Printer Friendly

EFEITOS DA INGESTAO DE CARBOIDRATOS SOBRE A RESPOSTA GLICEMICA EM CORREDORES DE RUA NA DISTANCIA DE 5 KM.

RESUMO

Introducao: O objetivo do estudo foi analisar as respostas glicemicas de vinte individuos atraves da ingestao de carboidratos de alto indice glicemico antes de iniciar a corrida, em jejum, e o grupo controle. Materiais e metodos: Os tres primeiros grupos estavam de jejum de no minimo oito horas. Os dados foram coletados atraves do glicosimetro ACCU-CHEK[R] Performa onde se coletava a glicemia do grupo da barra de cereal e do powerade em seis momentos (antes de iniciar o teste, 15 minutos apos a ingestao, no 1.5km, no 3 km, no 5 km e 10 min apos o fim do teste) ja nos grupos controle e jejum as coletas eram feitas em cinco momentos (antes de iniciar o teste, no 1.5km, no 3km, no 5km e 10 min apos o fim do teste). Resultados e discussao: Nos grupos II e III a glicemia, apesar de sofrer um aumento significativo, apos a ingestao do carboidrato, retornou a valores proximos aos iniciais e assim se mantem ate o fim da sessao, nao apresentando nenhuma queda abrupta, o que caracterizaria o fenomeno da hipoglicemia de rebote, ja no grupo I a glicemia nao teve grandes variacoes por motivo dos estoques glicemicos que possuimos e no grupo IV a glicemia houve leve queda dos parametros iniciais Conclusao: Pode-se concluir com o estudo que em nenhum dos grupos apesar do longo periodo em jejum nenhum dos individuos analisados chegou ao estado de hipoglicemia.

Palavras-chave: Glicemia. Hipoglicemia. Carboidrato.

ABSTRACT

Effects of carbs intake on glycemic response in street runners in the distance of 5 Km

Introduction: The aim of the study was to analyze the glycemic responses from twenty subjects through the ingestion of high glycemic index carbohydrates, divided in groups as the following: before the run, fasting, and control. Materials and Method: the first three groups have not eaten for at least 8 hours before the exam. The data was collected by the glucose measurer ACCU-CHEK[R]Performa, through which individual glycemic values were measured from groups receiving cereal bars and isotonic in six moments (before the test, 15 minutes after ingestion, at 1.5km, 3km and 5km spots and 10 minutes after the test). For the control and fasting groups collections were made at five moments (before the test, at 1.5km, 3km and 5km spots and 10 minutes after the test). Results and Discussion: In groups II and III, in spite of a significant increase after the carbohydrate ingestion, the glycaemia returned to levels similar to those at the beginning maintaining until the end of the session and showing no sharp decrease, which would characterize the hypoglycemic rebound phenomenon. Group I did not show any relevant variation on glycemic levels due to the stock the human body naturally has. Group IV showed a slight decrease on initial parameters. Conclusion: It is possible to conclude, by these results, that inside all the groups, in spite of the long fasting period, none of the subjects studied reached the hypoglycemic state.

Key words: Glycaemia. Hypoglycemia. Carbohydrate.

INTRODUCAO

A corrida de rua hoje e uma modalidade com grande numero de adeptos, tanto pela facilidade em sua pratica, como pelos beneficios para a saude e o baixo custo.

Por essas e outras razoes, a corrida de rua tem se tornado popular. Atualmente, o criterio da Federacao Internacional das Associacoes de Atletismo/IAAF (2005) define as Corridas de Rua como as disputadas em circuitos de rua, avenidas e estradas com distancias oficiais variando entre 5 e 100km.

Fatores geneticos, ambientais (p.ex. temperatura, umidade), tempo, tipo de treinamento e diferentes estrategias de corrida podem influenciar o desempenho. Entretanto, a ingestao de liquidos e a manipulacao dietetica sao componentes essenciais na melhora do desempenho em qualquer modalidade esportiva.

A realizacao de exercicio na parte da manha ocorre normalmente apos um periodo de jejum de 8 a 10 horas (periodo correspondente ao sono), no qual ha grande reducao das reservas de glicogenio, principalmente hepatico.

Desse modo, o desjejum torna-se importante na prevencao de um possivel quadro de hipoglicemia durante o exercicio, assim como para fornecer energia na sua execucao (Mcardle e colaboadores, 2003).

Um adequado procedimento de "cafe da manha" deve levar em consideracao varios fatores, sendo eles: a) o tipo de carboidrato (simples ou complexo); b) a quantidade de calorias; c) a distribuicao dos nutrientes; d) o tempo de ingestao previo ao exercicio; e) o indice glicemico (Mcardle e colaboradores, 2003).

O exercicio fisico gera um aumento na demanda, a qual acarreta muitas mudancas fisiologicas, inclusive imunologicas (Costa Rosa, Vaisberg, 2002).

Neste sentido, a rotina alimentar deve suprir as necessidades energeticas de forma adequada. Para isso, recomenda-se uma dieta composta por macronutrientes como carboidratos, proteinas e lipidios, e de micronutrientes, como vitaminas, sais minerais, agua e fibras, como parte de uma nutricao essencial antes, durante e apos cada sessao de exercicio.

Este equilibrio na dieta contribui de forma positiva para o desempenho atletico, o condicionamento fisico, a recuperacao da fadiga apos o exercicio e a prevencao de lesoes (Aoi, Naito, Yoshikawa, 2006).

Partindo disto o trabalho busca orientar aos corredores de rua sobre a resposta glicemica, partindo do pressuposto que o carboidrato otimiza o desempenho nos trabalhos aerobios e que a alimentacao de carboidratos pre-treino pode ser considerada importante aliada ao desempenho dos corredores de rua, alem de aumentar o glicogenio muscular, mas para isso acontecer da melhor maneira e necessario analisar como o organismo absorve essa substancia, a partir do seu indice glicemico. E mostrar que a corrida em jejum a glicemia sofre do efeito rebote e nao chega a estado de hipoglicemia.

MATERIAIS E METODOS

Para a realizacao da pesquisa foram necessarios vinte individuos saudaveis do sexo masculino praticantes de corrida de rua ha no minimo seis meses com media de idade de 30,55 anos e entre 23 a 40 anos, todos foram convidados a participar do estudo mediante apresentacao do objetivo do estudo e regras estabelecidas para a realizacao do mesmo.

Como criterio de selecao foram escolhidos vinte corredores de rua da cidade de Goiania-Goias praticantes da modalidade ha no minimo seis meses. Todos os participantes foram informados sobre quais procedimentos seriam utilizados e todos concordaram em participar de maneira voluntaria e assinarem ao Termo de Consentimento Livre e Esclarecido.

Sempre na semana que cada individuo seria submetido ao teste era feito com o mesmo uma avaliacao fisica onde se buscava os seguintes dados: altura, peso, estatura, idade e ja eram informados de como seriam os procedimentos durante o teste.

Foram divididos os vinte voluntarios em quatro grupos contendo cinco pessoas em cada grupo, onde o grupo 1 fazia a corrida na esteira em jejum de pelo menos oito horas, o grupo 2 em jejum de no minimo oito horas tomava uma solucao isotonica quinze minutos antes de iniciar o teste, o grupo 3 em jejum de no minimo oito horas fazia o consumo de uma barra de cereal da marca Nestle sabor aveia com banana quinze minutos antes de iniciar o teste e o grupo 4 foi o grupo controle onde permaneciam em sua dieta normal.

As coletas de glicemia nos grupos do 2 e 3 eram feitas: antes de iniciar o teste, quinze minutos apos a ingestao do liquido ou da barra, no 1,5km, no 3,0km, no 5km e apos 10 minutos depois do termino da corrida. Os grupos 1 e 4 as coletas de glicemia eram feitas antes de iniciar a corrida, no 1,5km, no 3,0km, nos 5 km e 10 minutos apos o fim do teste. Os grupos foram divididos de acordo com a disponibilidade de cada aluno e a preferencia por cada grupo apresentado aos mesmos.

As coletas de glicemia foram feitas com o aparelho ACCU-CHEK[R] Performa, O material utilizado para a avaliacao fisica foi uma trena antropometrica com dois metros divididos em 1cm (Sanny Medical[R]) e balanca com maximo de 150 kg(Micheletti). A corrida foi feita na esteira da marca Life Fitnees em angulacao plana. A estatistica utilizada foi a descritiva.

RESULTADOS E DISCUSSAO

O grafico 1 ilustra a glicemia do grupo 1que foi o grupo que fez a corrida de 5 km na esteira em jejum ha no minimo oito horas, podemos ver que todos os cinco avaliados nao tiveram elevacao significativa da glicemia e muito menos uma queda da mesma onde acarretaria um estado de hipoglicemia.

A manutencao da glicemia durante os testes realizados em jejum pode ser justificada pelas reservas endogenas de carboidrato, principalmente hepatico, atraves da glicogenolise, e tambem da gliconeogenese em menor grau de contribuicao (Felicio, 2008).

Outro fator que pode ter colaborado para a manutencao da glicemia durante o exercicio realizado em jejum foi o bom nivel de aptidao fisica dos individuos participantes, tendo em vista que o treinamento proporciona a maior participacao das gorduras enquanto substrato energetico ao longo da atividade fisica (Polacow e Lancha Junior, 2007).

Alem desses fatores, o exercicio realizado em jejum promove maior oxidacao de lipideos em detrimento da oxidacao de carboidratos, o que pode atrasar a deplecao de glicogenio muscular e prevenir a hipoglicemia.

Em um estudo conduzido por Wu e colaboradores (2003) constatou-se a ocorrencia de maior taxa de oxidacao de lipideos tres horas antes do exercicio e durante os 60 min de atividade no teste realizado em jejum, comparado aos testes apos a ingestao das refeicoes de alto indice glicemico e baixo indice glicemico.

No trabalho feito por Hamzah e colaboradores (2009) no quais dietas altamente carboidratadas (alto indice glicemico ou baixo indice glicemico) consumidas durante cinco dias, apresentaram menor oxidacao de gordura durante subsequente exercicio de corrida realizado em jejum, quando comparados com uma dieta controle.

No grafico 2 ja visualizamos a glicemia do grupo dos voluntarios que estavam em jejum por no minimo oito horas e antes de iniciarem o teste tomaram uma solucao isotonica de alto indice glicemico e o grupo 3 ingeriu uma barra de cereal, onde se observa que apos quinze minutos da ingestao do carboidrato a glicemia tem alta significativa mais logo em seguida ja comeca a voltar ao normal.

De acordo com Felig e colaboradores (1982) a ingestao de carboidratos a cada 15 min durante o esforco fisico prolongado previne a hipoglicemia.

Esses mecanismos, em conjunto, podem produzir uma resposta compensatoria denominada "efeito rebote", apresentada por Costill e colaboradores (1977) e descrita em outros estudos que avaliaram a resposta insulinica (Wee e colaboradores, 2005; Wee e colaboradores, 1999; Stannard e colaboradores, 2000; Febraio e colaboradores, 2000; Wu e colaboradores, 2003).

Refeicoes ou solucoes isotonicas de alto indice glicemico como o powerade e barra de cereal, ingeridas imediatamente antes do exercicio acarretam elevacao rapida da glicemia, o que pode desencadear uma liberacao excessiva de insulina, resultando em hipoglicemia de rebote.

Altoe (2006) e Cocate e Marins (2007) investigaram os efeitos da ingestao de refeicoes ricas em carboidrato com moderado indice glicemico sobre a cinetica da glicemia.

Em ambos os estudos, apos a ingestao das refeicoes de alto indice glicemico, a glicemia no inicio do exercicio foi estatisticamente menor comparada a refeicao de moderado indice glicemico e o grafico 4 ilustra sobre a resposta glicemia do grupo 4 onde foram os individuos que nao ficaram de jejum, grupo controle, e fizeram o teste na esteira.

Observa-se no grupo controle que a glicemia de todos os participantes tem uma queda apos o inicio do teste, mas que depois que encerra o teste, a glicemia volta aos estados normais de quando foi iniciado o teste o que colabora com os achados de Altoe (2006) e Cocate e Marins (2007).

Pode se concluir com o estudo que a ingestao de carboidratos de alto indice glicemico como a solucao isotonica de Powerade e a barra de cereal apos um periodo de mais de oito horas de jejum ajuda para que a glicemia aumente apos alguns minutos de sua ingestao e perdure por alguns minutos apos o inicio do exercicio fisico, ajudando assim para que a glicemia nao tenha uma queda abrupta e colaborando para os individuos nao chegarem ao estado de hipoglicemia como muitas pessoas acreditam que exercicio em jejum possa chegar.

CONCLUSAO

Os dados do estudo da ingestao de carboidrato possibilitam a melhora do desempenho devido ao aumento da glicemia nos minutos iniciais da corrida de 5km.

REFERENCIAS

1-Altoe, J. L. Ingestao pre-exercicio de um "cafe da manha": efeito da glicemia sanguinea durante um exercicio de alta intensidade. Trabalho de Conclusao de Curso de Graduacao. Departamento de Educacao Fisica. Universidade Federal de Vicosa. Vicosa. 2006.

2-Aoi, W.; Naito, Y.; Yoshikawa, T. Exercise and funtional foods. Nutrition Journal. Londres. Vol. 5. Num. 15. p.1-18. 2006.

3-Cabral, C.A.C.; Rosado, G.P.; Silva, C.H.O.; Marins, J.C.B. Diagnostico do estado nutricional dos atletas da equipe olimpica permanente de levantamento de peso do comite olimpico brasileiro (COB). Rev Bras Med Esporte. Vol. 12. p.345-50. 2006.

4-Cocate, P. G.; Brasil, T. A.; Marins, J. C. B. Comparacao da resposta glicemica antes e durante um exercicio de baixa intensidade em esteira referente a tres procedimentos de "cafe da manha". In: Simposio internacional de Ciencias do Esporte. 28. Sao Paulo. Anais. Sao Caetano do Sul. Celafiscs. 2005. p.152. 2005.

5-Costa Rosa, L. F. P. B.; Vaisberg, M. W. Influencias do exercicio na resposta imune. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 8. Num. 4. p.167-172. 2002.

6-Costill, D. L.; e colaboradores. Effects of elevated plasma FFA and insulin on de muscle glycogen usage during exercise. Journal of Applied Physiology, Bethesda, Vol. 43. Num. 4. p.695-99. 1977.

7-Febbraio, M. A.; e colaboradores. Preexercise carbohydrate ingestion, glucose kinetics, and muscle glycogen use: effect of the glycemic index. Journal of Applied Physiology. Bethesda. Vol. 89. Num. 5. p.1845-51. 2000.

8-Felicio, C. H. V. Resposta cronica e aguda da glicemia a um protocolo de treinamento misto para melhora da saude de diabeticos tipo 2. Dissertacao Mestrado em Promocao de Saude. Universidade de Franca. Franca. 2008.

9-Felig, P.; e colaboradores. Hypoglycemia during prolonged exercise in normal men. New England Journal of Medicine. Vol. 306. Num. 15. p.895-900. 1982.

10-Hamzah, S.; e colaboradores. The effect of glycaemic index of high carbohydrate diets consumed over 5 days on exercise energy metabolism and running capacity in males. Journal of Sports Sciences. Vol. 27. Num.14. p.1545-54. 2009.

11-Mcardle, W.; Katch, F.; Katch, V. L. Energia, nutricao e desempenho humano. [5.sup.a] edicao. Guanabara Koogan. 2003.

12-Polacow, V.; Lancha Junior, A. H. Dietas hiperglicidicas: efeitos da substituicao isoenergetica de gordura por carboidratos sobre o metabolismo de lipidios, adiposidade corporal e sua associacao com atividade fisica e com o risco de doenca cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia. Vol. 51. Num.3. p.389-400. 2007.

13-Salgado, M.J.V.V.; Chacon-Mikahili, M.P.T. Corrida de rua: analise do crescimento do numero de provas e de praticantes. Conexoes. Vol. 4. p.100-9. 2006.

14-Stannard, S. R.; Constatini, N. W.; Miller, J. C. The effect of glycemic index on plasma glucose and lactate levels during incremental exercise. International Journal of Sport Nutrition & Exercise Metabolism. Vol.10. Num.1. p.51-61. 2000.

15-Wee, S. L.; e colaboradores. Influence of high and low glycemic index meals on endurance running capacity. Medicine and Science in Sports and Exercise. Vol. 31. Num. 3. p.393-399. 1999.

16-Wee, S. L.; e colaboradores. Ingestion of a high-glycemic index meal increases muscle glycogen storage at rest but augments its utilization during subsequent exercise. Journal of Applied Physiology. Vol. 99. Num. 2. p.707-14. 2005.

17-Wu, C.; e colaboradores. The influence of high-carbohydrate meals with different glycaemic indices on substrate utilization during subsequent exercise. The British Journal of Nutrition. Vol. 90. Num. 6. p.1049-56. 2003.

Endereco para correspondencia:

Rua 29-A numero 426, apartamento 201, Edificio Livia. Setor Aeroporto Goiania. Goias, Brasil.

(1)-Programa de Pos-Graduacao Lato Sensu da Universidade Estacio de Sa em Fisiologia do Exercicio: Prescricao do Exercicio, Brasil.

(2)-Grupo de Corrida Flex VelO2 Trainning, Goiania, Goias, Brasil.

Fernando Henrique Rosa Azevedo (1,2)

E-mail: fernandohra@hotmail.com
Tabela 1 - Caracterizacao da amostra.

Idade: Media 30,55    minimo 23 anos e maximo 40 anos.

      Peso:           Media 77,275kg, minimo 66kg e maximo 91kg.
      Altura:         Media 1,77cm, minimo 1,69cm e maximo 1,92cm.
COPYRIGHT 2015 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2015 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

 
Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Rosa Azevedo, Fernando Henrique
Publication:Revista Brasileira de Nutricao Esportiva
Date:Jan 1, 2015
Words:2987
Previous Article:CONSUMO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS POR PRATICANTES DE MUSCULACAO EM ACADEMIAS DO MUNICIPIO DE TENENTE PORTELA-RS.
Next Article:AVALIACAO DA ADEQUACAO DO CONSUMO DE CARBOIDRATO EM ATLETAS DE NATACAO.

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2018 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters