Printer Friendly

Anatomohistopathological diagnosis of platinosomosis in feline: Case Report/DIAGNOSTICO ANATOMOHISTOPATOLOGICO DE PLATINOSOMOSE EM FELINO: RELATO DE CASO.

1 Introducao

Platinosomose e o nome dado a doenca causada pelo parasitismo por Platynosomum spp., que e uma das principais hepatopatias que acometem os felinos (AZEVEDO et al., 2013). Apos a lipidose hepatica que e bastante comum, as colangites e colangiohepatites sao classificadas como a segunda causa de doenca hepatica mais comum nos gatos (SOLDAN; MARQUES, 2011).

Na infeccao pelo Platynosomum spp. ocorrem obstrucao e inflamacao dos dutos biliares (LEAL et al., 2011). Causando manifestacoes clinicas como inapetencia, letargia, anemia, ictericia, diarreia mucoide, vomito, ascite, hepatomegalia (MICHAELSEN et al., 2012). A semelhanca da sintomatologia da platinosomose com as de outras patologias, ou mesmo a falta de sinais podem passar despercebidos para a parasitose, dificultando assim o controle e tratamento da mesma (FILHO et al., 2015).

A complexidade do ciclo de vida do parasita dificulta que este seja totalmente conhecido, sabese que inclui ate tres hospedeiros intermediarios (CARREIRA et al., 2008). Nas regioes com tipo de clima quente, os gatos infectam-se ingerindo, por exemplo, lagartixas e sapos, pelo habito predatorio (FILHO et al., 2015).

A forma de evitar essa parasitose, seria evitar o contato dos gatos com os hospedeiros intermediarios, mas e uma situacao complicada de se fazer, ja que os felinos tem o habito de predatorio (PAULA, 2010). A unica solucao possivel, segundo Franco et al. (2013), depende dos medicos veterinarios diagnosticarem a parasitose precocemente para que o tratamento instituido tenha eficacia e facilite recuperacao do animal acometido. Para tal diagnostico precoce seria necessario que se tornasse rotina a realizacao de exames parasitologicos de fezes dos animais (PAULA, 2010).

O objetivo do trabalho e relatar um caso de platinosomose em gato diagnosticada em exame post mortem.

2 Relato de Caso

O presente trabalho relata um caso de um felino domestico adulto, sem raca definida, femea, castrada, com aproximadamente seis anos de idade, atendida na Policlinica Veterinaria Escola da Faculdade de Medicina Veterinaria de Valenca (FMVV), Rio de Janeiro. Na realizacao da anamnese o proprietario relatou que a gata apresentava um comportamento letargico, andava pelo quintal da residencia prostrada, sem interesse por alimentos ha cerca de cinco dias, mesmo com o oferecimento de racao associada a outros alimentos.

No exame fisico revelou uma ligeira ictericia, suspeitando-se inicialmente de intoxicacao. O animal foi submetido a fluidoterapia com cloreto de sodio a 0,9% combinado a um estimulante energetico desintoxicante (Stimovit[R]) e vitamina B12; e posteriormente uma sonda nasogastrica foi inserida para administracao de dieta. Visto que o animal precisava de acompanhamento medico, permaneceu internado na localidade durante o dia, retornando a noite para casa. O animal nao apresentou melhoras significativas com o tratamento instituido.

Ao retornar a Policlinica, dias depois, o felino que continuava sem se alimentar e icterico, agora apresentava desidratacao severa. Foi solicitada a realizacao de exames complementares como hemograma completo, pesquisa de hematozoarios, bioquimica serica e ultrassonografia. O resultado do hemograma demonstrou que os parametros estavam dentro da normalidade. A pesquisa de hematozoarios revelou resultado negativo. Ja na bioquimica serica observou-se que a enzima Transaminase Glutamico Piruvica (TGP) encontrava-se acima da normalidade, 371 U/L.

Na ultrassonografia foram visualizadas anormalidades no figado que apresentava volume aumentado, bordos regulares, parenquima homogeneo e ecogenicidade hipoecoica. Vascularizacao muito aumentada, sendo a imagem sugestiva de hepatopatia. Os demais orgaos observados, baco, estomago, alcas intestinais, vesicula urinaria e rins nao apresentaram nenhum tipo de alteracao, apenas este ultimo que possuia cortical com ecogenicidade aumentada.

Apesar do suporte clinico com fluidoterapia, alimentacao, o animal morreu 45 dias apos a sua primeira consulta, com o diagnostico de hepatopatia. Com isso, foi indispensavel a realizacao da necropsia em busca do diagnostico post mortem. As alteracoes encontradas na necropsia foram: caquexia do animal, mucosas discretamente hipocoradas, moderada ictericia em mucosa oral e tecido subcutaneo (Figura 1A), musculos palidos e com moderada atrofia, discreta presenca de liquido em cavidade toracica (Figura 1B), pulmao com coloracao ora brancacenta ora avermelhado, baco de coloracao enegrecida, presenca de cicatriz na superficie dos rins e discreto aumento de linfonodos mesentericos. O figado apresentava-se moderadamente congesto, levemente amarelado e com grande quantidade de formas parasitarias compativeis com o parasito Platynosomum spp.

Fragmentos do figado e amostras de fezes foram coletados para exames laboratoriais.

Os fragmentos de figado foram enviados para o laboratorio de Anatomia Patologica Veterinaria da FMVV e processados pelos metodos de rotina para o exame histopatologico. Os cortes histologicos do figado revelaram colangite cronica, com presenca de hepatocitos com moderada esteatose (Figura 2 A), moderada biliestase, presenca de trematodeo adulto no interior dos ductos biliares, compativel com Platynosomum spp. alem de fibrose ductal e areas de hiperplasia de ductos biliares (Figura 4 B e C).

As amostras de parasitos e as fezes coletadas durante a necropsia foram enviadas para o Laboratorio de Parasitologia da FMVV. No exame com microscopio esterioscopico pode-se confirmar que as formas parasitarias eram compativeis com Platynosomum spp., apresentando corpo achatado, ventosas oral e ventral, testiculos dispostos lado a lado, junto e posterior a ventosa ventral, ovario deslocado da linha mediana e pos testicular (Figura 3A). O exame coproparasitologico, utilizando-se a tecnica de formalina eter revelou a presenca de ovos marrons, de casca espessa e operculados caracteristico de Platynosomum spp. (Figura 3B).

3 Discussao

Inicialmente a conduta medica adotada, apos exame fisico, foi a realizacao de fluidoterapia, administracao de vitaminas e implementacao de sonda nasogastrica para alimentacao. Estas medidas foram importantes para tentar estabilizar o animal (FILHO et al., 2015), ja que este apresentava-se desidratado e sem se alimentar.

A platinosomose descrita no trabalho demonstrou inicialmente sinais inespecificos como letargia, ictericia e desidratacao, relatados tambem nos trabalhos de Sampaio et al. (2006) e Michaelsen et al. (2012). Tais sinais comuns a outras doencas acabam por confundir o diagnostico da parasitose. Desta maneira e indispensavel a solicitacao de exames complementares para auxilio no fechamento do diagnostico, como afirma a literatura. A ultrassonografia por exemplo, possibilita a identificacao de anormalidades no figado, principal orgao acometido pela parasitose (AZEVEDO et al., 2013). Os resultados ultrassonograficos de Sampaio et al. (2006) foram compativeis com o do relato, onde tambem foram descritos que o figado se encontrava aumentado, hipoecoico e com bordos regulares, sugestivo de hepatopatia. Os demais orgaos visualizados, bexiga, rins, baco, assim como no presente relato, tambem nao apresentaram alteracoes.

Segundo Soldan et al. (2011) alteracoes em hemogramas de felinos parasitados por Platinossomum spp, podem sugerir a parasitose, apesar de nao ser especifico. No caso do exame hematologico solicitado pela Policlinica para a gata com platinossomose, nao houve alteracoes que a evidenciassem, reafirmando Soldan et al. (2011) que em seu trabalho elucida que modificacoes no exame de sangue nao sao patognomonicas para a parasitose.

A avaliacao da bioquimica serica em casos de platinosomose direciona o medico veterinario a uma possivel lesao hepatica pelo aumento da TGP e de outras enzimas. A TGP encontra-se presente no figado, livre no citoplasma, dentro de mitocondrias, e tambem em boa quantidade nos musculos e hemacias, o que nao a torna tao especifica para determinacao de lesao no figado, desta forma deve-se associar a outros parametros para fechamento do diagnostico de problema hepatico (NORMAN, 2014).

A realizacao da necropsia e muito importante tanto para animais diagnosticados ante mortem, quanto para os nao foram diagnosticados. Sampaio et al. (2006), durante o exame post mortem em um felino com a parasitose encontraram visceras abdominais com ictericia, hepatomegalia, fibrose e aumento de canaliculos biliares, ducto e vesicula biliar. No relato de caso de Terra et al. (2015), o figado apresentava consistencia aumentada e padrao lobular acentuado. Filho et al. (2015), ao realizarem cortes histologicos no figado verificaram colangite cronica, hepatocitos com esteatose e hiperplasia ductal, assim como no felino do presente estudo.

Santos et al. (1981), em seu trabalho verificaram a presenca do parasito no interior dos ductos biliares, o que promoveu espessamento dos ductos e fibrose dos mesmos. Ferreira et al. (1999) confirmou que a evolucao da doenca e realmente cronica, produzindo aspecto lobular com infiltracao inflamatoria e congestao discreta. Tal inflamacao cronica associada a obstrucao pode levar a cirrose, modificando assim o tecido original do figado por fibroso, o que leva o orgao a perder sua funcao, ou ficar reduzida (MONTSERIN et al., 2013).

A coleta de material fecal ante ou post mortem de um animal e valido para identificacao de parasitoses variadas. No caso de platinosomose o diagnostico definitivo e dado por meio de exame coproparasitologico, com achados de ovos operculados nas fezes caso os parasitos nao tenham obstruido o ducto biliar totalmente (MARTINS, 2012). Tal exame foi realizado a partir da coleta de conteudo fecal na necropsia, direto das alcas intestinais. Na visualizacao em microscopio foram observados ovos amarronzados e operculados, assim como o descrito por Bielsa e Greiner (1985) e por Castro e Albuquerque (2008), corroborando assim a platinosomose.

A eficiencia do tratamento adotado para platinosomose depende do grau e da extensao dos danos causados pelo parasito no animal. O farmaco praziquantel e o antiparasitario mais usado, com bons indices de cura (SOLDAN et al., 2011). A dose administrada por Moraes et al. (2015) em seu trabalho foi de 30 mg/kg, por via oral, uma vez ao dia, durante cinco dias consecutivos, tendo bons resultados com a eliminacao do parasitismo. No entanto, quanto mais precoce for o diagnostico, maiores sao as chances de cura e sobrevivencia do felino. O uso de terapia suporte e sempre preconizado em animais parasitados (PAULA, 2010).

4 Conclusao

A platinosomose e uma parasitose comum que causa varios prejuizos a saude do felino, podendo leva-lo a morte. Como os sinais clinicos sao inespecificos e indispensavel a solicitacao de exames complementares como o coproparasitologico e ultrassonografia, na tentativa de se realizar o diagnostico precoce. O exame anatomohistopatologicoe de suma importancia para o diagnostico conclusivo de platinossomose.

5 Referencias

AZEVEDO, F. D. et al. Avaliacao radiografica e ultrassonografica do figado e da vesicula biliar em gatos domesticos (Felis catus domesticus) parasitados por Platynosomum illiciens (BRAUN, 1901) Kossak, 1910. Revista Brasileira de Medicina Veterinaria, v. 35, n. 3, p. 283- 288, jul/set 2013.

BIELSA, L. M.; GREINER, E. C. Liver Flukes (Platynosomum concinnum in Cats). Journal of the American Hospital Association, v. 21, p. 269-274, mar/ abr 1985.

CARREIRA, V. S.et al. Feline cholangitis/cholangiohepatitis complex secondary to Platynosomum fastosum infection in a cat. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinaria, v. 17, suplemento 1, p. 184-187, 2008.

CASTRO, L. S.; ALBUQUERQUE, G. R. Ocorrencia de Platynosomum illiciens em felinos selvagens mantidos em cativeiro no Estado da Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinaria, v. 17, n. 4, p. 239-241, 2008.

FERREIRA, A. M. R.; ALMEIDA, E. C. P. Liver Fluke Infection (Platynosomum concinnum) in Brazilian cats: Prevalence and Pathology. FelinePratice, v. 27, n. 2, p. 19-22, 1999.

FILHO, R. P. S. et al.Primeiro relato de infeccao natural pelo Platynosomum spp. em gato domestico no municipio de Fortaleza, Ceara, Brasil.Arquivos de Ciencias Veterinarias e Zoologia da UNIPAR, v. 18, n. 1, p. 59-63, jan./mar. 2015.

FRANCO, P. A. et al. Pesquisa de Platynosomum Concinnum por tecnica de sedimentacao em felinos domesticos. In--34 Congresso Brasileiro da Associacao Nacional de Clinicos Veterinarios de Pequenos Animais, maio 2013; Anais. Natal: Anclivepa--RN 2013, p. 287--289.

LEAL, P. D. S. A. et al. Avaliacao da administracao oral de acido ursodesoxicolico (audc) no diagnostico da infeccao natural por Platynosomum illiciens em gatos. Revista Brasileira de Medicina Veterinaria, v. 33, n. 4, p. 229-233, out/dez. 2011.

MARTINS, S. B. U. Diagnosticos diferenciais de ictericia em pacientes felinos. 2012. 45f. Trabalho monografico (Curso de Pos Graduacao "Lato Sensu" em Clinica Medica e Cirurgia de Felinos)--Universidade Paulista, Belo Horizonte, 2012.

MICHAELSEN, R. et al. Platynosomum concinnum (Trematoda: Dicrocoeliidae) em gato domestico da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Veterinaria em Foco, v. 10, n. 1, p. 53-60, 2012. Disponivel em: <http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/veterinaria/article/view/1167>. Acesso em: 22 mai. 2016.

MONTSERIN, S. A. S.et al. Clinical case: Platynosomum fastosum Kossack, 1910 infection in a cat: First reported case in Trinidad and Tobago. Revue Medecine Veterinaire, v. 164, n. 1, p. 9-12, 2013. Disponivel em: <http://www.revmedvet.com/search_fr.php>. Acesso em: 31 mai. 2016.

MORAES, A. V. et al. Relato do primeiro diagnostico parasitologico de Platynosomum, Looss (1907) em felino no Estado de Santa Catarina. 2015. 5f. Trabalho da Mostra Nacional de Iniciacao Cientifica e Tecnologica e Interdisciplinar--Instituto Federal Catarinese--2015.

NORMAN, P. S. H. Diagnostico diferencial de doencas hepatobiliares em gatos. 2014. 33f. Trabalho monografico (Graduacao)--Universidade Federal do Rio Grande Faculdade de Veterinaria, Porto Alegre, RS, 2014.

PAULA, C. L. Platinosomiase em felinos domesticos: um diferencial para obstrucao biliar. 2010. 21f. Trabalho de conclusao de curso (Graduacao)--Faculdade de Medicina Veterinaria e Zootecnia da Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP, 2010.

SAMPAIO, M. A. S. et al. Infeccao natural pelo Platynosomum Looss 1907, em gato no municipio de Salvador, Bahia. Revista Brasileira de Saude e Producao Animal, v. 7, n. 1, p. 01-06, 2006.

SANTOS, J. A. et al. Colangiocarcinomas em gatos com parasitismo de dutos biliares por Platynosomumfastosum. Pesquisa Veterinaria Brasileira, v. 1, n. 1, p. 31-36, 1981.

SOLDAN, M. H.; MARQUES, S. M. T. Platinosomose: abordagem na clinica felina. Revista da FZVA, v. 18, n. 1, 2011. Disponivel em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fzva/article/viewArticle/7956 >. Acesso em: 20 mar. 2016.

TERRA, J. P. et al. Diagnostico Anatomopatologico de Linfoma Mediastinico, Aelurostrongilose e Platinosomose em um Felino. Enciclopedia Biosfera, Centro Cientifico Conhecer, v. 11, n. 21, p. 2167, 2015.

Tayane Kelly de CARVALHO (1) *, Lilian Cristina de Sousa Oliveira BATISTA (1), Luiz Augusto Laureano SAMPAIO (2) & Ana Paula ARAGAO (1)

(1) Faculdade de Medicina Veterinaria de Valenca. Valenca, Rio de Janeiro, Brasil.

(2) Medico Veterinario Autonomo. Barra do Pirai, Rio de Janeiro, Brasil.

* Autor para correspondencia: tayane_kc@hotmail.com

DOI: http://dx.doi.org/10.18571/acbm.149

Caption: Figura 1: (A) Felino apresentando acentuada caquexia e moderada ictericia em tecido subcutaneo. (B) Presenca de liquido em cavidade toracica (seta) e figado levemente amarelado.

Caption: Figura 2: (A) Hepatocitos com moderada esteatose e biliestase (setas) (HE 400x). (B e C) Presenca de estruturas anatomicas do trematodeo adulto no interior de ducto biliar, compativeis ao Platynosomum spp. Observa-se ainda fibrose ao redor do ducto e hiperplasia ductal (H.E. 100x).

Caption: Figura 3: (A) Platynosomum spp. encontrado no figado observado em microscopio estereoscopico. (B) Ovo de Platynosomum spp. encontrado em exame coproparasitologico, de conteudo intestinal atraves da tecnica de formalina eter.
COPYRIGHT 2017 Universidade Federal Fluminense
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2017 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:de Carvalho, Tayane Kelly; de Sousa Oliveira Batista, Lilian Cristina; Sampaio, Luiz Augusto Laurean
Publication:Acta Biomedica Brasiliensia
Date:Dec 1, 2017
Words:2393
Previous Article:RELATO DE CASO: DEFICIENCIA DE TIAMINA COMO CAUSA DE DESCOMPENSACAO CARDIACA.
Next Article:ABORDAGEM HIBRIDA NO TRATAMENTO DO TUMOR DE GLOMUS CAROTIDEO: RELATO DE EXPERIENCIA.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters