Marasco AM, Silva MRP, Tavares AQST, Miyazaki LCY, et al. Contaminacao por chumbo em Bauru: vigilancia sanitaria e acoes ambientais no periodo de 2002 a 2007. Saude e Sociedade. 2009;18(Suppl 1):83-84.

(29.) Gaiao LR, Almeida MEL, Heukelbach J. Perfil epidemiologico da carie dentaria, doenca periodontal, uso e necessidade de protese em idosos residentes em uma instituicao na cidade de Fortaleza, Ceara. Rev Bras Epidemiol. 2005;8(3):316-23.

(30.) Walters PA. Dentinal hypersensitivity: a review. J Contemp Dent Pract. 2005;6(2):107-17

(31.) Bartlett D. A new look at erosive tooth wear in elderly people. J Am Dent Assoc. 2007;138:21S-5S.

(32.) Wiegand A, Attin T. Occupational dental erosion from exposure to acids: a review. Occup Med (Lond). 2007;57(3):169-76.

(33.) Kim HD, Hong YC, Koh DH, Paik DI. Occupational exposure to acidic chemicals and occupational dental erosion. J Public Health Dent. 2006;66(3):205-8.

(34.) Macedo IAB, Oliveira CCC, Costa SS, Silva AM. Manifestacoes orais do estresse ocupacional: revisao de literatura. Full Dent Sci. 2010;0:276-81.

Endereco para correspondencia: Fabio Duarte da Costa Aznar Departamento de Odontopediatria, Ortodontia e Saude Coletiva, Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de Sao Paulo (USP) Alameda Octavio Pinheiro Brisolla, 9-75--CEP: 17012-901--Bauru (SP), Brasil E-mail: fabio@aznar.com.br

Fabio Duarte da Costa Aznar [1], Bruno Calzavara [1], Adriana Rodrigues de Freitas [1], Fabiano Duarte da Costa Aznar [1], Silvia Helena de Carvalho Sales-Peres [1], Arsenio Sales-Peres [1]

Trabalho realizado no Departamento de Odontopediatria, Ortodontia e Saude Coletiva, Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de Sao Paulo (USP) Bauru (SP), Brasil.

[1] Departamento de Odontopediatria, Ortodontia e Saude Coletiva, Faculdade de Odontologia de Bauru, USP--Bauru (SP), Brasil.

DOI: 10.5327/Z1679-443520163415
Grafico 1. Media de dentes cariados, perdidos, obturados e
escore geral do indice de carie dentaria.

Cariados    0,52
Perdidos    1,75
Obturados   6,22
CPOD        8,49

Note: Table made from bar graph.

Grafico 2. Distribuicao das condicoes da coroa em relacao a
carie dentaria.

Dente perdido      80,60%
Livre de carie     12,60%
Dente cariado      29,10%
Dente restaurado   52,20%

Note: Table made from pie chart.

Grafico 3. Indice Periodontal Comunitario.

Bolsa 6mm ou mais   56,72%
Bolsa 4 a 5 mm      22,39%
Calculo              1,49%
Sangramento         17,91%
Higido

Note: Table made from pie chart.

Grafico 4. Perda de Insercao Periodontal.

0-3 mm              73,48%
4-5 mm              22,73%
[greater than
or equal to] 6 mm    3,79%

Note: Table made from pie chart.

Grafico 5. Severidade do desgaste dentario observado em
100% dos trabalhadores

Severo em dentina
ate a polpa           11,00%
Moderado em dentina   70,00%
Esmalte               19,00%

Note: Table made from pie chart.
COPYRIGHT 2016 Associacao Nacional de Medicina do Trabalho
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:ARTIGO ORIGINAL
Author:Aznar, Fabio Duarte da Costa; Calzavara, Bruno; de Freitas, Adriana Rodrigues; Aznar, Fabiano Duarte
Publication:Revista Brasileira de Medicina do Trabalho
Date:Jul 1, 2016
Words:3653
Previous Article:Lumbar dynamometry: a functional test for the torso/Dinamometria lombar: um teste funcional para o tronco.
Next Article:Absenteeism and aging in the military police workforce/Absenteismo e envelhecimento no contexto ocupacional do Policial Militar.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters