Printer Friendly

Ethical accounting behavior and earnings management: validation of Multidimensional Ethics Scale (MES)/Comportamento etico contabil e gerenciamento de resultados: validacao da Multidimensional Ethics Scale (MES)/Contabilidad etico comportamiento y gestion de resultados: Multidimensional Ethics Scale (MES) validacion.

1 INTRODUCAO

Em conformidade com a hipotese apresentada por Basu e Waymire (2006, p. 202) e Basu et al. (2009, p. 1010), a existencia dos registros contabeis, publicamente divulgados, promove a formacao da reputacao das companhias, o que pode reduzir o risco das transacoes e promover a confianca dos usuarios das informacoes contabeis nos gestores. No entanto, em meio as manipulacoes de demonstracoes contabeis, a reciprocidade e confianca criadas comecam a ruir. Assim, desvios eticos de gestores e profissionais da area contabil sao traduzidos em baixa qualidade das informacoes contabeis, que prejudicam todo o publico interessado (stakeholders).

Nesse contexto, os profissionais da area contabil figuram como garantidores da qualidade das informacoes contabeis publicamente divulgadas, executando essa tarefa nas fases que envolvem a mensuracao, o reconhecimento e a evidenciacao destas informacoes. Com isso, conseguir predizer o comportamento etico desses individuos seria uma forma de mitigar o risco da ocorrencia de manipulacoes de informacoes contabeis, culminando com a elevacao da qualidade das informacoes contabeis e garantindo a reputacao das companhias.

Na busca por alternativas para a predicao do comportamento etico dos profissionais que atuam na area contabil, observa-se uma oportunidade pratica baseada na afericao da aderencia dos individuos aos padroes eticos e morais. Para isso, sabe-se que as escalas de mensuracao etica e moral utilizadas por Flory et al. (1992, pp. 288-289) e Emerson, Conroy e Stanley (2007, p. 74), oriundas da multidimensional ethics scale (MES) desenvolvida por Reidenbach e Robin (1988, pp. 873-874 e 1990, pp. 639-640) e ajustada por Cohen, Pant e Sharp (1993, p. 17), poderiam contribuir na busca por evidencias significativas quanto a mensuracao do comportamento etico destes profissionais.

Entao, sabendo que os desvios eticos de gestores e profissionais da area contabil podem provocar perdas inestimaveis aos stakeholders, esse estudo busca resposta para o seguinte problema de pesquisa proposto: em que extensao as dimensoes da escala, bem como do escore designado por Composite MES, conseguem predizer o comportamento etico dos individuos em situacoes de gerenciamento de resultado? Para isso, o objetivo desse estudo e utilizar os protocolos de Flory et al. (1992, pp. 284-300), Cohen, Pant e Sharp (1993, pp. 1326) e Shawver e Sennetti (2008, pp. 663-676) para avaliar o poder preditivo da escala MES numa amostra de estudantes de ciencias contabeis, como alternativa para a classificacao dos individuos quanto ao comportamento etico e moral apresentado em situacoes de gerenciamento de resultado. Nesse sentido, a escala utilizada foi aquela validada e adaptada por Cohen, Pant e Sharp (1993, p. 17), sendo testadas duas hipoteses associadas ao poder preditivo das dimensoes da escala, bem como do escore Composite MES, quanto as avaliacoes eticas dos estudantes (SHAWVER; SENNETTI, 2008, p. 667).

2 PLATAFORMA TEORICA E HIPOTESES

A manipulacao das demonstracoes financeiras, mais conhecida como gerenciamento de resultados, e o gerenciamento normalmente utilizado como uma alternativa de baixo custo para proteger a firma das realizacoes estatais imprevistas na presenca de um contrato rigido, entretanto, incompleto. E o ato de manipular as informacoes contabeis, mantendo-se enquadrado as leis, com o objetivo de alcancar algo em especifico, como por exemplo, manipular o resultado positivamente para que o gestor obtenha bonus, se torne politicamente visivel, como tambem realize a acao inversa para fins de baixa tributacao. Todavia, o que ocorre e que alguns gestores abusam dessas manipulacoes (SCOTT, 2003, pp. 368-369).

O gerenciamento de resultados implica na reducao da confiabilidade das informacoes das demonstracoes financeiras e, segundo Schipper (1989, apud SCOTT, 2003, p. 384), persiste devido ao fato de ser proibitivamente caro para outros desvendarem essa informacao gerenciada internamente. Este gerenciamento possui o lado bom, quando se considera a impositividade do gestor em avaliar diferentes alternativas validas decorrentes de um contrato incompleto. Todavia, o que ocorre usualmente e o uso do gerenciamento de resultados para acoes eticamente questionaveis, tendo em vista as motivacoes politicas, tributarias, e de ganho pessoal. Em decorrencia disto, o presente estudo se baseou no gerenciamento de resultados para criar tres cenarios envolvendo acoes eticamente questionaveis.

Conforme destacado anteriormente, a escala MES surge como uma abordagem empirica utilizada em pesquisas sobre a etica na area contabil, visto que os individuos utilizam mais de um raciocinio (dimensao etica) quando fazem julgamentos desta natureza sendo a relevancia destes raciocinios uma funcao da "situacao problema" avaliada. A escala MES foi desenvolvida para a avaliacao etica de atividades na area de Marketing, envolvendo itens derivados da literatura moral filosofica. Essa escala foi desenvolvida com a finalidade de identificar a racionalidade associada ao raciocinio moral e as razoes para as avaliacoes eticas dos participantes da pesquisa.

Assim, um construto "razoavelmente amplo e moderadamente complexo" resulta dessa tentativa de desenvolvimento de uma escala valida para a mensuracao do julgamento etico do individuo, onde cada raciocinio utilizado representa uma dimensao necessaria para a medida que pretende capturar um "verdadeiro sentido" do julgamento etico executado. Os autores justificam a utilizacao da MES como uma forma de levar os pesquisadores a entender "porque" os individuos acreditam naquele tipo de decisao, indo alem da compreensao do que eles acreditam. Para isso, cinco normativos filosoficos da etica contemporanea foram utilizados como base para o desenvolvimento da escala multidimensional, envolvendo aspectos da sobrevivencia social, advindas da filosofia moral e da religiao. Considerando que cada filosofia goza de uma tradicao de amplo conhecimento e ja amplamente debatida, os autores destacam a existencia de certa sobreposicao conceitual entre elas, apesar de cada uma conter o seu nucleo conceitual proprio. Nesse sentido, cinco modos normativos de raciocinio moral foram identificados: (a) justica; (b) relativismo; (c) utilitarismo; (d) deontologia; e (e) egoismo (REIDENBACH; ROBIN, 1988, p. 874 e 1990, pp. 639-640).

Reidenbach e Robin (1990, p. 640) reiteram o carater normativo dessas filosofias prescritivas, o que difere do uso cientifico do termo "teorias normativas". Entretanto, alguns pontos, apresentados como problemas, sao relativizados na construcao de medidas para o construto em questao, como: (a) quando "o que e" nao esta em conformidade com "o que deveria ser"; e (b) a extensao em que os individuos conhecem as diferentes filosofias. Quanto ao primeiro ponto, este nao invalidaria as medidas, sendo citado o caso da comparacao do comportamento organizacional com os codigos de etica desenvolvidos pelas empresas. Com relacao ao segundo ponto, como a extensao desse conhecimento nao e conhecida, este sugere que os individuos parecem confiar, conscientes ou nao, em diferentes forcas da filosofia moral, "tipicamente teleologia e deontologia".

O desenvolvimento da MES seguiu os procedimentos apresentados por Nunnaly (1969 apud REIDENBACH; ROBIN, 1990, p. 641), Churchill (1979 apud REIDENBACH; ROBIN, 1990, p. 641), e Campbell e Fiske (1959 apud REIDENBACH; ROBIN, 1990, p. 641). Assim, os itens iniciais foram desenvolvidos a partir de uma analise de conteudo das filosofias morais normativas contemporaneas supracitadas. Utilizando amostra coletada nos Estados Unidos, Cohen, Pant e Sharp (1993, p. 22) estenderam a validacao dessa escala etica para o ambiente contabil, enfatizando a importancia do teste de validade em outros paises. Shawver e Sennetti (2008, p. 664) investigaram e ainda investigam as mensuracoes da MES na sensibilidade etica, como alternativas para a bem estabelecida escala Defining Issues Test (DIT).

A premissa implicita na abordagem da MES e a de que os problemas eticos sao multifacetados e por isso devem ser avaliados sobre varias teorias (dimensoes), ja que os individuos podem considerar suas reacoes, quando confrontados com dilemas eticos, de modo diferente sobre diferentes abordagens. Por exemplo, ele poderia considerar algo como correto segundo as normas ou contratos vigentes (contratualismo), mas injusto sob o ponto de vista da equidade moral. Sao muitas as dimensoes (ou teorias) que podem ser utilizadas para suportar um instrumento do tipo MES, Reidenbach e Robin (1988, pp. 873-874) se valeram das cinco supracitadas, enquanto Flory et. al. (1992, p. 289) utilizaram tres (equidade, relativismo e contratualismo).

Alguns estudos utilizaram a MES para mensurar padroes eticos de individuos submetidos a situacoes da area contabil, estabelecendo comparacoes entre resultados obtidos em diferentes paises e evidenciando aspectos culturais associados aos niveis de percepcoes eticas (ABBASZADEH; MOEINIZADEH; VADIEI, 2012, p. 11053). Enquanto isso, outros estudos evidenciaram a atitude etica de estudantes, contadores e auditores, a partir da percepcao acerca dos meios utilizados para o gerenciamento contabil e operacional dos resultados. Nestes, os resultados evidenciaram a inexistencia de diferencas entre o perfil etico de auditores e profissionais institucionais em relacao a todos os outros tipos de contadores da amostra (EMERSON; CONROY; STANLEY, 2007, pp. 79-82). Os achados ainda apontam maior percepcao de comportamento antietico para manipulacoes contabeis, visto que existe a violacao as regras explicitas, tornando as manipulacoes operacionais erroneamente aceitaveis (FISHER; ROSENZWEIG, 1995, p. 440).

Operacionalmente, a MES e composta por um questionario onde, inicialmente, os individuos avaliam as acoes tomadas para cada dilema apresentado. As acoes dos respondentes identificadas como eticas nos dilemas, poderiam ser explicadas: por quanto a acao (a) e justa (tem equidade moral); e e consistente (b) com o entendimento pessoal do entrevistado a respeito do mundo (e relativo); (c) com o interesse de longo prazo dos entrevistados (e egoista); (d) com o entendimento dos entrevistados a respeito dos custos e beneficios do universo humano (tem valor de utilidade); e (e) com as obrigacoes contratuais implicitas ou explicitas dos entrevistados (e realizada por razoes deontologicas).

Para isso, foram utilizadas escalas de diferencial semantico, com sete pontos. Uma acao identificada como etica (escore final igual a um) e uma acao onde o respondente tambem esta propenso a acreditar que esta e correspondentemente justa. Esta acao etica percebida com escore final igual a "1", corresponde as pontuacoes proximas ao "7" nas respostas sobre consideracoes relativistas, porque e culturalmente ou tradicionalmente aceitavel. Esta acao etica percebida com escore final igual a "1", corresponde as pontuacoes proximas ao "7" para consideracoes egoistas, porque essa acao promove um interesse pessoal de longo prazo. A acao etica percebida com escore igual a "1", tambem pode corresponder as pontuacoes proximas ao "7" nas respostas de consideracoes utilitaristas, uma vez que a acao e feita para o bem maior, ou seja, que esta acao seja util. A acao pode tambem corresponder as pontuacoes proximas ao "7" nas respostas de consideracoes contratuais, porque satisfaz contratos implicitos ou explicitos, como no uso adequado dos principios contabeis geralmente aceitos. Alem de tais consideracoes envolvendo construtos filosoficos, os respondentes ainda decidem se cada esboco sugere uma acao que eles escolheriam para representar e uma acao que seus colegas (ou pares) escolheriam para representar. Como adendo, Israeli (1988, apud SHAWVER; SENNETTI, 2008, p. 667) relata "que o melhor preditor do comportamento do entrevistado e sua crenca e percepcao sobre seus pares".

Sabe-se que, a MES explica as razoes para o comportamento etico ou nao etico. Todavia, maior escore de cada constructo da MES, nao necessariamente corresponde a aumentos proporcionais na cognicao moral, como pretendido pela escala Defining Issues test (DIT), desenvolvida por Rest, Thoma e Edwards (1997, p. 6). Uma vez que a MES nao tem escala objetiva correspondente, pode falhar "para fornecer uma construcao psicometrica util para medir o processo de pensamento etico de profissionais contabilistas" e "nao fornece uma visao sobre a questao fundamental que faz os contabilistas serem mais ou menos eticos", segundo Jones e Poneman (1993 apud SHAWVER; SENNETTI, 2008, p. 666).

Desta forma, a primeira hipotese de pesquisa deste estudo busca medir o impacto das dimensoes da escala MES na avaliacao etica de estudantes em situacoes de gerenciamento de resultados. Estes foram questionados se agiriam de acordo com a acao de gerenciamento de resultado; se pressupoem que seus pares agiriam de acordo com esta acao, corroborando a ideia de Israeli (1988, apud SHAWVER; SENNETTI, 2008, p. 667), em "que o melhor preditor do comportamento do entrevistado e sua crenca e percepcao sobre seus pares"; e se consideram a acao como etica ou antietica.

H1: As dimensoes da MES explicam a avaliacao etica de estudantes em situacoes de gerenciamento de resultados.

2.1 Composite MES

Conforme observado na escala, se a acao e escolhida como "Etica", as razoes para esta escolha devem ser marcadas mais proximas ao "7", visto que a soma do composto das respostas deve ser elevada. Se a acao e escolhida como "Antietica", a soma do composto deve ser mais baixa. Shawver e Sennetti (2008, p. 667) nomearam esta soma de Composite MES. Este escore nao tem correspondencia absoluta ou significado objetivo, mas pode ser usado como uma comparacao relativa para mensurar (explicar) a melhoria na sensibilidade de um individuo quanto a percepcao dos conceitos de justica, legitima obrigacao, e assim por diante. Esse escore varia de 0 a 1, sendo que, quanto mais proximo de 0 (zero), menos o individuo apresentara as dimensoes eticas e morais consolidadas, e, quanto mais proximo de 1 (um), mais o individuo apresentara as dimensoes eticas e morais consolidadas. A Equacao 1 demonstra o calculo do Composite MES, para efeito de ilustracao.

Composite MES = [SIGMA] Dimensoes/100 Equacao 1

Com isso, a segunda hipotese de pesquisa tambem busca medir o impacto das dimensoes da escala MES na avaliacao etica de estudantes em situacoes de gerenciamento de resultados. Essa verificacao se dara por meio da relacao do Composite MES com essa avaliacao.

H2: O escore Composite MES explica a avaliacao etica de estudantes em situacoes de gerenciamento de resultados.

3 METODOLOGIA

A MES foi adaptada e utilizada em um formulario com tres dilemas eticos e morais na seara do gerenciamento de resultado. Em cada dilema existem 15 consideracoes. A coleta de dados ocorreu com estudantes da Universidade Federal da Bahia (UFBA), onde o instrumento de coleta foi aplicado a estudantes do curso de Ciencias Contabeis entre os meses de janeiro e junho de 2014. No total de 60 respondentes, 24 (40%) sao do sexo masculino e 36 (60%) do sexo feminino; suas idades variam entre 18 e 47 anos; 70% (42) possuem o ensino publico como o mais frequente e os outros 30% (18), o ensino privado como o mais frequente. Como os individuos foram submetidos aos tres dilemas, os dados contaram com 180 observacoes.

O protocolo utilizado para a analise dos dados consistiu na validacao da escala MES e no teste das hipoteses do estudo, de acordo com os protocolos de Flory et al. (1992, pp. 284300), Cohen, Pant e Sharp (1993, pp. 13-26) e Shawver e Sennetti (2008, pp. 663-676). Quanto a validacao da escala, tres aspectos foram avaliados: (a) Dimensionalidade; (b) Confiabilidade; e (c) Convergencia (HAIR et al., 2006, p. 777). Quanto a dimensionalidade, a analise fatorial foi utilizada, onde indice KMO (Kaiser-Meyer-Olkin) mede a adequacao da analise fatorial a amostra, neste caso valores acima de 0,7 sao esperados, sendo inaceitaveis valores abaixo de 0,5. O metodo dos componentes principais assegura a unidimensionalidade da escala observada quando da existencia de um unico autovalor (com valor superior a um). O teste de esfericidade de Bartlett e empregado para testar hipotese nula de que os itens na matriz de correlacao nao estao correlacionados, indicando que a analise fatorial da escala e apropriada. Para isso seu nivel de significancia deve ser baixo o suficiente para rejeitar a hipotese nula e indicar que ha uma correlacao forte entre os itens (HAIR et al., 2006, p. 115).

Para observacao da confiabilidade das escalas utilizadas, foi calculado o Coeficiente Alfa de Cronbach, este que configura a media dos coeficientes de todas as combinacoes possiveis das metades divididas. O Alfa de Cronbach avalia o grau de consistencia entre as multiplas medidas da variavel (grau em que a mesma se encontra livre de erros aleatorios). De acordo com Hair et al. (2006, p. 137), o nivel de confiabilidade minimo deve ser 0,6 ou 0,7. Quanto a convergencia, o coeficiente de correlacao p de Spearman foi calculado para verificar se os itens que medem o constructo apresentam uma correlacao razoavelmente alta entre si, ou seja, se convergem para um mesmo fator.

Apos observar a validade da escala quanto a dimensionalidade, confiabilidade e convergencia, a escala foi submetida a validade de conteudo das dimensoes apresentadas e a validade preditiva, de acordo com Flory et al. (1992, pp. 292-296). Para isso, na validade de conteudo, as dimensoes da escala foram utilizadas como variaveis independentes de um modelo de regressao multipla, onde a variavel dependente foi uma medida etica univariada (etico--nao etico), buscando observar alto poder explicativo das dimensoes ([R.sup.2] ajustado). Quanto a validade preditiva das escalas, duas medidas univariadas de intencao comportamental (eu agiria da mesma forma; e meus colegas agiriam da mesma forma) foram utilizadas como variaveis dependentes, enquanto as dimensoes foram utilizadas como variaveis independentes, tambem esperando alto poder explicativo das dimensoes ([R.sup.2] ajustado), e ou a ocorrencia de um vies de desejabilidade social ou "efeito halo". Quanto ao efeito halo, conforme Cohen, Pant e Sharp (1993, p. 15), este ocorre quando o padrao de resposta na questao acerca do comportamento pessoal difere do padrao encontrado ao responder a questao sobre o comportamento de terceiros (os colegas).

Para o teste das hipoteses propostas, buscou-se analisar o efeito provocado pelas tres variaveis independentes principais, apresentadas como: Dimensao Justica Social, Dimensao Relativismo, Dimensao Egoismo e Utilitarismo e Contratualismo, sobre tres variaveis dependentes, apresentadas como PRAGR (Probabilidade dos Respondentes Agirem de acordo com o Gerenciamento de Resultado), PPAGR (Probabilidade dos seus Pares Agirem de acordo com o Gerenciamento de Resultado) e PRAE (Percepcao dos Respondentes acerca da Acao ser Etica), tais variaveis dependentes representam as tres ultimas consideracoes da Escala Etica Multidimensional apresentada no Apendice (Q13, Q14 e Q15, respectivamente), mensuradas por meio de uma escala Likert de 7 pontos. Como adendo, em prol de corroborar a qualidade do estudo, as variaveis classificatorias (de controle) tambem foram introduzidas, possuindo assim, mais quatro variaveis independentes: (a) idade em anos, (b) genero sexual, (c) tipo de ensino mais frequentado e (d) visao politica. Assim, o teste da hipotese H1 se deu por meio do seguinte modelo de regressao linear multipla, conforme demonstra a Equacao 2:

Y = [alpha] + [[beta].sub.1]DJS + [[beta].sub.2]DR + [[beta].sub.3]DEUC + [[beta].sub.4]I + [[beta].sub.5]GN + [[beta].sub.6] TEMF + [[beta].sub.7]VP + [epsilon]i Equacao 2

Onde: (a) Y: variaveis independentes: probabilidade dos respondentes agirem de acordo com o Gerenciamento de Resultado (PRAGR), probabilidade dos seus pares agirem de acordo com o Gerenciamento de Resultado (PPAGR) e percepcao dos respondentes acerca da acao ser etica (PRAE); seguido das variaveis independentes (b) DJS: dimensao justica social; (c) DR: dimensao relativista; (d) DEUC: dimensao egoista e utilitarista e contratualista; (e) I: idade em anos; (f) GN: genero sexual; (g) TEMF: tipo de ensino mais frequentado e (h) VP: visao politica. Os betas ([beta]) determinam a contribuicao de cada variavel independente para a ocorrencia da autopercepcao sobre a acao ser etica, enquanto si e o erro aleatorio componente do modelo.

A correlacao de Pearson foi utilizada para observar o poder explicativo do escore Composite MES quanto as variaveis dependentes supracitadas (teste da hipotese H2), enquanto o teste t para amostras emparelhadas foi utilizado na comparacao dos padroes de respostas nas dimensoes pessoal e de terceiros (existencia do "efeito halo").

4 ANALISE DE DADOS

4.1 Validacao de escalas

4.1.1 Identificando os elementos da escala

Para a ocorrencia da identificacao dos elementos da escala, utilizou-se a analise fatorial para a validade discriminante, em que seu resultado indicou a existencia de tres dimensoes, conforme apresenta a Tabela 1. Nota-se que estas tres dimensoes explicam 65,63% da variancia total.

A analise de autovalores indicou a presenca de autovalor maior que 1 apenas nos tres primeiros componentes, corroborando com a indicacao da existencia de tres dimensoes supracitadas. Conforme observado anteriormente, os valores para o indice de KMO acima de

0,70 sao desejaveis e valores abaixo de 0,5 sao inaceitaveis. O resultado deste teste apresentou o valor 0,849, considerado aceitavel. O teste de esfericidade de Bartlett indica que ha uma correlacao forte entre os itens (Qui-quadrado igual a 937,049 e nivel de significancia igual a 0,000), corroboram o fato da analise fatorial da escala poder ser considerada apropriada.

A analise da matriz rotacionada da carga dos fatores, para cada variavel em cada fator, apresentada na Tabela 2, permite encontrar os tres agrupamentos verificados para as perguntas formuladas. No primeiro agrupamento, ou componente, foram incluidas as consideracoes sobre a dimensao da Justica Social, sendo elas as perguntas Q1 (Injusta--Justa), Q2 (Desleal Leal), Q3 (Moralmente incorreta--Moralmente correta) e Q4 (Inaceitavel para minha familia Aceitavel para minha familia). No segundo agrupamento, verificou-se a concentracao das variaveis relativas a dimensao Relativista, sendo agrupadas as consideracoes Q5 (Culturalmente Inaceitavel--Culturalmente aceitavel) e Q6 (Tradicionalmente inaceitavel Tradicionalmente aceitavel).

No terceiro e ultimo agrupamento, verificou-se a concentracao das variaveis relativas ao conjunto de dimensoes, sendo estas: Contratualista, Utilitarista e Egoista. Sao agrupadas as consideracoes Q7 (Nao autopromocao para mim--Autopromocao para mim), Q8 (Nao pessoalmente gratificante para mim--Pessoalmente gratificante para mim), Q9 (Produz o minimo de utilidade--Produz a maior utilidade), Q10 (Minimiza beneficios enquanto maximiza prejuizos--Maximiza beneficios enquanto minimiza prejuizos), Q11 (Viola um contrato nao escrito--Nao viola um contrato nao escrito), Q12 (Viola uma promessa nao dita Nao viola uma promessa nao dita).

Tres fatores tambem foram evidenciados nos achados de Cohen, Plant e Sharp (1993, pp. 19-22), Flory et al. (1992, pp. 291-298), enquanto os achados de Cohen, Plant e Sharp (2001, p. 324) evidenciaram quatro fatores. Em conformidade com o estudo de Flory et al. (1992, pp. 284-300), estes tres fatores observados foram designados como: (a) Dimensao Justica Social ou Equidade Moral; (b) Dimensao Relativista; e (c) Dimensao Egoista e Utilitarista e Contratualista. Apos a identificacao destas dimensoes, as mesmas foram validadas individualmente e foram calculados os escores dos fatores pelo metodo de regressao, para a utilizacao nos modelos de regressao linear multipla.

4.1.2 Validando os elementos da escala (dimensionalidade, confiabilidade e convergencia)

4.1.2.1 Dimensao Justica Social ou Equidade Moral

Analise da Dimensionalidade: os resultados da analise de componentes principais, apresentados na Tabela 3, indicam a existencia de um unico autovalor.

A existencia de um unico autovalor (com valor superior a um, conforme apresenta a quinta coluna da Tabela 3) assegura a unidimensionalidade da escala observada. O indice KMO apresentou o valor de 0,788, considerado aceitavel, enquanto o teste de esfericidade de Bartlett apresentou Qui-quadrado igual a 305,534 e nivel de significancia igual a 0,000, corroborando o fato da analise fatorial da escala poder ser considerada apropriada.

Analise da Confiabilidade: o resultado do teste (Alfa de Cronbach igual a 0,848) atesta a confiabilidade da escala utilizada, visto que excede o nivel minimo sugerido de 0,60 (HAIR et al., 2006, p. 137). No estudo de Flory et al. (1992, pp. 284-300), considerando os quatro cenarios estudados, o menor escore dessa dimensao foi igual a 0,86, enquanto Cohen, Plant e Sharp (2001, p. 324) encontraram um escore minimo de 0,83.

Convergencia: todos os coeficientes de Spearman foram positivos e significativos (nivel de significancia menor que 0,01), indicando a existencia de forte correlacao positiva entre os itens da escala.

4.1.2.2 Dimensao Relativista

Analise da Dimensionalidade: Os resultados da analise de componentes principais, apresentados na Tabela 4, indicam a existencia de um unico autovalor (1,631), assegurando a unidimensionalidade da escala observada.

O indice KMO apresentou o valor 0,5, considerado aceitavel. Quanto ao teste de esfericidade de Bartlett, a estatistica Qui-quadrado igual a 89,137 e nivel de significancia igual a 0,000 corroboram o fato da analise fatorial da escala poder ser considerada apropriada.

Analise da Confiabilidade: o alfa de Cronbach, igual a 0,773, atesta a confiabilidade da escala utilizada. Para essa dimensao, Cohen, Plant e Sharp (2001, p. 324) encontraram um escore minimo de 0,42, em uma dos cenarios estudados, tendo o estudo de Flory et al. (1992, p. 294) destacado um escore minimo de 0,83.

Convergencia: todos os coeficientes de Spearman foram positivos e significativos (nivel de significancia menor que 0,01), indicando a existencia de forte correlacao positiva entre os itens da escala.

4.1.2.3 Dimensao Egoista e Utilitarista e Contratualista

Analise da Dimensionalidade: a existencia de um unico autovalor com valor superior a um (3,317), assegura a unidimensionalidade da escala observada.

Conforme observado anteriormente, os valores para o indice de KMO acima de 0,70 sao desejaveis e valores abaixo de 0,5 sao inaceitaveis. O resultado deste teste apresentou o valor 0,808, considerado aceitavel. No teste de esfericidade de Bartlett, a estatistica Quiquadrado igual a 401,258 e nivel de significancia igual a 0,000 corroboram o fato da analise fatorial da escala poder ser considerada apropriada.

Analise da Confiabilidade: o Alfa de Cronbach igual a 0,836 atesta a confiabilidade da escala utilizada. Nessa dimensao, o menor escore do estudo de Flory et al. (1992, p. 294) foi igual a 0,75, superior ao escore de 0,58 apresentado em um dos cenarios do estudo de Cohen, Plant e Sharp (2001, p. 324).

Convergencia: todos os coeficientes de Spearman foram positivos e significativos (menor que 0,01), indicando a existencia de forte correlacao positiva entre os itens da escala.

4.2 Validade de conteudo, validade preditiva e efeito halo

Complementando a validacao apresentada anteriormente (dimensionalidade, confiabilidade e convergencia), a validade de conteudo apresenta se a escala mensura a percepcao etica dos individuos, enquanto a validade preditiva destaca o potencial da escala prever a intencao dos individuos. Essas validacoes ocorreram, por meio do uso das dimensoes da escala (escores dos fatores) e por meio do escore Composite MES.

4.2.1 Analise da Regressao Linear Multipla

Os modelos de regressao utilizaram erros padrao robustos a heterocedasticidade, e nao apresentaram problemas de colinearidade e normalidade dos residuos. A utilizacao de erros padrao robustos possibilitou uma estimacao robusta da variancia, eliminando o vies assintotico, enquanto os escores VIF nao foram superiores a 1,5 e, com base no Teorema do Limite Central (TLC), a quantidade de observacoes (180) permitiu assumir a premissa de normalidade dos residuos.

4.2.1.1 Analise da percepcao dos respondentes acerca da acao ser etica

Para a validade de conteudo, observou-se que o modelo explica 30,1% ([R.sup.2] ajustado) da variancia da percepcao dos respondentes acerca nivel etico das acoes de gerenciamento de resultado. A ANOVA demonstra que as variaveis independentes preveem a variavel dependente, que e a percepcao dos respondentes acerca das acoes tomadas nos dilemas serem etica ou nao (estatistica F = 12,02 e nivel de significancia igual a 0,000).

Na analise dos coeficientes do modelo, apenas as dimensoes JS (Justica Social) e EUC (Egoismo, Utilitarismo e Contratualismo) impactaram significativamente a variavel dependente, possuindo nivel de significancia de 0,000. De acordo com a direcao dos coeficientes destas dimensoes ([beta] = -0,642; t= -6,592 e [beta] = -0,579; t= -5,642, respectivamente), quanto maior as dimensoes, mais os respondentes vao considerar que as acoes tomadas nos dilemas sao eticas. Em conformidade com os achados de Flory et al (1992, p. 294) e Shawver e Sennetti (2008, pp. 670-672), a dimensao JS exerceu maior influencia na decisao dos individuos.

Mesmo nao impactando significativamente a variavel dependente, as tendencias das outras variaveis independentes sao passiveis de serem analisadas. Quanto a dimensao R, de acordo com a direcao dos coeficientes ([beta] = 0,039), quanto maior a dimensao, menos os respondentes vao considerar que as acoes tomadas nos dilemas sao eticas. Em relacao a idade, de acordo com a direcao dos coeficientes ([beta] = -0,021), quanto maior a idade, mais os respondentes vao considerar que as acoes tomadas nos dilemas sao eticas. Em relacao ao genero sexual, de acordo com a direcao dos coeficientes ([beta] = 0,207), mulheres tenderam a considerar que as acoes tomadas nos dilemas sao eticas. Em relacao ao tipo de ensino mais frequentado, de acordo com a direcao dos coeficientes ([beta] = 0,071), os que mais frequentaram o ensino publico tendem a considerar que as acoes tomadas nos dilemas sao eticas. Em relacao a visao politica, de acordo com a direcao dos coeficientes ([beta] = -0,009), quanto mais o respondente tendesse a direita, mais este consideraria que as acoes tomadas nos dilemas sao eticas.

4.2.1.2 Analise da probabilidade dos respondentes agirem de acordo com o Gerenciamento de Resultado

Ao avaliar a validade preditiva deste modelo, que mede a probabilidade dos respondentes agirem de acordo com as acoes de Gerenciamento de Resultado dos tres casos (dilemas), observa-se que o modelo explica 27,4% ([R.sup.2] ajustado) da variancia da probabilidade em que os respondentes agiriam da mesma forma a acao tomada nos dilemas. A ANOVA demonstrou que as variaveis independentes preveem a variavel dependente (estatistica F = 10,67 e nivel de significancia igual a 0,000).

A Tabela 7 traz a analise dos coeficientes dos modelos. Apenas as dimensoes JS (Justica Social) e EUC (Egoismo, Utilitarismo e Contratualismo) e a variavel de controle sobre a visao politica impactaram significativamente a variavel dependente, possuindo nivel de significancia de 0,000 e 0,000 e 0,034, respectivamente. De acordo com a direcao dos coeficientes destas dimensoes ([beta] = -0,622 e [beta] = -0,725), quanto maior as dimensoes, maior a probabilidade dos respondentes realizarem a mesma acao de gerenciamento de resultado. E, de acordo com a direcao dos coeficientes da variavel de controle sobre a visao politica ([beta] = 0,209), quanto mais o respondente tender a direita, maior a probabilidade deste gerenciar os resultados. Ressalta-se que os achados de Shawver e Sennetti (2008, pp. 670-672) tambem apresentaram significativa influencia das dimensoes que compoem a variavel DEUC.

Mesmo que as demais variaveis independentes nao impactem significativamente a variavel dependente, suas tendencias sao passiveis de serem analisadas. Em relacao a idade, de acordo com a direcao do coeficiente ([beta] = -0,029), quanto maior a idade do respondente, maior a probabilidade deste agir da mesma forma. Quanto ao genero sexual, de acordo com a direcao dos coeficientes ([beta] = -0,175), homens tenderam a aceitar mais o gerenciamento de resultados. Em relacao ao tipo de ensino mais frequentado, de acordo com a direcao do coeficiente ([beta] = -0,386), os que mais frequentaram o ensino privado tenderam ao gerenciamento de resultados.

4.2.1.3 Analise da probabilidade dos seus pares agirem de acordo com o Gerenciamento de Resultados

Quanto ao modelo que analisa as respostas que faziam referencia aos pares, este explica apenas 4,1% ([R.sup.2] ajustado) da variancia da probabilidade em que os pares (colegas de profissao) dos respondentes agiriam gerenciando resultados. A ANOVA demonstra que as variaveis independentes preveem a variavel dependente (estatistica F = 2,10 e nivel de significancia igual a 0,046).

Quanto a analise dos coeficientes do modelo, apenas a dimensao R (Relativismo) impacta significativamente a variavel dependente, possuindo nivel de significancia de 0,001. De acordo com a direcao do coeficiente desta dimensao ([beta] = -0,373), quanto maior a dimensao, maior a probabilidade da percepcao de que os pares agiriam gerenciando resultados. Vale ressaltar que essa dimensao apresentou influencia significativa sobre as decisoes de dois cenarios, entre os oito apresentados por Shawver e Sennetti (2008, pp. 670-672).

Mesmo nao impactando significativamente a variavel dependente, as tendencias das outras variaveis independentes sao passiveis de serem analisadas. Com relacao a dimensao JS, de acordo com a direcao do coeficiente ([beta] = -0,166), quanto maior a dimensao, maior a percepcao de que os pares gerenciariam resultados. Quanto a dimensao EUC, de acordo com a direcao do coeficiente ([beta] = -0,050), quanto maior a dimensao, maior a percepcao de que os pares gerenciariam resultados. Em relacao a idade, de acordo com a direcao do coeficiente ([beta] = -0,028), quanto maior a idade, maior a probabilidade de que os pares gerenciariam resultados. Em relacao ao genero sexual, de acordo com a direcao dos coeficientes ([beta] = 0,041), mulheres tenderam a supor que seus pares agiriam gerenciando resultados. Os que mais frequentaram o ensino privado, juntos aos que optam pela visao politica esquerdista, tendem a supor que seus pares agiriam gerenciando resultados ([beta] = -0,221 e [beta] = 0,012, respectivamente).

4.2.2 The Composite MES

Para identificar a correlacao entre o escore Composite MES e as variaveis dependentes do estudo, testando a Hipotese 2, o coeficiente de correlacao de Pearson foi utilizado. Conforme apresentado na Tabela 9, todas as correlacoes do Composite MES foram significativas com as variaveis dependentes (PRAGR, Sig.= 0,000; PPAGR, Sig.= 0,016;

PRAE, Sig.= 0,000). Observa-se que todas as correlacoes apresentam sinal negativo, desse modo, as duas variaveis sob analise em cada uma das tres correlacoes, movem-se em direcoes opostas. Entretanto, como as variaveis independentes principais possuem escala invertida em relacao as variaveis dependentes--haja vista que quanto mais proximo de "7", maior a dimensao em questao e, quanto mais proximo de "1", maior a probabilidade do respondente ou dos seus pares de gerenciar resultados e maior a probabilidade do respondente elencar a acao tomada nos dilemas como etica--a analise da correlacao ocorre tambem de forma invertida.

Por conseguinte, e passivel de afirmacao o que segue: (a) quanto maior o escore atribuido as dimensoes eticas (Composite MES), maior a probabilidade de o respondente gerenciar resultados; (b) quanto maior for o Composite MES, maior a probabilidade de o respondente supor que seus pares gerenciariam resultados; e (c) quanto maior for o escore Composite MES, maior a percepcao acerca do gerenciamento de resultados figurar como uma acao etica. Esse resultado corrobora os resultados de Shawver e Sennetti (2008, pp. 674-675), onde apenas um dos oito cenarios explorados nao apresentou correlacao entre o Composite MES e a variavel PRAE.

4.2.2.1 Efeito halo

Testando a ocorrencia do efeito halo, as medias das respostas acerca da aceitacao pessoal e dos pares, quanto ao gerenciamento de resultados, apresentou maior probabilidade de aceitacao do gerenciamento de resultados para os pares (Tabela 10), haja vista que a pontuacao dessa probabilidade na escala encontra-se de forma inversa, quanto mais proximo de 1 (um), maior aderencia ao gerenciamento de resultados.

Nesse sentido, o teste t para amostras emparelhadas apresentou estatistica t igual a 9,47 e nivel de significancia igual a 0,000, evidenciando a existencia de diferencas significativas entre estas medias. Com isso, observa-se a ocorrencia do efeito halo para a amostra analisada, conforme destacado por Cohen, Pant e Sharp (1993, p. 15).

5 CONSIDERACOES FINAIS

Ao considerar que a existencia dos registros contabeis promove a formacao da reputacao das companhias, ressalta-se a relevancia da qualidade das informacoes contabeis a serem divulgadas (BASU; WAYMIRE, 2006; BASU et al., 2009). No entanto, estas informacoes devem representar o real desempenho economico das companhias, sendo elaboradas com base em normas e padroes contabeis amplamente conhecidos. Nesse sentido, o gerenciamento de resultados pode quebrar lacos de confianca e reciprocidade estabelecidos entre a empresa e o mercado, sobretudo juntos aos investidores nao profissionais.

Sabendo que os desvios eticos de gestores e profissionais da area contabil podem provocar perdas inestimaveis aos stakeholders, esse estudo destacou uma alternativa para a classificacao dos individuos quanto ao comportamento etico e moral apresentado. Nesse sentido, para a amostra do estudo, utilizando o protocolo de validacao de Flory et al. (1992, pp. 284-300), Cohen, Pant e Sharp (1993, pp. 13-26) e Shawver e Sennetti (2008, pp. 663676), os resultados evidenciaram que a escala MES adaptada foi validada quanto a dimensionalidade, confiabilidade e convergencia.

Ao testar a primeira hipotese da pesquisa, que buscou medir o impacto das variaveis independentes, ou seja, o impacto das dimensoes: Justica Social; Relativismo; Egoismo e Utilitarismo e Contratualismo na avaliacao etica de estudantes, em situacoes de gerenciamento de resultados, observou-se que a H1 foi parcialmente corroborada. Quanto a probabilidade dos respondentes agirem de acordo com as acoes de gerenciamento de resultados, somente as dimensoes JS (Justica Social) e EUC (Egoismo, Utilitarismo e Contratualismo), alem da variavel de controle sobre a visao politica, impactaram significativamente esta probabilidade. Sendo que, quanto maior o valor atribuido a essas dimensoes, maior a probabilidade dos respondentes realizarem acoes de gerenciamento de resultado. Dessa forma, as dimensoes JS e EUC corroboraram a hipotese H1, enfatizando que a validade preditiva desse modelo apontou para a explicacao de 24,7% da percepcao individual dos respondentes, percentual inferior aqueles apresentados por Shawver e Sennetti (2008, pp. 669-672).

Quanto a probabilidade dos seus pares agirem de acordo com o gerenciamento de resultado, apenas a dimensao R (Relativista) impactou significativamente esta probabilidade, num modelo que explicou apenas de 4,1% dessa percepcao. Dessa forma, a dimensao R corroborou a hipotese H1. Entretanto, ao comparar o padrao de respostas apresentado entre as respostas que apontavam a aceitacao pessoal e a aceitacao dos pares, de acordo com que foi destacado por Cohen, Pant e Sharp (1993, p. 15), observou-se a ocorrencia do vies de desejabilidade social, ou "efeito halo". Nesse sentido, corroborando a ideia de Israeli (1988, apud Shawver e Sennetti, 2008, p. 667), em "que o melhor preditor do comportamento do entrevistado e sua crenca e percepcao sobre seus pares", a dimensao Relativista apresenta maior relevancia nesses achados, sobretudo por destacar a percepcao de aceitabilidade (cultural e tradicional) dos respondentes acerca do comportamento dos pares.

Quanto a percepcao dos respondentes acerca das acoes serem eticas, somente as dimensoes JS (Justica Social) e EUC (Egoismo, Utilitarismo e Contratualismo) impactaram significativamente esta probabilidade. Sendo que, quanto maior o valor atribuido para as dimensoes, mais os respondentes consideraram eticas as acoes de gerenciamento de resultados. Dessa forma, as dimensoes JS e EUC corroboraram a hipotese H1, atestando a validade de conteudo para essas duas dimensoes, em um modelo que explicou 30,1% dessa percepcao.

Ao testar a segunda hipotese da pesquisa, todas as correlacoes do Composite MES com as variaveis dependentes foram positivas e significativas. Assim, encontrou-se que o Composite MES possui relacao direta com a probabilidade dos respondentes agirem de acordo com o gerenciamento de resultados, com a percepcao sobre a acao dos pares e com a percepcao etica destes. Dessa forma, a hipotese H2 foi totalmente corroborada.

Dessa forma, como emerge uma agenda de pesquisa voltada a investigacao do nivel de raciocinio etico e moral dos individuos envolvidos em decisoes contabeis, esse estudo iniciou um processo de adaptacao e validacao de uma escala que possa mensurar este nivel em situacoes de gerenciamento de resultados. O uso operacional de escalas dessa natureza, como por exemplo, em processos seletivos ou testes periodicos nos funcionarios, poderia distinguir os individuos capazes de manipular informacoes contabeis daqueles que possuem atitudes eticas ilibadas. Certamente, medidas como essa poderiam ajudar na mitigacao da ocorrencia de gerenciamentos de resultados e fraudes contabeis, como as corridas no Banco Nacional, Boi Gordo e na Avestruz Master, em ambito nacional, e na Enron, WorldCom, Tyco e Parmalat, no ambito internacional, fornecendo evidencias para que o mercado possa diferenciar o vilao do mocinho.

DOI: http://dx.doi.org/ 10.18028/2238-5320/rgfc.v6n1p92-111

Edno Alves Santana Junior

Graduando em Ciencias Contabeis (UFBA)

Endereco: Avenida Reitor Miguel Calmon, s/n--Vale do Canela

40.110-903--Salvador/BA, Brasil

Email: ednoalves@live.com

Cesar Valentim de Oliveira Carvalho Junior

Doutor em Ciencias Contabeis (FEA/USP)

Professor Adjunto da Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Endereco: Avenida Reitor Miguel Calmon, s/n--Vale do Canela

40.110-903--Salvador/BA, Brasil

Email: cesarvalentimjr@gmail.com

Recebido em 31.07.2015. Revisado por pares em 10.09.2015. Reformulacoes em 07.10.2015 e 20.11.2015. Recomendado para publicacao em 14.12.2015. Publicado em 07.03.2016.

REFERENCIAS

ABBASZADEH, Mohammadreza; MOEINIZADEH, Moeinizadeh; VADIEI, Mohammadhossein (2012). Cross-cultural study of accounting students' perception of accounting ethics in Iran and United Kingdom. African Journal of Business Management, Iran, v. 6, no. 4, p. 11049-11056. 2012.

BASU, Sudipta; WAYMIRE, Gregory B. Recordkeeping and human evolution. Accounting Horizons, s. l., v. 20, no. 3, p. 201-229. 2006.

BASU, Sudipta; DICKHAUT, John; HECHT, Gary; TOWRY, Kristy; WAYMIRE, Gregory B.. Recordkeeping alters economic history by promoting reciprocity. Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), s.l., v. 106, no. 4, p. 1009-1014. 2009. DOI:10.1073/pnas.0811967106

COHEN, Jeffrey; PANT, Laurie; SHARP, David. A Validation and Extension of a Multidimensional Ethics Scale, Journal of Business Ethics, Netherlands, v. 12, no. 1, p. 13-29. 1993.

COHEN, Jeffrey; PANT, Laurie; SHARP, David. An examination of differences in ethical decision-making between canadian business students and accounting professionals, Journal of Business Ethics, Netherlands, v. 30, no. 1, p. 319-336. 2001.

EMERSON, Tisha L. N.; CONROY, Stephen J.; STANLEY, Charles W. Ethical Attitudes of Accountants: Recent Evidence from a Practitioners' Survey. Journal of Business Ethics, s.l., v. 71, p. 73-87. 2007.

FISHER, Marilyn; ROSENZWEIG, Kenneth. Attitudes of Students and Accounting Practitioners Concerning the Ethical Acceptability of Earnings Management. Journal of Business Ethics, Netherlands, v. 14, p. 433-444. 1995.

FLORY, Steven M.; PHILLIPS, Thomas J.; REIDENBACH, R. Eric; ROBIN, Donald. P. A Multidimensional Analysis of Selected Ethical Issues in Accounting. The Accounting Review, s. l., v. 67, no. 2, p. 284-302. 1992.

HAIR, J. F. J.; BLACK, W. C.; BABIN, B J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L.;. Multivariate data analisis. Pearson, New Jersey, 6. ed.. 2006.

REIDENBACH, R. Eric; ROBIN, Donald P. Some initial steps toward improving the measurements of ethical evaluations of marketing activities. Journal of Business Ethics, s. l., v. 7, p. 871-79. 1988.

REIDENBACH, R. Eric; ROBIN, Donald P. Toward the development of a multidimensional scale for improving evaluations of business ethics. Journal of Business Ethics, Netherlands, v. 9, p. 639-653. 1990.

REST, James; THOMA, Stephen; EDWARDS, Lynne. Designing and validating a measure of moral judgment: Stage preference and stage consistency approaches. Journal of Educational Psychology, Minnesota, v. 89, no. 1, p. 5-28. 1997.

SCOTT, William R. Financial Accounting Theory. 3a ed. Pearson Education Canada Inc: Canada.. 2003.

SHAWVER, Tara J.; SENNETTI, John T. (2008) Measuring Ethical Sensitivity and Evaluation. Journal of Business Ethics, s. l., v. 88, p. 663-678. 2009.

APENDICE
Figura 1--Escala MES

                              Multidimensional
                               Ethical Scale

Q1               Injusta    __:__:__:__:__:__:__   Justa

Q2               Desleal    __:__:__:__:__:__:__   Leal

Q3            Moralmente    __:__:__:__:__:__:__   Moralmente Correta
               Incorreta

Q4      Inaceitavel para    __:__:__:__:__:__:__   Aceitavel para
           minha familia                           minha familia

Q5         Culturalmente    __:__:__:__:__:__:__   Culturalmente
             Inaceitavel                           Aceitavel

Q6      Tradicionalmente    __:__:__:__:__:__:__   Tradicionalmente
             Inaceitavel                           Aceitavel

Q7    Nao e auto-promocao   __:__:__:__:__:__:__   E auto-promocao
                para mim                           para mim

Q8    Nao e pessoalmente    __:__:__:__:__:__:__   E pessoalmente
       gratificante para                           gratificante para
                     mim                           mim

Q9    Produz o minimo de    __:__:__:__:__:__:__   Produz a maior
               utilidade                           utilidade

Q10   Minimiza beneficios   __:__:__:__:__:__:__   Maximiza beneficios
       enquanto maximiza                           enquanto minimiza
               prejuizos                           prejuizos

Q11    Viola um contrato    __:__:__:__:__:__:__   Nao viola um
             nao escrito                           contrato nao
                                                   escrito

Q12   Viola uma promessa    __:__:__:__:__:__:__   Nao viola uma
                nao dita                           promessa nao dita

Q13   A probabilidade de que eu iria realizar a mesma acao e a seguinte:
             Alta           __:__:__:__:__:__:__          Baixa

Q14   A probabilidade de que os meus colegas de profissao agiriam da
      mesma forma e a seguinte:
             Alta           __:__:__:__:__:__:__          Baixa

Q15   A acao descrita acima e:
             Etica          __:__:__:__:__:__:__        Nao etica

Tabela 1. Variancia total explicada

Componente     Valores proprios iniciais

             Total     % de          %
                     variancia   cumulativa

1            5,157    42,977       42,977
2            1,540    12,837       55,814
3            1,178     9,818       65,632
4            ,830      6,918       72,550
5            ,675      5,628       78,178
6            ,540      4,502       82,680
7            ,495      4,123       86,802
8            ,395      3,293       90,095
9            ,379      3,162       93,258
10           ,304      2,532       95,790
11           ,269      2,244       98,035
12           ,236      1,965      100,000

Componente        Somas de extracao de
               carregamentos ao quadrado

             Total     % de          %
                     variancia   cumulativa

1            5,157    42,977       42,977
2            1,540    12,837       55,814
3            1,178     9,818       65,632
4
5
6
7
8
9
10
11
12

Componente         Somas rotativas de
                carregamentos ao quadrado

             Total     % de          %
                     variancia   cumulativa

1            3,047    25,393       25,393
2            2,955    24,624       50,017
3            1,874    15,615       65,632
4
5
6
7
8
9
10
11
12

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 2. Matriz de componente rotativa

      Componente

      DEUC   DJS    DR

Q1    ,189   ,860   ,083
Q2    ,275   ,768   ,025
Q3    ,325   ,749   ,000
Q4    ,167   ,770   ,252
Q5    ,142   ,024   ,839
Q6    ,114   ,155   ,866
Q7    ,658   ,189   ,247
Q8    ,619   ,445   ,234
Q9    ,637   ,274   ,357
Q10   ,572   ,141   ,299
Q11   ,745   ,302   -,127
Q12   ,815   ,168   -,026

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 3. Variancia total explicada

Componente   Valores proprios iniciais

             Total     % de      % cumulativa
                     variancia

1            2,757     68,927         68,927
2            ,539      13,476         82,403
3            ,418      10,440         92,843
4            ,286       7,157        100,000

Componente   Somas de extracao de carregamentos ao quadrado

             Total   % de        % cumulativa
                     variancia

1            2,757     68,927         68,927
2
3
4

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 4. Variancia total explicada

Componente   Valores proprios iniciais

             Total   % de variancia   % cumulativa

1            1,631          81,553         81,553
2            ,369           18,447        100,000

Componente   Somas de extracao de carregamentos ao quadrado

             Total   % de variancia   % cumulativa

1            1,631          81,553         81,553
2

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 5. Variancia total explicada

Componente   Valores proprios iniciais

             Total   % de        % cumulativa
                     variancia

1            3,317     55,284         55,284
2            ,882      14,696         69,980
3            ,670      11,163         81,143
4            ,477       7,955         89,098
5            ,367       6,112         95,210
6            ,287       4,790        100,000

Componente   Somas de extracao de carregamentos ao quadrado

             Total     % de        % cumulativa
                       variancia

1             3,317      55,284         55,284
2
3
4
5
6

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 6. Coeficientesa

                         Coeficientes      Coeficientes    t      Sig.
                       nao padronizados    padronizados

                         B       Modelo         Beta
                                 padrao

(Constante)              6,404    ,517                   12,393   ,000
DJS                      -,642    ,097          -,414    -6,592   ,000
DR                       ,039     ,099           ,025     ,397    ,692
DEUC                     -,579    ,103          -,374    -5,642   ,000
@Idade                   -,021    ,022          -,073    -,960    ,339
@Sexo                    ,207     ,220           ,066     ,944    ,346
@Tipo de ensino mais     ,071     ,233           ,021     ,306    ,760
  frequentado
@Visao politica          -,009    ,086          -,008    -,110    ,913

a. Variavel dependente: PRAE

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 7. Coeficientes (a)

Modelo                 Coeficientes     Coeficientes   T        Sig.
                       nao              padronizados
                       padronizados

                       B       Modelo   Beta
                               padrao

(Constante)            6,897   ,592                    11,648   ,000
DJS                    -,622   ,112     -,357          -5,580   ,000
DR                     -,146   ,113     -,084          -1,289   ,199
DEUC                   -,725   ,118     -,416          -6,160   ,000
@Idade                 -,029   ,026     -,089          -1,142   ,255
@Sexo                  -,175   ,252     -,049          -,697    ,487
@Tipo de ensino        -,386   ,267     -,102          -1,447   ,150
  mais frequentado
@Visao politica        -,209   ,098     -,151          -2,131   ,034

a. Variavel dependente: PRAGR

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 8. Coeficientesa

Modelo                 Coeficientes     Coeficientes   t        Sig.
                    nao padronizados    padronizados

                       B       Modelo   Beta
                               padrao

(Constante)            4,646    ,581                   8,000    ,000
DJS                    -,166    ,109          -,112    -1,517   ,131
DR                     -,373    ,111          -,251    -3,355   ,001
DEUC                   -,050    ,115          -,034    -,436    ,663
@Idade                 -,028    ,025          -,101    -1,130   ,260
@Sexo                  ,041     ,247           ,014     ,166    ,869
@Tipo de ensino        -,221    ,262          -,068    -,843    ,400
  mais frequentado
@Visao politica        ,012     ,096           ,010     ,124    ,902

a. Variavel dependente: PPAGR

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 9. Correlacoes de Pearson

                                     PRAGR      PPAGR     PRAE

Composite   Correlacao de Pearson    -,476 **   -,182 *   -,472 **
MES         'Sig. (2 extremidades)      ,000      ,016       ,000
            N                            175       175        175

*. A correlacao e significativa no nivel 0,05 (2 extremidades).

**. A correlacao e significativa no nivel 0,01 (2 extremidades).

Fonte: Dados da pesquisa.

Tabela 10. Estatisticas descritivas

        Media    N    Desvio    Erro
                      padrao   padrao
                                 da
                               media

PRAGR   5,36    180   1,743     ,130
PPAGR   3,96    180   1,487     ,111

Fonte: Dados da pesquisa.

Quadro 1--Cenarios da pesquisa

Cenario 1--Gerenciamento por Accrualz

Xisto, contador da empresa Master Contabilidade Ltda., tem como
gestor Antonio Braga. A empresa apresenta despesas elevadas desde
sua fundacao em 1995. Dado a recente finalizacao das despesas mais
significativas o lucro da empresa elevaria e, por conseguinte,
pagaria mais tributo. Alem de que, com essa drastica reducao das
despesas, o perfil temporal dos lucros tenderia a sofrer uma
variabilidade dos resultados contabeis, em que representaria um
alto risco (instabilidade dos fluxos de resultados) e
consequentemente a perda de interesse por parte dos investidores.
Antonio, percebendo a situacao e suas consequencias, aconselhou a
Xisto que acelerasse as despesas de depreciacao ou aumentar as
despesas de pesquisa e desenvolvimento e reconhecesse as receitas
apenas para o periodo subsequente, visto que ja se encontravam no
ultimo mes do ano, para manter o alisamento de resultado e atender
expectativas de lucro estavel dos analistas. Xisto tinha apenas
duas opcoes, caso contabilizasse, receberia um incentivo monetario
pelo servico e risco da operacao assumido, caso nao contabilizasse
perderia seu emprego e prejudicaria sua familia por ser a unica
base de renda familiar. Xisto entao decidiu por atender a ordem do
gestor.

Cenario 2--Gerenciamento Operacional

Voce e o contador da companhia Z S/A, que sofre problemas de
continuidade operacional, e sabe que a companhia precisa captar
recursos como ultima alternativa para continuar operando. Sabe-se
que o fechamento da companhia acarretara na demissao de 10.000
funcionarios. Buscando suavizar os indices financeiros, a fim de
enquadrar a companhia nos padroes exigidos pelas instituicoes
financeiras, o Diretor Financeiro da companhia ordenou que o
departamento de vendas faturasse um volume significativo de pedidos
que nao foram emitidos pelos clientes da companhia.

Cenario 3--Manipulacao de estimativas

Responsavel por elaborar o orcamento anual de uma grande industria,
o contador da empresa recebeu da alta direcao a incumbencia em
projetar o volume de faturamento para o ano seguinte, considerando
as perspectivas de crescimento previstas pelos indicadores
economicos. Numa conversa informal sobre o assunto, retornando de
carona com o diretor de vendas, que era muito seu amigo, o contador
informou ao diretor que as pesquisas economicas apontam que o
faturamento devera aumentar cerca de 30% no proximo ano. Preocupado
em nao conseguir atingir essa meta, e nao ter a bonificacao no ano
seguinte, o diretor pediu ao contador que modificasse os dados da
pesquisa de forma que apontasse um aumento no faturamento de no
maximo 15% para o ano seguinte. Como ainda nao tinha divulgado os
resultados dos estudos, o contador atendeu a solicitacao do seu
amigo, definindo que as vendas poderiam aumentar ate 15% no ano
seguinte.
COPYRIGHT 2016 Universidade do Estado da Bahia
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:Santana, Edno Alves, Jr.; Carvalho, Cesar Valentim de Oliveira, Jr.
Publication:Revista De Gestao, Financas E Contabilidade
Article Type:Ensayo
Date:Jan 1, 2016
Words:8246
Previous Article:A comparison of the quality of accounting information between the mixed-capital companies and private control in Brazil/Uma comparacao da qualidade...
Next Article:Participation and disclosure of athletes in the statements of Brazilian football clubs/Participacao e evidenciacao de atletas nos demonstrativos...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters