Printer Friendly

COPA DO MUNDO DE FUTEBOL 2014 NO BRASIL: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS COBERTURAS DOS JORNAIS FOLHA DE SAO PAULO-BRASIL E EL PAIS-ESPANHA.

2014 World Cup in Brazil: a comparative study between the coverages by the Folha de Sao Paulo/ Brazil and el Pais/Spain Newspapers

INTRODUCAO

A Copa do Mundo FIFA/Brasil/2014 aumentou consideravelmente o tratamento midiatico desse pais sul-americano no decorrer do megaevento. O custo economico e social do "padrao FIFA" que os organizadores da Copa no Brasil teriam prometido--e posteriormente seriam cobrados--foi um dos elementos de grande abordagem nos discursos midiaticos, gerando o interesse em realizar profundas reflexoes, criticas e perspectivacoes a respeito desse evento (Dieder e colaboradores, 2017).

O Mundial superou diferentes recordes registrados pela FIFA, como por exemplo, o maior numero de espectadores desde 1994 e uma media de publico nos jogos de 53.592 torcedores (Feltes e colaboradores, 2016), mas tambem foi lembrada por seu inicio tumultuoso marcado por um discurso voltado aos protestos e manifestacoes, que retratavam a insatisfacao do cidadao brasileiro com o megaevento acerca da mobilidade urbana, gastos excedentes, falta de recurso em outras areas, etc.

A Copa do Mundo FIFA/Brasil/2014 movimentou mais de 3.429.873 espectadores nos estadios nas 64 partidas disputadas, o maior numero registrado em todos os Mundiais desde 1994. A media de publico de 53.592 torcedores tambem foi a maior em duas decadas. Foram 127.674 operacoes de venda de alimentos e bebidas nos estadios ao longo da competicao. Alem de 16.746 credenciais de imprensa distribuidas durante o Mundial. Mais de 1 bilhao foi o publico total no Estadio Global da FIFA, o centro social, on-line e movel do FIFA.com durante o Brasil 2014. A cifra equivale a 13.380 Maracanas lotados (FIFA, 2014). Nao foi a Copa das Copas como a entao presidente da republica mencionava, mas bateu recordes.

Durante o evento no Brasil, 5.154.386 pessoas participaram das Fan Fests organizadas pela FIFA. So em Copacabana/Rio de Janeiro, tivemos 937.330 torcedores, sendo o maior numero entre todas as cidades-sede. A Copa do Mundo de Futebol/FIFA/2014 entrou na ordem do dia da midia e da sociedade brasileira, sendo agendada pelo Megaevento. Esse grande acontecimento incrementa consideravelmente o tratamento midiatico desse pais sulamericano, como demonstra a criacao de novos correspondentes da midia mundial, ate entao nao presentes (Sanfelice e colaboradores, 2014).

O custo economico e social do "padrao FIFA" da Copa no Brasil foi um dos elementos de grande discussao na comunidade academica, gerando o interesse em realizar profundas reflexoes, criticas e perspectivacoes dos chamados megaeventos esportivos (Tavares, 2011) alem de investigar as "politicas publicas estabelecidas a adequacao das necessidades estruturais para organizacao de tais eventos no territorio brasileiro" (Dalonso e Lourenco, 2011, p. 519).

Todavia, no transcurso do evento, os jogos envolveram os espectadores do mundo todo fazendo com que o espetaculo futebolistico sobrepusesse qualquer empecilho.

Portanto, como proposta desse artigo e: comparar as coberturas dos jornais Folha de Sao Paulo com o El Pais em relacao aos aspectos relativos a organizacao e funcionamento do megaevento esportivo.

A seguir, para desenvolvermos essa analise especificamos o procedimento metodologico selecionado para a investigacao desse estudo.

MATERIAIS E METODOS

A presente pesquisa caracteriza-se como descritiva/qualitativa, tendo como corpus os jornais El Pais e Folha de Sao Paulo referente as edicoes de 10 de junho a 15 de julho de 2014, representando todo o periodo decorrente a Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014 no Brasil e acrescentando dois dias antes do seu inicio e dois dias apos o seu termino. Os fragmentos de registro foram titulos, subtitulos, textos, imagens, editoriais, entre outros, analisando toda inferencia alusiva a Copa como evento nas capas e interior do jornal.

metodo selecionado para a efetivacao da analise dos dados desta pesquisa foi a analise de conteudo de Bardin (2011). Dividimos a analise em tres fases Bardin (2011): 1a) Fase pre-analise textual e tematica; 2a) Fase da exploracao do material; 3a) Fase de tratamento dos resultados. Estabelecemos, assim as categorias a partir da codificacao do material analisado:

Pre-copa e classificatorias: correspondendo a dois dias antes do megaevento (10 e 11 de junho de 2014) ate as classificatorias (12 a 27 de junho de 2014).

Finais e pos-copa: que abrangem as oitavas de final (28 de junho a 3 de julho de 2014), as quartas de final (4 a 7 de julho de 2014), a disputa na semifinal e terceiro lugar (8 a 13 de julho de 2014) e dois dias apos o megaevento (14 e 15 de julho de 2014).

RESULTADOS E DISCUSSAO

Pre-Copa e classificatorias

A capa do jornal El Pais do dia 10 de junho de 2014, que antecede dois dias do inicio do Mundial, tem como titulo "Las protestas en Brasil desvian la atencion del inicio del Mundial" e retrata a situacao de protestos e manifestacoes vividas pelos brasileiros semanas antes da Copa, nesse caso, a greve dos metroviarios em Sao Paulo que causava grandes transtornos em uma cidade que receberia milhares de turistas em breve (El Pais, capa, 10/06/2014).

O El Pais enfatiza a insatisfacao brasileira referente aos atrasos na organizacao e desperdicio de dinheiro, de forma tao intensa, em um pais que necessita de investimento em setores publicos.

Conforme Silva, Rechia e Betran (2016), no periodo que antecedeu a Copa, a populacao do pais sede concordava que a chegada do megaevento, no geral, ocasionaria beneficios para as cidades, bem como impactos economicos e ambientais positivos; contudo, ainda contrapunham a falta de investimento na saude e de planejamento nos gastos publicos.

Com um discurso semelhante a Folha de Sao Paulo reforca o desencantamento dos brasileiros pelo megaevento elucidando o caos que se estabelecia pouco tempo antes da abertura.

Desde as manifestacoes de junho de 2013, ocorridas na Copa das Confederacoes, incidem contestacoes por investimentos em setores como saude, educacao e transporte. Nesse dia, o jornal tambem enfatizou uma manchete publicada no New York Times: "Conforme a Copa comeca no Brasil, as rachaduras de uma nacao ficam a mostra" (Folha de Sao Paulo, Primeiro Caderno, 10/06/2014).

No dia 11, o jornal El Pais discute a respeito do aumento da seguranca para conter os protestos, que ja eram tres vezes maiores que a Copa anterior. Ja a Folha de Sao Paulo expoe em sua capa a presidente do Pais defendendo a realizacao do megaevento: "Dilma vai a TV, exalta Copa e ataca 'pessimistas'. Presidente defende 'legado' do torneio e pede paz" (Folha de Sao Paulo, capa, 11/06/2014).

Alem disso, no caderno de Esporte apresenta-se uma sintese com apontamentos sobre custos dos estadios (apenas o Castelao em Fortaleza teve uma reducao entre previsao de custo inicial e o custo, todos os outros tiveram despesas maiores do que o previsto). Investimentos: R$25,8 bi e o total de gastos previstos para a Copa do Mundo no Brasil (Folha de Sao Paulo, caderno esporte, 11/06/2014).

Esses fatos haviam sido previstos na pesquisa do Bruggemann e colaboradores (2011), atraves do discurso do jornal Folha de Sao Paulo, que retratou um enfoque "bastante critico acerca dos impasses da preparacao do pais para receber a Copa, sobretudo no que se refere a atrasos nos projetos de reforma e ampliacao da infraestrutura aeroportuaria, de transporte urbano e das instalacoes esportivas (p.13).

No dia da abertura do evento, 12 de junho, o caderno de esportes do El Pais traz uma materia intitulada "Que empiece el espectaculo (o no)", argumentando que os brasileiros estavam indiferentes ao evento, nao vestiam a camisa, cometiam protestos e se manifestam indignadas e convencidas de que o Mundial causaria mais danos que beneficios ao Brasil, visto que contrapunham melhoras nos servicos publicos (El Pais, 44, 12/06/2014). "Obras sin acabar y promesas sin cumplir" e o titulo de outra materia que afirma que o panorama da maioria das cidades-sede sao semelhantes: obras quase prontas, aeroportos reformados pela metade, a metade dos estadios sem cobertura wi-fi, escombros e cercas de construcao nos acessos dos estadios.

No jornal Folha, destaca-se uma imagem aerea do estadio Itaquerao com o titulo "#vaitercopa". Na capa o hashtag usado pelo jornal no campo aclama a selecao por sua caminhada vitoriosa na Copa das Confederacoes 2013, incentivando a torcida a continuar com a sua confianca e persistencia ao possivel titulo. Em outras palavras, esse recorte enfatiza o valor e a potencia do futebol e da selecao brasileira para a sociedade.

Contudo, no decorrer da materia retrata a situacao da infraestrutura publica brasileira, no qual apenas 53% dos 167 compromissos assumidos em 2010 foram completados, sendo que importantes projetos de mobilidade urbana nao foram concluidos a tempo do tao esperado megaevento.

Um dia apos a estreia, 13 de junho, a Folha enfatiza o inicio negativo do megaevento com vaias referentes a presidente Dilma, bem como a FIFA, no jogo de abertura do Mundial. Titulos como: "Festa modesta" e "Desfile mal-ajambrado de estereotipos nacionais tem ares de 25 de marco" foram as enfases de seus discursos. As vaias ainda causaram grande polemica e receberam destaque no jornal por varios dias.

Em funcao disso, expuseram a queda da popularidade de Dilma que, no segundo dia de evento, chegou a seu ponto mais baixo com apenas 33% de aprovacao pelos brasileiros, sendo que, entre as pessoas que possuem renda mais alta, esse indice era ainda menor.

Nesse dia, o jornal El Pais do mesmo modo enfatiza os protestos que ocorreram "Las protestas em Brasil empanan el inicio del Mundial" (EL PAIS, 5, 13/06/2014). O publico que assistiu a esse jogo tambem chamou a atencao do jornal, pois eram quase todos brancos, em sua maioria, com condicoes no pais para pagar o ingresso, tornando a situacao paradoxal: jogadores negros, publico branco, titulo da materia.

Esse fato foi evidenciado na pesquisa de Santos e colaboradores (2016) que constatam que a maioria dos torcedores participantes nos jogos da Copa tinham graduacao ou pos-graduacao e haviam adquirido seus ingressos para o evento (caracteristicas nao se adequam a toda a populacao brasileira).

Logo, apos tantas materias duvidosas sobre a Copa no Brasil em meio a tantos empecilhos em seu periodo precedente e inicial, o jornal El Pais deu uma tregua de nove dias. "No era para tanto" e o titulo da materia do dia 22 de junho, que apos essa pausa mostra uma mudanca no seu discurso acerca de como se tem visto o megaevento. Uma vez que assegura atraves de diferentes imprensas locais que o Mundial estava funcionando melhor que o previsto. Os acessos, metros, aeroporto, estadios, tudo encontrava-se operando corretamente, permanecendo afastada do "apocalipse" anunciado pelos brasileiros espantando a todos (El Pais, 58, 22/06/2014).

Todavia, no jornal Folha de Sao Paulo, o numero de materias acerca de como procedia a Copa cresceu drasticamente. No dia 13 de junho, o Editorial da Folha trouxe que, apos um periodo de indiferenca, foi repentina a eclosao do clima de Copa na cidade de Sao Paulo, consequencia da vitoria da Selecao Brasileira sobre a Croacia que ajudou a mobilizar os torcedores.

No dia 19 de junho, a Folha traz que "A Copa comeca com falhas, mas sem o temido caos". Relataram que os aeroportos, mesmo inacabados, deram conta, o acesso de torcedores a arenas por transporte publico funcionou e que o maior problema registrado ate o momento foi a seguranca dos estadios.

Alem disso, as 32 selecoes que disputaram a Copa do Mundo enviaram retornos a organizacao citando pontos positivos e negativos que avaliaram no pais ate o momento.

No dia 22 de junho a Folha, como o El Pais, aborda a modificacao de sentido e significado que ocorre no pais diante da qualidade crescente dos jogos e do envolvimento que a sociedade se permitiu ter com o grande Mundial que seu pais sediava.

O subtitulo da imagem destaca "Inicio do Mundial no Brasil reverteu expectativa da midia internacional de que o evento seria desastroso para o pais" minuciando no texto explicacoes plausiveis da alteracao de comportamento da populacao brasileira em somente tres dias. A populacao modifica seus posicionamentos e suas opinioes conforme o contexto que a inspira e a influencia do meio, portanto no decorrer da Copa o clima de festividade e vitorias de bons jogos tomou conta e o Mundial estava se tornando inesquecivel.

No dia 23, o El Pais afirma no titulo "Los goles paran la protesta en Brasil", discursando que as manifestacoes quase desapareceram, mas que os especialistas assegurariam que as eleicoes de outubro iriam reacender a exigencia de mudancas (El Pais, 6, 23/06/2014).

No dia 25 de junho, a Folha traz novamente uma manchete do jornal americano, New York Times: "apesar das preocupacoes sobre protestos e estadios inacabados, o Brasil esta realizando seu potencial" com uma Copa "maravilhosa" e que os americanos, bem como o resto do mundo, ficaram loucos por ela.

Da mesma forma, ate explanacoes de politicos brasileiros que antes tinham um discurso negativo quanto a Copa, o tornaram positivo.

No dia 26, o jornal El Pais reafirma que o Mundial avancava com bom jogo, muitos gols, emocoes, tregua nas ruas e festas por toda parte. Esse clima de festividade, vitorias e bons jogos tambem foi registrado no estudo de Feltes e colaboradores (2016) no qual citam que "o bom futebol ajudou a mascarar determinados problemas do pais" (p.51).

No dia 28 de junho, o caderno opiniao da Folha lembrou que "nao ia ter Copa" e que a midia foi essencial para esse pessimismo, pois apresentou a FIFA como Estado invasor.

Alem disso, o bordao "imagina na Copa" tornou-se ditado, os estadios foram configurados para as elites e o governo do "povo" se desgastou. Nada mudou, mas o clima de Copa tomou conta e o Mundial estava se tornando inesquecivel.

Finais e pos-Copa

Nas ultimas duas semanas o jornal El Pais apenas enaltecia o evento como um todo, sendo que o bom desempenho do futebol sobrepos os impasses do periodo pre e classificatorias da Copa. Nao obstante, o "desastre" da Selecao na semifinal contra a Alemanha tomou conta do jornal, sem possuir espaco para outra discussao.

No dia 12 de julho, o jornal espanhol afirma que 26000 agentes de seguranca estariam nas ruas do Rio de Janeiro para prevenir qualquer ocorrencia na final da Copa, segundo a capa desse dia, essa seria a final mais segura da historia.

Portanto, enquanto que no inicio do Mundial se destacavam as manifestacoes e angustias quanto ao funcionamento do evento, no final a seguranca foi destacada.

Tudo que se temia antes de comecar a Copa foi superado e, conforme passaram os dias, o andamento do evento permaneceu de forma adequada e o El Pais nao trouxe mais pontos relevantes acerca da Copa como megaevento, constatando-se que o futebol foi salientado e predominou todas as noticias.

No dia 30 de junho, na Capa Folha de Sao Paulo, o colunista do jornal, Valdo Cruz, escreve: "Sem o desastre, erros do Mundial serao esquecidos". Em seu espaco detalha como a "Copa do Caos" virou a "Copa das Copas"; explicitando o envolvimento da populacao e a satisfacao sobre o evento.

Assim, ha deslocamento do foco da midia para as composicoes visuais e discursivas que fortificam os vinculos entre esporte (futebol) e identidade nacional. Esta ligacao e positivada pelo sentimento festivo das vitorias da selecao brasileira._

Entretanto, na semifinal, no dia 8 de julho de 2014, nossa Selecao Brasileira comete grandes equivocos no jogo contra a Alemanha. A perda da equipe de 7x1 reacendeu a insatisfacao da sociedade para com a finalizacao das obras e os gastos desnecessarios. Em discussoes plausiveis do crescimento do pais na Copa, diversos foram as materias retratando as pesquisas do canal DATAFOLHA expondo a satisfacao da populacao com o Mundial.

No dia 12 de julho, no caderno "Poder", a Folha mostra que 38% dos manifestos cairam durante a Copa, por nao ter espaco na midia que ativasse as manifestacoes, o aumento da repressao policial e principalmente a concorrencia com os jogos. Inferencias do dia 13 de julho destacam que o Brasil foi superior a selecao brasileira e que foi obtido o grande sucesso, tao esperado, na realizacao da Copa do Mundo/FIFA/2014. Sua concretizacao foi reconhecida sobretudo no funcionamento da infraestrutura (Folha de Sao Paulo, capa, 13/07/2014).

Ja no caderno de Esporte, nesse mesmo dia, a Folha destaca enfases dadas na midia: numeros bilionarios de telespectadores, selfies dos atletas e imagens de momentos que viralizaram as redes sociais e como o Jogador alemao mandou uma mensagem aos brasileiros depois de golear os anfitrioes: "voces tem um pais lindo, pessoas maravilhosas e jogadores incriveis--esta partida nao pode destruir o seu orgulho" (Folha de Sao Paulo, caderno esporte, 13/07/2014).

No dia 15 de julho 2014, a Folha registra em sua capa: "Copa no Brasil e aprovada por 83% dos estrangeiros". A organizacao do mundial foi boa ou otima para eles. Somente 3% acharam a Copa ruim ou pessima. A hospitalidade dos brasileiros foi destaque: 95% afirmaram que a recepcao foi otima ou boa. O custo de vida do pais foi o ponto negativo (29% apontaram como ruim ou pessimo). No primeiro caderno do jornal evidencia-se que o Brasil deu vexame nos campos e levantou a taca fora deles a contrario do que se esperava.

Por fim, mesmo que o evento tenha sido um sucesso o jornal nos alerta sobre os legados que ficam, no caderno de Esporte menciona que o mundial chega ao fim com uma heranca de 23 obras por fazer. Entre as acoes planejadas estao tres que so ficarao prontas em 2016, ano dos Jogos Olimpicos no Rio. Dez dessas intervencoes nao tem prazo de entrega.

CONCLUSAO

Em relacao a cobertura dos jornais El Pais e Folha de Sao Paulo nota-se que seus discursos foram semelhantes averiguando os aspectos relativos a organizacao e funcionamento do megaevento esportivo.

Contudo, destaca-se uma enfase do jornal brasileiro acerca da quantidade e prolongamento das materias.

No periodo pre-Copa ambos explanaram as manifestacoes anti-copa e discussoes por melhoras, expondo revoltas da sociedade contra a atual presidente e a entidade FIFA. Retratavam a insatisfacao do cidadao brasileiro com o Mundial, contestando os altos gastos com o megaevento, enquanto que setores publicos precisavam de melhorias.

Todavia, apos o evento ter comecado, os jogos traziam beleza e envolviam os espectadores, fazendo com que o clima de festa e o espetaculo futebolistico sobrepusesse qualquer empecilho. Os discursos dos jornais acompanharam essas mudancas e as materias a respeito do megaevento praticamente esvaeceram.

Ao contrario da visao dos mais ceticos em relacao a capacidade de organizacao e execucao de um megaevento esportivo, o Brasil mostrou-se capaz, os estrangeiros se sentiram seguros e se divertiram, a emocao se sobressaiu e as historias mais complexas de infraestrutura, investimentos ou gastos foram alavancados para depois.

REFERENCIAS

(1)-Bardin, Laurence. Analise de conteudo. Sao Paulo. Edicoes 70. 2011.

(2)-Bruggemann, A.L.; Poffo, B.N.; Souza, D.M.; Messa, F.C.; Fauth, F.; Teixeira, F.F.; Laurentino, J.C.; Piovani, V.G.S. Folha de Sao Paulo: um jornal a servico (da Copa no) do Brasil. Anais do XVII Congresso Brasileiro de Ciencias do Esporte e IV Congresso Internacional de Ciencias do Esporte de Porto Alegre. Conbrace/Conice. Porto Alegre. 2011.

(3)-Dalonso, Y. S; Lourenco, J. M. B. B. O Brasil e a Copa Mundo Fifa 2014: um olhar alem dos holofotes. Brazil and the Fifa World Cup 2014: A look beyond the spotlight. Book of Proceedings, v. 1, International Conference on Tourism & Management Studies. Algarve. 2011.

(4)-Dieder, J.A.; Feltes, A.F.; Montin, J.M.; Kuhn Junior, N.; Sanfelice, G.R. The Portrayal of The Brazilian National Team in the 2014 Fifa World Cupby Newspaper El Pais/Es. International Journal Of Development Research. Vol. 7. p. 13125-13133. 2017.

(5)-El Pais. Imagem do Jornal El Pais, Espanha, jun./jul. 2014. Disponivel em: <www.elpais.com >. Acesso em: 1/05/2016.

(6)-Feltes, A.F.; Dieder, J.A.; Jacques Junior, M.A.S.; Sanfelice, G.R. 2014 World Cup in Brazil--FIFA's Mega Event as Portrayed in the Folha De S.Paulo's Coverage. International Journal of Humanities and Social Science. Vol. 6. Num. 5. p. 45-545. 2016.

(7)-FIFA. Fundo de Legado da Copa do Mundo FIFA 2014--Perguntas Frequentes. 2014. Disponivel em: <http://resources.fifa.com/mm/document/footb alldevelopment/generic/02/40/10/57/faq2014fw clegacyfund_pt_portuguese.pdf> Acesso em: 20/01/2016.

(8)-Folha de S. Paulo. Imagem do Jornal da Folha de Sao Paulo, edicoes 31.116 a 31.147, Sao Paulo, jun./jul. 2014. Disponivel em: <http://acervo.folha.com.br/fsp>. Acesso em: 4/02/2015.

(9)-Sanfelice, G.R. Montin, J.M.; Oliveira Junior, L.L; Feltes, A.F.; Kuhn Junior, N. Analise comparativa entre os jornais El Pais e Folha de Sao Paulo na final da Copa das Confederacoes. Revista Movimento. Vol. 20. Num. Esp. p. 177-196. 2014.

(10)-Santos, T.O.; Correia, A.; Biscais, R.; Araujo, C.; Pedroso, C.A.M.Q.; Stinglen, F.M.; Azevedo, P.H.; Molletta, S.R.; Costa, V.T.; Menezes, V.G. A Qualidade da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 nas cidades-sede. Revista Movimento. Vol. 22. Num. 2. 611-624. 2016.

(11)-Silva, E. A. P. C.; Rechia, S.; Betran, J. O. A Copa do Mundo de futebol 2014 na regiao sul do Brasil: uma analise dos espacos da cidade. Revista Movimento. Vol. 22. Num. 1. 293-310. 2016.

(12)-Tavares, O. Megaeventos Esportivos. Revista Movimento. Vol. 17. Num. 3. p. 11-35. 2011.

Recebido para publicacao em 12/11/2018

Aceito em 06/01/2019

Francieli Machado de Souza [1]

Janaina Andretta Dieder [1]

Alessandra Fernandes Feltes [1]

Gustavo Roese Sanfelice [1]

Joaquin Marin Montin [2]

[1]-Universidade Feevale, Novo Hamburgo-RS, Brasil.

[2]-Universidad de Sevilla, Sevilha, Espanha.

E-mails dos autores:

francifms@gmail.com

janaina.dieder@gmail.com

alessandrafeltes@gmail.com

sanfeliceg@feevale.br

jmontin@us.es

Leyenda: Figura 1--Capa do Jornal El Pais no dia 10 de Junho de 2014.

Leyenda: Figura 2--Caderno de Esporte do Jornal Folha de Sao Paulo no dia 11 de junho de 2014.

Leyenda: Figura 3--Capa do Jornal Folha de Sao Paulo no dia 12 de junho de 2014.

Leyenda: Figura 4--Capa do Jornal Folha de Sao Paulo no dia 13 de junho de 2014.

Leyenda: Figura 5--Caderno Principal--Poder do Jornal Folha de Sao Paulo no dia 22 de junho de 2014.

Leyenda: Figura 6--Capa do Jornal El Pais no dia 12 de julho de 2014.

Leyenda: Figura 7--Capa do Jornal Folha de Sao Paulo no dia 15 de julho 2014.
COPYRIGHT 2019 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Machado de Souza, Francieli; Dieder, Janaina Andretta; Fernandes Feltes, Alessandra; Roese Sanfelice
Publication:Revista Brasileira de Futsal e Futebol
Date:May 1, 2019
Words:4147
Previous Article:ANALISE DA VANTAGEM DE SE JOGAR COMO MANDANTE E SUAS VARIACOES POR NIVEL DAS EQUIPES NAS PRINCIPAIS LIGAS EUROPEIAS DE FUTEBOL.
Next Article:ACEITACAO E SUPERACAO DO ERRO MOTOR POR PRATICANTES DO TIME DE FUTSAL FEMININO DA UFPB.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters