Printer Friendly

FATORES DE PERTURBACAO IDENTIFICADOS EM AREA DE PROTECAO AMBIENTAL CORUMBATAI-BOTUCATU-TEJUPA, PERIMETRO BOTUCATU, ESTADO DE SAO PAULO.

DISTURBANCE FACTORS IDENTIFIED IN THE ENVIRONMENTAL PROTECTION AREA CORUMBATAI-BOTUCATU-TEJUPA, BOTUCATU-PERIMETER, STATE OF SAO PAULO

1 INTRODUCAO

As Areas de Protecao Ambiental (APAs), segundo Machado (2016), sao instituidas por lei para assegurar a protecao e conservacao da qualidade ambiental da flora, fauna, os atributos esteticos e culturais, visando a biodiversidade e a sustentabilidade a algumas extensas areas naturais, adequando e orientando o desenvolvimento das varias atividades humanas a regras especificas. Nesse contexto, Decreto Estadual n[grados] 20.960/83, Sao Paulo (1983) criou a APA Corumbatai-Botucatu-Tejupa, conhecida como APA Cuesta, com o objetivo de proteger fragmentos significativos da flora e fauna regional, rios, corregos e o Aquifero Guarani, que, como ressaltado em estudo regional de Alburquerque Filho et al (2011), possui nestas areas afloramentos de mananciais de agua doce, tornando-se importantes zonas de recarga deste sistema de reconhecida importancia estrategica a nivel mundial. Sao Paulo (2011) estabelece uma serie de fatores de perturbacao (que sao evidencias e impulsos para impactos ambientais) a serem monitorados na APA que podem ser resumidos em uso e ocupacao da terra irregular.

A analise e interpretacao das imagens de satelite de alta resolucao espacial se tornaram muito importantes no monitoramento das transformacoes ambientais, servindo de apoio a tomada de decisoes, possibilitando alternativas inteligentes para um melhor planejamento ambiental.

Moreira et al. (2007) avaliam que imagens digitais com alta resolucao espacial disponibilizados pelo Google Earth permitem a visualizacao e caracterizacao de informacoes espaciais de diferentes locais com precisao adequada a aplicacoes de escala regional (municipal ou estadual) e pontuais (propriedades rurais, bairros e distritos). Simon e Trentin (2009), avaliando as potencialidades das imagens do Google Earth, afirmaram que estas se mostraram adequadas na elaboracao de series temporais de uso da terra com identificacao de padroes recentes.

Estas imagens fornecem com detalhes possibilidades de analise geoespacial do uso e ocupacao da terra, sendo possivel distinguir, delimitar e estudar diferentes elementos da superficie da Terra (Panniza, Fonseca, 2011). Esses elementos diferem entre si por suas cores, formas, tamanhos e texturas, sendo as cores resultado de composicoes coloridas de imagens e resultam da interacao da energia eletromagnetica com os objetos terrestres, tornando-se esse aspecto a base da fotointerpretacao de imagens de satelite de alta resolucao espacial (AKBARI, ROSE, TAHA, 2003; CARDOSO, AQUINO, 2014). Piroli e Zanata (2014), sugerem a utilizacao de imagens de alta resolucao espacial para o monitoramento das areas de preservacao permanentes (APPs), categoria especial de area protegida instituida em Brasil (2012) e considerada uma classe de ecossistema essencial aos processos biologicos, hidrologicos e socioambientais Borges et al., (2011), pois permitem a identificacao precisa das mudancas ocorridas ao longo do tempo.

O presente trabalho e uma analise espacial dos fatores de perturbacao e seus potenciais impactos ambientais nos recursos hidricos identificados na Area de Protecao Ambiental (APA) perimetro Botucatu que estao contidas no municipio de Sao Manuel-SP. Atraves do estudo da cobertura e o uso das terras a partir de analise e interpretacao visual de imagens orbitais temporais georreferenciadas de alta resolucao espacial do Google Earth Pro, foram identificadas oito areas (A, B, C, D, E, F, G, H) com evidencias de fatores de perturbacao aos recursos hidricos.

A Figura 1 apresenta a localizacao da porcao da APA Perimetro Botucatu-SP pertencente ao municipio de Sao Manuel-SP e as areas de interesse definidas para coleta de fatores de perturbacao. A localizacao da APA perimetro Botucatu-SP ocupa dentre outros municipios, uma area correspondente a 4% no municipio de Sao Manuel-SP, com 3.237 hectares, ou seja, 32,37 [Km.sup.2].

2 MATERIAL E METODOS

Para a delimitacao da area de estudo foram utilizadas cartas planialtimetricas do IBGE na escala 1:50.000, com equidistancia de 20 metros referentes a Pratania, folha: SF-22-Z-B-V-4 do ano de 1969; Botucatu, folha: SF-22-R-IV-3 de 1969 e Barra Bonita, folha: SF-22-Z-B-VI-1 de 1974 (IBGE, 2018). A utilizacao das cartas em diferentes datas deve-se a disponibilizacao do material editado pelo IBGE nestas datas. De posse do Sistema de Informacao Geografica QGis com codigo aberto para aplicacoes geoespaciais, foi tracado o limite da area de estudo, realizado o georreferenciamento e a avaliacao da area da APA perimetro Botucatu-SP, apenas da area contida no municipio de Sao Manuel e avaliacao de algumas areas dentro do processo de degradacao ambiental. As cartas topograficas, sendo documentos oficiais dos orgaos publicos, tambem serviram de base cartografica na consulta para a identificacao de nascentes e corregos.

Para identificacao e avaliacao espacial do uso e ocupacao da terra foram utilizadas imagens do banco de imagens de alta resolucao espacial do Google Earth Pro (2018), que permitem alteracoes de escala com ampliacoes nas datas de 25/07/2010 e 17/06/2016, que auxiliam a interpretacao visual das imagens. A analise visual consiste na investigacao de elementos da paisagem e seu reconhecimento relacionando (textura, forma, padrao, cores), diante das convergencias de evidencias, detalhes espaciais e a significancia dos alvos. Avaliou-se o uso e ocupacao da terra nas areas de interesse nos anos de 2010 e 2016.

Analisou-se evidencias de fatores de perturbacao previstas em Sao Paulo (2011) e atraves delas projetou-se impactos ambientais gerados por esses fatores de perturbacao.

3 RESULTADOS E DISCUSSAO

As coordenadas geograficas dos pontos analisados neste trabalho, sao referenciais tomados proximo ao centro das areas de interesse.

A Figura 2 que apresenta as areas "A", "B" e "C" em 2010 e 2016, foi possivel observar com a utilizacao do zoom, a area "A" no de 2010 (coordenadas geograficas 48[grados]33'09"W e 22[grados]46'42"S) que ao redor de uma nascente, que alimenta um importante manancial destinado ao abastecimento publico da area urbana do municipio de Sao Manuel-SP, ha uma grande area umida tipo banhado de coloracao verde escura. Entende-se aqui por nascente o afloramento do lencol freatico, quando com baixa vazao, capaz apenas molhar o terreno, e quando grande, pode originar o tipo com acumulo inicial, comum quando a camada impermeavel fica paralela a parte mais baixa do terreno e, estando proximo a superficie, acaba por formar um lago Calheiros (2009), citado por (SANTOS et al., 2012).

Ja na imagem de 2016, ainda em "A" (Figura 2), a nascente apresenta menor acumulo de agua, com coloracao um pouco mais clara e menor area umida, estando desprovida de vegetacao ciliar, sem vegetacao nos 50 metros de raio para nascentes e os 30 metros ao longo do rio, para rios ate 10 metros de largura, contrariando o estabelecido pela legislacao brasileira no tocante as Areas de Preservacao Permanentes-APPs (BRASIL, 2012).

Pollo (2017), apos trabalhos de campo nesta area, afirmou que o entorno da nascente esta sendo ocupada totalmente por pastagem, nao existindo uma estrutura de isolamento, alem de existir bem proximo, centro de manejo para criacao de bovinos com divisao de piquetes, onde o gado tem livre acesso a nascente, como indicado pelas evidencias de pisoteio ao seu redor, pois a mesma esta sendo utilizada como bebedouro.

Para Lollo et al., (2019) em geral, a pecuaria praticada em areas de pastagem provoca o comprometimento da qualidade dos recursos hidricos na forma direta, com o gado tendo acesso aos corpos hidricos e indiretamente, com o carreamento de sedimentos para os corpos d'agua.

Na area em "B" (48[grados]32'55"W; 22[grados]46'51"S), tambem apresentada na Figura 2, ha uma ferrovia (antiga FEPASA), hoje Estrada Ferro Paulista S/A, tem em seu historico, neste trecho, muitas ocorrencias de descarrilamentos de trens carregados com combustiveis, tipo oleo diesel com vazamentos no local segundo FM Integracao (2012), evidenciando possivel contaminacao em area de influencia de recarga do Sistema Aquifero Guarani-SAG, justificando assim um constante monitoramento para a manutencao de seu equilibrio.

Ainda na Figura 2, ha uma ocorrencia em "C" (48[grados]33'25"W; 22[grados]46'32"S) um grande corte no terreno no ano de 2016 com area de 1 hectare de solo exposto, com coloracao rosa clara e um desnivel de aproximadamente 4 metros em relacao ao terreno onde se procedeu a retirada de terra (area de emprestimo) utilizada para elevacao de passagem de nivel de uma rodovia que faz limite com a APA e com visitas atuais sob trabalho de campo, este ambiente encontra-se ainda degradado, necessitando de recuperacao, onde tambem pode ser visualizado com zoom e ao nivel do solo em qualquer angulo, com situacao "in loco" pela Rodovia Marechal Rondon (SP-300), ao lado da ocorrencia, na funcao arraste Street View, pela forma tridimensional disponivel no Google Earth.

A area "D" (48[grados]32'46"W e 22[grados]47'07"S), exposta na Figura 3, apresentou predominio de pastagens no ano de 2010, com algumas intervencoes como a construcao de terracos pontuais a oeste da imagem, um pouco distante da area perturbada, foram locados com objetivo de conter e/ou direcionar a agua de chuva, porem, esta area por estar dividida em pequenas propriedades rurais, nao apresentou praticas conservacionistas de solo em toda sua area, evidenciado pela ausencia de curvas de nivel, o que culminou, em 2016 em erosao tipo vocoroca ocasionada pela concentracao do fluxo da agua para uma mesma direcao, causando prejuizos em estrada rural, dificultando o trafego local e problemas nos corpos d'agua, vindo a assorear uma nascente e uma represa (visualizada em 2010 na regiao sudeste da imagem de satelite) do ribeirao Igualdade.

Esta area encontra-se sobre LATOSSOLO VERMELHO-AMARELO (LVA) que, segundo Neiva Junior et al., (2015), sao representadas por arenitos finos a medio, ocorrendo sobre rochas da formacao Botucatu, sendo suscetiveis aos processos erosivos.

A Figura 4, apresenta a area "E", nas coordenadas geograficas 48[grados]32'07"W e 22[grados]47'31"S, que no ano de 2010 apresentou muitos individuos florestais espalhados por uma area que corresponde aproximadamente a 30 hectares, ocupada por pastagem e identificadas como remanescentes da mata atlantica, sendo da mesma especie das encontradas na divisa desta propriedade, num grande dossel preservado de Floresta Ombrofila Densa, Sao Paulo (2009), integrante do Bioma Mata Atlantica, na qual, em 2016, constatou-se a supressao destes individuos e o registro do momento na imagem mostrou ausencia de fisionomia florestal e o processo de destoca da area na preparacao para o plantio de cana-de-acucar.

A Figura 5, em "F" (48[grados]32'08"W; 22[grados]46'50"S), apresenta notavel supressao de remanescentes florestais, com visao ampliada das caracteristicas ambientais entre 2010 e 2016, evidenciando diminuicao na densidade vegetativa com alteracoes e perdas de biodiversidade do exterior para o interior de um fragmento praticamente isolado de Floresta Ombrofila Densa, ate entao existente dentro de uma area circundada pela cultura da cana-de-acucar, com uma grande area em processo de regeneracao, apresentando biomassa com aspecto seco e desta forma, demonstrando pouca intensidade de energia eletromagnetica refletida por este tipo de alvo, ja que as diferencas de leitura na faixa espectral das imagens sao capazes de detectar a presenca de diversos tipos de culturas, entre elas as sadias, queimadas por fogo ou nao fotossinteticamente ativas chamadas de desidratadas (secas) devido a aplicacoes de defensivos. Por nao apresentar indicios de queima da biomassa por fogo, mediante aspecto de material desidratado, apresentando coloracao tipo palha seca, indica aplicacao de herbicidas utilizados nesta cultura no combate as ervas daninhas, a qual necessita de um melhor planejamento para sua melhor protecao.

A utilizacao de herbicidas sem as tecnicas de aplicacao pode ser observada na Figura 6, em "G" (48[grados]31'09"W e 22[grados]46'47"S) no ano de 2016, em varios pontos, em area ocupada por Floresta Estacional Semidecidual, Sao Paulo (2009) do Bioma Mata Atlantica, onde os produtos utilizados na cultura da cana-de-acucar nao atingem somente o alvo (area destinada a cultura da cana-de-acucar), ocorrendo como consequencia a contaminacao ambiental da vegetacao lindeira (divisa), causada pela deriva nas aplicacoes, onde aparentemente apresentam um comportamento sem producao de fotossintese, apresentando tambem aspecto de material desidratado com coloracao tipo palha seca quando comparadas a imagem de 2010, mostrando um arranjo com continuidade na borda da vegetacao em formato de mosaico.

Identificou-se na Figura 7, no ano de 2016 em "H" (48[grados]32'08"W; 22[grados]47'03"S) a expansao do preparo de solo para o plantio da cana-de-acucar dentro das Areas de Preservacao Permanentes em trecho a beira do ribeirao Igualdade-SP, sendo essa uma inconformidade com o atual Codigo Florestal Brasileiro (BRASIL, 2012), no tocante as Areas de Preservacao Permanentes-APPs, que define 30 metros ao longo do rio, para rios ate 10 metros de largura.

A reducao da vegetacao das areas de preservacao permanentes mediante o avanco no preparo de solo para a agricultura, fragilizam o leito do rio e representam modificacoes nas condicoes ambientais de toda a area e o retrocesso ao atendimento aos instrumentos legais existentes.

As evidencias de fatores de perturbacao identificados projetam cenarios de avanco da degradacao ambiental das regioes de nascentes, recarga de aquifero e margens de corpos d'agua, gerando risco de escoamento superficial, impermeabilizacao do solo, erosao e abertura de areas de solo exposto.

Assim, fazem-se necessarias intervencoes de gestao ambiental para regularizar a qualidade ambiental em areas de impacto aos recursos hidricos. Sugere-se que sejam feitos o reflorestamento das areas de preservacao permanente e conservadas para garantir seguranca hidrica a regiao, como estipulado em Brasil (2012), assim como monitorar potenciais contaminadores proximos as nascentes, areas de recarga de aquifero e do rio e controle ambiental do uso e ocupacao do solo, com especial atencao quanto ao uso abusivo de defensivos agricolas proximos a APPs.

O procedimento de monitoramento aqui apresentado e aplicavel a municipios de pequeno e medio porte que buscam instrumentos de deteccao e averiguacao remota de inconformidades ambientais, como e o caso de Sao Manuel, Estado de Sao Paulo.

4. CONCLUSOES

A utilizacao de imagens orbitais de alta resolucao espacial do Google Earth com sua capacidade de alteracoes de escalas, sob o registro de avaliacoes historicas, possibilitaram a ampliacao e a riqueza de detalhes do espaco geografico analisado, permitindo obter respostas mais precisas das informacoes sobre a ocupacao do solo e a degradacao ambiental gerada pelas atividades humanas ocorrida em varias areas da porcao da APA Corumbatai-Botucatu-Tejupa, contida no municipio de Sao Manuel-SP.

Os principais impactos ambientais identificados foram focos de desmatamento e avanco de pastagem e monoculturas sobre areas de preservacao ambiental, tais como nascentes e locais de potencial recarga de aquifero. A identificacao e analise visual simplificada destas areas gera subsidios para sugestao de acoes de gestao ambiental.

As alteracoes na cobertura vegetal ocasionadas pelas atividades agricolas tornaram a regiao suscetivel a processos de degradacao ambiental gerando fragilizacao dos recursos hidricos, evidenciando acoes incompativeis com as restricoes legais instituidas para estas areas, como a ocupacao irregular da terra em areas de preservacao ambiental e o assoreamento de corpos hidricos entre o periodo de 2010 e 2016.

REFERENCIAS

AKBARI, H.; ROSE, L.S.; TAHA, H. Analyzing the land cover of an urban environment using highresolution orthophotos. Landscape and Urban Planning, v. 63, p. 1-14, 2003. Disponivel em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/ pii/S0169204602001652?via0/o3Dihub.>. Acesso em: 17 abr. 2018.

ALBUQUERQUE FILHO, J. L.; CARVALHO, A. M.; BARBOSA, M. C.; IKEMATSU, P.; FREITAS, C. G. L.; MONTEIRO, A. C. M. C.; IRITANI, M.; PRESSINOTTI, M. M. N.; ROCHA, G., TAKASHI; SILVA, M. P. M.; KOVACS, A.; CAMARGO, G. G. Subsidios ao Plano de Desenvolvimento e Protecao Ambiental da area de afloramento do Sistema Aquifero Guarani no Estado de Sao Paulo. Sao Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnologicas, 2011.

BRASIL. Lei n[grados] 12.727 de 17 de outubro de 2012. Altera a Lei no 12.651, de 25 de maio de 2012, que dispoe sobre a protecao da vegetacao nativa. Diario Oficial da Republica Federativa do Brasil. Poder Legislativo, Brasilia, 18 out. 2012.

BORGES, L. A. C.; REZENDE, J. L. P.; PEREIRA, J. A. A.; COELHO JUNIOR. M. L.; Barros, D. A. Areas de preservacao permanente na legislacao ambiental brasileira. Ciencia Rural, v. 41, n. 7, p. 1202-1210, 2011. Disponivel em:< http://www.scielo.br/pdf/cr/v41n7/a5611cr4051 .pdf>. Acesso em: 12 abr. 2018.

CARDOSO, J.; AQUINO, C. M. S. Mapeamento atual do uso e cobertura das terras da sub-bacia do riacho Roncador em Timon (MA) utilizando imagens do Google Earth. Revista OKARA: Geografia em debate, v.8, n.2, p. 328-343, 2014. Disponivel em: < file:///C:/Users/Ronaldo/Downloads/1993744022-1-PB.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2018.

CALHEIROS, R. O. Preservacao e recuperacao das nascentes de agua e vida (Cadernos da Mata Ciliar). Sao Paulo: Secretaria de Meio Ambiente, 2009. 35p.

FM INTEGRACAO. Trem descarrilou em Sao Manuel houve vazamentos e veja as fotos. 2012. Disponivel em: https:<//www.fmintegracao.com.br/fmnoticias/11-noticiario/925-trem-descarrilou-em- sao-manuel-veja-as-fotos>. Acesso em 30 jan. 2019.

GOOGLE EARTH PRO. Google Inc, 2018. Disponivel em:<earth.google.com/>. Acesso em: 10 fev. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Carta topografica: folhas PrataniaSF-22-Z-B-V-4, Botucatu- SF-22-R-IV-3 e Barra Bonita- SF-22-Z-B-VI-1. Servico do IBGE on line. Mapeamento Topografico. Escala 1:50.000. Acesso em 10/01/2018. Disponivel em: https://www.ibge.gov.br/geocienciasnovoportal/cartas-e-mapas/folhas- topograficas/15809-folhas-da-carta-dobrasil.html?edicao=16041.

LOLLO, J. A.de; NEVES, M. de PAULA, ARANTES, L. T.; LIMA, C. G. da R.; LORANDI, R. Mudancas de uso e cobertura da terra e degradacao ambiental em bacias hidrograficas. In: Juliana Heloisa Pine Americo-Pinheiro; Sandra Benini (orgs.). Bacias hidrograficas: fundamentos e aplicacoes. Tupa: Editora ANAP, 2019. Cap.1, 1742.

MACHADO, P. A. L. Direito Ambiental Brasileiro. Sao Paulo: Malheiros Editores, 2016. MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE--MMA. i3geo MMA--Acervo de Mapas. Disponivel em: <http://mapas.mma.gov.br/i3geo/mma/openlay ers.htm?2bmt2qqtselp7fciohpj-451mi1>. Acesso 9 mai. 2018.

MOREIRA, M. A.; BARROS, M.A.; DE FARIA, V. G. C.; ADAMI, M. Tecnologia de informacao: imagens de satelite para o mapeamento de areas de cafe de Minas Gerais. Informe Agropecuario, v. 28, n. 241, p. 27-37, 2007. Disponivel em: < http://www.dsr.inpe.br/laf/cafesat/artigos/Tecn ologiaInformacaoCafeMG.pdf>. Acesso em: 12 mar. 2018.

NEIVA JUNIOR, E., ROCHA, W. W.; PIRES, B. S.; FARNEZI, M. M. M.; DIAS JUNIOR, M. S.; FREITAS, D. F. B.; SILVA, E. B.; CARVALHO, G. A. O. Compressiblity and penetrability of latossolo vermelho-amarelo distrofico (oxisol) under varied management systems and land uses. Revista Brasileira de Ciencia do Solo, v. 39, p. 86-93, 2015. Disponivel em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_artte xt&pid=S0100-06832015000100086>. Acesso em: 14 abr. 2018.

PANIZZA, A. C.; FONSECA, F. P. Tecnicas de Interpretacao Visual de Imagens. GEOUSPEspaco e Tempo, Sao Paulo, n. 30, p. 30-43, 2011. Disponivel em: < http://www.journals.usp.br/geousp/article/viewF ile/74230/77873>. Acesso em: 14 abr. 2018.

PIROLI, E.L.; ZANATA, J. M. Hydrography update and study of the permanent preservation areas from a remote sensing of high spatial resolution. Brazilian Journal of Applied Technology for AgriculturalScience, Guarapuava, v. 7, n. 1, 7-16. 2017. Disponivel em: < https://revistas.unicentro.br/index.php/repaa/ar ticle/view/2883/2238>. Acesso em: 14 abr. 2018.

POLLO, R. A. Mapeamento do Zoneamento da Bacia Hidrografica do Ribeirao Paraiso, Sao Manuel-SP, visando o Planejamento e Gestao Ambiental. 2017. 145f. (Tese de Doutorado em Agronomia-Energia na Agricultura)--Faculdade de Ciencias Agronomicas, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, 2017.

SANTOS, W.L.; NASCIMENTO, F.I.C.; ARCOS, F.O. Uso da terra versus areas de nascentes: analise de impactos com utilizacao de geotecnologias no sudoeste amazonico--Acre--Brasil. Revista Geonorte, Edicao Especial, v.2, n.4, p.1777-1787, 2012. Disponivel em: < file:///C:/Users/Ronaldo/Downloads/2232-16525-1-10-20160223.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2018.

SAO PAULO. Decreto Estadual N[grados] 20.960, de 8 de junho de 1983. Area de Protecao Ambiental: Sao Paulo. Diario Oficial v.96, n. 2, 1983. Disponivel em: <http://www.ambiente.sp.gov.br/apas/20960.ht m> .Acesso em: 23 jan..2017.

SAO PAULO. Secretaria do Meio Ambiente do Estado de Sao Paulo. Instituto Florestal. Mapa do Inventario Florestal da Vegetacao Nativa do Estado de Sao Paulo-2009. Disponivel em: <http://arquivos.ambiente.sp.gov.br/sifesp/2013 /12/mapainventario.pdf>. Acesso em: 4 abr. 2018.

SAO PAULO. Secretaria do Meio Ambiente de Sao Paulo. Fundacao Florestal. Plano de Manejo da APA Corumbatai, Botucatu e Tejupa--Perimetro Botucatu Vol. I e II. Sao Paulo: Secretaria de Meio Ambiente, 2011.

SIMON, A. L. H.; TRENTIN, G. Elaboracao de cenarios recentes de uso da terra utilizando imagens do Google Earth. Ar@cne. Rev. Electronica de recursos en Internet sobre Geografia y Ciencias Sociales, n. 116, 2009. Disponivel em: < http://www.ub.edu/geocrit/aracne/aracne116.htm>. Acesso em: 18 fev. 2018.

Ronaldo Alberto Pollo (1), Cesar de Oliveira Ferreira Silva (2), Lincoln Gehring Cardoso (3), Luis Gustavo Frediani Lessa (4)

Recebido em: 29/04/2018

Aceito em: 11/02/2019 1 2 * 4

(1) Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho", Botucatu/SP, email: ra.pollo@unesp.br

(2) Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho", Botucatu/SP, email cesaroliveira.f.silva@gmail.com

(3) Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho", Botucatu/SP, email: lincoln-gehring.cardoso@unesp.br

(4) Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho", Botucatu/SP, email: gustavo.lessa@ unesp.br

Leyenda: Figura 1--Area de Protecao Ambiental--APA dentro do municipio de Sao Manuel-SP, com as areas de coleta de fatores de perturbacao (indicados por letras). Fonte de dados vetoriais: MMA (2018)

Leyenda: Figura 2--Localizacao das areas "A", "B" e "C". Fonte: Google Earth (2018).

Leyenda: Figura 3--Em 2010, ausencia de conservacao de solo mais efetiva; em "D" no ano de 2016, ocorrencia da vocoroca e o assoreamento dos corpos d'agua. Fonte: Google Earth (2018).

Leyenda: Figura 4--Area "E" em 2010 o registro dos individuos florestais e em 2016, a supressao e destoca da area. Fonte: Google Earth (2018).

Leyenda: Figura 5--Perda da biodiversidade em fragmento isolado de Floresta Ombrofila Densa em "F", causado pela aplicacao de herbicidas em areas vizinhas. Fonte: Google Earth (2018).

Leyenda: Figura 6--Dessecacao de vegetacao lindeira ocasionada pela aplicacao de herbicidas na cana-de-acucar em "G". Fonte: Google Earth (2018).

Leyenda: Figura 7--Preparo do solo nas APPs do ribeirao Igualdade-SP. Fonte: Google Earth (2018).
COPYRIGHT 2019 Editora da UFPR
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:Pollo, Ronaldo Alberto; de Oliveira Ferreira Silva, Cesar; Gehring Cardoso, Lincoln; Frediani Lessa,
Publication:Ra'e Ga
Article Type:Ensayo
Date:Mar 1, 2019
Words:4081
Previous Article:MAPEAMENTO DA DISTRIBUICAO DO USO DA TERRA URBANA EM SANTOS (SP).
Next Article:NOTA EDITORIAL.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters