Printer Friendly

Measurement of the engagement of stakeholders of project in the vision of the project manager and stakeholders/Mensuracao do engajamento das partes interessadas em projeto na visao do gerente de projeto e das proprias partes interessadas.

1 INTRODUCAO

Nas organizacoes, as atencoes as partes interessadas ganharam destaque desde 1980 (Abboubi & Cornet, 2012). Parte interessada, no contexto de projetos, pode ser definida como um individuo, grupo ou organizacao que pode afetar, ser afetada ou sentir-se afetada por uma decisao, atividade ou resultado de um projeto. (PMI, 2013)

O Project Management Institute (PMI) traz, na quinta edicao do guia PMBoK (PMI, 2013), uma area de conhecimento dedicada ao gerenciamento das partes interessadas. O engajamento das partes interessadas possui destaque nesta edicao com dois processos: gerenciar o engajamento das partes interessadas e controlar o engajamento das partes interessadas.

Apesar do gerenciamento das partes interessadas estar relacionado a melhoria da satisfacao do cliente e a um melhor desempenho financeiro (Lo, 2013), a sua aplicacao nao e simples, a comecar pela identificacao das partes interessadas (Brailsford et al., 2009).

Durante o trabalho de gerenciamento das partes interessadas, a natureza, o cliente e o custo do projeto, bem como o nivel de gestao e organizacao da empresa devem ser avaliados (Yang et al., 2010). A responsabilidade dessa avaliacao pode ficar a cargo do gerente de projeto, dada a sua significativa influencia no sucesso do projeto (Beringer et al., 2013).

Conseguir o engajamento das partes interessadas e um dos principais fatores para a realizacao do gerenciamento das partes interessadas (Yang et al., 2011), o que promove a probabilidade de sucesso do projeto. (Brailsford et al., 2009; Beringer et al. 2013; Yip et al. 2013; Gopnik et al., 2012; Eskerod e Huemann, 2013).

Dada a importancia do tema, encontram-se hoje pesquisas sobre gerenciamento das partes interessadas nos mais diferentes setores da economia, tais como saude (Brailsford et al., 2009; Yip et al., 2013; Deverka et al, 2013), energia (Carrillo et al., 2010), maritimo (Gopnik et al., 2012), agroalimentar (Peterson, 2013) e hoteleiro (Lo, 2013).

Entretanto, em geral, percebe-se uma lacuna no que tange a metricas para avaliar o engajamento das partes interessadas em projetos, pois as publicacoes pesquisadas nao realizam qualquer mensuracao do engajamento das partes interessadas, focando apenas nos resultados e efeitos do engajamento. As publicacoes mais relevantes do levantamento corroboram isso (Brailsford et al., 2009.; Beringer et al. 2013; Yip et al. 2013; Deverka et al, 2013; Carrillo et al. 2010; Peterson, 2013).

Dentre as poucas publicacoes que relacionam o termo mensuracao do engajamento, destaca-se o trabalho de Schaufeli et al. (2002), que apresenta criterios que possibilitam medir o engajamento no trabalho de forma geral, sem abordar especificamente o trabalho em projetos.

O PMBoK (PMI, 2013) enfoca a necessidade do acompanhamento do engajamento das partes interessadas e descreve cinco niveis de engajamento (desinformado, resistente, neutro, apoia e lidera), conforme percepcao do gerente de projeto.

O melhor nivel de engajamento (lidera) definido pelo PMBoK relata que as partes interessadas devem estar ativamente engajadas em garantir o exito do projeto, porem nao propoe criterios objetivos que possibilitem avaliar esta situacao.

Peterson (2013) alerta para a necessidade de as partes interessadas estarem realmente engajadas e nao, simplesmente, exercendo uma participacao vazia, pois isso pode impactar negativamente o desempenho do projeto.

Dado a importancia do gerenciamento das partes interessadas no projeto, faz-se necessario, portanto, conhecer metodos de mensuracao do engajamento por meio da aplicacao de metodos de mensuracao do engajamento numa organizacao do setor bancario brasileiro.

Essa organizacao foi criada em 1861 e e o agente responsavel pelo Fundo de Garantia do Tempo de Servico (Fgts), pelo Programa de Integracao Social (PIS) e pelo Seguro-Desemprego, e de programas sociais do governo, tais como o Bolsa Familia e o Programa Minha Casa Minha Vida. Trata-se de uma empresa 100% publica e que exerce um papel fundamental no desenvolvimento urbano e da justica social do pais, pois prioriza alguns setores, tais como habitacao, saneamento basico, infraestrutura e prestacao de servicos, contribuindo significativamente para melhorar a vida das pessoas.

Isto posto, a questao de pesquisa que se coloca e: que metodos de mensuracao do engajamento podem ser usados no gerenciamento das partes interessadas envolvidas em projeto?

2. REVISAO DA LITERATURA

2.1 Gerenciamento das Partes Interessadas

A definicao do termo "partes interessadas" difere de acordo com a palavra que o acompanha (Deverka et al, 2013, p. 4). Segundo Abboubi e Cornet (2012, p. 7), o desenvolvimento do termo "Stakeholder" comecou na decada de 1960, ganhando destaque na literatura de gestao, em 1984, com a obra de Freeman "Strategic Management: A Stakeholder approach".

Wei e Yalin (2008) relatam que o gerenciamento das partes interessadas ocorre quando os gestores identificam os interesses e satisfazem as necessidades das partes interessadas de diversas maneiras.

Segundo Meding et al (2013), gerenciamento das partes interessadas concentra-se em compreender a natureza do relacionamento de multiplos grupos que sao impactados ou podem afetar uma organizacao.

O Guia PMBoK (PMI, 2013) descreve que o gerenciamento das partes interessadas no projeto inclui os processos exigidos para identificar todas as pessoas, grupos ou organizacoes que podem impactar ou serem impactados pelo projeto, analisar as expectativas das partes interessadas e seu impacto no projeto, e desenvolver estrategias de gerenciamento apropriadas para o engajamento eficaz das partes interessadas nas decisoes e na execucao do projeto.

O guia PMBoK (PMI, 2013) apresenta uma area do conhecimento exclusiva para tratar dos processos inerentes ao gerenciamento das partes interessadas. Quatro processos interagem entre si e com outros processos das demais areas do conhecimento. Os quatro processos sao identificar as partes interessadas, planejar o gerenciamento das partes interessadas, gerenciar o engajamento das partes interessadas e controlar o engajamento das partes interessadas.

2.2 Engajamento das Partes Interessadas

Engajamento pode ser caracterizado a partir de tres dimensoes: comportamental, emocional e cognitivo. A dimensao comportamental envolve a participacao e o envolvimento em uma atividade. A dimensao emocional se relaciona as reacoes afetivas e emocionais diante da atividade e dos diferentes elementos que a constituem e dela participam. A dimensao cognitiva expressa investimento psicologico no sentido da compreensao do que se faz em determinada atividade. (Fredricks et al., 2004 como citado em Moreira & Pontelo, 2009).

Carrillo et al. (2010) destacam que qualquer mecanismo de engajamento das partes interessadas precisa fornecer informacoes, de forma ampla e transparente, a todos os setores antes de qualquer decisao politica.

Bakker, Albrecht e Leiter (2011 como citado em Wefald et al., 2012) definem engajamento como uma combinacao da capacidade de trabalho (energia, vigor) e vontade de trabalhar (envolvimento, dedicacao).

Engajamento (no trabalho) pode ser visto como o oposto de burnout (Schaufeli et al., 2002). Entende-se burnout como algo relacionado as condicoes de trabalho, que podem desencadear um estado prolongado e cronico de estresse laboral, caracterizado por: esgotamento (exaustao emocional), desumanizacao (cinismo, despersonalizacao) e reduzida realizacao pessoal (Maslach & Leiter, 2008; Moreno-Jimenez, 2007; Gil-Monte, 2007; Gonzalez-Roma et al., 2006; Benevides-Pereira, 2002; Maslach, Schaufeli & Leiter, 2001 como citado em Cavalcante, 2013)

Schaufeli e Bakker (2003) destacam a existencia de duas escolas de pensamento em relacao a engajamento e burnout. A primeira assume que o engajamento e o burnout constituem polos opostos de um continuo bem-estar relacionado ao trabalho, com o burnout representando o polo negativo e o engajamento, o positivo. A segunda define o burnout em termos de exaustao, desumanizacao e reduzida eficacia profissional, com o engajamento sendo caracterizado por energia, envolvimento e eficacia.

O engajamento das partes interessadas pode ser entendido como um processo de aquisicao de informacoes das partes que tem interesse ou sao impactadas por um projeto. As informacoes destas partes poderao ser utilizadas para direcionar uma abordagem que afetara diretamente o sucesso e a rentabilidade de uma operacao. (Yip et. al, 2013; Sharma, 2005 como citado em Gould, 2012).

2.3 Mensuracao do Engajamento

O guia PMBoK (PMI, 2013) propoe que o gerente de projeto avalie o engajamento das partes interessadas por meio da matriz de avaliacao do nivel de engajamento. O gerente deve classificar as partes interessadas conforme os seguintes niveis: Desinformado--Sem conhecimento do projeto e dos impactos potenciais; Resistente--Ciente do projeto e dos impactos potenciais, e resistente a mudanca; Neutro--Ciente do projeto e, mesmo assim, nao da apoio ou resiste; Apoia--Ciente do projeto e dos impactos potenciais, e apoia a mudanca; Lidera Ciente do projeto e dos impactos potenciais, e ativamente engajado em garantir o exito do projeto. Esse membro do projeto, de maneira informal, "lidera" a equipe com seu elevado nivel de engajamento.

A utilizacao da matriz pode identificar lacunas entre os niveis de engajamento atual (C) e o desejado (D). A figura 1 mostra que a parte interessada 3 esta no nivel desejado, enquanto as partes interessadas 1 e 2 necessitam de acoes para alcancar o nivel desejado.

Wefald et al. (2012, p. 68) apud Albrecht e Leiter (2011) destacam a falta de clareza em relacao a mensuracao do engajamento. Conforme explorado neste trabalho, existe uma lacuna em relacao a pesquisas sobre mensuracao do engajamento.

Martins e Correia (2013, p.2) destacam que so no final da decada de 1990 o termo "engajamento do empregado" passou a ser utilizado pela organizacao Gallup Buckingham e Coffman.

Wefald et al (2012) apresentam tres possiveis instrumentos para mensuracao do engajamento no trabalho, porem destacam que o instrumento para medir o engajamento mais utilizado na literatura academica e a medida desenvolvida por Schaufeli, denominada Utrecht Work Engagement Scale--Uwes.

Originalmente, a Uwes incluia 24 itens, cuja maior parte consistia de frases para mensuracao do burnout--Maslach Burnout Inventory (MBI) reescritas de forma positiva. Depois de estudos psicometricos, sete itens foram eliminados, restando, assim, 17 itens: Vigor (seis itens), Dedicacao (cinco itens) e Absorcao (seis itens) (Schaufeli et al. 2002).

Apos novos estudos psicometricos, uma nova versao do Uwes (Uwes-9) foi apresentada com somente nove itens, ficando as dimensoes vigor, dedicacao e absorcao com tres itens cada (Schaufeli et al. 2006).

Schaufeli et al. (2002) descrevem as tres dimensoes do Uwes: Vigor--caracterizada por altos niveis de energia, resistencia mental, desejo de esforcar-se e persistir no trabalho executado, mesmo em momentos de dificuldade; Dedicacao caracterizada por um senso de significado, entusiasmo, inspiracao, orgulho e desafio; e Absorcao--caracterizada pela concentracao total e profundo envolvimento ao trabalho. O tempo passa e o empregado tem dificuldade de desapegar-se do trabalho.

Para realizar a mensuracao do engajamento utilizando o Uwes, e necessario que cada trabalhador se autoavalie em relacao aos seus sentimentos durante o trabalho. A figura 2 apresenta o questionario da versao reduzida Uwes.

Schaufeli (2012) destaca a consolidacao do resultado de analises psicometricas do Uwes: Validade fatorial--a analise fatorial confirmatoria mostrou que a hipotese da estrutura de tres fatores do Uwes (vigor, dedicacao e absorcao) e superior a modelos que assumem um unico fator de acoplamento, tal fato pode ser verificado em amostras provenientes da China, Finlandia, Italia, Noruega, Portugal, Espanha, Africa do Sul, Suecia e Holanda; Invariancia fatorial--a analise fatorial confirmatoria demonstrou que a estrutura de tres fatores do Uwes e invariavel, conforme demonstrado em amostra de nacoes, tais como Australia, Belgica, Canada, Finlandia, Franca, Alemanha, Holanda, Noruega, Africa do Sul e Espanha; Consistencia Interna--uma meta-analise das versoes original e reduzida do Uwes indicou fortes consistencias internas de vigor, dedicacao e absorcao, em uma analise com 33 amostras de oito paises (Australia, Belgica, Finlandia, Grecia, Holanda, Noruega, Espanha, Africa do Sul e Suecia) revelou-se que as tres escalas do Uwes, bem como seu questionario sao consistentes; Estabilidade--uma analise em cinco amostras de tres paises (Australia, Holanda e Noruega) revelou que o coeficiente de estabilidade das versoes original e reduzida do Uwes, em um periodo de um ano, foi de 0,65 (variando de 0,56 a 0,75) e em outro estudo, com um periodo de tres anos, o coeficiente variou de 0,82 a 086; e Validade Construtiva--uma analise da relacao entre a medicao do engajamento por meio do UWES e as atitudes de trabalho: satisfacao, envolvimento e comprometimento, resultou numa variacao entre 21% e 29% ou entre 28 e 37% apos a correlacao com a confiabilidade.

A partir de pesquisas realizadas, Schaufeli (2012) concluiu que o engajamento no trabalho avaliado pelo Uwes e um constructo unitario de tres fatores altamente relacionados (vigor, dedicacao e absorcao); estes fatores parecem nao sofrer variacao entre nacoes e grupos de trabalho. O engajamento ao trabalho e relativamente estavel ao longo do tempo e nao pode ser confundido com satisfacao, envolvimento e comprometimento ao trabalho; o engajamento ao trabalho esta associado as exigencias do trabalho, recursos e resultados.

Wefald et al. (2012) destacam que apos comparar tres medidas de engajamento: a de Shirom, a de Britt e a de Schaufeli, os resultados sugerem que a medida de Shiron se saiu melhor na analise dos escores de ajustes das tres dimensoes, porem os autores reconheceram que seus achados divergiram de estudos anteriores mais consistentes em relacao a medida de Schaufeli

3 METODO E CLASSIFICACAO DA PESQUISA

O estudo desenvolvido e classificado como um trabalho de natureza aplicada, ou seja, que visa "[...]gerar conhecimentos de aplicacao pratica, dirigidos a solucao de problemas especificos" (Moresi, 2003, p.8).

Este estudo tambem buscou levantar informacoes, hipoteses e propostas em uma area com conhecimento pouco sistematizado. Assim, tratou-se de um estudo exploratorio que, a partir da exploracao de um tema, desvendou conhecimentos ainda nao percebidos (Moresi, 2003), identificando pontos de convergencia entre os metodos Uwes e PMBoK.

A tecnica de pesquisa utilizada foi o metodo misto, pois utilizou procedimentos quantitativos e qualitativos. A abordagem quantitativa se deu na aplicacao dos questionarios Uwes, adaptado para o contexto de projeto, e o da matriz de avaliacao do nivel de engajamento do PMBoK em diferentes projetos e analisou-se os resultados dos dois metodos. A analise qualitativa consistiu na reuniao de grupo focal, buscando a reflexao de especialistas em gerenciamento de projetos em relacao ao gerenciamento das partes interessadas e a mensuracao do engajamento das partes interessadas. O metodo selecionado e adequado ao alcance do objetivo dessa pesquisa, combinando visoes complementares.

3.1 Abordagem Quantitativa--Medicao do Engajamento das Partes Interessadas em Projetos

Visando criar um questionario de mensuracao do engajamento no projeto, propoe-se, aqui, adaptar a versao reduzida do Uwes, para que se possa medir o engajamento em projeto. A figura 3 apresenta as questoes alteradas para o contexto de projeto. Os ajustes realizados foram conduzidos pela logica da aplicacao das perguntas ao ambiente de projetos.

Para aplicacao do questionario Uwes (avaliacao realizada pelas proprias partes interessadas) e dos niveis de engajamento definido pelo PMBoK (avaliacao exclusiva do gerente de projetos) foi escolhida como organizacao pesquisada uma instituicao bancaria brasileira. Os projetos selecionados para a aplicacao do questionario possuem alta relevancia para a instituicao e estao alinhados aos objetivos estrategicos.

A seguinte, e apresentada a sequencia de acoes que foram executadas para a aplicacao do questionario Uwes e dos niveis de engajamento PMBoK:

1. Esclarecimento do objetivo da aplicacao do questionario Uwes e dos niveis de engajamento PMBoK. Neste momento, tambem foi esclarecida a questao da confidencialidade dos respondentes, destacando que nao ha a necessidade de se identificarem.

2. Disponibilizacao da versao impressa do questionario Uwes e dos niveis de engajamento PMBoK para preenchimento em momentos diferentes.

a. Os niveis de engajamento PMBoK foram respondidos pelo gerente de projeto.

i. Foi solicitado que o gerente de projeto escolhesse as principais partes interessadas. Nao foi imposta nenhuma restricao para a escolha.

b. O questionario Uwes foi respondido pelas partes interessadas relatadas pelo gerente de projeto durante o preenchimento dos niveis de engajamento PMBoK.

i. Durante a aplicacao do questionario Uwes, o gerente de projetos nao estava presente.

3. O questionario Uwes respondido foi depositado em uma urna, de forma a preservar o sigilo.

4. Os questionarios Uwes respondidos foram retirados da urna pelos pesquisadores e consolidados.

3.2 Abordagem Qualitativa--Reuniao de Grupo Focal

Minayo (2008) apud Silva et al. (2013) define grupo focal como uma tecnica de pesquisa que proporciona ao pesquisador reunir, num mesmo local e durante certo periodo de tempo, uma determinada quantidade de pessoas que fazem parte do publico-alvo de sua pesquisa, tendo o objetivo de coletar, a partir do dialogo e do debate com e entre os participantes, informacoes acerca de um determinado tema.

Gui (2003) destaca que o grupo focal nao busca o consenso e sim a pluralidade de ideias, focando na interacao dentro do grupo, a partir de topicos oferecidos pelo moderador. O principal interesse e que seja proporcionado um contexto ou ambiente social onde o individuo pode interagir com os demais, defendendo, revendo, ratificando suas proprias opinioes ou influenciando as opinioes dos demais.

Bramont (2012) destaca alguns requisitos comuns a grupos focais, conforme a literatura: compostos por cinco a 12 membros entrevistados; sessoes de uma a duas horas; possibilidade de haver uma ou mais sessoes de grupo focal; formado por membros com algumas caracteristicas homogeneas (como dados demograficos e relacao com o tema), mas que permitam uma adequada heterogeneidade de visoes sobre o topico discutido; e discussao inicial por topicos mais simples e generalistas, culminando em itens mais especificos e profundos.

Para compor o grupo focal, buscou-se a participacao de pessoas com os seguintes perfis: formacao academica minima: pos-graduacao lato sensu ou certificacao PMP; e experiencia profissional de, no minimo, tres anos em gerenciamento de projetos.

Para o grupo focal, planejou-se o debate dos seguintes temas: necessidade de realizar o gerenciamento das partes interessadas; avaliacao do metodo de mensuracao PMBoK (avaliacao unicamente pelo gerente de projeto); e avaliacao do metodo de mensuracao UWES (avaliacao das proprias partes interessadas).

4 RESULTADOS E DISCUSSOES

4.1 Mensuracao do Engajamento das Partes Interessadas em Projetos

Tres projetos de uma instituicao bancaria brasileira foram escolhidos para serem avaliados quanto ao engajamento das partes interessadas. Para possibilitar a analise dos resultados, os escores de 0 a 6 do Uwes foram decodificados conforme a figura 4.

Os resultados obtidos com a aplicacao dos metodos serao analisados sob a seguinte perspectiva: Escore Uwes--apresenta a media obtida por cada questao do Uwes e a media geral. A media geral possibilita avaliar o nivel de engajamento das partes interessadas segundo o Uwes; Escore por dimensao Uwes--apresenta a media obtida por cada dimensao; Quantidade por nivel Pmbok--apresenta a quantidade de partes interessadas em cada nivel de engajamento definido pelo Pmbok.

Projetol

A figura 5 mostra que os niveis de engajamento das partes interessadas no projeto 1 e elevado (5.08). As partes interessadas, em media, se consideram engajadas quase que diariamente (escore acima de 5).

A figura 6 mostra que o projeto 1 possui uma coesao entre as dimensoes vigor, dedicacao e absorcao.

A figura 7 mostra que, segundo a avaliacao do gerente de projetos, a maioria das partes interessadas (70%) esta ciente do projeto e dos impactos potenciais (da apoio e lidera). Tres partes interessadas sao avaliadas como ativamente engajadas em garantir o exito do projeto (lidera). Tres (30%) partes interessadas ou estao alheias (nao informado) ou resistem (resiste) ou nao apoiam (neutro) o projeto.

Projeto 2

A figura 8 mostra que o projeto 2 possui um nivel de engajamento das partes interessadas mediano (escore entre 3 e 4). As partes interessadas, em media, se consideram engajadas somente uma vez por semana (escore entre 3 e 3.99).

A figura 9 mostra a existencia de uma pequena variacao entre as dimensoes, caracterizando que, no projeto 2, as partes interessadas aparentam nao estarem tao entusiasmadas ou orgulhosas do projeto (dedicacao), apesar de manterem um nivel mediano de concentracao e envolvimento (absorcao).

Figura 10 mostra que, segundo a avaliacao do gerente de projetos, a maioria (85,7%) das partes interessadas esta ciente do projeto e dos impactos potenciais (da apoio e lidera). Duas partes interessadas sao avaliadas como ativamente engajadas em garantir o exito do projeto (lidera).

Projeto 3

A figura 11 mostra que o projeto 3 possui um nivel de engajamento das partes interessadas mediano (escore entre 3 e 4). As partes interessadas, em media, se consideram engajadas somente uma vez por semana (escore entre 3 e 3.99).

A figura 12, mostra existir uma disparidade em relacao as dimensoes absorcao e as demais. As partes interessadas do projeto 3 aparentam estar concentradas e envolvidas com o projeto (absorcao), porem demonstram sinais de cansaco e diminuicao da resistencia mental (vigor). As partes interessadas tambem aparentam estar desanimadas (dedicacao) com o projeto.

A figura 13 mostra que, segundo a avaliacao do gerente de projetos, a maioria das partes interessadas (73,3%) esta ciente do projeto e dos impactos potenciais (da apoio e lidera). Tres partes interessadas sao avaliadas como ativamente engajadas em garantir o exito do projeto (lidera).

Os resultados apresentados para os tres projetos mostram uma predominancia na dimensao absorcao, a qual, conforme Schaufeli (2002), e caracterizada pela participacao e pelo envolvimento no trabalho. E o que Bakker, Albrecht e Leiter (2011) definem como vontade de trabalhar. Naturalmente, essa e uma qualidade desejada, entretanto, nao tem a relevancia da dimensao dedicacao, que, conforme Schaufeli (2002), e caracterizada por entusiasmo, inspiracao e orgulho. E importante observar que essa dimensao esta sempre entre as menos pontuadas nos tres projetos. Para Fredricks et al., (2004), isso corresponde a dimensao emocional que se relaciona as reacoes afetivas e emocionais diante da atividade e dos diferentes elementos que a constituem e dela participam.

Por outro lado, na visao dos gerentes dos projetos, fazendo uso do metodo PMBoK, verificouse que a maioria das partes interessadas "Da apoio ao Projeto", tendo apenas ciencia do projeto e dos seus impactos potenciais. O nivel desejado, o "Lidera", que e estabelecido quando ha um engajamento ativo na garantia do exito do projeto, e o segundo em indicacoes nos Projetos 1 e 2, mas no Projeto 3, o numero de indicacoes "Lidera" e inferior ao de "Neutro". Em resumo, a avaliacao realizada pelos gerentes de projeto mostra-se mais positiva que a das proprias partes interessadas.

4.2 Grupo Focal

Visando discutir o tema mensuracao das partes interessadas em projeto, sete especialistas em gerenciamento de projetos se reuniram na Universidade Catolica de Brasilia. Tambem estavam presentes o pesquisador e um moderador.

A reuniao iniciou com o pesquisador realizando uma apresentacao sobre o objetivo da pesquisa, os metodos de mensuracao PMBoK e Uwes, e resultados obtidos com aplicacao dos metodos. Tambem foram apresentadas as seguintes questoes para debate:

1) Voces consideram necessario realizar o gerenciamento das partes interessadas durante a conducao de projetos?

2) O PMBoK destaca a necessidade de as partes interessadas estarem engajadas no projeto. Como voces avaliam o metodo proposto no PMBoK (avaliacao unicamente pelo gerente de projeto) para determinar o engajamento das partes interessadas no projeto?

3) Foi proposto criterio de avaliacao do engajamento que visa possibilitar a mensuracao do nivel de engajamento por parte das proprias partes interessadas (Uwes). Voces avaliam o metodo Uwes como adequado para mensurar o engajamento das partes interessadas no projeto?

O debate entre os participantes foi gravado para possibilitar posterior avaliacao dos questionamentos e das respostas. A gravacao foi utilizada para a analise e sintese das questoes debatidas.

A realizacao do grupo focal propiciou um debate dos temas propostos e evidenciou que os temas discutidos sao relevantes para os participantes. Foram feitas sugestoes para a pesquisa, tais como relacionar os criterios do Uwes com as teorias motivacionais e utilizar o mesmo metodo de medicao do engajamento para o gerente de projeto e para as proprias partes interessadas.

Apesar de os participantes considerarem necessario gerenciar o engajamento das partes interessadas em projetos, os mesmos nao o realizam e desconhecem quem realize de forma sistematica. Foi levantada a possibilidade de que o gerenciamento das partes interessadas em projetos seja realizado de forma intuitiva e que a falta do gerenciamento sistematico pode ser por questoes culturais.

Os participantes concordam que os criterios propostos pelo PMBoK podem nao ser os mais adequados para mensurar o engajamento das partes interessadas, porem destacaram sua importancia. Os participantes consideram interessante o metodo Uwes, principalmente por possibilitar a mensuracao do engajamento das partes interessadas pela percepcao das proprias partes.

Essa fase da pesquisa complementou a fase quantitativa, trazendo os resultados obtidos para discussao com os especialistas da area. Analisando os resultados dos experimentos realizados nos tres projetos, com os metodos Uwes e PMBoK, os especialistas, em sua maioria, acreditam que a avaliacao realizada pelos gerentes de projeto mostrou-se mais positiva que a das proprias partes interessadas, devido a necessidade dos gerentes de mostrar que suas equipes sao coesas e motivadas. Apontar que ha deficiencias no engajamento das partes interessadas dos seus projetos e um reconhecimento que o proprio gerente faz da sua incapacidade de lidar com esse aspecto gerencial. Para os especialistas, isso, de alguma forma, comprometeu a imparcialidade das respostas dos gerentes.

Outra observacao importante feita pelos especialistas refere-se a predominancia da dimensao absorcao na autoavaliacao das partes interessadas dos tres projetos. A justificativa para isso, segundo eles, e o fato da avaliacao ter sido realizada em uma empresa publica, onde as questoes motivacionais e de engajamento sao muito desafiadoras. Num ambiente como esse, o gerente de projeto nao tem o poder nem os instrumentos para gerenciar, de maneira tempestiva e eficaz, o engajamento das partes interessadas. Essa pode ser uma explicacao para os resultados encontrados.

Em conclusao, a analise realizada pelo pesquisador foi corroborada e enriquecida pelos especialistas, que comentaram os resultados obtidos a luz da realidade atual do gerenciamento do engajamento das partes interessadas.

5 CONSIDERACOES FINAIS

As justificativas para a realizacao desta pesquisa foram pautadas pela necessidade de se identificar o nivel de engajamento das partes interessadas em projetos, possibilitando, assim, eventualmente, realizar acoes para manter ou aprimorar esse engajamento.

A questao de pesquisa colocada, "[...]que metodos de mensuracao do engajamento podem ser usados no gerenciamento das partes interessadas envolvidas em projeto?", foi respondida, fazendo uso de metodos de mensuracao de engajamento citados na literatura. Os metodos de mensuracao do engajamento escolhidos foram o Uwes e PMBoK. O metodo Uwes modificado e os niveis de engajamento propostos pelo PMBoK foram aplicados em tres projetos de uma organizacao do setor bancario brasileiro,

Os resultados obtidos com a aplicacao dos metodos Uwes (visao das proprias partes interessadas) e Pmbok (visao do gerente de projeto) sugerem que: o questionario Uwes se apresenta como uma importante ferramenta para avaliacao do nivel de engajamento no projeto, pois possibilita que as proprias partes interessadas avaliem o seu engajamento. Em resumo, levando em conta que os metodos de mensuracao do engajamento sao diferentes, foram observadas distorcoes entre a avaliacao do engajamento realizada pelo gerente de projeto e pelas proprias partes interessadas. Essa distorcao indica que realizar a avaliacao do nivel de engajamento somente pela percepcao do gerente de projeto, conforme proposto pelo PMBoK, pode nao refletir o real engajamento no projeto; e as tres dimensoes propostas pelo Uwes possibilitam uma avaliacao mais detalhada em relacao ao entusiasmo e orgulho quanto ao projeto (dedicacao), concentracao e envolvimento no projeto (absorcao) e cansaco ou resistencia mental (vigor). A avaliacao por dimensoes possibilita que o gerente de projetos direcione acoes especificas visando aprimorar ou manter uma determinada dimensao.

Na sequencia, a necessidade de gerenciamento das partes interessadas e os criterios para avaliacao dos niveis de engajamento definidos pelo PMBoK e pelo Uwes foram submetidos a especialistas em gerenciamento de projetos, em uma reuniao de grupo focal. A discussao apontou que: gerentes de projeto consideram necessario realizar o gerenciamento do engajamento das partes interessadas, porem nao o realizam; A possibilidade de obter o nivel de engajamento por outra fonte que nao seja o gerente de projeto e considerada como digna de aprofundamento; existem duvidas se os niveis de engajamento definidos pelo PMBoK realmente possibilitam avaliar o engajamento das partes interessadas em projeto; e os criterios definidos pelo Uwes foram considerados interessantes e pertinentes para realizar a mensuracao do engajamento das partes interessadas em projeto.

A luz da literatura pesquisada, que apontou lacunas em relacao a pesquisas sobre mensuracao do engajamento (Wefald et al., 2012), esse trabalho trouxe contribuicoes, apresentando resultados para dois instrumentos distintos. O tema da mensuracao de engajamento e novo e demanda novas pesquisas para aprofundamento da teoria e da pratica.

Como limitacao, ressalta-se que os resultados encontrados devem ser avaliados com cautela devido a pequena quantidade de projetos avaliados e devido a escassez de artigos na literatura cientifica, que impediram a comparacao dos resultados obtidos.

Com os metodos de mensuracao do engajamento avaliados por este trabalho, pode-se propor os seguintes trabalhos futuros: planos de acao que potencializem o engajamento das partes interessadas; acompanhar e verificar a relacao entre o nivel de engajamento e o sucesso dos projetos; definir a aplicar criterios de adequabilidade de metodos de mensuracao do engajamento; avaliar os metodos propostos pela aplicacao do mesmo metodo de mensuracao para o gerente de projetos e para as proprias partes interessadas; e relacionar os criterios definidos no Uwes com as teorias motivacionais.

REFERENCIAS

Abboubi, M.El., Cornet, A. (2012) Towards a dynamic stakeholder management framework for CSR Certifications. International Journal Of Business And Social Science. 3(5), 1-12.

Brailsford, S.C. et al. (2009) Stakeholder engagement in health care simulation. In: Proceedings of the 2009 winter simulation conference, 2009, Southampton. Austin, TX, USA. 1840-1840.

Bramont, P. (2012) Maturidade em governanca corporativa: diretrizes para um modelo preliminar. 131 f. Dissertacao--Mestrado em Gestao do Conhecimento e Tecnologia da Informacao, Universidade Catolica de Brasilia, Brasilia.

Carrillo, E., O'Neill et al. (2010) Experiences with stakeholder engagement in transitioning to an increased use of renewable energy systems. In: IEEE International Symposium on Sustainable Systems and Technology, Arlington, USA. 1-6.

Cavalcante, M.M. (2013) Engajamento no trabalho, bem-estar no trabalho e capital psicologico: um estudo com profissionais da area de gestao de pessoas. Dissertacao Mestrado em Administracao, Universidade Metodista de Sao Paulo, Sao Bernardo do Campo, Brasil

Deverka, P. et al. (2013) Stakeholder participation in comparative effectiveness research: defining a framework for effective engagement. J Comp Eff Res. 1(2), 1-19.

Eskerod, P., Huemann, M. (2013) Sustainable development and project stakeholder management: what standards say. International Journal Of Managing Projects In Business. 6(1), 36-50.

Gopnik, M. et al. (2012) Coming to the table: early stakeholder engagement in marine spatial planning. Marine Policy. 36, 1139-1149.

Gould, R.W. (2012) Open innovation and stakeholder engagement. Journal Of Technology Management & Innovation, 7(3), 1-11.

Gui, R.T. (2003) Grupo focal em pesquisa qualitativa aplicada: intersubjetividade e construcao de sentido. Revista Psicologia, Florianopolis, 3(1), 1-10, jun.

Lo, Yin-Hsi. (2013) Stakeholder management in the chinese hotel industry: the antecedents and impacts. International Journal Of Contemporary Hospitality Management. 25(4), 470-490.

Martins, J., Correia, N. (2013) Validacao da versao portuguesa do questionario utrecht work engagement para medir o engagement no trabalho nos profissionais dos cuidados de saude primarios. Dissertacao. Mestrado em Gestao de Servicos de Saude, Instituto Universitario de Lisboa, Lisboa, Portugal.

Meding, J. V. et al. (2013) A framework for stakeholder management and corporate culture. Built Environment Project And Asset Management, 3(1), 24-41.

Moreira, A. F., Pontelo, I. (2009) Niveis de engajamento em uma atividade pratica de Fisica com aquisicao automatica de dados. Revista Brasileira de Pesquisa em Educacao em Ciencias, 8(2), 148-167.

Moresi, E. (2003) Metodologia da pesquisa. Recuperado em: 17 set.2014, de em: http://wwwinf.ufes.br/~falbo/files/Metodologia Pesquisa-Moresi2003.pdf. Acesso em:17 set. 2014

Peterson, H. C. (2013) Fundamental principles of managing multi-stakeholder engagement. International Food And Agribusiness Management Review. Michigan, 16, 11-22.

PMI. Project Management Institute (ed.) (2013) A guide to the project management body of knowledge--PMBok. 5th. Ed., Newtown Square, Pennsylvania, PMI Publishing Division.

Schaufeli, W. B. (2002) The measurement of engagement and burnout: a two sample confirmatory factor analytic approach. Journal of happiness studies. 3, 71-92.

Schaufeli, W., Bakker, A. (2003) Uwes--Utrecht work engagement scale preliminary Manual. Recuperado em: 26 set.2014, de: <http://wwwwilmarschaufeli.nl/publications/Sc haufeli/Test Manuals/Test_fmanual_fUWES_fBrazil.pdf>.

Schaufeli, W.B., Bakker, A.B., Salanova, M. (2006) The measurement of work engagement with a short questionnaire A Cross-National

Study. Sage. 66(4), 701-716.

Schaufeli, W.B. (2012) The measurement of work engagement. In R.R. Sinclair, M. Wang & L.E. Tetrick Research methods in occupational health psychology: measurement, design, and data analysis. New York, USA. 138-153.

Silva, M.G. et al. (2013) Publicacoes que utilizaram o grupo focal como tecnica de pesquisa: o que elas nos ensinam? Ciencia Cuidado Saude, [s.l], 12(2), 398-406, jun.

Wefald, A. J. et al. (2012) A comparison of three job engagement measures: examining their factorial and criterion-related validity. The International Association Of Applied Psychology. 4(1), 67-90.

Wei, S., Yalin, W. (2008) Formulating strategies for stakeholder management: a case-based reasoning approach. In: International conference on wireless communications, networking and mobile computing. Ieee, Dalian, Chine, 1-5, October.

Yang, J et al. (2010) Critical success factors for stakeholder management: construction practitioners' perspectives. Journal Of Construction Engineering And Management. 136, 778-786.

Yang, J. et al. (2011) Stakeholder management in construction: an empirical study to address research gaps in previous studies. International

Journal of Project Management, 29, 900-910.

Yip, M.H., Phaal, R.P., David R. (2013) Stakeholder engagement in early stage product-service system development for healthcare informatics. In: Technology Management for Emerging Technologies. Proceedings of Picmet. San Jose, California, USA, 2564-2574.

DOI: 10.5585/gep.v8i1.311

Data de recebimento: 09/09/2016

Data de Aceite: 15/01/2017

Organizacao: Comite Cientifico Interinstitucional

Editor Cientifico: Emerson Antonio Maccari

Avaliacao: Double Blind Review pelo SEER/OJS

Revisao: Gramatical, normativa e de formatacao

Elcio Gomes Pereira Martins (1)

Joao Souza Neto (2)

(1) Mestre em Gestao do Conhecimento e Tecnologia da Informacao pela Universidade Catolica de Brasilia--UCB. Brasil. E-mail: elciogpm@gmail.com

(2) Doutor em Engenharia Eletrica pela Universidade Catolica de Brasilia--UCB. Professor do Mestrado em Gestao do Conhecimento e Tecnologia da Informacao da Universidade Catolica de Brasilia--UCB. Brasil. E-mail: sznetoj@gmail.com

Caption: Figura 5--Escore UWES--Projeto 1.

Caption: Figura 6--Escore por dimensoes Uwes--Projeto 1

Caption: Figura 7--Quantidade por nivel Pmbok--Projeto 1

Caption: Figura 8--Escore Uwes--Projeto 2

Caption: Figura 9--Escore por dimensoes Uwes--Projeto 2

Caption: Figura 10--Quantidade por nivel Pmbok--Projeto 2

Caption: Figura 11--Escore Uwes--Projeto 3

Caption: Figura 12--Escore por dimensoes Uwes--Projeto 3.

Caption: Figura 13--Quantidade por nivel Pmbok--Projeto 3.
Figura 1--Matriz de avaliacao do nivel de engajamento.

                         Nao      Resis-             Da
Parte interessada     informado   tente    Neutro   apoio   Lidera

Parte interessada 1       C                           D
Parte interessada 2                          C        D
Parte interessada 3                                  DC

Fonte: Pmbok (PMI, 2013)

Figura 2--Questionario de bem-estar no trabalho--Uwes versao
reduzida

As seguintes perguntas referem-se a sentimentos em relacao ao
trabalho. Por favor, leia atentamente cada um dos itens a seguir e
responda se ja experimentou o gue e relatado, em relacao a seu
trabalho. Caso nunca tenha tido tal sentimento, responda "0" (zero)
na coluna ao lado. Em caso afirmativo, indique a frequencia (de 1 a
S) que descreveria melhor seus sentimentos, conforme a descricao
abaixo.

           Quase      As     Regular-   Frequen-    Quase
Nunca      nunca     vezes    mente     temente     sempre    Sempre

0            1         2        3          4          5         6

Nenhuma   Algumas     Uma    Algumas    Uma vez    Algumas    Todos
vez        vezes      vez     vezes       por       vezes      os
          por ano     ou     por mes     semana      por       dias
                     menos                          semana
                     por
                      mes

1. -- Em meu trabalho, sinto-me repleto (cheio) de energia. (Vigor)
2. -- No trabalho, sinto-me com forca e vigor (vitalidade). (Vigor)
3. -- Estou entusiasmado com meu trabalho. (Dedicacao)
4. -- Meu trabalho me Inspira. (Dedicacao)
5. -- Quando me levanto pela manha, tenho vontade de ir
      trabalhar. (Vigor)
6. -- Sinto-me feliz quando trabalho Intensamente. (Absorcao)
7. -- Estou orgulhoso com o trabalho que realizo. (Dedicacao)
8. -- Sinto-me envolvido com o trabalho que faco. (Absorcao)
9. -- "Delxo-me levar" pelo meu trabalho. (Absorcao)

Fonte: Schaufeli & Bakker (2003) adaptado pelos autores
(identificacao da dimensao por questao)

Figura 3--Questoes por dimensao

Dimensoes   Questoes

Vigor       1.--Quando estou participando do projeto,
            sinto-me cheio de energia.
            2.--Sinto-me forte e com vigor quanto estou
            participando do meu projeto
            5.--Quando chego ao trabalho, tenho vontade
            de me envolver com o projeto
Dedicacao   3.--Estou entusiasmado com o projeto.
            4.--O projeto me inspira.
            7.--Estou orgulhoso do projeto.
Absorcao    6.--Sinto-me feliz quando estou intensamente
            envolvido com o projeto.
            8.--Estou imerso (compenetrado) no projeto.
            9.--Eu me entrego quando estou envolvido no projeto.

Fonte: Elaborado pelos autores

Figura 4--Decodificacao do escore do Uwes

* 0 a .99 [right arrow] 1 (Algumas vezes por ano)
* 1 a 1.99 [right arrow] 2 (Uma vez ou menos por mes)
* 2 a 2.99 [right arrow] 3 (Algumas vezes por mes)
* 3 a 3.99 [right arrow] 4 (Uma vez por semana)
* 4 a 4.99 [right arrow] 5 (Algumas vezes por semana)
* 5 a 6 [right arrow] 6 (Todos os dias)

Fonte: Schaufeli & Bakker (2003)
COPYRIGHT 2017 Universidade Nove de Julho
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2017 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Martins, Elcio Gomes Pereira; Neto, Joao Souza
Publication:Revista de Gestao e Projetos
Date:Jan 1, 2017
Words:6012
Previous Article:Risk management of projects: an ex-post study on military systems projects/Gestao de risco em projetos: um estudo ex-post de projetos de material de...
Next Article:Hindering factors in the practices of relationship management between supermarket retailers and suppliers/Fatores dificultadores nas praticas de...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters