Printer Friendly

EDITORIAL/PALAVRAS DOS EDITORES.

Mais uma vez disponibilizamos a nossos leitores um volume da Alea com tema livre. A experiencia de alternar volumes tematicos e com tema livre vem se sistematizando em nossa revista com excelentes resultados, na medida em que abrimos espaco para todo tipo de producao de qualidade, tanto aquela que transita por tematicas de grande circulacao no ambito contemporaneo, com maior potencial para se submeter a chamadas de perfil tematico, quanto producoes mais especificas, que precisam da chamada de tema livre para sua efetiva divulgacao. Em 2018, optamos pela publicacao de dois numeros focados em temas especificos: o primeiro, interessado na literatura neopolicial (1), e o segundo referido ao tema dos imaginarios comunitarios na contemporaneidade latino-americana (2). O volume que apresentamos agora encerra o ano acolhendo trabalhos muito diversos quanto ao tema, a metodologia e ao perfil de seus autores.

Abre o volume um conjunto de textos focados no estudo da literatura francesa. O primeiro explora as mudancas ocorridas na literatura francesa no seculo XIX a partir da criacao do folhetim como espaco textual dedicado a critica e situado no rodape dos jornais ate a criacao de um novo genero literario: o romance-folhetim. O texto examina as novas relacoes que o genero estabelece entre o publico leitor e o mercado editorial, assim como a relacao conflituosa que manteve com a critica de seu tempo. Para isso, sao estudados dois textos da epoca que polemizam com esse novo tipo de producao literaria, focados especificamente na critica a Alexandre Dumas e a Honore de Balzac. Na sequencia, incluimos um artigo que, partindo de uma releitura de O Imperio dos signos, reflete em torno a uma poetica do vazio na obra de Roland Barthes; um texto voltado para o estudo do motivo da morte e seu desenvolvimento em L'instant de ma mort, de Maurice Blanchot; outro que indaga sobre as potencialidades da filosofia da imaginacao poetica de Gaston Bachelard para os estudos literarios na contemporaneidade; e um artigo que analisa a visao de modernidade encenada no projeto poetico de Francis Ponge. Fechando esse primeiro percurso, incluimos um estudo comparado da poesia de Paul Eluard e Cesar Vallejo, especialmente focado na fase em que ambos os escritores enveredam sua obra pelos caminhos do compromisso politico, circulando com sistematicidade pelo tema da fraternidade universal. Para argumentar suas propostas, o autor estuda Espana, aparta de mi este caliz, do poeta peruano, e Au rendez-vous Allemand, do grande mestre frances.

Um segundo movimento no percurso de leitura que elaboramos na configuracao do numero reune textos sobre literatura e cultura brasileira. O primeiro deles, a partir das nocoes de campo expandido, pos-autonomia e inespecificidade, oferece um estudo da exposicao Corpo-poema, do Ariel Coletivo Literario, de Campina Grande-PB. Trata-se de 18 realizacoes fotograficas focadas no corpo feminino, que incorporam fragmentos de textos literarios, originalmente oriundos do repertorio do sarau Dama da noite. Nesse processo, em que corpo e palavra sao refuncionalizados, o autor do artigo desenvolve uma ideia singular de literatura que necessariamente se impoe no panorama da literatura brasileira contemporanea. O segundo texto se aproxima da obra do poeta Max Martins, caracterizando sua estetica minimalista a partir da aproximacao comparativa com a obra do grupo Sankai Juku e seu trabalho no ambito do Butoh. O autor destaca a significacao do espaco em branco e o preenchimento a tinta preta na materialidade da poesia de Max Martins, a partir de um aprofundamento na proposta estetica do Butoh, com a qual estabelece vinculos profundos. Continuando esse segundo movimento de leitura, incluimos um texto que estuda a poesia modernista em Pernambuco, e especialmente a producao poetica cuja publicacao e divulgacao se deu fora do livro, mostrando como a heterogeneidade dos ambientes em que o modernismo brasileiro se desenvolveu densifica, em termos de historia da literatura, a nocao de modernismo e de processo literario nacional. Na sequencia, apresentamos um texto que examina os jogos de genero e a imaginacao literaria em Rachel de Queiroz. Utilizando fontes produzidas no comeco da carreira da escritora, o artigo propoe aproximacoes entre historia da vida literaria e historia das mulheres a partir da analise dos embates no espaco literario brasileiro na primeira metade do seculo XX. Em seguida, aparece um artigo cujo centro de reflexao sao as tendencias distopicas no contexto contemporaneo da literatura nacional, suas especificidades, e como essas narrativas desenham sociedades atrozes e articulam ao elemento fantastico a dimensao critica. Encerrando esse nucleo de artigos centrados no estudo da literatura brasileira, incluimos um ultimo trabalho sobre a obra de Aluisio Azevedo e a representacao do imigrante portugues no processo de composicao de seus personagens, a fim de questionar o pretenso antilusitanismo de que tantas vezes foi acusado o autor de O Cortico.

Um terceiro movimento de leitura reune dois estudos focados na literatura portuguesa: o primeiro propoe uma leitura em chave retorica da obra de Fernando Pessoa, ao identificar a heteronimia com uma figura de linguagem, a etopeia, e caracterizar o pathos apreendido no discurso de Alberto Caeiro; o segundo esta focado na representacao dos refugiados em Macau nos romances do escritor portugues Rodrigo Leal de Carvalho: Requiem para Irina Ostrakoff e A Mae.

Uma quarta diretriz de leitura gira em torno do universo caribenho. Incluimos, nessa linha, um texto que analisa o tema do trafico negreiro e da escravidao no ciclo romanesco dos escritores martiniquenses Simone e Andre Schwarz-Bart.

Fechando o percurso de leitura proposto, incluimos na reta final do volume um artigo de perfil teorico que atualiza o debate sobre o tragico e o comico na literatura, vinculando-o a sistematizacao teorica do romance de formacao, e dois textos que transitam pelos estudos da traducao. O primeiro deles esta referido as traducoes do ingles para o espanhol de dois poemas de Chris McCully, incluidos na coletanea Selected Poems (2011). A partir dessa experiencia concreta, o autor do artigo discute o tema controverso da traducao poetica, recolocando algumas questoes teoricas vinculadas a conhecida dicotomia originalidade/equivalencia, para concluir apostando no sentido criativo de todo ato de traducao poetica. O segundo estuda quatro traducoes para o espanhol do poeta romeno Mihai Eminescu, voltando sua discussao teorica para o tema das eleicoes do tradutor no momento de definir seu projeto, geralmente pautado pelos binomios aceitabilidade-adequacao, traducao filologica-traducao poetica, entre outros.

Encerrando o numero, apresentamos uma resenha assinada por Andrea Guerini (Universidade Federal de Santa Catarina), que comenta a edicao italiana do livro de Antonio Tabucchi: L'automobile, la nostalgia e l'infinito. Su Fernando Pessoa. Uma segunda resenha vem assinada por Ana Maria Lisboa de Mello (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e apresenta a edicao brasileira do livro de Zila Bernd, A persistencia da memoria. Romances de anterioridade e seus modos de transmissao intergeracional.

Como ja e tradicional em nossa revista, publicamos trabalhos de autores que atuam nos mais variados espacos academicos do mundo: Universite de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines (Franca), Universidad de Lima (Peru), Universidade de Macau (China), Universidad Nacional de Mar del Plata (Argentina), University of Essex (Inglaterra) e Universidad de Alicante (Espanha). Com o mesmo interesse de ampliar os dialogos cientificos, publicamos trabalhos produzidos em diferentes universidades e regioes do pais: Universidade Federal do Para, Universidade Estadual da Paraiba, Universidade Federal de Sergipe, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Universidade de Campinas, Universidade Federal de Sao Paulo, Universidade de Sorocaba, Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Universidade Federal de Santa Catarina. A intencao e dar conta da abrangencia de temas, problemas, debates e metodologias de trabalho que animam hoje os estudos literarios nas mais diversas areas geograficas do mundo, pensar nossa comunidade cientifica como um espaco de livre e permanente circulacao de saberes, de dialogo e movimento transformador.

Nada ha de humano que nao exija a comunidade daqueles que o querem. Aquilo que vai longe exige esforcos conjugados, que ao menos deem continuidade um ao outro, sem se deter no possivel de um so. "Se tiver cortado os lacos a sua volta, a solidao de um homem e um erro". (BATAILLE, 2017, p.44) Essa e a licao de Georges Bataille que anima este e cada um dos numeros da Alea que preparamos.

Referencias bibliograficas

GALLARDO-SABORIDO, Emilio; GOMEZ-DE-TEJADA, Jesus. Percursos atuais da literatura neopolicial. Alea, v. 20, n. 1, Rio de Janeiro, jan./abr., 2018.

VIDAL, Paloma; CAMARA, Mario. Como viver junto. Alea, v. 20, n. 2, Rio de Janeiro, maio/ago., 2018.

BATAILLE, Georges. Sobre Nietzsche. [1945] Trad. Fernando Scheibe. Belo Horizonte: Autentica Editora, 2017.

Elena Palmero Gonzalez e graduada em Filologia Hispanica (1983) e doutorada em Ciencias Filologicas pela Universidad Central de Las Villas (1997). Possui estudos de pos-doutorado em Literatura Latino-americana na Universite Paris IV-Sor-bonne (2005-2007), na Universidade de Sao Paulo (2016) e um Estagio Senior em Yale University (2017). Atualmente, e Professora Titular de Literaturas Hispano-a-mericanas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. E Editora chefe da revista Alea: Estudos Neolatinos. Membro do GT/ANPOLL Relacoes Literarias Interamericanas e lider do grupo de pesquisa Estudos Literarios Interamericanos e Transatlanticos (UFRJ). Atua nas linhas de pesquisa da Literatura comparada e da Historia da literatura, com enfase na literatura cubana, latino-americana e nas relacoes literarias interamericanas. E-mail: elenap@vetorial.net

Ana Maria Lisboa de Mello e graduada em Letras-Licenciatura em Portugues e Frances e respectivas literaturas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e Mestrado e Doutorado em Letras pela Pontificia Universidade Catolica do Rio Grande do Sul (PUCRS), na Area de Teoria da Literatura. Fez estagios de pos-doutoramento no Centre de Recherches sur l Imaginaire, na Universite Stendhal, Grenoble III (1995-96), com bolsa do CNPq, na Sorbonne Nouvelle - Paris III (2004) e na University of Toronto (2013-2014), com bolsa CAPES. E membro associada ao Centro de Literaturas e Culturas Lusofonas e Europeias (CLEPUL) da Universidade de Lisboa, e ao Centre de Recherches sur les Pays Lusophones (CREPAL) da Universite de la Sorbonne Nouvelle. Tem experiencia na area de Letras, subareas de Literatura Brasileira e Teoria da Literatura, com enfase em poesia, narrativa, teorias e criticas do imaginario. Vinculou-se em 2017 ao Programa de Pos-Graduacao em Letras Neolatinas (PPGLEN), da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq e editora da revista Alea: Estudos Neolatinos. E-mail: ana.lisboa11@gmail.com

Edson Rosa da Silva e graduado e licenciado em de Letras (Portugues-Frances) (1971) e mestrado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1977) e doutorado em Letras Modernas (Literatura Francesa) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984). Atualmente e professor Titular de Lingua e Literatura Francesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e editor da revista Alea: Estudos Neolatinos. Tem experiencia na area de Letras, com enfase em Literaturas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas: Andre Malraux, Walter Benjamin, escritura, museu imaginario e literatura magrebina. E-mail: edsonros@gmail.com

Marcelo Jacques de Moraes e graduado em Psicologia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1986), mestrado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992) e doutorado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996). E professor de literatura francesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 1994 e pesquisador o CNPq desde 2002 (atualmente 1-D). Realizou estagios de pos-doutorado na Universidade de Paris 8, com bolsa da CAPES (2003), na Universidade de Paris 7, no ambito do acordo CAPES-Cofecub (2010), e na UNICAMP (2014-2015). E editor da revista Alea: Estudos Neolatinos e atua regularmente como professor convidado da Universidade Aix-Marselha desde 2008. E professor titular de literatura francesa na Universidade Federal do Rio de Janeiro e, atualmente, recebe a bolsa Cientista do Nosso Estado (FAPERJ). E-mail: mjdemoraes@gmail.com

Elena Palmero Gonzalez

Universidade Federal do Rio de Janeiro io de Janeiro, RJ--Brasil

ORCID 0000-0003-2396-2 539

Ana Maria Lisboa de Mello

Universidade Federal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, RJ--Brasil

ORCID 0000-0002-0651-1974

Edson Rosa da Silva

Universidade Federal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, RJ--Brasil

ORCID 0000-0003-2587-3804

Marcelo Jacques de Moraes

Universidade Federal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, RJ--Brasil

ORCID 0000-0001-8695-3280

https://dx.doi.org/10.1590/1517-106X/203914

(1) Percursos atuais da literatura neopolicial. Editores Convidados: GALLARDO-SABORI-DO, Emilio J.; GOMEZ-DE-TEJADA, Jesus. Ver Editorial disponivel em: <http://ref.scielo.org/zwbc6k>.

(2) Como viver junto. Editores Convidados: VIDAL, Paloma; CAMARA, Mario. Ver Editorial disponivel em: <http://ref.scielo.org/zwbc6k>.
COPYRIGHT 2018 Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Letras (UFRJ)
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2018 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:Gonzalez, Elena Palmero; de Mello, Ana Maria Lisboa; da Silva, Edson Rosa; de Moraes, Marcelo Jacque
Publication:Alea: Estudos Neolatinos
Date:Sep 1, 2018
Words:2252
Previous Article:O MECAS, DE RENTES DE CARVALHO: ROMANCE POLIFONICO SOBRE PORTUGAL (1,2)/O MECAS, BY RENTES DE CARVALHO: POLYPHONIC NOVEL ABOUT PORTUGAL.
Next Article:As ORIGENS DO ROMANCE-FOLHETIM: DO ESPACO TEXTUAL AO RECORTE DE UMA OBRA DE FICCAO/THE ORIGINS OF THE SERIAL: FROM TEXTUAL SPACE TO THE TRIMMING OF A...

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2022 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters |