Printer Friendly

Modelo construtivista para apoiar o processo de gestao da Universidade Federal de Tocantins.

1 INTRODUCAO

As universidades sao organizacoes sociais complexas, que passaram por diversas crises em sua historia, para superar tais adversidades a formulacao de estrategias e modelos de gestao para alcancar os resultados desejados por seus gestores. Observa-se que cada universidade possui peculiaridades que as distinguem das demais organizacoes, fator que torna o ambiente decisorio conflituoso e repleto de alternativas (ANDRADE, 2002).

Nao so as caracteristicas das Instituicoes de Ensino Superior (IES) sao complexas, seus sistemas de avaliacao de desempenho sao amplos, diversificados e em sua maioria genericos (BUZZIGOLI et al., 2010; HONG, 2009), desta forma o presente estudo propoe a utilizacao de um instrumento de apoio a decisao, personalizado aos valores e preferencias do decisor (gestor da universidade), acreditando que a avaliacao de desempenho de IES seja o instrumento cientifico disponivel para se apoiar a gestao de uma organizacao (ROSA et al., 2015; ENSSLIN et al., 2016).

Diante do contexto apresentado emerge a seguinte pergunta de pesquisa: Como um Modelo de Avaliacao de Desempenho pode contribuir para o processo de gestao do Campus de Araguina da Universidade Federal do Tocantins (UFT)?

Com a finalidade de responder a esta pergunta o trabalho tem como objetivo geral a estruturacao de um modelo multicriterio de avaliacao de desempenho que permita ao decisor apoiar o processo de gestao do Campus de Araguaina da UFT, fundamentado em uma visao Construtivista. Como objetivos especificos, destacam-se: (i) identificar as preocupacoes do decisor, quanto aos criterios para avaliar o desempenho da Universidade; (ii) mensurar ordinalmente e evidenciar o perfil de desempenho da situacao atual (status quo) dos aspectos criticos para o sucesso do processo de gestao da UFT, segundo o entendimento do decisor; (iii) Propor acoes de aperfeicoamento aos indicadores considerados comprometedores.

A relevancia deste trabalho se alicerca sobre um tema de pesquisa fundamentado na visao construtivista e, tambem na construcao de um modelo de gestao que expande o conhecimento do decisor (gestor) a respeito do contexto especifico que se pretende gerenciar.

Justifica-se a pesquisa por sua originalidade, importancia e viabilidade (CASTRO, 1977), (i) original; em recente levantamento bibliografico realizado nao foi encontrado na literatura trabalho com o tema avaliacao de desempenho de IES levando em conta a afiliacao teorica construtivista, (ii) importante; este estudo permite expandir o entendimento do decisor em relacao a organizacao, criar indicadores e a partir destes promover acoes de melhoria, (iii) viavel; por utilizar estrutura ja existente na Universidade, em termos de pesquisadores e dados.

O presente trabalho e composto, alem dessa Introducao, pelas seguintes secoes: secao 2, com a Metodologia da Pesquisa; a secao 3, com a Analise dos Resultados; e a secao 4 com a apresentacao das Consideracoes Finais.

2 METODOLOGIA DA PESQUISA

Para o presente estudo a metodologia de pesquisa aplicada sera apresentada em duas etapas. A primeira refere-se ao enquadramento metodologico da pesquisa, e a segunda evidencia o instrumento de intervencao, Metodologia Multicriterio de Apoio a Decisao Construtivista (MCDA-C), utilizado para a construcao do modelo de avaliacao de desempenho.

2.1 Enquadramento Metodologico

De acordo com Richardson (2010) o enquadramento metodologico engloba os seguintes fatores: (i) Natureza da pesquisa, o estudo e de carater aplicado, na forma de estudo de caso, onde ha a busca para entendimento e solucao de um fenomeno real, obtida por meio da construcao de um modelo de avaliacao de desempenho para o processo decisorio de uma IES. (YIN, 2015); (ii) Natureza do Objetivo, por expandir o conhecimento no decisor envolvido no processo, considera-se de natureza exploratoria, busca ainda expandir o conhecimento sobre a area de atuacao e partir disto obter um conjunto de criterios, que poderao ser transformados em indicadores de desempenho da gestao IES; (iii) Abordagem do problema, considera-se uma abordagem qualiquantitativa, de modo que os aspectos qualitativos ocorreram ao se identificar as preocupacoes do decisor, durante a fase de estruturacao do modelo, em sequencia ocorre a etapa quantitativa, ao desenvolver as escalas ordinais dos indicadores de desempenho (CRESWELL, 2010), o ultimo fator a ser analisado e a (iv) Coleta de dados, que envolveu dados primarios e secundarios, (RICHARDSON, 2010). Os dados primarios sao oriundos das observacoes quando da coleta do perfil de status quo dos indicadores de desempenho. Os dados secundarios sao obtidos em decorrencia de analises em documentos e relatorios de gestao.

2.2 Metodologia Multicriterio De Apoio A Decisao Construtivista--MCDA-C

A metodologia foi escolhida por atender os requisitos para a construcao do modelo, estes requisitos levados em consideracao foram que: (i)--Os decisores desejam melhorar seu entendimento sobre o problema; (ii)--Os decisores desejam explicitar os fatores criticos para o sucesso de gestao do negocio; (iii) Os decisores desejam que as particularidades do ambiente sejam levadas em conta. Nos contextos gerenciais a objetividade, e a subjetividade sao inerentes ao processo decisorio logo as situacoes que envolvem a tomada de decisao, devem ser analisadas a partir de ambos. (BANA E COSTA, 1993), (MICHELI; MARI, 2014). Desta forma a MCDA-C muda a enfase de analise da ontologia (saber como e a realidade) para a epistemologica (expressar como a realidade e entendida, percebida) (MICHELI; MARI, 2014).

O processo da MCDA-C, tambem conhecido como abordagem Soft da Pesquisa Operacional, e composta por tres fases, sao elas:(i) Estruturacao; (ii) Avaliacao; (iii) Recomendacoes (ENSSLIN, et al., 2001).

i) A fase de Estruturacao: tem por objetivo identificar os atores envolvidos no contexto, determinar as caracteristicas do contexto decisorio e modela-los de acordo com a percepcao do gestor (MONTIBELLER et al., 2008).

ii) A fase de Avaliacao: representa a parte quantitativa do trabalho, na qual as escalas ordinais sao transformadas em escalas cardinais (mensuracao) com a finalidade de permitir a construcao do modelo de Apoio a Decisao (ENSSLIN, et al., 2001).

iii) A fase de Recomendacoes: e o processo de determinacao de acoes a serem seguidas para modificacao do contexto e de acordo com as estrategias desenvolvidas, atingir os objetivos preferenciais do decisor (ENSSLIN, et al., 2001).

O presente estudo apresenta duas etapas da MCDA-C, a fase de estruturacao e a fase de recomendacoes, possibilitando a identificacao dos criterios julgados importantes pelos atores do contexto, a identificacao de seu perfil de desempenho e a proposicao de acoes de melhoria.

3 ESTUDO DE CASO

Esta secao apresenta a estruturacao do modelo de avaliacao de desempenho para o processo de gestao da UFT, campus de Araguaina, embasado nos sistema de valores, interesses e preferencias dos decisores, levando em consideracao os requisitos dos stakeholders (publico de interesse) na percepcao do decisor.

3.1 A Uft: Campus De Araguaina

A Universidade Federal do Tocantins e jovem, pelo pouco tempo de concepcao tem um processo de gestao que ainda esta em formacao. Com 10 mil alunos, a instituicao mantem 43 cursos de graduacao oferecidos em sete campi, sendo eles: Palmas, Araguaina, Tocantinopolis, Miracema, Gurupi, Arraias e Porto Nacional. O foco desse trabalho esta no Campus Universitario de Araguaina (TOCANTIS, 2008)

O Campus de Araguaina possui doze cursos de graduacao: Matematica, Quimica, Geografia, Letras, Medicina Veterinaria, Zootecnia, Quimica, Fisica, Biologia, Turismo, Logistica e Cooperativismo. A unidade atende aproximadamente 2000 alunos e possui em seu quadro de servidores, uma media de 100 docentes e 100 tecnicos administrativos.

3.2 Fase De Estruturacao

A fase de estruturacao da MCDA-C foi realizada em tres etapas, sendo elas: a) identificacao do problema ou contextualizacao: b) arvore dos pontos de vistas; c) e construcao dos descritores (ENSSLIN et al., 2001; TASCA et al., 2012).

3.2.1 Identificacao do Contexto Decisorio

O processo de contextualizacao inicia com a identificacao do subsistema de atores, estes sao as pessoas inseridas no processo decisorio, sendo classificados em decisores, intervenientes e facilitadores, ressalta-se a importancia da valorizacao da subjetividade dos atores, ao prestigiar as peculiaridades internas e externas do contexto e motivacoes e preferencias do gestor (ROY, 1993).

Os atores relacionados com a situacao problematica a ser apresentada sao os seguintes:

* Decisor: Diretor do Campus:

* Interveniente: Coordenadores de Cursos e Coordenadores administrativos;

* Agidos: Comunidade academica e a comunidade em geral;

* Facilitador: Renard Pereira Martins.

Feita a identificacao dos atores participantes do estudo de caso passou-se a descricao do macro ambiente no qual esta inserido a situacao problematica. O rotulo tem como objetivo apresentar o foco do trabalho ao mesmo tempo em que demonstra claramente o que deve ser atingido, sendo estabelecido como: "Construcao de um Modelo de Apoio a Gestao da UFT--Campus de Araguaina"

Concluida as tarefas de identificacao dos atores do processo decisorio, descricao do ambiente, construcao do rotulo e formulacao do sumario finda-se a primeira etapa da fase de estruturacao da MCDA-C e passa-se a construcao da Arvore dos Pontos de Vista.

3.2.2 Arvore dos Pontos de Vista

O processo estruturado para a expansao do conhecimento necessario a construcao da Arvore de Pontos de Vista e iniciado com a identificacao dos Elementos Primarios de Avaliacao (EPAS). Os EPAS sao as primeiras preocupacoes destacadas pelo decisor quando este e instigado a discorrer sobre a situacao problematica (GRZEBIELUCKAS et al., 2011; ZAMCOPE et al., 2012).

Atraves da tecnica de Brainstorming e com o apoio de um roteiro semiestruturado foi possivel identificar no discurso do decisor aspectos que ele considerava importante para a gestao do contexto, onde o objetivo foi a maior quantidade possivel e nao a redundancia das informacoes.

O passo seguinte a construcao da Arvore de Pontos de Vista foi transformar os EPAS em conceitos. Esse processo foi feito a partir do aprofundamento do conhecimento acerca do respectivo EPA pelo decisor detalhando sua fonte de preocupacao.

De acordo com Ensslin, et al., (2001) os conceitos sao formados por um polo positivo (denominado objetivo subjacente) e por um polo oposto (denominado oposto psicologico). O objetivo subjacente representa o desempenho pretendido pelo decisor e o oposto psicologico e uma consequencia que o decisor deseja evitar. O polo oposto e o objetivo subjacente sao separados por (...) e quando lido significa "ao inves de". A interacao entre facilitador e decisor proporcionou a construcao de 216 conceitos e no quadro 1 sao apresentados os conceitos para os 3 (tres) primeiros EPAS.

A partir do entendimento inicial do decisor acrescido ao conhecimento gerado com a identificacao dos EPAs e a construcao dos conceitos o facilitador instiga ao decisor a estabelecer as grandes areas de preocupacao denotadas por candidatos a Pontos de Vista Fundamentais-PVF, estes sao percebidos pelo decisor como necessarios e suficientes para a gestao do contexto em estudo. Deste processo top down emerge a primeira versao da Estrutura Hierarquica de Valor (ENSSLIN et al., 2016).

De acordo com a Figura 1 o decisor elencou 08 (oito) areas de preocupacao e abaixo de cada uma delas foram relacionados os conceitos associados a area de preocupacao, representados na estrutura por seus numeros identificadores. A construcao dos conceitos, sua organizacao em areas afins e elaboracao da Arvore de Pontos de Vista finda esta etapa da fase de estruturacao.

3.2.3 Construcao dos Descritores

Para que os objetivos do decisor pudessem ser mensurados a MCDA-C vale-se de um processo denominado mapas de relacoes meios-fins ou mapas cognitivos (MONTIBELLER et al., 2008). A construcao dos mapas cognitivos representa uma expansao do conhecimento do decisor a respeito de cada Area de Preocupacao.

A construcao dos mapas de relacao meios-fim iniciou-se solicitando ao decisor para discorrer sobre cada conceito e sobre como a ideia subjacente ao mesmo poderia ser obtida (vinculos causais com outros conceitos), favorecendo a identificacao das possiveis acoes aptas a gerar efeitos no desempenho dos objetivos subjacentes (MONTIBELLER et al., 2008). A Figura 2 ilustra um dos mapas cognitivos para o PVF--Processo Orcamentario:

Para todos os objetivos estrategicos da estrutura hierarquica top-down foram construidos os mapas de relacao meios-fim. A MCDA-C, em seu processo de expansao do conhecimento sobre o contexto avaliado, sugere que as estruturas de relacoes causais sejam transformadas e transferidas para a Estrutura Hierarquica de Valor.

Com a finalizacao dos mapas cognitivos e construida a Estrutura Hierarquica de Valor-EHV passou-se a construcao dos descritores, que representam indicadores de desempenho com finalidade de mensurar ordinalmente os aspectos ligados a cada PVF. Nessa etapa da estruturacao foram construidos 134 (cento e trinta e quatro) descritores, estes devem evidenciar todos os possiveis impactos das acoes potenciais de forma exaustiva, homogenea e nao ambigua (TASCA et al., 2012).

Logo apos definidos os niveis das escalas o decisor foi instigado a estipular para cada um dos descritores os niveis de referencia e o perfil de desempenho (Status Quo) ordinal. Conforme apresentado por Tasca et al., (2012) os niveis de referencia sao denominados de "Nivel BOM" e "Nivel NEUTRO". O Nivel BOM demarca o conjunto de acoes que estao acima das expectativas do decisor. Por contraposicao, o Nivel NEUTRO delimita o conjunto de acoes que se encontram em situacao comprometedora. Todas as acoes localizadas entre os Niveis BOM e NEUTRO se encontram de acordo com as expectativas do decisor (ENSSLIN, et al., 2001).

As faixas de desempenhos consideradas simultaneamente devem ser integradas conforme pode ser observado na apresentacao da Figura 3. A EHV com os respectivos descritores associados ao PVF Formar Alunos e utilizada para ilustracao.

A definicao dos niveis "BOM" e "NEUTRO" representados em cada descritor como a mesma preferencia permite a caracterizacao dos descritores em tres faixas de desempenho (LACERDA et al., 2014; ZAMCOPE; et al., 2012). Segundo os autores as faixas de desempenho sao: a) Desempenho de excelencia--faixa de desempenho localizada acima do nivel "BOM"; b) Desempenho de mercado ou competitivo --faixa de desempenho localizada entre o nivel "BOM" e o nivel "NEUTRO"; c) Desempenho comprometedor--faixa de desempenho localizada abaixo do nivel "NEUTRO".

A partir da construcao do descritor associado a cada escala pode-se aferir a mensuracao ordinal dos indicadores, sendo que 41 (quarenta e um) descritores estao em nivel comprometedor, 60 (sessenta) descritores em nivel de mercado e 33 (trinta e tres) descritores em nivel de excelencia. As areas de preocupacao Infraestrutura, Gestao e Ensino se destacaram por apresentarem 22 (vinte e dois), 21 (vinte e um) e 20 (vinte) descritores respectivamente. Juntas, estas tres areas de preocupacao representam 45% de todos os descritores do modelo de gestao. Os demais descritores (55%) estao distribuidos pelas outras 5 (cinco) areas de preocupacao.

3.2.4 Fase de recomendacoes

A partir do modelo multicriterio construido temse a identificacao de quais sao as areas estrategicas, as areas taticas e as areas operacionais. As areas operacionais estao representadas pelas escalas dos descritores. As escalas sao mensuradas ordinalmente e representam as preocupacoes que o decisor julga importante em cada um dos aspectos operacionais identificados (ENSSLIN, 2016).

Em seguida, para cada uma dessas escalas identificou-se em que nivel de desempenho se encontra a situacao atual. Esta informacao permite ao decisor compreender, para cada descritor, se a performance esta em nivel comprometedor, normal ou de excelencia (ENSSLIN, 2016).

Para cada um dos 41 dos descritores em nivel de desempenho comprometedor foram geradas acoes de melhorias, o modelo construido permitiu realizar um processo de aperfeicoamento do contexto, podendo ser o planejamento de acoes estrategicas para a gestao do Campus de Araguaina, possibilitando realizar o monitoramento e a identificacao de acoes de aperfeicoamento para o planejamento de sua gestao.

4 CONSIDERACOES FINAIS

O presente trabalho teve como situacao problematica a maneira como avaliar o desempenho das universidades, e instigou a pesquisa sobre o tema gestao das Instituicoes de Ensino Superior e, de forma inedita associa-la a outra area de conhecimento: a Avaliacao de Desempenho. Esta preocupacao orientou o presente trabalho e fez surgir a pergunta de pesquisa: Como a Estruturacao de um Modelo de Avaliacao de Desempenho pode contribuir para o processo de gestao da Universidade Federal do Tocantins?

Foi estabelecido como objetivo geral estruturar um Modelo de Avaliacao de Desempenho que permita apoiar o processo de gestao da Universidade Federal do Tocantins fundamentado na visao construtivista. O estudo de caso demonstrou a resolucao da pergunta de pesquisa ao proporcionar um modelo de gestao que transparece todos os objetivos estrategicos do decisor, assim como todos os meios a serem percorridos para alcancar os referidos objetivos. A busca para o atendimento do objetivo geral tornou necessario a desmembracao deste nos seguintes objetivos especificos i) Identificar, mensurar ordinalmente e evidenciar o perfil da situacao atual dos aspectos criticos do processo de gestao da UFT, segundo o entendimento do decisor; ii) Desenvolver processo que permita gerar acoes de aperfeicoamento aos desempenhos considerados comprometedores.

O primeiro objetivo especifico foi alcancado pela realizacao do estudo de caso na UFT, por meio da utilizacao da MCDA-C, ainda na Fase de Estruturacao. A Fase de Estruturacao permitiu ao decisor identificar os aspectos especificos ao contexto e que deveriam ser levados em conta quando da construcao do modelo de avaliacao de desempenho. Posteriormente, o segundo objetivo especifico foi atingido ao mensurar ordinalmente e evidenciar o perfil da situacao atual dos aspectos julgados importantes pelo decisor, mostrando aqueles que lhe garantia destaque competitivo e tambem aqueles que lhe posicionava em nivel comprometedor.

O terceiro objetivo especifico foi alcancado na Fase de Recomendacoes da MCDA-C. Especificamente nessa fase desenvolveu-se um processo que permitiu ao decisor gerar acoes de aperfeicoamento aos desempenhos considerados comprometedores.

A importancia do uso da MCDA-C e decorrente da necessidade do decisor responsavel por formular as estrategias da instituicao em saber o que esta fazendo e quais as consequencias das suas decisoes no contexto de atuacao.

Ainda sobre esse ponto de importancia, reconhece-se que todo o conhecimento construido pelo decisor e explicitado no modelo de avalicao sera utilizado na gestao da IES ao qual pertence. Pode-se tambem afirmar que agora e possivel exercitar na pratica do dia-a-dia organizacional essa importante ferramenta de estrategia para o desempenho da instituicao. A partir desse momento o conhecimento teorico se transforma em trabalho pratico, sendo um instrumento laboral que amplia a visao estrategica de um gestor publico, tao necessaria para a complexidade encontrada nas instituicoes de ensino superior.

Por fim, e importante destacar como limitacao desse trabalho a nao realizacao da Fase de Avaliacao da MCDA-C. Alem disso, as acoes apresentadas na Fase de Recomendacoes nao foram implementadas para a averiguacao dos resultados obtidos nesse contexto. Com isso, abre-se uma oportunidade de pesquisa que explore com dedicacao a Fase de Avaliacao da MCDAC e faca a afericao dos resultados da implementacao das acoes de melhoria.

Sugere-se para futuras pesquisas: i) a realizacao da fase de avaliacao da MCDA-C; ii) aplicacao pratica da metodologia na Direcao do Campus de Araguaina juntamente com a afericao dos referidos resultados; iii) criacao de modelos de Avaliacao de Desempenho, fundamentados na MCDA-C, para as diversas Coordenacoes de Cursos e Coordenacoes Administrativas do Campus de Araguaina; iv) a criacao de modelos de Avaliacao de Desempenho para outros Campus da Universidade Federal do Tocantins.

DOI: 10.5585/riae.v15i2.2309

Data de recebimento: 31/08/2015

Data de Aceite: 25/01/2016

REFERENCIAS

Andrade, A. R. (2007). A universidade como organizacao complexa. Revista de Negocios, 7(3).

Bana E Costa, C. A. (1993). Tres conviccoes fundamentais na pratica do apoio a decisao. Pesquisa Operacional, 13(1), 9-20.

Buzzigoli, L., Giusti, A., & Viviani, A. (2010). The evaluation of university departments. A case study for Firenze. International advances in economic research, 16(1), 24-38.

Castro, C. M. (1977). A pratica da pesquisa. Sao Paulo: McGraw-Hill, 1977.

Creswell, J. W. (2010). Projeto de pesquisa metodos qualitativo, quantitativo e misto. In Projeto de pesquisa metodos qualitativo, quantitativo e misto. Artmed.

Ensslin, L., Dutra, A., Ensslin, S. R., Longaray, A. A. & Dezem, V. (2016). Modelo Construtivista de apoio a Gestao Bancaria. Espacios, 37(9), 12.

Ensslin, L., Neto, G. M., & Noronha, S. M. (2001). Apoio a decisao: metodologias para estruturacao de problemas e avaliacao multicriterio de alternativas. Insular.

Grzebieluckas, C., Buson, M. A., Queiroz, S. G., Ensslin, L., Ensslin, S., Nickel, E., & Balbim, A. J. (2011). Instrumento para identificacao das necessidades do consumidor no processo de desenvolvimento do design: Um estudo ilustrado com o projeto de um automovel. Gestao & Producao, 18(2), 337-350.

Hong, D. R. (2009). A critical study on the university and academic assessment system in Korea. Inter-Asia Cultural Studies, 10(2), 292-302.

Lacerda, R. T. D. O., Ensslin, L., Ensslin, S. R., & Dutra, A. (2014). A constructivist approach to manage business process as a dynamic capability. Knowledge and Process Management, 21(1), 54-66.

Micheli, P., & Mari, L. (2014). The theory and practice of performance measurement. Management accounting research, 25(2), 147-156.

Montibeller, G., Belton, V., Ackermann, F., & Ensslin, L. (2008). Reasoning maps for decision aid: an integrated approach for problem-structuring and multi-criteria evaluation. Journal of the Operational Research Society, 59(5), 575-589.

Richardson, R. J. (2010). Pesquisa social: metodos e tecnicas.3 ed. Sao Paulo: Atlas.

Rosa, M. M., Ensslin, S. R., Petri, S. M., & Ensslin, L. (2015). Avaliacao de Desempenho de Politicas Publicas: Construcao do Conhecimento com Base na Literatura Internacional. Revista Ibero-Americana de Estrategia,14(3), 110.

Roy, B. (1993). Decision science or decision-aid science?. European journal of operational research, 66(2), 184-203.

Tasca, J. E., Ensslin, L., & Ensslin, S. R. (2012). A avaliacao de programas de capacitacao: um estudo de caso na administracao publica. Revista de Administracao Publica, 46(3), 647-675.

Tocantins, U. F. D. (2008) UFT em numeros.

Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso-: Planejamento e Metodos. Bookman editora.

Zamcope, F. C., Ensslin, L., & Ensslin, S. R. (2012). Desenvolvimento de um modelo para avaliar a sustentabilidade corporativa. Producao, Santa Catarina, 22(3), 477-489.

Leonardo Ensslin (1)

Ademar Dutra (2)

Renard Pereira Martins (3)

Vinicius Dezem (4)

(1) Universidade do Sul de Santa Catarina, Brasil E-mail: leonardoensslin@gmail.com

(2) Universidade do Sul de Santa Catarina, Brasil E-mail: ademar.unisul@gmail.com

(3) Universidade do Sul de Santa Catarina, Brasil E-mail: renaud@uft.edu.br

(4) Universidade do Sul de Santa Catarina, Brasil E-mail: vinicius dezem@hotmail.com

Caption: Figura 1. Arvore dos Ponto de Vistas Fundamentais

Caption: Figura 2. Mapa Cognitivo do PVF--Processo Orcamentario

Caption: Figura 3. Descritores da Area de Preocupacao Ensino para o PVF formar alunos.
Quadro 1. Conceitos dos Elementos Primarios de Avaliacao

          EPA                               CONCEITO

1--Saude do Servidor      Assegurar que o ambiente de trabalho propicie
                          condicoes fisicas e psicologicas para os
                          servidores realizarem suas atividades ... ter
                          muitos servidores afastados do trabalho para
                          cuidar da propria saude.

2--Educacao do Servidor   2A-Assegurar que os servidores tenham
                          capacitacao e qualificacao adequada ... ter
                          atividades comprometidas por falta de
                          capacitacao e qualificacao dos servidores.

                          2B-Assegurar que os servidores terceirizados
                          tenham acesso a capacitacao periodica ... ter
                          comprometidas as atividades realizadas.

3--Conhecimento Tecnico   Assegurar que os gestores tenham os
dos Gestores              conhecimentos tecnicos necessarios para
                          realizacao de suas atividades ... ter
                          atividades comprometidas por falta de
                          apacitacao e qualificacao dos servidores.

Fonte: Elaborado pelos Autores (2015).
COPYRIGHT 2016 Universidade Nove de Julho
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Ensslin, Leonardo; Dutra, Ademar; Martins, Renard Pereira; Dezem, Vinicius
Publication:Revista Ibero - Americana de Estrategia
Date:Apr 1, 2016
Words:3721
Previous Article:Knowledge enablers and strategies of survival and development used to increase competitiveness: a case study in a multinational company of the food...
Next Article:The analysis of speech in academic research strategy/A analise de discurso na pesquisa academica em estrategia/El analisis de expresion en estrategia...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters