Printer Friendly

Applicability of burden of disease methodology in human communication disorders/Aplicabilidade dos estudos de carga de doenca nos disturbios fonoaudiologicos.

INTRODUCAO

A comunicacao humana compreende a capacidade de codificacao e decodificacao do sistema escrito e falado de uma lingua por meio de habilidades linguisticas, motoras e auditivas. Os disturbios fonoaudiologicos se caracterizam como qualquer restricao ou falta de habilidade (resultante de uma limitacao na comunicacao) para realizar uma atividade normal e estao associados a fatores diversos: ambientais, biologicos e tambem se apresentam como consequencia de eventos patologicos.E de suma importancia que estes disturbios sejam estudados, sua trajetoria natural compreendida, bem como as possibilidades de deteccao, prevencao e tratamento sejam identificadas para as diferentes populacoes.

Na decada de 90 a OMS (Organizacao Mundial da Saude) iniciou a utilizacao das estimativas de carga de doenca (burden of disease) por meio do projeto "Global Burden of Disease and Risks Factors", disponibilizando estimativas globais deste indicador, sendo os resultados preliminares publicados em 1993, com o pesquisador Murray a frente da pesquisa (1). A metodologia de mensuracao da carga de doenca, composta pelo calculo de indicadores especificos, propoe mensurar os efeitos de agravos (ou de doencas) sobre o bem estar fisico, emocional e social de um individuo, seja a partir dos efeitos da morte prematura e da morbidade, bem como de comorbidades sobre as condicoes de saude da populacao (2). Os estudos com este tipo de mensuracao contemplam cinco medidas principais: prevalencia, incidencia, anos de vida ajustados por incapacidade (DALY), anos de vida ajustados por qualidade de vida (QALY) e anos vividos com incapacidade (YLD).

Recentemente, um estudo comparou a carga global de um rol de 291 patologias nos anos 1990 e 2010 e neste rol, nao encontram-se listados os disturbios fonoaudiologicos na descricao das doencas. Apesar de nao estarem listados, os disturbios da comunicacao observa-se com clareza o peso das doencas cardiovasculares, que nitidamente possuem como uma de suas consequencias os disturbios da comunicacao (3).

Os estudos de disturbios da comunicacao, em sua maioria, tem se utilizado de metodos epidemiologicos de acesso mais simples e custos menores, como os estudos de prevalencia em grupos especificos da populacao.Com a perspectiva de eventos cronicos, no entanto, a analise dos YLDs talvez seja a medida mais eficiente para descrever o fenomeno dos disturbios fonoaudiologicos, mas em pesquisa que comparou YLDs considerando consequencias, nao foram citados os disturbios de comunicacao, mesmo estes sendo relevantes sob o ponto de vista de comorbidade pos-evento cardiovascular, por exemplo, AVCs (4).

Diante deste contexto, percebe-se que os indicadores da metodologia dos estudos de carga de doenca podem ser utilizados para estudar a ocorrencia dos disturbios fonoaudiologicos, sejam isolados ou ocorridos concomitantes, possibilitando a analise das suas consequencias (comorbidades), limitacoes e incapacidades. Este trabalho tem como objetivo verificar, a partir da literatura, a possibilidade de aplicacao dos conceitos de carga de doenca no estudo dos disturbios da comunicacao humana, na tentativa de incremento de novas metodologias e melhor caracterizacao do cenario destes agravos.

METODOS

A partir de revisao integrativa da literatura sobre carga de doenca nas bases Scielo, Lilacs e Pubmed, serao apresentados conceitos e uma analise critica dos indicadores de carga de doenca e suas potenciais aplicacoes no campo da fonoaudiologia.A revisao integrativa consiste em um metodo de revisao de literatura que permite a busca, a selecao, a avaliacao critica e a sintese das evidencias cientificas, possibilitando a inclusao de estudos que adotam diversas metodologias; identifica lacunas e direciona o desenvolvimento de pesquisas futuras sobre determinado tema (56). O levantamento bibliografico foi realizado em junho de 2015 sem limitacao minima de data, utilizando-se das estrategias de busca descritas na Figura 1.

Apos a busca dos artigos e seguindo as normas da revisao integrativa foram estabelecidos os criterios de inclusao e de exclusao. Criterios de inclusao: (a) pesquisas que investigaram carga das doencas versus disturbios da comunicacao; (b) artigos sem limitacao de data de publicacao e data de corte em junho de 2015 (em geral as revisoes fecham um periodo entre 5 e 10 anos, sendo que todos os estudos encontrados, independente de sua data de publicacao foram incluidos); (c) artigos em ingles, portugues ou espanhol; (d) artigos com medidas de DALY das doencas; (e) medidas de QALY das doencas; (f) artigos conceituais sobre o tema. Criterios de exclusao: (a) artigos que nao tratassem exclusivamente de carga de doenca e suas variaveis.

Inicialmente foram identificados 518 artigos: a triagem previa foi realizada pelos titulos, eliminando os repetidos. Com a leitura dos resumos (abstract) e aplicacao dos criterios de inclusao e exclusao previamente definidos foram selecionados 86 artigos. Com a posterior leitura dos estudos foi possivel refinar ainda mais a busca, restando 21 artigos para a composicao do referencial do presente artigo.

REVISAO DA LITERATURA

O foco deste trabalho e uma analise dos conceitos da metodologia de mensuracao da carga global de doencas, por meio de seus indicadores e a verificacao da aplicacao destes no campo dos disturbios da comunicacao, possibilitando um melhor uso desta metodologia em estudos futuros. Um resumo do levantamento pode ser consultado na Figura 2.

De acordo com a literatura pesquisada, no final do seculo XX, a Organizacao Mundial da Saude (OMS) lancou a iniciativa Global Burden of Disease, que compilou um conjunto de medidas simples de saude global. Essas medidas buscam contemplar em um so tempo os efeitos da morte prematura e da morbidade sobre as condicoes de saude da populacao, chamadas, assim, de estudos de Carga de Doenca (7,8) Estes estudos analisam as medidas descritas a seguir.

Prevalencia:definida como a proporcao de um grupo de pessoas que apresenta um desfecho (condicao clinica ou agravo) em um determinado ponto no tempo (9).

Incidencia: definida como a proporcao de um grupo inicialmente livre de uma condicao clinica que a desenvolve ao longo de um determinado periodo de tempo. Ou seja, a incidencia se refere aos casos novos de doenca que ocorrem em uma populacao inicialmente livre da doenca ou de desfechos novos, como incapacidades ou morte, que ocorrem em pacientes com uma doenca especifica (9).

Disability Adjusted Life Years (DALY)--ano de vida saudavel perdido--e um indicador que contempla as medidas de impacto das doencas, tanto em relacao a morbidade, quanto em relacao a mortalidade. O DALY considera o total de anos de vida saudaveis perdidos devido a uma doenca (ou a um fator de risco) e seu calculo inclui tanto a idade do obito, quanto a duracao e a gravidade de qualquer incapacidade presente (2). Por exemplo, sua aplicacao pode demonstrar as patologias com potencial de cronificacao, retratando as expectativas de um estado nao saudavel em uma populacao. Um estudo de carga global de 306 doencas em 188 paises (GBD2013 (10)) apontou que as cinco principais causas de DALYs foram doenca isquemica do coracao, infeccoes respiratorias inferiores, doencas cerebrovasculares, patologias lombares, dores de garganta e acidentes de transito.

Quality Adjusted Life Years (QALY)--anos de vida ajustados pela qualidade de vida--capta em uma unica medida os ganhos em quantidade e em qualidade de vida. Trata-se de um instrumento generico para avaliar os estados de saude, oferecendo medidas objetivas da qualidade de vida e das intervencoes (11). Por exemplo, esta medida pode ser utilizada para verificacao de resultados em intervencoes. Em estudo (12) para avaliacao da eficacia de intervencoes para gerenciamento de riscos cardiovasculares, a comparabilidade das mensuracoes de custo-efetividade foi realizada a partir deste indicador, sendo que os achados apontaram que o custo beneficio foi maior para as acoes realizadas com mulheres (quando comparadas em acoes com o publico masculino), com um ganho maior de QALYs versus libras investidas no publico feminino.

Years Lived with Disability (YLD)--anos de vida perdidos por doenca e/ou incapacidade--e a quantificacao dos anos vividos com a incapacidade proveniente de um agravo (11). Por exemplo, este indicador pode ser usado para demonstracao de sobrevida. No GBD2013 (10) o aumento de status sociodemografico foi associado com uma mudanca na carga de Years of Life Lost (YLL)--anos de vida perdidos--para YLD, impulsionado por quedas nos YLLs e aumentos de YLD de lesoes musculo-esqueleticas, doencas neurologicas e transtornos mentais por uso de substancias quimicas.

Pode observar-se que a iniciativa de mapeamento da carga global aconteceu apos duas decadas das primeiras publicacoes no tema. Data de 1976 a primeira vez que a metodologia foi empregada, Zeckhauser e Shepard a utilizaram para verificar desfechos de saude comparados as questoes de qualidade de vida (13).

O interesse em quantificar nao somente morbidade, mas tambem qualidade de vida pode ser atribuido ao aumento da expectativa de vida, o que leva as pessoas acometidas por doencas a permanecerem mais tempo expostas a elas e, consequentemente, a utilizarem por mais tempo os servicos de saude, conduzindo a necessidade de elaboracao de politicas e programas de saude mais especificos e eficazes, de forma que os custos sejam racionalizados e minimizados.

O objeto de alguns estudos (14,15) tem sido a revisao do metodo que busca verificar o impacto da doenca, retomando a expressao destas e suas limitacoes para a aplicacao das medidas de carga de doenca.Essas medidas sao mencionadas em outros estudos (7,14,16-18) sendo que os autores, de forma unanime, colocam que o melhor indicador para expressar a carga de doenca e o DALY (Disability Adjusted Life Years) que apresenta uma ampliacao do conceito de anos perdidos em decorrencia de eventos nao fatais. Dessa forma, o DALY, para uma doenca ou agravo, e constituido pela soma dos anos perdidos por morte prematura (YLLYears of Life Lost) e os anos de vida perdidos por incapacidade (YLD- Years Lost due Disability), resultando na formula de carga de doenca DALY = YLL + YLD.

Considerando os disturbios fonoaudiologicos, cabe a reflexao de que a medida supracitada (YLD), a partir da qual se verifica os anos de vida perdidos por incapacidade e uma ferramenta importantissima para ser utilizada nos casos de pessoas acometidas por disturbios da comunicacao, como, por exemplo, aqueles associados a pete deficiencia auditiva. A YLD mensura a relacao entre o quanto conviver com a deficiencia gera incapacidades no individuo e traz as informacoes em relacao aos anos de vida com o qual o sujeito convive com as limitacoes impostas pela deficiencia. Dados sobre a carga da deficiencia auditiva e dos disturbios da comunicacao a ela associados, portanto, possui potencial para fundamentar e agregar informacoes para o monitoramento de acoes que visam investimentos na deteccao precoce, bem como na melhoria das tecnicas para minimizacao dos efeitos da deficiencia auditiva nos aspectos comunicativos, educacionais, sociais e psiquicos.

Dentre os estudos levantados, uma revisao de literatura (19) sobre o metodo de medir carga de doenca especifica algumas desvantagens: falta de sedimentacao teorica e o fato desta ser uma medida tao globalizada para generalizar variaveis para todas as doencas. Contudo, desde a iniciativa da Organizacao Mundial da Saude para mensurar a Carga Global das Doencas, este e o metodo que se tem utilizado para um mapeamento geral do adoecimento.

Inferindo no campo da fonoaudiologia, ha que se considerar de que um acometimento tao complexo, como os disturbios da comunicacao, de implicacoes de grandes mensuracoes e variavel de individuo para individuo, nao pode receber tantas generalizacoes para obtencao de medidas objetivas de suas consequencias. No entanto, o metodo atualmente e o unico proposto para medir carga de doenca.

Considerando as desvantagens do metodo e agregando o fato da prevalencia da deficiencia auditiva ser alta no contexto dos disturbios da comunicacao humana, estudos que se propoem a realizar essas medidas seriam de grande repercussao, pois medidas objetivas podem traduzir quantitativamente estados que, muitas vezes, sao apenas descritos de forma qualitativa. Numeros, como forma objetiva de medida, acrescentam a esse descritor maior impacto, facilitam a elaboracao de bancos de dados para a realizacao de estudos e objetivam a elaboracao de relatorios para a captacao de recursos em saude, ou seja, podem otimizar intervencoes curativas de determinadas doencas.

No panorama da literatura nacional, um estudo (8) realizou medidas de carga de doenca no estado de Minas Gerais, sendo o unico a realizar as medidas de carga de doenca especificadas por grupo de doenca e de faixa etaria, especificando cada componente das medidas de DALY.Esse estudo ressalta que existem limitacoes acerca da qualidade das informacoes para a estimacao dos parametros necessarios, ou seja, em suas conclusoes destaca a importancia de estudos deste genero, mas inclui as limitacoes dos dados. Os disturbios fonoaudiologicos nao foram analisados, contudo, quando o estudo explicita o peso dos acometimentos, a deficiencia auditiva esta entre os aspectos considerados. Com isso, a analise do referido aspecto, suscita uma reflexao sobre pesquisas futuras em relacao a deficiencia auditiva, caso informacoes necessarias estejam disponiveis para execucao das medidas ou ate, se possivel, incluir um levantamento das variaveis envolvidas para as medidas da carga de doenca na deficiencia auditiva.

Na bibliografia internacional selecionada, encontrou-se um estudo (20) que mediu a carga de doenca a partir do utilitario DALY na paraplegia, trazendo os efeitos desses dados no pais, no ambiente, no genero e nas condicoes socioeconomicas. Nesse estudo, aponta-se a relevancia do impacto das doencas nos individuos com diferentes realidades, indicando-se como cada funcionamento e alterado frente a um acometimento. Esse estudo destaca a importancia do desenvolvimento de indicadores para a carga de doenca nas acoes de intervencao a fim de buscar-se um denominador comum nas intervencoes para realidades diferentes. Conforme discutem os autores (18) encontrar um norteador que contemple as diferentes realidades, sejam elas de genero, idade ou condicao social, e de suma importancia nos disturbios fonoaudiologicos, pois o acesso e obtencao de acoes curativas poderiam ser mais uniformizado, priorizando a individualidade que cada acometido apresenta, enfatizando principalmente como cada um convive com os impactos inerentes ao agravo. Mais uma vez, pode se entender a importancia desses estudos como norteadores para pesquisas de pessoas acometidas por incapacidades de qualquer tipo e grau. E por meio delas que podem ser definidas as prioridades tao necessarias quando se referem as politicas de saude que compreendam qualquer grau de complexidade.

Dentre os estudos que emergiram nesta pesquisa, destacam-se os estudos referentes as medidas de QALYs (11,15,21), sendo esse um utilitario simples, porem efetivo para a compreensao das consequencias dos agravo na qualidade de vida dos individuos (11). Um ano saudavel de um determinado individuo corresponde a um QALY. Neste sentido, um ano de vida com um nivel de saude baixo, por exemplo x, em que x < 1, vale x QALYs. Ajustando o valor de um ano de vida futura a um valor corrente a uma taxa r, e possivel calcular o valor corrente dos QALYs esperados por um individuo, considerando o seu perfil de saude e a sua vida futura (11).

Um aspecto importante em relacao a aplicacao do QALY e a nocao basica que o perpassa de que para qualquer individuo a perspectiva de viver anos Y com menos do que a saude plena podem ser equiparada a prospeccao de viver X anos em plena saude, quando x < Y (22). Dada a hipotese de que diferentes contextos (perfis) de duracao de sobrevivencia em estados de saude diversos podem ser convertidos nos seus respectivos equivalentes "anos completos de vida saudavel", as medidas de QALY podem ser utilizadas para auxiliar na decisao de casos nos quais diferentes opcoes terapeuticas podem produzir combinacoes diferentes de sobrevida e qualidades de vida variadas (22). Por outro lado, ainda que seja possivel agregar e comparar as valoracoes em relacao a saude e qualidade de vida em diferentes cenarios, ha que considerar que a percepcao de saude, doenca e de limitacao passa pela subjetividade de cada sujeito e cada contexto.

Em dois dos estudos (23,24) verifica-se a tentativa de aproximacao a algumas variaveis da carga de doenca, propondo verificar associacoes entre disturbios da comunicacao humana e niveis de qualidade de vida. Entretanto, observa-se que estudos nao sao feitos na populacao em geral, ou seja, sao direcionados a grupos especificos. No Brasil, sistemas de informacao de doencas e agravos tais como aqueles de violencia, agravos de notificacao compulsoria, doencas cronicas nao contemplam os disturbios da comunicacao, possivelmente por tratarem-se de comorbidades decorrentes de doencas e agravos, impossibilitando analises mais globais, fazendo com que os estudos seja direcionados a publicos especificos (ambulatorios, hospitais, centros de saude).

Uma possibilidade de utilizacao da ferramenta QALY no campo dos disturbios fonoaudiologicos e a geracao de QALYs com ou sem intervencao, relacionando-se por exemplo, a quantidade de QALYs ganhos pela intervencao em relacao a condicoes como disfagia, disfonia, ou reabilitacao labirintica. A comparacao do QALY nas condicoes com e sem intervencao, nestes casos, permitirla identificar quando e qual intervencao aplicada geraria um estado de mais saude no individuo, envidenciando ainda quando a falta deintervencao, resultaria numa deteriorizacao mais rapida das atividades e qualidade de vida do individuo.

Os indicadores que estimam a carga de doenca tornam-se relevantes no cenario de fundamentacao para planos de investimento em saude: um artigo (25) relata a revisao de literatura com a abordagem economica da carga de doenca, especificamente na esquizofrenia, ressaltando as altas taxas de carga de doenca nesse disturbio para a sociedade, demonstrando a importancia desses achados na economia e nas politicas de saude. Na Holanda (26), por exemplo, uma pesquisa explorou uma abordagem alternativa para estimar o valor monetario de um QALY, sendo que os resultados foram avaliados como promissores, mas sem desprezar as possiveis fragilidades metodologicas.

Observa-se (24,27) uma iniciativa de aproximacao de estudos de disturbios da fala e a metodologia de estimar a carga de doenca, mas como ja discutido previamente, as tentativas se aplicam em grupos de individuos especificos, com uma determinada patologia, onde o disturbio da comunicacao humana e consequencia do agravo. Uma pesquisa italiana (27) estimou a carga de afasia em pacientes de AVC, com a finalidade de estabelecer parametros para reabilitacao precoce, sugerindo a importancia de verificar a carga da afasia em uma ampla populacao de pacientes hospitalizados, com AVC agudo, para formacao de estimativas de deficiencia residual e consequente impacto na definicao de programas especificos de reabilitacao precoce.

A magnitude do uso da metodologia de estimativa de carga de doenca e clara, basta verificar rapidamente as ultimas publicacoes em revistas de alto impacto, porem a fonoaudilogia precisa apropriar-se de suas medidas. A praticidade e aplicabilidade do DALY foram evidenciadas em estudo (28) que estabeleceu passos para o calculo: (I) definicao da populacao; (2) modelo conceitual de desfechos; (3) coleta de dados; (4) analise dos dados; (5) calculo do DALY. Apesar da sistematizacao simplista, as dificuldades no acesso de dados de qualidade sao colocadas como a maior dificuldade encontrada no uso da metodologia.

O Brasil esta no cenario de grandes estudos sobre carga de doenca (29), com um panorama das doencas cronico-degenerativas, parasitologicas, causas externas, dentre outras. Evidencia-se portanto, o desafio de implementar a metodologia para avaliacao da carga dos disturbios fonoaudiologicos.

CONCLUSAO

Com este cenario, a aplicacao das ferramentas para estabelecer-se a carga de doenca oportuniza avaliar as repercussoes das acoes de intervencao na minimizacao do impacto das limitacoes e implicacoes dos disturbios fonoaudiologicos, fornecendo nao apenas dados dos efeitos das intervencoes sobre este agravo, mas permitindo tambem a caracterizacao de uma medida padrao-ouro para mensurar-se os resultados das acoes neste campo. Pode-se inferir que a metodologia traca um panorama importante para planejamento e avaliacao de intervencao, porem, se faz necessario que o pesquisador tenha ciencia de suas limitacoes e consiga avaliar qual indicador melhor se aplica para seus estudos.

E possivel inferir que existe uma carencia de estudos utilizando os conceitos relacionados a carga de doenca aplicados a comunicacao humana e seus disturbios, bem como as implicacoes destas na vida do sujeito a partir da metodologia proposta pela Organizacao Mundial da Saude. Dessa forma, ha oportunidades de aplicacao das medidas de QALYs, DALYS e suas variantes, tanto para que fornecam o impacto dos agravos no individuo, quanto para a avaliacao da qualidade, quanto para mensuracao da efetividade das intervencoes.

doi: 10.1590/1982-0216201618316415

REFERENCIAS

(1.) Murray CJ, Lopez AD. Evidence-based health policy-lessons from the Global Burden of Disease Study. Science. 1996;274(5288):740-3.

(2.) Tugwell P. Obtendo informacoes sobre a Carga de Doenca. In: Haynes RB, Sackett DL, Guyatt GH, Tugwell P. Epidemiologia Clinica: como realizar pesquisa clinica na pratica.3 ed. Porto Alegre(RS): Artmed, 2008.p.49-58.

(3.) Murray CJL. Quantifying the burden of disease: the technical basis for DALYs. Bull. World Health Organ.1994;72:429-45.

(4.) Leite CI, Valente JG, Scramm JMA, Oliveira AF,Costa MFS,Daumas RP et al. Relatorio final do projeto Carga Global de Doencas do Estado de Minas Gerais. Relatorio da Fundacao Osvaldo Cruz (FIOCRUZ). 2005.

(5.) Moreno-Altamiro ACDM, Lopez- Moreno SMC, Corcho-Berdugo A. Principales medidas em Epidemiologia. Salud Publica Mex. 2000;42(4):1-85.

(6.) Ferreira LNE. Utilidades, QALYs e medicao da qualidade de vida. Rev. Port. Saude Publica. 2003;volume tematico(3):51-63.

(7.) Murray CJ, Vos T, Lozano R, Naghavi M, Flaxman AD, Michaud C et al. Disability-adjusted life years (DALYs) for 291 diseases and injuries in 21 regions, 1990-2010: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2010. Lancet. 2012;380(9859):2197-223. Erratum in: Lancet.2013;381(9867):628.

(8.) Vos T, Flaxman AD, Naghavi M, Lozano R, Michaud C, Ezzati M et al. Years lived with disability (YLDs) for 1160 sequelae of 289 diseases and injuries 1990-2010: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2010. Lancet. 2012;380(9859):2163-96. Erratum in: Lancet. 2013;381(9867):628.

(9.) Broome M. Integrative literature reviews for the desenvolopmemnt of concepts. In: Rodgers Bl, Castro AA. A revisao sistematica e meta-analise. 2006. Disponivel em: http://www.metodologia.org.

(10.) Murray CJ, Barber RM, Foreman KJ, Abbasoglu Ozgoren A, Abd-Allah F, Abera SF et al. Global, regional, and national disability-adjusted life years(DALYs) for 306 diseases and injuries and healthy life expectancy (HALE) for 188 countries, 1990-2013: quantifying the epidemiological transition. Lancet. 2015;386(10009):2145-91.

(11.) Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvao CM. Revisao integrativa: metodo de pesquisa para a incorporacao de evidencias na saude e na enfermagem. Texto & Contexto Enferm. 2008;17(4):771-9.

(12.) Fletcher K, Mant J, McManus R, Hobbs R. The Stroke Prevention Programme: aprogramme of research to inform optimal stroke prevention in primary care.Southampton (UK): NIHR Journals Library. 2016; n 4.3.

(13.) Sassi F. Calculating QALYs, comparing QALY and DALY calculations.Health Policy Plan. 2006;21(5):402-8.

(14.) Gold MR, Stevenson D, Fryback DG. HALYS and QALYs and DALYs, Oh My: Similarities and differences in summary measures of population health. Ann. Rev. Public Health. 2002;23:115-34.

(15.) Broome J. Qalys. J Public Econ. 1993;50(2):149-67.

(16.) Tseng MC, Lin HJ. Health-related qulity of life after stroke: review of the literature and implications for future research. Acta Neurol. Taiwan. 2007;16(1):7-12.

(17.) Nedel BF, Rocha M, Pereira J. Anos Perdidos por mortalidade: um dos componentes da carga das doencas. Rev. Saude Publica. 1999;33(5):460-9.

(18.) Murray CJL, Acharya AK. Understanding DALYs. J. Health Econ. 1997;16(6):703-30.

(19.) Arnand S, Hanson K. Disability-adjusted life years: a critical review. J. Health Econ. 1997;16(6): 602-85.

(20.) Allotey P, Reidpth D, Kouame A, Cummins RD. Context and the determinants of the severity of disease: an exploratory comparison of paraplegia in Australia and Cameroon. Soc. Sci. Med.2003;57(5):949-58.

(21.) Carr-Hill RA. Assumptions of the QUALY procedure. Soc. Sci. Med. 1989;29(3):467-77.

(22.) Loomes G, Mckenzie L. The use of QALYs in health care decision making. Soc. Sci. Med. 1989;28(4):299-308.

(23.) Roy N, Tanner K, Merrill RM, Wright C, Miller KL, Kendall KA. Descriptive Epidemiology of Voice Disorders in Rheumatoid Arthritis: Prevalence, Risk Factors, and Quality of Life Burden. J. voice. 2015 [Epub ahead of print]. Disponivel em URL <doi:10.1016/j.jvoice.2015.02.011>

(24.) Tanner K, Pierce JL, Merrill RM, Miller KL, Kendall KA, Roy N. The Quality of Life Burden Associated With Voice Disorders in Sjogren's Syndrome. Ann. Otol. Rhinol. Laryngol. 2015;124(9):721-7.

(25.) Daltio SC, Mari JJ, Ferraz BM. Estudos farmacoeconomicos e carga de doenca em esquizofrenia. Rev psiquiatr clin. 2007;34(2):208-12.

(26.) Tilling C, Krol M, Attema AE, Tsuchiya A, Brazier J, van Exel J, Brouwer W. Exploring a new method for deriving the monetary value of a QALY. Eur. J. Health econ. 2015; Aug 20:1-9.

(27.) Bersano A, Burgio F, Gattinoni M, Candelise L; PROSIT Study Group. Aphasia burden to hospitalised acute stroke patients: need for an early rehabilitation programme. Int. J. Stroke. 2009;4(6):443-7.

(28.) Devleesschauwer B, Havelaar AH, Maertens de Noordhout C, Haagsma JA, Praet N, Dorny P, Duchateau L, Torgerson PR, Van Oyen H, Speybroeck N. DALY calculation inpractice: a stepwise approach. Int. J. Public Health. 2014;59(3):571-4.

(29.) Schramm JMA, Oliveira FA, Leite IC, Valente JG, Gadelha AMJ, Portela MC et al. Transicao epidemiologica e o estudo de carga de doenca no Brasil. Cienc. saude coletiva. 2004;9(4):897-908.

Barbara Niegia Garcia de Goulart [1]

Nagila Soares Xavier Oenning [1]

(1) Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS--Porto Alegre (RS), Brasil.

Conflito de interesses: inexistente

Recebido em: 06/10/2015

Aceito em: 16/05/2016

Endereco para correspondencia:

Barbara Niegia Garcia de Goulart R. Ramiro Barcelos, 2600 Santa Cecilia, Porto Alegre (RS)

CEP: 90035-003

E-mail: bngoulart@gmail.com
Figura 1. Descricao das estrategias de busca dos artigos.

Estrategia de Busca                          Resultado     Resultado
                                              inicial     apos analise

("dysphonia" [MeSH Terms] OR "dysphonia"         8             0
[All Fields]) AND (Burden[All Fields] AND
("disease" [MeSH Terms] OR "disease"[All
Fields]))

("language disorders"[MeSH Terms] OR             81            1
("language"[All Fields] AND
"disorders"[All Fields]) OR "language
disorders"[All Fields]) AND (burden[All
Fields] AND ("disease"[MeSH Terms] OR
"disease"[All Fields]))

(dysphagia[Title/Abstract]) AND burden of        2             0
disease[Title/Abstract]

(voice disorders) AND burden of disease          18            2

Carga de Doenca [Titulo]                         15            1

DALY[Title]                                      71            4

(qalys[Title/Abstract]) AND                     205            10
burden[Title/Abstract]

(yld [Title/Abstract]) AND                      118            3
burden[Title/Abstract]

Figura 2. Descricao dos estudos
selecionados sobre Carga de Doenca (foco
metodologico e disturbios
fonoaudiologicos)

Estudo         Revista Ano de                 Autor(es)
                 publicacao

1            Journal of Health         Murray CJL; Acharya AK.
               Economics 1997

2            Journal of Public                Broome J.
               Economics 1993

3         Annu. Rev. Public Health      Gold RM, Stevenson D,
                    2002                     Fryback GD.

4          Bulletin of the World             Murray CJL.
          Health Organization 1994

5        Social Science & Medicine      Allotey FJ Reidpth D,
                    2003                Kouame A, Cummins RD.

6            Journal of Health           Arnand S, Hanson K.
               Economics 1997

7          Revista Portuguesa de            Ferreira LNE.
             Saude Publica 2003

8          Relatorio da Fundacao        Leite CI, Joaquim GV,
           Osvaldo Cruz (FIOCRUZ)         Scramm AMJ et al..
                    2005

9         Revista de Saude Publica        Nedel BF, Rocha M,
                    1999                      Pereira J.

10       Social Science & Medicine          Carr-Hill RA.
                    1989

11       Acta Neurologica Taiwanica       Tseng MC, Lin HJ.
                    2007

12         Revista de Psiquiatria     Daltio SC, Mari JJ, Ferraz
                Clinica 2007                     BM.

13          Jounal of Voice 2015       Roy N, Tanner K, Merrill
                                       RM, Wright C, Miller KL,
                                             Kendall KA.

14       Ann Otol Rhinol Laryngol.       Tanner K, Pierce JL,
                    2015                Merrill RM, Miller KL,
                                          Kendall KA, Roy N.

15              Lancet 2012                  Vos T et al.

16              Lancet 2012                Murray CJ et al.

17        HealthPolicy Plan. 2006              Sassi F

18        Eur J Health Econ. 2015     Tilling C, Krol M, Attema
                                      AE, Tsuchiya A, Brazier J,
                                        van Exel J, Brouwer W.

19           Int J Stroke. 2009          Bersano A, Burgio F,
                                       Gattinoni M, Candelise L

20       Int J Public Health. 2014        Devleesschauwer B,
                                       Havelaar AH, Maertens de
                                       Noordhout C, Haagsma JA,
                                      Praet N, Dorny P Duchateau
                                      L, Torgerson PR, Van Oyen
                                           H, Speybroeck N.

21         Cienc. saude coletiva         Schramm, JMA et al.
               [online]. 2004

Estudo        Titulo do artigo                Descricao

1           Understanding DALYs         Revisao do metodo para
                                        quantificar a carga de
                                       doencas usando a medida
                                        dos anos perdidos por
                                         incapacidades--DALY
                                        Ressalta a vantagem da
                                        medida diferenciar-se
                                       apenas em sexo e idade,
                                      para eventos de saude nao
                                               fatais.

2                  QALYs               Levantamento teorico da
                                       medida QALY ressaltando
                                      algumas dificuldades como
                                      a generalizacao da medida
                                            para todas as
                                            incapacidades.

3        HALYs and QALYs and DALYs,      Revisao dos metodos
          oh my: similarities and     utilizados para as medidas
           differences in summary     de carga de doenca (DALY,
           measures of population      HALY e QUALY) e ressalta
                   health                 que essas medidas
                                      contribuem para entender o
                                        impacto das doencas em
                                       populacoes especificas e
                                       possibilita as analises
                                       economicas dos programas
                                              de saude.

4        Quantifying the burden of        Traz consideracoes
           disease: the technical      importantes para um novo
                 basis for              indicador de carga de
          disability-adjusted life     doenca, fornecendo assim
                   years              uma formula para o calculo
                                         do DALY Ressalta as
                                        variaveis do calculo,
                                         discute vantagens e
                                       desvantagens do metodo.

5             Context and the         O estudo mostra a Carga de
            determinants of the        Doenca com o utilitario
          severity of disease: an        DALY na paraplegia,
         exploratory comparison of      demonstrando que essas
          paraplegia in Australia      medidas podem variar de
               and Cameroon.           acordo com o contexto em
                                      que o individuo acometido
                                             se encontra.

6         Disability-adjusted life    Menciona que o DALY surgiu
          years: a critical review    para medir a carga que as
                                         doencas impoem a uma
                                        determinada populacao
                                      acometida por determinada
                                      doenca. O artigo considera
                                        que a base tecnica da
                                      medida e falha pois julga
                                       falha o fator idade nas
                                         variaveis alem de da
                                       medida nao distinguir a
                                       maneira de medir a carga
                                          com a capacidade.

7           Utilidades, QALYs e       Revisa o metodo de medicao
          medicao da qualidade de          do QALY e cita o
                    vida              instrumento de medicao da
                                          qualidade de vida
                                      utilizando o questionario
                                         de estados de saude
                                           generico EQ-5D.

8        Relatorio final do projeto    O relatorio demonstra os
         Carga Global de Doencas do    resultados do estudo de
           Estado de Minas Gerais      carga de doenca em Minas
                                        Gerais do ano de 2005
                                       relatando os efeitos da
                                           doenca tanto na
                                        mortalidade quanto na
                                      incapacidade por grupo de
                                        doenca e faixa etaria.

9        Anos de vida perdidos por      Inicialmente o artigo
            mortalidade: um dos         revisa o metodo DALY;
          componentes da carga de        depois apresenta as
                   doenca              medidas de anos de vida
                                          perdidos por morte
                                       prematura (AVP), um dos
                                       componentes da carga de
                                      doenca nos Estados do Rio
                                        Grande do Sul e Santa
                                       Catarina, comparando com
                                         alguns resultados do
                                               Brasil.

10        Assumptions of the QALY      Menciona que a medida do
                 Procedure              QALY e uma medida util
                                      para a gestao de cuidados
                                      em saude, pois permite uma
                                       melhor decisao de qual o
                                       programa mais efetivo a
                                        ser seguido. Ressalta
                                      pressupostos teoricos que
                                         sustentam a tecnica.

11        Health-related qulity of    O artigo traz uma revisao
         life after stroke: review     dos metodos usadas para
           of the literature and        avaliar DALYs, QALYs e
          implications for future       HALys , pois considera
                  research              importante a avaliacao
                                      economica e de tecnologia
                                         medica para captacao
                                           desses recursos.

12        Estudos farmaconomicos e    Revisao de publicacoes na
             carga da doenca em         base de dados Medline
               esquizofrenia             sobre os principais
                                        estudos farmaconomicos
                                            realizados na
                                            esquizofrenia.

13        Descriptive Epidemiology     Estima a prevalencia de
           of Voice Disorders in      disturbios da comunicacao
           Rheumatoid Arthritis:      e verifica a relacao com a
         Prevalence, Risk Factors,    qualidade de vida em grupo
            and Quality of Life       especifico (pacientes com
                  Burden.                artrite reumatoide).
                                        Discute os fatores de
                                       risco, relacionando com
                                      QALY apesar de nao aplicar
                                       o conceito diretamente.

14       The Quality of Life Burden    Estima a prevalencia de
           Associated With Voice      disturbios da comunicacao
           Disorders in Sjogren's     e verificar a relacao com
                 Syndrome.              a qualidade de vida em
                                           grupo especifico
                                      (pacientes com sindrome de
                                         Sjogren). Discute os
                                          fatores de risco,
                                        relacionando com QALY
                                       apesar de nao aplicar o
                                        conceito diretamente.

15            Years lived with         Analise comparativa dos
         disability (YLDs) for 1160        anos vividos com
          sequelae of 289 diseases     incapacidade nas decadas
         and injuries 1990-2010: a      de 90 e 2000. Verifica
          systematic analysis for        1160 sequelas de 289
            the Global Burden of       doencas e os disturbios
             Disease Study 2010          fonoaudiologicos nao
                                           constam no rol.

16        Disability-adjusted life     Analise comparativa dos
           years (DALYs) for 291      DALYs nas decadas de 90 e
          diseases and injuries in              2000.
          21 regions, 1990-2010: a
          systematic analysis for
            the Global Burden of
            Disease Study 2010.

17           Calculating QALYs,        Discussao metodologica,
          comparing QALY and DALY      descrevendo os aspectos
                calculations          tecnicos dos calculos, com
                                       ponderacoes positivas e
                                              negativas.

18       Exploring a new method for   Discussao metodologica de
           deriving the monetary      proposicao de alternativa
              value of a QALY           para calculo dos valor
                                          monetario do QALY

19           Aphasia burden to         Estima a prevalencia de
         hospitalised acute stroke    afasia em grupo especifico
           patients: need for an         (pacientes com AVC).
            early rehabilitation      Discute algumas ideias da
                 programme            carga de doenca, apesar de
                                        nao aplicar o conceito
                                             diretamente.

20            DALY calculation            Sistematizacao da
           inpractice: a stepwise      metodologia, fazendo uma
                 approach.             reflexao critica acerca
                                      das dificuldades para uma
                                      estimativa mais proxima do
                                                real.

21       Transicao epidemiologica e   Estudo de carga de dooenca
            o estudo de carga de              no Brasil
             doenca no Brasil.
COPYRIGHT 2016 CEFAC - Associacao Institucional em Saude e Educacao
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:de Goulart, Barbara Niegia Garcia; Oenning, Nagila Soares Xavier
Publication:Revista CEFAC: Atualizacao Cientifica em Fonoaudiologia e Educacao
Date:May 1, 2016
Words:5423
Previous Article:Supracricoid partial laryngectomy: literature review on quality of life protocols/Laringectomias supracricoides: revisao de literatura em protocolos...
Next Article:Knowledge production on community education and audiology in primary health care/Producao do conhecimento sobre educacao popular e audiologia na...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters