Printer Friendly

Lingual frenulum evaluation protocol for infants: relationship between anatomic and functional aspects/Protocolo de avaliacao do frenulo lingual para bebes: relacao entre aspectos anatomicos e funcionais.

INTRODUCAO

A lingua possui em sua face inferior uma pequena prega de membrana mucosa, denominada frenulo da lingua, que a conecta ao assoalho da boca. Essa membrana pode limitar os movimentos da lingua em graus variados, dependendo da porcao de tecido residual que nao sofreu apoptose durante o desenvolvimento embrionario [1]. Esse processo de apoptose pode justificar a grande variacao anatomica do frenulo lingual.

Os criterios utilizados para avaliacao e classificacao do frenulo nao sao padronizados, o que impossibilita a comparacao de resultados entre estudos e pode justificar a grande variacao, entre 0, 88% e 12, 8%, nos indices de incidencia [2-5]. Em 1993, um protocolo para avaliacao do frenulo em bebes ate seis meses de idade foi proposto, porem nao foi validado (6). Esse protocolo apresenta varios itens referentes a aparencia do frenulo e propoe a avaliacao dos movimentos da lingua via estimulacao de reflexos e da succao nao nutritiva. Entretanto, existem criticas na literatura quanto a sua exequibilidade, confiabilidade e complexidade [1,7].

Em 2012, Martinelli et al [8] propuseram um protocolo baseado na revisao de literatura considerando as variacoes anatomicas do frenulo lingual, bem como as funcoes de succao e degluticao. A proposta desse protocolo foi um grande avanco para o diagnostico da interferencia do frenulo nos movimentos da lingua durante a amamentacao. Entretanto, sua aplicacao se mostrou muito complexa e longa, indicando necessidade de adequacoes para se tornar um instrumento rapido e de facil aplicacao.

As funcoes de succao e degluticao estao diretamente relacionadas com a amamentacao, onde a participacao dos movimentos da lingua r fundamental. Sendo assim, qualquer restricao a livre movimentacao da lingua pode resultar no comprometimento dessas funcoes, dificultando a amamentacao.

Com base no exposto, fica evidente a necessidade da criacao e validacao de protocolos de avaliacao do frenulo lingual para bebes, correlacionando aspectos anatomicos e funcionais. A somatoria desses aspectos pode contribuir para um diagnostico correto e indicacao de condutas assertivas evitando o desmame precoce e/ou baixo ganho de peso, que podem comprometer o desenvolvimento dos bebes [9-18].

O objetivo desse estudo foi verificar quais caracteristicas anatomicas do frenulo da lingua influenciam nas funcoes de succao e degluticao em bebes nascidos a termo, com a finalidade de propor adequacoes no protocolo proposto por Martinelli et al [8].

METODO

Este foi um estudo de carater transversal do qual participaram 100 sujeitos, sendo 44 do genero feminino e 56 do genero masculino, nascidos na unica maternidade de uma cidade do interior de Sao Paulo, no periodo entre setembro de 2011 e abril de 2012.

Foram incluidos nessa pesquisa: bebes saudaveis, nascidos a termo, independentemente do tipo de parto e que estavam sendo amamentados. Os critrrios de exclusao considerados foram: prematuridade, complicacoes perinatais, presenca de anomalias craniofaciais, doencas neurologicas, sindromes genrticas visiveis no momento da avaliacao e alimentacao artificial.

Os bebes foram agendados para participarem do estudo quando completassem 30 dias de vida, garantindo que os mesmos ja estivessem adaptados ao processo de amamentacao.

Para a coleta de dados foi aplicado nos bebes o protocolo de avaliacao do frenulo lingual proposto por Martinelli et al [8], proximo a hora da mamada, por uma unica avaliadora. Sua aplicacao foi filmada por um profissional treinado para esse fim.

Ao termino da avaliacao, as filmagens foram vistas e analisadas, em separado, por duas fonoaudiologas especialistas em Motricidade Orofacial, com vasta experiencia em avaliacao do frenulo lingual. Foram considerados os resultados consenso entre as duas avaliadoras.

Os dados obtidos por consenso entre as duas fonoaudiologas foram submetidos a analise estatistica utilizando o teste Qui-quadrado de Pearson, seguido do teste exato de Fisher, para as variaveis qualitativas. Os dados quantitativos foram submetidos a analise de variancia (ANOVA), seguida do teste de Tukey. Para a analise estatistica dos dados coletados, foi adotado o nivel de significancia de 5% (p < 0,05).

Esta pesquisa foi aprovada pelo Comite de Etica em Pesquisa da Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de Sao Paulo, sob o numero 113/2011. Todas as maes dos bebes participantes foram informadas sobre os procedimentos a serem realizados e assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido.

RESULTADOS

Dos 100 bebes avaliados, em 29 nao foi possivel visualizar o frenulo lingual, pois o mesmo estava recoberto por cortina de mucosa. Dos 71 bebes nos quais foi possivel realizar a aplicacao completa do protocolo, foram identificados 16 bebes (22,54%) com caracteristicas anatomicas que restringiram o movimento da lingua na succao nutritiva e nao nutritiva, sendo os 55 restantes considerados normais.

A analise estatistica evidenciou a presenca de relacao entre caracteristicas anatomicas do frenulo de lingua com o genero, bem como com a succao nutritiva e nao nutritiva, como apresentado nas Tabelas 1 e 2.

Assim, foi possivel identificar que os aspectos do protocolo "tendencia do posicionamento da lingua durante o choro, forma da lingua quando elevada, fixacao do frenulo na lingua e no assoalho da boca, tempo entre as mamadas, cansaco para mamar, movimento da lingua na succao nao nutritiva e tempo da pausa entre grupos de succoes" permitem detectar a interferencia do frenulo lingual nos movimentos da lingua.

A partir da experiencia clinica com a aplicacao desse instrumento em 100 bebes, das queixas relatadas pelas maes e dos resultados obtidos com o tratamento estatistico, foram propostas modificacoes no protocolo.

Na historia clinica, foram incluidas as seguintes questoes: mama um pouco e dorme; vai soltando o mamilo e "morde" o mamilo.

Na avaliacao anatomofuncional, foi acrescentada mais uma alternativa para a postura da lingua: "lingua na linha mrdia com elevacao das laterais". No que se refere ao frenulo lingual, foi acrescentado o item "visualizado com manobra", bem como a explicacao para realizacao da mesma.

Foram incluidas pontuacoes para cada aspecto apresentado no protocolo. Os escores foram atribuidos aos 16 bebes com alteracao de frenulo lingual, sendo que os resultados encontrados estao descritos na Tabela 3.

A partir dos resultados encontrados com a aplicacao do protocolo com escores modificado, nos casos alterados, foi possivel definir as pontuacoes indicativas de anormalidades, sendo entao definidos os escores parciais e o escore total.

Quanto aos escores parciais, ficou estabelecido que quando a soma dos itens da historia clinica for igual ou maior que 4, pode-se considerar a interferencia do frenulo na movimentacao da lingua. Para estabelecer o valor minimo de 4 pontos foram considerados como itens de alteracao: tempo entre as mamadas de 1 hora ou menos (2) e "morde" o mamilo (2). Na avaliacao anatomofuncional, quando a soma dos itens 1, 2 e 3 for igual ou maior que 4, pode-se considerar a interferencia do frenulo na movimentacao da lingua. Para estabelecer o valor minimo de 4 pontos foram considerados como itens de alteracao: lingua baixa ou na linha mrdia com elevacao das laterais (2) e ligeira fenda no apice (2). Ainda na avaliacao anatomofuncional, quando a soma do item 4 for igual ou maior que 3 pode-se considerar a interferencia do frenulo lingual na movimentacao da lingua. Para estabelecer o valor minimo de 3 pontos foram considerados como itens de alteracao: frenulo espesso (2) e fixacao do frenulo no assoalho da boca visivel a partir da crista alveolar inferior (1). Quando a soma da avaliacao da succao nao nutritiva e nutritiva for igual ou maior que 2 pode-se considerar a interferencia do frenulo lingual na movimentacao da lingua. Para estabelecer o valor minimo de 2 pontos foram considerados como itens de alteracao: movimento de lingua inadequado (1) e poucas succoes com pausas longas (1).

Foi estabelecido tambrm que, quando a soma apenas do exame clinico for igual ou maior que 9, pode-se considerar a interferencia do frenulo lingual nos movimentos da lingua. Para estabelecer o valor minimo de 9 pontos foram considerados como itens de alteracao: na avaliacao anatomofuncional, a tendencia do posicionamento baixo da lingua (2) ou lingua na linha mrdia com elevacao das laterais durante o choro (2), o apice com ligeira fenda (2), o frenulo espesso (2) e a fixacao do frenulo no assoalho da boca visivel a partir da crista alveolar inferior (1); e na avaliacao da succao nao nutritiva e nutritiva na amamentacao foram considerados o movimento de lingua inadequado durante a succao nao nutritiva (1), assim como poucas succoes com pausas longas (1).

Foi estabelecido, ainda, que quando a soma da historia e do exame clinico for igual ou maior que 13 pode-se considerar a interferencia do frenulo lingual nos movimentos da lingua. Para estabelecer o valor minimo de 13 pontos foram considerados como itens de alteracao: na historia clinica, as respostas afirmativas para morde o mamilo (2) e tempo igual ou menor que uma hora entre as mamadas (2); na avaliacao anatomofuncional, a tendencia do posicionamento baixo da lingua (2) ou lingua na linha mrdia com elevacao das laterais durante o choro (2), o apice com ligeira fenda (2), frenulo espesso (2), e fixacao do frenulo no assoalho da boca visivel a partir da crista alveolar inferior (1); e na avaliacao da succao nao nutritiva e nutritiva foram considerados o movimento de lingua inadequado durante a succao nao nutritiva (1) e poucas succoes com pausas longas, durante a amamentacao (1).

Desta forma, quanto ao escore total, zero a 8 foi considerado como normalidade, e 25 o maximo de alteracao a ser encontrada, sendo 8 como o pior resultado da historia clinica, 12 da avaliacao anatomofuncional e 5 da avaliacao da succao nao nutritiva e nutritiva na amamentacao.

Portanto, a partir da experiencia da aplicacao do protocolo em 100 bebes, bem como dos resultados obtidos por meio da analise estatistica, foram propostas modificacoes julgadas necessarias, sendo obtida a versao final do protocolo de avaliacao do frenulo lingual, com escores, para bebes (Figuras 1 a 4).

Figura 1--Protocolo de Frenulum para Bebes--Historia Clinica

PROTOCOLO DE AVALIACAO DO FRENULO DA LINGUA COM ESCORES PARA BEBES

HISTORIA CLINICA

Nome: --

Data do Exame: --/--/-- DN: --/--/-- Idade: -- Genero: M () F ()

Nome da mae: --

Nome do pai: --

Endereco: -- no.: --

Bairro: -- Cidade/Estado: -- CEP: --

Fones: -- residencial: () trabalho: ()_celular: ()_____

Endereco eletronico: --

Antecedentes Familiares

(investigar se existem casos na familia com alteracao de frenulo da
lingua)

() nao (0) () sim (1) Quem e qual o problema: --

Problemas de Saude

() nao () sim Quais: --

Amamentacao:

- tempo entre as mamadas:    () 2h ou mais (0) () 1h ou menos (2)

- cansaco para mamar?        () nao        (0) () sim (1)

- mama um pouquinho e dorme? () nao        (0) () sim (1)

- vai soltando o mamilo?     () nao        (0) () sim (1)

- morde o mamilo?            () nao        (0) () sim (2)

Total da historia clinica: Melhor resultado = 0  Pior resultado = 8

Quando a soma dos itens da historia clinica for igual ou maior que
4, pode-se considerar a interferencia do frenulo nos movimentos da
lingua.

Figura 4--Protocolo de Frenulum para Bebes--Exame Clinico Parte 3

PROTOCOLO DE AVALIACAO DO FRENULO DA LINGUA COM ESCORES PARA BEBES

PARTE II--AVALIACAO DA SUCCAO NAO NUTRITIVA E NUTRITIVA

1. Succao nao nutritiva (succao do dedo minimo enluvado)

1.1. Movimento da lingua

() adequado: protrusao de lingua, movimentos coordenados e succao
eficiente (0)

() inadequado: protrusao de lingua limitada, movimentos incoordenados
e atraso para inicio da succao (1)

2. Succao Nutritiva na Amamentacao

(na hora da mamada, observar o bebe mamando durante 5 minutos)

2.1. Ritmo da succao (observar grupos de succao e pausas)

() varias succoes seguidas com pausas curtas (0)

() poucas succoes com pausas longas (1)

2.2. Coordenacao entre succao/degluticao/respiracao

() adequada (0) (equilibrio entre a eficiencia alimentar e as
funcoes de succao, degluticao e respiracao, sem sinais de
estresse)

() inadequada (1) (tosse, engasgos, dispnria, regurgitacao, soluco,
ruidos na degluticao)

2.3. "Morde" o mamilo

() nao (0)

() sim (1)

2.4. Estalos de lingua durante a succao

() nao (0)

() sim (1)

Total da avaliacao da succao nao nutritiva e nutritiva: Melhor
resultado = 0 Pior resultado = 5 Quando a soma da avaliacao da
Succao Nao Nutritiva e Nutritiva for igual ou maior que 2,
pode - se considerar a interferencia do frenulo nos movimentos
da lingua.

Quando a soma do exame clinico for igual ou maior que 9, pode-se
considerar a interferencia do frenulo nos
movimentos da lingua.

TOTAL GERAL DA HISTORIA E DO EXAME CLINICO: Melhor resultado = 0 Pior
resultado = 25

Quando a soma da historia e do exame clinico for igual ou maior que
13, pode-se considerar a interferencia do frenulo nos movimentos da
lingua.


DISCUSSAO

Esse estudo encontrou 22, 54% de alteracao de frenulo no grupo pesquisado sendo, portanto, maior que os estudos anteriores, que variaram de 4, 8% a 12, 8% [2, 4]. Provavelmente a maior incidencia encontrada nesse estudo pode ser atribuida ao fato da avaliacao ter levado em consideracao os aspectos anatomofuncionais, bem como a avaliacao da succao nao nutritiva e nutritiva (na amamentacao), que diferem das metodologias usadas nos estudos anteriores.

Dos 16 bebes identificados com alteracao do frenulo lingual por meio da avaliacao, 3 eram do genero feminino e 13 do genero masculino. Esses achados corroboram com estudos anteriores, que relatam a prevalencia da alteracao do frenulo no genero masculino [2, 7, 12, 13]. Houve relacao estatisticamente significante entre o sexo e a fixacao do frenulo no assoalho da boca. Uma possivel explicacao para tal relacao pode ser o fato de que todos os bebes com alteracao do frenulo lingual apresentaram fixacao do frenulo na crista alveolar inferior, sendo a maioria deles do genero masculino.

Por meio da avaliacao clinica realizada, nao foi possivel visualizar o frenulo lingual de 29 dos 100 bebes avaliados, pois o mesmo estava recoberto por uma cortina de mucosa. Este tipo de frenulo, tambrm denominado frenulo submerso ou posterior e pouco descrito na literatura [19, 20]. Na presenca dessa variacao anatomica, sugere-se nao indicar intervencao cirurgica e fazer o acompanhamento do bebe atr ser possivel visualizar o frenulo abaixo da cortina de mucosa, durante o primeiro ano de vida.

Posteriormente a realizacao desse estudo, na tentativa de visualizar os frenulos submersos, durante a avaliacao de bebes com o protocolo apropriado para esse fim, foi desenvolvida uma manobra de elevacao e posteriorizacao da lingua [21], a qual permitiu visualizar em grande parte dos bebes os frenulos que estavam submersos. Essa manobra foi incorporada ao protocolo modificado ja publicado em ingles [22]. A manobra proposta podera contribuir para o desenvolvimento de estudos longitudinais acerca dessa variacao anatomica, verificando a possivel interferencia do frenulo na livre movimentacao da lingua, na alimentacao e na fala.

A analise estatistica evidenciou relacao entre a tendencia do posicionamento da lingua durante o choro (elevada, na linha mrdia ou baixa), com o tempo entre as mamadas; a forma da lingua quando elevada (redonda, ligeira fenda na ponta ou formato de "coracao") com o cansaco para mamar; e a fixacao do frenulo na lingua (no terco mrdio, entre o terco mrdio e o apice ou no apice) com o movimento de lingua na succao nao nutritiva. Esses dados sugerem que a alteracao do frenulo limita os movimentos da lingua durante o choro e a amamentacao. Embora a literatura afirme que o ciclo de alimentacao dos bebes fica comprometido quando ha alteracao do frenulo lingual, nao foram encontrados estudos que correlacionassem as variaveis aqui citadas [4,11,12]

A analise dos dados tambrm demonstrou existir relacao entre o ritmo de succao e o tempo da pausa com o formato da lingua no choro (redonda, fenda, coracao). Apesar de tais relacoes nao terem alcancado significancia estatistica em decorrencia do pequeno numero de sujeitos em cada subgrupo de alteracao de frenulo, o tratamento estatistico demonstrou que quanto pior a configuracao da ponta da lingua quando elevada durante o choro (fenda e formato de coracao), menor o numero de succoes. O tempo da pausa mostrou-se prolongado nos bebes com formato da ponta da lingua com fenda quando elevada durante o choro. Novamente nao foram encontrados estudos comparando essas variaveis. Uma possivel hipotese para tais achados se deve ao fato de que, na presenca de um frenulo que limita os movimentos da lingua durante a succao, possa ocorrer fadiga da musculatura pelo maior esforco, uma vez que ha um impedimento mecanico a livre movimentacao. Com isso, os bebes fazem pausas mais longas para descansar.

Nao foram encontradas relacoes entre alguns aspectos do protocolo, tais como: postura dos labios em repouso e fixacao do frenulo no assoalho da boca. No entanto, esses itens nao foram retirados do protocolo, pois quando analisados em conjunto com os demais, auxiliam na identificacao da alteracao do frenulo. O conjunto de caracteristicas anatomofuncionais relacionado com as funcoes de succao e degluticao leva ao diagnostico da limitacao do movimento da lingua causada pelo frenulo lingual.

Assim, a partir da experiencia clinica com a aplicacao do protocolo, das queixas maternas e dos resultados obtidos por meio da aplicacao dos testes estatisticos foram realizadas as adequacoes no protocolo. As modificacoes possibilitaram a aplicacao rapida por meio de provas nao invasivas, baixo risco para o bebe e a identificacao dos sinais e sintomas de uma possivel interferencia das alteracoes do frenulo na amamentacao, avaliacao da succao nutritiva durante a amamentacao e a utilizacao de escores indicativos de alteracao. O novo protocolo diferiu da publicacao de Hazelbaker [6], com relacao aos itens para inspecao visual, bem como na maneira de avaliar os movimentos da lingua e a succao nao nutritiva.

Por meio dos escores, foi possivel definir as pontuacoes indicativas de anormalidades. O uso de escores nos protocolos de avaliacao tem sido proposto na literatura, pois facilita a avaliacao da gravidade da disfuncao apresentada nos diferentes disturbios miofuncionais orofaciais, alrm de possibilitar a padronizacao da avaliacao, favorecendo a comparacao de achados de diferentes centros de estudo [23-25].

No protocolo foram estabelecidos escores parciais e escore total. Os escores parciais sao importantes, pois na impossibilidade da aplicacao completa do protocolo, r possivel fazer a indicacao de cirurgia somente com a avaliacao anatomofuncional, a qual pode ser realizada ao nascimento. Quanto aos itens 1 a 3 da avaliacao anatomofuncional, considerou-se a pontuacao minima 4. Com relacao ao item 4 da avaliacao anatomofuncional, ficou definida a pontuacao minima de 3, correspondendo tambrm a menor pontuacao apresentada pelos bebes com alteracao do frenulo lingual. Na avaliacao da succao nao nutritiva e da nutritiva, optou-se pela pontuacao minima de 2, considerando os dados que alcancaram significancia estatistica, concordando com o menor escore parcial obtido nesse item para os bebes estudados.

Com relacao a historia clinica, definiu-se a pontuacao minima de 4, a qual corresponde a menor pontuacao apresentada pelos bebes com alteracao do frenulo lingual.

Quanto ao escore total, definiu-se que, quando for possivel realizar tanto a historia clinica quanto o exame clinico, e a soma de ambos for igual ou maior que 13, pode se considerar a interferencia do frenulo nos movimentos da lingua. Para os casos em que o levantamento da historia clinica nao for realizado, sera considerada a interferencia do frenulo nos movimentos da lingua quando a soma for igual ou maior que 9.

Portanto, o diagnostico da alteracao de frenulo lingual deve levar em consideracao os aspectos anatomofuncionais e sua interferencia nos movimentos da lingua durante a succao. A soma dos aspectos relacionados a lingua e ao frenulo, considerando forma, fixacao e espessura, em conjunto com a avaliacao das possibilidades de movimentos da lingua, bem como a succao nao nutritiva e a nutritiva, contribuem para um diagnostico preciso.

Na literatura, foram encontradas divergencias de opinioes quanto as consequencias de um frenulo alterado, bem como quanto a necessidade de intervencao cirurgica. A frenotomia, tambrm conhecida como "pique na lingua", ainda r motivo de grande discussao quanto a sua indicacao, quando deve ser realizada e qual profissional estaria habilitado para realizar o procedimento [1, 2, 13, 15, 17, 27-33].

A existencia de um protocolo consistente pode diminuir o numero de controvrrsias relacionadas as possiveis alteracoes do frenulo da lingua e sua interferencia nas funcoes orofaciais, evidenciando ou nao a indicacao da frenotomia. Desta forma, a utilizacao de protocolos especificos permite atuar de forma planejada, documentando procedimentos para sustentar as praticas clinicas com evidencias.

A primeira etapa de validacao desse protocolo foi constituida da analise das relacoes existentes entre os aspectos anatomicos e funcionais. A comparacao com um protocolo padrao ouro nao podera ser realizada porque nao foram encontrados protocolos validados de avaliacao do frenulo lingual para bebes ja publicados. Outros estudos sao necessarios para completar esse processo, incluindo a aplicacao por diferentes examinadores devidamente treinados e calibrados, alrm dos retestes, possibilitando analisar a concordancia inter e intra-examinadores.

CONCLUSAO

Os resultados obtidos permitiram identificar que a forma da lingua, quando elevada durante o choro, e a fixacao do frenulo na lingua sao as caracteristicas anatomicas do frenulo lingual que influenciam o movimento da lingua durante a succao nao nutritiva e o ritmo da succao durante a amamentacao.

A partir dos resultados obtidos e da experiencia da aplicacao do instrumento de avaliacao, foi possivel propor modificacoes no protocolo de avaliacao do frenulo da lingua para bebes e inserir escores, possibilitando diagnosticar as variacoes anatomicas do frenulo lingual que podem interferir na succao e degluticao durante a amamentacao.

REFERENCIAS

[1.] Knox I. Tongue Tie and Frenotomy in the Breastfeeding Newborn. NeoReviews 2010; 11(9):513-9.

[2.] Messner AH, Lalakea ML, Aby J, MacMahon J, Bair E. Ankyloglossia incidence and associated feeding difficulties. Arch Otolaryngol Head Neck Surg 2000;126:36-9

[3.] Marchesan IQ. Protocolo de avaliacao do frenulo da lingua. Rev CEFAC 2010;12(6):977-89.

[4.] Ballard JL, Auer CE, Khoury JC. Ankyloglossia: assessment, incidence, and effect of frenuloplasty on the breastfeeding dyad. Pediatrics 2002;110(5):1-6.

[5.] Marchesan IQ. Lingual frenulum: quantitative evaluation proposal. Int J Orofacial Myology; 2005;31:39-48.

[6.] Hazelbaker AK. The assessment tool for lingual frenulum function (ATLFF): Use in a lactation consultant private practice. Pasadena, CA: Pacific Oaks College; 1993. Thesis.

[7.] Ricke LA, Baker NJ, Madlon-Kay DJ, et al. Newborn tongue tie: prevalence and effect on breast-feeding. J Am Board Fam Pract 2005;18:1-7.

[8.] Martinelli RLC, Marchesan IQ, Rodrigues AC, Berretin-Felix G. Protocolo de avaliacao do frenulo da lingua em bebes. Rev. CEFAC. 2012;14(1):138-45.

[9.] Kupietzky A, Botzer E. Ankyloglossia in the Infant and Young Child: Clinical Suggestions for Diagnosis and Management. Pediatric Dentistry. 2005;27:1.

[10.] Coryllos E, Watson Genna C, Salloum AC. Congenital tongue-tie and its impact in breastfeeding. Breastfeeding: Best for mother and baby Newsletter 2004;1-6.

[11.] Griffiths DM. Do Tongue Ties Affect Breastfeeding? J Hum Lact 2004;20(4):409-14.

[12.] Hogan M, Westcott C, Griffiths M. Randomized, controlled trial of division of tongue tie in infants with feeding problems. J Paediatr Child Health 2005;41:246-50.

[13.] Hall DMB, Renfrew MJ. Tongue-tie: common problem or old wives tale. Arch Dis Child 2005; 90:1211-5.

[14.] Segal LM, Stephenson R, Dawes M, Feldman P. Prevalence, diagnosis, and treatment of ankyloglossia. Can Fam Physician 2007;53:1027-33.

[15.] Geddes DT, Langton DB, Gollow I, Jacobs LA, Hartmann PE, Simmer K. Frenulotomy for Breastfeeding Infants With Ankyloglossia: Effect on Milk Removal and Sucking Mechanism as Imaged by Ultrasound. Pediatrics. 2008;122:e188-e94.

[16.] Geddes DT, Kent JC, McClellan HL, Garbin CP, Chadwick LM, Hartmann PE. Sucking characteristics of successfully breastfeeding infants with ankyloglossia: a case series. Acta Peediatrica. 2010;99:301-3.

[17.] Suter VG, Bornstein MM. Ankyloglossia: facts and myths in diagnosis and treatment. J Periodontol. 2009 Aug;80(8):1204-19.

[18.] Miranda BH, Milroy CJ. A quick snip - A study of the impact of outpatient tongue tie release on neonatal growth and breastfeeding. J Plast Reconstr Aesthet Surg 2010;63(9):e683-5.

[19.] Chu MW, Bloom DC. Posterior ankyloglossia: a case report. Int J Pediatr Otorhinolaryngol. 2009;73(6):881-3.

[20.] Hong P, Lago D, Seargeant J, Pellman L, Magit AE, Pransky SM. Defining ankyloglossia: a case series of anterior and posterior tongue ties. Int J Pediatr Otorhinolaryngol. 2010;74(9):1003-6.

[21.] Martinelli RLC, Berretin-Felix G, Marchesan IQ. Manobra para visualizacao do frenulo lingual em bebes. In: Anais da XIX Jornada Fonoaudiologica de Bauru; 2012. p. 115.

[22.] Martinelli RLC, Marchesan IQ, Berretin-Felix G. Lingual Frenulum Protocol with scores for infants. Int J Orofacial Myology. 2012;38:104-12.

[23.] Marchesan IQ. Lingual Frenulum Protocol. Int J Orofacial Myology. 2012;38:89-103.

[24.] Marchesan IQ. Protocolo de avaliacao do frenulo da lingua. Rev CEFAC. 2010;12(6):977-89.

[25.] Marchesan IQ, Berretin-Felix G, Genaro KF. MBGR Protocol of orofacial myofunctional evaluation with scores. Int J Orofacial Myology, 2012;38:38-77.

[26.] Miranda BH, Milroy CJ. A quick snip - A study of the impact of outpatient tongue tie release on neonatal growth and breastfeeding. J Plast Reconstr Aesthet Surg. 2010;63(9):e683-5.

[27.] Buryk M, Bloom D, Shope T. Efficacy of neonatal release of ankyloglossia: a randomized trial. Pediatrics. 2011;128(2):280-8.

[28.] Edmunds J, Hazelbaker A, Murphy JG, Philipp BL. Roundtable discussion: tongue-tie. J Hum Lact. 2012;28(1):114-7.

[29.] Berry J, Griffiths M, Westcott C. A double-blind, randomized, controlled trial of tongue-tie division and its immediate effect on breastfeeding. Breastfeed Med. 2012;7(3):189-93.

[30.] Suter VG. Frenotomy improves breastfeeding immediately in neonates with ankyloglossia. J Pediatr. 2012;160(1):176-7.

[31.] Steehler MW, Steehler MK, Harley EH. A retrospective review of frenotomy in neonates and infants with feeding difficulties. Int J Pediatr Otorhinolaryngol. 2012;76(9):1236-40.

[32.] Cho A, Kelsberg G, Safranek S. Clinical inquiries. When should you treat tongue-tie in a newborn? J Fam Pract. 2010;59(12):712a-b.

[33.] Hooda A, Rathee M, Yadav SPS, Gulia JS. Ankyloglossia: a review of current status. The Internet Journal of Otorhinolaryngology. 2010;12(2).

Recebido em: 21/09/2011

Aceito em: 19/01/2012

Endereco para correspondencia:

Roberta Lopes de Castro Martinelli

Avenida Angelo Piva, 331--Centro

Brotas--Sao Paulo

CEP: 17380-000

E-mail: robertalcm@gmail.com

Roberta Lopes de Castro Martinelli (1), Irene Queiroz Marchesan (2), Girdre Berretin-Felix (3)

(1) Fonoaudiologa, Mestre em Ciencias, Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de Sao Paulo, Brasil.

(2) Fonoaudiologa, Diretora do CEFAC Pos-Graduacao em Saude e Educacao, Doutora em Educacao pela UNICAMP, Brasil.

(3) Professora Associada, Departamento de Fonoaudiologia, Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de Sao Paulo, Brasil.

Conflito de interesses

Tabela 1--Apresentacao dos resultados obtidos por meio da aplicacao
do teste Qui-Quadrado de Pearson em relacao aos dados da historia
clinica, avaliacao anatomica e avaliacao funcional para os bebes
estudados

Comparacao                                             Valor de p

sexo x fixacao do frenulo no assoalho da boca            0,005
tendencia do posicionamento da lingua durante o          0,010
  choro x tempo entre as mamadas
forma da lingua quando elevada x cansaco para mamar      0,002
fixacao do frenulo na lingua x movimento da lingua       0,044
  na succao nao nutritiva

Tabela 2--Apresentacao dos resultados obtidos quanto ao ritmo da
succao e tempo da pausa entre os grupos de succao, bem como os
valores encontrados por meio da aplicacao do teste ANOVA, seguido
do teste de Tukey, considerando o formato da lingua durante o
choro para os bebes estudados

                  Formato da
                   ponta da             Desvio     ANOVA
                   lingua no    Media   padrao   Valor de p
Succao               choro

Ritmo               Redonda     31,88   20,80
(no. de succoes      Fenda      26,45   12,96      0,131
por grupo)          Coracao     17,73   10,00

Tempo da pausa      Redonda     4,78     1,60
                     Fenda      5,96     2,76      0,013
                    Coracao     6,54     1,56

                  Formato da
                   ponta da                            Tukey
                   lingua no        Comparacao       Valor de p
Succao               choro

Ritmo               Redonda
(no. de succoes      Fenda              --               --
por grupo)          Coracao

Tempo da pausa      Redonda     redonda [not equal    * 0,023
                                    to] fenda
                     Fenda      redonda [not equal      0,169
                                   to] coracao
                    Coracao      fenda [not equal       0,832
                                   to] coracao

Tabela 3--Resultados obtidos por meio da aplicacao do protocolo
modificado com atribuicao de escores para os 16 bebes identificados
com alteracao do frenulo lingual

                                Escore da avaliacao
                    Escore da    anatomofuncional
                    historia
Bebe Genero          clinica    Itens 1 a 3   Item 4

1               M       5            5          3
2               M       7            6          4
3               M       4            4          3
4               F       5            4          3
5               M       4            4          3
6               M       7            6          3
7               M       6            5          3
8               M       5            5          3
9               M       6            5          3
10              M       4            2          3
11              M       7            5          4
12              F       6            6          4
13              M       7            3          3
14              F       5            5          3
15              M       6            5          3
16              M       6            6          4
Media                 5,62         4,75        3,25
Desvio padrao         1,08         1,12        0,44

                  Escore da
                  avaliacao
                da succao nao
                 nutritiva e
Bebe Genero       nutritiva      Escore total

1                     5               18
2                     5               22
3                     4               15
4                     4               16
5                     4               15
6                     4               20
7                     4               18
8                     2               15
9                     3               17
10                    4               13
11                    5               21
12                    5               21
13                    5               18
14                    5               18
15                    3               17
16                    5               21
Media                4,18           17,81
Desvio padrao        0,91            2,63
COPYRIGHT 2013 CEFAC - Associacao Institucional em Saude e Educacao
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2013 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:articulo en portugues; frenillo lingual
Author:Martinelli, Roberta Lopes de Castro; Marchesan, Irene Queiroz; Berretin-Felix, Girdre
Publication:Revista CEFAC: Atualizacao Cientifica em Fonoaudiologia e Educacao
Date:May 1, 2013
Words:4748
Previous Article:Influence of levodopa on the oral phase of swallowing in patients with Parkinson's disease/Influencia da levodopa sobre a fase oral da degluticao em...
Next Article:Noise on the hospital context: impact on nursing professionals' health/Ruido no contexto hospitalar: impacto na saude dos profissionais de enfermagem.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters