Printer Friendly

Dimension of population and evaluation of canine home antirabies immunization coverage in the municipalities of V management regional health, State of Pernambuco/ Dimensionamento da populacao canina domiciliada e avaliacao da cobertura vacinal anti-rabica nos municipios da V gerencia regional de saude, Estado de Pernambuco....

DIMENSION DE LA POBLACION CANINA DOMICILIADA Y EVALUACION DE LA COBERTURA DE LA VACUNA CONTRA LA RABIA EN LOS MUNICIPIOS DE LA V GERENCIA REGIONAL DE SALUD, ESTADO DE PERNAMBUCO.

INTRODUCAO

Em grande parte do mundo e, inclusive, em municipios brasileiros, as populacoes de caes errantes ou semi-domiciliados representam um problema de saude publica e bem-estar animal. Quanto a saude publica, enfrenta-se o risco de transmissao de zoonoses, que sao definidas como enfermidades naturalmente transmissiveis entre os animais e o homem (1). Ha tambem o risco de agressao por mordidas, principalmente, em criancas (2). Ressalta-se ainda que o bem-estar animal e preocupante, pois a cada ano, mais animais sao abandonados por seus proprietarios, sendo vitimas de atropelamento, contraindo varias doencas ou recebendo maus tratos (3).

Cabe ao servico publico de saude intervir nessas situacoes, com o objetivo primario de preservar a saude da populacao. E uma tarefa ardua conciliar saude publica e bem-estar animal, mantendo estas duas acoes em equilibrio e harmonia (4).

O exodo rural e o aumento exagerado das populacoes humanas tem gerado um crescimento descontrolado das areas urbanas, modificando-as a tal ponto de criar condicoes ecologicas favoraveis para a sobrevivencia de especies animais domesticas e sinantropicas. O cao, neste contexto, e considerado como o animal que coexiste mais estreitamente com o homem. Esta coexistencia gera condicoes para o desenvolvimento de zoonoses, acidentes por mordeduras a pessoas e contaminacao do meio ambiente, surgindo entao, indubitavelmente, requerimentos sanitarios com uma tendencia pela limitacao da populacao canina urbana (5).

A importancia do controle das populacoes caninas, o reconhecimento e a eutanasia desses animais estao pautados no fato de que o cao pode ser um grande veiculador de doencas para o homem (6), como a leishmaniose, sarna sarcoptica, e verminoses, como toxocariase (7,8). Dentre as varias zoonoses que o cao pode transmitir, a raiva e a que mais merece atencao, em virtude de ser a mais letal (6).

As campanhas de vacinacao anti-rabica em pequenos animais sao tradicionalmente planejadas e avaliadas considerando-se estimativas de populacao canina, calculadas com base em recomendacoes feitas pela Organizacao Mundial da Saude - OMS e pelo Instituto Pasteur de Sao Paulo (9, 10), de acordo com essas instituicoes as razoes entre a populacao humana e canina (domiciliada) variam de 10:1 a 6:1 e para o controle adequado da raiva em areas urbanas, recomendam uma cobertura vacinal minima de 80,0% da populacao canina total.

No entanto, o calculo da cobertura vacinal baseado nessas estimativas resulta, frequentemente, em coberturas vacinais superiores a 100,0%. A inadequacao desses valores indica a necessidade de se produzir estimativas populacionais mais precisas de modo a nao comprometer a avaliacao dos programas de controle da raiva em areas urbanas (9, 10).

No Brasil, as informacoes relacionadas as pesquisas de dimensionamento da razao entre habitante/cao sao escassas, embora alguns estudos tenham sido realizados, destacando-se principalmente, no Estado de Sao Paulo (11-17), onde a variacao habitante/cao foi de 3,6:1 a 7,3:1, e no Estado do Parana (18-20), de 2,3:1 a 13,0:1. Em outros estudos realizados no pais, destacam-se na Regiao Nordeste, no Estado de Pernambuco, o relatado por Lima Junior (21) (1999) que realizou na cidade do Recife um estudo sobre dinamica populacional canina, observando a razao media de 9,1 habitantes para um cao.

Diante do exposto, enfatizando a importancia do conhecimento da populacao de caes e que havia uma cobertura vacinal acima de 100,0% na area do estudo, bem como a ausencia de pesquisas na literatura regional sobre o tema abordado, objetivou-se com este estudo dimensionar a populacao canina em 19 dos 21 municipios da V Gerencia Regional de Saude, Secretaria de Saude, Estado de Pernambuco, para propor medidas de intervencao, promovendo o bem-estar animal e saude publica, principalmente no controle de zoonoses, como exemplo, por meio do Programa de Controle da Raiva.

MATERIAL E METODOS

Para este estudo utilizou-se uma analise descritiva transversal em 19 municipios, com uma populacao total de 477.511 habitantes, dos 21 existentes na V Gerencia Regional de Saude, orgao da Secretaria de Estado de Saude, localizada na Regiao de Desenvolvimento do Agreste Meridional, Mesorregiao do Agreste Pernambucano, Estado de Pernambuco.

O levantamento populacional de caes domiciliados foi realizado pelos Departamentos de Vigilancia em Saude e Atencao Basica, das respectivas Secretarias Municipais de Saude, por meio de planilha elaborada pela Secretaria de Estado de Saude de Pernambuco, e aplicada pelos agentes ambientais e agentes comunitarios de saude durante as visitas domiciliares casa a casa, nas zonas urbana e rural, no periodo de janeiro a julho de 2008, onde registrava-se o numero total de caes.

Os dados coletados foram repassados diariamente aos supervisores, sendo computados e registrados na planilha geral pela coordenacao do levantamento populacional. Apos a coleta dos dados, o boletim consolidado foi enviado a V Gerencia Regional de Saude.

O numero total de caes vacinados nas campanhas de 2007 e 2008 dos municipios dessa pesquisa foi informado pelas respectivas Secretarias Municipais de Saude a V Gerencia Regional de Saude.

Para a realizacao da analise dos dados foram utilizadas tecnicas de estatistica descritiva por meio de distribuicoes absolutas e percentuais (22).

RESULTADOS E DISCUSSAO

Observa-se na Tabela 1 a relacao e a proporcao das populacoes humana e canina de 19 municipios pernambucanos, as quais correspondem a preconizada pela OMS (10:1) para paises em desenvolvimento, a qual ate o ano de 2007 era usada como unica referencia para a realizacao da campanha de vacinacao anti-rabica canina nos municipios pesquisados.

A ausencia de estudos regionais sobre dimensionamento da populacao canina domiciliada tem contribuido para dificultar a avaliacao de riscos de zoonoses, sobretudo a raiva, devido a baixa cobertura vacinal, bem como as acoes das politicas de saude publica. A relacao habitante/cao e usada para medir os parametros do Programa de Controle da Raiva, e e por esta relacao que se determina o numero de animais a serem vacinados.

Na Tabela 1 tambem estao descritos os dados referentes ao levantamento populacional de caes domiciliados realizado em 2008, observando-se que no municipio de Garanhuns foi encontrada a maior razao, 12,8 habitantes para cada cao (12, 8:1), enquanto em Terezinha foi a menor, 4,5 habitantes para cada cao (4, 5:1). A razao media habitante/cao encontrada nesse estudo foi de 7,7 (7, 7:1), um numero maior do que o usado para fins de planejamento e avaliacao de campanha de vacinacao anti-rabica canina (10:1), mas que representa a populacao efetiva canina.

A maior razao estimada encontrada, como comentada, foi a de Garanhuns (12, 8:1). Nao obstante esse municipio ter uma renda per capita maior do que a dos outros 18 municipios, um Centro de Vigilancia Ambiental e aproximadamente 90, 0% da sua populacao residir em area urbana, tal razao nao e justificavel, pois estudos realizados somente na capital, a exemplo do relatado por Lima Junior (21) (1999), em Recife-PE, foi encontrada a razao de 9,1 habitantes para cada cao (9, 1:1). Os resultados encontrados (7, 7:1) foram semelhantes aos de Paranhos (13) (2002) e de Magnabosco (16) (2006), ambos realizados em Sao Paulo - SP, que encontraram 7:1 e 7, 3:1, respectivamente.

Na Tabela 2 observam-se coberturas vacinais acima das estimativas das populacoes caninas na maioria dos municipios da V Gerencia Regional de Saude, onde dos 19 municipios, 17 deles apresentaram coberturas acima de 100, 0%, elevando a cobertura oficial da regional relativa a populacao canina para 118, 2% no ano de 2007.

A verificacao constante de um numero de caes vacinados superior ao utilizado para a distribuicao de vacinas e calculo de cobertura vacinal, na maioria das vezes superior a 100, 0%, chegando a 245, 4% em Angelim, em 2007, da populacao canina estimada, gerou um valor subestimado para a populacao canina. A partir dessa constatacao, houve necessidade de identificar efetivamente essa populacao e para isso realizou-se o levantamento populacional em 2008, no qual se obteve o dimensionamento da populacao canina. No entanto, ainda houve, em quatro municipios (Garanhuns, Iati, Lagoa do Ouro e Palmeirina), uma cobertura maior do que 100, 0%, o que leva a crer que devido ser o primeiro censo canino no Agreste Meridional do Estado de Pernambuco, e os profissionais envolvidos na execucao do mesmo nao terem sido treinados especificamente para isso, pode caracterizar vies nos resultados encontrados.

A variacao das proporcoes habitante/cao encontrada nos 19 municipios no ano de 2008 provavelmente se justifica devido as diferencas demograficas, socio-economicas, e de localizacao da populacao (zona urbana ou rural). Da mesma maneira foram encontradas variacoes distintas em diferentes cidades dos Estados de Sao Paulo e Parana (11-13, 15, 18, 19).

A razao encontrada em cada municipio da V Gerencia Regional de Sa ude apos a realizacao do levantamento populacional de caes domiciliados em 2008 e de extrema importancia porque evidencia de forma real a populacao canina, contribuindo assim para a diminuicao da quantidade de caes suscetiveis a raiva. Tal razao ao ser incorporada na avaliacao da campanha de vacinacao anti-rabica demonstra padroes mais reais de cobertura vacinal, bem como, readequou os valores dos recursos financeiros utilizados para a realizacao das campanhas de vacinacao anti-rabica canina. A obtencao de uma cobertura vacinal superior a 100,0% no ano de 2007 indicou a necessidade de se produzir a estimativa populacional canina em 2008, tornando-se esta mais efetiva e precisa para o controle adequado da raiva, uma vez que a cobertura vacinal minima de 80,0% da populacao canina total (preconizada pela OMS) nao estaria sendo atendida em 2007, devido a subestimacao da populacao canina domiciliada. Assim para conhecimento da populacao canina, bem como uma melhor avaliacao dos programas de controle da raiva, a Secretaria de Saude do Estado de Pernambuco, orgao responsavel pelo Programa de Controle da Raiva, modificou o planejamento dessas acoes e em seguida implantou o levantamento populacional canino e felino em 2008 nas 11 Gerencias Regionais de Saude. Na V Gerencia Regional de Saude, o mesmo foi realizado em 19 municipios, conseguindo-se uma cobertura vacinal minima de 83,4%, nesses municipios.

CONCLUSOES

A razao media estimada habitante/cao (7, 7:1) encontrada nos municipios dessa pesquisa mostra que a adocao de uma unica razao como a proposta pela OMS (10:1), e utilizada pela Secretaria de Estado de Saude de Pernambuco ate o ano de 2007 para realizacao da vacinacao anti-rabica canina, atribuiu um grande erro as estimativas de populacao canina baseadas na populacao humana.

O levantamento populacional e mais indicado do que a estimativa populacional canina domiciliada baseada em indicadores populacionais humanos, uma vez que os dados produzidos nortearao acoes adequadas para planejamento e avaliacao da campanha de vacinacao anti-rabica canina, conhecimento da populacao canina efetiva e estabelecimento de metas para o controle de zoonoses para protecao da saude humana e animal.

REFERENCIAS

(1.) World Health Organization. Manual para el control de las enfermedades transmissibles. 12a ed. Genebra: OPAS-OMS; 1997. Publicacao cientifica no 564.

(2.) Besada A, Fernando H, Jorge F. Los ninos y los perros: como reducir los riesgos y maximizar los beneficios. Buenos Aires; 2003 [cited 2003 Fev 10]. Available from: <http://www.paideianet.com.ar/mascotas.htm>.

(3.) Arca Brasil. Controle da natalidade animal. Sao Paulo; 2003 [cited 2003 Mar 6]. Available from: <http://www.arcabrasil.org.br/estatistica.htm>.

(4.) Soto FRM. Dinamica populacional canina no municipio de Ibiuna-SP: estudo retrospectivo de 1998 a 2002 referente a animais recolhidos, eutanasiados e adotados [dissertacao]. Sao Paulo: Faculdade de Medicina Veterinaria e Zootecnia, Universidade de Sao Paulo; 2003.

(5.) Larrieu E, Alvarez T, Cavagion L. Aporte al estudio de la dinamica de las poblaciones caninas. Vet Argent. 1990;7:242-7.

(6.) Instituto Pasteur. Informativo on-line. Sao Paulo; 2003 [cited 2003 Abr 20]. Available from: <http://www.saude.pasteur.gov.sp.br>.

(7.) Wachira TM. Intestinal helminths of public importance in dogs in Nairobi. East Afr Med J. 1993;70:617-9.

(8.) Santos MB. Toxocariase: avaliacao do processo ensino-aprendizagem de recursos pedagogicos aplicados a criancas do ensino medio fundamental [dissertacao]. Sao Paulo: Faculdade de Medicina Veterinaria e Zootecnia, Universidade de Sao Paulo; 2003.

(9.) World Health Organization. World Society for the Protection of Animals. Guidelines for dog population management. Geneva: WHO; 1990.

(10.) Reichmann MLB, Pinto HBF, Nunes VFP. Vacinacao contra a raiva de caes e gatos. Sao Paulo: Instituto Pasteur; 1999.

(11.) Nunes CM, Martines DA, Fikaris S, Queiroz LH. Avaliacao da populacao canina da zona urbana do municipio de Aracatuba, Sao Paulo, SP, Brasil. Rev Saude Publica. 1997;31:308-9.

(12.) Dias RA. Emprego de Sistemas de Informacao Geografica (SIG) no controle da raiva canina [dissertacao]. Sao Paulo: Faculdade de Medicina Veterinaria e Zootecnia, Universidade de Sao Paulo; 2001.

(13.) Paranhos NT. Estudo das populacoes canina e felina em domicilio, municipio de Sao Paulo [dissertacao]. Sao Paulo: Faculdade de Saude Publica, Universidade de Sao Paulo; 2002.

(14.) Dias RA, Garcia RC, Silva DF, Amaku M, Ferreira Neto JS, Ferreira F. Estimativa de populacoes canina e felina domiciliadas em zona urbana do Estado de Sao Paulo. Rev Saude Publica. 2004;38:565-79.

(15.) Alves MCGP, Matos MR, Reichmann ML, Dominguez MH. Dimensionamento da populacao de caes e gatos no interior do Estado de Sao Paulo. Rev Saude Publica. 2005; 39:891-7.

(16.) Magnabosco C. Populacao domiciliada de caes e gatos em Sao Paulo: perfil obtido atraves de um inquerito domiciliar multicentrico [dissertacao]. Sao Paulo: Faculdade de Saude Publica, Universidade de Sao Paulo; 2006.

(17.) Andrade AM, Queiroz LH, Perri SHV, Nunes CM. Estudo descritivo da estrutura populacional canina da area urbana de Aracatuba, Sao Paulo, Brasil, no periodo de 1994 a 2004. Cad Saude Publica. 2008;24:927-32.

(18.) Molento CFM, Lago E, Bond GB. controle populacional de caes e gatos em dez vilas rurais do Parana: resultados em medio prazo. Arch Vet Sci. 2007;12:43-50.

(19.) Branco ID, Javorouski EB, Ribeiro KG, Pimentel JS, Losso MM, Barros ACR, et al. Estimativa da populacao de caes e gatos domiciliados em area de protecao ambiental de Piraquara, regiao metropolitana de Curitiba. Curitiba; 2008 [cited 2008 Dez 26]. Available from: <http//: <www.sovergs.com.br/conbravet/anais/cd/resumos/r107-3.pdf>.

(20.) Serafini CAV, Rosa GA, Guimaraes AMS, Morais HA, Biondo AW. Survey of owned feline and canine populations in apartments from a neighbourhood in Curitiba, Brazil. Zoonoses Public Health. 2008;55:402-5.

(21.) Lima Junior AD. Dinamica populacional canina e a persistencia da raiva na cidade de Recife (PE), Nordeste do Brasil, 1987-1997 [tese]. Sao Paulo: Faculdade de Saude Publica, Universidade de Sao Paulo; 1999.

(22.) Sampaio IBM. Estatistica aplicada a experimentacao animal. 3a ed. Belo Horizonte: FEP MVZ; 2007.

Recebido em: 11/02/11

Aceito em: 02/08/11

Maria Dulcineide Guilherme da Rocha [1]

Leonildo Bento Galiza da Silva [2]

Daniel Friguglietti Brandespim [3]

Taciana Galba da Silva Tenorio [4]

Elane Rafaella Cordeiro Nunes [5]

[1] Medica Veterinaria, V Gerencia Regional de Saude, Secretaria de Estado de Saude de Pernambuco, PE. Rua Pedro Rocha, s/n, Heliopolis, CEP 55290-000, Garanhuns, PE. Tel: (87) 9993-2998 E-mail: dulcineidegui@yahoo.com.br (Endereco para correspondencia);

[2] Professor Adjunto, Departamento de Medicina Veterinaria, Universidade Federal Rural de Pernambuco. Rua Dom Manuel de Medeiros, s/n, CEP: 52171-900, Recife, PE;

[3] Professor Adjunto, Unidade Academica de Garanhuns, Universidade Federal Rural de Pernambuco. Av. Bom Pastor, s/n, Boa Vista, CEP: 55296-901, Garanhuns, PE;

[4] Professor Adjunto, Centro de Ciencias Agrarias e Ambientais, Universidade Federal do Maranhao. BR 222, Km 04, s/no., Boa Vista, CEP 65500-000, Chapadinha, MA;

[5] Medica Veterinaria Autonoma.
Tabela 1. Relacao das populacoes humana, canina estimada e
razao habitante/cao, referente aos anos de 2007 e 2008, em
19 municipios da V Gerencia Regional de Saude, Estado de
Pernambuco.

                              2007

                 Populacao     Populacao
                  Humana *       Canina
                              Estimada **

Aguas Belas        35.183        3.518
Angelim            9.379          937
Bom Conselho       42.859        4.285
Brejao             9.093          909
Caetes             27.124        2.712
Canhotinho         25.210        2.521
Capoeiras          19.547        1.954
Correntes          17.745        1.774
Garanhuns         130.008        13.000
Iati               16.931        1.693
Jucati             11.073        1.107
Jupi               12.789        1.278
Lagoa do Ouro      10.637        1.063
Lajedo             34.330        3.433
Palmeirina         10.578        1.057
Paranatama         9.440          944
Saloa              15.147        1.514
Sao Joao           20.450        2.045
Terezinha          5.882          588
TOTAL             463.405        46.332

                                 2008

                  Populacao    Populacao        Razao
                 Humana ***      Canina     Habitante/Cao
                                Estimada

Aguas Belas         39421         6286           6,3
Angelim             10272        1.372           7,5
Bom Conselho        44991        5.679           7,9
Brejao              9707         1.448           6,7
Caetes              26197        3.284           8,0
Canhotinho          24874        3.256           7,6
Capoeiras           19916        4.212           4,7
Correntes           16733        2.841           5,9
Garanhuns          130154        10.184          12,8
Iati                18304        3.070           6,0
Jucati              10965        1.498           7,3
Jupi                14274        1.644           8,7
Lagoa do Ouro       12136        2.008           6,0
Lajedo              34595        5.063           6,8
Palmeirina          8586         1.169           7,3
Paranatama          12256        2.245           5,5
Saloa               15509        1.740           8,9
Sao Joao            21886        3.333           6,6
Terezinha           6735         1.484           4,5
TOTAL              477.511       61.816          7,7

* Fonte: (IBGE, 2007), ** Preconizado pela OMS (10:1),
*** Fonte: (IBGE, 2008)

Tabela 2. Numero de caes vacinados, populacao canina
estimada e percentual de coberturas vacinais referentes aos
anos de 2007 e 2008 em 19 municipios da V Gerencia Regional
de Saude, Estado de Pernambuco

Municipios                     2007

                    Pop.          Cao      Cobertura
                   Canina      vacinado     vacinal
                 Estimada *                   (%)

Aguas Belas         3.518        3.882       110,4
Angelim              937         2.299       245,4
Bom Conselho        4.285        4.849       113,2
Brejao               909         1.068       117,5
Caetes              2.712        2.373        87,5
Canhotinho          2.521        2.936       116,5
Capoeiras           1.954        3.122       159,8
Correntes           1.774        2.335       131,6
Garanhuns          13.000       12.853        98,9
Iati                1.693        1.826       107,9
Jucati              1.107        1.277       115,4
Jupi                1.278        1.345       105,2
Lagoa do Ouro       1.063        2.008       188,9
Lajedo              3.433        4.028       117,3
Palmeirina          1.057        1.290       122,0
Paranatama           944         1.367       144,8
Saloa               1.514        1.568       103,6
Sao Joao            2.045        3.322       162,4
Terezinha            588         1.023       174,0
TOTAL              46.332       54.771       118,2

Municipios                    2008

                    Pop.         Cao      Cobertura
                 Canina **    vacinado     vacinal
                                             (%)

Aguas Belas        6.286        5.540        88,1
Angelim            1.372        1.159        84,5
Bom Conselho       5.679        5.605        98,7
Brejao             1.448        1.440        99,4
Caetes             3.284        3.072        93,5
Canhotinho         3.256        3.006        92,3
Capoeiras          4.212        3.684        87,5
Correntes          2.841        2.609        91,8
Garanhuns          10.184      10.352       101,6
Iati               3.070        3.105       101,1
Jucati             1.498        1.273        85,0
Jupi               1.644        1.371        83,4
Lagoa do Ouro      2.008        2.079       103,5
Lajedo             5.063        4.266        84,3
Palmeirina         1.169        1.171       100,2
Paranatama         2.245        2.059        91,7
Saloa              1.740        1.696        97,5
Sao Joao           3.333        3.298        98,9
Terezinha          1.484        1.288        86,8
TOTAL              61.816      58.073        93,9

* Preconizada pela OMS (10:1), ** Levantamento Populacional
Canino (SMS).
COPYRIGHT 2011 Universidade Estadual Paulista. Facultade de Medicina Veterinaria e Zootecnia
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2011 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:da Rocha, Maria Dulcineide Guilherme; da Silva, Leonildo Bento Galiza; Brandespim, Daniel Frigugliet
Publication:Veterinaria e Zootecnia
Date:Sep 1, 2011
Words:3200
Previous Article:Educative actions for the control of vectors for dengue and visceral leishmaniasis/ Acoes educativas para o controle de vetores da dengue e...
Next Article:Equine intracecal fluid therapy/Fluidoterapia intracecal em equinos/ Hidratacion enteral en caballos.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2021 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters |