Printer Friendly

Botulinum toxin A administration and orchiectomy in the treatment of canine benign prostatic hyperplasia/Administracao de toxina botulinica A e a orquiectomia no tratamento da hiperplasia prostatica benigna do cao.

INTRODUCAO

Diante do aumento da expectativa de vida dos caes, problemas relacionados a prostata, especialmente a hiperplasia prostatica benigna (HPB), vem adquirindo importancia. A etiologia da doenca no cao e incerta, no entanto, pesquisas demonstraram que a prostata esta sobre influencia da inervacao autonomica e aos seus neurotransmissores, sendo que a acetilcolina promove a estimulacao do crescimento da prostata, assim, por essas razoes, estudos tem confirmado que a toxina botulinica do tipo A (TB-A) e efetiva para controlar os componentes mecanicos e dinamicos da HPB (DOGGWEILER et al., 1998; KUO, 2005).

A orquiectomia e o tratamento de escolha para os caes acometidos pela enfermidade, no entanto, naqueles destinados a reproducao ou onde ha contraindicacao cirurgica, a terapia conservativa e de grande importancia. Em homens, a administracao de TB-A, intraprostaticamente, tem propiciado excelentes resultados, com uma rapida e segura reducao do volume do orgao, alem de ser adequada naqueles com riscos por problemas pre-existentes (MARIA et al., 2003; KUO, 2005). Entretanto, a influencia dessa neurotoxina foi pouco estudada no cao, existindo poucos relatos de sua utilizacao (CHUANG et al. 2006b; MOSTACHIO et al., 2012). Segundo CHUANG et al. (2006b), as avaliacoes histopatologicas do tecido evidenciaram aumento no numero de celulas apoptoticas e subsequente reducao do volume prostatico. Vale tambem ressaltar que grande parte dos farmacos utilizados na terapia conservativa em caes, como os inibidores da enzima 5a-redutase e agonistas/antagonistas de GnRH, provocam efeitos colaterais indesejaveis, entre eles: reducao do volume seminal e aumento de anomalias morfologicas (BARSANTI & FINCO, 1995). Portanto, em caes destinados a reproducao, a TB-A poderia ser uma alternativa.

Sendo assim, este estudo teve como objetivo comparar os efeitos da aplicacao intraprostatica de TB-A com a orquiectomia no tratamento da HPB canina. Alem de investigar as implicacoes da administracao da TB-A em relacao a qualidade seminal, libido, concentracoes sericas de diidrotestosterona (DHT) e testosterona, volume e diametro prostatico no cao com hiperplasia prostatica.

MATERIAL E METODOS

Foram utilizados 16 machos nao castrados da especie canina, sem raca definida, pesando 21,9 [+ or -] 11,1 kg (media [+ or -] desvio padrao), com idade entre tres e 11 anos (7,0 [+ or -] 2,29), os quais possuiam sintomatologia clinica compativel com HPB e que, a palpacao retal, apresentavam aumento de volume prostatico simetrico, indolor e com superficie lisa ao toque. Em todos os caes selecionados, o diametro prostatico na projecao radiografica lateral foi superior a 70% da distancia entre o promontorio sacral e o pubis, e/ou o volume prostatico mensurado por ultrassom maior do que 15[cm.sup.3]. Em adicao, duas semanas antes da selecao dos animais que compuseram os grupos experimentais, realizouse a puncao aspirativa com agulha fina guiada por ultrassom. A analise da citologia aspirativa do tecido prostatico dos animais selecionados, evidenciou grande numero de celulas semelhantes as normais, com citoplasma basofilico, ligeiramente granular, contendo algumas vacuolizacoes, e com aumento da relacao nucleo: citoplasma, caracteristicas sugestivas de HPB. A avaliacao do fluido prostatico revelou ainda ausencia de bacterias e celulas inflamatorias.

Os caes foram divididos aleatoriamente em dois grupos, contendo oito animais cada. No grupo 1 (GI), os animais foram submetidos a orquiectomia. No grupo 2 (GII), o caes receberam 500 unidades (U) de TB-A, dividida em duas aplicacoes de igual volume, administradas em cada lobo prostatico. Todos os animais foram submetidos previamente a jejum alimentar e hidrico de 12 e quatro horas, respectivamente. Os animais foram pre-medicados com levomepromazina (1mg [kg.sup.-1]) associado a tramadol (2mg [kg.sup.-1]) pela via intramuscular. Transcorridos 15 minutos, a anestesia foi induzida com propofol (5mg [kg.sup.-1]) pela via intravenosa e os animais mantidos em anestesia geral inalatoria com isofluorano. Apos anestesia, os animais do GI foram orquiectomizados de maneira convencional e os do GII receberam a administracao de TB-A. Cada frasco de TB-A foi diluido com 4,0mL de solucao salina 0,9%, obtendo uma concentracao de 125U para cada mL de solucao. Com o auxilio do aparelho de ultrassom, introduziu-se agulha de calibre (60x10 ou 80x10mm) adequado ao porte do animal no interior da prostata, e cada lobo dos animais do GII receberam 250U ou 2,0mL de TB-A, totalizando 500U.

Em virtude da maior parte das pesquisas urologicas serem realizadas utilizando a medicacao Botox[R], na dose de 100 ou 200U, e neste experimento estarmos usando a medicacao Dysport[R], realizouse a equivalencia dos produtos empregando a taxa de conversao de 1 unidade de Botox[R] para cada 2,5 unidades de Dysport[R] (ROSALES et al., 2006), promovendo, dessa maneira, o uso das mesmas doses preconizadas pelos trabalhos cientificos avaliados. Entretanto, doses de 250 unidades nao foram utilizadas, uma vez que seus resultados nao foram significativos em estudo previo (MOSTACHIO et al., 2012).

Antes e apos 4, 8 e 16 semanas da realizacao da orquiectomia e da administracao da TB-A, os caes foram submetidos ao exame ultrassonografico da prostata. As imagens e os dados foram obtidos por um unico operador. Por essas imagens, avaliou-se o contorno, ecogenicidade, homogeneidade e presenca ou ausencia de pontos de necrose no parenquima prostatico. Ainda mensurou-se o comprimento craniocaudal (C), a largura transversa (L), e a altura dorsoventral (A) da prostata. Para cada dimensao, tres mensuracoes foram obtidas e a media dos tres valores calculados. O volume prostatico (VP) foi estimado atraves da formula: VP = (1/2,6 x C x L x A) + 1,8 (KAMOLPATANA et al., 2000).

Para a determinacao das concentracoes sericas de DHT e testosterona (mensuradas antes e apos 4, 8 e 16 semanas), tres amostras de sangue foram coletadas entre 8h30min e 11h30min, com 20 minutos de intervalo, centrifugadas e o plasma sanguineo acondicionado em frascos plasticos e mantidos a -20[degrees]C. Os niveis de DHT e testosterona foram determinados por radioimunoensaio em fase solida, utilizando-se kits comerciais. Todas as amostras foram analisadas em duplicata em teste unico, utilizando uma unica curva de calibracao, nao tendo assim variacao interensaio. O coeficiente de variacao intraensaio foi de 15%.

O semen foi coletado por manipulacao digital e analisado antes e apos 2, 4, 8, e 16 semanas do tratamento com TB-A. A primeira fracao foi desprezada, sendo a segunda e a terceira fracoes coletadas juntas em tubos plasticos graduados de 15mL. A analise seminal foi realizada imediatamente apos a coleta. A avaliacao do semen consistiu da mensuracao do pH, volume, motilidade espermatica (escala de 0 a 100%), vigor (escore de 0 a 5, onde 0 representa nenhum movimento e 5 movimento vigoroso), concentracao e morfologia espermatica (expressa em porcentagem e classificada em defeitos maiores e menores). Pelo menos 100 celulas espermaticas foram analisadas. A libido foi avaliada subjetivamente com base na facilidade da coleta de semen (escala de 0 a 4), onde 4 representa rapida erecao e presenca de movimentos pelvicos e 0 representa ausencia de erecao e ejaculacao.

Todas as analises estatisticas foram obtidas utilizando o programa SAS System (SAS System, version 9.0, Cary, NC, USA). Os dados foram submetidos a analise de variancia (ANOVA), seguida pelo teste t de Student pareado, empregado para comparacao de medias entre os diferentes tempos dentro do mesmo grupo. O teste de Tukey foi usado para comparacao de medias, entre os grupos, obtidas durante cada tratamento. Diferencas estatisticas foram consideradas significativas quando P<0,05.

RESULTADOS

Os principais sinais clinicos observados antes do inicio dos tratamentos foram: hematuria, sangramento espontaneo pelo penis e dificuldade de defecacao, correspondendo estes a 55, 23 e 15% das alteracoes, respectivamente. Segundo os dados obtidos, os sinais clinicos observados pelos proprietarios cessaram em media apos uma e duas semanas do procedimento de orquiectomia e da administracao de TB-A, respectivamente. O metodo de administracao da TB-A mostrou-se seguro e nenhuma complicacao local ou efeitos sistemicos foram observados apos a administracao da neurotoxina. Areas de hipoecogenicidade, as quais poderiam estar associadas a necrose nos locais de aplicacao da TB-A, nao foram observadas durante os exames ultrassonograficos da prostata.

O volume prostatico nao foi significativamente diferente entre o GI e GII antes dos tratamentos. A media do volume prostatico dos animais do GI antes da orquiectomia era de 40,49 [+ or -] 28,31[cm.sup.3] (Tabela 1). Apos quatro semanas, a ultrassonografia revelou significativa reducao desse parametro. Comparando os dados obtidos com os valores iniciais, a media do volume prostetico apresentou reducao de 64,4%. Na oitava e decima sexta semana, todas as variaveis observadas sofreram novas reducoes, sendo estas significativas quando confrontadas aos valores basais. Apos 16 semanas da orquiectomia, obteve-se uma reducao de 80,5% do volume prostetico dos animais do GI.

A media do volume prostetico dos animais do GII no inicio do experimento era de 32,18 [+ or -] 8,61[cm.sup.3] (Tabela 1). Apos quatro semanas, o volume da prostata regrediu em todos os caes pertencentes a este grupo, causando uma reducao significativa de 24,3%. Na oitava semana de avaliacao, o volume prostatico, assim como os demais parametros analisados, permaneceram significativamente reduzidos, atingindo o volume a sua maxima reducao (29,8%) durante o periodo experimental. Apos 16 semanas da administracao da TB-A nos animais do GII, os resultados foram mantidos, permanecendo as reducoes apresentadas pelo volume, comprimento e altura estatisticamente significativas.

A concentracao serica media de testosterona e DHT antes do tratamento nos animais do GI eram de 2,90 [+ or -] 0,73ng [mL.sup.-1] e 0,71 [+ or -] 0,34ng [mL.sup.-1], respectivamente. Apos quatro semanas da orquiectomia, os niveis de testosterona e DHT apresentaram significativa reducao, quando comparado aos niveis pre-tratamento (de 2,90 [+ or -] 0,73 para menos do que 0,1ng [mL.sup.-1] e de 0,71 [+ or -] 0,34 para 0,28 [+ or -] 0,83ng [mL.sup.-1], respectivamente). Tais efeitos foram mantidos durante o periodo experimental. Os concentracoes sericas de DHT e testosterona pretratamento nos animais do GII foram de 0,34 [+ or -] 0,18ng [mL.sup.-1] e 2,64 [+ or -] 0,44ng [mL.sup.-1], respectivamente. Nenhuma diferenca hormonal estatisticamente significativa foi observada apos a aplicacao de TB-A.

Todos os animais pertencentes ao GII nao apresentaram alteracoes na libido, erecao e ejaculacao durante as coletas de semen. Nenhuma diferenca significativa foi observada nos parametros seminais, incluindo volume, motilidade, vigor, concentracao, pH, e morfologia apos a administracao da TB-A, durante as 16 semanas de avaliacao (Tabela 2).

DISCUSSAO

Em vista do grande numero de hipoteses sobre a patogenese desta condicao, o tratamento da HPB esta constantemente em transicao. Embora a orquiectomia continue sendo o tratamento de escolha, esta nem sempre pode ser indicada a pacientes de alto risco ou destinados a reproducao (MOSTACHIO et al., 2012). Nesse contexto, a experimentacao de novos farmacos, como a TB-A, esta assumindo importante papel nesse cenario.

A injecao de TB-A nao provocou o surgimento de qualquer sinal de botulismo nos caes estudados, apesar da extensa irrigacao sanguinea presente na prostata, a qual, em teoria, poderia facilitar a difusao sistemica da neurotoxina. Tal fato e descricao corroboram os encontrados por MARIA et al. (2003) e CHUANG et al. (2006a), que sugerem que a TB-A e extremamente segura quando utilizada para o tratamento da HPB.

Neste estudo, a queixa principal dos proprietarios, assim como a sintomatologia clinica observada durante o experimento, foi hematuria, seguida por gotejamento de fluido uretral nao associado a urina e dificuldade de defecacao. Os dados apresentados corroboram os descritos por READ & BRYDEN (1995), que descreveram que a maior parte dos animais com HPB apresentam hematuria e ou sangramento espontaneo pelo penis como os principais motivos do atendimento medico, sendo que tais alteracoes podem ser devidas a presenca de processo inflamatorio e, consequentemente, ao aumento da vascularizacao prostatica que a liberacao de linfocitos e interleucinas promovem.

BARSANTI & FINCO (1995) descreveram que, apos sete dias da orquiectomia em animais com HPB, iniciou-se a involucao da prostata e diminuicao dos sinais clinicos. Depois de tres e nove semanas, o volume do orgao havia regredido 50 e 75%, respectivamente. Nossos dados estao de acordo com os descritos, pois os sinais clinicos cessaram depois de uma semana da orquiectomia. Apos 16 semanas desta, obtivemos uma reducao de 80,5% do volume prostatico. Como a prostata e um orgao androgeno-dependente e ambos os compartimentos (estromal e glandular) sao sensiveis a este, a resolucao e decrescimo das variaveis ocorreram em funcao da queda que a orquiectomia promoveu nos niveis hormonais. Por outro lado, a administracao de TB-A nao acarretou alteracoes significativas nos niveis de testosterona e DHT nos animais pertencentes ao GII, possuindo, portanto uma acao indireta sobre a prostata. No estudo realizado por KUO (2003), observou-se melhora dos sinais apos a aplicacao de TB-A entre o setimo e decimo quarto dia. Em nosso estudo, dados semelhantes foram obtidos, ocorrendo melhora em media apos 10 dias do inicio do tratamento.

Apesar do pequeno numero de animais estudados, a reducao do volume da glandula confirma as observacoes previas descritas por outros pesquisadores (DOGGWEILER et al., 1998; KUO, 2003). O decrescimo observado neste experimento nao foi o mesmo atingido por MARIA et al. (2003) ou CHUANG et al. (2006a), os quais conseguiram uma diminuicao superior a 50% em homens e ratos, respectivamente. Entretanto, os dados aqui apresentados para o GII estao de acordo com os encontrados por LIN et al. (2007), que relataram que, apos um mes da aplicacao de 200U de TB-A na prostata de caes, ocorreu uma diminuicao de 24% no tamanho do orgao. No presente estudo, a avaliacao da resposta a aplicacao de TB-A apos quatro semanas mostrou decrescimo muito semelhante (24,3%). Por outro lado, notamos uma maior deplecao apos oito e 16 semanas, atingindo valores de 29,8 e 29,3%, respectivamente. Uma explicacao para essa variedade seria a utilizacao de diferentes doses de toxina botulinica e a desigualdade entre as proporcoes dos compartimentos prostaticos (glandular e estromal) nas diferentes especies (CHUANG et al., 2006b). A HPB humana e nodular e envolve varios tipos celulares, sendo que esta e caracterizada primariamente por proliferacao dos elementos estromais da glandula. Por outro lado, nos caes, o crescimento prostatico envolve os dois compartimentos (JOHNSTON et al. 2001). Outra possivel elucidacao seria o fato de que diferentes individuos da mesma especie apresentam disparidades individuais quanto a capacidade de regeneracao neurologica (CHUANG et al., 2006b).

A observacao de pontos de necrose nos locais de aplicacao da TB-A pela ultrassonografia poderia explicar a reducao do volume, entretanto, as avaliacoes ultrassonograficas nao evidenciaram tal alteracao. Essa visualizacao confirma os dados relatados no que concerne a ausencia de necrose nas areas de injecao da TB-A (KUO 2005). Segundo alguns autores, a razao pela qual a terapia com TB-A promove decrescimo do tamanho da prostata seria a ocorrencia de morte celular programada, a qual estaria relacionada a uma acao indireta da toxina (denervacao) sobre a prostata (CHUANG et al., 2006b).

Segundo PENNEFATHER et al. (2000), a atividade neuronal esta envolvida no crescimento prostatico, assim como em suas funcoes. Adesregulacao dessa atividade, poderia alterar a morfologia e o comportamento da prostata, podendo resultar na HPB. Portanto, a normalizacao dessa alteracao neuronal, com a inibicao da liberacao de acetilcolina, seria capaz de reverter significativamente o processo. Em adicao, pode ocorrer uma deplecao na producao de fatores de crescimento epidermal, os quais possuem atividades troficas, em virtude desta denervacao. Dessa maneira, e admissivel que parte dos resultados com a TB-A seja consequencia da intoxicacao das fibras simpaticas e queda da atividade adrenergica.

Os resultados obtidos no presente estudo estao em concordancia com os relatados por MARIA et al. (2003) quanto a ocorrencia de maxima deplecao do volume prostatico, apos dois ou tres meses da injecao de TB-A. Da mesma maneira, os dados aqui descritos estao de acordo com os mesmos autores, no que se refere ao periodo de efetividade da TB-A, onde estes apresentam declinio apos quatro a seis meses. Todavia, e incerto por quanto tempo a reducao do volume prostatico permanecera em niveis aceitaveis, assim como a ausencia de sinais clinicos, sendo necessarios novos estudos.

No que diz respeito a comparacao entre os tratamentos, a orquiectomia evidenciou resultados muito superiores aos dos caes tratados com TB-A. Tal discrepancia esta relacionada ao fato de que, com a retirada dos testiculos, as concentracoes hormonais atingem niveis minimos na circulacao, levando a uma reducao da prostata. Por outro lado, CHUANG et al. (2006a) descreve que a TB-A nao afeta a expressao dos receptores de androgenos no tecido prostatico, permanecendo intacta a capacidade de resposta a influencia trofica da testosterona e DHT. Essa habilidade poderia, portanto, causar uma menor diminuicao das variaveis prostaticas e tambem explicar em parte a menor duracao dos efeitos sobre o orgao.

No presente estudo, nenhum efeito sobre a libido e erecao foram observados, uma vez que os niveis hormonais permaneceram normais apos o tratamento com TB-A. Os dados deste estudo estao de acordo com os descritos por LIN & QUEK (2008) e previamente por nosso grupo (MOSTACHIO et al., 2012), os quais nao mencionaram nenhuma disfuncao ejaculatoria ou de fertilidade, respectivamente, apos a administracao de TB-A. Neste estudo, nao foram observadas alteracoes nas caracteristicas e morfologia espermatica apos a administracao de TB-A. No entanto, os dados do presente estudo mostraram ainda que a morfologia espermatica encontra-se abaixo dos valores de normalidade para a especie. Isso pode estar relacionado a idade dos animais, uma vez que os caes com idade superior a sete anos apresentaram maior numero de defeitos espermaticos, quando comparados aos mais novos. Aspectos nutricionais tambem podem estar envolvidos, pois a alimentacao fornecida pelos proprietarios era de baixa qualidade. Entretanto, futuros estudos avaliando as implicacoes in vitro e in vivo da administracao de TB-A sao de fundamental importancia.

CONCLUSAO

O presente trabalho confirma a capacidade da TB-A em reduzir o volume prostatico e sugere ser um tratamento alternativo eficaz e sem efeitos colaterais em animais destinados ou nao a reproducao com HPB. No entanto, tais efeitos sao inferiores e de menor duracao quando comparados aos alcancados apos a orquiectomia.

http://dx.doi.org/10.1590/0103-8478cr20141253

AGRADECIMENTOS

A Fundacao de Amparo a Pesquisa do Estado de Sao Paulo (FAPESP), pela bolsa (2005/58339-2) e auxilio a pesquisa (2006/52616-1) concedidos.

COMITE DE ETICA

Protocolo numero 012292-06.

REFERENCIAS

BARSANTI, J.A.; FINCO, D.R. Medical management of canine prostatic hyperplasia. In: BONAGURA, J.D.; KIRK, R.W. Current veterinary therapy XII. Philadelphia: Saunders, 1995. p.1033-1034.

CHUANG, YC. et al. Novel action of botulinum toxin on the stromal and epithelial components of the prostate gland. Journal of Urology, v.175, p.1158-1163, 2006a. Disponivel em: <http://www.jurology.com/article/S0022-5347(05)00318-6/abstract>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1016/S0022-5347(05)00318-6.

CHUANG YC. et al. Intraprostatic injection of botulinum toxin type-A relieves bladder outlet obstruction in human and induces prostate apoptosis in dogs. BMC Urology, v.6, p.12, 2006b. Disponivel em: <http://www.biomedcentral.com/content/pdf/1471-2490-6-12.pdf>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1186/1471-2490-6-12.

DOGGWEILER, R. et al. Botox-induced prostatic involution. Prostate, v.37, p.44-55, 1998. Disponivel em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/(SICI)10970045(19980915)37:1%3C44::AID-PROS7%3E3.0.CO;2-8/abstract>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1002/(SICI)10970045(19980915)37:1<44::AID-PROS7>3.0.CO;2-8.

JOHNSTON, S.D. et al. Disorders of the canine prostate. In: --. Canine and feline theriogenology. Philadelphia: Saunders, 2001. p.337-355.

KAMOLPATANA K. et al. Determination of canine prostatic volume using transabdominal ultrasonography. Veterinary Radiology & Ultrasound, v.41, p.73-77, 2000. Disponivel em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.nn/j.1740-8261.2000.tb00430.x/abstract>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1111/j.1740-8261.2000.tb00430.x.

KUO, H.C. Effect of botulinum A toxin in the treatment of voiding dysfunction due to detrusor underactivity. Urology, v.61, p.550554, 2003. Disponivel em: <http://www.goldjoumal.net/article/S0090-4295(02)02541-4/abstract>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1016/S0090-4295(02)02541-4.

KUO, H.C. Prostate botulinum A toxin injection--an alternative treatment for benign prostatic obstruction in poor surgical candidates. Urology, v.65, p.670-674, 2005. Disponivel em: <http://www.goldjournal.net/article/S0090-4295(04)01334-2/abstract>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1016/j.urology.2004.10.077.

LIN, A.T. et al. Effects of botulinum toxin A on the contractile function of dog prostate. European Urology, v.52, p.582-589, 2007. Disponivel em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0302283807003557>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1016/j.eururo.2007.03.002.

LIN, S.K.; QUEK, P.L. Intraprostatic and bladder-neck injection of botulinum A toxin in treatment of males with bladder-neck dyssynergia: a pilot study. European Urology, v.53, p.620-627, 2008. Disponivel em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0302283807012523>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1016/j.eururo.2007.10.001.

MARIA, G. et al. Relief by botulinum toxin of voiding dysfunction due to benign prostatic hyperplasia: results of a randomized, placebo-controlled study. Urology, v.62, p.259-265, 2003. Disponivel em: <http://www.goldjournal.net/article/S00904295(03)00477-1/abstract>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1016/S0090-4295(03)00477-1.

MOSTACHIO, G.Q. et al. Intra-prostatic injection of botulinum toxin type A in treatment of dogs with spontaneous benign prostatic hyperplasia. Animal Reproduction Science, v.133, p.224-228, 2012. Disponivel em: <http://www.animalreproductionscience.com/article/S0378-4320(12)00203-5/abstract>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1016/j.anireprosci.2012.06.024.

PENNEFATHER, J.N. et al. The autonomic and sensory innervation of the smooth muscle of the prostate gland: a review of pharmacological and histological studies. Journal of Autonomic Pharmacology, v.20, p.193-206, 2000. Disponivel em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1046/j.1365-2680.2000.00195.x/abstract>. Acesso em: 22 maio 2014. doi: 10.1046/j.13652680.2000.00195.x.

READ, R.A.; BRYDEN, S. Urethral bleeding as a presenting sign of benign prostatic hyperplasia in the dog: a retrospective study (1979-1993). Journal of the American Animal Hospital Association, v.31, p.261-267, 1995. Disponivel em: <http://www.jaaha.org/doi/abs/10.5326/15473317-31-3-261>. Acesso em: 23 out. 2014. doi: 10.5326/15473317-31-3-261.

ROSALES, R.L. et al. Pharmacology of botulinum toxin: differences between type A preparations. European Journal of Neurology, v.13, p.2-10, 2006. Disponivel em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1468-1331.2006.01438.x/abstract>. Acesso em: 23 out. 2014. doi: 10.1111/j.1468-1331.2006.01438.x.

Giuliano Queiroz Mostachio (I) Maricy Apparicio (II) Tathiana Ferguson Motheo (II) Aracelle Elisane Alves (III) Wilter Ricardo Russiano Vicente (II)

(I) Departamento de Clinica Cirurgica de Pequenos Animais, Centro Universitario de Rio Preto (UNIRP), BR 153, Km 69, 15093-450, Sao Jose do Rio Preto, SP, Brasil. E-mail: wise_uel@yahoo.com.br. Autor para correspondencia.

(II) Departamento de Reproducao Animal, Faculdade de Ciencias Agrarias e Veterinarias (FCAV), Universidade Estadual Paulista (UNESP), Jaboticabal, SP, Brasil.

(III) Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinaria (FAMEV), Universidade Federal de Uberlandia (UFU), Uberlandia, MG, Brasil.

Recebido 24.08.14 Aprovado 29.01.15 Devolvido pelo autor 18.05.15 CR-2014-1253.R1
Tabela 1--Media dos valores ([+ or -] desvio padrao)
dos parametros prostaticos no inicio e apos 4, 8 e 16
semanas da orquiectomia (GI) ou administracao de 500 U
de toxina botulinica A (GII).

Grupo   Semanas      Comprimento (cm)             Altura (cm)

        0         4,73 [+ or -] 1,57 (A)    3,64 [+ or -] 1,27 (A)
I       4         2,90 [+ or -] 1,30 (B)    2,61 [+ or -] 1,00 (AB)
        8         2,42 [+ or -] 0,99 (B)    2,17 [+ or -] 0,80 (B)
        16        2,28 [+ or -] 0,93 (B)    2,13 [+ or -] 0,78 (B)

        0         3.94 [+ or -] 0.44 (A)    4.02 [+ or -] 0.39 (A)
II      4         3.56 [+ or -] 0.35 (AB)   3.54 [+ or -] 0.35 (B)
        8         3.49 [+ or -] 0.33 (B)    3.43 [+ or -] 0.33 (B)
        16        3.51 [+ or -] 0.29 (B)    3.43 [+ or -] 0.33 (B)

Grupo   Semanas        Largura (cm)              Volume (cm3)

        0         4,89 [+ or -] 1,21 (A)    40,49 [+ or -] 28,3 (A)
I       4         3,08 [+ or -] 0,95 (B)    13,60 [+ or -] 9,95 (B)
        8         2,66 [+ or -] 0,77 (B)    8,58 [+ or -] 5,53 (B)
        16        2,53 [+ or -] 0,72 (B)    7,88 [+ or -] 5,03 (B)

        0         4.90 [+ or -] 0.44 (A)    32.18 [+ or -] 8.61 (A)
II      4         4.59 [+ or -] 0.34 (A)    24.36 [+ or -] 5.76 (B)
        8         4.44 [+ or -] 0.41 (A)    22.58 [+ or -] 5.53 (B)
        16        4.46 [+ or -] 0.44 (A)    22.74 [+ or -] 5.53 (B)

Medias na mesma coluna com uma letra maiuscula em comum
nao diferem significamente entre si (P<0,05).

Tabela 2--Valores medios ([+ or -] desvio padrao) dos parametros
espermaticos dos ejaculados de 8 caes submetidos a administracao
de 500U de toxina botulinica A.

                                    --Semanas--

Parametros Seminais             0                     2

Volume (mL)            4,9 [+ or -] 1,7      4,2 [+ or -] 0,7

Motilidade (%)         87.7 [+ or -] 4.7     86,2 [+ or -] 3,9

Vigor                  4.0 [+ or -] 0.1      3,9 [+ or -] 0,1

Concentracao           190.0 [+ or -] 86.7   194,7 [+ or -] 76,4
(x[10.sup.6]
m[L.sup.-1])

pH                     6.4 [+ or -] 0.2      6,3 [+ or -] 0,2

Sptz normais (%)       70.8 [+ or -] 11.6    68,2 [+ or -] 11,3

Sptz com defeitos      11.5 [+ or -] 8.1     13,0 [+ or -] 9,6
maiores (%)

Sptz com defeitos      17,7 [+ or -] 5.4     18,8 [+ or -] 4,2
menores (%)

                                     --Semanas--

Parametros Seminais             4                     8

Volume (mL)            4,5 [+ or -] 0,9      4,3 [+ or -] 1,1

Motilidade (%)         88.7 [+ or -] 3.5     88.2 [+ or -] 3.9

Vigor                  4.0 [+ or -] 0.3      4.0 [+ or -] 0.3

Concentracao           178.6 [+ or -] 56.3   181.2 [+ or -] 48.0
(x[10.sup.6]
m[L.sup.-1])

pH                     6.3 [+ or -] 0.2      6.3 [+ or -] 0.1

Sptz normais (%)       70.2 [+ or -] 13.0    70.8 [+ or -] 10.8

Sptz com defeitos      11.3 [+ or -] 9.8     11.3 [+ or -] 9.2
maiores (%)

Sptz com defeitos      18.5 [+ or -] 4.5     17.8 [+ or -] 4.1
menores (%)

                          --Semanas--

Parametros Seminais            16

Volume (mL)            4,2 [+ or -] 1,0

Motilidade (%)         89.0 [+ or -] 3.1

Vigor                  4.1 [+ or -] 0.3

Concentracao           169.2 [+ or -] 52.3
(x[10.sup.6]
m[L.sup.-1])

pH                     6.3 [+ or -] 0.1

Sptz normais (%)       72.0 [+ or -] 12.2

Sptz com defeitos      10.7 [+ or -] 7.3
maiores (%)

Sptz com defeitos      17.3 [+ or -] 5.9
menores (%)

Valores nao diferem significamente entre si (P<0,05).
Sptz: Espermatozoides.
COPYRIGHT 2015 Universidade Federal de Santa Maria
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2015 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:clinica y cirugia; texto en portugues
Author:Mostachio, Giuliano Queiroz; Apparicio, Maricy; Motheo, Tathiana Ferguson; Alves, Aracelle Elisane;
Publication:Ciencia Rural
Date:Sep 1, 2015
Words:4408
Previous Article:Feeding preferences of experienced and naive goats and sheep for the toxic plant Ipomoea carnea subsp. fistulosa/Comportamento ingestivo de caprinos...
Next Article:Growth, survival and bone alterations in Piaractus mesopotamicus larvae under different rearing protocols/Crescimento, sobrevivencia e alteracoes...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters