Printer Friendly

MEMES AND YOUTH AND ADULT EDUCATION/MEMES E A EDUCACAO DE JOVENS E ADULTOS/ MEMORES Y LA EDUCACION DE JOVENES Y ADULTOS.

INTRODUCAO

Percebe-se que, no contexto atual, vem eclodindo com maior intensidade as abordagens sobre memes nas redes sociais em diversas esferas, tais como propagandas comerciais, eventos pontuais como a Copa do Mundo, entre outros. Por sua vez, com a presenca dos memes amplamente fomentados na cultura digital, emerge tambem a sua marca na educacao. Atrelado a sociedade digital, que evidencia nos aplicativos e nas redes sociais imagens, informacoes, publicacoes e campanhas por meio de postagens, a exemplo de videos, atribui-se o fomento por um espaco para discussoes e conhecimentos a respeito do assunto.

No campo educacional, pensar, falar ou discutir sobre os memes na sala de aula corresponde a uma tematica ainda desafiadora. Diriamos que sao assuntos pertinentes que os profissionais da educacao podem abordar em seu cotidiano escolar, uma vez que, na formacao inicial e continuada, tenham tido a oportunidade de obter uma base teorica sobre o mesmo.

Alem disso, a sociedade continua em constante mudancas e novos anseios dos individuos vao surgindo. Assim, os profissionais necessitam estar na formacao continuada a fim de atualizarem seus conhecimentos. E nesta perspectiva que, atualmente, na sociedade digital, ha a presenca marcante das Tecnologias Digitais da Comunicacao e Informacao (TDIC), inseridas tambem no ambiente escolar.

Nota-se que as tecnologias moveis sao instrumentos de facil acesso e amplamente presentes no cotidiano das pessoas, visto que em curto espaco de tempo, atraves da internet, elas disponibilizam um campo vasto de informacoes, relevantes ou nao para a aquisicao de conhecimento.

Levando em conta a natureza interativa dos sites de pesquisa, onde ha espaco para comentarios e/ou opinioes, chats para debates, conversas publicas e privadas, e ainda a vulnerabilidade das redes sociais, pode-se dizer que, na mesma medida em que essas ferramentas representam um meio eficaz de comunicacao de amplitude cada vez maior, que contribuem nao so para a aquisicao de conhecimentos, mas tambem na formacao de opiniao dos que as utilizam, novos desafios surgem a todo o momento. Isto porque a velocidade com que as informacoes, ideias, opinioes, imagens, etc., circulam no mundo digital poe em duvida a qualidade da mensagem. Percebe-se, principalmente, que ha muitas informacoes que vao de encontro a integridade do individuo.

Desse modo, o ambito educacional, que proporciona tambem esse encontro de pessoas mediante seu aspecto de comunidade educativa, corrobora com a busca por saberes e conhecimentos, tanto pedagogicos quanto na conjuntura da vivencia social. Assim, este artigo traz a pergunta: De que forma os memes podem contribuir com as praticas pedagogicas na Educacao de Jovens e Adultos?

Desta feita, elencou-se tambem como finalidade apresentar os memes como potencialidades para interpretacoes das informacoes dos alunos e ex-alunos da modalidade Educacao de Jovens e Adultos (EJA), a partir de dados estabelecidos em entrevistas realizadas pelos discentes do curso de pedagogia, da disciplina Educacao de Jovens e Adultos. Estas entrevistas ocorreram em cidades vizinhas de Coronel Joao Sa. Acrescido a isso, mostrar as concepcoes dos alunos e ex-alunos da EJA acerca da tematica e, com base nas informacoes obtidas, reconfigurar a pratica docente e apontar quais os tipos de memes que podem contribuir nas/para acoes pedagogicas.

Este estudo e caracterizado como um estudo de caso, efetivado por meio da realizacao de uma entrevista dos alunos da disciplina Educacao de Jovens e Adultos (EJA), junto aos alunos, ex-alunos e uma educadora, ambos da EJA. Com base em Richardson (1999, p. 88), "a coleta de dados, entrevistas, observacoes e discussoes em grupo podem enriquecer as informacoes obtidas, particularmente, pela profundidade e pelo detalhamento das tecnicas qualitativas".

Memes reconquistando os espacos no vies da EJA

Os memes, sempre repercutindo no cotidiano das sociedades contemporaneas, estao intensificados principalmente nas redes sociais. Na linha do tempo, e possivel ja observar sinalizados estudos sobre os memes no seculo XX, atraves do trabalho e do estudo do biologo Richard Dawkins com o livro intitulado "O Gene egoista", pois o mesmo informa que:

Um 'meme de ideia' pode ser definido como uma entidade capaz de ser transmitida de um cerebro para outro. O meme da teoria de Darwin, portanto, e o fundamento essencial da ideia de que e compartilhado por todos os cerebros que a compreendem (DAWKINS, 2001, p. 217-218).

Dessa forma, a ideia e encaminhada por uma impressao para outros seres pensantes, como a citacao enfatiza 'de um cerebro para outro'. Essa ideia ganha forca e repercussao social. Ainda de acordo com Dawkins, e possivel apontar tres conceitos para a vida de um meme, sendo descritos pelo autor como: longevidade, fecundidade e fidelidade.

Constatamos que os memes sempre estiveram presentes nos contextos sociais, podendo ser encontrados em diversos seguimentos, a exemplo dos proverbios e aforismos, tais como: "Em casa de ferreiro, espeto de pau"; "Nada como um dia apos o outro"; "Aquilo que nao mata, torna-nos mais fortes"; "Rir e o melhor remedio"; dentre outros. Assim, sao ditos populares que repercutem de geracoes em geracoes e que sao aplicados em nosso cotidiano, ou seja, conhecimentos nao necessariamente cientificos sobre a vida. Percebe-se que nao ha dificuldade em decorar, por serem engracados e, consequentemente, mais faceis de repassar. Sobretudo, muitos desses memes sao frases que permitem autorreflexao sobre a vida.

De acordo com Maciel e Takaki, memes "significa tudo que pode ser copiado de uma mente para outra" cintando Lankshear e Knobel (2007, p. 211), e o que "diretamente molda e propaga acoes-chave de um grupo social". Assim, ocorre a proliferacao de transmissao da informacao que vai desencadeando novos assuntos, temas e criticas que surgem no dia a dia.

Os memes estao presentes em varias esferas sociais, como TV, radios, musicas, estilos e, mais especificamente, no contexto online, produzidos com um objetivo discursivo de propagacao de ideias, merece atencao na e pela instituicao de ensino (MACIEL; TAKAKI, 2015, p. 79). '

Observa-se que esta frase de ordem: 'merece atencao na e pela instituicao de ensino', deve pairar nas atuais praticas de ensino, bem como em todo o ambito escolar. Trata-se de uma assertiva que necessita acoes para gerenciar a organizacao de materiais plausiveis na conjuntura educacional.

[...] os memes representam modelos culturais de pensamentos, ideias, pressupostos, valores, esquemas interpretativos de fenomenos sociais simbolicos e comportamentais que sao produzidos por participantes [...] (MACIEL; TAKAKI, 2015, p. 57)

Na conjuntura das redes sociais os memes estao bem reconfigurados, pois, normalmente estao reapresentando o esteio contemporaneo nas diversas esferas sociais, economicas, politicas, entre outros.

Diante de tal contexto e preciso considerar que nao e diferente na educacao, haja vista a existencia de diversos exemplos plausiveis de educadores que ja utilizam os memes como material pedagogico. Contudo, ainda e um material desconhecido por alguns, chegando a ser pensado como algo novo e recente. Cabe salientar que, conforme referencias ja mencionadas, existem bases que comprovam sua existencia em seculos anteriores a internet. Mas vale mencionar que os memes sao modelos culturais que podem e devem ser produzidos de forma colaborativa.

Em ambito ilustrativo, o quadro abaixo destaca algumas das acoes pedagogicas que podem contribuir com o processo educacional no espaco escolar. Trata-se de exemplos do livro intitulado: Olhares sobre tecnologias digitais: linguagens, ensino, formacao e pratica docente (JESUS; MACIEL, 2015). Com base em Recuero (2006), os autores mencionam sobre a fidelidade da copia, tratadas por Dawkins.

As informacoes no quadro acima podem nortear segmentos pedagogicos a serem trabalhados no ambito escolar, bem como no vies colaborativo, atrelado, consequentemente, ao contexto sociodigital. Salienta-se, entao, que, por mais que os memes nao tenham sido pensados como material didatico escolar, e possivel e necessario repensar sua utilizacao no campo educacional.

Desse modo, percebe-se que as contribuicoes ja existentes no universo cientifico, nas redes sociais, como tambem na propria escola, podem ser utilizadas junto com o corpo docente e discente, tendo como finalidade reconstruir materiais que retratem o seu cotidiano.

Os conhecimentos assim adquiridos, mesmo nao sendo necessariamente os escolares, integram-se a bagagem cultural dos alunos, embora nao costumem ser valorizados pelos professores ou pela escola; ao contrario, ha ate certo estigma sobre o "excesso" de tempo que os jovens passam na internet (GOMES, 2016, p. 82).

Conforme Gomes anuncia, os alunos estao cada vez mais valorizando o tempo nas redes sociais, adquirindo e trazendo consigo a bagagem cultural vivenciada no contexto digital, ou seja, estao munidos de informacoes extraescolares. Assim, a escola pode atuar de modo a transformar essas informacoes em conhecimentos, agucando os professores para a quebra de preconceito quanto ao uso da internet.

As redes sociais de relacionamento tem permitido e potencializado novas formas de ser e de estar no mundo, de ensinar e de aprender. Aprender-se em todos os lugares e, nesse sentido, podemos mesmo dizer que ha uma escola fora da escola (GOMES, 2016, p. 83).

No caso dos memes, que ainda revolucionam o nosso cotidiano e sao responsaveis por ampla repercussao de ideias nas redes digitais, estao presentes no cotidiano dos alunos atraves dos dispositivos moveis, representando uma "entidade" emissora de ideias e opinioes sobre variados assuntos.

De fato os alunos tem aprendido e "ensinado" sobre o uso dos memes em diversos espacos, tanto na escola quanto fora dela. Tem-se, entao, que o contexto socialdigital permite novas criacoes de materiais digitais, a exemplo de jogos de perguntas e respostas, videos, textos, musicas, imagens, historias em quadrinho, podendo contemplar diversas tematicas. Trata-se de Recursos que podem efetivamente contribuir com a qualidade educacional. Com os memes eles podem ser Replicadores, Metamorficos e Mimetricos, conforme descrito no quadro 1. Ademais, permite um conjunto de possibilidades de criacao, animacao, bem como novas reflexoes a respeito da tematica abordada.

A escola, nos dias atuais, e desafiada a compreender o mundo complexo e caotico das relacoes humanas no trabalho e na educacao e a se reinventar, para continuar mantendo sua importancia, que vai alem da acreditacao e da distribuicao de diplomas (GOMES, 2016, p. 89).

Esse desafio escolar esta na trilha da velocidade da informacao e da comunicacao, sinalizada atraves da presenca implicita e explicita das Tecnologias da Informacao e Comunicacao TIC, termo atualizado para Tecnologia Digital da Informacao e Comunicacao TDIC, cuja mudanca corresponde ao fato de que a sociedade encontrar-se na era digital, onde tudo e todos estao imbuidos nessa dinamica tecnologica.

Entretanto, Vale ressaltar que existem memes nocivos, marcados com ideias de preconceito, racismo, discriminacao entre outros, suscitando a necessidade de combater tais ideias maleficas entre os consumidores destes conteudos. Este e um aspecto desafiador para todos os agentes da escola: tratar de acoes educacionais na busca do enfrentamento destes conteudos.

Desta feita, esta abordagem teorica parte do principio de que a escola deve repensar suas acoes de acordo com o cenario atual das sociedades, relacionado os conteudos e as abordagens ao contexto local em que esta inserida. Razao pela qual a urgencia de focar a pratica docente com as culturas digitais.

As Culturas digitais na pratica docente

Nota-se que os memes sao elementos das culturas digitais que trazem possibilidades para as praticas docentes, e que, no espaco virtual, ja existem diversos materiais de apoio educativo que contribuem para ampliar novos conhecimentos, alem de agregar informacoes, semelhantes ou nao, permitindo serem utilizados como suporte ao processo educativo.

Assim, corrobora-se com a afirmacao de Maciel e Takaki, "o ciberespaco e sua relacao com os memes podem contribuir para uma ponte entre escolas e sociedade" (2015, p. 80). Observa-se, entao, que o espaco virtual, juntamente com os memes, marca do sociodigital, podem contribuir para a inclusao dos individuos como cidadaos autonomos no processo de aprendizado. Trata-se de uma perspectiva em que estes sao protagonista, isto e, sao sujeitos ativos que interagem com autonomia na sociedade.

Como sinaliza Jenkins, "prontos ou nao, ja estamos vivendo numa cultura da convergencia" (2009, p. 43). Dai a necessidade de nos, professores, estarmos sempre proativos na busca por atualizacao com vistas a tendencia sociodigital, apontada sobre a realidade das vivencias atuais, sendo capazes de relaciona-las com as questoes educacionais.

Nesse contexto, Snyder defende que "os professores precisam reconhecer a importancia da cultura popular, ou perderao alguns dos elementos mais importantes no entendimento do aluno e suas vidas" (2002, p. 180). Essa citacao e crucial em nosso processo da pratica docente, uma vez que a cultura popular vai sendo revelada nas dinamicas das aulas, podendo ser manifestada dentro ou fora do espaco escolar.

Tal reflexao reforca a importancia de nao camuflar esse saber popular, devendo, de modo contrario, ser utilizado para potencializar e somar o saber cientifico. Alem disso, e preciso repensar a pratica docente fundamentada na triade da acao-reflexao-acao, pois ela nos remete nao so a autoavaliacao, como tambem a agregar novas possibilidades de ensino em prol da aprendizagem.

O que e relevante para ser ensinado ou aprendido hoje pode nao ser amanha [...] e muito mais importante produzir aprendizes capazes de buscar o saber em constante mudanca, do que aprender um conteudo fixo e, supostamente, domina-lo para o resto de sua vida. Precisamos enfatizar como aprender, mais do que o que aprender (MENEZES DE SOUZA, 2010).

Diante de tantas mudancas, sobressaem os desafios sobre o que ensinar e o que aprender, dentro das possibilidades do que estamos vivenciando. Assim, o foco e estar discutindo, de fato, como aprender. Porem, relevar no aprendiz o discernimento das situacoes.

E imprescindivel compreender que estamos em uma sociedade de constantes mudancas e, em consequencia, as pessoas tambem seguem esse esteio de transformacoes fisicas e intelectuais. Assim, ha necessidade de "ser critico em relacao a eles, no entanto, nao se reduz a enxergar suas ideologias ou as intencoes dos seus criadores, mas requer sempre uma abordagem contextualizada dos seus efeitos e implicacoes" (TAKAKI et al., s/a, p. 227-228).

O perfil docente necessita agucar nos alunos a utilizacao de uma lente critica, ampliada em todo material encontrado no ciberespaco, ou ate mesmo nos que serao postados, para nao ficarem na postura ingenua. Dessa forma:

Quando a aprendizagem se encontra em ceu aberto, qualquer aprendiz pode trazer, para o mestre, informacoes que este nao detem. Conclusao: novas modalidades de dialogo estao emergindo, para as quais o professor deve estar preparado na medida em que tiver a seguranca serena em relacao ao fato de que ficou no passado a era na qual costumava ser o detentor altissonante da transmissao e da transferencia de conhecimento (SANTAELLA, 2013, p. 307).

E nessa expectativa que os professores anseiam por mudancas significativas na postura de seus alunos, de modo que sejam protagonistas tambem no cenario escolar, trazendo materiais pertinentes para fomentar discussoes, dialogos e analises criticas na trilha do conhecimento.

Para isso, fomenta-se a necessidade ao contexto da formacao continuada em servico. Braga (2013) nos chama a atencao sobre a cocriacao de materiais a serem utilizados na pratica de ensino.

A criacao do "proprio material" pelo professor sempre foi uma alternativa defendida nos curso de formacao para professores em servico, que, em geral, tende a nao refletir com a devida profundidade a natureza da tarefa proposta e as dificuldades diversas, inclusive financeiras, envolvidas no acesso a fontes de informacao diversas, necessarias para a criacao de novas atividades em sala de aula. Muitas vezes esses cursos de formacao tambem nao oferecem exemplos ilustrativos de atividades pedagogicas que podem servir de base de inspiracao para adaptacoes ou criacoes de propostas mais locais (BRAGA, 2013, p.47).

Contudo, com base na autora supramencionada, sao suscitadas algumas advertencias plausiveis referentes a formacao continuada em servico, retratadas na necessidade de ilustrar as atividades na pratica de ensino e na promocao de inspiracao para serem sugeridas no contexto local.

E nesse vies que os dados coletados para serem inseridos nesse artigo buscaram representar, atraves dos memes, a base das respostas dos dados obtidos nas entrevistas realizadas pelos alunos da disciplina da EJA.

Resultados e discussoes

As entrevistas foram aplicadas no periodo de 05/06/2018 a 23/06/2018 nos turnos mesclados, de acordo com a disponibilidade dos entrevistados. Para os dados utilizados, tivemos a participacao de 19 (dezenove) entrevistados, sendo 04 (quatro) alunos da EJA, 14 (quatorze) ex-alunos da EJA e 01 (um) Professora da modalidade EJA. Nesta amostra foram 12 (doze) do sexo feminino e 07 (sete) do sexo masculino. As profissoes dos respondentes foram: 07 lavradoras, 01 vaqueiro, 01 costureira, 01 aposentado, 03 agricultores, 01 gerente de fazenda, 01 repositor e conferente de mercadorias de supermercado. O roteiro da entrevista foi o seguinte: 1--Por que voce decidiu estudar na EJA?; 2--Voce ja tinha estudado na EJA antes?; 3--Qual o motivo que o levou a voltar a estudar?; 4--O que o motiva a vir a aula?; 5--Quais as maiores dificuldades que tem enfrentado em sala de aula?; 6--Voce recebe algum estimulo por parte dos profissionais da escola? Como?; 7--Voce acha que os professores estao habilitados a trabalhar na EJA?; 8--O material que voce usa corresponde a sua realidade? 9--Alem do livro didatico quais outros recursos os professores utilizam nas aulas?

Dentro das perguntas acima explicitadas, optou-se por destacar neste artigo alguns dados dos entrevistados, tendo sido escolhidas a primeira e a terceira pergunta, pois, a partir delas, e possivel nos remeter a apresentacao das concepcoes desses alunos e ex-alunos da EJA. O Quadro2 revela as respostas com base na pergunta 1.

Estes memes (replicadores) representam algumas respostas dos alunos e exalunos da EJA entrevistados acerca do questionamento: Por que voce decidiu estudar na EJA?

A primeira imagem do Quadro 2 traz uma frase: "Ler e escrever e saber viver", na veracidade da resposta foi so "ler e escrever", mas nos remete a reflexao que, de fato, o ato de ler e escrever leva o individuo a saber viver de forma integra, com conhecimento de direitos e deveres. Por mais que estes ex-alunos tenham pensando somente na parte tecnica do ato de escrever e ler, sabemos que eles precisam buscar conhecimentos emancipatorios. Isso tambem nos remete ao letramento critico que "consiste em nao apenas ler, mas ler se lendo, ou seja, ficar consciente o tempo inteiro de como eu estou lendo, como eu estou construindo o significado [...]" (MENEZES DE SOUZA, 2011, p. 296).

Ja a segunda imagem representa o desejo de aprender a "escrever o nome". Trata-se de um aspecto que aborda a questao da identidade, autonomia e direito a cidadania.

A terceira imagem traduz que "escola muito distante de casa". Ela retrata uma das realidades brasileiras, pois muitos cidadaos da zona rural estao limitados pela falta de escolas proximas de suas residencias, sendo que outro entrave, muitas vezes, esta relacionado a falta de construcao e/ou manutencao de estradas e rodovias, o que dificulta o acesso de transportes, ou ainda a ausencia da fiscalizacao dos transportes escolares nestas regioes. Sao muitos os obstaculos que impedem o acesso dos moradores da realidade rural a escola.

A quarta imagem representa "idade avancada", e instiga o resgate da forca ao retornar a estudar como sendo propulsora para o vigor de um jovem.

A quinta imagem quer dizer o "cansaco do dia a dia", pois a maioria dos entrevistados sao trabalhadores rurais, que acordam cedo para cuidar da terra e dos animais, e ja chegam em suas casas ao anoitecer. Porem, mesmo assim, com muita dificuldade, retornam aos estudos pela modalidade EJA.

Atraves desses depoimentos, foi possivel conhecer um pouco da realidade dos ex-alunos da EJA, sendo que esta modalidade tem como objetivo oportunizar escolarizacao as pessoas que nao conseguiram concluir na idade certa. Apesar da disponibilizacao da EJA, ainda sao expressivos e recorrentes os impedimentos para que estes estudantes possam avancar no direito de cidadania e acesso de qualidade ao ensino e aprendizagem.

O Quadro3 abaixo manifesta as respostas com base na pergunta: 3--Qual o motivo que o levou a voltar a estudar?

Os memes (replicadores) que estao inseridos no Quadro 3 abordam, com embasamento dos dados dos alunos e ex-alunos da EJA, as respostas referentes a pergunta: Qual o motivo que o levou a voltar a estudar?

O meme 6 representa a resposta: "Para ler a bula das injecoes dos remedios que davam nos animais", ou seja, retrata o desejo de compreender as informacoes da bula, representando uma questao da autonomia.

O meme 7 informa a frase "eu vejo a vida melhor no futuro", e concebe a veracidade da resposta "Para ser alguem melhor no futuro". Assim, a motivacao de voltar a estudar esta na esperanca de mudanca pessoal quanto a melhoria diante do tempo verbal 'futuro'.

Para o meme 8 a resposta foi: "Nao estava encontrando emprego", ou seja, foi o mercado de trabalho que instigou o retorno a estudar, por nao estar atendendo as exigencias do mercado de trabalho que solicita outro nivel escolar.

O meme 9 traduz "10 anos sem estudar, excluidos e oprimidos, e o individuo que nao tem estudo". A exclusao, em diversas esferas sociais, e marcada pela falta de escolaridade. Percebe-se que a motivacao e retornar para a escola pensando em posteriormente ser incluido no contexto social.

O meme 10 apresenta a palavra "Vergonha", porem, manifesta a declaracao de uma aluna "casei nova, tinha vergonha de voltar a estudar". Transcorre ao contexto de genero, especificamente ao vies do preconceito e da discriminacao, seja ela pessoal ou social.

Estas declaracoes nos permitiram reconhecer concepcoes peculiares desses alunos e ex-alunos da EJA. Motivacoes pertinentes que nos fazem reafirmar, diante da nossa postura docente, acoes e condutas para que possamos garantir a concretizacao dos sonhos almejados.

Na sequencia, o Quatro 4 representa o depoimento da unica educadora entrevistada da EJA. Em sua fala, ela evidenciou que muitos estudantes, que estavam na lista de alunos matriculados, ja havia falecido. Ficamos estarrecidos com este depoimento e por isso a utilizacao do meme Metamorfico, pois representou o posicionamento critico com tal informacao.

O meme 11 sinaliza uma interpretacao critica a luz do depoimento ja mencionado, pois delega a informacao maquiada de uma politica publica da Educacao de Jovens e Adultos, de um determinado municipio da Bahia (nao fomos autorizados a mencionar). O fato e que foram utilizados os nomes das pessoas ja falecidas, como forma de justificar o quantitativo de estudantes matriculados, para que a verba destinada a EJA fosse enviada. E possivel compreender que tal conduta comprova a ausencia da etica, comprometimento e corresponsabilidade educacional, bem como a falta de fiscalizacao precisa acerca da demanda socioeducacional.

Assim, o meme 11 remete, de forma ironica, ao fato supracitado, pois faz alusao as "Aulas da Educacao de Jovens e Adultos (EJA)" em um cemiterio.

Reconfigurando aos alunos que foram cadastrados para as aulas da EJA, mesmo ja havendo falecido.

A utilizacao dos memes permitiu formular leituras significativas, sendo que estas informacoes nos remetem ainda a novas interpretacoes; e diagnosticar o perfil desses alunos e ex-alunos da EJA. Por meio dos memes e possivel utilizar esta abordagem como material didatico, como forma de contemplar a dinamica da EJA, alem de estimular uma leitura critica e significativa.

No Quadro 5, meme 12 (2) (Mimetricos), este foi criado atraves do site Gerar memes, a luz dos depoimentos mencionados neste trabalho de forma colaborativa, pois representa o desejo da qualidade educacional para a EJA.

Desta feita, a proposta de melhoria para a EJA aqui representada esta atrelada a acao de repensar as acoes educativas para estes alunos que necessitam de uma reconstrucao pessoal, fisica, de modo que o processo seja alem da alfabetizacao e do letramento, mas que contemple a leitura significativa para todas as areas da vida.

Consideracoes finais

Nesta pesquisa, procurou-se apresentar os memes como potencialidades de interpretacoes das informacoes no contexto dos alunos e ex-alunos da modalidade Educacao de Jovens e Adultos, a partir de dados estabelecidos em entrevistas realizadas pelos discentes do curso de pedagogia da disciplina Educacao de Jovens e Adultos. Acrescido a isso, mostrar as concepcoes dos alunos e ex-alunos da EJA e, assim, com base nas informacoes, reconfigurar a pratica docente e apontar quais os tipos de memes que podem contribuir nas/para acoes pedagogicas.

As reflexoes de experiencias que alcancaram nesta pesquisa se traduzem na necessidade de planejamento no tocante aos materiais didaticos para os alunos da modalidade de Educacao de Jovens e Adultos. Assim, um destes recursos didaticos pode-se contar com a presenca dos memes na dinamica dos conteudos ministrados nas aulas. Justifica-se por ser um instrumento de potencialidades de informacoes e assim contribuam tambem nas acoes pedagogicas.

Observa-se que estes materiais didaticos podem fomentar coparticipacao de criacao dos alunos da EJA e/ou com a participacao dos graduados do curso de Pedagogia.

Porem, constatamos persistencia de problematicas recorrentes no tocante a modalidade da Educacao de Jovens e Adultos que ainda se fazem presentes em funcao do descaso das politicas publicas. Salienta-se a ausencia ou a fragilidade de perspectivas que direcionem acoes de fiscalizacao, praticas contextualizadas com a realidade local, acoes educativas de honra para os jovens e adultos. Tal compreensao justifica-se pelos sonhos revelados por estes discentes que estao nas perspectivas de mudancas na vida.

Como sugestao, enfatiza-se que, quando utilizamos os memes no contexto educacional, e possivel trabalha-los de forma variada, de modo que a acao pedagogica seja aplicada por meio da colaboracao dos grupos (alunos x alunos/ alunos x professores/ professores x professores) inseridos no contexto da tematica do momento, podendo utilizar memes (replicadores, metamorficos e mimetricos), pois cada um destes estabelece caracteristicas especificas do planejamento tracado, bem como atencao especial aos memes nocivos, sendo pertinente utilizar memes tambem em prol do combate. Ademais, e notoria a persistencia do descaso referente a educacao brasileira, mas, contudo, e possivel atuar em prol da qualidade educacional de todos os cidadaos.

REFERENCIAS

BRAGA, D. B. Ambientes digitais: reflexoes teoricas e praticas. Sao Paulo: Cortez, 2013.

DAWKINS, Richard. O Gene Egoista. (1979) Colecao O Homem e a Ciencia, volume 7. Belo Horizonte: Itatiaia, 2001.

GOMES, L. F. Redes sociais e escola: o que temos de aprender. In: ARAUJO, J. C.; LEFFA, V. J. Redes sociais e ensino de linguas: o que temos de aprender? Sao Paulo: Parabola, 2016, p. 81-92.

JENKINS, H. Cultura da convergencia. 2. ed. Traducao de Susana Alexandria. Sao Paulo: Aleph, 2009.

MACIEL, R. F.; TAKAKI, N. Novos letramentos pelos memes: muito alem do ensino de linguas. In: JESUS, D. M.; MACIEL, R. F. Olhares sobre tecnologias digitais: linguagens, ensino, formacao e pratica docente. Campinas: Pontes, 2015, p. 53-81.

MARTINO, L.M. Michael Heim: a filosofia do mundo virtual conectado. In: MARTINO, L. M. Teoria das midias digitais: linguagens, ambientes, redes. Petropolis: Vozes, 2014, p. 40-43.

MENEZES DE SOUZA, L. M. T. O professor de ingles e os letramentos no seculo XXI: metodos ou etica? In: JORDAO, Clarissa; MARTINEZ, Juliana Z; HALU, Regina Celia. Formacao "Desformatada" praticas com professores de lingua inglesa, Campinas, SP: Pontes Editores, 2011.

MENEZES DE SOUZA, L. M. T.; MONTE MOR, W. Letramento Critico. Entrevista em video, 2010. Disponivel em: http://www.youtube.com./watch?v=BOOrjI5eurw2010 >acesso em: 20 de jun. de 2010.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: metodos e tecnicas. Sao Paulo: Atlas, 1999.

SANTAELLA, L. Desafios da aprendizagem ubiqua para a educacao. In: SANTAELLA, L. Comunicacao ubiqua: repercussoes na cultura e na educacao. Sao Paulo: Paulus, 2013, p. 285-304.

TAKAKI, Maria Hirok; MONTE MOR, Walkyria. Construcoes de sentido e letramento digital critico na area de lingua/linguagem, 2017.

ZACCHI, V. J. Dimensoes criticas no uso de jogos digitais. In: TAKAKI, N.; MONTE MOR, W. Construcoes de sentido e letramento digital critico na area de linguas/linguagens. Campinas: Pontes, 2017, p. 221-242.

Links das imagens:

Imagem 1

https://cdn.pensador.com/img/frase/lu/iz/luiz_saldanha_ler_e_escrever_e_saber_ viver_lg3m9w8.jpg

Imagem 2

http://educacaopublica.cederj.edu.br/revista/wpcontent/uploads/2016/12/2.refl ex%C3%B5es-sobre-o-eja.jpg

Imagem 3

https://longadistancia.files.wordpress.com/2016/06/img_6170.jpg

Imagem 4

https://megaarquivo.files.wordpress.com/2014/09/fitness-na-idade avanc3a7ada.jpghttps://abrilexame.files.wordpress.com/2016/09/size_960_16_9_r elogios127.jpg

Imagem 5

http://rafaelgalvao.com.br/wp-content/uploads/2012/04/sono.jpg

Imagem 6

https://www.wikihow.com/images/thumb/4/46/Give-a-Horse-an-Injection-Step-4Version-2.jpg/aid1754690-v4-728px-Give-a-Horse-an-Injection-Step-4-Version-2.jpg

Imagem 7

https://www.zyma.com.br/image/cache/catalog/Quadros%20Final/Frases/vida melhor-mockup-500x500.jpg

Imagem 8

http://expressodooriente.com/wpcontent/uploads/2013/02/65564_5700906796858 04_1010137067_n.jpg

Imagem 9

http://www.sindipol.com.br/site/images/exduso%20G.jpg

Imagem 10

http://4.bp.blogspot.com/-_Ntsz9Mfnms/VS5qjdGpvRI/AAAAAAABO Y/Km94Z4f43nQ/s1600/vergonha.gif

Imagem 11

https://png.pngtree.com/element_origin_min_pic/16/07/21 /225790db4f70f35.jpg

Imagem 12

http://colegioathletics.com/wp-content/uploads/2017/10/proposta.png

DOI: 10.12957/periferia.2019.36856

Daniele Santana de Melo (1)

Universidade Federal do Sergipe

(1) Mestrado em Educacao. Professora e Coordenadora do Curso de Pedagogia FANEB. Professora Substituta UFS/Itabaiana. E-mail: danieleeli@hotmail.com

(2) https://gerarmemes.s3.us-east-2.amazonaws.com/memes/725a373c.jpg

Caption: Quadro 2--pergunta 1--Por que voce decidiu estudar na EJA? Fonte: Dados da entrevista (2018)

Caption: Quadro 3--Pergunta 3--Qual o motivo que o levou a voltar a estudar? Fonte: Dados da entrevista (2018).

Caption: Quadro 4--Voce procurava estimular seus alunos de alguma forma? Como? Fonte: Dados da entrevista (2018).

Caption: Quadro 5--Critica significativa Fonte: www.gerarmemes.com.br (2018).
Quadro 1--Compreendendo os Memes

               CONCEITO              OBJETIVO           PLANO DE ACOES
                                                        PEDAGOGICAS

1--            Sao copiados de       Informar e         Promover o
Replicadores   sites e por isso      compartilhar       encontro
               retratam alta         informacoes sem    simultaneo de
               fidelidade em         acrescimos de      imagens, sons,
               relacao a versao      opinioes.          animacoes e
               original'.                               linguagem
                                                        verbal.

2--            Sao mutaveis e        Permitir que a     Incentivar a
Metamorficos   recombinados e,       informacao seja    posicionar-se
               diferentemente dos    debatida,          criticamente
               anteriores, podem     transformada e     com relacao ao
               ser empregados em     recombinada.       material
               contexto de debate.                      produzido.

3--            Sao o que mantem a    Relacionar os      Estimular
Mimetricos     "essencia", embora    mimetricos ao      criacao e
               sofram                aspecto de         recriacao.
               recombinacoes, ou     escrita
               mutacoes, e podem     criativa, de
               ser referenciaveis    representacao
               como imitacoes.       de narrativas,
                                     de criticas
                                     sociais e
                                     mensagens
                                     agradaveis.

Fonte: Elaborado pela autora com base em Maciel e Takaki (2015,
p. 62 a 64)
COPYRIGHT 2019 Universidade do Estado do Rio de Janeiro- Uerj
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:de Melo, Daniele Santana
Publication:Periferia
Date:May 1, 2019
Words:4931
Previous Article:MULTIMODALITY AND EFFECTS OF SENSE IN THE GENDER MEME/MULTIMODALIDADE E EFEITOS DE SENTIDO NO GENERO MEME/MULTIMODALIDAD Y EFECTOS DE SENTIDO EN EL...
Next Article:EDUCATION, MEMES AND THE WORK CATEGORY/EDUCACAO, MEMES E A CATEGORIA TRABALHO/EDUCACION, MEMBRES Y CATEGORIA TRABAJO.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters