Printer Friendly

CONHECIMENTOS ACERCA DA ALIMENTACAO SAUDAVEL E CONSUMO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES POR ATLETAS DE JIU-JITSU DE UMA ACADEMIA DE MONTES CLAROS-MG.

INTRODUCAO

Tomando como ponto de partida a visao historica acerca do assunto, as artes marciais tiveram seu ponto inicial de desenvolvimento e disseminacao no Oriente.

Na cultura Niponica, artes marciais sao chamadas "Budo", que significa caminho do guerreiro, surgindo com o objetivo de promover a formacao de soldados, dando origem assim ao Jiu-jitsu, cujo nome significa "Arte Suave" (Carmo, Marins e Peluzio, 2014).

O Jiu-jitsu e uma arte marcial originaria do Japao, que utiliza alavancas, pendulos e a inversao das articulacoes corporais para derrubar e dominar o oponente (Santos e colaboradores, 2012).

O mestre Esai Maeda Koma foi o responsavel pela introducao do Jiu-jitsu em territorio brasileiro e, logo apos sua chegada, conheceu Gestao Gracie, pai de Carlos Gracie, sendo estes os responsaveis pelo do legado da familia Gracie, mundialmente conhecida pela arte do Jiujitsu Brasileiro e principal responsavel pela disseminacao da mesma em territorio Nacional tendo a abreviacao de (Bennet, 2018; Lise e Caparro, 2018).

Por sua vez, Rorion Gracie foi o idealizador do Ultimate Fighting Championship (UFC), competicao de artes marciais em que praticantes de artes marciais diferentes se enfrentam a fim de comprovar a eficiencia de suas respectivas tecnicas, e, junto com os estudos e pesquisas do seu Tio Carlos Gracie, publicou no Brasil em 2012 o livro "A dieta Gracie". A dieta Gracie nao e uma dieta baseada em dados cientificos e sim em observacoes, anotacoes e habitos da vivencia dos proprios integrantes da familia Gracie praticantes da "arte suave" (Fontana e Gracie, 2012; Rodrigues e colaboradores, 2018).

Dados mostram, comprovam e ressaltam a importancia da nutricao adequada para um melhor desempenho fisico associado a melhora do rendimento, diminuicao da fadiga e diminuicao na perda de massa magra, porem, em razao das dificuldades encontradas em relacao a rotina e estilo de vida em tempos atuais, no que tange a alimentacao balanceada, cresce o interesse e a comercializacao de produtos que prometem os mesmos beneficios de uma alimentacao adequada, os suplementos alimentares (Monteiro, 2006).

Na ultima decada, houve uma explosao no consumo de alimentos especiais para praticantes de atividades fisicas e de suplementos vitaminicos e/ou minerais, sendo substancias cujo consumo apresenta diversos objetivos dentre eles, ganho ou perda de peso corporal, promocao da hipertrofia e forca musculares, entre outros (Markman e colaboradores, 2008).

Sao chamados suplementos nutricionais, substancias adicionadas a dieta como fonte de nutrientes, apresentando-se nas formas comerciais de suplementos vitaminicos e minerais, ervas e produtos botanicos, aminoacidos, metabolicos, constituintes, extratos ou combinacoes de qualquer desses ingredientes (Williams, 2004).

Suplementos alimentares apresentam-se como sendo recursos ergogenicos que podem ser utilizados para a melhoria do desempenho nas atividades esportivas e fitness, oferecendo beneficios e resultados aos praticantes de atividades que procuram obter resultados em curto periodo (Bessada, Alves e Oliveira, 2018).

Na comunidade cientifica, e consenso que a dieta pode fornecer todos os nutrientes necessarios a uma vida saudavel, fazendo com que suplementos mostre-se apenas como uma fonte de melhora da performance, e nao uma obrigatoriedade para praticantes de atividade fisica, uma vez que, o consumo de suplementos nutricionais ou farmacologicos, sem uma correta prescricao (casos comuns), pode produzir efeitos prejudiciais a saude do consumidor (Alvarez e colaboradores, 2018).

Tais efeitos podem ser de pequena magnitude e reversiveis, como caibras e cansaco muscular causado pelo consumo de creatina, bem como efeitos maleficos de longa duracao e irreversiveis (Braganca, 2003; Schlotterbeck e colaboradores, 2019).

A falta de uma legislacao rigida facilita o acesso a essas substancias, que sao compradas facilmente em farmacias e academias sem a utilizacao de prescricao medica. Fatores como a falta de conhecimentos, a presenca de habitos alimentares inadequados, a ausencia de orientacao e a influencia da midia aliados ao estimulo por parte de alguns profissionais "despreparados", contribuem para a utilizacao dos suplementos nutricionais e a adocao de um comportamento alimentar inadequado na obtencao de resultados (Carrilho e colaboradores, 2013).

Desse modo, o presente estudo teve por objetivo analisar os conhecimentos acerca da alimentacao saudavel e consumo de suplementos alimentares por atletas praticantes de Jiu-jitsu de uma academia da cidade de Montes Claros-MG.

MATERIAIS E METODOS

Tratou-se de um estudo transversal com analise descritiva, sendo a amostra constituida de 44 individuos, do genero masculino, na faixa etaria de 19 a 44 anos, praticantes de Jiu-jitsu de uma academia da cidade de Montes Claros-MG.

Apos terem sido informados sobre os objetivos do estudo, os praticantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, protocolado junto ao Comite de Etica em Pesquisa da Associacao Educativa do Brasil - SOEBRAS sob o numero de aprovacao 1.666.032, mostrando total consentimento a Resolucao 466/12 do Conselho Nacional de Saude, que trata sobre as pesquisas envolvendo seres humanos.

Apos a informacao e consentimento, os individuos responderam a um questionario adaptado de Zamin e Schimanoski (2010), constituido por 20 perguntas, sendo 13 objetivas e 7 discursivas relacionadas a identificacao, conhecimentos sobre alimentacao saudavel, fontes alimentares de nutrientes e uso de suplementos nutricionais.

Em relacao a identificacao, foram levados em consideracao variaveis como idade e escolaridade.

A respeito dos conhecimentos sobre alimentacao saudavel foi questionado como o praticante classificaria seus conhecimentos sobre uma alimentacao saudavel, qual a importancia que a alimentacao adequada possui na pratica de atividade fisica, se o individuo ja teria recebido orientacao sobre alimentacao adequada e qual seria o macronutriente que deveria ter maior consumo diario.

Sobre as fontes alimentares de nutrientes, foi solicitado ao participante que citasse tres fontes de carboidrato, proteina e lipidio. E em relacao ao consumo de suplementos foi questionado se o individuo tinha conhecimento acerca da suplementacao e se fazia uso de suplementos, bem como tipo de suplemento, frequencia de suplementacao, tempo de consumo, obtencao de resultados desejados e fonte de indicacao do suplemento alimentar.

Apos a coleta de dados, eles foram analisados pelo programa Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) 20.0 for Windows. Foram obtidos os valores de media, desvio padrao e frequencia para os itens avaliados no questionario.

RESULTADOS E DISCUSSAO

Na tabela 1, verificou-se a media de idade de 29,5% anos [+ or -] 7,4 anos e a media de peso corporal de 83,8 Kg [+ or -] 10,9. Resultado similar encontra-se no estudo de Chiaverini, Oliveira (2013) e no estudo de Del Vecchio e Ferreira (2013) a media de IMC 26,19% ([+ or -]2,13) ficou muito proxima, com a media do presente estudo.

Com relacao a caracterizacao dos praticantes quanto ao genero, todos os avaliados eram do genero masculino. O grau de escolaridade apresentado na tabela 2 demonstra que, 29,5% dos objetos da pesquisa possuem curso superior completo e 29,5% possuem curso superior incompleto ou cursando.

Partindo desses dados, pode-se inferir que dos atletas participantes do estudo, mais da metade apresentam um grau de escolaridade considerado alto. Dados semelhantes encontrados foram evidenciados por Domingues e Marins (2007), demonstrando que o nivel de escolaridade da amostra foi predominante de pessoas com nivel superior sendo 39% incompleto e 31% completo.

Todavia, o resultado da presente pesquisa demonstra que o grau de escolaridade nao foi um fator determinante no conhecimento dos participantes sobre alimentacao saudavel e utilizacao de suplementos, observado pelos dados apresentados na tabela 3.

Na tabela 3 observou-se que 63,6% dos avaliados afirmam que a alimentacao adequada e de carater indispensavel na pratica do Jiu-jitsu. Quanto a auto avaliacao do nivel de conhecimento sobre alimentacao saudavel, a grande maioria respondeu ter conhecimento "suficiente" 54,5% ou "muito bom" 40,9%, diante dos resultados sobre o recebimento de orientacao adequada, 56,8% dos avaliados responderam nao ter orientacao, enquanto 43,2% afirmam ter orientacao adequada; 45,5% dos avaliados do presente estudo afirmaram ser o principal micronutriente a ser consumido diariamente os carboidratos, enquanto 2,3% acreditam ser os lipidios.

Tais dados permitem inferir que os avaliados em questao obtiveram informacoes inadequadas ou incompletas acerca de consumo diario alimentar, podendo tais informacoes ser obtidas por profissionais ou fontes nao especializadas em nutricao, reforcando ainda mais a necessidade da presenca de especialistas na area de nutricao fornecendo informacoes completas aos praticantes de lutas.

Segundo Guerra (2004), os lipideos sao importantes micronutrientes de consumo diario, sendo responsaveis por fornecer energia para o organismo, cuja maior parte e proveniente dos acidos graxos livres mobilizados pelo tecido adiposo, principalmente, durante o exercicio fisico. Todavia, 52,3% dos entrevistados responderam, equivocadamente, que a proteina e o micronutriente que se deve ter o maior consumo diario, reforcando a influencia da midia e industria de suplementos no fornecimento de informacoes distopicas.

Hernandez e colaboradores (2009) ressalta que os carboidratos possuem alta participacao em proporcao a maior intensidade do esforco. Os treinos e os combates demandam forca e potencia, com diferencas em tempo de duracao, isto significa que carboidratos devem ser priorizados em dietas para atletas lutadores.

Em um estudo performado por Chagas e Ribeiro (2011) tal afirmacao foi reforcada, baseando-se no fato de o sistema energetico predominante na modalidade do Jiu-jitsu e outras modalidades de combate e o ATP-CP (Adenosina trifosfato fosfocreatina) e glicogenio muscular, justificando a necessidade de manter uma elevada ingestao de carboidratos.

E compreendido que os niveis baixos de reserva e a deplecao de glicogenio muscular sao alguns fatores que acarretam a fadiga durante o exercicio fisico prolongado com ou sem alta intensidade (Brouns, 2005), sendo assim indispensavel garantir um armazenamento otimo de glicogenio antes do exercicio e um fornecimento otimo de carboidrato durante o exercicio, aumentando os estoques corporais tanto nos musculos quanto no figado, promovendo melhora nos processos de recuperacao muscular, resposta imune e oferta substrato energetico para a utilizacao durante as atividades fisicas.

Conforme demonstrado na tabela 4, que tem como foco o consumo de suplementos alimentares, observa-se que, 50% dos atletas inseridos na pesquisa nao fazem uso de suplementos, e 50% dos fazem consumo regular, sendo estes dados corroborantes aos encontrados por Silva e Carvalho (2002).

Com relacao a parcela dos participantes que utilizam suplementos alimentares, 6,9% utilizam suplementos atraves da influencia da midia, sendo tal dado observado e justificado nos estudos de Santos e Barros Filho (2002) que ressalta a grande influencia da midia na venda e consumo de suplementos, alem da facilidade de se obter no mercado todo e qualquer tipo de suplemento sem qualquer prescricao.

Em seguida, apresentam-se os individuos que fazem o uso de suplementos baseados em indicacao de amigos (4,2%). verificou-se que apenas 2,8% dos entrevistados consomem suplementos por indicacao de endocrinologista e ou por indicacao de educadores fisicos, seguidos por 1,4% da amostra consumidora de suplementos que foram orientados por um nutricionista, sendo os atuais responsaveis pela indicacao de suplementos, resguardados pela legislacao do Conselho Federal de Nutricionistas (CFN 2005; Brasil, 2005) sendo assim vetada a indicacao por educadores fisicos ou medicos e, principalmente, influencia midiatica.

De acordo com Borges, Silva e Rodrigues (2016) tal situacao onde, a associacao de indicacao por profissionais nao especializados e influencia da midia acarretam uma utilizacao inadequada de suplementos, acarretando alem de riscos a saude e bem-estar do consumidor, dificuldades no que tange ao alcance dos resultados esperados/prometidos.

Estudo de Pereira e Cabral (2007) permitiu observar resultados semelhantes em relacao a prescricao de suplementos por educadores fisicos e endocrinologistas, sendo que, dos individuos componentes da amostra que receberam orientacao sobre alimentacao e nutricao, apenas 25,7% destas foram feitas por nutricionistas, sendo o restante das indicacoes realizadas por treinadores, educadores fisicos ou por endocrinologistas, ressaltando assim a inadequabilidade quanto as indicacao.

CONCLUSAO

Mediante resultados encontrados no presente estudo, conclui-se que existe um conhecimento parcial no que se refere a alimentacao saudavel, mas ainda existem equivocos, bem como constatou-se uma frequencia do consumo de suplementos estimulado pela midia e outras formas de divulgacao inadequadas e inespecificas.

Dificultando o acesso e contato entre lutadores e profissionais habilitados, podendo resultar em um consumo inadequado de nutrientes essenciais na alimentacao, bem como acabar colocando em risco a saude dos atletas se consumido de forma incorreta.

Portanto, em consorcio ao trabalho do treinador quanto o desempenho dos atletas, a orientacao nutricional e estrategias no plano alimentar se faz necessario, cabendo tais direcionamentos ao profissional nutricionista, que e o profissional habilitado para executar tais demandas respeitando a individualidade de cada atleta.

Resguardando a contribuicao deste para o melhor esclarecimento acerca do tema abordado, e importante ressaltar que outras propostas cientificas, novas abordagens e estudos futuros fazem-se necessarios, tendo por intuito esclarecer e preencher as possiveis lacunas nao exploradas nesse momento.

REFERENCIAS

1-Alvarez, A. G.; Vinas, B. R.; Murga, L. V.; Barba, L. R.; Majem, L. S. Assessment of Food Supplements Containing Botanicals in Epidemiological Research. In: (Ed.). Food Supplements Containing Botanicals: Benefits, Side Effects and Regulatory Aspects. Springer. 2018. p. 61-115.

2-Bennett, K. J. Cultural Consensus Models of Strategy among Brazilian Jiu Jitsu Practitioners in Atlanta. Tese de Doutorado. The University of Alabama Libraries. 2018.

3-Bessada, S. M.; Alves, R. C.; Oliveira, M. B. P. Caffeine-based food supplements and beverages: Trends of consumption for performance purposes and safety concerns. Food Research International. Vol. 109. p. 310319. 2018.

4-Borges, N. R.; Silva, V. S. G.; Rodrigues, V. D. Consumo de suplementos alimentares em academias de Montes Claros/MG. Revista Multitexto. Vol. 4. Num. 1. p. 54-59. 2016.

5-Braganca, E. Usos e limitacoes da creatina como ergogenico em exercicios fisicos. Nutricao em Pauta. Vol.3. Num.2, p. 43-6. 2003.

6-Brasil. Conselho Federal de Nutricao. CFN. Resolucao RDC no. 380. de 2005. Dispoe sobre Area de Nutricao em Esportes. 2005. Disponivel em: <http://www.cfn.org.br/novosite/pdf/res/2005/res380.pdf>. Acesso em: outubro de 2016.

7-Brouns, F. Fundamentos de Nutricao para os Desportos. [2.sup.a] edicao. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2005. p. 151.

8-Carmo, M. C. L.; Marins, J. C. B.; Peluzio, M. do C. G. Intervencao nutricional em atletas de Jiu-Jitsu. R. Bras. Ci. e Mov. Vol. 22. Num. 1. p. 97-110. 2014.

9-Carrilho, L. H. Beneficios da utilizacao da proteina do soro de leite whey protein. Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Vol. 7. Num. 40. p.195-203. 2013. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article /view/393>

10-CFN, Conselho de Nutricionistas. Resolucao CFN n 380/2005. Dispoe sobre a definicao das areas de atuacao do. 2005.

11-Chagas, C.E.A.; Ribeiro, S.M.L. Avaliacao de uma intervencao nutricional em lutadores evaluation of a nutritional intervention on wrestlers. Brazilian Journal of Sports and Exercise Research. Vol. 2. Num. 2. 2011.

12-Chiaverini, L. C. T.; Oliveira, E. P. Avaliacao do consumo de suplementos alimentares por praticantes de atividade fisica em academias de Botucatu/SP. Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Vol. 7. p. 108117. 2013. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article /view/376>

13-Del Vecchio, F, B.; Ferreira, J. L. M. Caracteristicas De Lutadores De Mixed Martial Arts De Pelotas-RS: Antropometria, Aptidao Aerobia E Neuromuscular. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte. Vol. 35. Num. 3. 2013.

14-Domingues, S. F.; Marins, J. C. B. Utilizacao de recursos ergogenicos e suplementos alimentares por praticantes de musculacao em Belo Horizonte-MG. Fitness & performance journal. Num. 4. p. 218-226. 2007.

15-Fontana, J.; Gracie, R. A Dieta Gracie: o segredo dos campeoes. Sao Paulo: Benvira, 2012. Um ponto de partida para uma analise epistemologica da Ciencia da Nutricao. RBNE-Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Vol. 10. Num. 55. p. 120-123. 2016. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/609>

16-Guerra, I. Importancia da alimentacao e da hidratacao do atleta. Min. Educ. Fis. Vol. 12. Num. 2. p. 159-73. 2004.

17-Hernandez, A. J.; Nahas, R. M. Modificacoes dieteticas, reposicao hidrica, suplementos alimentares e drogas: comprovacao de acao ergogenica e potenciais de riscos para a saude. Revista Brasileira de Medicina no Esporte. Vol. 15. Num. 3. 2009.

18-Lise, R. S.; Capraro, A. M. Primordios do jiu-jitsu e dos confrontos intermodalidades no Brasil: contestando uma memoria consolidada. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte. Vol. 40. Num. 3. p. 318-324. 2018.

19-Markman, B. E. O.; Koschtschak, M. R. W.; Uessugui, O.; Magnelli, R. F.; Wu, E. M.; Santos, A. P. Pesquisa e identificacao de anabolizantes em alimentos elaborados para praticantes de atividades fisicas, suplementos vitaminicos e ou minerais. BEPA. Boletim Epidemiologico Paulista (Online). Vol. 5. Num. 60. p. 4-8. 2008.

20-Monteiro, S. M. N. Glutamina e exercicio: Metabolismo, Imunomodulacao e Suplementacao, Nutricao saude e performance. Anuario de nutricao esportiva funcional. Vol. 7. Num. 32. p. 34-37. 2006.

21-Pereira, J.M.D.O.; Cabral, P. Avaliacao dos conhecimentos basicos sobre nutricao de praticantes de musculacao em uma academia da cidade de Recife. Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Vol. 1. Num. 1. p. 2007. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/5>

22-Rodrigues, J. V. D. M. S.; Araujo, F. L. M.; Columa, J. F.; Triani, F. D. S. Jiu-jitsu brasileiro: notas sobre a transposicao da arte marcial para o esporte espetaculo. Arquivos de Ciencias do Esporte. Vol. 6. Num. 1. 2018.

23-Santos, K. M. O. D.; Barros Filho, A. A. B. Antonio de Azevedo. Fontes de informacao sobre nutricao e saude utilizadas por estudantes de uma universidade privada de Sao Paulo. Revista de Nutricao. Vol. 15. Num. 2. p. 202-210. 2002.

24-Schlotterbeck, J.; Cebo, M.; Kolb, A.; Lammerhofer, M. Quantitative analysis of chemoresistance-inducing fatty acid in food supplements using UHPLC-ESI-MS/MS. Analytical and bioanalytical chemistry. Vol. 411. Num. 2. p. 479-491. 2019.

25-Silva, M.S.; Carvalho, M.S. Analise da suplementacao nutricional dos atletas da selecao brasiliense de karate. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte. Vol. 24. Num. 1. 2002.

26-Williams, M. Suplementos Dieteticos e Desempenho Esportivo: Introducao e Vitaminas. Nutricao em Pauta. Num. 64. p.56-61. 2004.

2-Programa de pos-graduacao em Ciencias da Saude, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Montes Claros-MG, Brasil.

3-Programa de pos-graduacao em Neurociencias, Universidade Federal Fluminense (UFF), Niteroi-RJ Brasil. 4-Departamento de Educacao Fisica e do Desporto, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), Montes Claros-MG, Brasil.

E-mails dos autores:

aloysiovieira@yahoo.com

jessik-mello@hotmail.com

joaofadetec@gmail.com

marianarochaalves13@gmail.com

magdamendesvieira@hotmail.com

vinicius.rodrigues.cp@funorte.edu.br

Recebido para publicacao em 18/02/2019

Aceito em 28/05/2019

Aluisio Eduardo da Cruz Junior (1), Jessica Melo dos Santos (1) Joao Lucas Rodrigues dos Santos (2), Mariana Rocha Alves (3) Magda Mendes Vieira (2), Vinicius Dias Rodrigues (4)

(1) - Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros-MG, Brasil.
Tabela 1 - Caracterizacao da amostra de acordo com a idade, peso
corporal, estatura e IMC relatados.

                     n    Media   [+ or -] DP

Idade (anos)         44   29,59    7,48
Peso Corporal (Kg)   44   83,81   10,97
Estatura (m)         44    1,77    0,62
IMC (Kg/[m.sup.2])   44   26,52    3,47

Tabela 2 - Caracterizacao da amostra com relacao ao genero e
escolaridade.

                             n    %
Genero
Homem                        44   100
Mulher                        0     0
Total                        44   100
Escolaridade
Ensino Medio Incompleto       6    13,6
Ensino Medio Completo        12    27,3
Ensino Superior Incompleto   13    29,5
Ensino Superior Completo     13    29,5
Total                        44   100

Tabela 3 - Autoavaliacao e nivel de conhecimentos de alguns topicos
relacionados a alimentacao saudavel por atletas de Jiu-jitsu de uma
academia de Montes Claros-MG.

                                                           n    %

Como classifica seus conhecimentos sobre uma alimentacao
saudavel?
Excelente                                                   1     2,3
Muito Bom                                                  18    40,9
Suficiente                                                 24    54,5
Insuficiente                                                1     2,3
Total                                                      44   100,0
Qual importancia da alimentacao adequada na pratica de
atividade fisica?
Indispensavel                                              28    63,6
Importante                                                 13    29,5
Necessario                                                  3     6,8
Nao tem importancia                                         0     0
Total                                                      44   100,0
Recebeu orientacao sobre alimentacao adequada?
Sim                                                        19    43,2
Nao                                                        25    56,8
Total                                                      44   100,0
Qual o macronutriente que se deve ter maior
consumo diario?
Carboidrato                                                20    45,5
Proteina                                                   23    52,3
Lipidio                                                     1     2,3
Total                                                      44   100,0

Tabela 4 - Uso de Suplementos por atletas de Jiu-jitsu de uma academia
de Montes Claros-MG.

                                      n    %

Faz uso de suplementos alimentares?
Sim                                   22   50,0
Nao                                   22   50,0
Quem indicou o suplemento?
Nao uso                               16   22,2
Nutricionista                          1    1,4
Educador Fisico                        2    2,8
Treinador                              0    0
Endocrino                              2    2,8
Iniciativa Propria                     1    1,4
Midia                                  5    6,9
Um (a) amigo (a)                       3    4,2
Outros                                 3    4,2
COPYRIGHT 2019 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:da Cruz Junior, Aluisio Eduardo; Melo dos Santos, Jessica; Rodrigues dos Santos, Joao Lucas; Alves,
Publication:Revista Brasileira de Nutricao Esportiva
Date:Jul 1, 2019
Words:3741
Previous Article:PERFIL NUTRICIONAL DE PRATICANTES DE ATIVIDADE DE FORCA.
Next Article:AVALIACAO DA INFLUENCIA NUTRICIONAL NAS ATIVIDADES DE ATLETISMO, NATACAO E FUTEBOL DA ACADEMIA DA FORCA AEREA BRASILEIRA (AFA): UMA ABORDAGEM...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters