Printer Friendly

Efeitos de citocininas sobre a anatomia foliar e o crescimento de Annona glabra L. durante o cultivo in vitro e ex vitro.

Annona glabra L. e uma annonaceae de ocorrencia natural na America do Sul, apresentando elevado potencial agronomico e fitoquimico. Essa especie apresenta limitacoes na sua propagacao sexuada, com germinacao lenta, desuniforme e pouco expressiva. Nesse contexto, a micropropagacao tem se mostrado como uma ferramenta viavel para a propagacao de especies de anonaceas (LEMOS & BLAKE, 1996; NAGORI & PUROHIT, 2004). Contudo, a baixa taxa de brotacao dos explantes e a elevada abscisao foliar tem limitado o uso dessa tecnica nesse grupo de plantas.

Na micropropagacao de anonaceas o BAP (6-benzilaminopurina) e KIN (cinetina) tem sido as fontes de citocininas mais utilizadas (NAGORI & PUROHIT, 2004). ZEA (zeatina) foi utilizada na micropropagacao juvenil de A. cherimola Mill., induzindo a formacao de maior numero de brotos por explante e folhas mais expandidas (ENCINA et al., 1994). TDZ (Thidiazuron), apesar de ser uma das mais ativas fontes de citocininas, especialmente para especies lenhosas recalcitrantes, nao tem sido usado na micropropagacao de anonaceas. Neste trabalho serao apresentados os resultados obtidos com a utilizacao de quatro fontes de citocininas sobre caracteristicas anatomicas das folhas de A. glabra e o desenvolvimento das plantas durante o cultivo in vitro e ex vitro.

Os explantes (segmentos nodais) foram desinfestados em agua corrente por 6 horas e imersao em alcool etilico 70% (v/v) por 1 minuto, hipoclorito de sodio 1% por 15 minutos, agua destilada e autoclavada por tres vezes de 1 minuto. Estes foram cultivados em meio WPM (LLOYD & MCCOWN, 1980), suplementado com 30g [L.sup.-1] de sacarose, 1g [L.sup.-1] de carvao ativado, 500mg [L.sup.-1] de benlate e agar (Sigma) a 0,65%. Os tratamentos consistiram da adicao de BAP, TDZ, KIN e ZEA, todos na concentracao de 1,0mg [L.sup.-1], conforme resultados obtidos por SANTANA (2003). Apos 55 dias de cultivo in vitro, foram coletadas folhas para analise anatomica.

Para analise anatomica, utilizou-se a metodologia descrita por JOHANSEN (1940). As secoes transversais foram obtidas com o auxilio de um microtomo manual com a inclusao do material em medula do peciolo de imbauba. Estes foram clarificados com hipoclorito de sodio 50%, lavados em agua destilada, corados com azul de astra e safranina e montados em glicerina 50% (KRAUS & ARDUIN, 1997). As laminas com secoes paradermicas das faces abaxial e adaxial das folhas, obtidas a mao livre, foram montadas com solucao corante de safranina 1% em agua glicerinada. As determinacoes da espessura dos tecidos foram realizadas com auxilio de uma ocular micrometrica acoplada em microscopio de luz. A contagem do numero de estomatos foi realizada com o auxilio de uma camara clara em microscopio OLYMPUS CBB e o calculo do indice estomatico (IE) foi realizado por meio da formula de CUTTER (1986). Foram avaliadas cinco folhas oriundas de cinco brotacoes diferentes, provenientes do quarto no, avaliando-se quatro campos do terco mediano de cada folha.

As plantas micropropagadas foram enraizadas em meio WPM suplementado com 30g [L.sup.-1] de sacarose, 1g [L.sup.-1] de carvao ativado, 2mg [L.sup.-1] de AIB e pH ajustado para 5,0, segundo resultados obtidos por SANTANA (2003). A aclimatizacao foi realizada em substrato comercial Plantmax(r) durante 21 dias, sob fotoperiodo de 16 horas, irradiancia de fotons de 55imol [m.sup.-2] [s.sup.-1] e temperatura de 27[+ or -]2*C. No final das fases de enraizamento e de aclimatizacao, quantificaram-se a materia seca, a area foliar e a taxa de sobrevivencia das brotacoes, avaliando-se 25 plantas por tratamento.

Verificou-se neste trabalho que as plantas cultivadas na presenca de TDZ, BAP e KIN apresentaram estomatos com maior diametro equatorial em relacao as plantas submetidas aos tratamentos com ZEA e sem adicao de citocinina (Figura 1). ZEA proporcionou a maior densidade e o maior indice estomatico. O aumento da relacao entre o numero de estomatos e o numero de celulas epidermicas, representado pelo aumento no indice estomatico, nas folhas de plantas cultivadas em meio com ZEA, tem relacao direta com a perda de agua por parte das plantas durante a fase de aclimatizacao, sobretudo se o mecanismo de controle na abertura no e fechamento dos estomatos nao seja adequadamente desenvolvido durante o cultivo in vitro. Sobre esse aspecto verificouse, nas plantas submetidas aos tratamentos com ZEA, a formacao de estomatos com formatos mais arredondados e ha evidencias de uma menor funcionalidade dos estomatos que apresentam formas menos elipsoide (SCIUTTI & MORINI, 1995), sendo uma possivel explicacao para a reducao na taxa de sobrevivencia durante a fase de aclimatizacao das plantas cultivadas na presenca desses fitoreguladores.

As diversas fontes de citocininas utilizadas neste trabalho nao promoveram efeitos significativos sobre a espessura das epidermes adaxial e abaxial das folhas de A. glabra (Figura 2). Por outro lado, a espessura dos parenquimas esponjoso e palicadico e, consequentemente, do limbo foliar foram significativamente afetadas pela presenca de BAP e KIN no meio de cultura (Figura 2). Nas folhas das plantas submetidas aos tratamentos com BAP e KIN, foi verificada, ainda, maior diferenciacao do mesofilo, com reduzida proporcao de espacos intercelulares, sugerindo uma maior eficacia dessas duas fontes de citocininas sobre o desenvolvimento do sistema assimilatorio das plantas durante o cultivo in vitro. Apenas ZEA aumentou o numero de feixes vasculares nas folhas dessa especie. Segundo ALONI (2001), as citocininas atuam sobre a formacao de celulas precursoras do sistema vascular e desempenham papel importante no aumento da sensibilidade dessas celulas a auxina, estimulando indiretamente o processo de diferenciacao dos vasos.

O maior percentual de explantes com brotacoes foi verificado no tratamento com BAP e ZEA (dados nao mostrados). ZEA, seguida de BAP e KIN, induziram a formacao de maior numero de brotacoes por explante, entretanto, somente a ZEA estimulou o desenvolvimento de multibrotacoes nessa especie. BAP e KIN promoveram o maior crescimento em altura das brotacoes, enquanto que o TDZ promoveu efeito inibitorio sobre essa caracteristica. A utilizacao de citocininas durante a fase de multiplicacao reduziu indistintamente a emissao de raizes nas plantas, sobretudo naquelas cultivadas na presenca de ZEA. Entretanto, BAP, KIN e ZEA proporcionaram o maior alongamento da maior raiz. KIN e BAP, alem de promoverem maior crescimento das brotacoes durante a fase de multiplicacao, induziram maior acumulo de massa seca e maior desenvolvimento da area foliar durante a fase de aclimatizacao de A. glabra, possibilitando as maiores taxas de sobrevivencia durante essa fase (dados nao mostrados), o que pode ser reflexo do maior desenvolvimento dos parenquimas clorofilianos das plantas cultivadas na presenca desses fitoreguladores.

[FIGURA 1 OMITIR]

[FIGURA 2 OMITIR]

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem a Fundacao de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), pelo apoio financeiro para realizacao desse trabalho.

Recebido para publicacao 28.09.07 Aprovado em 28.11.07

REFERENCIAS

ALONI, R. Foliar and axial aspects of vascular differentiation: Hypotheses and evidence. Journal Plant Growth Regulation, New York, v.20, n.1, p.22-34, 2001.

CUTTER, E.G. Anatomia vegetal. 2.ed. Sao Paulo: Roca, 1986. 304p.

ENCINA, C.L. et al. In vitro morphogenesis of juvenile Annona cherimola Mill. Bud explants. Journal of Horticultural Science, Ashford, v.69, n.6, p.1053-1059, 1994.

JOHANSEN, D.A. Plant microtechnique. New York: McGraw-Hill, 1940. 523p.

KRAUS, J.E.; ARDUIN, M. Manual basico d metodos em morfologia vegetal. Rio de Janeiro: EDUR, 1997. 198p.

LEMOS, E.E.P.; BLAKE, J. Micropropagation of juvenile and mature Annona muricata L. Journal of Horticultural Science, Ashford, v.71, n.3, p.395-403, 1996.

LLOYD, G.; MCCOWN, B. Commercially-feasible micropropagation of Mountain laurel, Kalmia latifolia, by use of shoot tip culture. International Plant Propagation Society Proceedings, Washington, v.30, p.421-427, 1980.

NAGORI, R.; PUROHIT, S.D. In vitro plantled regeneration in Annona squamosa L. through direct shoot bud differentiation on hypocotyl segments. Scientia Horticulturae, Amsterdam, v.99, n.1, p.89-98, 2004.

SANTANA, J.R.F. Controle da Morfogenese in vitro em algumas especies de Annonaceae. 2003. 237f. Tese (Doutorado em Fisiologia Vegetal)--Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG.

SCIUTTI, B.R.; MORINI, S. Water loss and photosynthesis of plum plantlets is influenced by relative humidity during rooting in vitro. Journal of Horticultural Science, Ashford, v.70, n.2, p.221-228, 1995.

Lenaldo Muniz de Oliveira (I)* Renato Paiva (II) Magdi Ahmed Ibrahim Aloufa (III) Evaristo Mauro de Castro (II) Jose Raniere Ferreira de SantanaI Rairys Cravo Nogueira (II)

(I) Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Departamento de Ciencias Biologicas, Feira de Santana, BA, Brasil. Endereco para correspondencia: Rua Oxossi Guerreiro, no 99, Bairro Sobradinho, 44020-270, Feira de Santana, BA, Brasil. E-mail: lenaldo@uefs.br. * Autor para correspondencia.

(II) Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras, MG, Brasil.

(III) Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, RN, Brasil.
COPYRIGHT 2008 Universidade Federal de Santa Maria
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2008 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:Muniz de Oliveira, Lenaldo; Paiva, Renato; Ibrahim Aloufa, Magdi Ahmed; de Castro, Evaristo Mauro; F
Publication:Ciencia Rural
Date:Aug 1, 2008
Words:1587
Previous Article:Enxertia da faveleira (Cnidoscolus phyllacanthus) sem espinhos.
Next Article:O fenomeno El Nino Oscilacao Sul e a variabilidade interanual da evaporacao do tanque Classe A e da umidade relativa do ar em Santa Maria, RS.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters