Printer Friendly

MEMBERS OF THE INTERNET IN PORTUGUESE LANGUAGE LESSONS: EXPANDING THE DISCURSIVE GENDER STUDY IN THE CLASSROOM/MEMES DE INTERNET NAS AULAS DE LINGUA PORTUGUESA: AMPLIANDO O ESTUDO DOS GENEROS DISCURSIVOS NA SALA DE AULA/MEMES DE INTERNET EN LAS CLASES DE LENGUA PORTUGUESA: AMPLIANDO EL ESTUDIO DE LOS GENEROS DISCURSIVOS EN LA SALA DE CLASE.

Introducao

As Tecnologias da Informacao e Comunicacao, ao proporcionarem novas formas de interacao social entre individuos imersos em uma sociedade interconectada, impulsionam debates sobre como as informacoes tem chegado aos sujeitos que utilizam o digital em rede a partir de novas esferas publicas, que permitem uma cultura participativa, a promocao de debates e a formacao de opiniao.

A primeira geracao da Internet (Web 1.0) caracterizava-se pela transmissao unidirecional de informacoes. Com o surgimento da Web 2.0, os usuarios podem publicar e postar conteudos, modificar e criar suas proprias paginas de forma interativa (ROJO; BARBOSA, 2015). Isso gracas ao aparecimento de novas esferas publicas, a exemplo das redes sociais e aplicativos de mensagens, alem de generos discursivos, como blogs, e outras plataformas digitais, nas quais circulam diferentes textualidades, predominantemente multimodais e multissemioticas (3). Esses textos apelam para a multiplicidade de linguagens e signos, em que a imagem estatica ou em movimento, o som, as cores e os simbolos sao combinados, de forma dinamica e interativa. E possivel criar e gerenciar paginas, ser leitor e autor de textos, harmonizando elementos, com o objetivo de alcancar um grande publico.

Entende-se que essas novas textualidades sao materializadas por meio de novos generos. Alguns, a exemplo da charge virtual, que tradicionalmente era publicada em jornais impressos de grande circulacao, sofreram um processo de adaptacao; outros surgiram gracas a disseminacao do ciberespaco, a exemplo do blog e do meme de Internet, que tem ganhado cada vez mais espaco nas esferas publicas digitais, sendo um material de facil acesso, ja que o usuario pode cria-lo por meio de um aplicativo ou sites especializados.

Em vista dessas discussoes, este artigo, recorte de dissertacao de mestrado, tem como objetivo discutir sobre o trabalho em sala de aula, na disciplina Lingua Portuguesa, com memes de Internet enquanto generos discursivos hibridos que circulam em novas esferas publicas, a partir das Tecnologias da Informacao e Comunicacao. Partimos de um projeto maior desenvolvido no Mestrado em Estudos Linguisticos, quando abordamos sobre os memes como enunciados que representam uma acao social e, por isso, contribuem para as acoes comunicativas dos sujeitos (Habermas, 2012), levando-se em conta a diversidade de linguagem.

Acreditamos, desse modo, que este estudo constitui uma oportunidade significativa para se conhecer outras possibilidades de uso da linguagem multimodal e multissemiotica, na producao do conhecimento em esferas publicas digitais, alem de alavancar diferentes acoes na sala de aula, permitindo que os estudantes sejam criadores e tambem leitores desses textos, que tratam de diversos temas, como os sociais, politicos, economicos, entre outros, de forma critica e, as vezes, ironica.

2. Generos discursivos hibridos e espacos digitais: ampliando possiblidades de interacao em esferas publicas

O advento das Tecnologias da Informacao e Comunicacao potencializou o surgimento de novas textualidades, que assumiram formas cada vez mais multimodais, atendendo ao dinamismo e ao imediatismo do ciberespaco. As novas esferas publicas fomentam discussoes e debates com forte repercussao nas midias, e uma determinada funcao (cientifica, tecnica, publicistica, oficial, cotidiana), bem como a comunicacao, sob diversos formatos, da origem a "determinados tipos de enunciados estilisticos, tematicos e composicionais relativamente estaveis" (generos do discurso), como afirma Bakhtin (2011, p. 266), que despertam a criatividade do sujeito, garantindo aos interagentes participacao ativa na formacao de opiniao e transformacao do conhecimento.

O estudo dos generos discursivos abrange a relacao entre a linguagem e os fatos historicos e culturais da sociedade. As relacoes entre sujeitos, identidades linguisticas e culturais, concepcoes de mundo pelos individuos, necessidades sociais, relacoes de trabalho e perspectivas intelectuais dos sujeitos sao alguns dos fatores que podem motivar o surgimento de varios generos discursivos.

Bakhtin (2011) apresentou um novo olhar em relacao ao estudo da linguagem, contestando o posicionamento que se preocupa apenas com a forma da lingua. Importava-se com o aspecto social da linguagem, considerando o texto como um evento social. Ele "[...] nao vai teorizar sobre o genero, levando em conta o produto, mas o processo de sua producao. Interessam-lhe menos as propriedades formais dos generos do que a maneira como eles se constituem" (FIORIN, 2016, 68). Sendo assim, alem da estrutura, interessa-se pela circulacao social e historicidade dos enunciados, buscando compreender como se da o surgimento dos generos discursivos em meio aos aspectos culturais, historicos e sociais.

Os generos derivam de varias esferas da atividade humana: esfera politica, jornalistica, economica, cultural, religiosa etc. E podem apresentar-se nessas esferas na modalidade oral ou escrita, com registros formais e informais da lingua, constituidos a partir de elementos multimodais e multissemioticos. Os enunciados tambem podem passar por adaptacoes ao longo do tempo, mas mantendo certa originalidade como a preservacao da funcionalidade comunicativa. Com a disseminacao das esferas publicas digitais, generos como a noticia, por exemplo, sofreram alteracoes, adaptando-se ao espaco virtual, como redes sociais, sites e blogs. Elementos multimodais e multissemioticos como videos, imagens foram acrescentados ao genero, promovendo novas formas de ler e de escrever no ciberespaco.

Ancorando-se na perspectiva social da linguagem e na dinamicidade dos generos discursivos, Bakhtin (2011, p. 279) apresenta os elementos constitutivos dos enunciados:

A utilizacao da lingua efetua-se em forma de enunciados (orais e escritos), concretos e unicos, que emanam dos integrantes duma ou doutra esfera da atividade humana. O enunciado reflete as condicoes especificas e as finalidades de cada uma dessas esferas, nao so por seu conteudo (tematico) e por seu estilo verbal, ou seja, pela selecao operada nos recursos da lingua--recursos lexicais, fraseologicos e gramaticais--, mas tambem, e sobretudo, por sua construcao composicional. Estes tres elementos (conteudo tematico, estilo e construcao composicional) fundem-se indissoluvelmente no todo do enunciado, e todos eles sao marcados pela especificidade de uma esfera de comunicacao (BAKHTIN, 2011, p. 279).

O autor explica a necessidade de considerar a relacao entre esses elementos na constituicao do enunciado. Os sentidos serao construidos, entao, a partir da interligacao de elementos linguisticos, tematica explorada e organizacao composicional. Dessa forma, o estilo remete-nos as

[...] escolhas linguisticas que fazemos para dizer o que queremos dizer ("vontade enunciativa"), para gerar o sentido desejado. Essas escolhas podem ser do lexico (vocabulario), estrutura frasal (sintaxe), do registro linguistico (formal/informal, girias) etc. (BARBOSA; ROJO, 2015. p. 92).

Alguns fatores sao determinantes para a selecao das formas linguisticas do enunciado: intencao comunicativa do autor, contexto de interacao verbal, meio de publicacao ou circulacao do texto, informacoes implicitas e explicitas nos enunciados e funcionalidade comunicativa do genero. Assim, as escolhas linguisticas do enunciador dependerao, tambem, de questoes extralinguisticas, referentes as condicoes sociais, historicas e culturais em que os enunciados sao produzidos.

A construcao composicional esta relacionada a organizacao do genero em si, "[...] ao que a teoria textual chama de "(macro/super) estrutura" do texto, a progressao tematica, a coerencia e coesao do texto" (BARBOSA; ROJO, 2015. p. 94). Com isso, espera-se a construcao de enunciados com alguns aspectos estruturais, a exemplo da organizacao de periodos e paragrafos coesos e coerentes. No entanto, a questao da coerencia pode ser relativa. Algumas construcoes podem ser propositalmente incoerentes e ambiguas atendendo a proposta de determinados generos discursivos que apelam para o humor e para a ironia como, por exemplo, charges e memes de Internet. Nessa perspectiva, o sentido sera construido observando o contexto de interacao verbal, as intencoes comunicativas dos falantes, o conhecimento de mundo dos interlocutores e as possiveis inferencias que poderao fazer a partir dos fatores expressos nos enunciados.

O conteudo tematico "[...] nao e o assunto especifico de um texto, mas o dominio de sentido de que se ocupa o genero" (FIORIN, 2016, p. 69). Com base na combinacao desses elementos, os sujeitos podem reconhecer os generos, sua estrutura e funcionalidade comunicativa.

O leitor espera encontrar em uma noticia as principais informacoes sobre determinado acontecimento, as pessoas envolvidas, quando e onde ocorreu a situacao etc. atraves de fotos, videos. Ao ler memes de Internet, espera-se que temas do cotidiano ou fatos em evidencia nas midias sejam alvo de criticas sociais, tratados de forma sarcastica, muitas vezes, numa perspectiva humoristica a partir de imagens conhecidas do leitor.

Assim, os memes de Internet podem ser entendidos como generos discursivos que aparecem nas esferas publicas digitais e intensificam discussoes importantes sobre constituicao de enunciados linguisticamente hibridos, socio-historicamente situados, que podem fortalecer o trabalho com o texto nas aulas de Lingua Portuguesa.

Para compreender os generos, em geral, e a sua disseminacao nas esferas publicas, inclusive as digitais, e preciso estudar a sua vinculacao aos fatos historicos e culturais da sociedade. Os textos aparecem a partir das relacoes entre os sujeitos, das diferentes manifestacoes culturais e das concepcoes de mundo dos individuos, passando por mudancas e adaptacoes, acompanhando as transformacoes que a sociedade e os sujeitos enfrentam, como apresenta Bakhtin (idem). Nessa perspectiva, a comunicacao verbal so e possivel por meio de algum genero, que materializa o discurso.

Na contemporaneidade, com a disseminacao da informacao e do conhecimento em rede, emergem generos discursivos hibridos (juncao de generos diferentes que, combinados de forma coerente, formam um novo genero). O texto hibrido surge a partir da pratica, do uso da linguagem no cotidiano em condicoes variadas de interacao verbal, tanto na modalidade escrita como falada, utilizando recursos verbais e nao verbais.

Nesse processo,

[...] ocorre a ruptura do convencional, do previsivel, a qual parece se manifestar no texto sob a forma de uma incongruencia, em que se espera do leitor uma "descoberta" de uma funcao social no texto que nao esta na superficie de sua macroestrutura (DELL' ISOLA, 2006, p. 76).

E possivel identificar diferentes generos no texto hibrido e perceber o objetivo que se quer alcancar com esse processo. No entanto, espera-se que o leitor compreenda a relacao entre os generos e o efeito de sentido que isso provoca. Os generos hibridos estao em constante transformacao, podendo passar por mudancas sem perder caracteristicas dos textos originais. Alguns podem surgir e outros podem desaparecer a partir das necessidades sociais e intelectuais (DELL'ISOLA, 2006).

A hibridizacao de generos constitui uma propriedade muito comum tambem no espaco virtual, problematizando ainda mais o uso de multiplas linguagens no ciberespaco e suas implicacoes para a interacao social de sujeitos imersos numa sociedade interconectada. Os espacos virtuais oportunizam diferentes acoes dos sujeitos, como ler, publicar opinioes, comentar e compartilhar as ideias de outras pessoas, configurando-se como esferas publicas (HABERMAS, 1997). Assim, as redes sociais, blogs, sites de busca e outras plataformas digitais sao esferas publicas nas quais individuos interconectados podem interagir, indo alem da troca de informacoes, problematizando questoes sociais, impulsionando debates e discussoes em geral, promovendo a formacao da opiniao publica. Essas e outras acoes ocorrem por meio de diferentes generos discursivos.

O genero emergente blog, por exemplo, e um espaco representativo onde o sujeito social pode emitir e produzir opinioes, comentar e compartilhar textos e, principalmente, criar e produzir atraves de multiplas linguagens, ja que as interacoes sociais nas esferas publicas, online ou nao, efetivam-se por meio da linguagem.

A partir da diversidade de generos discursivos e novas possibilidades de leitura e de escrita na Internet, Santaella (2014) problematiza como se caracterizam as textualidades emergentes do ciberespaco; isto e, os generos hipermidiaticos. No cenario virtual, predomina um continuum entre a leitura individual do texto e a possibilidade de navegar em redes digitais nas quais os sujeitos podem criar e aumentar os textos que ja circulam no ciberespaco, conectando-os mediante ligacoes hipertextuais, Assim, Levy (2001, p. 44) descreve o hipertexto:
   [...] por oposicao a um texto linear, como um texto estruturado na
   rede. O hipertexto seria constituido de nos (os elementos de
   informacao, paragrafos, paginas, imagens, sequencias musicais etc.)
   e de ligacoes entre esses nos (referencias, notas, indicadores,
   "botoes' que efetuam a passagem de um no a outro").


A leitura do hipertexto foge a pratica convencional que e determinada pela sequencia de frases e paragrafos estruturados. Espera-se muito mais a autonomia do leitor para se apoiar em diversas modalidades de linguagem, e avancar, associado a links, percorrendo os caminhos que a Internet oferece, como sites, blogs, sites de busca, enciclopedias virtuais, entre outros).

A partir dessa concepcao, hipermidia seria a combinacao entre hipertexto e multimidia. De forma semelhante, Santaella (2014, p. 212) explica que o hipertexto
   [...] e um texto que, em vez de se estruturar frase a frase
   linearmente como em um livro impresso, caracteriza-se por nos ou
   pontos de interseccao que, ao serem clicados, remetem a conexoes
   nao lineares, compondo um percurso de leitura que salta de um ponto
   a outro de mensagens contidas em documentos distintos, mas
   interconectados. Isso vai compondo uma configuracao reticular.


O leitor/usuario da Internet e quem determina e conduz sua leitura ou producao a partir de seus interesses e por meio das multiplas possibilidades de links ofertados pelas paginas virtuais. E possivel acessar varias paginas ao mesmo tempo em que estao em constante atualizacao. O ciberespaco caracteriza-se pela instabilidade de conteudo. Paginas podem ser criadas e atualizadas, ou podem ser desativadas a qualquer momento.

Ja a multimidia

[...] consiste na hibridacao, quer dizer, na mistura de linguagens, de processos signicos, codigos e midias. [...] O ciberespaco se apropria e mistura, sem nenhum limite, todas as linguagens pre-existentes: a narrativa textual, a enciclopedia, os quadrinhos, os desenhos animados, o teatro, o filme, a danca, a arquitetura, o design urbano etc. Nessa malha hibrida de linguagens, nasce algo novo que, sem perder o vinculo com o passado, emerge com uma identidade propria: a multimidia [...] (SANTAELLA, 2014, p. 212-213).

No processo de hibridizacao, confundem-se dois enunciados, ocorrendo a fusao de linguagens e perspectivas semanticas. Nao ha fronteira formal, composicional e sintatica (Bakhtin, 2011 apud ROJO; BARBOSA, 2015). Essa e uma caracteristica dos textos digitais, que permitem a combinacao de imagens estaticas ou em movimento, sons, codigos e sinais em um unico genero, a exemplo dos blogs, memes de Internet, propagandas virtuais, videoaulas, videoconferencia, foruns de discussao, inclusive as noticias que apresentam enquetes, comentarios dos leitores, fotos, infograficos, videos e links para compartilhamento nas redes.

Santaella (2014, p. 213) argumenta que

Essa mistura densa e complexa de linguagens, feita de hiper-sintaxes multimidia--povoada de simbolos matematicos, notacoes, diagramas, figuras, tambem povoada de vozes, musica, sons e ruidos --inaugura um novo modo de formar e configurar informacoes, uma espessura de significados que nao se restringe a linguagem verbal, mas se constroi por parentescos e contagios de sentidos advindos das multiplas possibilidades abertas pelo som, pela visualidade e pelo discurso verbal.

Instauram-se novas possibilidades de criacao que estimulam a autonomia do individuo ao criar seus textos, e escolher onde, como e quando publica-los, alem dos recursos linguisticos que deseja utilizar, explorando as alternativas textuais que o ciberespaco oferece. Assim, o sujeito torna-se:

[...] produtor e divulgador de suas proprias mensagens, traco fundamental desse novo tipo de genero discursivo que, alem de hibrido, coloca nas maos do usuario o destino de suas viagens e perambulacoes pelas redes, suas trocas e compartilhamentos no dialogo com o outro (SANTAELLA, 2014, p. 216).

Nesse contexto, entendemos que as esferas publicas digitais e os generos discursivos hibridos, a exemplo dos memes de Internet que circulam nesses espacos, estimulam e propiciam um dialogo intenso entre os sujeitos. No entanto, e fundamental pensarmos sujeitos discursivos com capacidade argumentativa para problematizar questoes sociais, historicas e culturais por meio da linguagem

3. Memes de Internet como generos discursivos hibridos

O conceito de meme nao e novo. Na decada de 70, Richard Dawkins criou o termo baseando-se na teoria da evolucao das especies e comparou a evolucao cultural com a evolucao genetica. Os memes seriam o gene da cultura que e perpetuada pelas pessoas (RECUERO, 2009). Em outras palavras, sao formas narrativas cotidianas, que permitem que os internautas lhes atribuam novos significados e reinterpretem os ambientes e acontecimentos que os cercam. A criacao desses novos textos promovem a dinamica do ciberespaco, com o aparecimento de novos recursos (aplicativos, software), gerando leituras rapidas, predominantemente visuais, que disseminam informacoes de maneira criativa. Videos, imagens estaticas ou em movimento, piadas, jogos, frases sao compartilhados nas esferas publicas digitais de forma bastante rapida. A multimodalidade e multissemiose sao caracteristicas inerentes a esse genero. E muito comum combinar imagens (pessoas famosas, animal, cena de filme, objetos) a frases curtas, utilizando sites especializados em gerar memes ou aplicativos de celular de forma harmoniosa, atendendo a concepcao de genero discursivo hibrido.

Atualmente, os memes ganharam destaque nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Sujeitos interconectados sao capazes de transformar noticias diarias, fatos cotidianos, cenas de filmes, novelas, series ou conversas informais em memes que agucam a imaginacao dos usuarios da rede, seja provocando o riso ou problematizando questoes historicas, culturais e sociais.

Recuero (2009) relaciona a difusao de informacoes nas redes sociais a criacao e a propagacao de memes. Entende-se que as publicacoes feitas nas esferas publicas digitais nao acontecem de forma casual, mas sao motivadas pela percepcao de valor que as informacoes divulgadas possuem. Como texto dotado de sentidos, a criacao e compartilhamento dos memes ocorrem de forma diversificada, de acordo com os valores que apresentam e como podem influenciar as interacoes sociais na rede.

Nesse sentido, associa-se a criacao de memes ao capital social. O capital social seria "[...] um valor constituido a partir das interacoes entre os atores sociais" (RECUERO, 2009, p. 45). "[...] Refere-se a conexao entre individuos--redes sociais e normas de reciprocidade e confianca que emergem dela" (Putnam apud RECUERO, 2009, p. 45).

A presenca de memes e relacionada ao capital social, na medida em que a motivacao dos usuarios para espalha-las e, direta ou indiretamente, associada a um valor de grupo. Por exemplo, as pessoas que espalham os recados com imagens acreditam estar fazendo algo positivo, que deixara aquele que recebeu a mensagem contente. Logo, ha intencionalidade na construcao/aprofundamento de um laco social, que e ultimamente explicado pela necessidade de capital social (RECUERO, 2009, p. 130).

Dessa forma, enfatiza a autora, ao criar um meme, o sujeito pretende interagir e se entender com o outro, sendo que o texto criado por ele atenda a interesses de grupos que curtem, compartilham e comentam determinados memes. Existem paginas na Internet que publicam memes relacionados a cultura nordestina, por exemplo, que atrai um publico que se identifica e compartilha os memes criados com a intencao de fortalecer e divulgar costumes do povo nordestino, desde a culinaria, musicas, danca e identidade linguistica.

A autora ainda cita alguns valores e motivacoes com o objetivo de entender a sua relacao com os capitais sociais representados nos memes. O valor da autoridade indica aqueles sujeitos que possuem uma influencia significativa nas redes sociais. Os blogueiros sao exemplos bem atuais de influenciadores nas redes, podendo inspirar praticas esportivas, tendencias de moda e beleza, debates politicos, e outros. "[...] Se este blogueiro colocar um link no Twitter e disser "vejam que legal", e bastante provavel que varios atores cliquem no link devido a influencia do blogueiro" (RECUERO, 2009, p. 131).

Tambem sao valores a reputacao de um ator social, sua popularidade e visibilidade. Os memes tem maior repercussao quando publicados em paginas com grande numero de visitacao, representadas por pessoas publicas ou com grande notoriedade no espaco virtual (RECUERO, 2009). Esses valores contribuem para a criacao e propagacao dos memes, fazendo com que viralizem na rede, a partir de copias ou replicas que podem permanecer por muito tempo nos espacos virtuais. Obviamente, o compartilhamento dependera das intencoes comunicativas dos sujeitos e do fluxo de informacoes no ciberespaco.

De acordo com Dawkins (1979 apud RECUERO, 2009, p. 124), os memes possuem algumas caracteristicas comuns, que justificam sua sobrevivencia, como a longevidade, a fecundidade e a fidelidade das copias.
   A longevidade e a capacidade do meme de permanecer no tempo. A
   fecundidade e sua capacidade de gerar copias. Por fim, a fidelidade
   e a capacidade de gerar copias com maior semelhanca ao meme
   original. Ressalte-se que a propagacao dos memes e ciclica e nem
   sempre implica a reproducao fiel da ideia original. Ao contrario,
   as mudancas e transformacoes sao frequentes e comparadas, em sua
   abordagem, as mutacoes geneticas: essenciais para a sobrevivencia
   do meme. Assim, as diferencas atraves das quais as pessoas repetem
   as ideias sao, por definicao, parte do meme.


Para melhor compreensao da natureza dos memes, e tomando como base os tres criterios anteriormente mencionados, Recuero (2009) acrescenta o criterio do alcance do meme na rede, propondo a seguinte classificacao: replicadores, metaforicos e mimeticos.

Em relacao a fidelidade, os memes podem ser replicadores, pois tem pouca variacao e sao mais fieis a copia original; metaforicos passam por mais mudancas quando sao compartilhados e nao mantem muitas caracteristicas do texto original; e mimeticos costumam manter a mesma estrutura da versao original, mas ocorrem algumas mudancas para adaptarem-se aos novos espacos em que sao publicados. A mesma expressao de uma pessoa publica, a exemplo de uma atriz de novela ou de um personagem caricaturado, pode ser usada para compor diversos memes. O seu criador pode alternar e incluir frases curtas, criando, assim, memes diferentes.

Referindo-se a longevidade, os memes sao persistentes quando sao replicados por um longo periodo. "Memes persistentes parecem associar-se com memes replicadores e mimeticos, pois ha pouca ou nenhuma variacao. Por conta disso, podem ser identificados em um largo espaco de tempo" (RECUERO, 2009, p. 127). No entanto, podem desaparecer por um tempo e reaparecer na Internet ou ser transformados em outro meme.

"A persistencia do meme indica pouco a respeito do tipo de valor que ele constroi, mas indica apenas que existe a valorizacao. Quanto mais tempo um meme permanece, mais valor esta agregado a sua difusao" (RECUERO, 2009 p. 127). Pode existir maior interesse pelo seu compartilhamento, tratar de temas que atraem os sujeitos interconectados ou podem ser motivacao para debates e uma forma democratica de exposicao de ideias e capacidade criativa.

O criterio fecundidade da origem a tres tipos de memes. Os memes epidemicos que se propagam com maior intensidade. Para a autora, "todos os memes sao potencialmente fecundos e necessitam gerar descendencia para sobreviver, mas tem graus diferentes de fecundidade" (RECUERO, p. 128). Assim nao se pode estabelecer uma padronizacao relacionada ao surgimento de memes e determinar exatamente o seu alcance, se serao muito compartilhados nas redes sociais, se darao origem a muitos memes ou esquecidos facilmente pelos usuarios da rede.

Os globais "[...] sao memes que alcancam nos que estao distantes entre si dentro de uma determinada rede social, nao sendo necessariamente fecundos. Eles simplesmente aparecem em pontos nao proximos" (RECUERO, p. 128). E os locais sao memes difundidos com maior proximidade entre as pessoas sem muita repercussao nas midias.

Como genero discursivo digital, os memes de Internet passam por processos, como motivacao, criacao e compartilhamento. E importante atentar para sua funcionalidade comunicativa, sendo uma oportunidade de agir na esfera social. Ao criar, comentar ou publicar esses textos na rede, os individuos tem oportunidade de agir discursivamente, expondo suas concepcoes, participando de debates e formacao da opiniao publica mediante o uso de multiplas linguagens. Frases de estrutura linguistica simples ou imagens aparentemente despretensiosas podem, em um contexto socio-historico, tomar grandes proporcoes e estreitar dialogos nas redes.

Fazendo um breve passeio pelas redes sociais ou acessando aplicativos de mensagens, e possivel encontrar uma quantidade consideravel de memes que apresentam uma caracteristica em comum: a parodia. Tratam-se de imitacoes com imagens ironicas de cenas de novelas, personagens famosos, trechos de filmes, fatos do cenario politico ou qualquer outro fato que repercute nas midias digitais ou nao, como propagandas televisivas, entrevistas de radio, por exemplo. Essa imitacao pode apelar para ridicularizacao, caricatura, exagero ou criticas severas a questoes de cunho social, historico e cultural. Tambem nao e preciso buscar frases ou personagens conhecidos do grande publico para criar um meme. E possivel combinar fotos de animais de estimacao, objetos, paisagens e outros cenarios com frases curtas e postar nas paginas virtuais.

Os memes mais comuns sao formados por uma imagem estatica acrescida de uma frase curta. Os recursos linguisticos podem ser variados. Usa-se uma linguagem popular, muitas vezes, sem a preocupacao com aspectos ortograficos, de pontuacao e concordancia. Normalmente, o texto verbal e disposto sem tirar o protagonismo do texto nao verbal.

Na figura 1, o meme e formado pela imagem do personagem Ted (4), que expressa sua opiniao sobre o que seria corrupcao na escola: colar na prova e pagar terceiros para fazer trabalho escolar. E uma versao bastante comum nas redes sociais: a imagem de um personagem famoso e a utilizacao de uma frase curta para simbolizar a fala do personagem. A combinacao entre a imagem colorida e o texto verbal colaboram para a construcao dos sentidos do texto. Nos sites geradores, essa mesma imagem pode ser utilizada para criar varios outros memes, sendo essa uma das caracteristicas do genero: a fecundidade.

Para tratar de assuntos variados e atingir determinado sentido, quem cria o meme pode apelar para diversos recursos linguisticos, como metaforas, ironia, abreviacoes, girias, sinais de pontuacao que dao enfase ao texto, a exemplo da exclamacao, aspas e fonte caixa alta. Tambem podem ser usados simbolos, signos e outros elementos que caracterizam o meme como um genero discursivo multimodal e multissemiotico. A organizacao desses elementos, tanto verbais como nao verbais, colabora para a formacao de um texto coerente. Os leitores que compartilham e comentam os memes poderao associa-los tambem a elementos externos a linguagem, percebendo a funcionalidade comunicativa dos textos que sao criados a partir de um contexto culturalmente marcado.

Por serem os memes generos que representam os costumes, os valores, os habitos, as pretensoes da sociedade, numa leitura rapida, e possivel identificar elementos comuns aos leitores. Com seu poder de criacao e difusao, podem impulsionar debates significativos sobre assuntos que geram interesse, de forma geral, na perspectiva de um agir socialmente. Entendemos que:

[...] a internet possibilita a cooperacao mutua, a construcao coletiva de conhecimento, fomentando os debates e ampliando, assim, o campo de evolucao dos "memes". Os textos memicos carregam em si mensagens que sao decodificadas pelos cerebros receptores, analisadas, interpretadas, adotadas e, por vezes, replicadas, tal que, ao se familiarizarem com a linguagem contida no componente a ser replicado, estarao dialogando de certa maneira com o criador do "meme", ou mesmo com os participes das mesmas interacoes de transmissao de ideias. E a linguagem enquanto fenomeno social, como pratica de atuacao interativa (SOUZA, 2013, p. 134).

Nessa perspectiva, o uso desse recurso vai para alem da simples recepcao, interpretacao e compartilhamento de mensagens rapidas e engracadas. Por ser um genero discursivo socio-historicamente situado, imerso em um contexto cultural especifico, os memes oferecem ao sujeito possibilidades de acao no espaco virtual. Ao cria-los e comenta-los, o sujeito esta emitindo suas opinioes sobre varios assuntos, participando de debates, questionando e atribuindo novos sentidos aos textos e as situacoes que eles podem apresentar.

Dessa forma, as acoes de produzir, compartilhar e comentar memes estao relacionadas ao que Habermas (2010) chama de acoes discursivas. Ele explica que na acao comunicativa, os individuos interagem com o objetivo de compreender um ao outro por meio da linguagem, fomentando sua capacidade de racionalidade perante as questoes sociais. Esse processo caracteriza-se por acoes do sujeito que, esperando ser compreendido pelo seu interagente, busca as melhores sentencas e enunciados que acredita ser entendiveis e, assim, estabelecer uma relacao de dialogo satisfatoria com seu parceiro de interacao verbal.

No entanto, a acao comunicativa se concretiza na participacao dos sujeitos em acoes discursivas. Se na acao comunicativa o sujeito interage e busca o entendimento mutuo, na acao discursiva, isso se expande, pois o sujeito passa a problematizar o que foi dito pelo seu interagente (HABERMAS, 2010). Nesse sentido, o sujeito expoe elementos do mundo da vida5 nos memes, mostrando as condicoes em que estao inseridos, as relacoes pessoais, elementos da sua cultura e a dinamica social. Atraves da linguagem dos memes, o sujeito dialoga com seu interagente, problematizando e dando sentido ao conjunto de ideias que fluem no convivio social, as transformacoes que a sociedade passa, colaborando para a percepcao do individuo como sujeito autonomo e dinamico.

Mesmo diante de tanta possibilidade de criacao, os leitores ja conseguem de longe identificar um meme. Apesar da diversidade de linguagem, a leitura rapida e visual sao algumas das principais caracteristicas que ajudam a reconhecer o genero e sua funcionalidade comunicativa rodeada de humor, ironia, sarcasmo e critica social.

4. Interagindo com memes de Internet nas aulas de Lingua Portuguesa

Enquanto generos proprios do cenario virtual, os memes de Internet podem impulsionar um trabalho significativo nas aulas de Lingua Portuguesa tanto em relacao aos estudos da linguagem como tambem aos processos de leitura e de escrita de estudantes da Educacao Basica, atendendo as novas perspectivas da hipertextualidade.

Rojo e Barbosa (2015, p. 135) esclarecem que

[...] para que a escola possa qualificar a participacao dos alunos nas praticas da web, na perspectiva da responsabilizacao, deve propiciar experiencias significativas com producoes de diferentes culturas e com praticas, procedimentos e generos que circulam em ambientes digitais: refletir sobre participacoes, avaliar a sustentacao das opinioes, a pertinencia e adequacao de comentarios, a imagem que se passa, a confiabilidade das fontes, apurar os criterios de curadoria e de selecao de textos/producoes, refinar os processos de producao e recepcao de textos multissemioticos.

Estudar os memes fora do contexto digital e correr o risco de descaracterizalos, comprometendo a construcao dos sentidos e a funcionalidade comunicativa do genero. Simplesmente exibir memes em slides ou distribui-los impressos para os estudantes na sala de aula tornaria o trabalho bastante limitado, pois e comentando, curtindo e compartilhando esse genero em redes sociais, blogs e ate o criando atraves dos aplicativos de mensagens e de sites geradores que os estudantes podem reconhecer os memes de Internet enquanto praticas sociais em contextos de interacao verbal. Dessa forma, e importante estudar os memes sem desvincular das esferas publicas onde sao criados e publicados.

Por causa disso, para a analise da praxis pedagogica com memes de Internet com alunos do 9 ano do Ensino Fundamental II, ancoramo-nos no metodo netnografico. A netnografia "[...] e uma metodologia cientifica utilizada para observar comunidades, presentes na Internet, quanto a influencia na vida de seus membros" (Hine apud FERRO 2015, p. 2-3). Trata-se de um metodo interpretativo que considera tanto o envolvimento do pesquisador como dos sujeitos participantes da pesquisa.

Assim, tornou-se importante nessa pratica pedagogica o estudo das acoes dos estudantes quando construiram memes no espaco virtual e compartilharam seus textos com a finalidade de interagir uns com os outros, atuando em determinada comunidade atraves do artefato tecnologico. Com essa perspectiva, realizamos a oficina de producao de memes com um grupo de quinze estudantes. Decidimos que o trabalho seria realizado com essa turma do nono ano devido a relevancia dessa etapa na formacao do estudante. Trata-se da terminalidade de mais um ciclo na vida escolar do aluno e esperamos que, nessa etapa, apresentem novas habilidades de leitura, escrita e uso da lingua/linguagem de forma geral.

Muitos estudantes participantes da pesquisa apresentam muita resistencia e desmotivacao para ler textos mais longos, principalmente em voz alta, produzir generos com funcionalidades comunicativas diversas etc. Tambem, buscam, muitas vezes, informacoes prontas na superficie textual para responder a questoes interpretativas ou apresentam dificuldades para argumentar sobre determinado assunto. Surge, entao, a necessidade de perceber quais sao os generos que estao mais presentes no cotidiano dos alunos e ampliar o trabalho com o texto a partir desses generos.

Para o inicio da atividade, procuramos investigar, atraves de conversas informais e aplicacao de questionarios, se os alunos acessavam a Internet, se possuiam smartphones, com que frequencia e com quais objetivos visualizavam paginas virtuais etc. A maioria afirmou ter conta nas redes sociais e aplicativos de mensagens, assumindo que se mantem conectados diariamente. Alem disso, e possivel notar que parte dos estudantes costumam levar aparelhos celulares para a escola e acessam a internet, quando possivel. Apos essa interacao inicial, apresentamos o objetivo da atividade, suas etapas e expectativas em relacao a essa acao.

Como negociado com a turma, usamos algumas aulas por semana para o desenvolvimento das atividades, que foram conduzidas e planejadas pela professora da turma que tambem e responsavel pela pesquisa. Para isso, utilizamos alguns recursos disponiveis na escola como acesso a internet, notebook, data show e sala de multimidia. Entretanto, antes de propormos qualquer producao, observamos como ocorria o reconhecimento dos elementos que compoem os memes, como o uso de imagens estaticas ou em movimento, frases curtas, personagens famosos, frases do cotidiano etc. Com o auxilio de um data show, exibimos sites com memes sobre tematicas trabalhadas em sala de aula, que constavam no planejamento da unidade.

Apos esse conhecimento inicial, lancamos algumas questoes para os alunos: voce costuma visualizar, compartilhar, curtir ou comentar memes? Voce se identificou com a ideia explorada por algum meme? Tinhamos como objetivo que os estudantes verbalizassem suas reflexoes, de forma espontanea, atraves de uma conversa descontraida com o grupo. Isso serviu de diagnostico para percebermos que a maior parte dos estudantes tinham familiaridade com o genero e, com isso, pudemos introduzir o trabalho com outras praticas de leitura e de escrita, sendo agora no espaco virtual.

O estudo prosseguiu com alguns questionamentos mais especificos, tais como: qual a relacao entre a imagem selecionada e a frase exposta no texto? Outra imagem poderia ser usada para compor esse meme? Se a imagem nao fosse colorida, o meme teria o mesmo efeito de sentido? Voce ja viu essa imagem antes? Ela formava outro meme? Essas e outras questoes puderam ajudar a reconhecer os elementos estruturais do texto e permitiram que os estudantes compreendessem o meme como um genero hibrido.

Apos esse percurso, apresentamos aos alunos o meme estereotipo baiano, que consta na figura 2.

O meme da figura 2 foi postado em uma rede social na pagina Baiano e outro nivel, que apresenta como tematica a valorizacao do povo baiano. O meme foi construido a partir da imagem de um galo, referindo-se a ideia de que este animal acorda bastante cedo. O galo aparece como um animal esguio, com penas de cores vibrantes, demonstrando forca e vitalidade. A disposicao da frase tambem ganha destaque ao compor o meme. O trecho "Antes de eu cantar" esta em caixa alta dando enfase a fala do personagem. Nesse caso, se os baianos acordam mais cedo que o galo demonstra que as pessoas nao sao preguicosas, valorizando ainda mais a questao do sujeito forte e dedicado, contrariando a concepcao preconceituosa de que e um povo preguicoso que se interessa apenas por festas, comemoracoes, carnaval etc. Esse traco reforca a importancia da disposicao de imagens e do texto verbal ao compor os enunciados.

Em uma intervencao, propomos uma discussao com os estudantes, analisando a estrutura do meme, a pagina onde foi publicado, a relacao do personagem com o tema, questionando qual ou quais seriam as criticas apresentadas no texto, debatendo sobre a identidade, habitos, costumes e outros elementos da cultura baiana e, assim, relacionando com as questoes de preconceito e de discriminacao. Nessa etapa, foi interessante que os estudantes pudessem escrever e publicar seus comentarios sobre o meme, emitindo opinioes e argumentos, problematizando, por exemplo, a voz do enunciador, um sujeito que valoriza sua propria cultura, confrontando discursos preconceituosos e construindo outro discurso, outra representacao do que e ser baiano. Com base nisso, debatemos junto com os estudantes questoes relacionadas a economia do estado, as producoes culturais, as producoes cientificas, provocando uma reflexao sobre como surgiu esse estereotipo e de que forma ele poderia ser contestado nas esferas publicas.

Apos conhecer as caracteristicas dos memes de Internet enquanto genero hibrido e a construcao de sentido, tornou-se relevante a criacao de memes nas aulas de Lingua Portuguesa atraves do uso de aplicativos e sites geradores. Sugerimos a criacao de textos com tematicas especificas, dando continuidade aos assuntos trabalhados em sala ou relacionados a algum projeto da escola. Tambem, foi pertinente que os textos criados pelos estudantes fossem socializados nas paginas virtuais, tendo assim um proposito comunicativo para suas producoes.

Em uma oportunidade, trabalhamos com a tematica conservacao do patrimonio escolar, relacionada a um projeto que estava sendo desenvolvido na escola. Para isso, algumas aulas foram programadas para a concretizacao da atividade. Organizados em grupos, os estudantes foram convidados a irem a sala de multimidia da escola para assistirem a videos que tratassem sobre o tema; orientamos a producao de textos diversos, confeccao de cartazes etc. E, ao final, os alunos foram convidados a criarem memes de Internet relacionados ao tema do projeto.

Nas aulas seguintes, ajudamos os alunos a selecionarem imagens e frases que fariam parte de sua criacao, observando sempre a relacao entre texto verbal e nao verbal. E, depois que os memes foram criados, socializamos as producoes com todo o grupo. Os memes das figuras 3, 4 e 5 foram construidos pelos alunos, utilizando como ponto de partida personagens do famoso seriado Chaves. Os textos fazem referencia a algumas atitudes que colaboram para a destruicao do patrimonio escolar ou tratam da importancia de manter a estrutura da escola em boas condicoes, como manter as carteiras arrumadas e as salas de aula limpas.

Na figura 5, o enunciador manifesta o contentamento dos estudantes ao manterem sua propria sala conservada, ratificando a responsabilidade e o compromisso da turma com o espaco escolar. Tambem, aparece a necessidade de estimulo e conscientizacao, por parte da comunidade escolar, representando um exemplo a ser seguido pelas outras turmas e, ainda, a importancia do reconhecimento por parte de professores e gestores quando essas acoes sao realizadas.

Com essas producoes, percebemos a voz dos estudantes enquanto enunciadores, que expoem nos memes discursos disseminados no ambiente escolar, discursos que foram construidos a partir dos debates com a professora e os atores do projeto sobre preservacao do patrimonio e que serviram de base para a construcao dos memes, de forma polifonica. E possivel formar e expor opinioes que tratem da responsabilidade pela conservacao da escola, compreendendo que a escola publica pertence a uma comunidade e atendera a novos estudantes, novas geracoes.

Com a realizacao dessa atividades, entendemos que os estudantes, enquanto sujeitos sociais, puderam atuar nas esferas publicas digitais atraves de seus discursos, sendo capazes de emitir opinioes e lancar mao de argumentos para entenderem-se com seus colegas. A leitura e a producao de memes nesses novos espacos de interacao verbal estimularam o debate e a formacao de opiniao publica. Ao criar, curtir, compartilhar e comentar um meme de Internet, o estudante esta valendo-se de multiplas linguagens para apresentar seu ponto de vista sobre honestidade, corrupcao, formacao do estereotipo, preservacao do patrimonio escolar ou outra tematica em evidencia nas redes sociais e/ou suas esferas comunicativas habituais.

Algumas consideracoes

Neste artigo, propomos uma discussao mais estreita entre as novas esferas publicas digitais e o aparecimento de uma infinidade de textualidades e generos discursivos que contribuem para a disseminacao de informacoes no espaco virtual. Nesse cenario, os memes de Internet surgiram como um genero hibrido, capaz de problematizar diversas tematicas, desde situacoes do cotidiano a fatos da esfera politica, economica e cultural de uma maneira geral.

Quando discutimos os memes enquanto genero, necessariamente evidenciamos que a construcao dos sentidos de tais textos vai alem de elementos visuais, perpassando por elementos extralinguisticos, como o contexto de producao dos memes, a funcionalidade comunicativa, as informacoes que estao implicitas e explicitas e a intencionalidade dos criadores dos memes.

Dentre as principais caracteristicas, evidenciamos a viralizacao do genero memes de Internet, que passa pela imitacao e reproducao. Assim, um mesmo meme ou ideia inicial pode alavancar a criacao de varios outros textos. Esse genero passa por adaptacao quanto a estrutura (nem sempre, por exemplo, as imagens sao estaticas), linguagem (o meme nao precisa necessariamente apresentar frases curtas sem preocupacao com questoes ortograficas ou emprego de trocadilhos) etc. Isso faz com que esse genero hibrido apresente peculiaridades e configure-se como elemento significativo em diversas areas do conhecimento.

Diante de tantas possibilidades de uso da linguagem multimodal e multissemiotica, propomos que o meme seja visto com outro olhar dentro da escola. Como um texto que pode ser levado para a Educacao Basica e ser estudado em salas de aula. A escola nao pode desconsiderar as novas textualidades que surgem nas esferas publicas digitais ja que estudantes e professores estao imersos nesses contextos de interacao verbal, atuando de forma diversificada, seja produzindo textos multimodais, desenvolvendo novas habilidades de leitura e de escrita, atraves de redes sociais, aplicativos de mensagens, blogs etc.

Referencias

BAKHTIN, Mikhail. Estetica da criacao verbal. Sao Paulo: Martins Fontes, 2011.

DELL'ISOLA, R. L. P. Generos hibridos: contornos difusos? In: O caminho se faz caminhando. Anais do evento PG Letras 30 anos. PPGL/UFPE, Recife, 2006, no 1, p.66-80.

FIORIN, Jose Luiz. Introducao ao pensamento de Bakhtin. Sao Paulo: Contexto, 2016, p. 67-83.

HABERMAS, Jurgen. O papel da sociedade civil e da esfera publica politica. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997, v. II. p. 57-113.

HABERMAS, Jurgen. Esclarecimento sobre o conceito de accao comunicativa. In: Obras escolhidas de Jurgen Habermas. Volume I. Fundamentacao Linguistica da Sociologia. Traducao Lumir Nahodil. Lisboa: Edicoes 70, 2010, p. 137-169.

HABERMAS, Jurgen. Racionalidade--uma determinacao conceitual provisoria. In: Teoria do agir comunicativo: racionalidade da acao e racionalizacao social. Sao Paulo: WMF Martins Fontes, 2012, v. I, p. 31-91.

LEVY, Pierre. A virtualizacao da economia. In: O que e virtual. Sao Paulo: 34, 2001, p. 35-50.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

ROJO, Roxane; BARBOSA, Jacqueline P. Hipermodernidade, multiletramentos e generos discursivos. Sao Paulo: Parabola Editorial, 2015.

SOUZA, Carlos Fabiano de. Memes: formacoes discursivas que ecoam no ciberespaco. Revista Vertices. Campos dos Goytacazes/ RJ, jan./abr. 2013, v.15, n. 1, p. 127-148.

VIEIRA, Mauriceia Silva de Paula. A leitura de textos multissemioticos: novos desafios para velhos problemas. Anais do SIELP. Uberlandia: EDUFU, 2012, v. 2, no 1.

DOI: 10.12957/periferia.2019.36343

Isnalda Berger (1)

Universidade Estadual de Feira de Santana

Ursula Cunha Anecleto (2)

Universidade do Estado da Bahia

(1) Graduada em Letras Vernaculas, pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Especialista em Linguistica e Ensino-Aprendizagem de Lingua Portuguesa, pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Mestranda em Estudos Linguisticos na linha de pesquisa Praticas Textuais e Discursivas, pelo Programa de Pos--graduacao em Estudos Linguisticos da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). E-mail: nalfigueiredo2@hotmail.com

(2) Professora Assistente do Departamento de Educacao na Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Doutora em Educacao pela Universidade Federal da Paraiba (UFPB). Atua na area de Letras e Educacao, com Estagio Supervisionado em Lingua Portuguesa e Tecnologias da Informacao e Comunicacao. Na pos-graduacao, atua como docente e coordenadora do Mestrado Profissional em Educacao e Diversidade (MPeD/UNED).

(3) O texto multimodal apresenta multiplas linguagens como sons, imagens estaticas ou em movimento e textos escritos. Ja o texto multissemiotico e organizado por diferentes sistemas de signos, estruturando-se a partir de varios recursos visuais como imagens, cores, e tipos de letras, por exemplo, que ajudam na compreensao do texto (VIEIRA, 2012).

(4) Ted e o nome de um personagem do filme americano que leva o mesmo nome, lancado em 2012. A imagem de Ted costuma ser encontrada em varios memes compartilhados nas redes sociais.

(5) Habermas (2012, p. 108) define mundo da vida como a "[...]soma de todas as relacoes interpessoais, reconhecidas como legitimas pelos envolvidos". Entende-se que o mundo da vida esta relacionado ao mundo das acoes sociais e culturais dos sujeitos. E o mundo das inter-relacoes cotidianas que ocorrem

Caption: Figura 1: Meme sobre honestidade e corrupcao Fonte: Google imagens. Disponivel em: https://goo.gl/images/nFKN4L. Acessado em: 10 maio 2018.

Caption: Figura 2: Memes sobre o estereotipo baiano Fonte: Ser Baiano e Outro Nivel. Disponivel em: www.facebook.com.br/serbaianoeoutronivel. Acessado em: 04 outubro 2017.

Caption: Figura 3: Meme criado pelos estudantes na aula de Lingua Portuguesa Fonte: Arquivo pessoal da autora, 2018.

Caption: Figura 4: Meme criado pelos estudantes na aula de Lingua Portuguesa Fonte: Arquivo pessoal da autora, 2018

Caption: Figura 5: Meme criado pelos estudantes na aula de Lingua Portuguesa A Fonte: Arquivo pessoal da autora, 2018.
COPYRIGHT 2019 Universidade do Estado do Rio de Janeiro- Uerj
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Berger, Isnalda; Anecleto, Ursula Cunha
Publication:Periferia
Article Type:Report
Date:May 1, 2019
Words:7260
Previous Article:EDUCATION, MEMES AND THE WORK CATEGORY/EDUCACAO, MEMES E A CATEGORIA TRABALHO/EDUCACION, MEMBRES Y CATEGORIA TRABAJO.
Next Article:MEME E EDUCACAO: ENTREVISTA COM ADRIANA ROCHA BRUNO.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters