Printer Friendly

Dietas da moda consumidas por desportistas de um clube e academias em Sao Paulo.

RESUMO

A utilizacao de dietas da moda e resultado da busca por uma forma esteticamente aceitavel. Esse tipo de dieta e denominado deste modo, pois sao praticas temporarias, populares, que prometem resultados rapidos, mas necessitam de maiores embasamentos cientificos. Portanto, o estudo teve como finalidade avaliar o uso de dietas veiculadas pela midia. Foram avaliados 100 desportistas, frequentadores de um clube e academias de Sao Paulo. Para tanto, utilizou-se um questionario que abordou dados sobre treino, satisfacao com o peso corporal, dietas e alimentos da moda, peso e altura e acompanhamento com nutricionista. Verifica-se predominio de individuos do sexo masculino (56%), com media de idade de 32,7 anos. A maioria encontra-se eutrofico e pratica musculacao entre 4-6 dias, treinando de 1-2 horas, com objetivo de melhorar a qualidade de vida. Sobre os alimentos da moda, 62% acreditam que contribuem para a perda de peso independentemente de consumi-los. A maioria dos individuos que se consideram magros e dentro do peso estao satisfeitos com o peso, enquanto individuos que se consideram acima do peso estao insatisfeitos. Quanto as dietas da moda, a mais frequente e a Detox, seguida da dieta Dukan. Os sintomas associados ao uso de dietas foram fraqueza, irritabilidade, tontura e perda de cabelo. Apenas 15,3% permaneceram com o peso reduzido por mais de um ano. A maioria acredita que a consulta com nutricionista e eficaz. Por fim, destaca-se que o auxilio do nutricionista e fundamental aos desportistas e que dietas da moda sao ineficazes a longo prazo.

Palavras-chave: Cultura. Alimentos. Exercicio. Imagem Corporal. Nutricionistas.

Diet fads consumed by athletes of a club and academies in Sao Paulo

The use of diet fads is the result of the increasing obsession for an acceptable physical shape. These type of diets are called this way because they are popular temporary practices that promise quick results but need further scientific demonstration. The study had the purpose of evaluating the use of the most popular diets reported on media vehicles. A 100 sportsmen who attend a sports club and gyms in Sao Paulo completed a questionnaire regarding training data, body weight satisfaction, food and diet fads, weight and height and accompaniment with nutritionist. There was a predominance of males (56%), with an average age of 32.7 years. The majority was eutrophic, worked out between 4-6 days a week, and practiced an average 1-2 hours a day with the aim of improving life quality. Concerning popular food, 62% believe that they contribute to weight loss regardless of actual consumption. Most people who considered themselves thin and underweight were satisfied with their weight, while individuals who considered themselves overweight were unsatisfied. The most frequent diet fads was the Detox followed by the Dukan diet. Symptoms associated with the use of diets were weakness, irritability, dizziness and hair loss. Only 15.3% sustained their weight loss for more than a year. Most participants believed that seeing a nutritionist regularly is effective. Finally, the research clearly concluded that the help of a nutritionist is essential for sportsmen and that diet fads are ineffective in the long term.

Key words: Culture. Food. Exercise. Body Image. Nutritionists.

INTRODUCAO

Os habitos alimentares sao construidos a partir da experiencia familiar e do ambiente social (Gracia, 1992).

Atualmente, os meios de comunicacao em massa possuem grande influencia sobre os habitos alimentares de populacoes. Muitas vezes esses meios divulgam conceitos, dietas inadequadas e desequilibradas do ponto de vista nutricional (Santana, Mayer e Camargo, 2003).

A busca por uma forma esteticamente aceitavel tem levado alguns individuos a recorrerem a dietas da moda (Santos e Santos, 2002).

Esse tipo de dieta e denominado deste modo uma vez que sao incorporadas por algumas pessoas e sao praticas temporarias, populares, que prometem resultados rapidos, mas ainda necessitam de maiores embasamentos cientificos (Betoni, Zanardo e Ceni, 2010).

O crescimento das revistas e produtos relacionados a perda ponderal de peso tem sido alvo da industria do emagrecimento, representada pelo desenvolvimento, comercializacao e divulgacao desses produtos. Cada vez mais, observa-se a exposicao de dietas, cardapios semanais, pessoas famosas e depoimentos de pessoas que emagreceram, indicando meios para se conseguir o emagrecimento. E importante ressaltar que a maioria dessas dietas sao hipocaloricas, com um valor muito abaixo do necessario em calorias e outros nutrientes para as funcoes vitais (Chaud e Marchioni, 2004).

Uma das dietas mais famosas e a do Dr. Atkins, criada em 1970, com o objetivo inicial de total restricao de carboidratos para que o corpo mobilize a gordura corporal como substrato energetico, liberando o consumo de proteinas (Betoni, Zanardo e Ceni, 2010).

E composta por tres fases: dieta de inducao (perda de peso excessiva), dieta permanente e dieta de manutencao (Stringhini, Silva e Oliveira, 2007).

Esta dieta e muito pobre em acido ascorbico e fibras, e pode ocasionar a elevacao do colesterol serico, triglicerides, acido urico, ureia e creatinina (Viggiano, 2007).

Outra dieta muito conhecida e utilizada e a "Dieta do tipo sanguineo". Para o criador dessa dieta, existe uma estreita relacao entre os alimentos e o tipo sanguineo. Individuos do sangue tipo O se beneficiam de exercicios fisicos intensos e proteina animal, mas devem restringir o consumo de leguminosas e cereais. Pessoas com tipo sanguineo A, deveriam ser vegetarianas, enquanto as do tipo B podem ter a dieta mais variada, com a inclusao do leite e derivados, contudo devem evitar amendoim, lentilha e gergelim. Os individuos com tipo sanguineo AB devem seguir as restricoes do tipo A e B (Betoni, Zanardo e Ceni, 2010).

A dieta da sopa propoe o consumo apenas de sopa com legumes, principalmente repolho, tres vezes ao dia durante uma semana. Essa dieta diminui significativamente a ingestao de ferro (Viggiano, 2007).

Dietas pobres em gorduras ou muito pobres em gorduras (<19%), acabam em contrapartida sendo ricas em carboidratos e moderadas em proteinas. O intuito da criacao dessa dieta foi a prevencao da doenca cardiovascular, porem a medida que a obesidade aumentava nos individuos norteamericanos, os autores da dieta mudaram o enfoque de prevencao de doenca cardiaca para a perda de peso (ABESO, 2008).

A Dieta da Lua tem como principio que a lua pode influenciar os liquidos do corpo, e a cada mudanca de sua fase, e necessario apenas consumir sucos, sopa e liquidos por um periodo de 24 horas (Betoni, Zanardo e Ceni, 2010).

Ao adotar essa dieta ocorre uma reducao brusca de ingestao calorica, perda de liquidos e de massa muscular, e a perda de tecido adiposo e muito infima, uma vez que o tempo de restricao e muito breve (Viggiano, 2007).

O Metodo Dukan foi criado pelo nutrologo frances Pierre Dukan e possui 2 dimensoes: a classica, estruturada em 4 fases (ataque, cruzeiro, consolidacao e estabilizacao), que proporciona um emagrecimento rapido, e a escada nutricional, que oferece uma reeducacao alimentar para uma perda de peso moderada e constante (Dukan, 2014).

Dessa maneira, o presente estudo teve como finalidade avaliar o uso de dietas veiculadas pela midia utilizadas por desportistas frequentadores de um clube e academias de Sao Paulo. Identificar o estado nutricional da populacao em estudo; identificar o tipo de dieta mais utilizada pelos desportistas e as caracteristicas da atividade fisica; relacionar os sintomas associados com o uso das dietas; caracterizar a satisfacao corporal associada aos padroes de beleza atuais e identificar os alimentos da moda consumidos.

MATERIAIS E METODOS

Trata-se de um estudo de delineamento transversal, no qual foram avaliados 100 desportistas adultos, de ambos os sexos, frequentadores de um clube e academias da cidade de Sao Paulo. Os dados foram coletados pela aplicacao de [micro]m questionario previamente elaborado pelas pesquisadoras que foi submetido aos participantes apos a realizacao da atividade fisica.

O questionario foi composto por questoes descritivas e de multipla escolha, adaptado do estudo intitulado: "Avaliacao de utilizacao de dietas da moda por pacientes de um ambulatorio de especialidades em nutricao e suas implicacoes no metabolismo" (Betoni, Zanardo e Ceni, 2010) com perguntas referentes ao treino (tempo, frequencia e objetivo), satisfacao com o peso corporal, dietas da moda (tipo, resultado, perda de peso, sintomas associados), alimentos da moda e acompanhamento com nutricionista. Os dados antropometricos foram autor referidos pelos participantes e as seguintes informacoes foram coletadas: peso e altura para o calculo do Indice de Massa Corporal (IMC em Kg/m2).

A analise descritiva dos dados foi feita por meio do teste do Qui-quadrado para as variaveis categoricas, sendo que a significancia estatistica foi considerada para valores de P < 0,05. Com auxilio do programa Microsoft Excel[R] 2010 foram calculados frequencia em percentual e desvio padrao para as variaveis quantitativas.

A pesquisa recebeu aprovacao etica - CIEP no 005/03/13, tendo inicio somente apos concordancia e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) pela instituicao e posteriormente pelos sujeitos de pesquisa.

RESULTADOS

No presente estudo verifica-se [micro]m predominio de individuos do sexo masculino (56%), com media de idade de 32,7 [+ or -] 12,2 anos.

De acordo com a tabela 1, pode-se perceber que as maiorias dos desportistas frequentadores de academias do presente estudo praticam musculacao entre 4-6 dias e com treino de 1-2 horas, com objetivo de ter melhor qualidade de vida (77%).

[FIGURE 1 OMITTED]

Com relacao ao estado nutricional o presente estudo identificou que 50% dos individuos apresentaram estado nutricional de eutrofia, seguidos pelo sobrepeso que representou 28% dos participantes, 17% obesidade grau 1, 4% com baixo peso e apenas 1% dos individuos com obesidade grau 2.

Como demonstrado na tabela 2, percebe-se que a maioria dos individuos que se consideram magros e dentro do peso estao satisfeitos com o peso, enquanto individuos que se consideram acima do peso ou muito acima do peso estao insatisfeitos e apresentaram diferenca estatisticamente significativa.

No presente estudo 62% acreditam que os alimentos da moda contribuem para perda de peso independentemente de inseri-los na alimentacao ou nao, de acordo com a tabela 3.

Os alimentos considerados da moda e mais citados pelos participantes foram, nesta ordem: linhaca, quinoa, chia, goji berry, chas, maca peruana e oleo de coco. A motivacao para compra foi pelo possivel efeito benefico do produto e/ou reducao de peso (52,4%), seguido pela indicacao de um profissional da saude (medico ou nutricionista - 45,2%).

Dentre os participantes do estudo, 52% ja realizaram algum tipo de dieta da moda, sendo que as mais frequentes foram dieta detox (25%), dieta sem gorduras (23%), dieta Dukan (17,3%) e dietas de revistas (13,5%). E importante ressaltar que 32% realizaram acompanhamento exclusivo com nutricionista e 16% nunca realizaram nenhum tipo de dieta. O teste qui-quadrado, com valor de p=0,002, indicou diferencas estatisticamente significativas.

Os sintomas associados ao uso de dietas da moda foram fraqueza (21,2%), irritabilidade (15,4%), tontura (13,4%) e perda de cabelo (1,9%), porem 48,1% nao apresentaram nenhum sintoma, com diferencas estatisticamente significativas.

No presente estudo 57,7% dos participantes acreditam que a dieta adotada teve um resultado bom e apenas 3,9% acharam muito ruim.

Na tabela 4, percebe-se que a indicacao do tempo de permanencia com peso reduzido por mais de um ano e de apenas 15,4% e que 34,6% so conseguiram manter o peso no periodo entre 1 e 3 meses.

Os participantes foram questionados sobre a obtencao de resultado na consulta com nutricionista e dentre os que se consultaram (53%), a maioria acredita que teve um bom resultado (86,8%), sendo que apenas 13,2% acreditam que o resultado foi ruim.

DISCUSSAO

Estudo realizado com desportistas de uma academia em Recife encontrou media de idade de 30,5 [+ or -] 9,3 anos, evidenciando a pratica de musculacao principalmente entre os adultos jovens (Pereira e Cabral, 2007).

Com relacao a pratica de atividade fisica percebeu-se que em estudo realizado com praticantes de musculacao de uma academia em Minas Gerais, a frequencia do desenvolvimento dessas atividades era de cinco vezes por semana, com 1 a 2 horas de duracao em grande parte da amostra, e cujo objetivo tambem foi a melhora da qualidade de vida (Assumpcao, Diniz e Sol, 2007).

Em estudo que avaliou o estado nutricional de praticantes de atividade fisica em Pernambuco, observou-se que 60% dos individuos eram eutroficos, 36% estavam acima do peso e 4% apresentaram baixo peso (Costa, 2012).

Resultado semelhante foi encontrado no presente estudo, em que 50% estao eutroficos, 46% acima do peso e 4% baixo peso, sendo que nenhum individuo apresentou obesidade grau 3.

Os meios de comunicacao divulgam propagandas que estimulam o uso de produtos dieteticos e veneram um corpo esteticamente perfeito. Nesse contexto, observa-se dois seguimentos: pessoas avidas para emagrecer e individuos que fazem de tudo para nao engordar (Serra, 2001).

Em estudo realizado em Ribeirao Preto com 120 individuos, notou-se que obesos mostraram-se mais preocupados com o peso e com a aparencia, do que os outros grupos estudados. Alguns estudos apontam que mulheres, independentemente de seu peso, sentem-se acima de peso, isso porque as normas sociais da magreza exercem forte influencia sobre a autoimagem atualmente (Saul e Pasian, 2008).

Atualmente, observa-se um desvio da funcao dos alimentos devido a grande publicidade estetica criada junto aos alimentos, que coloca esse setor do consumo no mesmo patamar da moda (Trindade, 2009). Dessa maneira, muitas pessoas incluem na dieta alimentos denominados "da moda".

A dieta Detox e divulgada e utilizada sob a justificativa de que auxilia a remocao de substancias toxicas do corpo, contudo, independente da utilizacao dessa dieta, o corpo elimina as toxinas pelos rins, figado e colon, e nao e possivel aumentar suas funcoes sem tratamento medico (Clemens e Pressman, 2005).

Depois dos carboidratos, os lipideos sao a fonte de energia utilizada durante o exercicio, contudo nao participam somente da producao de energia, tambem sao responsaveis pelo transporte das vitaminas lipossoluveis e fazem parte da membrana celular. Dessa forma, a reducao drastica no consumo de lipideos (dietas hipolipidicas) nao e recomendada, pois podem influenciar negativamente na absorcao das vitaminas lipossoluveis, e a longo prazo nao trazem beneficios para atividade fisica (Oliveira e Marins, 2008; Pacheco, Oliveira e Stracieri, 2009).

As dietas hiperproteicas, como a Dukan, aumentam o risco de fratura ossea, ganho de peso a longo prazo, sindrome metabolica, desordens gastrointestinais e alteracoes no comportamento alimentar.

De acordo com a Sociedade Espanhola de Endocrinologia e Nutricao, esses tipos de dietas sao absolutamente desaconselhadas, uma vez que obrigam o organismo a consumir suas proprias reservas, inicialmente de carboidratos e posteriormente de lipideos, alem de aumentar os niveis de acido urico e creatinina (Marset, Bassols e Rodriguez, 2012).

As dietas de revista comumente apresentam um deficit de calorias na sua composicao, dessa maneira o organismo sofre alteracoes fisiologicas em resposta a dieta hipocalorica na tentativa de se adaptar a restricao alimentar. Dentre as inumeras consequencias ao organismo de individuos metabolicamente ativos destaca-se a reducao de proteina muscular (Francischi, Pereira e Lancha Junior, 2001).

Em estudo realizado com adolescentes para identificar a adesao a dietas da moda e a prevalencia de transtornos alimentares, no qual se observa que os sintomas frequentemente indicados foram dor de cabeca (27,8%), tontura (22,2%), fraqueza (22,2%) e 62,5% nao apresentaram nenhum sintoma (Coelho, Souza e Cardozo, 2014).

Dentre os pacientes de um ambulatorio que utilizavam as dietas da moda, 45,5% consideraram o resultado da dieta muito ruim, o que se mostra divergente do presente estudo, possivelmente por ter sido realizado apenas com pacientes do sexo feminino (Bertoni, Zanardo e Ceni, 2010).

Muitas das dietas para emagrecimento se mostram eficazes na reducao ponderal em curto prazo, porem a sua avaliacao qualitativa nao esta esclarecida. Estudo que realizou analise detalhada da composicao nutricional dos planos alimentares propostos de dietas populares mostrou que nenhum deles alcanca um adequado indice de alimentacao saudavel (Almeida e colaboradores, 2009).

Dessa forma, e importante ressaltar que o auxilio do nutricionista e fundamental para desportistas, pois realiza avaliacao especifica conforme a necessidade individual, alem de seus conhecimentos facilitarem a escolha de uma alimentacao equilibrada e saudavel com o objetivo de evitar a fadiga muscular durante o treino (Frade, 2014).

CONCLUSAO

A maioria dos desportistas estudados encontram-se na faixa de eutrofia segundo IMC e praticam musculacao com objetivo de ter melhor qualidade de vida. A dieta da moda mais utilizada foi a Dieta Detox, seguida da Dieta sem gorduras e Dukan.

Os individuos que apresentaram sintomas associados ao uso de dietas da moda relataram como sintomas frequentes a fraqueza, irritabilidade, tontura e perda de cabelo.

A maior parte dos participantes nao utilizam alimentos da moda na dieta, porem acreditam que esses alimentos contribuem para perda de peso independentemente de utiliza-los na alimentacao ou nao.

Em relacao a satisfacao corporal percebe-se que a maioria dos individuos que se consideram magros e dentro do peso estao satisfeitos com o peso, enquanto individuos que se consideram acima do peso ou muito acima do peso estao insatisfeitos.

O estudo mostra que as dietas da moda sao ineficazes a longo prazo, uma vez que apenas 15,4% manteve o peso perdido por mais de um ano, mas que apesar disso a maioria dos participantes acredita que o resultado foi muito bom, indicando possivelmente que os resultados a curto prazo sejam suficientes para esse publico.

E importante destacar que o auxilio do nutricionista para orientar uma dieta equilibrada e saudavel e fundamental para desportistas.

REFRENCIAS

(1) ABESO. Associacao Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Sindrome Metabolica. Diretrizes Brasileiras de Obesidade. Sao Paulo. Editora Fernanda Chaves Mazza. 2008.

(2) Almeida, J. C.; e colaboradores. Revisao sistematica de dietas de emagrecimento: papel dos componentes dieteticos. Arq. Bras. Endocrinol. Metab. Vol. 53. Num. 5. 2009. p.673-687.

(3) Assumpcao, B. V.; Diniz, J. C.; Araujo, N. A. O Nivel de conhecimento das informacoes sobre suplementacao e alimentacao utilizados por individuos frequentadores de academia de diferentes niveis sociais na cidade de sete lagoas-Minas Gerais. Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Sao Paulo. Vol. 1. Num. 5. 2007. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/38/37>

(4) Betoni, F.; Zanardo, V. P. S.; Ceni, G. C. Avaliacao de utilizacao de dietas da moda por pacientes de um ambulatorio de especialidades em nutricao e suas implicacoes no metabolismo. ConScientiae Saude. Vol. 9. Num. 3. 2010.

(5) Chaud, D. M. A.; Marchioni, D. M. L. Nutricao e midia: uma combinacao as vezes indigesta. Hig. Aliment. Vol.18. Num.116/117. 2004. p.118-22.

(6) Clemens, R.; Pressman, P. Detox diets provide empty promises. Food Technology. 2005.

(7) Coelho, L. S.; Souza, B. M. M.; Cardozo, T. S. F. A orientacao nutricional Frente a autopercepcao da imagem corporal de adolescentes. Revista Rede de Cuidados em Saude. Vol. 8. Num. 3. 2014 p.1-16.

(8) Costa, W. S. A avaliacao do estado nutricional e habitos alimentares de alunos praticantes de atividade fisica de uma academia do municipio de Sao Bento do UNA-PE. Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Vol. 6. Num. 36. 2012. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/344/348>

(9) Dukan. O metodo Dukan. Disponivel em: <http://www.dietadukan.com.br/a-dieta-dukan/metodo-dukan>. Acesso em: 17/09/2014.

(10) Frade, R. E. T. Analise da influencia de um programa nutricional e de condicionamento fisico em variaveis antropometricas em uma academia de Sao Paulo. Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Vol. 8. Num. 45. 2014. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/449/415>

(11) Francischi, K. P.; Pereira, L. O.; Lancha Junior, A. H. Exercicio, comportamento alimentar e obesidade: revisao dos efeitos sobre a composicao corporal e parametros metabolicos. Rev. Paul. Educ. Fis. Sao Paulo. Vol. 15. Num.2. 2001. p.117-140.

(12) Gracia, R. D. Um enfoque simbolico do comer e da comida nas doencas. Revista de Nutricao PUCCAMP. Vol. 5. Num. 1. 1992. p.10-80.

(13) Marset, J.B.; Bassols, M.N.; Rodriguez, E.B. Dietas hiperproteicas o proteinadas para adelgazar: innecessarias y arriesgadas. Dieta Dukan y metodo PronoKal como ejemplo. FNC. Barcelona. Vol. 19. Num. 7. 2012. p.411-418.

(14) Oliveira, G. T. C.; Marins, J. C. B. Praticas dieteticas em atletas: especial atencao ao consumo de lipideos. R. Bras. Ci. e Mov. Vol. 16. Num. 1. 2008. p.77-88.

(15) Pacheco, C. Q.; Oliveira, M. A. M.; Stracieri, A. P. M. Analise nutricional de dietas publicadas em revistas nao cientificas destinadas ao publico feminino. Revista Digital de Nutricao. Ipatinga. Vol. 3. Num. 4. 2009. p.346-361.

(16) Pereira, J. M. O.; Cabral, P. Avaliacao dos conhecimentos basicos sobre nutricao de praticantes de musculacao em uma academia da cidade de recife. Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Vol. 1. Num. 1, 2007. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/5/5>

(17) Santana, H. M. M.; Mayer, M. D. B.; Camargo, K. G. Avaliacao da adequacao nutricional das dietas para emagrecimento veiculadas pela internet. Rev. Cient. Sao Paulo. Vol. 2. 2003.

(18) Santos, M. A. A.; Santos, R. P. Uso de suplementos alimentares como forma de melhorar a performance nos programas de atividade fisica em academias de ginastica. Rev. Paul. Educ. Fis. Vol. 16. Num.12. 2002.

(19) Serra, G. M. A. Saude e nutricao na adolescencia: o discurso sobre dietas na revista capricho. Escola Nacional de Saude Publica. Dissertacao de mestrado. Fundacao Oswaldo Cruz. Sao Paulo. 2011.

(20) Stringhini, M. L. F.; Silva, J. M. C.; Oliveira, F. G. Vantagens e desvantagens da dieta Atkins no tratamento da obesidade. Salusvita. Vol. 26. Num. 2. 2007.

(21) Saul, A. M.; Pasian, S. R. Satisfacao com a imagem corporal em adultos de diferentes pesos corporais. Aval. Psicol. Porto Alegre. Vol. 7. Num. 2. 2008.

(22) Viggiano, C. E. Dietas da moda. Revista Brasileira de Ciencia da Saude. Sao Caetano do Sul. Vol. 3. Num. 12. 2007.

(23) Trindade, E. Semiotica e publicidade de alimentos: uma revisao teorica e aplicada. Trabalho originalmente apresentado na Divisao Tematica de Publicidade e Propaganda, 2009. XIV Congresso de Ciencias da Comunicacao da Regiao Sudeste (Intercom Sudeste). Escola de Comunicacao da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 2009.

Luana Romao Nogueira (1), Aline Veroneze de Mello (1) Monica Gloria Neumann Spinelli (2), Juliana Masami Morimoto (2)

(1) Nutricionista graduada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Sao Paulo, Brasil.

(2) Docente do curso de Nutricao da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Sao Paulo, Brasil.

E-mails dos autores:

luanaromaon@hotmail.com

alinevm3@hotmail.com

monicaspi404@gmail.com

juliana.morimoto@mackenzie.br

Recebido para publicacao em 01/09/2015

Aceito em 21/02/2016
Tabela 1 - Distribuicao em numero e percentual de acordo com as
caracteristicas da atividade fisica, Sao Paulo, 2015.

 Atividade Fisica     n    %
Objetivo
Estetico                9    9
Qualidade de Vida      77   77
Massa Muscular          4    4
Perda de Peso          10   10
Total                 100  100
Tempo de Treino
Ate 30 min              4    4
30 - 1 hora            33   33
1 - 2 horas            46   46
Mais de 2 horas        17   17
Total                 100  100
Frequencia de Treino
1 - 3 dias             45   45
4 - 6 dias             50   50
Todos os dias           5    5
Total                 100  100

Tabela 2 - Satisfacao corporal segundo padroes de beleza e estado
nutricional, Sao Paulo, 2015.

Padrao de beleza/Estado  Satisfeitos  Insatisfeitos  Valor p
Nutricional          n   %        n    %

Muito magro           1    2,70    2    3,17
Magro                10   27,03    3    4,76
Dentro do peso       23   62,16   15   23,81         <0,001
Acima do peso         3    8,11   40   63,49
Muito acima do peso   0    0       3    4,76
Total                37  100      63  100
Baixo Peso            2    5,41    2    3,17
Eutrofia             25   67,57   25   39,68
Sobrepeso             9   24,32   19   30,16          0,019
Obesidade Grau  1     1    2,70   16   25,40
Obesidade Grau  2     0    0       0    0
Obesidade Grau  3     0    0       1    1,59
Total                37  100      63  100

Tabela 3 - Insercao de alimentos da moda na dieta segundo sua
contribuicao para perda de peso, Sao Paulo, 2015.

Contribuicao dos alimentos  Insercao de alimentos da moda na dieta
da moda para perda de peso  Sim      Nao      Total     Valor p
                            n    %   N    %   n    %

Sim                         30       32       62        <0,001
Nao                         13       25       38
Total                       43  100  57  100  100  100

Tabela 4 - Distribuicao em numero e percentual de fatores associados ao
uso de dieta da moda, Sao Paulo, 2015.

    Dietas da moda           n    %      Valor p
Sintoma associado
Fraqueza                     11   21,15
Irritabilidade                8   15,38  <0,001
Tontura                       7   13,46
Perda de cabelo               1    1,92
Nenhum                       25   48,08
Resultado
Muito Ruim                    2    3,85
Ruim                          6   11,54  <0,001
Bom                          30   57,69
Muito Bom                    14   26,92
Tempo de manutencao do peso
Menos de um mes               4    7,69
1 a 3 meses                  18   34,62   0,036
3 a 6 meses                  10   19,23
Mais de 6 meses              12   23,08
Mais de um ano                8   15,38
Total                        52  100
COPYRIGHT 2016 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

 
Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Nogueira, Luana Romao; Mello, Aline Veroneze de; Spinelli, Monica Gloria Neumann; Morimoto, Juliana
Publication:Revista Brasileira de Nutricao Esportiva
Date:Sep 1, 2016
Words:4507
Previous Article:Consumo alimentar e estado nutricional de adolescentes ativos e nao ativos fisicamente.
Next Article:Perda hidrica e taxa de sudorese apos o treino de Muay Thai e Jiu-Jitsu em uma academia de Sao Paulo.

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2018 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters