Printer Friendly

Biomarcadores salivares na avaliacao de estresse metabolico de praticantes recreativos da corrida de orientacao.

RESUMO

O objetivo deste estudo foi avaliar a resposta dos Biomarcadores Salivares (Proteinas Total e Alfa-amilase), apos a pista de Esporte Orientacao (PEO). Participaram do estudo dezesseis voluntarios de ambos os sexos. Os voluntarios realizaram uma PEO com extensao de 2,4 Km divididos em 16 pontos de controle a saliva foi coletada no inicio e no final da PEO. Ambas concentracoes dos biomarcadores salivares foram realizados por analises clinicas comerciais. Os resultados apos a PEO mostraram que as concentracoes da Alfa-Amilase permaneceram elevados no final do percurso. As concentracoes de Proteinas Total tiveram acrescimo, porem sem diferenca significativa. Em conclusao, o estresse metabolico gerado pelo esporte de orientacao foi capaz de induzir alteracoes nas concentracoes de Amilase Salivares no final da PEO, e nao nas concentracoes de Proteinas Total.

Palavras-chaves: Alfa-Amilase. Proteina Total. Performance.

ABSTRACT

Salivary biomarkers in evaluation of metabolic stress of recreational practitioners of orienteering

The objective of this study was to evaluate the response of Salivary Biomarkers (Total Proteins and Alpha-Amylase) after orienteering. Sixteen volunteers participated in the study of both sexes. The volunteers performed the orienteering with a length of 2.4 Km divided into 16 control points to saliva was collected at the beginning and end of the orienteering. Both concentrations of salivary biomarkers were performed by commercial clinical analysis. The results after the orienteering showed that the concentration of Alpha-Amylase remained elevated at the end of the orienteering. The Total Proteins concentrations had increased, but with no significant difference. In conclusion, the metabolic stress generated by the guidance sport was able to induce changes in salivary amylase concentrations at the end of the orienteering, but not the Total Proteins concentrations.

Key words: Alpha-Amylase. Total Proteins. Performance.

RESUMEN

Biomarcadores en la tension de evaluacion de metabolico practicantes del carrera de orientacion

El objetivo de este trabajo fue evaluar la respuesta de los biomarcadores salivales (Proteinas Totales y Alfa-Amilasa) siguiendo la carrera de orientacion. Dieciseis voluntarios participaron en el estudio de ambos sexos. Los voluntarios realizaron un carrera de orientacion con una longitud de 2,4 kilometros divide en 16 puntos de control a saliva se recogio al principio y al final de la carrera de orientacion. Ambas concentraciones de biomarcadores salivales se realizaron mediante analisis clinico comercial. Los resultados despues de la carrera mostraron que la concentracion de Alfa-Amilasa se mantuvo elevada al final de la carrera. Las concentraciones de Proteinas Totales se incrementaron, pero sin diferencia significativa. En conclusion, el estres metabolico generado por el deporte de orientacion fue capaz de inducir cambios en las concentraciones de Amilasa Salival al final de la carrera de orientacion, no de las concentraciones de Proteinas Totales.

Palabras clave: Alfa-Amilasa. Proteinas Totales. Rendimiento.

INTRODUCAO

O esporte de orientacao (EO) e uma modalidade desportiva reconhecida pelo Comite olimpico internacional (COI), que usa a propria natureza como campo de jogo. Nela, o praticante tem que passar por pontos de controle marcados no terreno no menor tempo possivel, com o auxilio de um mapa e de uma bussola (CBO, 2010).

Essa orientacao por mapa e bussola sempre foi utilizada nos deslocamentos terrestre, maritimo e aereo, com o objetivo de ir o mais rapido possivel de um local para outro (Ferreira apud Oliveira e colaboradores, 2008).

O Esporte de Orientacao tambem conhecido tambem como "Corrida de Orientacao" e distinta dos demais esportes pelo fato que o praticante pode escolher o caminho a ser seguido em meio a natureza, ou seja, tratava-se de uma modalidade esportiva onde os participantes possuem um mapa e uma bussola, e atraves dos quais, conhecem o percurso por onde devem passar. Deste modo, gerando o desenvolvimento cognitivo e ludico, capaz de atrair um grande numero de praticantes de todas as idades (CBO, 2010).

O mapa de orientacao e um mapa topografico detalhado, onde e tracado o percurso que o praticante tem que percorrer e sao locados precisamente todos os detalhes da vegetacao, relevo, hidrografia, rochas e construcoes feitas pelo homem.

O percurso de EO e constituido pela partida, pontos de controle (PC) e a chegada (COTRIM, 2011). As regras basicas do esporte de orientacao sao: passar por todos os PCs em ordem conforme mostrada no mapa, marcando corretamente o cartao de controle, e preservar a natureza. O cartao de controle e a comprovacao que o percurso foi realizado corretamente, e ele e entregue aos praticantes na partida, o qual pode ser por chip ou um papel picotado (Cotrim, 2011).

O Participante do EO, como esporte educacional-recreativo, procura executar o movimento da corrida contra o relogio e usar a mente na resolucao de problemas encontrados (Souza, 2010).

Nesse desafio, o praticante passa por estresse metabolico, tanto fisiologico (corrida contra o relogio) quanto psicologico (resolucao de problemas). Nao se sabe ainda se esse estresse pode causar prejuizo no desenvolvimento do esporte, sendo fundamental determinar o nivel de estresse metabolico dos praticantes das pistas de orientacao.

A maioria dos testes para avaliacao do estresse metabolico utiliza amostras de sangue cuja coleta requer procedimentos invasivos, que sempre acarretam algum desconforto a pessoa e ate podem gerar risco de contaminacao.

Para a avaliacao do estresse metabolico pode-se tambem utilizar a quantificacao dos biomarcadores presentes na saliva (Chicharro e colaboradores, 1995, 1997, 1999; Calvo e colaboradores, 1997; Walsh e colaboradores, 2004; Oliveira e colaboradores, 2005).

A saliva e constituida predominantemente por agua (97-99,5%) e compostos organicos e inorganicos originados do plasma (Chicharro e colaboradores, 1998).

O controle da secrecao salivar e mediado por uma acao combinada de estimulos parassimpaticos e simpaticos. A inervacao parassimpatica provoca vasodilatacao, o que aumenta o volume do fluxo salivar diminuindo os niveis de compostos organicos e inorganicos, e deixando a saliva mais fluida.

A inervacao simpatica provoca vasoconstricao, o que diminui o volume do fluxo salivar, aumentando os niveis de compostos organicos e inorganicos, fazendo com que a saliva se torne mais viscosa (Schneyer, 1976; Dennis e Young, 1978).

Para especificar melhor, abordaremos os compostos organicos da saliva, a proteina total e a alfa-amilase, como os biomarcadores salivares do estresse metabolico.

Durante a realizacao de uma pista de EO, os praticantes sao constantemente submetidos ao estresse psico-fisiologico exigida pelo esporte.

Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar atraves dos biomarcadores salivares (Proteina Total e Alfa-Amilase) se ha alteracao induzida apos uma pista de Orientacao.

MATERIAIS E METODOS

Amostra

Este estudo foi desenvolvido no Campus Universitario do Araguaia da Universidade Federal de Mato Grosso (CUA/UFMT) na cidade de Pontal do Araguia-MT. Participaram deste estudo, 50 academicos do Curso de Educacao Fisica.

Todos os participantes apresentaram as seguintes medias: idade (23 [+ or -] 2) anos, estatura (170 [+ or -] 6) centimetros, peso corporal (68 [+ or -] 3) quilos, Composicao Corporal (22,5 [+ or -] 2,3). Antes do experimento todos os participantes foram conscientizados dos procedimentos de coleta da saliva e futuros problemas que pudesse ocorrer durante a pista, podendo o participante desistir se achasse necessario.

Assim, dezesseis voluntarios de ambos concordaram, com a doacao da saliva e riscos da prova autorizaram sua participacao por meio do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Desta forma, a amostra para o experimento foi composta por dezesseis academicos.

Todos os criterios eticos da pesquisa devem ser respeitados dentro dos termos das Resolucoes 196/96 e 251/97 do Conselho Nacional de Saude. Sendo aprovado pelo comite de etica da Universidade Federal de Mato Grosso sob o numero 1.064.808.

Pista de Orientacao

O percurso da pista foi realizado no Campus da UFMT na cidade de Pontal do Araguaia-MT. A extensao que os participantes percorreram foi de 2,400 metros, respeitados para percursos para iniciantes de acordo com a Confederacao Brasileira de Orientacao (CBO) e divididos em 14 pontos de controles (PCs) distribuidos em circulo, alem dos pontos de partida e chegada. Representado na Ilustracao 1.

O mapa foi desenvolvido pelo equipamento GPS 60 CSx Garmin e Bussula M/54, com declinacao 18[degrees] W e escala de 1/4000, na area do CUA/UFMT, respeitando os recursos naturais e os obstaculos feitos pelo homem.

[ILLUSTRATION OMITTED]

[ILLUSTRATION OMITTED]

O cartao de controle utilizado nesse estudo foi o do tipo de papel picotado, para comprovar a passagem pelos PCs com um codigo de identificacao diferente em cada PC.

A Ilustracao 2 mostra o cartao de controle usado na pista de orientacao, assim com as marcacoes feita em cada um dos 14 PCs. Todo mapa e tracado foi realizado por Mapeador e tracador cadastrado junto a CBO.

Coleta da Saliva

A coleta da saliva ocorreu em dois momentos, no inicio e no final da pista de orientacao. A realizacao da coleta da saliva obedeceu aos seguintes procedimentos: 1- Os voluntarios enxaguaram a boca tres vezes com agua destilada para limpeza bucal, 2- A saliva foi estimulada pela mastigacao de um tablete da goma de mascar com peso de 1,5g (Cadbury Adams Brasil Ind), 3- A mastigacao do tablete foi realizada de forma natural e pessoal, sem a preocupacao com a velocidade, forca e frequencia da mastigacao, 4- A coleta da saliva iniciou imediatamente apos 2 minutos de mastigacao do tablete da goma de mascar, em copinhos descartaveis, 5- A saliva foi aliquotada em minitubos preresfriados (4[degrees]C), e 6- A saliva foi centrifugada a 5.000 rpm, sendo o sedimento descartado e o sobrenadante congelado a -20 [degrees]C ate a data da analise (Bortolini e colaboradores, 2009).

Biomarcadores salivares

A proteina total salivar foi mensurada pelo metodo de biureto de acordo com kit de rotina do Laboratorio (Ref. 99 MS 10009010080, Labtest Diagnostica S.A., Brasil), atraves da leitura espectrofotometricas em 545nm (Autoanalyser Architeet c8000, Abbot[R], IL, USA).

A analise da atividade da alfa-amilase salivar foi pelo ensaio cinetico utilizando o kit com CNPG (Ref. 25 MS 10009010053, Labtest Diagnostica S.A., Brasil). As microplacas foram lidas a 405nm em leitora de microplaca (Amershan Biosciences, GE, Suecia) programada para fornecer os resultados unidade de atividade de amilase salivar/mL de saliva (U/mL).

Os resultados encontrados foram tabulados e estatisticamente tratados apos teste de normalidade. A existencia de diferenca estatisticamente foi aceita com p<0,05 pelo teste de Analise de Variancia (One Way ANOVA) e pos teste de Bonferroni para comparacao das medias. Os dados estao representados em media e erro padrao dos resultados absolutos dispostos em graficos para melhor visualizacao.

RESULTADOS

Apos a realizacao da pista de orientacao os voluntarios do estudo apresentaram cansaco fisico, porem nao foi foco de estudo mensurar a condicao subjetiva de esforco dos avaliados.

No entanto, estes dados podem predizer o que possivelmente ocorrera com os marcadores salivares (Proteina Total e Alfa-Amilase). Os resultados encontrados para ambos biomarcadores salivares mostraram elevados no final da pista de Orientacao.

A concentracao da proteina total salivar no inicio da pista apresentou media de (0,6 g/L) quando comparada com as medias das concentracoes obtidas no final da pista (0,9 g/L).

Mesmo havendo uma elevacao na ordem dos 50% nas concentracoes de proteinas totais no final da pista de orientacao, nao se pode atribuir diferenca significativa para as analises estatisticas foi de (p<0,06). Conforme figura 1.

Por outro lado, a atividade da alfaamilase salivar apresentou elevada no final da pista de orientacao (430U/mL) quando comparada com o inicio, apresentando diferenca (p<0,05). Conforme figura 2.

[FIGURE 1 OMITTED]

[FIGURE 2 OMITTED]

DISCUSSAO

O proposito deste estudo foi avaliar os biomarcadores salivares (proteinas totais e alfa-amilase). Soma-se a isto, que existe na literatura cientifica pouca abordagem associando o esporte de orientacao.

Por fim, os resultados obtidos neste estudo pioneiro irao auxiliar em outras abordagens neste vasto campo de pesquisa com os biomarcadores salivares. Os resultados desta pesquisa demonstraram um aumento nas concentracoes de alfa-amilase. Salivar com diferenca significativa (p<0,05) conforme figura 2.

No entanto, o outro biomarcador analisado a proteina total salivar nao apresentou diferenca (p<0,06) apos uma pista do esporte de orientacao.

A atividade da alfa-amilase salivar mostrou-se acentuada no final da Pista de Orientacao. Com estes achados estao de acordo com Port (1991), que elucidou a analise desta enzima na composicao salivar, que serve para estimar a resposta adrenergica durante a atividade fisica.

A alfa-amilase e a proteina mais abundante na saliva, correspondendo de 10-20% do conteudo proteico produzido pelas glandulas salivares sendo sintetizada principalmente pela glandula parotida (Nater e colaboradores, 2005). Ou seja, sua atividade eleva progressivamente durante a permanencia do estresse metabolico, juntamente com os niveis de catecolaminas (adrenalina) em resposta aos estressores (Calvo e colaboradores, 1997).

Por isto, a elevacao da alfa-amilase deparado neste estudo esta diretamente relacionado com ambos os estresses tanto fisico quanto psicologico gerado nos participantes. O estudo nao se preocupou em saber qual o componente (fisico ou psiquico) foi mais predominante na influencia nas alteracoes desta alfa-amilase no final da Pista de Orientacao.

Em adicao, sabe-se que o esporte de orientacao (EO) outrora e capaz de gerar em atletas profissionais um grande estresse psicologico quanto o estresse fisico (Tonnessen e colaboradores, 2015).

Este fato, e devido pelos atletas desta modalidade estarem focados na escolha das melhores rotas e qual o melhor caminho percorrer para alcancar o proximo PCs no menor tempo possivel. Isto, deixa faz com que o atleta esteja o tempo todo controlando o foco de atencao e controle da ansiedade (Eccles e Arsal, 2015).

No entanto, novos trabalhos estao sendo realizados para tentar entender qual componente (se fisico ou psiquico) e mais influenciado durante o esporte de orientacao (EO).

As concentracoes de proteinas totais representam todo somatorio dos compostos organicos sem diferenciacao, presentes na saliva. A concentracao deste analito sofre alteracoes durante o estresse fisiologico, como o exercicio fisico (Oliveira e colaboradores, 2005).

Ja Steerenberg e colaboradores (1997) mostraram modificacoes (aumento) nas concentracoes de proteina total salivar em triatletas apos competicao quando comparado com os niveis iniciais. Outro trabalho encontrou a mesma resposta em 11 atletas de ciclismo que exercitaram por duas horas em cada sessao de exercicios em dias alternados.

A proteina total salivar mostrou elevada no final do exercicio fisico, mas, reduziram proximo dos niveis basais nos periodos apos os testes (Krzywkowski e colaboradores, 2001).

Porem nao foi encontrado neste estudo alteracao nas concentracoes de proteinas totais no final da pista de orientacao.

Neste estudo, as concentracoes de proteina total salivar nao apresentaram diferenca significativa (p<0,06) no final da pista de orientacao quando comparada com as concentracoes iniciais (figura 1).

Porem cabe destacar que as concentracoes finais de proteina total salivar foram em torno de 50% a mais do que as encontradas no inicio. O que nos permite afirmar que o fenomeno ocorreu. Ao passo que o (p<0,06) nao permite haver comparacao entre os pontos avaliados. Outrora, existe indicadores que podem tentar elucidar este fenomeno.

Walsh e colaboradores (2004) descreveram que o efeito da desidratacao provocada pelo exercicio fisico pode aumentar a concentracao da proteina total salivar. Nossos participantes nao fizeram consumo hidrico durante a prova, por se tratar de uma pista curta o que pode ter auxiliado no achado do trabalho.

Outro fator que pode tentar explicar este valor relativo (50%) de proteina total salivar no final da pista de orientacao. Esta relacionado com as condicoes climaticas durante a execucao da Pista. No dia do evento, a temperatura estava em torno dos 32[degrees]C.

Sabe-se que nestas condicoes climaticas o corpo sofre uma leve desidratacao. O que reforca esta ideia, foi descrito por Asking e Emmeling (1985).

Eles demonstraram que a estimulacao simpatica induz a uma diminuicao no fluxo salivar e a um aumento na concentracao de compostos organicos, como a proteina total.

Ja Walsh e colaboradores (2003), mostraram que durante exercicio fisico progressivo e sob condicoes de temperatura elevada (30[degrees]C), ocorre uma diminuicao do fluxo salivar e um aumento da concentracao de proteina total salivar, em consequencia de um estado de desidratacao durante atividade fisica.

A combinacao nas analises do biomarcadores proteina total salivar e da atividade da alfa-amilase salivar vem sendo investigada com grandes descobertas que estao sendo investigadas em relacao ao efeito do estresse metabolico (fisiologico e/ou psicologico) induzido pelo exercicio fisico (Bortolini e colaboradores, 2009; Walsh e colaboradores, 2003).

Se tratando do Esporte de Orientacao, neste trabalho pode identificar nesta modalidade a possibilidade a utilizacao de biomarcadores salivares como marcadores do estresse induzido pelo exercicio fisico. Isto deve ao fato do sistema nervoso simpatico tem sua atividade aumentada com a intensidade do estresse fisiologico e/ou psicologico sendo o principal responsavel pelas alteracoes causadas nos componentes salivares, principalmente na atividade da alfa-amilase (Stainsby e Brooks, 1990; Chicharro e colaboradores, 1998).

Isto indica que o Esporte de Orientacao pode ter causado estresse metabolico nos participantes durante a execucao do percurso. Ja as concentracoes de Proteina Total Salivar nao apresentaram diferencas significativas o que foi encontrado neste estudo.

Desta maneira, Esporte de Orientacao realizado neste estudo, obedeceu as caracteristicas (pedagogica, turistica e ambiental), e foi praticado com acoes educativas que visavam a formacao de seus participantes. Nao se preocupando apenas com o resultado, que e muito bem enfocado nos "atletas de elite". Assim, abrisse uma importante porta de trabalho atraves da utilizacao dos biomarcadores salivares para avaliar o estresse metabolico induzido por esta modalidade independente do grau se for atleta de elite e/ou atleta amador.

Por fim, destaca-se como ponto limitante do trabalho a composicao da amostra, sendo diferente dos demais trabalhos com Esporte de Orientacao encontrados na literatura, que utilizaram em sua populacao "atletas de elite" com experiencias na modalidade.

O que encorajou a escolha da populacao deste trabalho sendo representada por "amadores ou recreacionais". Outro ponto de destaque foi utilizar biomarcadores salivares para avaliar o estresse metabolico induzido pelo Esporte de Orientacao nesta populacao.

CONCLUSAO

O estresse metabolico avaliado pela analise dos biomarcadores salivares (Proteina Total e Alfa-Amilase) neste estudo apresentou que apenas a alfa-amilase salivar foi responsiva com diferenca significativa induzido pelo Esporte de Orientacao. Porem o nivel de estresse metabolico encontrado neste estudo em nossa amostra, nao limita nem mesmo impedi a realizacao e continuacao da pratica do esporte Orientacao.

As habilidades exigidas pelo esporte Orientacao, tais como leitura precisa do mapa, avaliacao e escolha da rota, uso da bussola, concentracao sob tensao, tomada de decisao rapida e a propria corrida em terreno natural, pois a possivel desidratacao nao minimizou a resposta metabolica.

AGRADECIMENTOS

Este trabalho foi possivel ser realizado pelo suporte oferecido pela entidade maxima da modalidade a Confederacao Brasileira de Orientacao (CBO) que custeou as despesas do mapeador e tracador do percurso.

E ao Clube de Orientacao do Triangulo Mineiro (COTRIM) pelo emprestimo dos materiais prismas, picotadores. A Fundacao de Amparo a Pesquisa do Estado de Mato Grosso (FAPEMAT) e todos os alunos que acreditaram na pesquisa.

REFERENCIAS

1-Asking, B.; Emmeling, N. Amylase in parotid saliva of rats after sympathetic nervous decentralization. Archives Oral Biology. Vol. 30. Num. 4. p.337-339. 1985.

2-Bortolini, M. J.; e colaboradores. Total protein of whole saliva as a biomarker of anaerobic threshold. Research Quarterly for Exercise and Sport. Vol. 80. Num. 3. p.604-610. 2009.

3-Calvo, F.; e colaboradores. Anaerobic threshold determination with analysis of salivary amylase. Canadian Journal Applied Physiology. Vol. 22. Num. 6. p.553-561. 1997.

4-Confederacao Brasileira De Orientacao (CBO) 2010. Porto Alegre. Prospecto de apresentacao do Esporte Orientacao. Porto Alegre, 2010. Disponivel em: http://www.cbo.org.br/site/noticias/index.php. Acesso em 21 mai. 2105.

5-Chicharro, J. L.; e colaboradores. Anaerobic threshold in children: determination from saliva analysis in field tests. European Journal Applied Physiology and Occupation Physiology. Vol. 70. Num. 6. p.541-544. 1995.

6-Chicharro, J. L.; e colaboradores. Saliva composition and exercise. Sports Medicine. Vol. 26. Num. 1. p.17-27. 1998.

7-Chicharro, J. L.; e colaboradores. The salivary amylase, lactate and electromyographic response to exercise. Japanese Journal Physiology. Vol. 49. Num. 6. p.551-554. 1999.

8-Chicharro, J. L.; e colaboradores. Lactic threshold vs ventilatory threshold during a ramp test on a cycle ergometer. Journal of Sports and Medicine and Physical Fitness. Vol. 37. Num. 2. p.117-121. 1997.

9-Clube De Orientacao Do Triangulo Mineiro (COTRIM). 2011. Uberlandia. Introducao a Orientacao. Disponivel em http://www.cotrim.org.br/aorientacao/modalidades. Acesso 2011. Acesso em 21/05/2105.

10-Denniss, A. R.; Young, J. A. Modification of salivary duct electrolyte transport in rat and rabbit by physalaemin, VIP, GIP and other enterohormones. Pflugers Archiv. European Journal of Physiology. Vol. 376. Num. 1. p.73-80. 1978.

11-Eccles, D. W.; Arsal, G. How do they make it look so easy? The expert orienteer's cognitive advantage. Journal of Sports Science. Vol. 33. Num. 6. p.609-615. 2015.

12-Krzywkowski, K.; e colaboradores. Effect of glutamine and protein supplementation on exercise-induced decreases in salivary IgA. Journal of Applied Physiology. Vol. 91. Num. 2. p.832-838. 2001.

13-Nater, U. M.; e colaboradores. Human salivary alpha-amylase reactivity in a psychosocial stress paradigm. International Journal Psychophysiology. Vol. 55. Num. 3. p.333-342. 2005.

14-Oliveira, F.; Barroso, J.; Costa Junior, O. A Corrida de Orientacao enquanto conteudo da Educacao Fisica escolar. Revista Digital. Buenos Aires. Ano 13. Num. 119. 2008.

15-Oliveira, V. N.; e colaboradores. Biomarcadores Salivares na Avaliacao do Limiar Anaerobio. Fitness & Performance Journal. Vol. 4. Num. 2. p.85-89. 2005.

16-Port, K. Serum and saliva cortisol responses and blood lactate accumulation during incremental exercise testing. Internacional Journal of Sports Medicine. Vol. 12. Num. 5. p.490-494. 1991.

17-Schneyer, L. H. Sympathetic control of Na+, K+ transport in perfused submaxillary main duct of rat. American Journal Physiology. Vol. 230. Num. 2. p.341-345. 1976.

18-Souza, L. Na direcao certa: como explorar a corrida de orientacao e o trekking. Nova Escola, Sao Paulo. Ano 25. Num. 230. p.47-48. 2010.

19-Stainsby, W. N.; Brooks, G. A. Control of lactate metabolism in contracting muscles and during exercise. Exercise and Sports Science Reviews. Vol. 18. p.29-63. 1990.

20-Steerenberg, P. A.; e colaboradores. Salivary levels of immunoglobulin A in triathletes. European Journal Oral Science. Vol. 105. Num. 4. p.305-309. 1997.

21-Tonnessen, E.; e colaboradores. The annual training periodization of 8 world champions in orienteering. Internacional Journal of Sports Physiology Performance. Vol. 10. Num. 1. p.29-38. 2015.

22-Walsh, N. P.; e colaboradores. Saliva parameters as potential indices of hydration status during acute dehydration. Medicine Science and Sports and Exercise. Vol. 36. Num. 9. p.1535-1542. 2004.

23-Walsh, N. P.; e colaboradores. Saliva flow rate, total protein concentration and osmolality as potential markers of whole body hydration status during progressive acute dehydration in humans. Archives of Oral Biology. Vol. 49. Num. 2. p.149-152. 2003.

Marcelle Karyelle Montalvao Gomes (1)

Geisse Quelle M. Cunha (1)

Twigg Mitsue Daltro Hayashida (2)

Rodrigo Amancio (1)

Nathalia Maria Resende (1)

Anibal Monteiro de Magalhaes Neto (1)

(1)-Curso de Educacao Fisica da Universidade Federal de Mato Grosso. Campus do Araguaia. Ponta do Araguaia, MT, Brasil.

(2)-Curso de Odontologia da Universidade do Vale do Araguaia. Barra do Garcas, MT, Brasil.

E-mails dos autores:

professoranibal@yahoo.com.br

ammneto@ufmt.br

Endereco para correspondencia:

Anibal Monteiro de Magalhaes Neto, PhD. Curso de Educacao Fisica da Universidade Federal de Mato Grosso. Campus do Araguaia. Ponta do Araguaia--MT. Rod MT 100 s/n Pontal do Araguaia--MT.

Fones: (66) 3401-2932/(21) 2542-5204

Recebido para publicacao 01/12/2015

Aceito em 17/04/2016
COPYRIGHT 2016 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Gomes, Marcelle Karyelle Montalvao; Cunha, Geisse Quelle M.; Hayashida, Twigg Mitsue Daltro; Amancio
Publication:Revista Brasileira de Prescricao e Fisiologia do Exercicio
Date:Jul 1, 2016
Words:4322
Previous Article:A progressao de carga durante 18 sessoes de treinamento resistido nao potencializa seu efeito hipotensivo em idosa medicada.
Next Article:Influencia do treinamento resistido sobre a aptidao cardiorrespiratoria em idosos.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters