Printer Friendly

COMPARACAO ENTRE A QUANTIDADE DE GOLS REALIZADOS NO CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL 2017 EM FUNCAO DO TEMPO DE JOGO.

Comparison between the numbers of goals achieved in the Brazilian football championship 2017 in game time function

INTRODUCAO

A analise de jogo e fundamental para o desempenho, com o objetivo de melhorar o entendimento do jogo e tambem contribuir para o processo de treinamento esportivo (Garganta, 2001).

Alem disso, os estudos basicamente focam na busca por indicadores de desempenho, seja de natureza tecnica ou tatica (Hughes e Bartlett, 2002).

Neste sentido, especificamente no futebol pesquisas vem observando o comportamento dos jogadores (Castaner e colaborados, 2016, 2017), relacao entre goleiro-batedor em situacoes de penalti (Furley, Noel e Memmert, 2017; Muller, Best e Canal-Bruland, 2018) bem como, as interacoes tecnico-taticas determinantes ao resultado final (Hughes e Franks, 2005; Liu e colaboradores, 2015; Rumpf e colaboradores, 2017).

Ao ponto que o gol e o principal objetivo do jogo, o mesmo pode ser estudado a vista do tempo em que ocorre.

Deste modo, a classificacao para o tempo de jogo (minimo de 90 minutos) suporta adotar-se primeiro e segundo tempo (45 minutos por tempo e acrescimos), mas para uma analise mais precisa, recomenda-se utilizar intervalos de 15 minutos (Carelli e colaboradores, 2017).

Alem disso, o tempo de acrescimo pode ser um fator determinante para analise da incidencia de gols (Campos, Drezner e Cortez, 2016), ja que aumenta a duracao dos periodos proximos ao final do primeiro tempo e tambem final do jogo.

Ja foi observado que a maioria das assistencias para gol se origina da area central do campo (Andrade e Espirito Santo, 2016). Junto a isso, os gols ocorrem principalmente no segundo tempo, como visto no Campeonato Brasileiro de 2001 (Leitao e colaboradores, 2003), posteriormente o mesmo foi identificado na mesma competicao (Novaes de Souza, Farah e Dias 2012), e tambem em competicoes internacionais (Carelli e colaboradores, 2017; Santos, 2015), quanto em categorias de base (Rissati, 2018).

No entanto, a maioria dessas pesquisas se limitou a descrever, nao realizando comparacoes entre os fragmentos de tempo, o que pode ser um elemento norteador como indicador de desempenho das equipes e suas possiveis consequencias nas estrategias de jogo (Carelli e colaboradores, 2017).

Pelo fato exposto, o objetivo desta pesquisa foi comparar a quantidade de gols realizados pelas equipes em funcao do tempo de jogo.

MATERIAIS E METODOS

Participaram do estudo 20 equipes que disputaram a primeira divisao do Campeonato Brasileiro 2017, masculino profissional. Ao total foram 38 rodadas, contabilizando 380 jogos, somando turno e returno. Os dados foram obtidos de forma indireta atraves do site especializado em estatistica voltado ao futebol (FootStats, 2018 - www.footstats.net).

Foi verificada a quantidade de gols realizados por cada equipe de forma bruta (contagem) e relativa (percentual) durante todo o campeonato. Os gols validos foram agrupados de acordo com o momento em que eram marcados, considerando fragmentos do tempo total de jogo (90 minutos) em partes correspondentes a ~15 minutos (0-15 minutos, >15-30 minutos, >30-45 minutos, >45-60 minutos, >60-75 minutos, >75-90 minutos), com acrescimos nos fragmentos proximo ao intervalo e final da partida (Carelli e colaboradores, 2017).

Estatistica

Utilizou-se a estatistica descritiva para apresentacao dos dados. Deste modo, foi feita a media e desvio padrao da quantidade de gols por equipes (bruto e relativo). Devido a normalidade dos dados, verificado pelo teste de Shapiro-wilk, optou-se por comparar as medias utilizando o teste Anova one-way. Em caso de apresentar significancia, o post hoc Bonferroni tambem foi utilizado. Adicionalmente, calculou-se o tamanho do efeito por meio do partial eta squared (qp2). Todos os procedimentos estatisticos foram feitos por meio do software IBM[R] SPSS 20.0, admitindo significancia de 5% (p< 0,05).

RESULTADOS

A Tabela 1 reporta a quantidade media de gols realizados (bruto) pelas equipes participantes do Campeonato Brasileiro de Futebol, 2017. Observou-se diferenca estatistica na quantidade de gols realizado nos diferentes momentos do jogo F [(2,060 39,147) = 42,570 p<0,001 [eta]p2= 0,691]. Deste modo, foram feitos menos gols nos minutos iniciais (0-15 minutos) em relacao a todos os fragmentos adotados. Alem disso, os gols ocorridos entre 15-30 minutos, foi estatisticamente menor do que os fragmentos 30-45 minutos, 60-75 minutos e 75-90 minutos (p<0,001).

A media de gols ocorridos 30-45 minutos foram maiores do que os ocorridos entre 45-60 minutos (p= 0,002), porem nao houve diferenca ao comparar os momentos 60-75 minutos (p = 0,192) e 75-90 minutos (p= 1,000). Os gols ocorridos 45-60 minutos foram menores que 60-75 minutos (p= 0,010) e 7590 minutos (p <0,001). Por fim, a media dos gols 75-90 minutos foi maior do que os anotados 60-75 minutos (p= 0,002).

Em seguida verificou-se a media do percentual de gols realizados (Tabela 2). Assim como na analise bruta, houve diferenca em relacao aos gols feitos F [(3,43 65,266) = 61,890 p<0,001 [eta]p2= 0,765].

Deste modo, menos gols foram realizados no inicio do jogo (0-15 minutos), quando comparado aos demais fragmentos de tempo (p<0,001), exceto pelo fragmento 15-30 minutos (p= 0,713), que se mostrou menor apenas frente aos fragmentos "3", "5" e "6" (p<0,001). Alem disso, mais gols ocorreram 30-45 minutos, quando comparado aos fragmentos "4" e "5".

Por fim, mais gols ocorrem de 75-90 minutos quando comparado aos demais fragmentos (p<0,001), exceto pelo fragmento "3".

DISCUSSAO

O presente estudo investigou a diferenca de gols ocorridos no Campeonato Brasileiro de Futebol Profissional 2017. Em relacao a isso, identificou-se que o final do primeiro tempo (30-45 minutos) e segundo tempo (75-90 minutos) foram os pontos mais criticos, ou seja, ocorreram mais gols do que a maioria dos outros momentos do jogo. Deste modo, os autores discutem as possiveis causas e implicacoes para o desenvolvimento do jogo.

Os gols observados ocorreram em maioria no segundo tempo, em estudo realizado por Leitao e colaboradores (2003), no Campeonato Brasileiro de 2001, verificouse que mais gols ocorriam nessa mesma etapa do jogo, tendo maior frequencia nos minutos 31-45 (segundo tempo). Alem disso, os autores observaram que as equipes melhores colocadas (ranking 1 ao 4), faziam mais gols nos minutos iniciais de cada tempo, e no final do segundo tempo. Recentemente, encontraram-se semelhancas em relacao a frequencia de gols, somando-se a isso, o maior quantitativo de tentos foi visto com bola rolando provenientes de finalizacoes de dentro da area (Novaes de Souza e colaboradores, 2012).

Ao observar as comparacoes dos fragmentos de tempo adotados, o final do primeiro tempo (30-45 minutos) e final do segundo tempo (75-90 minutos), foram os momentos em que mais gols aconteceram. Semelhante a isso foi visto na competicao em anos anteriores, no qual havia diferenca entre 0-15 minutos e 60-75, 75-90 minutos (Campos, Drezner e Cortez, 2016).

Adicionalmente, o nivel da competicao nao parece ter efeito junto a incidencia de gols, ja que na Copa Libertadores da America, tambem se detectou mais gols no segundo tempo, especialmente nos minutos finais (Carelli e colaboradores, 2017) e tambem na Copa do Mundo (Santos, 2015); para mais, categorias de base (sub 20) mostram o mesmo comportamento, como constatado durante o Sul-Americano (Rissati, 2018).

Alem de verificar a incidencia dos gols, outros estudos buscaram observar o efeito do gol no decorrer da partida. Em consequencia disso, foi verificado que o contra-ataque e bastante efetivo para marcacao de um gol (Tenga e colaboradores, 2010).

Ademais, em situacoes da equipe mandante realizar um gol no primeiro tempo, ocorre a diminuicao das chances de chegar ao final da partida em vantagem (Baert e Amez, 2018).

Em relacao a uma equipe marcar primeiro que o adversario existe uma modificacao no comportamento tatico, reduzindo a posse de bola e chegada ao terco final do campo, por conseguinte os chutes a gol (Lago-Penas e Gomez-Lopez, 2014).

Por fim, essa pesquisa limitou-se a comparar a quantidade de gols marcados pelas equipes ao longo do tempo.

Deste modo, pesquisas futuras devem verificar as implicacoes para a classificacao final e tambem para o comportamento tatico dentro do jogo.

Alem disso, os fragmentos de tempo proximo ao intervalo e final do jogo podem apresentar mais gols por ter mais tempo, ja que ha a possibilidade de acrescimo, porem devido a modo de coleta de dados nao havia possibilidade de construir mais fragmentos de tempo.

CONCLUSAO

As equipes participantes do Campeonato Brasileiro de Futebol 2017 realizaram mais tentos nos fragmentos de tempo proximos ao intervalo e final da partida.

Alem disso, poucos gols foram realizados nos minutos iniciais. Investigacoes futuras devem buscar identificar as consequencias disso para a classificacao do campeonato e alteracoes taticas no decorrer do jogo.

REFERENCIAS

(1)-Andrade, M. T.; Espirto Santo, L. C. Relacao Entre as Acoes Finais que Resultam em Gols e o Mando de Campo no Campeonato Brasileiro de 2009--Serie A. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte. Vol. 38. Num. 4. p. 363-369. 2016.

(2)-Baert, S.; Amez, S. No Better Moment to Score a Goal than Just Before Half Time? A Soccer Myth Statistically Tested. PLoS ONE. Vol. 13. Num. 3. p. 1-17. 2018.

(3)-Campos, N.; Drezner, R.; Cortez, J. A. A. Analise da Ocorrencia Temporal dos Gols no Campeonato Brasileiro 2011. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte. Vol. 38. Num. 1. p. 58-63. 2016.

(4)-Carelli, F. G.; David, W. A. L.; Comini, L. O.; Bartole, I. R. Incidencia temporal dos gols na copa libertadores da america. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 9. Num. 32. p. 27-31. 2017. Disponivel em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/vi ew/435/383>

(5)-Castaner, M.; Barreira, D.; Camerino, O.; Anguera, M. T.; Canton, A.; Hileno, R. Goal Scoring in Soccer: A Polar Coordinate Analysis of Motor Skills Used by Lionel Messi. Frontiers in Psychology. Vol. 7. p. 1-10. 2016.

(6)-Castaner, M.; Barreira, D.; Camerino, O.; Anguera, M. T.; Fernandes, T.; Hileno, R. Mastery in Goal Scoring, T-pattern Detection, and Polar Coordinate Analysis of Motor Skills Used by Lionel Messi and Cristiano Ronaldo. Frontiers in Psychology. Vol. 8. p.1-18. 2017.

(7)-Footstats. Central de conteudo estatistico do futebol Brasileiro. 2018. Disponivel em: <www.footstats.net> acessado em 10/01/2018.

(8)-Furley, P.; Noel, B.; Memmert, D. Attention Towards the Goalkeeper and Distraction During Penalty Shootouts in Association Football: A Retrospective Analysis of Penalty Shootouts From 1984 to 2012. Journal of Sports Sciences. Vol. 35. Num. 9. p. 873-879. 2017.

(9)-Garganta, J. A Analise da Performance nos Jogos Desportivos: Revisao Acerca da Analise do Jogo. Revista Portuguesa de Ciencias do Desporto. Vol. 1. Num. 1. p. 57-64. 2001.

(10)-Hughes, M. D.; Bartlett, R. M. The Use of Performance Indicators in Performance Analysis. Journal of Sports Sciences. Vol. 20. Num. 10. p. 739-754. 2002.

(11)-Hughes, M.; Franks, I. Analysis of Passing Sequences, Shots and Goals in Soccer. Journal of Sports Sciences. Vol. 23. Num. 5. p. 509-514. 2005.

(12)-Lago-Penas, C.; Gomez-Lopez, M. How Important is it to Score a Goal? The Influence of the Scoreline on Match Performance in Elite Soccer. Perceptual and Motor Skills. Vol. 119. Num. 3. p. 774-784. 2014.

(13)-Leitao, R. A.; Guerreiro Junior, F. C.; Zago, L.; Moraes, A. C. Analise da Incidencia de Gols por Tempo de Jogo no Campeonato Brasileiro de Futebol 2001: Estudo Comparativo Entre as Primeiras e Ultimas Equipes Colocadas da Tabela de Classificacao. Conexoes. Vol.1. Num. 2. p. 115-224. 2003.

(14)-Liu, H.; Gomez, M.; Lago-Penas, C.; Sampaio, J. Match statistics related to winning in the group stage of 2014 Brazil FIFA World Cup. Journal of Sports Sciences. Vol. 33. Num. 12. p. 1205-1213. 2015.

(15)-Muller, F.; Best, J. F.; Canal-Bruland, R. Goalkeepers' Reputations Bias Shot Placement in Soccer Penalties. Journal of Sport and Exercise Psychology. Vol. 40. Num. 3. p. 128-134. 2018.

(16)-Novaes de Souza, E. L.; Farah, B. Q.; Dias, R. M. R. Tempo de Incidencia dos Gols no Campeonato Brasileiro de Futebol 2008. Revista Brasileira de Ciencias do Esporte. Vol. 34. Num. 2. p. 421-431. 2012.

(17)-Rissati, J. P. M. Incidencia temporal de gols no futebol: analise do sul-americano sub-20. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 10. Num. 36. p. 23-26. 2018. Disponivel em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/vi ew/531>

(18)-Rumpf, M.C.; Silva, J.R.; Hertzog, M.; Farooq, A.; Nassis, G. Technical and Physical Analysis of the 2014 FIFA World Cup Brazil: Winners vs. Losers. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness. Vol. 57. Num. 10. p. 1338-1343. 2017.

(19)-Santos, T. C. B. A Incidencia de Gols na Fase Classificatoria para a Copa do Mundo de 2010 na Africa do Sul. Revista Brasileira de Futsal e Futebol. Vol. 7. Num. 23. p. 67-71. 2015. Disponivel em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/vi ew/323>

(20)-Tenga, A.; Holme, I.; Ronglan, L. T.; Bahr, R. Effect of Playing Tactics on Goal Scoring in Norwegian Professional Soccer. Journal of Sports Sciences. Vol. 28. Num. 3. p. 237-244. 2010.

Recebido para publicacao em 15/11/2018

Aceito em 06/01/2019

Yago Pessoa da Costa [1]

Nelson Kautzner Marques Junior [2]

Elizabeth Lourdes Soares da Silva [1]

Gilmario Ricarte Batista [1]

[1]-Universidade Federal da Paraiba, Joao Pessoa-PB, Brasil

[2]-Membro do Comite Cientifico da Revista Observatorio del Deporte, Santiago, Chile.

E-mails autores:

yago_pessoa@hotmail.com

kautzner123456789junior@gmail.com

bethlss@gmail.com

cajagr@gmail.com

Endereco para correspondencia:

Yago Pessoa da Costa.

Departamento de Educacao Fisica, UFPBDEF, Cidade Universitaria, s/n--Castelo Branco III, Joao Pessoa-PB.

CEP: 58051-085.
Tabela 1--Media e desvio padrao dos gols (bruto) ocorridos ao longo do
tempo no Campeonato Brasileiro 2017.

Fragmento   Minutos       Media        DP

1              0-15           5,45    2,06
2             15-30       6,50 (a)    2,46
3             30-45      9,45 (ab)    4,08
4             45-60      7,00 (ac)    2,77
5             60-75     7,85 (abd)    2,00
6             75-90    9,90 (abdf)    3,71

Legenda: (a) 1 vs. 2, 3, 4, 5, 6 - p< 0,001; (b) 2 vs. 3, 5, 6 - p<
0,001; (c) 3 vs. 4 - p= 0,002; (d) 4 vs. 5 - p= 0,010;
(d) 4 vs. 6 - p< 0,001; (f) 5 vs. 6 - p= 0,002.

Tabela 2--Media e desvio padrao dos gols (relativo) ocorridos ao longo
do tempo no Campeonato Brasileiro 2017

Fragmento   Minutos        Media        DP

1              0-15           11,98    2,18
2             15-30           13,86    1,92
3             30-45      20,33 (ab)    2,22
4             45-60      14,87 (ac)    1,74
5             60-75    17,63 (abcd)    2,01
6             75-90    21,30 (abde)    1,32

Legenda: (a) 1 vs. 3, 4, 5, 6 - p< 0,001; (b) 2 vs. 3, 5, 6 - p<
0,001; (c) 3 vs. 4 - p< 0,001; (c) 3 vs. 5 - p= 0,038; (d) 4 vs.
5 - p= 0,009; (d) 4 vs. 6 p= <0,001; (e) 5 vs. 6 - p< 0,001.
COPYRIGHT 2019 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Pessoa da Costa, Yago; Kautzner Marques, Nelson, Jr.; Soares da Silva, Elizabeth Lourdes; Ricarte Ba
Publication:Revista Brasileira de Futsal e Futebol
Date:May 1, 2019
Words:2627
Previous Article:ACEITACAO E SUPERACAO DO ERRO MOTOR POR PRATICANTES DO TIME DE FUTSAL FEMININO DA UFPB.
Next Article:LESAO FISICA, ESTRESSE PSICOLOGICO E ENFRENTAMENTO EM ATLETAS DE FUTEBOL.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters