Printer Friendly

Conceptions of teacher of IES for articulated communicative and expressive development on evaluation of students on this performance/Concepcoes de professores de IES sobre o desempenho comunicacional e expressivo articuladas a avaliacao de discentes sobre esta performance.

INTRODUCAO

Atualmente, o mundo esta carecendo de profissionais cada vez mais habilidosos na tarefa que desempenham. O mercado de trabalho, cada vez mais exigente, tem esperado por qualificacao e competencia comunicativa. A capacidade de se comunicar de maneira eficaz e excelente tem ganhado posicao de destaque dentro do parametro de qualificacao de diversos profissionais. Por isso, falar com naturalidade, fluentemente, expressando de forma clara, coerente e concisa o que se quer transmitir ao outro, torna-se cada vez mais imprescindive [1,2].

A comunicacao e um fenomeno social, um instrumento de integracao entre as pessoas e a sociedade, de modo geral, que permite a um individuo transmitir uma mensagem ao outro, desencadeando sempre uma resposta, ou seja, a comunicacao e uma cadeia ciclica de informacoes [3].

Todos que desempenham suas funcoes, utilizando a comunicacao como ferramenta primordial de trabalho, deve se aperfeicoar a cada dia. O profissional habilitado para avaliar e ampliar o nivel de aptidao comunicativo destes e o fonoaudiologo (Lei 6965/81). Cabe a ele, dentre suas areas de atuacao, a funcao de aperfeicoar a comunicacao humana, seja pelo aprimoramento da linguagem oral e escrita, das funcoes cognitivas, da motricidade orofacial e cervical, seja pelo aperfeicoamento da comunicacao em publico, da comunicacao ocupacional, ou profissional [4].

Dentre os profissionais que utilizam a comunicacao como forma de trabalho, enfatizam-se aqueles que sao importantes na vida dos academicos de modo geral, ou seja, o professor, que e capaz de transmitir seu saber de maneira extraordinaria, atraves da comunicacao [5]. Ao falar, seja ministrando aulas, seja palestrando, o professor tem de ser capaz de unir a vontade de ensinar aos recursos que ira utilizar, com o objetivo de centrar-se nas atividades de aprendizagem, sem se esquecer da sua responsabilidade social e dedicacao as dimensoes pessoais de sua profissao [6].

Atualmente, o trabalho realizado pela Fonoaudiologia com professores inicia-se quase sempre com a problematica da voz, mas isso nao e o suficiente. Alem da voz, o professor deve ser capaz de manifestar outras habilidades, pertinentes ao campo da Fonoaudiologia, habilidades estas, diretamente ligadas a linguagem e a comunicacao. Este tipo de estudo vem ganhando destaque nos ultimos anos. Barbosa et al [9] e Chieepe [8] sao exemplos de autoras que abordaram muito sobre esse assunto em seus artigos [7].

A partir disso, pode-se ampliar o olhar fonoaudiologico sobre o professor/orador, deixando de abordar a voz como um parametro isolado, para se tornar parte do processo comunicativo [8]. Segundo Barbosa, et al [9] ao se comunicar, o professor/orador deve ter conhecimento de como ocorre o processo comunicativo e os parametros que o seguem, como: linguagem verbal e linguagem nao-verbal. Entretanto, a sabedoria nao e a unica referencia de uma boa comunicacao, comunicar-se bem, e utilizar-se de todos os elementos responsaveis pelo seu processo. O homem nao precisa apenas de palavras para descrever, convencer ou transmitir algo a alguem, ele pode utilizar-se de outros meios para se comunicar. Meios que sao um centro de grandes informacoes, como: gestos, sorrisos e movimentos [10]. Assim, para haver excelencia ao se comunicar, e necessario mais do que palavras ou conhecimento, ou seja, o "todo" da comunicacao depende das partes que o compoe, e estas, nao podem ser vistas de maneira isolada.

Desta forma, se faz relevante o estudo sobre o nivel de conhecimento dos professores/oradores em relacao a importancia da natureza comunicativa e suas caracteristicas peculiares. Ter conhecimento e saber expressa-lo de maneira adequada, hoje e essencial num mercado de trabalho tao competitivo. Unir o saber dos professores/oradores ao que a Fonoaudiologia pode oferecer para aperfeicoar a sua comunicacao e expressividade pode se tornar um caminho para o sucesso profissional.

O objetivo deste trabalho consistiu da investigacao e da analise do conhecimento de professores/ oradores sobre a importancia da comunicacao e da expressividade em seu ambiente de trabalho e sua relacao com a Fonoaudiologia. De modo especifico, objetivou-se ainda articular esse conhecimento com a opiniao de alunos acerca da performance comunicativa e expressiva destes professores/oradores, em atividade de palestra.

METODO

Para este trabalho foi realizada uma pesquisa bibliografica com as seguintes fontes: livros, revistas (artigos cientificos), panfletos e materiais extraidos de sites de procedencia. Os assuntos abordados referem-se ao processo e parametros de comunicacao; processo de ensino-aprendizagem e seus modelos; auditorio e apresentacoes e; a relacao e contribuicao da Fonoaudiologia para os professores/oradores.

O desenvolvimento deste trabalho ainda contou com uma pesquisa de campo, aprovada pelo Comite de Etica da Faculdade Redentor e desenvolvida dentro do proposto no protocolo de pesquisa no. 026/2010, sendo regido sob os termos de resolucao no. 196 de 10 de Outubro de 1996 do CNS.

Esta pesquisa foi realizada com 6 professores/ oradores e 30 alunos/ouvintes em um Congresso de Iniciacao Cientifica organizada pela Instituicao de Ensino Superior (IES): Faculdade Redentor, em Itaperuna--RJ, em Outubro de 2010, utilizandose questionarios simples, semi-estruturados: O primeiro questionario foi aplicado aos professores/ oradores e continha perguntas referentes a comunicacao e a expressividade, bem como uma analise de figuras que representavam as seis expressoes faciais basicas dos seres humanos [9]. O segundo questionario foi aplicado aos alunos/ouvintes e continha perguntas sobre o desempenho dos professores oradores durante suas apresentacoes.

Estes questionarios foram elaborados com base na literatura estudada [9] e foram adaptados para responder a questao problema deste estudo e para a realidade da pesquisa.

A selecao dos professores/oradores foi aleatoria, pois precisava-se criar uma amostra heterogenea, demonstrando as capacidades comunicativas e expressivas de todos, independente de area de especializacao, idade, sexo ou locais de trabalho. A unica preocupacao durante a formacao da amostra dos professores foi em relacao a necessidade deles estarem inscritos nos ciclos de palestras do Congresso acima citado. Os alunos tambem foram selecionados aleatoriamente para nao favorecer um ou outro professor no momento da avaliacao do seu desempenho.

Considerou-se o criterio de inclusao, professores/oradores que quiseram participar, de maneira voluntaria, da analise sobre comunicacao e expressividade e que iriam palestrar durante o Congresso de Iniciacao Cientifica. Do mesmo modo, alunos/ ouvintes que quiseram participar da pesquisa avaliando professores/oradores e que estavam participando das palestras.

Logo apos a coleta de dados, todos os resultados foram analisados e computados, de modo que representaram a resposta a questao problema deste trabalho: "professores/oradores possuem conhecimento sobre a importancia da comunicacao e da expressividade em seu ambiente de trabalho e sua relacao com a Fonoaudiologia". Realizou-se uma analise estatistica descritiva dos dados considerando a variavel media de respostas obtidas, sem a aplicacao de testes especificos. Em seguida, observou-se as alternativas predominantes na selecao dos professores, quanto ao criterio de perguntas e respostas. Dentre estas, eram consideradas as respostas de maior frequencia, ou seja, se na questao um (1) 5 dos 6 professores/oradores marcassem a primeira preposicao, considerandoa como correta a pergunta realizada, esta era considerada de maior relevancia para o estudo. Assim tambem ocorreu na analise das respostas dadas pelos alunos. Estas foram categorizadas por temas para facilitar a comparacao entre as alternativas assinaladas pelos professores/oradores e a avaliacao dos alunos/ouvintes.

Todos os dados obtidos foram apresentados por meio de figuras (graficos de percentuais e tabelas).

RESULTADOS

1) Perfil da amostra

Inicialmente serao indicados os dados de caracterizacao da amostra alvo da pesquisa, ou seja: os professores/oradores. Estes resultados podem ser visualizados na Tabela 1 que, posteriormente, sera descrita, destacando-se os dados mais relevantes.

Foram entrevistados 6 professores/oradores, sendo 50% da amostra do sexo masculino e 50% do sexo feminino, com idades entre 31 anos e 61 anos com uma media de 41 anos e meio de idade. Destes 6 professores/oradores entrevistados, 3 sao mestres, 1 e especialista, 1 e mestrando e 1 e doutor. Referente ao curso no qual ministram aulas, criou-se uma amostra heterogenea, com 2 (dois) que dao aulas para o curso de Fonoaudiologia, 1 (um), para o curso de Enfermagem, 1 (um) para o curso de Servico Social, 1 (um) para o curso de Fisioterapia, 1 (um) para o curso de Sistemas de Informacao, 1 (um) para o curso de Administracao e 1 (um) que ministra aulas no setor de Pos-Graduacao. E importante destacar que aproximadamente 33% dos profissionais pesquisados, ministram aulas em mais de um curso. Quanto ao tempo de atuacao, a media permaneceu em torno de 9 anos nesta profissao. E, 83% de todos entrevistados trabalham tambem em outros locais.

2) Conhecimentos dos professores/oradores em relacao a expressividade e comunicacao eficaz

A Figura 1, a seguir, apresenta os dados acerca do conhecimento dos professores/oradores em relacao a expressividade e comunicacao eficaz.

Observa-se, na Figura 1, que 66,5% dos professores/oradores admitem como expressividade a capacidade de realizar movimentos corporais que complementem a mensagem dita. Quanto ao conhecimento referente a comunicacao eficaz, 50% deles referem que se trata de dialogar com o outro.

Sobre a avaliacao dos alunos, quanto a estes aspectos, estes opinaram sobre a performance comunicativa e expressiva dos palestrantes e, 76,5% dos alunos aprovaram a palestra, dizendo que ela foi otima gerando, desta forma, conhecimentos. Os alunos referiram ainda que, com certeza, a nota que dariam aos palestrantes se concentraria entre 9 e 10.

3) Caracteristicas que um "bom" professor deve apresentar para favorecer a comunicacao e expressividade

Nesta secao serao apresentados os dados sobre as caracteristicas que um "bom" professor deve apresentar para favorecer a comunicacao e expressividade, segundo as concepcoes dos participantes. A Figura 2, a seguir, apresenta as respostas referentes a estes dados.

Analisando os dados da Figura 2, observa-se que 100% da amostra acreditam que e necessario ser dinamico e organizado e 83,3% acreditam que o sao.

Novamente, os alunos/ouvintes aprovaram estas caracteristicas nos professores, pois mostraram que alem do dinamismo e da organizacao apresentados por eles, a maneira clara e objetiva de falar e se expressar conquistaram 76,5% deles. Os professores/oradores se expressaram de maneira adequada, pois 100% da amostra de alunos/ ouvintes disseram perceber que os professores demonstravam gostar do que estavam falando.

4) Reconhecimento dos professores/oradores acerca das seis expressoes faciais basicas do ser humano

Na Figura 3, exposta a seguir, foi representado o nivel de reconhecimento, por parte dos professores/ oradores, das seis expressoes faciais basicas do ser humano [9].

Pode-se dizer que houve um nivel muito baixo de reconhecimento das expressoes, sendo considerados 41,5% o percentual de acertos dos professores.

Sobre a avaliacao dos alunos, em relacao a esse aspecto, para 100% deles, os professores se expressaram muito bem, nao apenas facialmente, mas por todo o conjunto corporal. O humor, facil de ser detectado pelas pessoas tambem foi facilmente percebido por 73,3% dos alunos durante as palestras.

5) Parametros que compoem a comunicacao, e que sao conhecidos pelos professores/ oradores

Neste item, foram representados, por meio da Figura 4, o reconhecimento dos professores acerca dos parametros que compoem a comunicacao.

Observa-se, nos dados apresentados na Figura 4 que 83,3% dos professores disseram conhecer o significado de oratoria, linguagem verbal e linguagem nao verbal. Alem disso, souberam da importancia

destes parametros no momento que ocorre a comunicacao, porem, 83,3% disseram utilizar apenas a linguagem verbal, no momento que se comunicam.

Para avaliar se os professores/oradores tinham ciencia do modo como utilizam esses parametros comunicacionais, os alunos/ouvintes observaram durante as apresentacoes se os professore/ oradores cometeram muitos erros e se eles apresentavam "tiques" ou vicios de linguagem que pudessem ate mesmo incomodar o ouvinte. Apos essa avaliacao, 70% dos alunos/ouvintes disseram que o professor/orador "nao pecou" em nada, o que pressupoe que os parametros comunicacionais deles estavam em harmonia. Ademais, 83,3% dos alunos/ouvintes nao perceberam nenhum "tique" ou vicio de linguagem presentes nos professores observados.

6) Recursos mais utilizados pelos professores/ oradores nas suas apresentacoes

Nesta secao, a Figura 5 traz uma representacao de quais recursos sao mais utilizados pelos professores/oradores nas suas apresentacoes.

Observa-se que 100% dos professores/oradores preferem utilizar o Power Point/Data-show. Sobre isso, 60% dos alunos/ouvintes disseram que o recurso utilizado na apresentacao pode ajudar na assimilacao do conteudo, os demais disseram que o recurso fez a apresentacao ficar otima.

7) Conhecimento dos professores/oradores sobre a utilizacao dos tres principios basicos para desenvolver e produzir uma boa apresentacao

A seguir, a Figura 6 representa o conhecimento dos professores/oradores sobre a importancia de se utilizar os tres principios basicos para desenvolver e produzir uma boa apresentacao.

Nesta figura, observa-se que 50% dos professores disseram ter apenas escutado sobre o assunto e 50% disseram que alem de ja terem escutado, praticam estes principios.

Sobre a avaliacao dos alunos acerca da presenca destes principios na apresentacao dos professores, para 66,6% dos alunos/ouvintes o tempo de apresentacao das palestras foi ideal e 93,3% dos alunos/ouvintes disseram que permaneceriam do inicio ao fim, pois nada, referente a palestra, os fariam sair dela. Esses dados demonstram que mesmo nao tendo conhecimento sobre os principios basicos de uma boa palestra, os professores/oradores tiveram um otimo desempenho.

8) Comparacao entre os dados fornecidas pelos professores/oradores e pelos alunos/ ouvintes

Como os professores/oradores opinaram sobre suas performances comunicativas, houve uma comparacao entre as respostas dadas pelos alunos/ ouvintes para que estes professores pudessem, em seguida, observar se realmente conseguiram atingir seus objetivos na palestra.

E importante ressaltar que os resultados obtidos pelos alunos/ouvintes nada mais foram do que uma percentagem de suas respostas. As perguntas realizadas, tanto para professores/oradores quanto para alunos/ouvintes, podem ser visualizadas por meio das Figuras 7, 8 e 9.

Figura 7--Perguntas feitas aos professores/oradores para avaliar
seus conhecimentos em relacao a expressividade e comunicacao
durante suas apresentacoes

Questionario aplicado aos professores/oradores

Nome: Idade:

Titulacao: Tempo de experiencia ministrando aulas:

Area de atuacao (IES): Curso ao qual ministra suas aulas:

Locais de trabalho:

Sexo: ( ) M ( )F

1--O que e ser expressivo?

( ) Ser capaz de representar aquilo que sentimos e pensamos sem
utilizar palavras faladas ou escrita

( ) Realizar movimentos corporais que complementem a mensagem dita
( ) Ter humor e apresenta-lo atraves do sorriso.

2--O que melhor representa uma Comunicacao Efetiva?

( ) Dialogar com o outro ( ) transmissao de informacao ao outro com
significado igual a ambos

( ) entender algo que lhe foi dito ( ) emissao de qualquer som,
gestos e/ou movimentos.

3--Qual (is) caracteristica (s) deve ter o bom professor/orador:

( ) Simpatico ( ) Inexpressivo ( ) Comunicativo ( ) Aquele que ao
palestrar utiliza apenas caneta e papel

( ) Rigido ( ) Paciente e Compreensivel ( ) Aquele que deixa os
ouvintes a vontade--voces agem como quiserem

( ) Organizado ( ) Dinamico

4--A respeito da pergunta 3, qual (s) dessa (s) caracteristica (s)
voce julga apresentar no momento de suas palestras:

( ) Simpatico ( ) Inexpressivo ( ) Comunicativo ( ) Aquele que ao
palestrar utiliza apenas caneta e papel

( ) Rigido ( ) Paciente e Compreensivel ( ) Aquele que deixa os
ouvintes a vontade--voces agem como quiserem

( ) Organizado ( ) Dinamico

5--Quanto a expressividade, responda apos analisar as figuras:

* Quais expressoes faciais (emocoes) sao evidenciadas nas figuras?

(1)

(2)

(3)

(4)

(5)

(6)

6--Qual (s) desse (s) parametro (s) e/ou recurso (s) voce conhece:

( ) Eloquencia ( ) Retorica ( ) Oratoria ( )Diccao ( )Linguagem
Verbal ( ) Linguagem Nao-Verbal ( ) Disfluencia

7--Ainda a respeito da questao 6, qual (s) desse (s) parametro (s)
voce julga apresentar durante suas palestras:

( ) Eloquencia ( ) Retorica ( ) Oratoria ( )Diccao ( )Linguagem
Verbal ( ) Linguagem Nao-Verbal ( ) Disfluencia

8--Qual (s) recurso (s) voce utiliza em suas palestras:

( ) Apenas o quadro branco ( ) retro projetor ( ) data show ( )
Aula teorica seguida de pratica

( ) explicacao com acompanhamento em material ( ) Apresentacao com
audio e video

( ) outros________________________________________

9--Voce ja ouviu falar, ou realiza os tres principios basicos de
uma boa palestra--planejamento, apresentacao e avaliacao?

( ) Sim- ( ) Ouvi ( ) Realizo ( ) Nao

10--De que forma voce acha que a Fonoaudiologia pode te auxiliar
no processo de ensino-aprendizagem com os ouvintes de suas
palestras:

( ) atraves de aprimoramento das tecnicas de diccao e oratoria para
professores/oradores ( ) atraves de assessoria fonoaudiologica nas
IES ( ) Realizar palestras, e/ou work shops para trabalhar
motivacao, concentracao, reacao e organizacao dos ouvintes para se
prepararem para o processo de ensino-aprendizagem

( ) Realizar terapia fonoaudiologica com ouvintes de palestras.

11--Voce participaria de palestras e oficinas oferecidas pela
Faculdade sobre a importancia e o modo de se comunicar e se
expressar de maneira eficiente?

( ) Sim ( ) Nao _

Figura 9--Perguntas feitas aos alunos/ouvintes com objetivo de
avaliar a apresentacao dos professores/oradores durante as
palestras

Questionario aplicado aos alunos/ouvintes

Estudante de qual curso: Periodo:

Sexo ( ) M ( ) F Idade:

Palestra que assistiu:

1--Diante desta palestra. qual frase a definiria:

( ) Foi otima, gerou grandes conhecimentos; ( ) Gostei, mas faltou
algo; ( ) Esperava que fosse melhor;

( ) Nao entendi nada; ( ) nao consegui prestar atencao em nada, nao
chamou minha atencao;

( ) outros:___________________________

2--Qual nota voce daria para o desempenho desta palestra: (de 5 a
10)

R:________________________

3--Em que o Orador pecou?

( ) Ele parecia desanimado e nao cativou seu publico ( ) Seus
gestos e expressoes estavam muito extravagantes

( ) O modo como articulava as palavras dificultava meu entendimento
( ) Fugiu muito do assunto proposto

( ) Sua postura era de alguem arrogante que nao se importava com
que estava ali ( ) Fala lenta demais e monotona ( ) Vocabulario
muito pobre ( ) Suas expressoes nao condiziam com o que estava
falando

4--Em relacao aos recursos utilizados:

( ) Ajudaram na assimilacao do conteudo ( ) Estavam muito
carregados ( ) Atrapalharam na minha concentracao

( ) Ficaram otimos

5--Quanto ao tempo de apresentacao:

( ) Longo ( ) Curto ( ) Ideal

6--O orador demonstrou gostar do que estava falando?

( ) Sim ( ) Nao

7--Se expressou bem, de maneira adequada, e com uma linguagem de
facil entendimento?

( ) Sim ( ) Nao

8--Houve momentos de descontracao e humor?

( ) Sim ( ) Nao

9--Isso contribuiu para a aprendizagem?

( ) Sim ( ) Nao

10--Em algum momento voce teve vontade de sair da palestra, por
que algo dela nao te agradava, seja referente ao palestrante,
conteudo, recurso utilizados etc.?

( ) Sim ( ) Nao

11--Em algum momento voce percebeu algum 'tique" ou vicio de
linguagem no palestrante em questao?

( ) Sim ( ) Nao

Qual:________________________

12--Pontos positivos:

( ) O emprego do humor ( )Fala clara e objetiva ( ) Expressoes
complementando o que foi dito

( ) Organizacao do discurso ( ) Simpatia do palestrante ( )
interacao do palestrante com o publico ( ) outros


DISCUSSAO

Nesta pesquisa notou-se que, nos questionarios aplicados, as primeiras perguntas estavam relacionadas ao conhecimento basico dos professores/ oradores sobre a comunicacao e a expressividade e a analise dos alunos/ouvintes em relacao a este conhecimento.

Atraves destas questoes foi comprovado que os professores/oradores ainda nao conseguem distinguir o verdadeiro sentido da expressividade, pois 66,5% deles expuseram que a expressividade e apenas a movimentacao do corpo em complemento com a mensagem dita. Sabe-se que expressoes faciais, gestos cotidianos, vestimenta sao recursos que tambem podem dar enfase a expressividade, desde que sejam utilizados de forma correta. Segundo Barbosa et al [9] e indiscutivel que a expressividade esta diretamente relacionada as emocoes, pensamentos, sentimentos e atitudes de quem fala. A expressao que se consegue dar aquilo que se quer dizer, refletira na nossa atitude em relacao ao assunto em questao, o que, por sua vez, produzira nossas emocoes, fruto de nossos pensamentos e sentimentos.

Ao falar da comunicacao efetiva, 50% deles referiram que ela significa dialogar com o outro, enquanto que a resposta esperada e correta a essa questao ("Transmissao de informacao ao outro com significado igual a ambos") foi dada por apenas por 1 deles. Para Carrasco [1] comunicar eficazmente pode ser comparada a uma transmissao de informacoes, situacao na quais ambas as partes conseguem compreender o conteudo da mensagem, por meio da harmonia entre comunicacao verbal e nao-verbal.

Apesar dos professores/oradores nao acertarem as questoes que demonstravam seu conhecimento sobre expressividade e comunicacao efetiva, 76,6% dos alunos entrevistados disseram que a palestra foi otima e gerou-conhecimentos, enquanto que os demais (23,4%) disseram que faltou algo na palestra ou que esperavam que ela fosse melhor. Isso demonstra que apesar de nao conhecer profundamente os temas voltados para a comunicacao e expressividade durante as palestras, eles apresentam pratica satisfatoria, no que tange estes temas.

Em analise posterior, pode-se observar quais caracteristicas do professor favorecem a comunicacao e a expressividade e a percepcao dos alunos em relacao as mesmas. Os dados referentes a esta analise, foram vislumbrados na Figura 2.

Por meio destas questoes foi comprovado que os professores/oradores julgam que as caracteristicas mais importantes de um bom professor/orador sao a organizacao e o dinamismo, sendo estas citadas por 100% deles. Por outro lado, 50% deles citaram ser organizados e 83,3% deles disseram ser dinamicos.

Barbosa et al [9] em sua pesquisa mostrou que infelizmente a grande maioria do corpo docente hoje, tem se preocupado em ser um bom pesquisador com excelencia ministrando aulas, porem pouca importancia tem sido atribuida a maneira como ira ministrar suas aulas e, principalmente, ao que o seu publico-alvo de fato quer aprender e como aprender.

Grandes autores ja tem mostrado a importancia do professor/orador ser muito mais que um pesquisador ou dinamico. A forma como o processo de ensino-aprendizagem ocorre, o comportamento e as expectativas do adulto aprendiz, o modelo andragogico de ensino, a comunicacao eficaz e tantos outros assuntos mais, e o que o professor/ orador precisa conhecer para promover de maneira adequada o processo de ensino-aprendizagem. Isso vem justificar o fato de que ele nao deve absterse apenas da funcao de investigador do conhecimento [1].

Novoa [6] vem tratar de assuntos em sua pesquisa capaz de demonstrar as dificuldades que o professor/ orador encontra em seu ambiente de trabalho, como: as incertezas sofridas pela educacao, o despreparo frente as modificacoes da universidade, o modo de ensino preocupado apenas com o lecionar de forma arcaica (saber-fazer, e suficiente), dificuldades com a comunicacao e expressividade empregadas durante o seu discurso e tantos mais. Todas essas dificuldades impedem o professor/ orador de se expressar e entender o outro. Afinal ser bom professor/orador e saber lidar com essas dificuldades, alem de ter conhecimento, cultura profissional, tato pedagogico, trabalho em equipe e compromisso social [6].

Os alunos/ouvintes entrevistados demonstraram pelas suas respostas que os professores/oradores possuem qualidades importantes para uma boa apresentacao, pois a fala clara e objetiva foi observada por 76,5% dos alunos/ouvintes entrevistados; o emprego do humor e a organizacao do discurso tambem predominaram como ideia de ponto positivo durante a palestra. Alem disso, 100% dos alunos/ ouvintes concordam que os professores/oradores transmitem ideia de gostar do que estao falando.

Assim, pode-se dizer que os professores/ oradores nao sao apenas dinamicos, mas tambem possuem outras caracteristicas que sao de suma importancia para a realizacao eficaz da expressividade e da comunicacao.--

Na secao que abordou os conhecimentos dos professores/oradores em relacao a expressividade, focando a expressao facial, foi proposto que estes analisassem 6 expressoes faciais, que segundo a pesquisa de Barbosa et al [9] sao consideradas basicas do ser humano e os alunos/ouvintes realizaram uma analise perceptiva dos professores, referente a expressividade. Os dados desta analise foram contemplados na Figura 3.

As expressoes faciais aqui representadas estao enumeradas de 1 a 6 e cada uma representa uma emocao: 1--alegria, 2--medo, 3--nojo, 4--raiva, 5--surpresa e 6--tristeza, conforme pode ser visualizado na Figura 8. Assim, cada professor/orador ao analisar as figuras, deveria dizer que emocao ele era capaz de identificar. Quando acertava recebia um "A" e isso contava como 1 (um) ponto, quando aproximava a resposta, por exemplo, quando dizia "feliz" no lugar de "alegria", ele recebia um "B" e isso contava como 0,5 (meio) ponto, quando errava a emocao ele recebia um "C" que significava 0 (zero) ponto.

Dos 6 professores/oradores entrevistados, obteve-se um escore de 15 (41,5%) acertos em relacao as emocoes expressas pelas pessoas. A expressao referente a raiva foi a mais reconhecida pelos professores/oradores. Obteve-se 13 (36%) respostas que se aproximaram da emocao expressa nas figuras e 8 (22,5%) respostas que comprovaram erro nestas identificacoes. Lembrando que o numero maximo de acertos era de 36.

Infelizmente, os professores/oradores demonstraram pouco conhecimento em relacao as expressoes faciais e emocoes constantes nas figuras. Pode-se dizer que em escala, houve 1 (um) professor que acertou todas as emocoes e 1 (um) professor que nao acertou nenhuma emocao, apenas por aproximacao.

Em contrapartida, 100 % dos alunos/ouvintes disseram que o professor foi capaz de se expressar muito bem com uma linguagem adequada e de facil entendimento. 73,3% dos alunos/ouvintes disseram perceber humor e descontracao por parte dos professores e isso contribuiu para a aprendizagem durante a apresentacao.

Assim, pode-se dizer que, apesar de, em teoria, os professores/oradores nao acertarem as expressoes basicas constantes nas figuras, os alunos/ ouvintes concluiram que os professores/oradores se expressam bem e que, independentemente do emprego do humor, isso contribuiu para a aprendizagem. Sabe-se que o emprego do humor, por vezes, ajuda a manter a atencao dos ouvintes, especialmente durante o inicio da fala, mas deve ser feito no momento certo, pois piada fora de hora, sem graca, pretensiosa, ou vulgar pode gerar desconforto na plateia. Entao, e importante que o emissor tenha sempre um plano "B" caso o humor nao tenha surtido bons resultados [11].

Segundo Lemos [10] muitas pesquisas tem sido realizadas para provar que muitas das vezes a comunicacao nao-verbal pode produzir mais informacoes que as palavras, e que o homem, sendo bastante perceptivo, e o unico individuo capaz de observar tais movimentacoes e expressoes. Porem, quando esses elementos nao sao passivos de observacao, como um sorriso ou um gesto, ai nao houve comunicacao. Deste modo, e preciso melhorar as condicoes para reconhecer esta linguagem nao-verbal no outro.

Por meio da Figura 4, pode-se observar o conhecimento dos professores/oradores sobre os parametros que compoem a comunicacao e a opiniao dos alunos/ouvintes sobre como os professores utilizam estes parametros.

Pode-se perceber que, 83,3% dos professores/ oradores referiram conhecer os parametros e recursos ligados a comunicacao--relacionados a linguagem verbal, nao-verbal e oratoria, mas 83,3% disseram que utilizam apenas a linguagem verbal, durante suas palestras.

Todos os recursos comunicacionais juntos, apresentados aos professores/oradores, produzidos com harmonia geram a comunicacao eficaz, exceto a Disfluencia. Sabe-se que o mercado de trabalho hoje, tem exigido mais que qualificacao profissional, e sim o diferencial entre os demais. A comunicacao realizada de maneira eficaz e este diferencial que as empresas tem procurado e investido com precisao [1,2].

Mas, apesar desse desentendimento entre as respostas dadas pelos professores/oradores, e importante relevar que 70% da amostra que envolve os alunos/ouvintes disseram que os professores/ oradores entrevistados nao pecaram em nada, em suas palestras, ou seja, nem mesmo a falta de conhecimento sobre a utilizacao da linguagem naoverbal, interferiu de modo negativo na apresentacao de suas palestras. Esse dado e imprescindivel para pontuar que ha muitos aspectos subjetivos que complexificam e particularizam a comunicacao humana e que independem do conhecimento adquirido sobre essa comunicacao e a expressividade. Os 9 (nove) alunos/ouvintes que disseram que os professores pecaram em alguma coisa, referiramse a apenas 3 (tres) dos professores/oradores. E fato tambem que 83,3% dos alunos/ouvintes nao observaram nenhum "tique" apresentado pelos professores/oradores.

A procura por conhecimentos alem do que e pedido na vida academica destes profissionais, pode melhorar sua forma de inserir a aprendizagem em seu ambiente de trabalho com mais facilidade. E estes recursos apresentados, se usados de maneira adequada, serao a ponte para iniciar este processo.

Ainda, analisando o questionario aplicado, puderam-se observar atraves da Figura 5 os recursos mais utilizados pelos professore/oradores para facilitar o processo comunicacional e a opiniao dos alunos sobre a utilizacao destes recursos.

Os dados apresentados referem-se a maior utilizacao de inumeros recursos no momento das apresentacoes. Dentre aqueles mais utilizados pelos palestrantes, esteve o Data Show, utilizado por 100% da amostra, que segundo 60% dos alunos/ouvintes e um dos que permite ajudar na assimilacao do conteudo apresentado durante as palestras.

Pode-se dizer que os professores/oradores utilizam muitos recursos que podem melhorar e ampliar os conhecimentos dos alunos/ouvintes, todos sao usados de maneira adequada, respeitando-se o desenvolvimento de cada um e suas peculiaridades, a respeito do canal sensorial que melhor e capaz de receber e processar a informacao.

Existem diversos recursos instrucionais que, utilizados em palestras, podem exemplificar e ajudar na apresentacao destas, de maneira facil e clara, de modo que se tornem memoraveis. O professor/ orador pode-se valer de diversos recursos audiovisuais, que inclusive, sao aceitos pelo Ministerio da Educacao no que tange auxiliar no processo de ensino-aprendizagem [12].

Sabe-se que cada individuo tem uma forma, um tempo e um canal sensorial mais desenvolvido para a aprendizagem, dai importancia dessa flexibilidade sobre estes aspectos, para promover o processo de ensino-aprendizagem, explorando de todas as maneiras os sentidos envolvidos na aprendizagem: audicao, visao, tato e outros possiveis a este processo [11].

As ultimas questoes referiam-se ao modo como os professores/oradores se preocuparam em desenvolver e produzir suas palestras e como foi a aceitacao destas pelos alunos/ouvintes.

Pode-se dizer que os professores/oradores entrevistados se mostraram organizados em relacao a preparacao e apresentacao das palestras, embora apenas 3 (tres) deles tenham realizado os principios basicos de uma boa palestra.

Faria et al [13] em seus estudos desperta para um lado pouco conhecido no antes, durante e apos uma apresentacao: a organizacao, que pode ser dividida em tres principios basicos: o planejamento que refere-se a criacao daquilo que sera apresentado; a apresentacao, que consiste na exposicao oral daquilo que se preparou no planejamento e a avaliacao, momento que o interlocutor e capaz de realizar o feedback da apresentacao, que pode revelar o seu triunfo ou nao.

Os alunos/ouvintes concordam, em maioria (66,5%), que o tempo de apresentacao foi bom e 93,3% deles disseram que eles nao tiveram vontade de sair da palestra, por nenhum motivo.

Para Hatje [11] o tempo estimado de uma boa apresentacao e aquele em que, o individuo presente na palestra nao demonstre sinais de cansaco e estimase que esse tempo seja de aproximadamente 45 minutos.

Por fim, os professores/oradores foram questionados sobre como a Fonoaudiologia poderia auxilia-los em suas apresentacoes, a fim de realizar 0 processo de ensino-aprendizagem adequadamente: 4 (quatro) mencionaram que a Fonoaudiologia poderia ajudar "Atraves de aprimoramento das tecnicas de diccao e oratoria para professores/ oradores", 2 (dois) deles disseram que "Atraves de assessoria fonoaudiologica nas IES", 4 (quatro) atraves da "Realizacao de palestras, e/ou work shops para trabalhar motivacao, concentracao, reacao e organizacao dos ouvintes para se prepararem para o processo de ensino-aprendizagem" e 1 (um) atraves da "Realizacao de terapia fonoaudiologica com ouvintes de palestras"

Carrasco [1] em seu livro deixa claro que a sociedade se encontra na era da comunicacao, e ela sera imprescindivel em qualquer area de atuacao. Deste modo o papel do fonoaudiologo daqui pra frente servira de subsidio para muitos outros profissionais, como e caso dos professores/oradores. A universidade que quiser melhorar e ampliar seu universo podera contar com o trabalho de assessoria, treinamento e consultoria fonoaudiologica, constituindo como uma atuacao fundamental dentro da area de Fonoaudiologia Educacional.

Sabe-se que e vetada a participacao do fonoaudiologo nas escolas desempenhando funcao clinica. A Fonoaudiologia na escola deve ter um carater voltado para a promocao de saude, desenvolvendo acoes voltadas para a assessoria e a consultoria, com programas de capacitacao e saude vocal do corpo docente e comunidade escolar, em geral.

Alem disso, podem ser realizadas triagens, com objetivo de caracterizar o perfil epidemiologico da escola, auxiliando no processo de desenvolvimento das habilidades linguisticas, bem como, na participacao direta da equipe pedagogica com objetivo de minimizar as alteracoes relacionadas a comunicacao oral e aprendizado da leitura e escrita [14].

Para Luzardo e Nerm [15], existe uma diferenca entre a fonoaudiologia clinica e a fonoaudiologia escolar, pois a primeira refere-se aos atendimentos dos disturbios fonoaudiologicos e a segunda referese a atuacao voltada para a facilitacao do processo de ensino-aprendizagem, criando condicoes favoraveis para que as capacidades de cada um sejam exploradas de maneira eficaz.

De modo a contribuir e fornecer uma devolutiva, quanto aos resultados obtidos na pesquisa, ora apresentada, os professores foram questionados sobre a possibilidade de participarem de palestras e oficinas oferecidas pela Faculdade e sobre a importancia e o modo de se comunicar e se expressar de maneira eficiente. Todos os professores/oradores emitiram resposta afirmativa (Sim).

E sempre de interesse da IES querer melhorar o perfil de seus profissionais, e como a sociedade se encontra na era da comunicacao, sera esta Instituicao, que devera estar atenta as habilidades comunicativas de seus profissionais. A Fonoaudiologia, por sua vez, tem e tera a funcao de auxiliar e transformar as habilidades comunicativas dos professore/oradores que estao inseridos nestas IES.

CONCLUSAO

Apos analisar os dados coletados, concluiu-se que os professores/oradores precisam se integrar mais de questoes relacionadas a comunicacao e a expressividade, durante as palestras, com o intuito de ampliar seus conhecimentos.

A partir das respostas fornecidas pela amostra, pode-se perceber que, em teoria, eles tem conhecimento sobre comunicacao e expressividade um pouco aquem do esperado. Porem, com a analise dos alunos/ouvintes observou-se que os professores/oradores tiveram um excelente desempenho durante suas apresentacoes, contraditorio aos seus conhecimentos. Talvez esta pratica tenha sido alcancada devido ao tempo ministrando aulas, ao modo como eles observavam seus professores e palestrantes durante sua vida academica, ou ainda as suas experiencias em outros locais de trabalho. Portanto, e importante reafirmar-se aqui o carater complexo e de subjetividade que complexificam e particularizam a comunicacao humana e que podem nao depender do conhecimento adquirido sobre essa comunicacao e a expressividade

Por fim, ao responder o questionario, os professores/oradores se mostraram dispostos a melhorar aquilo que eles descobriram ser falho. Foi por meio desta pesquisa que a maioria deles percebeu entao, que a Fonoaudiologia e a Ciencia capaz de auxilialos, apresentando tecnicas e metodos facilitadores para aperfeicoar suas apresentacoes.

AGRADECIMENTOS

Aos professores/oradores e alunos/ouvintes que contribuiram para que essa pesquisa se tornasse uma realidade.

REFERENCIAS

[1.] Carrasco MCO. Fonoaudiologia Empresarial: Perspectiva de Consultoria, Assessoria e Treinamento, Manual Teorico-Pratico. Sao Paulo: Lovise, 2001, 187p.

[2.] Medeiros R. A Importancia da Comunicacao Eficaz no Seculo XXI. 2008. [Acesso em 09 de Marco de 2011]. Disponivel em: http://www.administradores. com.br/informe-se/artigos/importancia-dacomunicacao-eficaz-no-seculo-xxi/23132/

[3.] Pagliuca LMF, Fiuza NLG, Reboucas CBA. Aspectos da Comunicacao da Enfermeira com o Deficiente Auditivo. Rev. Esc. Enferm. USP. 2007; 41(3): 411-8.

[4.] Sales-Peres A, Silva RHA Oliveira AN, Lima JP, Foekel TP. Panorama a Disciplina de Orientacao Profissional no Estado de Sao Paulo e sua Importancia no Ensino de Fonoaudiologia. Revista do Instituto de Ciencias da Saude. 2008; 27(2): 144-7.

[5.] Valsecchi EASS, Nogueira MS. Comunicacao Professor-Aluno: Aspectos Relacionados ao Estagio Supervisionado. Revista Ciencia, Cuidado e Saude. 2002; 1(1): 137-43.

[6.] Novoa A. Para una Formacion de Profesores Construida Dentro de La Profesion. Revista de Educacion. 2009; (350): 203-18.

[7.] Chieppe DC, Ferreira LP. A interlocucao entre a fonoaudiologia e a docencia. Disturb. Comum. 2007; 19(2): 247-56.

[8.] Chieppe DC. A fonoaudiologia na formacao do professor: estudo sobre a expressividade em sala de aula. Rev. Soc. Bras. Fonoaudiologia. 2004; 9(3):197.

[9.] Barbosa N, Cavalcanti ES, Neves EAL, Chaves TA, Coutinho FA, Mortimer EFA. Expressividade do Professor Universitario Como Fator Cognitivo no Ensino-Aprendizagem. Ciencias & Cognicao, 2009; 14(1): 75-102.

[10.] Lemos ISde. A Comunicacao Nao-Verbal: Um Estudo de Caso. PUC: UNIrevista, 2006; 3(1): 1-12.

[11.] Hatje V. Como Preparar uma Boa Apresentacao Cientifica? Revista E.T.C. 2009. [Acesso em 09 de Marco de 2011]. Disponivel em: http://www.goat.fis. ufba.br/uploads/userfiles/259.pdf

[12.] Ferreira JM, Baratter MA, Costa MC, Engelbert R. A Institucionalizacao do Uso de Recursos Audiovisuais em Sala de Aula. Universidade Federal do Parana. Revista de Contabilidade e Controladora. 2010; 2(3): 81-94.

[13.] Faria MFG, Fernandes GS, Pirolo SM, Silva MJPda. Falar em Publico: Visao do Mestrando de Enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 1998; 1(32): 59-66.

[14.] Charone A, Negrao A. A Fonoaudiologia e a Escola. Revista Lato & Sensu. 2001; 2(4): 7-9.

[15.] Luzardo R, Nerm K. Instrumentalizacao Fonoaudiologica Para Professores da Educacao Infantil. Revista CEFAC. 2006; 8(3): 289-300.

Brunella Rezende Netto (1)

(1) Fonoaudiologa Clinica graduada pela Faculdade Redentor, Itaperuna, Rio de Janeiro, Brasil.

Conflito de interesses: inexistente

http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462012005000004

RECEBIDO EM: 06/01/2011

ACEITO EM: 17/07/2011

Endereco para correspondencia:

Brunella Rezende Netto

Rua Maria Apolinaria da Costa, no. 03, Centro

Divino de Sao Lourenco--ES

CEP: 29590-000

E-mail: brunellarn@hotmail.com

Tabela 1--Caracterizacao da amostra de professores/oradores

Informante   Idade     Sexo        Formacao

1             61     Feminino    Especialista
2             38     Feminino     Mestranda
3             33     Masculino      Mestre
4             41     Feminino      Doutora
5             31     Masculino      Mestre
6             45     Masculino      Mestre

                               Tempo    Trabalha
             Curso no qual      de      em outro
Informante   ministra aulas   atuacao    local

1            Pos-Graduacao    18 anos     Sim
2            Fonoaudiologia   10 anos     Sim
3            Servico Social   8 anos      Sim
              Enfermagem,
4            Fonoaudiologia   5 anos      Sim
             e Fisioterapia
5             Sistemas de     4 anos      Nao
               Informacao
6            Administracao    9 anos      Sim
COPYRIGHT 2013 CEFAC - Associacao Institucional em Saude e Educacao
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2013 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:articulo en portugues
Author:Netto, Brunella Rezende
Publication:Revista CEFAC: Atualizacao Cientifica em Fonoaudiologia e Educacao
Date:Jan 1, 2013
Words:6098
Previous Article:Academic and professional training of speech and language pathology teachers in the state of Bahia/Formacao academico-profissional dos docentes...
Next Article:Time of exclusive breastfeeding of preterm and term newborn babies/ Tempo de aleitamento materno exclusivo em recem-nascidos prematuros e a termo.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters