Printer Friendly

MULTIMODALITY AND EFFECTS OF SENSE IN THE GENDER MEME/MULTIMODALIDADE E EFEITOS DE SENTIDO NO GENERO MEME/MULTIMODALIDAD Y EFECTOS DE SENTIDO EN EL GENERO MEME.

INTRODUCAO

A nocao de genero, ao longo do tempo, tem sido assunto para inumeros campos do saber a partir da filosofia classica. Do latim genus, no seculo VI a.C., seu sentido ja se apresentava associado a classificacao, como na doutrina de Platao que, ao envolver a realidade, estabeleceu uma divisao do mundo entre o genero das formas e o das ideias (BREURE, 2001). Aristoteles (1988), por sua vez, propos a organizacao da oratoria em tres generos: o forense, no qual o orador acusa ou defende; o deliberativo, com a intencao de aconselhar ou dissuadir o auditorio; e o epiditico, um discurso usado para elogios ou repreensao a uma pessoa. Trazemos, dessa abordagem dos generos, que remontam da Antiguidade, as praticas comunicativas que surgem por meio das tecnologias digitais.

Presenciamos o desenrolar dos estudos sobre generos por inumeras perspectivas que discutem suas origens (TODOROV, 1976), bem como suas abordagens teoricas sociossemioticas (HASAN, 1994; KRESS, 1985; FAIRCLOUGH, 1992), socioretoricas (SWALES, 1992; MILLER, 1994; BAZERMAN, 2005) ou sociodiscursivas (BAKHTIN, 1992; ADAM, 1999; BRONCKART, 1999). Muitas pesquisas vem se materializando com intencao de proporcionar ao genero um lugar de destaque no ensino de linguas, ressaltando principalmente seu papel na situacao interacional e de cultura. Nesse sentido, necessitamos reconhecer que, com o advento das novas tecnologias digitais, a materializacao dos textos se ampliou significativamente, com destaque para as transformacoes geradas pela internet, nao so nos modos de veiculacao e circulacao dos generos, mas tambem em sua estrutura.

Alem da dinamicidade proposta por essa rede de computadores, celulares e smartphones, os dominios digitais intensificaram as propostas textuais por meio de imagens, cores, sons e videos--movimentos pela estruturacao cada vez mais multimodal dos textos contemporaneos. Tal multimodalidade tem conduzido a construcao de generos que se moldam ao ambiente virtual, especialmente nas redes sociais, e um deles nos chama a atencao: os memes. Com estrategias diferenciadas, aplicamos na oratoria desse genero tres situacoes que podem relacionar a proposta de Aristoteles (1988) a contemporaneidade: (1) o forense--abordagens de acusacao e defesa para noticias politicas, economicas ou sociais; (2) o deliberativo--argumentos de manobras politicas e de oferta de servicos; e (3) o epiditico--discursos de elogios, censura ou repreensao de atitudes para pessoas publicas e/ou famosas. Assim, este trabalho se firma na atualidade quanto a estruturacao de textos, considerando a pertinencia da representacao de mundo por meio de codigos semioticos do sistema comunicativo que culminaram na representacao multimodal, potencializada cada vez mais pelas tecnologias digitais.

As tecnologias digitais tem permitido o surgimento de generos e a remodelagem de outros, com integracao de imagens, animacoes, videos e inumeros recursos para processar o sentido dos textos, disponibilizando um amplo conjunto de modos, muitas vezes em novas relacoes intersemioticas (JEWITT, 2013). Diante da relevancia de compreender a natureza constitutiva dos mais diversos textos e suas imbricacoes com o contexto social e cultural, influenciado pelas ferramentas tecnologicas digitais, este estudo objetiva discutir a multimodalidade presente no genero meme. Pautados em uma analise multimodal, a luz dos pressupostos teoricos elencados por Jewitt (2013) e Hiippala (2014), apresentaremos alguns memes recolhidos no Facebook, estabelecendo uma taxonomia desses autores para a observacao da multimodalidade relacionada aos principais usos desse genero como dinamica social.

AS MUDANCAS NA LINGUAGEM EMERGENTES DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NO CONTEXTO DA MULTIMODALIDADE

O cenario contemporaneo de modo de vida na sociedade representou grandes rupturas e significativas tendencias associadas as manifestacoes sociais e linguisticas advindas das tecnologias digitais, como o uso de redes sociais aproximando pessoas e a interacao por meio de smartphones e computadores. A comunicacao nao poderia ficar imune as transformacoes provocadas pela consolidacao da internet, considerando a diversidade de registros e as variedades linguisticas presentes nesse ambiente (BEZERRA, 2013). Conforme Rajagopalan (2013, p. 50), na web "a escrita, a fala e a imagem se mesclam de certa forma, ate pouco tempo atras, impensavel". Esse ambiente tao ecletico, aberto a uma imensidade de formas enunciativas, possibilita uma variedade de comunicacao em inumeros aspectos multimodais que se fundem para criar os mais originais efeitos nos discursos com aliados como diferentes fontes, videos, imagens e layouts a servico das interacoes sociocomunicativas.

A coleta e analise desses recursos semioticos encontra conceitos e metodos na multimodalidade, abordagem interdisciplinar advinda da semiotica social que compreende a comunicacao para alem da linguagem, atendendo sistematicamente a interpretacao de uma serie de representacoes de sentido (JEWITT, 2013). Assim, a multimodalidade reforca a acao situada, atribuindo valor ao contexto social e aos recursos utilizados para a construcao de significado, partindo de um conjunto multimodal que permitira alcancar os propositos para os quais o enunciador fez suas escolhas. Cope e Kalantzis (2009) associam a multimodalidade a ideia de que todos os modos trabalham em conjunto. Para os autores,

o significado multimodal tambem e muito mais do que a soma de aspectos linguisticos, visuais, espaciais, modos de significado gestual e auditivo. Envolve tambem processos de integracao e movimentacao com enfase para tras e para frente entre os varios modos2 (COPE; KALAMTZIS, 2009, p. 422-423).

Esses modos, realizados socialmente como um recurso situado, tem o potencial de contribuir para o significado da comunicacao tanto quanto a fala e a escrita (JEWITT, 2013). Assim, a linguagem, em seus usos culturais, historicos e sociais, estabelece um sentido orquestrado pela configuracao de sua estrutura interativa entre todas as escolhas para a comunicacao. Jewitt (2013) observa conceitos fundamentais para atribuir significados aos textos multimodais:

(a) modos--referem-se aos recursos utilizados para dar significado aos conteudos, que sao selecionados para representar o mundo e a experiencia das pessoas. Precisam incluir um conjunto de elementos e principios de organizacao/normas dentro de uma comunidade. Para a percepcao desse conjunto, Halliday (1975) observa a necessidade de articular tres significados: o ideacional (experiencia do falante do mundo real ou de seu universo subjetivo); o interpessoal (relacoes nas quais o falante expressa seu papel social); e o textual (capacidade do individuo--falante ou escritor--para criar texto ou distinguir um texto de um grupo aleatorio de frases). Entre os modos podemos incluir escrita, imagem, fala, gesto, postura corporal e olhar.

(b) recursos semioticos--sao acoes, materiais e artefatos usados com fins comunicativos. Podem ser tanto fisiologicos--como mover musculos acentuando as rugas entre as sobrancelhas para indicar duvida, preocupacao ou espanto--quanto tecnologicos, por exemplo, canetas e lapis, software de computador. Kress (2009) destaca que esses recursos sao constantemente transformados, considerando a combinacao efetivada pra refletir interesses pessoais.

(c) materialidade--refere-se ao material fisico dos recursos semioticos, com diferentes possibilidades, por exemplo, trabalhar o som para se tornar discurso ou musica. E por meio da materialidade que alcancamos inumeros objetivos comunicacionais.

(d) affordances modais--diz respeito as potencialidades e restricoes dos diferentes modos, ou seja, ao que pode ou nao configurar uma estrategia de comunicacao facilmente identificada em um recurso. E um conceito complexo, conectado tanto ao material quanto ao contexto cultural, social e historico de um modo.

(e) conjuntos multimodais--sao representacoes ou interacoes que consistem em mais de um modo, podendo ser vistos, portanto, como resultado de modos e affordances modais, tecnologia disponivel e agencia de um individuo. Quando varios modos estao envolvidos em um ato comunicativo, eles se combinam para representar o significado da imagem.

(f) funcoes de significado--construidas sobre uma teoria funcional do significado como acao social, realizam-se por meio de escolhas modais das pessoas e pela maneira como elas combinam e organizam esses recursos em conjuntos multimodais. Tres categorias se realizam simultaneamente: (a) significado de conteudos, ou seja, recursos escolhidos para representar o mundo e a experiencia dos sujeitos; (b) forma de significados, isto e, escolhas para representar as relacoes sociais entre interlocutores; e (c) significado textual ou organizacional, referente a escolha de recursos como espaco, layout e ritmo para estabelecer a coesao, composicao e estrutura de um texto ou de uma interacao.

A materializacao dos significados nos textos multimodais, para atingir seus propositos comunicativos, necessita de recursos semioticos que, com as tecnologias digitais, podem ser imagens, sons, videos e gifs, significando as potencialidades e restricoes do uso de determinado objeto por uma convencao social, como no caso de emojis como forma de expressar sentimentos em substituicao a palavras. Para Jewitt (2013), a construcao de sentidos nos textos ocorre gracas ao envolvimento de conjuntos multimodais, ou seja, o contexto social, modos disponiveis, affordances modais, tecnologias disponiveis e a agencia de um individuo.

A atribuicao desses significados nos permite observar, entao, que a multimodalidade, materializada pelas tecnologias digitais, vai tracando caminhos para um sujeito cognitivo nao apenas na condicao de receptor, mas tambem de alguem que identifica potencialidades para registros de sua propria pratica. Tem sido cada vez mais recorrente a forma de comunicacao no espaco digital mesclando palavras e imagens, textos em movimento, com audio e video. Assim, as transmutacoes das praticas de linguagem vao originando generos discursivos que emergem no ambiente cibernetico, como memes, tweets, gifs.

Nesse cenario, sob um ponto de vista historico dos generos que se transformam ao longo da evolucao da sociedade, ha que se considerar uma otica multimodal de analise. Concebendo que o discurso envolve uma pratica de representacao e de significado, os textos multimodais tem sido objeto de estudos pela pluralidade de seus codigos e elementos formadores (KRESS; VAN LEEUWEN, 1996; JOLY, 1996; ROSE, 2016). Hiippala (2014) contribui para a analise da estrutura de documentos multimodais conduzindo uma discussao teorica com o modelo Genero Multimodal (doravante GeM), usado para identificar e capturar aspectos da organizacao do genero em artefatos multimodais. Segundo o autor, o que caracteriza um genero multimodal sao as seguintes camadas:

(a) base: elementos basicos fisicamente presentes nas paginas, como frases, titulos, imagens, legendas etc.;

(b) layout: estrutura, modelo de area e realizacao em conjunto, como paragrafos, titulos, figuras, itens de lista etc.;

(c) retorica: detalhes das relacoes retoricas entre o conteudo apresentado pelos elementos da pagina e seu proposito sociocomunicativo; e

(d) navegacao: elementos que contribuem para navegacao e acesso a pagina, como ponteiros, entradas e indices.

Segundo Bateman (2008, p. 2), "a ascendencia do documento multimodal e tambem acompanhada e acelerada pelo enorme crescimento das tecnologias por meio das quais tais documentos sao produzidos, distribuidos e consumido". (3) O autor observa como consequencia um notavel aumento da complexidade de analise sobre esses documentos, assim como lacunas substanciais para sua compreensao. A fim de aprofundar o entendimento sobre como se explicita a multimodalidade em ambiente virtual, buscamos na rede social Facebook nossos objetos de pesquisa e retomamos os pontos destacados por Jewitt (2013) e Hiippala (2014) como suporte desta analise. Inicialmente apresentaremos o historico dos memes para, em seguida, investigarmos a compreensao dos significados expressos pelas analises multimodais dos dois autores, considerando os pontos em comum entre eles que possam levar a uma comunicacao expressa pelos memes.

MEMES: ARTEFATOS CULTURAIS DIGITAIS

Um genero textual nao representa apenas a materializacao do texto, mas, sim, um instrumento pelo qual podemos expressar nosso discurso, em uma posicao de sujeitos criticos, reflexivos e participativos do ambiente social, cultural e historico em que nos inserimos (BAKHTIN, 1992). E por meio da linguagem que nos expressamos. Segundo o dicionario Houaiss da Lingua Portuguesa (2009, p. 1183), linguagem e "qualquer meio sistematico de comunicar ideias ou sentimentos atraves de signos convencionais, sonoros, graficos, gestuais". Desse modo, os seres humanos constroem mensagens ou discursos considerando seu proposito comunicativo, a situacao envolvida, os receptores do texto, o ambiente, entre outros fatores, utilizando-se, para tanto, de diferentes generos. Com o advento das tecnologias digitais, as estrategias de comunicacao encontraram um ambiente fertil para os generos textuais que se apropriam de variados recursos semioticos para veicular ideias, valores, sentimentos e pontos de vista de maneira diferenciada.

Dentre os generos emergentes do meio digital, encontram-se os memes. Esse termo tem origem no campo da biologia, mais especificadamente na genetica, quando o biologo e escritor Richard Dawkins, em 1976, relacionou a palavra a capacidade de multiplicacao dos genes (CANDIDO; GOMES, 2015). Nessa perspectiva, assim como os genes sao capazes de se replicar e de transmitir informacoes sobre os aspectos geneticos do ser humano, os memes reproduzem e disseminam aspectos comunicacionais. As affordances do mundo digital disponibilizaram ao usuario as ferramentas necessarias para produzir, propagar, recategorizar, replicar e armazenar, com diferentes estruturas e conteudos, esse genero. Os memes sao construidos por uma imagem ja existente, retirada de fatos do cotidiano, e um texto que tambem parte de outro contexto para se configurar em uma significacao final.

Knobel e Lankshear (2007, p. 202) conceituam meme como "um termo popular para descrever a rapida aceitacao e propagacao de uma ideia particular apresentada como um texto, imagem, linguagem, 'movimento', ou alguma outra unidade de 'material' cultural". (4) Os memes chamam atencao por sua dinamicidade e multimodalidade, por constituirem um discurso onipresente em ambientes digitais como Facebook, Instagram, WhatsApp e Twitter. Na tentativa de explicar emocoes intensas, declaracoes sobre inumeros assuntos, sentimentos e posicoes politicas, sociais, economicas e afetivas, os memes surgem como representacoes de uma cultura contemporanea com implicacoes fluidas, e se propagam rapidamente.

De acordo com Shifman (2013), os memes podem ser interpretados como unidades da cultura popular veiculadas, imitadas e transformadas por usuarios da internet, criando uma experiencia cultural compartilhada. O autor discute tres dimensoes culturais que permitem as pessoas interagirem por meio de memes: conteudo, forma e postura. A primeira diz respeito ao conteudo especifico, relacionado tanto as ideias quanto as ideologias transmitidas pelo meme; a segunda dimensao aborda a forma, ou seja, a materializacao fisica da mensagem, que possibilita a percepcao sensorial (visual, auditiva ou outro padrao mais complexo); e a terceira considera a postura, a posicao que os usuarios assumem diante do genero meme, por exemplo, a decisao de compartilhar um texto ou se posicionar contrario a ele.

Assim, a cultura digital, como espaco de producao e transmissao de saberes, permite aos memes moldar mentalidades e comportamentos de grupos sociais (KNOBEL; LANKSHEAR, 2007). Shifman (2013) observa que nesse fenomeno social, embora o meme se espalhe em uma base micro, seu impacto esta no macro; ou seja, pela velocidade e alcance de disseminacao, ele se torna uma rica ferramenta de divulgacao cultural.

Em sua simplicidade, os memes podem ser produzidos com qualquer programa editor de texto para computador. Correndo o risco de nos tornarmos obsoletos nesta informacao, diante da rapidez das evolucoes tecnologicas digitais, destacamos alguns recursos que permitem a construcao de memes, como Meme Generator, Livememe, Quickmeme, MemeDad, Imgflip, ou ate mesmo o Paint, alem de ferramentas para celular, como Pext, Aviary Photo Editor, Picsart, Photogrid ou Cymera. Martino (2015, p. 178) destaca que "qualquer pessoa com conhecimentos rudimentares de edicao de imagem digital pode, potencialmente, se apropriar de uma ideia, modifica-la e compartilha-la", caracteristica intrinseca aos memes. Assim, elaborados com a juncao entre uma imagem retirada de determinada cena do cotidiano e um texto extraido de outro contexto, o meme vai adquirindo uma significacao propria.

A seguir, exploramos a aplicabilidade de memes na cultura digital, mais especificamente no Facebook, posicionando-nos quanto suas estruturas constitutivas e estrategias discursivas.

ANALISES E DISCUSSOES

O uso recorrente de imagens nas comunicacoes tem propiciado um movimento da linguagem por um processo criativo de memes em redes sociais, carregando emocoes, ideias, pontos de vista, comportamentos, valores e inumeros argumentos de forma diferenciada em processos discursivos. A proposta deste trabalho e observar os aspectos de compreensao e producao de sentidos que envolvem o genero meme. Nesse cenario, pautados nos aportes teoricos de Jewitt (2013) e Hiippala (2014), selecionamos onze memes coletados aleatoriamente no Facebook, sobre diversos assuntos.

Iniciamos com a apresentacao de uma pagina o Facebook e, em seguida, elencamos alguns memes que fazem parte da linha do tempo da autora. O objetivo e examinar os aspectos multimodais presentes nos memes, assim como as possibilidades de recepcao de significados interpostos no genero multimodal. Essa investigacao se enquadra nos parametros qualitativos, uma vez que intencionamos abordar os recursos semioticos para a determinacao das informacoes veiculadas.

Hiippala (2014) viabilizou um framework que permite analisar como os documentos multimodais sao distribuidos conforme o modelo GeM. Iniciamos nossas observacoes demonstrando o papel de ligacao da camada base, ou seja, e a camada responsavel pela consubstanciacao de todo o documento multimodal. A Figura 1 retrata uma pagina do Facebook, permitindo analisa-la quanto as unidades minimas que compoem a camada base:

A partir da Figura 1 podemos considerar que o conjunto de uma pagina no Facebook e mutavel, ou seja, embora os aspectos de layout que atribuem identidade a pagina se mantenham fixos, o espaco permite que seus usuarios personalizem a pagina com fotos, cores e textos escritos diariamente. Sao esses recursos que propiciam a decomposicao da camada base em suas unidades minimas, segundo o modelo GeM (HIIPPALA, 2013). Com uma estrutura plana, a pagina oferece quatro grandes blocos: na lateral esquerda, o espaco para Fotos e Amigos; a direita, amigos online, nas imediacoes e conversas de grupo; e centralizado, o post atual--no caso, um meme. Entao, a camada de base e formada por links, imagens e textos, permitindo ao usuario construir sentido e identidade para sua pagina pessoal.

Segundo Bateman (2008), ha um vocabulario basico de identificacao para dar significado a uma pagina ou documento, sendo papel do investigador conferir sentido as interpretacoes ali apresentadas, a fim de possibilitar a interacao dos elementos para a analise das outras camadas. Assim, a pagina abarca questoes tanto de cunho generico quanto retorico e de navegacao, procedendo suas correlacoes de acordo com seus usuarios, sem estrutura direcional. Observamos tambem na pagina camadas de navegacao (HIIPPALA, 2014), por meio de links interativos de Curtir, Comentar e Compartilhar relacionados ao meme, alem da possibilidade de postar textos, videos e fotos, interagir com as pessoas, individualmente ou em grupo, encontrar coisas ou pessoas no sistema de busca etc.

Quanto ao meme utilizado na pagina, destacamos sua camada retorica (HIIPPALA, 2014) pelos detalhamentos de suas relacoes com a imagem escolhida. O quadro O Grito, que serviu como referencia para o meme, e do pintor noruegues Edvard Munch e retrata uma figura androgena em um momento de profunda angustia e desespero existencial. Situacao semelhante ocorre com a personagem do meme, isto e, ela se encontra em um momento de panico ao deparar a ideia de que qualquer post na internet esteja relacionado a ela. Referimo-nos, entao, baseados em Hiippala (2014), a intencao interacional no uso do computador para transmitir um significado interpessoal: a personagem expressa, por meio da rede social, seus sentimentos de medo e inseguranca.

Podemos perceber tambem o que Jewitt (2013) assinala como affordance modal, ou seja, ao mesmo tempo que a imagem potencializa a leitura do meme, ela passa a restringir o sentido se o leitor nao conectar seu uso historico, social e cultural ao quadro de Munch.

Embora a expressao fisica no meme, inclusive com gotas de suor, demonstre sentimentos similares aos do quadro original, o entendimento sobre a obra levaria a um espaco particular de conhecimento de mundo. Assim, recorremos a Jewitt (2013) para tratar a atribuicao dos significados multimodais do texto, gestados pelo uso do quadro O Grito para representar o mundo e as experiencias da personagem, transmitindo um significado pessoal de inseguranca em relacao a sua participacao no Facebook. Desse modo, a referencia textual, apontada por Jewitt (2013) como atribuicao do significado, torna o meme uma "parodia" do quadro original, na qual paisagem, layout, jogo de cores, ondulacoes e elementos fisicos da personagem contribuem para uma releitura comica da composicao artistica. Destacamos tambem a conexao interacional para transmissao da mensagem entre o uso do computador, a divulgacao do Facebook e a utilizacao metalinguistica do meme para falar da propria rede social.

Knobel e Lankshear (2007) identificam essas referencias cruzadas com uma serie de eventos, artefatos e praticas da cultura popular como meme intertextual, que permite as formas de comunicacao se encaixarem em um espaco de afinidade para dar sentido a uma ideia. No entanto, a formacao cultural do leitor e essencial para a leitura critica das metaforas existentes na imagem. Chen (2012) observa a importancia da internet como espaco publico de democratizacao do conhecimento. Segundo o autor, os memes sao responsaveis por propagar conteudos importantes, que argumentam a favor de ideias diversas, influenciando sobremaneira os interesses sociais, como na Figura 3:

Conforme Jewitt (2013), os modos se relacionam aos recursos utilizados para dar significado ao texto. No meme da Figura 3 destacamos dois conceitos fundamentais apontados pelo autor, a respeito do significado de representacoes imageticas: (a) materialidade--o aspecto da crianca (suas condicoes da roupa) e as cores utilizadas, representativas do sol (amarelo) e do fogo das queimadas (vermelho), somados a paisagem, reforcam a ideia de desolacao da humanidade, tanto pela representacao de uma crianca (significando duvida quanto ao futuro) como pela devastacao das arvores, as cores sombrias do chao seco e queimado e o ceu cinza, intensificando o plano de profundidade como se os caminhos dos olhos nao permitissem uma saida para a problematica; e (b) conjunto multimodal--a floresta devastada e a imagem de uma crianca reforcam uma intertextualidade que nao se encontra apenas no ambito linguistico (compreensao de meio ambiente como conjunto que envolve todas as coisas presentes no planeta Terra ou como metade do ambiente), mas em todos os aspectos relacionados a experiencia das pessoas para representar a comunicacao, ou seja, a composicao dos recursos utilizados dao sentido ao texto.

Essas estrategias permitem identificar as affordances modais presentes do texto, pois passam a estabelecer uma forma de comunicacao facilmente identificada no meio cultural, social e principalmente historico relacionado aos problemas ambientais. Quanto ao layout--crianca, terra seca e devastada por queimadas e um ceu cinzento e escuro--Hiippala (2014) afirma ser uma camada retorica, estrategia para ampliar a eficacia da mensagem oferecida a nossa interpretacao de que e preciso cuidar do meio ambiente.

O humor e um componente peculiar em grande parte dos memes. Os proximos exemplos abordados discutem essa particularidade do genero em pauta.

A satira contida nas figuras corresponde a manifestacoes populares a respeito da prova cujo objetivo e verificar competencias e habilidades dos estudantes que concluiram o ensino medio e, com base nisso, permitir a entrada em universidades. Bizarramente engracado, o meme, conforme ja apontamos, e constituido por uma imagem preexistente (na Figura 4, jovens personagens de um filme) e um texto de outro contexto (no caso, a referencia ao Enem) para se configurar em uma significacao final.

Assim, o proposito comunicacional do meme na Figura 4 identifica a forma fisica (diriamos tambem emocional) dos participantes do processo avaliativo, que chegam a exaustao apos as provas. A esse respeito, Jewitt (2013) observa que a materializacao dos significados em textos multimodais, para atingir suas intencoes comunicativas, requer entendimento por parte do leitor. Esse meme, para nos brasileiros, seria compreendido com facilidade, porem um estrangeiro provavelmente teria dificuldade para interpretar a critica, pela falta de conhecimento previo sobre a prova, pelas condicoes sociais e culturais em que muitos candidatos se encontram.

As affordances modais (JEWITT, 2013), ou seja, as potencialidades projetadas na imagem, permitem algumas analises. Primeiro, a entrada para a prova apresenta muitos jovens com aparencia normal, expressando tranquilidade e coragem para enfrentar os desafios implicados no concurso. A segunda imagem, em oposicao, alem de expor os adolescentes saindo do evento cansados e sujos, como se tivessem acabado de sair de uma batalha, sugere que somente esses tres conseguiram bom desempenho diante dos demais concorrentes, que sumiram da imagem; e possivel inferir tambem que apenas seres com poderes especiais conseguiram realizar a prova --uma critica sobre a dificuldade do exame representada pela atmosfera de caos. No entanto, a leitura desse texto multimodal vai alem dos aspectos do Enem, abarcando um contexto situacional e sobretudo cultural, porque os jovens sao personagens principais de uma serie de filmes britanico-americana, baseada nos livros homonimos de J. K. Rowling, Harry Potter, Rony Weasley e Hermione Granger, que lutam contra seres das trevas que tentam controlar o mundo.

As categorias de analise do modelo GeM (HIIPPALA, 2014) podem ser assim representadas: a camada base sao imagens e textos; o layout se configura por (a) duas imagem--a primeira com tres jovens protagonistas no centro, limpos, de expressao facial tranquila e acompanhados por outros jovens; a segunda, com tres protagonistas sozinhos, marcados por luta (sangue na boca, testa e nariz), sobrepostos a uma imagem desfocada, sem outros jovens em segundo plano, transmitindo a ideia de um ambiente destruido--e (b) dois textos, com a particularidade de um se encontrar na primeira imagem e outro na segunda, no entanto, os textos se completam, surgindo uma camada de navegacao na qual a leitura do meme da esquerda sera completada pelo da direita.

Os memes a seguir, tambem de humor, trazem personagens da Disney, especificamente princesas, como protagonistas de situacoes do dia a dia, satirizando problemas femininos.

O contexto de abordagem semiotica dos memes se materializa de forma colaborativa por intermedio de uma imagem, com acoes do cotidiano e de um texto escrito no sentido humoristico. A pagina de humor @ironicadisney apresenta as princesas da Disney destacando os dramas vividos em situacoes variadas, como problemas com o cabelo, tentativas frustradas de dietas ou expectativas criadas no dia a dia. Segundo Hiippala (2014), as escolhas do modo semiotico nos permitem perceber e comparar estruturas multimodais semelhantes. Nesse sentido, os artefatos sociais utilizados nos memes da Figura 5 realizam uma estrategia retorica comunicativa similar em sua camada base: imagem de uma princesa centralizada com textos nas partes superior e inferior.

Nesse contexto, usando imagem e escrita, percebemos um layout construido a partir da forma do meme, o que Hiippala (2014) caracteriza como estrutura, modelo de area e realizacao. A descricao visual-verbal e resultado de escolhas que se aproximam da intencao discursiva (no primeiro meme, a situacao do cabelo; no segundo, a tranquilidade da princesa para aguardar o milagre; e no terceiro, a expressao facial, sobrancelhas arqueadas e a boca com um sorriso sem graca, demonstrando uma decepcao). Essa interacao encontrada no layout e as funcoes organizadas entre suas partes permitem ao leitor entender a intencao comunicativa, ou seja, a camada retorica (HIIPPALA, 2014).

Os memes da Figura 6 estao associados a imagens de estrelas de Hollywood. A pagina Diva Depressao investe em um humor irreverente e original para gerar memes de frases espirituosas e divertidas sobre relacionamento, amizade e outros inumeros assuntos do cotidiano.

As postagens da pagina Diva Depressao podem ser classificadas pelos padroes discursivos como humoristicas, principalmente pela criacao controversa na qual se coloca uma "diva", ou seja, uma divindade feminina--nesse caso, uma deusa das producoes hollywoodianas, com textos que nao se esperam de uma mulher desse contexto. Assim, as relacoes retoricas presentes nesses memes se materializam no paradoxo entre o que se mostra e o que se fala, ratificando a atribuicao de significados determinada por escolhas para representar o mundo e experiencias das pessoas, como aponta Jewitt (2013).

Com base no modelo GeM de Hiippala (2014), podemos caracterizar os elementos formadores dos memes aqui analisados da seguinte maneira: camada base --elementos minimos, compostos por imagens centralizadas e em preto e branco, com textos escritos nas partes superior e inferior; layout--formado pela imagem de uma atriz famosa de Hollywood bem arrumada em uma situacao do cotidiano, relacionada a uma intencao discursiva materializada pelos textos; camada retorica conteudo imagetico representado no meme (mulheres felizes, doces e ingenuas, de olhares suaves), associado ao texto superior, entra em contraste com o texto inferior, que se destaca por um proposito comunicativo de afirmar a verdadeira mulher, forte, determinada e decidida a se impor socialmente; e a camada de navegacao--considera o texto superior, destacando a suavidade da mulher, o que se confirma pelo olhar, mas se desconstroi com o texto inferior.

O meme da Figura 7, dotado de informacao visual e escrita, vai alem da camada base do modelo GeM conforme assinala Hiippala (2014). Isso acontece porque a identificacao das unidades minimas de layout, responsavel por dar ao meme uma estrutura estetico-visual, opera de forma clara quando nos atentamos aos diferentes aspectos multimodais inerentes aos memes: imagem centralizada e textos na parte superior e inferior.

Outra observacao importante diz respeito a camada de navegacao, que surge pelo olhar do gatinho, um vetor de reacao, (6) como se fosse um ponteiro direcionando a pessoa com a qual o gato esta se comunicando (KRESS; VAN LEEUWEN, 1996). Ademais, ha a leitura do conteudo escrito na parte superior da imagem, que seguiria para o escrito na parte inferior, contribuindo para articular imagem e conteudo verbal na geracao do sentido. Assim, os detalhes constitutivos do genero meme se agrupam de forma mais abrangente, compondo o texto: o olhar desconfiado do gato (diriamos ate assustado com a descoberta), para cima, expressa uma comunicacao com um humano adulto, enquanto a formacao textual abaixo, toda grudada, pode aludir ao jeito como provavelmente o adulto pede ao gato para descer dos lugares: com enfase em todas as silabas e, talvez, em um tom um pouco mais serio.

Retomando as affordances modais propostas por Jewitt (2013) em suas abordagens analiticas, destacamos na imagem a presenca do laco, azul e com bolinhas, como tatica cultural e social de representacao do animal, ou seja, esse recurso pode indicar que se trata de um macho. Recorremos a Jewitt para analisar as funcoes de significado presentes no meme: os recursos escolhidos (imagem do gato, recipiente de comida e o provavel ambiente de uma sala); as relacoes sociais entre o animal e seu dono; os cuidados que se pode observar no animal (limpo e arrumado); e a estrutura organizacional (a composicao coesa entre imagem, ambiente e texto, realizados simultaneamente pelos conjuntos multimodais).

A partir das categorias de analise aqui elencadas, baseadas em Jewitt (2013) e Hiippala (2014), reconhecemos o meme como um genero multimodal, composto por imagens, cores, textos escritos e dotado de grande potencialidade de interacao e viralizacao em uma comunidade. O meme evoca ideias que se fundem e se combinam por meio de um fluxo de informacoes cuja interpretacao muitas vezes exige relacoes deiticas, assim como conhecimentos culturais, sociais e politicos. Nesse contexto, os memes contribuem nao apenas para gerar humor, mas tambem para registar o pensamento humano por meio de criticas sociais. Embora nao tenhamos destacado neste estudo, o movimento negativo tambem acontece, visto que muitos se apropriam desse genero para a pratica de bullying, por exemplo.

CONSIDERACOES FINAIS

Miller (2009) observa que a internet tem sido espaco com mais liberdade que as disciplinas academicas e organizacoes educacionais, permitindo muita experimentacao e se tornando onipresente no cotidiano da sociedade. As caracteristicas textuais-discursivas dos memes sao reflexo das mudancas nas relacoes interpessoais, com propositos diferentes, como divulgar campanhas publicitarias, fazer humor, discutir politica ou outro assunto que esteja em pauta na sociedade. Assim, os memes sao um genero digital rico tanto por sua composicao de facil entendimento (foto ou outro tipo de imagem acompanhada de um enunciado escrito), quanto por sua capacidade de abordagem.

Percebemos, na perspectiva multimodal, que as camadas do modelo GeM proposto por Hiippala (2014) e aspectos da multimodalidade propostos por Jewitt (2013) contribuiram para a percepcao dos elementos presentes nos memes, constituindo categorias investigativas uteis para melhor compreender esse genero. Ambas as propostas procuram abarcar aspectos trazidos pelos generos multimodais, propiciando uma visao mais pormenorizada do significado expresso pelos modos semioticos presentes nos textos.

Diante disso, as escolhas realizadas pelos produtores de memes atendem a contextos culturais, sociais e politicos de naturezas distintas. Sua estrutura e organizacao permitem um dialogo entre produtor e leitor, por meio de um texto carregado de ideologias e conceitos que demandam dos leitores um conhecimento previo. Esses recursos, facilmente replicados, pela mensagem, critica, humor e principalmente pela carga emocional que contem, podem promover grandes impactos nas praticas sociais.

Ressaltamos a importancia de estudos a respeito da multimodalidade, considerando que grande parte das interpretacoes relacionadas aos exemplos aqui apresentados requerem analises de areas diversas do conhecimento. Conforme adverte Bateman (2008, p. 7), "A medida que o uso de modalidades visuais interligadas cresce, devemos nos questionar se poderemos nos dar ao desfrute de continuarmos a nos apoiar em aprender sobre multimodalidade por osmose, implicitamente". (7)

REFERENCIAS

ADAM, Jean-Michel. Linguistique textuelle: des genres de discours aux texts. Paris: Nathan, 1999.

ARISTOTELES. Arte Retorica e Arte Poetica. Rio de Janeiro: Edicoes de Ouro, 1988. (Colecao Universidade).

BATEMAN, John. Multimodality and genre: a foundation for the systematic analysis of multimodal documents. London: Springer, 2008.

BAKHTIN, Mikhail [1977]. Os generos do discurso. In:__. Estetica da criacao verbal. Sao Paulo: Martins Fontes, 1992. p. 261-305.

BAZERMAN, Charles. Generos textuais, tipificacao e interacao. Sao Paulo: Cortez, 2005.

BEZERRA, Benedito Gomes. O discurso academico sobre lingua e linguagem na internet. In: SIMPOSIO HIPERTEXTO E TECNOLOGIAS NA EDUCACAO, 5, 2013, Recife. Anais ... Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2013. p. 1-20.

BREURE, L. Development of the genre concept. 2001. Disponivel em: < http://www.informationdesign.org/development_of/ >. Acesso em: 29 ago. 2018.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo socio-discursivo. Sao Paulo: Educ, 1999.

CANDIDO, Evelyn Coutinho Rother; GOMES, Nataniel dos Santos. Memes: uma linguagem ludica. Philologus, Rio de Janeiro, ano 21, n. 63, p. 1293-1303, set./dez., 2015.

CHEN, Carl. The creation and meaning of internet memes in 4chan: popular internet culture in the age of online digital reproduction. Habitus, New Haven, v. 3, p. 6-19. 2012. Disponivel em: <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.363.7029&rep=rep1&t ype=pdf#page=6>. Acesso em: 29 ago. 2018.

COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. A grammar of multimodality. International Journal of Learning, Champaign, v. 16, n. 2, pp. 361-427, 2009.

FAIRCLOUGH, Norman. Discourse and social change. Cambridge, UK: Polity/Blackwell, 1992.

HALLIDAY, Michael. Language as social semiotic: towards a general sociolinguistic theory. In: MAKKAI, Adam; MAKKAI, Valerie Becker (Eds.). The first lacus forum. Californian: Hornbeam, 1975. p. 17-46.

HASAN, Ruqaiya. Situation and the definition of genres. In: GRIMSHSW A D. (Org.). What's going on here? Complementary studies of professional talk. Norwood: Ablex, 1994. p. 127-72. (The Multiple Analysis Project, 2).

HIIPPALA, Tuomo. Multimodal genre analysis. In: NORRIS, Sigrid; MAIER, Carmen Daniela (Eds.). Texts, images, and interactions: a reader in multimodality. Berlin: De Gruyter, 2014. p. 111-123.

HOUAISS, Antonio. Dicionario eletronico Houaiss da lingua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

JEWITT, Carey. Multimodal methods for researching digital technologies. In: PRICE, Sara; JEWITT, Carey; BROWN, Barry (Eds.). The Sage handbook of digital technology research. Thousand Oaks: Sage, 2013. p. 250-265.

JOLY, Martine. Introducao a analise da imagem. Campinas: Papirus, 1996.

KNOBEL, Michele; LANKSHEAR, Colin. Online memes, affinities, and cultural production. In:__. A new literacies sampler. New York: Peter Lang, 2007. p. 199-227.

KRESS, Gunther. Ideological structures in discourse. In: VAN DIJK, Teun A. (Ed.). Handbook of discourse analysis. Orlando: Academic, 1985. p. 27-42.

--. Multimodality: a social semiotic approach to contemporary communication. New London: Routledge, 2009.

KRESS, Gunther; VAN LEEUWEN, Theo. Reading images: the grammar of visual design. London: Psychology, 1996.

MARTINO, Luis Mauro Sa. Teoria das midias digitais: linguagens, ambientes e redes. 2. ed. Petropolis: Vozes, 2015.

MILLER, Carolyn R. Genre as social action. In: FREEDMAN, A. MEDWAY, P. (Eds.). Genre and new rethoric. London: Taylor & Francis, 1994. p. 23-42.

--. Genero como acao social. Estudos sobre: genero textual, agencia e tecnologia. Recife: Ed. Universitaria da UFPE, p. 21-44, 2009.

RAJAGOPALAN, Kanavillil. Como o internetes desafia a linguistica. In: SHEPHERD, Tania G.; ALIES, Tania G. (Orgs.). Linguistica da internet. Sao Paulo: Contexto, 2013. p. 37-53.

ROSE, Gillian. Visual methodologies: an introduction to researching with visual materials. Thousand Oaks: Sage, 2016.

SHIFMAN, Limor. Memes in a digital world: reconciling with a conceptual troublemaker. Journal of Computer-Mediated Communication, State College, PA, v. 18, n. 3, p. 362-377, 2013.

SWALES, John Malcolm. Re-thinking genre: another look at discourse community effects. In: RETHINKING GENRE COLLOQUIUM. 1992, Otawa. Proceedings ... Otawa: Carleton University, 1992.

TODOROV, Tzvetan. The origin of genres. New Literary History, Baltimore, v. 8, n. 1, p. 159-170, 1976.

DOI: 10.12957/periferia.2019.36955

Josiane Brunetti Cani (1)

Universidade Federal de Minas Gerais--UFMG

(1) Doutoranda em Linguistica Aplicada pela UFMG, Mestre em Educacao, possui graduacao em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciencias e Letras de Colatina, com pos-graduacao em Planejamento Educacional e em Gestao Integradora: Supervisao Escolar, Orientacao Escolar e Inspecao Escolar. Atualmente, exerce a funcao de Tecnico em Assuntos Educacionais do Instituto Federal de Educacao, Ciencia e Tecnologia do Espirito Santo. E-mail: josicani@gmail.com

(2) No original: "multimodal meaning is also much more than the sum of linguistic, visual, spatial, gestural and audio modes of meaning. It also involves processes of integration and moving the emphasis backwards and forwards between the various modes".

(3) No original: "The ascendancy of the multimodal document is also accompanied and accelerated by the dramatic growth of the technologies by which such documents are produced, distributed and consumed".

(4) No original: "a popular term for describing the rapid uptake and spread of a particular idea presented as a written text, image, language 'move', or some other unit of cultural 'stuff'."

(5) Simbolo utilizado como substituicao a pagina particular da autora.

(6) Kress e van Leeuwen chamam "vetor de reacao" quando um olhar se direciona a qualquer coisa dentro de uma imagem ou fora dela.

(7) No original: "As the use made of co-deployed and interlinked visual modalities increases, however, the question must be raised as to whether we can afford to continue relying on implicit learning by 'osmosis' for multimodality".

Caption: Figura 1: Camada base do Facebook Fonte: Pagina articular da autora no Facebook.

Caption: Figura 2: Quadro O Grito, do pintor Edvard Munch Fonte: https://www.pinterest.co.kr/pin/398990848213227143/?lp=true

Caption: Figura 3: Meme acerca do meio ambiente Fonte: http://kdimagens.com/imagem/nos-o-chamamos-meio-ambiente-porque-ja-destruimos metade-15725

Caption: Figura 4: Memes sobre o Exame Nacional do Ensino Medio Fonte: http://www.f24.com.br/editorial/educacao/2014/11/09/228151-aprendinoenem internautas-repercutem-o-enem-nas-redes-sociais

Caption: Figura 5: Memes com princesas Fonte: https: //www.facebook.com/disneyironica

Caption: Figura 6: Memes sobre mulheres "Divas" Fonte: https: //www.facebook.com/DivaDepressao/

Caption: Figura 7: Meme sobre animais de estimacao Fonte: http://geradormemes.com/meme/zja719
COPYRIGHT 2019 Universidade do Estado do Rio de Janeiro- Uerj
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Cani, Josiane Brunetti
Publication:Periferia
Date:May 1, 2019
Words:6262
Previous Article:A DISCURSIVE ANALYSIS OF MEMES ENEM 2015/UMA ANALISE DISCURSIVA DE MEMES DO ENEM 2015/ UNA ANALISIS DISCURSIVA DE MEMES DEL ENEM 2015.
Next Article:MEMES AND YOUTH AND ADULT EDUCATION/MEMES E A EDUCACAO DE JOVENS E ADULTOS/ MEMORES Y LA EDUCACION DE JOVENES Y ADULTOS.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters