Printer Friendly

Nutritional value, physical and physical chemical characterization of the jenipapo (Genipa americana L.) from cerrado of Minas Gerais/Valor nutricional, caracterizacao fisica e fisico-quimica de jenipapo (Genipa Americana L.) do cerrado de minas gerais.

INTRODUCAO

O Cerrado E considerado o maior bioma de Minas Gerais e o segundo do Brasil, perdendo em tamanho somente para a Floresta Amazonica. E o bioma mais caracteristico e proprio do pais, que ocupa cerca de dois milhoes de quilometros quadrados, o que representa 25% do territorio nacional. (GUARIN NETO; MORAIS, 2003).

Nas ultimas dEcadas, o Cerrado tem sofrido intensa degradacao, de forma que a expansao agricola, com extensas pastagens e grandes monoculturas, despreza a vegetacao nativa e colabora com a reducao da cobertura original, contribuindo assim com a reducao de sua biodiversidade. (BRASIL, 2004).

O bioma Cerrado e conhecido como o de maior biodiversidade do planeta, sendo considerado um hotspot, ou seja, um dos ambientes mais ricos e ameacados do mundo. (GUARIN NETO; MORAIS, 2003). Essa biodiversidade se destaca devido as inumeras espEcies nativas pouco conhecidas que fornecem frutos com caracteristicas peculiares e que podem assumir um importante papel na sobrevivencia de populacoes nativas. (SANTOS, 2001; VIEIRA et al., 2006).

A utilizacao dos frutos encontrados no Cerrado pode influenciar tanto a situacao economica da populacao, com a comercializacao in natura ou processada dos frutos, como tambEm na questao nutricional, atravEs de seu consumo, contribuindo assim com a reducao da inseguranca alimentar. (SILVA, 2001).

Entre as especies frutiferas encontradas no Cerrado, destaca-se a Genipa Americana L., originaria da America Central, mas disseminada pelas diversas regioes tropicais umidas das AmEricas, Asia e Africa, sendo popularmente conhecida como jenipapo ou jenipa. (ANDRADE, 2000; SILVA, 2001).

Os frutos sao bagas globosas, de cor parda e casca fina, solta e enrugada, a polpa possui cor parda, suculenta, de sabor e odor pronunciado e caracteristico, com sementes fibrosas e achatadas. (SOUZA, 2007). Podem ser consumidas tanto de forma in natura como sob a forma de diferentes produtos, dentre eles se destacam a compota, doces, sorvete, suco, licor e vinho. (PRUDENTE, 2002; SANTOS, 2001).

Diante da importancia da valorizacao dos frutos nativos do Cerrado e com a finalidade de contribuir para o conhecimento da composicao nutricional do jenipapo, o presente estudo analisou o valor nutricional e realizou a caracterizacao fisica e fisico-quimica de frutos de jenipapo do Cerrado de Minas Gerais.

MATERIAIS E METODOS

Os frutos foram coletados, em epoca de safra (marco a maio de 2010), de arvores adultas, em areas de vegetacao nativa com formacao tipica de Cerrado no municipio de Curvelo (latitude sul 18[degrees]45' e longitude oeste 44[degrees]25'), Minas Gerais, Brasil. Para obtencao de tres repeticoes, a area de coleta foi dividida em sub-areas, sendo em cada sub-area coletados aproximadamente 3 kg de frutos apos o amadurecimento e queda natural do jenipapeiro. Apos a colheita, imediatamente sem refrigeracao os frutos foram acondicionados em caixas de isopor e transportados via terrestre ao laboratorio em um periodo maximo de 48 horas apos coleta.

No laboratorio os frutos foram selecionados quanto ao grau de maturacao e injurias, no qual foram escolhidos frutos com casca de cor pardo-escura, enrugada e polpa mole. Em seguida, foram lavados em agua corrente para eliminacao de sujidades superficiais provenientes do local de coleta e secos com papel toalha.

Para caracterizacao fisica, dez frutos de cada um dos tres lotes foram pesados individualmente em balanca semi-analitica, e seu comprimento e diametro aferidos com auxilio de paquimetro digital. A porcao comestivel de cada fruto (polpa) foi obtida apos a remocao da pele e sementes com auxilio de faca inoxidavel, e, posteriormente, pesada em balanca semi-analitica. Para calculo do rendimento da polpa utilizou-se a formula (PP/PT) * 100, em que PP (Peso da polpa) e PT (Peso total do fruto).

A polpa de cada um dos lotes foi homogeneizada em processador domestico de alimentos, acondicionada em sacos plasticos e armazenada em freezer a--18[degrees]C para analises posteriores, que aconteceram em no maximo 3 dias.

As determinacoes de acidez total titulavel, solidos soluveis totais e pH da polpa foram realizadas de acordo com as Normas do Instituto Adolfo Lutz (2005). As analises de umidade, cinzas, lipidios, proteinas e carboidratos foram realizadas conforme metodologia da AOAC (1998). A determinacao de fibra alimentar total foi feita pelo metodo gravimetrico nao-enzimatico de acordo com o metodo de Li & Cardoso, modificado por Guerra et al. (2004).

O valor energetico total da polpa foi estimado utilizando-se os valores de conversao para carboidratos (4,0 kcal/g), lipidios (9,0 kcal/g) e proteinas (4,0 kcal/g). (BRASIL, 2003). As analises foram realizadas em tres repeticoes.

Foi utilizado o delineamento experimental inteiramente casualizado com tres repeticoes, representadas pelos lotes. Os dados foram armazenados em planilhas utilizando o programa Microsoft Office Excel, versao 2007. Para o calculo das medias, desvios padroes e amplitude dos parametros foi utilizado o software SAS (Statistical Analisys System), versao 9.4 (2002-2003), licenciado para a UFV.

RESULTADOS E DISCUSSAO

Os dados referentes as caracteristicas fisicas dos frutos de jenipapo analisados no presente estudo podem ser observados na Tabela 1.

Os frutos apresentaram formato oval, com casca fina, escura, rugosa, murcha e bastante umida, com polpa pardo-clara e numerosas sementes pardas (Figura 1). O peso medio encontrado foi de 283,42 g, composto por 47,37% de polpa; 38,29% de sementes e 14,34% de casca. Verificou-se que o peso mEdio dos frutos foi superior ao relatado por Santos (2001), 218,96 g; Fonseca et al. (2003), 254,59 g e Souza (2007), 252,89g; caracteristica importante para o mercado de frutas frescas, ja que frutos de peso mais elevado sao mais atrativos ao consumidor. (SOUZA, 2007).

Nos frutos avaliados observou-se rendimento da porcao comestivel de 48,00%, resultado inferior ao encontrado por Souza (2007), que analisou o rendimento de polpa de jenipapos coletadas na cidade de Ilheus-BA e encontrou 65,61%. A avaliacao do rendimento de frutos E considerado um atributo de qualidade, especialmente para aqueles utilizados na elaboracao de produtos. (CHITAR-RA; CHITARRA, 2005).

Na Tabela 2, encontram-se as caracteristicas quimicas e o valor nutricional da polpa de jenipapo. Quanto ao teor de solidos soluveis totais, observou-se media de 11,40 [sup.o]Brix, valor inferior aos 18,34 [sup.o]Brix relatado por Santos (2001), aos 18,49 [sup.o]Brix encontrado por Souza (2007) e aos 16,99 [sup.o]Brix citado por Hansen et al. (2008) em estudo com frutos de mesma variedade, coletados no estado da Bahia. A diferenca do teor de solidos soluveis totais encontrada no presente estudo, em relacao aos outros experimentos relatados, pode ser justificada pelo grau de maturacao dos frutos utilizados no momento da analise.

O teor de solidos soluveis totais E utilizado como indice dos acucares totais em frutos e pode indicar seu grau de maturidade. Logo, sua afericao se torna de grande importancia, tanto para avaliacao do consumo da fruta in natura, como para o processamento, pois elevados indices de solidos soluveis totais proporcionam melhor sabor e maior rendimento do fruto na elaboracao de produtos. (ARAUJO, 2001; SOUZA, 2007).

A polpa de jenipapo apresentou teor de acidos totais titulaveis de 3,33 g de acido citrico/100g, valor superior ao encontrado por Souza (2007), que observou conteudo de 0,71 g de acido citrico/100 g e por Hansen et al. (2008), que obteve media de 1,41 g de acido citrico/100 g. O teor de acidos totais titulaveis tambem foi superior aos valores que classificam os frutos como de sabor moderado e aceito pelo consumidor que devem conter entre 0,08 a 1,95%. (PAIVA et al., 1997). Um dos criterios utilizados para a classificacao de frutos quanto ao sabor E o conteudo de acidos totais titulaveis, que no caso da polpa de jenipapo foi elevado, o que pode levar a uma reduzida aceitacao do fruto em sua forma in natura.

A relacao solidos soluveis totais/acidez total titulavel (SST/ATT) da polpa foi baixa, sendo mais indicada para a producao de sucos, nectar e polpas congeladas. Conforme Chitarra & Chitarra (2005) a relacao SST/ATT esta relacionada com a qualidade do fruto em termos de maturidade e sabor, evidenciando o equilibrio entre os acucares e acidez, tornando-o mais agradavel ao paladar.

Em relacao ao pH, a polpa apresentou valor medio de 3,87. O teor encontrado foi semelhante aos relatados por Santos (2001), que observou pH de 3,60; Fonseca et al. (2003), que encontraram 3,52; e Hansen et al. (2008), que relataram media de 3,42. Baixos valores de pH sao indesejados para o consumo in natura do fruto, mas sao indicados pela legislacao como um atributo de qualidade, por favorecer a conservacao da polpa evitando o desenvolvimento de alguns microrganismos. (SILVA, 2001).

O teor de umidade foi semelhante ao observado por Andrade et al. (2003) e Torres (2006) que relataram 81,56 e 81,28 % em polpa de jenipapo oriundo do estado de Pernambuco, mas foi superior aos 73,80 e 74,00% encontrado por Santos (2001) e Souza (2007), em polpa de mesma variedade oriunda do estado da Bahia. O elevado teor de umidade, juntamente com a fragilidade da casca torna esse fruto altamente susceptivel a deterioracao enzimatica e microbiana, o que dificulta sua conservacao, comprometendo assim em sua qualidade.

O conteudo de fibra alimentar total observado em nosso estudo foi inferior aos 9,40 g/100g relatado em Brasil (2002) e aos 2,08 g/100g encontrados por Torres (2006). O teor de lipidios foi semelhante aos 1,55 g/100g observado por Andrade et al. (2003) em estudo com polpa de jenipapo coletado no estado do Pernambuco, mas foi superior aos 0,30 g/100g encontrados por Brasil (2002).

O teor de proteinas encontrado no presente estudo foi superior aos 0,72 g/100g encontrado por Andrade et al. (2003) e aos 0,04g/100g relatado por Torres (2006), mas inferior ao observado em Brasil (2002) (5,20 g/100g).

O teor de carboidratos observado em nosso estudo foi superior ao relatado por Torres (2006) (4,55 g/100g), mas inferior ao observado por Brasil (2002) (25,7 g/100g) em estudo com polpa de jenipapo. O valor energetico total foi inferior aos 113,00 kcal/100g e 85,15kcal/100g observados por Brasil (2002) e Torres (2006), respectivamente.

CONCLUSAO

O rendimento em polpa do fruto foi mediano, devido ao elevado conteudo de sementes. O percentual de umidade foi elevado e juntamente com sua casca fragil, pode contribuir com a deterioracao do fruto, apesar de seu reduzido pH que pode colaborar com a conservacao do fruto.

O fruto de jenipapo nao se destacou quanto ao valor nutricional, considerando sua composicao em macronutrientes. No entanto, apesar de pouco apreciado em sua forma in natura, pode ser processado, consumido e comercializado por populacoes nativas do Cerrado, contribuindo para o aumento da renda e como aporte nutricional nas populacoes nativas.

Recebido em: 27/11/2011

Aprovado em: 07/01/2013

REFERENCIAS

ANDRADE, A. C. et al. Germinacao de sementes de jenipapo: temperatura, substrato e morfologia do desenvolvimento pos-seminal. Pesq. Agrop. Bras., Brasilia, v. 35, n.3, p. 609-615, mar. 2000.

ANDRADE, S. A. C. et al. Desidratacao osmotica do jenipapo (Genipa americana L.). Cienc. Tecnol. Aliment., Campinas, v. 23, n. 2, p. 276-281, maio-ago. 2003.

ARAUJO, J. L. Propriedades termofisicas da polpa do cupuacu. 2001. 85f. Dissertacao (Mestrado em Engenharia Agricola)--Universidade Federal da Paraiba, Campina Grande, 2001.

ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS. Official methods of analysis. Washington, DC, 1998. 11p.

BRASIL. MinistErio da Saude. Resolucao da Diretoria Colegiada n. 360, de 23 de dezembro de 2003. Aprova regulamento tecnico sobre rotulagem nutricional de alimentos embalados, tornando obrigatoria a rotulagem nutricional. Diario Oficial da Uniao, Brasilia, 26 dez. 2003.

BRASIL. Ministerio da Saude. Secretaria de Politicas de Saude, Coordenacao-Geral da Politica de Alimentacao e Nutricao. Alimentos regionais brasileiros. Brasilia, DF, 2002. 140 p.

BRASIL. Ministerio do Meio Ambiente. Secretaria de Biodiversidade e Florestas. Nucleo dos Biomas Cerrado e Pantanal. Programa nacional de conservacao e uso sustentavel do bioma cerrado. Programa cerrado sustentavel. Brasilia, DF, 2004. 56p.

CHITARRA, M. I. F.; CHITARRA, A. B. Pos-colheita de frutas e hortalicas: fisiologia e manuseio. Lavras: Ed.UFLA, 2005. 785 p.

FONSECA, A. A. O. et al. Caracterizacao fisica, quimica e fisico-quimica de 12 genotipos de jenipapeiros de Reconcavo Baiano. In: CONGRESSO BRASILEIRO

DE MELHORAMENTO DE PLANTAS, 2, 2003, Porto Seguro. Anais ... Porto Seguro: SBMP, 2003. CD-ROM.

GUARIM NETO, G.; MORAIS, R. G. Recursos medicinais de especies do cerrado de Mato Grosso: um estudo bibliografico. Acta Bot. Bras., v. 17, p. 561-584, 2003.

GUERRA, N. B. et al. Modificacoes do metodo gravimetrico nao enzimatico para determinar fibra alimentar soluvel e insoluvel em frutos. Rev. Nutr., Campinas, v. 17, n. 1, p. 45-52, jan.-mar. 2004.

HANSEN, D. S. et al. Caracterizacao quimica de frutos de jenipapeiros nativos do Reconcavo Baiano visando ao consumo natural e industrializacao. Rev. Bras. Frutic., Sao Paulo, v. 30, n. 4, p. 964-969, dez. 2008.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas analiticas: mEtodos quimicos e fisicos de composicao de alimentos. 4. ed. Sao Paulo, 2005. 60 p.

MITTERMEIER, R. A. et al. Hotspots revisited. Mexico, DF: CEMEX, 2004.

PAIVA, M. C. et al. Caracterizacao quimica dos frutos de quatro cultivares e duas selecoes de goiabeira. Rev. Bras. Frutic., Cruz das Almas, v. 19, n. 1, p. 57-63, 1997.

PRUDENTE, R. M. Jenipapo (Genipa americana L.). In: VIEIRA NETO, R. D. Fruteiras potenciais para os tabuleiros costeiros e baixadas litoraneas. Aracaju: EMBRAPA-CPATC/ENDAGRO, 2002. p. 88-114.

RODRIGUES, E. T. Frutos do cerrado: a influencia dos frutos do cerrado na diversificacao da gastronomia. 2004. 92f. Monografia (Especializacao em Gastronomia e Seguranca Alimentar)--Universidade de Brasilia, DF, 2004.

SANTOS, R. O. S. Caracterizacao de jenipapeiros (Genipa americana L.) em Cruz das Almas--BA. 2001. 65f. Dissertacao (Mestrado em Ciencias Agrarias)--Escola de Agronomia, Universidade Federal da Bahia, Cruz das Almas, 2001.

SILVA, D. S. et al. Frutos do cerrado. Brasilia, DF: EMBRAPA Informacao Tecnologica, 2001. 178p.

SOUZA, C. N. Caracteristicas fisicas, fisico-quimicas e quimicas de tres tipos de jenipapos (Genipa americana L.). 2007. 72f. Dissertacao (Mestrado em Producao Vegetal)--Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilheus, 2007.

TORRES, E. R. Desenvolvimento de barra de cereais formuladas com ingrediente regionais. 2009. 78f. Dissertacao (Mestrado em Engenharia de Processos) Universidade Tiradentes, Aracaju, 2009.

VIEIRA, R. F. et al. Frutas nativas da regiao centrooeste do Brasil. Brasilia, DF: EMBRAPA Informacao Tecnologica, 2010. 322p.

Fabiana Rossi HAMACEK *

Ana Vladia Bandeira MOREIRA **

Hercia Stampini Duarte MARTINO **

Sonia Machado Rocha RIBEIRO **

Helena Maria PINHEIRO-SANT'ANA **

* Curso de Pos-Graduacao em Ciencia da Nutricao--Universidade Federal de Vicosa--36571-000--Vicosa--MG--Brasil. E-mail: frhamacek@yahoo.com.br.

** Departamento de Nutricao e Saude--Universidade Federal de Vicosa--36571-000--Vicosa--MG--Brasil.

Tabela 1--Caracteristicas fisicas de frutos de jenipapo (Genipa
americana L.) do Cerrado (Curvelo, Minas Gerais, Brasil).

Variaveis                 Media * [+ or -] DP        Amplitude
                                                 Minimo   Maximo

Diametro (cm)               7,42 [+ or -] 0,44      6,6      8,4
Altura (cm)                 2,52 [+ or -] 0,30      8,8     12,1
Massa (g)
 Fruto                    283,42 [+ or -] 53,31   377,52   165,1
 Sementes                 108,53 [+ or -] 30,61     1,81     6,00
 Casca                     40,65 [+ or -] 12,62    14,65    77,41
 Porcao comestivel        134,24 [+ or -] 20,70    90,37   182,33
Rendimento da polpa (%)    48,00 [+ or -] 4,25     39,95    64,63

DP = desvio padrao; * media de 30 frutos.

Tabela 2--Caracteristicas quimicas e valor nutricional de frutos
de jenipapo (Genipa americana L.) do Cerrado (Curvelo, Minas
Gerais, Brasil).

Variaveis               Media * [+ or -] DP       Amplitude
                                              Minimo   Maximo

SST ([sup.0]Brix)       11,40 [+ or -] 0,80    10,6     12,2
ATT (g de acido                                 2,48     4,18
  citrico/100g) 3,33
  [+ or -] 0,85
Relacao SST/ATT          2,04 [+ or -] 0,51     1,58     2,59
pH                       3,87 [+ or -] 0,03     3,84     3,89
Umidade (g/100g)        80,42 [+ or -] 0,29    80,11    80,69
FAT (g/100g)             1,09 [+ or -] 0,00     0,55     0,55
Lipidios (g/100g)        1,60 [+ or -] 0,10     1,51     1,71
Proteina (g/100g)        1,59 [+ or -] 0,12     1,46     1,71
Cinzas (g/100g)          0,74 [+ or -] 0,00     0,74     0,74
Carboidratos (g/100g)   14,57 [+ or -] 0,32    14,80    15,43
VET (kcal/100g)         76,92 [+ or -] 0,15    76,78    77,08

DP = desvio padrao; * media de 3 repeticoes; SST (Solidos Soluveis
Totais); ATT (Acidez Total Titulavel); FAT (Fibra Alimentar Total);
VET (Valor Energetico Total).
COPYRIGHT 2013 Faculdade de Ciencias Farmaceuticas UNESP
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2013 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:jenipapo
Author:Hamacek, Fabiana Rossi; Moreira, Ana Vladia Bandeira; Martino, Hercia Stampini Duarte; Ribeiro, Soni
Publication:Alimentos e Nutricao (Brazilian Journal of Food and Nutrition)
Date:Jan 1, 2013
Words:2690
Previous Article:Impacts of soybean processing over the retention of proteins, minerals and isoflavones in tofu/Impactos do processamento de soja na retencao de...
Next Article:Detection and quantification of aflatoxins in samples of peanut grains and derivatives traded in the Marilia-SP region, 2002-2009/Deteccao e...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters