Printer Friendly

Enteroparasites in fecal and subungual matter from food handlers, Parana State, Brazil/Enteroparasitos em materiais fecal e subungueal de manipuladores de alimentos, Estado do Parana, Brasil.

Introducao

A manipulacao e importante forma de contaminacao de alimentos, pois habitos higienicos inadequados, como a falta de regularidade na lavagem das maos, permitem que microrganismos causadores de doencas sejam disseminados (SOUZA et al., 2001). Portadores assintomaticos de doencas, incluindo-se as enteroparasitoses, podem contaminar, por meio das maos, os alimentos por eles manipulados (SILVA et al., 2005). Assim, determinar a prevalencia de enteroparasitos nos manipuladores pode contribuir na prevencao da contaminacao dos alimentos.

Atualmente, as doencas veiculadas por alimentos ultrapassam o ambito domestico, pois a urbanizacao crescente e mudancas no estilo de vida levam as pessoas a se alimentarem com mais frequencia fora do domicilio. Este fato culmina na abertura de locais que fornecem refeicoes, muitas vezes, sem condicoes adequadas de higiene. Apesar de se saber que locais onde se prepara grande numero de refeicoes estao mais sujeitos a ocorrencia de enfermidades transmitidas por alimentos, da relevancia e atualidade do tema para o Brasil, poucas sao as publicacoes que investigam os servicos de alimentacao (PASSOS; KUAYE, 1996) e que abordam a presenca de enteroparasitos em manipuladores de alimentos (REZENDE et al., 1997; CAPUANO et al., 2002; NOLLA; CANTOS, 2005).

O Estado do Parana, localizado na regiao Sul do Brasil, que e considerada prospera, tem inumeras comunidades localizadas em varios municipios que apresentam alta prevalencia de parasitos intestinais (GUILHERME et al., 2004; PUPULIN et al., 2004; SEGANTIN; DELARIVA, 2005; QUEIROZ et al., 2006; PITTNER et al., 2007), mas nenhum destes estudos aborda a presenca de enteroparasitos em manipuladores de alimentos. Na regiao Oeste deste Estado esta situado o municipio de Cascavel que e importante rota turistica e economica nacional e internacional, sendo entroncamento obrigatorio para o transporte de mercadorias e passageiros advindos das regioes Centro-oeste, Sudeste e Nordeste em direcao ao Paraguai e a Argentina e, destes, as regioes citadas. Identificar nesta regiao a presenca de manipuladores que sao portadores de agentes que possam ser propagados para os alimentos tem importancia para a saude publica e colabora com as acoes de vigilancia sanitaria.

Diante de tal realidade e tendo em vista que os manipuladores de alimentos sao potenciais disseminadores de patogenos, o objetivo deste trabalho foi determinar a presenca de enteroparasitos em material fecal e subungueal de cozinheiros e auxiliares de cozinha, ambulantes, merendeiras, padeiros e confeiteiros do municipio de Cascavel, Estado do Parana, Brasil.

Material e metodos

Area de estudo

Este estudo foi realizado no municipio de Cascavel, situado na regiao Oeste do Estado do Parana, que possui 245.369 habitantes, com 50,0% da populacao economicamente ativa, 51,3% do genero feminino, 35,0% com Ensino Fundamental e 50,0% com renda mensal de dois salarios minimos (IBGE-CENSO, 2000). O Indice de Desenvolvimento Humano (IDH) e de 0,810, refletindo boas condicoes de vida e de desenvolvimento, o que coloca o municipio em 15[degrees] lugar no Estado.

Populacao de estudo

Foi realizado estudo observacional transversal de marco de 2005 a setembro de 2006, que envolveu 343 manipuladores de alimentos de ambos os generos e em faixas etarias entre 14 e 75 anos (media 37 [+ or -] 12 anos). Na Prefeitura de Cascavel estao registrados 366 estabelecimentos que empregam manipuladores de alimentos, sendo 103 restaurantes, 96 ambulantes, 96 escolas publicas e 71 panificadoras. A amostra, calculada por estratificacao proporcional por estabelecimento, abrangeu 29 restaurantes, 41 comercios de ambulantes, 25 cantinas de escolas publicas estaduais e municipais e 18 panificadoras. Os individuos que manipulavam alimentos foram classificados em categorias ocupacionais de acordo com a natureza do trabalho desempenhado. Foram investigados 142 (41,4%) cozinheiros e auxiliares de cozinha, 74 (21,6%) ambulantes, 69 (20,1%) merendeiras e 58 (16,9%) padeiros e confeiteiros.

Exame parasitologico de material fecal, subungueal e indice de parasitismo

De cada individuo foram coletadas, em um unico frasco, tres amostras de fezes em dias alternados. O material foi conservado em formalina a 10% e analisado no Laboratorio de Parasitologia da Universidade Estadual do Oeste do Parana, Cascavel, Estado do Parana, pelos metodos de Lutz, Ritchie modificado e pela tecnica de coloracao de Ziehl-Neelsen modificada (OLIVEIRA-ROCHA; MELLO, 2005).

O material subungueal foi coletado utilizando-se swabs de algodao umedecidos em solucao fisiologica antes do uso. Para cada individuo as amostras de todas as unhas foram armazenadas em frascos de vidro contendo formalina a 10% e analisadas pelo metodo de Ritchie (OLIVEIRA-ROCHA; MELLO, 2005).

Indices de parasitismo (razao entre o numero de individuos parasitados e o numero total de individuos) foram determinados em relacao aos estabelecimentos pesquisados.

Aspectos eticos

Apos esclarecimentos sobre o estudo, os funcionarios de cada estabelecimento assinaram o Termo de Consentimento aprovado pelo Comite Enteroparasitos em manipuladores de alimentos

Permanente de Etica em Pesquisa envolvendo Seres Humanos (Copep) da Universidade Estadual de Maringa (UEM), Maringa, Estado do Parana, Parecer no 168/2005, e da Universidade Estadual do Oeste do Parana (Unioeste), Cascavel, Estado do Parana, Parecer no 094/2005.

Analise estatistica

Para a analise estatistica foi utilizado o Programa Minitab, versao 14, e SPSS, versao 13. Foram realizados os testes qui-quadrado para se identificar associacoes entre as variaveis, Anova com post hoc de Tuckey para se identificar diferencas entre as medias e McNemar para se verificar a convergencia entre o material fecal e o subungueal. O nivel de significancia foi de 5%.

Resultados

Do total de 343 manipuladores pesquisados, 131 (38,2%) apresentaram resultado positivo para pelo menos um parasito (especies patogenicas e naopatogenicas do intestino do homem) (REY, 1999) com os diferentes metodos utilizados.

A prevalencia dos enteroparasitos de acordo com a especie pode ser observada na Tabela 1. As especies mais prevalentes foram Endolimax nana, Entamoeba coli, Blastocystis sp., Entamoeba histolytica/dispar e Giardia duodenalis, e a presenca de E. nana foi significativamente diferente (p = 0,00) em relacao as demais. Cryptosporidium sp. nao foi detectado em nenhuma das amostras investigadas. A infeccao por protozoarios foi significativamente maior do que por helmintos (p = 0,00).

Entre os 78 manipuladores de alimentos do genero masculino, 38 (48,7%) apresentaram pelo menos uma especie de parasito e, entre os 265 do genero feminino, 93 (35,1%) estavam parasitados, sendo a diferenca significativa entre generos (p = 0,03). Os individuos com idade menor do que 18 anos foram os mais acometidos, mas nenhuma associacao entre a idade e a presenca de parasitos foi encontrada.

Dentre os individuos positivos, a presenca de uma unica especie de parasito foi evidenciada em 77 (58,8%) e de mais de uma especie, em 54 (41,2%) (p = 0,01). As especies mais frequentes que ocorreram concomitantemente no mesmo individuo foram E. nana e E. coli.

A prevalencia de parasitos esta associada a categoria ocupacional (p = 0,00), sendo os padeiros e confeiteiros (51,7%) e as merendeiras (20,3%) os que mais contribuiram para esta associacao (Tabela 2). A maior prevalencia de uma unica especie de parasito ocorreu nos ambulantes (71,4%) e a de varias especies nos cozinheiros e auxiliares de cozinha (59,3%). E. nana foi a especie mais prevalente entre os cozinheiros e auxiliares de cozinha (23,5%), os padeiros e confeiteiros (40,3%) e as merendeiras (11,4%) e Blastocystis sp. entre os ambulantes (36,6%).

O indice de parasitismo foi significativamente diferente (p = 0,01) entre os estabelecimentos, e esta diferenca foi identificada entre padeiros e confeiteiros em padarias e merendeiras nas escolas (Tabela 3).

Em 17 (5,0%) individuos, o material subungueal coletado estava positivo. As especies encontradas neste material foram E. nana (2,9%), E. coli (1,2%), G. duodenalis (0,3%) e a associacao de E. nana e E. coli (0,6%). Comparando-se os resultados da analise do material fecal com os do subungueal, foi observado que 120 (91,6%) individuos apresentaram resultados positivos apenas no material fecal, seis (4,6%) apenas no material subungueal e 11 (8,4%) em ambos os materiais, indicando-se que nao houve convergencia dos resultados observados nestes dois materiais (p = 0,00).

Discussao

A ocorrencia de enteroparasitos encontrada em material fecal e subungueal de manipuladores de alimentos do municipio de Cascavel, Estado do Parana e alarmante. Este resultado toma relevancia se considerarmos que este municipio possui IDH alto em relacao a outros do Estado do Parana, esta localizado na regiao Sul do Brasil, uma das mais prosperas do Pais e e rota frequente para Foz do Iguacu, considerado o segundo polo brasileiro de turismo. A positividade aqui observada concorda com a relatada por outros autores em estudos realizados nas regioes Sul e Sudeste do Brasil (REZENDE et al., 1997; CAPUANO et al., 2002; LOURENCO et al., 2002; NOLLA;CANTOS, 2005).

No presente trabalho, o encontro de protozoarios foi significativamente maior do que de helmintos, o que tem tambem sido demonstrado por outros autores (REZENDE et al., 1997; NOLLA; CANTOS, 2005). Esta diferenca pode estar relacionada a automedicacao restrita para os helmintos. Esse procedimento nao elimina protozoarios e e contra-indicado por levar a diminuicao de imunoglobulinas e ao aparecimento de outras doencas, tais como asma, diabetes tipo 1 e doencas inflamatorias (NOLLA; CANTOS, 2005).

E. nana e E. coli foram as especies mais prevalentes, o que esta de acordo com varios autores (CAPUANO et al., 2002; NOLLA; CANTOS, 2005; SILVA et al., 2005). Segundo NOLLA e CANTOS (2005), apesar de E. nana e E. coli nao serem patogenicas para o homem, a sua elevada ocorrencia em manipuladores de alimentos e preocupante por indicar a possibilidade de transmissao de especies patogenicas. Blastocystis sp., apesar das controversias em relacao a sua patogenicidade, foi a terceira especie mais encontrada, sendo frequente o seu relato em manipuladores de alimentos (AMIN, 1997; REQUENA et al., 2003; NOLLA; CANTOS, 2005). A presenca destas especies em elevadas taxas poderia ser explicada pela qualidade da agua consumida e pelas condicoes higienicas inadequadas dos manipuladores.

No presente trabalho, vale a pena destacar que, embora os parasitos nao-patogenicos ocorressem em maior frequencia, especies patogenicas para o homem, tais como, Entamoeba histolytica/dispar, Giardia duodenalis, Strongyloides stercoralis, Ascaris lumbricoides e ancilostomideos tambem foram encontradas, fato observado por diversos autores (REZENDE et al., 1997; CAPUANO et al., 2002; REQUENA et al., 2003; NOLLA; CANTOS, 2005; RUMHEIN et al., 2005). A maioria dos individuos infectados por Entamoeba histolytica/dispar e Giardia duodenalis e assintomatica com eliminacao de grande quantidade de cistos que permanecem viaveis por longo periodo de tempo no meio ambiente, contaminando a agua e os alimentos. O parasitismo por Giardia duodenalis, observado neste estudo, foi relativamente baixo, pois os participantes apresentavam uma media de 37 [+ or -] 12 anos. A literatura mostra que este parasito e encontrado principalmente em criancas com idade de zero a cinco anos. Os adultos apresentam certa imunidade que limita as reinfeccoes (UCHOA et al., 2001).

O relato da presenca de uma unica especie de parasito em material fecal tem sido mais frequente do que o de varias especies (SILVA et al., 2005; TASHIMA; SIMOES, 2005; SOUZA et al., 2007). No presente trabalho, a ocorrencia de uma ou mais especies foi significativamente diferente, prevalecendo uma unica especie nos ambulantes e varias especies nos cozinheiros e auxiliares de cozinha. Para esta categoria ocupacional tambem foi observada a presenca de mais de uma especie no material subungueal, refletindo-se piores condicoes higienico-sanitarias destes profissionais. A associacao mais frequente foi de E. nana e E. coli, dado que concorda com outros autores (CAPUANO et al., 2002; SOUZA et al., 2007).

Os padeiros e confeiteiros, juntamente com as merendeiras, foram os que mais contribuiram para a associacao significativa entre a categoria ocupacional e a presenca de parasitos. Esta associacao pela primeira vez esta sendo relatada na literatura, embora varios autores ja tenham reportado diferencas nas infeccoes por parasitos nas diversas ocupacoes relacionadas com o preparo dos alimentos (REZENDE et al., 1997; CAPUANO et al., 2002; NOLLA; CANTOS, 2005).

O indice de parasitismo foi significativamente diferente entre as padarias e escolas. Nestes estabelecimentos, a maioria das hortalicas, legumes e frutas foi adquirida em supermercado. Esse fato pode indicar origem diversa desses alimentos, o que pode significar maior possibilidade de contaminacao com material fecal, dependendo do manejo, da coleta e do armazenamento. Silva et al. (1995) verificaram que hortalicas comercializadas em supermercados da Zona Norte do Rio de Janeiro, regiao com populacao de menor poder aquisitivo, eram mais contaminadas do que as dos supermercados da Zona Sul. Deve ser destacado ainda que a maioria dos alimentos era preparada nos proprios estabelecimentos, nao podendo ser excluida a possibilidade do consumo pelos funcionarios.

A associacao entre a prevalencia de enteroparasitos e o genero masculino e intrigante, pois o numero de individuos investigados, que pertenciam ao genero masculino, foi muito menor (1/3) do que os do genero feminino. Este resultado poderia estar refletindo diferencas no comportamento entre estes dois generos. CAPUANO et al. (2002), em estudo realizado em Ribeirao Preto, Estado de Sao Paulo, tambem observaram o predominio de parasitos no genero masculino, embora outros autores relatassem o contrario (REZENDE et al., 1997; ALVES et al., 2003; QUADROS et al., 2004).

O percentual de parasitos encontrados no material subungueal foi semelhante aos observados por Rumhein et al. (2005) em criancas da Venezuela, nao havendo relacao entre a presenca de parasitos nas fezes e no material subungueal. No presente trabalho tambem nao foi observada relacao entre os resultados dos exames realizados com estes dois materiais, indicando-se que o material subungueal pode nao ter sido importante fonte de contaminacao de enteroparasitos para os individuos aqui estudados, embora outros autores relatem ser este material importante disseminador de patogenos (LOURENCO et al., 2002; BEZERRA et al., 2003). Neste material, alem do encontro de E. nana e E. coli, foi verificada a presenca de G. duodenalis, especie ainda nao relatada por outros autores (LOURENCO et al., 2002; BEZERRA et al., 2003; RUMHEIN et al., 2005).

Conclusao

A ocorrencia de enteroparasitos nos manipuladores de alimentos do municipio de Cascavel, Estado do Parana e alta, esta associada com o genero e com a categoria ocupacional. Os resultados indicam condicoes higienico-sanitarias inadequadas e apontam para a aplicacao rigida de medidas educativas. Ha, ainda, a necessidade da implementacao de medidas habituais de vigilancia epidemiologica como a realizacao periodica de exames parasitologicos e o tratamento especifico que devem refletir na melhora da qualidade do servico prestado a populacao e na reducao e prevencao das doencas transmitidas por alimentos, principalmente por ser Cascavel rota de turismo e de cargas entre Brasil, Argentina e Paraguai.

DOI: 10.4025/actascihealthsci.v31i2.4935

Received on September 4, 2008.

Accepted on April 28, 2009.

Referencias

ALVES, R. J.; MACEDO, H. W.; RAMOS JUNIOR, A. N.; FERREIRA, L. F.; GONCALVES, M. L. C.; ARAUJO, A. Parasitoses intestinais em regiao semi-arida do Nordeste do Brasil: resultados preliminares distintos das prevalencias esperadas. Cadernos de Saude Publica, v.19, n. 2, p. 667-670, 2003.

AMIN, A.M. Blastocystis hominis among apparently healthy food handlers in Jeddah, Saudi Arabia. Journal of the Egyptian Society of Parasitology, v. 27, n.3, p. 817-823, 1997.

BEZERRA, F. S. M.; OLIVEIRA, M. F.; LIMA, A. L.; PINHEIRO, M. C. C.; ARACELES, R. M. Incidencia de parasitos intestinais em material subungueal e fecal em criancas da Creche Aprisco--Fortaleza, CE. Revista Brasileira de Analises Clinicas, v. 35, n.1, p. 39-40, 2003.

CAPUANO, D. M.; OKINO, M. H. T.; BETTINI, M. J. C. B.; TAKAYANAGUI, O. M.; LAZZARINI, M. P. T.; CASTRO E SILVA, A. A. M. C.; FERREIRA, F. L. F.; TAKAYANAGUI, A. M. M. Busca ativa de teniase e outras enteroparasitoses em manipuladores de alimentos no municipio de Ribeirao Preto, SP, Brasil. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v. 61, n. 1, p. 33-38, 2002.

GUILHERME, A. L. F.; ARAUJO, S. M.; PUPULIM, A. R. T.; JUNIOR DE LIMA, J. E.; FALAVIGNA, D. L. M. Parasitas intestinais e comensais em individuos de tres Vilas Rurais do Estado do Parana, Brasil. Acta Scientiarum Health Sciences, v. 26, n. 2, p. 331-336, 2004. IBGE--Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica CENSO 2000. Disponivel em <http//www.ibge.gov.br/cidadessat/topowndown.htm?1> Acesso em: 20 jan. 2006.

LOURENCO, A. E. P.; UCHOA, C. M. A; BASTOS, O. M. P. Enteroparasitoses em manipuladores de alimentos de hospitais da cidade de Niteroi, RJ, Brasil. Higiene Alimentar, v. 16, n. 97, p. 16-21, 2002.

NOLLA, A. C.; CANTOS, G. A. Relacao entre a ocorrencia de enteroparasitoses em manipuladores de alimentos e aspectos epidemiologicos em Florianopolis, Santa Catarina, Brasil. Cadernos de Saude Publica, v. 21, n. 2, p. 641-645, 2005.

OLIVEIRA-ROCHA, M.; MELLO, R. T. Exame Parasitologico de Fezes. In: NEVES, D. P.; MELO, A. L.; LINARDI, P. M.; VITOR, R. W. A. (Ed.). Parasitologia Humana. 11th ed. Sao Paulo: Atheneu, 2005. cap. 56, p. 453-464.

PASSOS, M. H. C. R.; KUAYE, A. Y. Avaliacao dos surtos de enfermidades transmitidas por alimentos comprovados laboratorialmente no municipio de Campinas--SP no periodo de 1987 a 1993. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v. 56, n.1, p. 77-81, 1996.

PITTNER, E.; MORAES, I. F.; SANCHES, H. F.; TRINCAUS, M. R.; RAIMONDO, M. L.; MONTEIRO, M. C. Enteroparasitoses em criancas de uma comunidade escolar na cidade de Guarapuava, PR. Revista Salus, v. 1, n. 1, p. 97-100, 2007.

PUPULIN, A. R. T.; GOMES, M. L.; DIAS, M. L. G. G.; ARAUJO, S. M.; GUILHERME, A. L. F.; KUHL, J. B. Giardiase em creches do municipio de Maringa, PR. Revista Brasileira de Analises Clinicas, v. 36, n. 3, p. 147-149, 2004.

QUADROS, R. M.; MARQUES, S.; ARRUDA, A. A. R.; DELFES, D. S.; MEDEIROS, I. A. A. Parasitas intestinais em centros de educacao infantil municipal de Lages, SC, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 37, n. 5, p. 422-423, 2004.

QUEIROZ, P. R. C.; MOTIN, A. P.; VERBANECK, C. A.; DAMARIS, F. C.; OLIVEIRA, M. S.; VERONESE, M. M.; MANTOVANI, S. R. Predominancias e determinacoes sociais em ocorrencias de parasitoses na regiao centro-ocidental do Parana: uma analise socioeconomica do problema. SaBios-Rev. Saude e Biol., v. 1, n. 2, p. 13-22, 2006.

REQUENA, I. HERNANDEZ, Y.; RAMSAY, M.; SALAZAR, C.; DEVERA, R. Prevalecia de Blastocystis hominis em vendedores ambulantes de comida del municipio Caroni, Estado Bolivar, Venezuela. Cadernos de Saude Publica, v. 19, n. 6, p. 1721-1727, 2003.

REY, L. Dicionario de termos tecnicos de medicina e saude. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1999.

REZENDE, C. H. A.; COSTA-CRUZ, J. M.; GENNARI CARDOSO, M. L. Enteroparasitoses em manipuladores de alimentos de escolas publicas em Uberlandia (Minas Gerais), Brasil. Revista Panamericana de Salud Publica, v. 2, n. 6, p. 392-397, 1997.

RUMHEIN, F. A. J.; SANCHES, J.; REQUENA, I.; BLANCO, Y.; DEVERA, R. Parasitosis intestinales en escolares: relacion entre su prevalencia en heces y en el lecho subungueal. Revista Biomedica, v. 16, n. 4, p. 227-237, 2005.

SEGANTIN, A.; DELARIVA, R. L. Levantamento de parasitoses intestinais na cidade de Cianorte, Estado do Parana no periodo de outubro de 2002 a marco de 2003 em pacientes da rede publica de saude. Arquivos de Ciencias da Saude da Unipar, v. 9, n. 1, p. 17-21, 2005.

SILVA, J. P.; MARZOCHI, M. C. A.; CAMILOCOURA, L.; MESSIAS, A. A.; MARQUES, S. Estudo da contaminacao por enteroparasitos em hortalicas comercializadas nos supermercados da cidade do Rio de Janeiro. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 28, n 3, p. 237-241, 1995.

SILVA, J. O.; CAPUANO, D. M.; TAKAYANAGUI, O. M.; JUNIOR GIACOMETTI, E. Enteroparasitoses e onicomicoses em manipuladores de alimentos do municipio de Ribeirao Preto, SP, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 8, n. 4, p. 385-392, 2005.

SOUZA, R. R.; GERMANO, P. M. L.; GERMANO, M. I. S. Tecnica da simulacao aplicada ao treinamento de manipuladores de alimentos, como recurso para a seguranca alimentar de refeicoes transportadas. Higiene Alimentar, v. 18, n.122, p. 21-24, 2001.

SOUZA, E. A.; NUNES, M. S.; MALAFRONTE, R. S.; MUNIZ, P. T.; CARDOSO, M. A.; FERREIRA, M. U. Prevalencia e distribuicao espacial de parasitos intestinais em assentamento agricola na Amazonia rural, Acre, Brasil. Cadernos de Saude Publica, v. 23, n. 2, p. 427-434, 2007.

TASHIMA, N. T.; SIMOES, M. J. S. Parasitas intestinais, prevalencia e correlacao com a idade e com os sintomas apresentados de uma populacao infantil de Presidente Prudente. Revista Brasileira de Analises Clinicas, v. 37, n. 1, p. 35-39, 2005.

UCHOA, C. M. A.; LOBO, A. G. B.; BASTOS, O. M. P.; MATOS, A. D. Parasitoses intestinais: prevalencia em creches comunitarias da cidade de Niteroi, Rio de Janeiro, Brasil. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v. 60, n. 2, p. 97-101, 2001.

Maria das Gracas Marciano Hirata Takizawa (1), Dina Lucia Morais Falavigna (2) e Monica Lucia Gomes (3) *

(1) Laboratorio de Parasitologia, Universidade Estadual do Oeste do Parana, Cascavel, Parana, Brasil. (2) Laboratorio de Parasitologia Ambiental e de Alimentos, Departamento de Analises Clinicas, Universidade Estadual de Maringa, Maringa, Parana, Brasil. (3) Departamento de Analises Clinicas, Universidade Estadual de Maringa, Avenida Colombo, 5790, 87020-900, Maringa, Parana, Brasil. * Autor para correspondencia. E-mail: mlgomes@uem.br
Tabela 1. Prevalencia de enteroparasitos em manipuladores de
alimentos do municipio de Cascavel, Parana, Brasil, de marco de
2005 a setembro de 2006.

Enteroparasitos                N    %

Protozoarios *
Endolimax nana                 89   67,9 **
Entamoeba coli                 47   35,9
Blastocystis sp.               37   28,2
Entamoeba histolytica/dispar   14   10,1
Giardia duodenalis             11    8,4
Iodamoeba butschilii           5     3,8
Helmintos
Strongyloides stercoral        3     2,3
Ascaris lumbricoides           2     1,5
Ancilostomideos                2     1,5

* Presenca de protozoarios em relacao aos helmintos p = 0,00; **
Presenca de E. nana em relacao aos outros protozoarios p = 0,00.

Tabela 2. Prevalencia de enteroparasitos em quatro categorias
ocupacionais de manipuladores de alimentos do municipio de
Cascavel, Parana, Brasil, de marco de 2005 a setembro de 2006.

Categorias ocupacionais    Examinados   Positivos      Negativos

                           N     %      N     %        N     %

Padeiros e confeiteiros     58    17     30   51,7 *    28   48,3
Cozinheiros e auxiliares
de cozinha                 142    41     59   41,5      83   58,5
Ambulantes                  74    22     28   37,8      46   62,2
Merendeiras                 69    20     14   20,3 *    55   79,7

Total                      343   100    100   38,2     212   61,8

* p = 0,00.

Tabela 3. Indice de parasitismo entre os estabelecimentos que
empregam manipuladores de alimentos do municipio de
Cascavel, Estado do Parana, Brasil, de marco/2005 a
setembro/2006.

Estabelecimentos   N    M [+ or -] DS

Comercio de        41   0,34 [+ or -] 0,39 (ab)
ambulantes
Escolas            25   0,23 [+ or -] 0,35 (a)
Padarias           18   0,60 [+ or -] 0,37 (b)
Restaurantes       29   0,41 [+ or -] 0,27 (ab)

M [+ or -] DS = Media e desvio-padrao; medias seguidas por
letras distintas na mesma coluna indicam diferenca
estatisticamente significativa.
COPYRIGHT 2009 Universidade Estadual de Maringa
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2009 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

 
Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Takizawa, Maria das Gracas Marciano Hirata; Falavigna, Dina Lucia Morais; Gomes, Monica Lucia
Publication:Acta Scientiarum Health Sciences (UEM)
Article Type:Report
Date:Apr 1, 2009
Words:3706
Previous Article:Effect of ethanol treatment on gluconeogenesis in glucose-intolerant rats/Efeito do tratamento com etanol sobre a gliconeogenese em ratos...
Next Article:Training effects in single and multiple sets in training individuals/Efeito do treinamento de series simples e multiplas em individuos treinados.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2018 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters