Printer Friendly

Costa MCO. Violencia e vitimizacao na infancia e adolescencia--a inclusao da escola no reconhecimento e prevencao.

Costa MCO. Violencia e vitimizacao na infancia e adolescencia--a inclusao da escola no reconhecimento e prevencao. Feira de Santana: Editora UEFS; 2013.

A violencia contra criancas e adolescentes e um tema que interessa as diversas classes sociais, instituicoes, pesquisadores e ao poder publico. Por ser uma realidade vivenciada nos lares, nas ruas e instituicoes que acolhem e colaboram com a formacao do cidadao, durante uma fase da vida fundamental do crescimento humano e decisiva para o futuro adulto, torna-se necessario a prioridade de estudos e acoes para prevencao, enfrentamento e resolucao dos casos consumados.

A obra surge da preocupacao e da sensibilidade social diante da violencia Sexual contra criancas e adolescentes, que, diante das experiencias academicas e profissionais dos autores, se completam no contexto escolar da violencia contra criancas e adolescentes. Uma vez que a escola representa uma instancia social privilegiada para a reflexao diante de questoes que envolvem pais, filhos, professores (multiplicadores em potencial) e alunos (criancas e adolescentes), alem de ser uma instancia fundamental para formacao, consciencia e responsabilizacao cidada.

O leitor pode encontrar nesta obra compacta e completa para a realidade escolar as informacoes conceituais, dados cientificos que comprovam o fenomeno da violencia no contexto escolar, diante da visao de docentes e discentes e orien tacoes de como agir na prevencao, denuncia e resposta a casos concretos que podem estar diante dos seus olhos ou nos seus lares.

O livro e dividido em quatro capitulos. Em tres capitulos, o livro apresenta a tematica da violencia denominados: Capitulo I--O desafio da identificacao, prevencao e atendimento de criancas e adolescentes em situacao de violencia. Capitulo II--O Papel da escola na Rede de Enfrentamento da Violencia Sexual: Professores e alunos na identificacao de casos. Capitulo IIIMecanismos pessoais de promocao e protecao a saude e qualidade de vida. O Capitulo IV- A Universidade e a escola na rede de prevencao e enfrentamento da violencia perpetrada contra criancas e adolescentes, o qual apresenta as consideracoes finas na obra.

O Capitulo I apresenta e embasa a discussao sobre a violencia na sociedade, destacando a vitimizacao de criancas e adolescentes como um fenomeno historico que acompanha a evolucao da humanidade e atinge a quase totalidade das nacoes.

Diversos conceitos sao apresentados de forma clara e objetiva, dentre eles a violencia Sexual em suas vertentes intrafamiliar e extrafamiliar. Suas manifestacoes e tipos: Abuso sexual sem contato fisico; Abuso sexual com contato fisico; Incesto; Pedofilia; Exploracao sexual comercial. Esta foi tambem conceituada conforme suas modalidades: pornografia, trocas sexuais, trabalho sexual infantojuvenil autonomo, trabalho sexual infantojuvenil agenciado, turismo sexual e trafico para fins de exploracao sexual de criancas e adolescentes.

O Capitulo II, alem de apresentar resultados de projetos de pesquisas articulados com outras Universidades e redes de Instancias responsaveis pela prevencao e enfrentamento da violencia em Feira de Santana e regiao do semiarido baiano, e discutido como o fenomeno da violencia aparece diante dos alunos e professores. Uma vez que o Estatuto da Crianca e Adolescente atribui a escola a funcao de zelar pela protecao de criancas e adolescentes.

Os resultados da pesquisa desenvolvida mostram que alunos de ambos os sexos e diversas faixas etarias descrevem mais de 50% de vitimizacao na adolescencia inicial e intermediaria e alta proporcao de casos na infancia. Eles reforcam achados na literatura que ja discutem com profundidade esta tematica.

Quanto ao tipo de violencia e ao local de ocorrencia, cabe enfatizar que a maioria dos professores e alunos da faixa etaria entre 17 e 19 anos, e do sexo feminino, mais de 50% dos casos foram por estupro e a maior frequencia ocorreu em algum domicilio. Estes achados, alem de confirmarem estudos realizados em outras regioes do pais, sinalizam que os domicilios sao locais de crime, nao so de educacao, carinho e aconchego familiar na vida de muitos jovens, tendo como perpetrador um ente querido.

O Capitulo III aborda a resiliencia pessoal e social como mecanismo de protecao contra a violencia. Enfatiza-se o conceito de resiliencia com a conotacao da "capacidade de determinados individuos ou grupos de enfrentar eventos estressores e/ou traumaticos e nao sucumbir diante deles". Caracterizada tambem como uma condicao interna constatada pela demanda de adaptacao do individuo frente a uma situacao adversa, ou mesmo traumatica. Proporcionar elementos que permitam individuos vulneraveis a violencia a serem resilientes e capazes de superar de forma positiva tamanhas crueldades, passa a ser o maior desafio.

Uma vez que criancas e adolescentes assumem um papel de maior vulnerabilidade social, os fatores de protecao e promocao da qualidade de vida de criancas e adolescentes se tornam fundamentais, alem de estrategias que envolvem o papel dos adultos na intervencao dos problemas que atingem esses grupos.

O capitulo ainda aborda as redes institucionais e sociais na prevencao e enfrentamento da violencia, enfatizando a importancia destas e a necessaria articulacao entre as universidades, os servicos e as comunidades, buscando fortalecer e tornar real as metas das politicas e programas publicos institucionais, integrando diferentes setores de atuacao que incrementam estrategias de protecao e defesa de criancas e adolescentes, contando com o controle social, diante das vulnerabilidades e demandas nos diversos contextos sociais.

Embora seja um livro dedicado a professores e diretores de escolas publicas, alem de profissionais e gestores da Rede de Protecao, Atendimento e Defesa da Crianca, esta publicacao e de interesse de todo cidadao, uma vez que traz conceitos basicos para reconhecimento e conduta diante de casos suspeitos de violencia contra criancas e adolescentes.

Os estudos e intervencoes feitos pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), atraves do NNEPA (Nucleo de Estudos e Pesquisas na Infancia e Adolescencia) com apoio da OIT (Organizacao Internacional do Trabalho) e da SEDH (Secretaria Nacional de Direitos Humanos), contemplam acoes condizentes com sua integracao na Rede de Instancias que visam a implementacao de acoes no Municipio. Estas sao compativeis com o Pacto para enfrentamento da Violencia Sexual assinado em Novembro de 2003 por Representacoes da Sociedade Civil, Prefeitura Municipal, Governo do Estado e apoiado pela OIT e a Agencia Americana de Desenvolvimento Internacional (USAID), cabendo a UEFS a Coordenacao do Projeto voltado a implementacao das acoes no Municipio.

O livro "Violencia e vitimizacao na infancia e adolescencia: a inclusao da escola no reconhecimento e prevencao" pode ser caracterizado como a materializacao de acoes promovidas pela Universidade, cumprindo seu papel como integrante da Rede de Protecao e enfrentamento a violencia contra criancas e adolescentes.

Jeidson Antonio Moraes Marques [2]

[2] Departamento de Saude, Universidade Estadual de Feira de Santana.

DOI: 10.1590/1413-81232014193.20922013
COPYRIGHT 2014 Associacao Brasileira de Pos-Graduacao em Saude Coletiva - ABRASCO
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2014 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:articulo en portugues
Author:Marques, Jeidson Antonio Moraes
Publication:Ciencia & Saude Coletiva
Article Type:Resena de libro
Date:Mar 1, 2014
Words:1076
Previous Article:Hebert M, Cyr M, Tourigny M. L'agression sexuelle envers les enfants.
Next Article:Williams LCA, Stelko-Pereira AC. Violencia Nota Zero: como aprimorar as relacoes na escola.

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters