Printer Friendly

Analysis of the effects of concentration, dependence and supplier relationships on the item replacement facility/Analise dos efeitos da concentracao, dependencia e relacionamento com fornecedores sobre a facilidade de reposicao de itens/Analisis de los efectos de la concentracion, dependencia y relacion con proveedores sobre el facilidad de reposicion de elementos.

1 Introducao

O interesse na gestao da cadeia de fornecedores foi acentuado a partir da decada de 1990, quando as grandes empresas passaram por processos de desverticalizacao e especializacao da producao (Choy, Lee & Lo, 2002; Dwyer, Schurr & Oh, 1998; Porter, 1986). O maior foco das empresas em atividades diretamente ligadas ao negocio desencadeou uma relacao de dependencia com fornecedores na obtencao de componentes e servicos utilizados em seus processos de producao (Prajogo, Chowdhury, Yeung, & Cheng 2012). Em outras palavras, a evolucao das organizacoes e o crescimento destas gerou mais preocupacao quanto a gestao da cadeia de fornecedores que estas estavam inseridas. Tendo em vista o exposto, os fornecedores passaram a serem vistos sob o enfoque de ameaca aos compradores na medida em que aumentam seu poder de negociacao, impondo precos, condicoes de pagamento, prazos de entrega e qualidade dos produtos (Porter, 1986).

Para Porter (1998), a intensidade do poder de negociacao esta diretamente ligada a concentracao observada do setor fornecedor e a importancia do produto ou servico para o comprador e por isso, e preciso que ocorra a gestao da cadeia de fornecedores. Para isso, as empresas buscam minimizar o poder do fornecedor e maximizar seu poder de barganha numa visao tradicional chamada de modelo "distancia do braco" (Dyer et al., 1998). Todavia, esse modelo tradicional evoluiu. Nao se pode entender que o poder de barganha do fornecedor esta focado somente em sua concentracao de mercado uma vez que outros elementos podem influenciar nesse poder. Tampouco, se pode entender que o poder de barganha do fornecedor seja algo permanente (Habib, Bastl & Pilbeam, 2015), ou ainda, que o excesso de poder de barganha seja o nivel otimo de competitividade para o fornecedor (Sheu & Gao, 2014). Dessa forma, espera-se que outros elementos relevantes possam estar associados ao poder de barganha do fornecedor.

A gestao da cadeia de fornecedores e responsavel por administrar e intermediar as redes que vao desde a producao ate a entrega do produto ao cliente. No curto prazo a gestao da cadeia de fornecedores tem como objetivo aumentar a produtividade e reduzir os ciclos de producao; no longo prazo aumentar a satisfacao do cliente (interno ou externo), a participacao no mercado e o lucro (Lambert & Schwieterman, 2012; Lee, Ha & Kim, 2001; Moeller, Fassnacht & Klose, 2006; Wognum, Fisscher & Weenink, 2002). Tambem e relevante entender que

Neste cenario, Krajilic (1983) propos uma mudanca de perspectiva as empresas: abandono cultural do processo de compra como uma funcao operacional para torna- lo parte de uma gestao estrategica de fornecedores. Na gestao de fornecedores, o foco no relacionamento e estabelecimento de parcerias entre comprador e fornecedor tornam-se objeto de estudo, com destaque aos trabalhos classicos de Bensaou (1999), Dyer, Cho e Chu (1998), Dwyer, Schurr e Oh (1987) e Olsen e Ellram (1997).

Tendo em vista o exposto, o presente artigo teve como objetivo o presente artigo teve como objetivo analisar os efeitos da concentracao, dependencia e relacionamento com fornecedores sobre a facilidade de reposicao de itens. O trabalho esta dividido em seis sessoes, a se saber; a Sessao 1 e constituida pela Introducao; a sessao 2 pelo referencial teorico, que discute a Gestao de Fornecedores; na sessao 3, e discutida a Metodologia; na sessao 4, os sao apresentados os Resultados e Discussoes e; na ultima Sessao, sao feitas as Consideracoes Finais.

2 Gestao de fornecedores

A gestao de fornecedores pode ser considerada uma abordagem ampla, ao passo que se considera o gerenciamento das interacoes de uma organizacao com outras organizacoes que sao fornecedoras de produtos/servicos que ela consome em suas atividades e suas origens sao provenientes dos trabalhos de Dwyer et al. (1987), que trata da Teoria dos Relacionamentos e de Davenport e Short (1990) sobre redesenho de processos (Mettler & Rohner, 2009). Sendo assim, o principal objetivo da gestao de fornecedores e cuidar dos processos de sourcing entre as empresas e seus fornecedores e de forma indireta, procura fazer incremento na qualidade da informacao, produtos, servicos e da forca de trabalho (Mettler & Rohner, 2009) e que muitas vezes acabam refletindo na cadeia de fornecedores como um todo.

A cadeia de fornecedores pode ser considerada como um grupo de tres ou mais organizacoes que estao relacionadas diretamente num fluxo de produtos, servicos, financas e/ ou informacoes para um consumidor, sendo considerado um fenomeno de negocios, que pode ter gerenciamento ou nao (Mentzer et al., 2001). Nesse sentido, o objetivo primordial da cadeia de fornecedores e ligar o fluxo de materiais as necessidades dos clientes, diminuindo inventario, melhorando o servico prestado ao cliente e com estes objetivos atingidos, dando vantagem competitiva e valor no final (Cooper, Lambert & Pagh, 1997). Sendo assim, a visao depreendida e que a cadeia de fornecedores representa a integracao dos processos de negocios, desde quem fornece inicialmente ate o consumidor final dos produtos, servicos e informacoes agregando valor aos consumidores.

Considerando entao essa perspectiva de entrega de valor e satisfacao ao cliente, e importante que se possa gerenciar a cadeia de fornecedores, oferecendo vantagem competitiva para a cadeia como um todo, abrangendo todos seus integrantes (Lambert & Cooper, 2000; Mentzer et al., 2001). Nesse sentido, para que a gestao na cadeia de fornecedores aconteca de maneira adequada, o desenvolvimento da gestao dos fornecedores deve acontecer, sendo levado em conta que, incialmente deve ser feita uma classificacao dos itens que sao comprados pela organizacao, tendo por base seu valor e importancia para o valor dos negocios (Park et al., 2010).

Um aspecto que dever ser considerado para que ocorra a gestao dos fornecedores dentro da cadeia, e a necessidade de conhecer o mercado no qual ele esta inserido (Kraljic, 1983). Aspectos como disponibilidade, numero de fornecedores, demanda competitiva, oportunidades de fazer ou comprar, possibilidades de substituicao e riscos, de maneira geral devem ser levados em consideracao na escolha e manutencao dos fornecedores (Kraljic, 1983).

As questoes relacionadas ao gerenciamento dos riscos nas cadeias de fornecedores, existem tanto no discurso academico quanto na aplicacao pratica (Hoffman, Schiele & Krabbendam, 2013). O seu surgimento esta atrelado a diversas razoes, como crises e catastrofes, a propria globalizacao, mercados cada vez mais dinamicos e cadeias de fornecedores modernas, que sao muito mais vulneraveis do que os metodos tradicionais de producao (Roth, Tsay, Pullman & Gray 2008, Tang & Tomlin, 2008, Wagner & Bode, 2008). Essas cadeias de fornecedores sao complexas e a necessidade de ganhar vantagem competitiva, acabam por levar as empresas a assumirem maiores riscos de oferta (Hoffman et al., 2013). Nesse sentido, ao incluir a gestao de fornecedores em suas atribuicoes, as empresas acabam tendo que se preocupar questoes relacionadas com o gerenciamento de riscos na cadeia como um todo e, por conseguinte, o risco do proprio fornecedor.

Entretanto, o relacionamento de todas as empresas que possuem vinculos com uma empresa, que e considerada "empresa foco" ou "empresa focal" pode ser de carater direto ou indireto e um pressuposto para cadeia de fornecedores (Lambert et al., 1998) e a consequente gestao dos fornecedores diretos. Nesse sentido, o conceito da atuacao nas redes dos integrantes da cadeia de fornecedores e a relacao que estes atores possuem entre si, e o elemento mais importante a ser considerado na cadeia (Handfield & Nichols, 1999). Outro aspecto e que ao se discutir gestao da cadeia de fornecedores, deve ser levado em conta a rede que a forma bem como o espaco ocupado por cada integrante, sendo definida a maneira como contribui para o sucesso de determinado negocio (Lambert et al., 1998). Isso poderia evitar cadeias de fornecedores incompletas, definicao inadequada de produtos ou servicos aos clientes, por exemplo (Lee & Billington, 1993) dificultando o ganho de vantagem competitiva.

Um fato a se considerar, e que os fornecedores possuem a capacidade interferir de maneira negativa no lucro das empresas, principalmente quando estes possuem margem de negociacao, acarretando a elevacao dos precos ou mesmo diminuindo a qualidade dos produtos e servicos supridos (Porter, 1986). Neste sentido, podemos depreender que os produtos que possuem facilidade de reposicao, caso venham a se tornar escassos, seja por qual fator, pode comprometer a vantagem competitiva que a empresa possui em ter fornecedores que possam fazer seu suprimento, com possibilidade de negociacao de preco, num mercado amplo e com diversos fornecedores para um mesmo produto ou servico.

Encontrar produtos substitutos para utilizar em suas operacoes e um desafio para as organizacoes de maneira geral, tendo em vista que esta substituicao pode causar alteracoes em seus processos e na qualidade dos produtos ou servico que oferecido aos consumidores. Do outro lado, da parte dos fornecedores, os produtos substitutos sao considerados ameacadores, ao passo que para ocorrer sua mudanca basta que haja um produto ou servico de preco mais baixo, de mesma qualidade e desempenho igual e ate mesmo maiores que utilizado no momento da substituicao (Porter, 1980).

Dessa forma, a vantagem competitiva e o resultado da capacidade da organizacao de realizar eficientemente o conjunto de atividades necessarias para obter um custo menor que o dos concorrentes ou de organizar tais atividades de forma unica capaz de gerar um valor diferenciado para os clientes (Porter, 1991). Muitas vezes essas cadeias de suprimentos sao complexas e a necessidade de ganhar vantagem competitiva, acabam por levar as empresas a assumirem maiores riscos de oferta (Hoffman et al., 2013).

Tendo em vista o exposto, a atuacao com responsabilidade na cadeia de fornecedores e uma atitude cada vez mais esperada por parte das empresas (Walker & Brammer, 2009; Klassen & Vereecke, 2012), inclusive no controle e gerenciamento do preco que os fornecedores desta oferece. Portanto, o fracasso dessa acao resultar em consequencias significativas para as organizacoes, bem como impactar o desempenho financeiro (Phillips & Caldwell, 2005). Nesse sentido, o risco que as empresas incorrem podem afetar a sustentabilidade empresarial (Zhu & Sarkis, 2007; Walker & Jones, 2012).

3 Metodologia

Na presente sessao estao descritos o enquadramento metodologico, a amostra, os procedimentos de coleta de dados e a analise dos dados utilizados no presente artigo.

3.1 Enquadramento Metodologico

A abordagem da presente pesquisa pode ser considerada quantitativa, tendo em vista que nela foi feita mensuracao de relacao entre variaveis. Por abordagem quantitativa se entende como a que e necessario haver uma mensuracao e quantificacao dos dados e apos a mensuracao dos dados, eles sao tratados com ferramentas estatisticas. Para a realizacao de uma pesquisa quantitativa sao utilizadas tecnicas especificas, que sao de acordo o os objetivos a serem atingidos pelo pesquisador (Martins & Theophilo, 2009).

3.2 Amostra, Procedimentos de Coleta e Analise dos Dados

A amostra analisada no presente artigo foi formada por fornecedores de uma instituicao financeira (IF) brasileira. Inicialmente a populacao era constituida por 3.580 fornecedores dos mais diversos ramos de atuacao da IF. A coleta de dados para composicao das variaveis foi feita em seus diversos sistemas corporativos, sendo possivel conhecer as variaveis que foram analisadas, a se saber:

Variaveis Independentes--Relacionamento, Concentracao Interna, Concentracao de Mercado, Dependencia do Fornecedor.

Variavel Dependente--Facilidade de Reposicao do Item.

A proxie utilizada para relacionamento foi a quantidade de contratos que o fornecedor tinha com a IF ate o mes de dezembro de 2017, bem como a quantidade de contratos, foi o ponto de corte para qualificacao da amostra, tendo em vista que a populacao inicial era de 3.580 fornecedores e a maior parte desses fornecedores tinham entre um e 10 contratos em vigor, indicando que estavam fornecendo para a IF recentemente. Sendo assim, optou-se por selecionar os fornecedores que tinham mais de 10 contratos ate dezembro de 2018, totalizando 712 fornecedores integrantes da amostra.

Na analise de concentracao de mercado foram levadas em consideracao tres aspectos para classificar o fornecedor dentro da IF, a se saber: aberto, restrito e fornecedor unico. Esta classificacao foi feita levando em consideracao a quantidade de empresas existentes e que poderiam fornecer suprir a IF com seus produtos ou servicos e/ou similares.

Para analise de concentracao interna foi considerado aspectos relacionado a representatividade que valores de contratos que as empresas apresentavam com a IF em relacao ao seu faturamento bruto anual. Dessa forma, se a empresa tivesse uma concentracao acima de 50% da relacao valor de contrato, faturamento, esta empresa foi considerada como concentrada internamente na IF.

Outro aspecto considerado para compor as variaveis foi a dependencia que a IF tinha em relacao aos produtos e/ou servicos que os fornecedores vendiam. Para tanto analises foram feitas internamente a fim de entender os processos existentes, para entao proceder com as analises e posterior classificacao em um processo de discussao sistematizado e coletivo entre as areas relacionadas.

O ultimo aspecto que foi considerado na proposicao das variaveis foi a facilidade de reposicao do item. Para esta analise, foi seguida a mesma linha de raciocinio empregada para entender a dependencia em relacao ao item, discutida anteriormente, no qual foram analisados os processos e em seguidas discutido quais itens eram considerados de dificil ou facil reposicao.

Apos todas analises das possiveis variaveis de carater qualitativo, estas foram sistematizadas a pontuacao foi decidida e estao apresentadas, com escala qualitativa de mensuracao--atributos (algumas situacoes binarias, em outras gradativa), apresentados na Tabela 1.

A tecnica estatistica empregada na analise da amostra foi a Regressao Logistica, que pode ser entendida como uma "tecnica estatistica utilizada para descrever o comportamento entre uma variavel dependente binaria e variaveis independentes metrica e nao metricas" (Favero et al., 2009, p. 440). Sendo a variavel dependente binaria (0 ou 1), e possivel fazer a associacao e classificar fenomenos, dando a possibilidade de aceitar (1) ou rejeitar, bem como interpretar probabilisticamente a possibilidade do evento analisado acontecer ou nao (Dias Filho & Corrar, 2007). Outro aspecto e que a regressao logistica procura estimar a probabilidade da variavel dependente, que no presente estudo foi a facilidade de reposicao do item, assumir um determinado valor em funcao dos valores conhecidos de outras variaveis.

A regressao logistica integra o grupo dos modelos estatisticos nos quais a variavel explicada e qualitativa ou sendo, ainda, quantitativa, pode-se apenas observar seu carater qualitativo (Oliveira, 1997). A tecnica de regressao logistica permite estimar a probabilidade associada a ocorrencia de um determinado evento, tendo em vista as variaveis explanatorias que forma utilizadas. Dessa forma, esta tecnica foi utilizada na tentativa de entender quais a variaveis poderiam influenciar a facilidade de reposicao de itens de fornecedores, tendo em vista que esta variavel dependente e binaria, onde 0 (sim), de facil reposicao e 1 (nao), de dificil reposicao.

Tendo em vista as variaveis e a tecnica estatistica selecionada, foi possivel estimar a Equacao 1 da regressao logistica:

1 P (Y = 1) = 1/1+[e.sup.2]

onde:

Fac_Rep = [beta]0 + [beta]1Rell + [beta]2Conc_Merc12 + [beta]3Conc_Merc23 + [beta]4Conc_Merc34 + [beta]5Conc_Inte15 + [beta]6Conc_Inte26 + [beta]7Depend17 + [beta]8Depend28 + [beta]9Depend38 + [epsilon]

Na Equacao de Regressao Logistica, P representa a probabilidade do fornecedor de facil reposicao se tornar um fornecedor de dificil reposicao, indicando a possibilidade de Y ser igual a 1. Os coeficientes das variaveis independentes (P) representam as alteracoes e variacoes em unidades que impactam o valor de P (log. da razao de chance). As variaveis independentes representam um grupo de variaveis qualitativas e quantitativa que podem influenciar a mudanca.

Para a analise dos dados foi utilizado o SPSS[R] (Software Statistical Package for the Social Science) versao 21, utilizando-se um nivel de significancia de 0,05 (sig. < 0,05), conforme Hair Jr et al. (2009).

4 Resultados e discussao dos resultados

Para fazer a utilizacao da tecnica de regressao logistica, todo os 713 casos da amostra foram validados e utilizados. Os casos considerados como faceis de reposicao totalizaram 697 (98%) e de dificil reposicao 14 (2%). Tendo em vista isto, para a aplicacao da tecnica foi tido como ponto de corte 0,98 que representam os fornecedores de produtos/servicos de facil reposicao na amostra. A definicao do ponto de corte e relevante para verificar a probabilidade do produto de facil substituicao se torne de dificil substituicao. Sendo assim, se resultados forem encontrados acima de 0,98 o fornecedor do produto/servico sera classificado de "facil reposicao" para "dificil reposicao". A escolha dessas categorias p

A Tabela 2 mostra a classificacao inicial dos casos apenas com a observacao da situacao dos fornecedores quanto a facilidade de reposicao.

Primeiramente, o modelo estatistico mostra a classificacao inicial dos casos, sem usar as variaveis independentes. Os 697 casos vistos como de facil reposicao foram classificados corretamente, representando 100% de acerto. Tendo em vista que a porcentagem global e de 98%, ele serviu para fazer comparacao com o incremento de acerto do modelo estatistico, apos a inclusao das variaveis independentes.

A Tabela 3 demonstra a estatistica Wald referente a significancia da variavel constante incluida no modelo de regressao.

O resultado encontrado na estatistica Wald foi de 209,575 com significancia de 0,000. Isso mostra que a variavel constante do modelo de regressao e significativa (sig. < 0,05) e contribui para formular previsoes sobre a facilidade reposicao de produtos/servicos.

Na Tabela 4 estao apresentados os resultados obtidos no Teste de Omnibus, que exibe a validade do modelo de regressao geral para fazer previsoes sobre facilidade reposicao de produtos/servicos

O Teste Omnibus faz a verificacao da hipotese de que todos os coeficientes do modelo de regressao sao nulos. O valor do Qui-quadrado foi de 100,404 com significancia de 0,000 (sig. < 0,05) e por isso pode-se rejeitar a hipotese de que todos os coeficientes sao nulos. Sendo assim, os coeficientes contribuem para melhorar a previsibilidade de um item se tornar de dificil substituicao. Assim, esses resultados

A Tabela 5 mostra resultados dos pseudos-R2 de Cox & Snell e de Nagelkerke, que possibilitam avaliar o desempenho global do modelo de regressao em prever um fornecedor de produto/servico se tornar de dificil substituicao.

Os resultados encontrados dos pseudos-R2 de Cox & Snell e de Nagelkerke, mostram a proporcionalidade das mudancas ocorridas no logaritmo da razao de chance (P), sendo esta explicada pelas variacoes que aconteceram nas variaveis independentes do modelo de regressao. O resultado do R2 de Cox & Snell mostra que 13,20% das mudancas feitas no logaritmo da razao de chance sao advindas de variacoes nas variaveis independentes do modelo. O [R.sup.2] de Nagelkerke indica que as variaveis independentes influenciam 74,8% as variacoes do logaritmo da razao de chance.

Na Tabela 6, se apresenta o Teste de Hosmer e Lemeshow, no qual foi verificado hipotese de inexistencia de diferencas significativas entre os resultados previstos e os observados no modelo de regressao.

O Teste de Hosmer e Lemeshow apresenta um Qui-Quadrado de 3,045, com significancia de 0,932 (sig. > 0,05). Os resultados indicam que os valores previstos nao apresentam diferenca significativa dos observados, tendo em vista que o nivel de significancia foi maior que 0,05. Sendo assim, o modelo de regressao pode ser utilizado para verificar a probabilidade de um item facil de substituicao se tornar de dificil substituicao tendo por base as variaveis dependentes utilizadas.

Para encontrar o percentual de acerto do modelo de regressao, foi o acerto de classificacao geral e este obteve o resultado de 99,4%. O resultado encontrado da classificacao do modelo demonstra que 99,7% dos fornecedores de facil reposicao foram classificados corretamente e 85,7% dos fornecedores com dificil reposicao foram classificados corretamente, como poder ser visto na Tabela 7, que mostra a classificacao final com a realizacao da regressao logistica.

Vale ressaltar, de maneira primaria, que a nao inclusao das variaveis independentes, o percentual de classificacao foi 98,0%. Percebe-se, entao que o valor do incremento causado pela inclusao das variaveis independentes nao foi tao substancial, numericamente, o que pode ter ocorrido pelo desbalanceamento do numero de fornecedores de dificil reposicao, que representou 2% do total da amostra.

O nivel de significancia escolhido de 0,05 e tendo por base a estatistica de Wald, observou-se que alguns coeficientes sao diferentes de 0, tendo em vista que parte dos coeficientes sao diferentes de zero, estatisticamente, sabendo-se que o valor de Sig. e menor que 0,05 (Sig. < 0,05). Dessa forma, contribuem significativamente para prever a mudanca de facil reposicao para dificil reposicao as variaveis que tratam de concentracao interna e concentracao de mercado. Os valores dos coeficientes das variaveis utilizadas no modelo de regressao logistica e da estatistica de Wald, estao apresentados estao na Tabela 8.

As duas variaveis que influenciam na previsao de mudanca de facil reposicao para dificil reposicao tambem aumentam o risco de mudanca, tendo em vista que estas variaveis possuem Exp(B) acima de 1, indicando que quando os previsores aumentam, as possibilidades de ocorrer a mudanca de facil para dificil reposicao, tambem aumentam.

Os resultados obtidos no presente estudo reforcam os achados de Hoffman, Schiele & Krabbendam (2013) que aspectos relacionados aos riscos na cadeia de fornecedores devem ser considerados e no contexto aqui discutido, uma mudanca de preco para maior, na materia prima que uma empresa utiliza pode interferir diretamente em sua operacao, refletindo em riscos maiores para sua operacao. E preciso, tambem, levar em conta que a complexidade das cadeias de fornecedores cada vez exige destas um controle maior dos custos que sao incorridos para que elas se mantenham competitivas e os resultados obtidos estao alinhados com o pensamento de Hoffman et al. (2013) e corrobora Zhu e Sarkis (2007), Walker e Jones (2012) ao passo que a preocupacao com os precos interferem diretamente na sustentabilidade empresarial.

Ressalta-se que como as empresas tem se preocupado cada vez mais com suas atividades que se relacionam com sua atividade, entender o comportamento dos fornecedores pode ser uma forma de antever futuras ocorrencias. Nesse sentido, os resultados aqui encontrados, iluminam os achados de Prajog et al. (2012), ao passo que prever o comportamento dos forncedores pode auxiliar na gestao da dependencia que um comprador possui com um fornecedore e vice versa.

5 Consideracoes finais

O objetivo do artigo foi analisar os efeitos da concentracao, dependencia e relacionamento com fornecedores sobre a facilidade de reposicao de itens. Neste estudo, foram considerados dois grupos de itens quanto a sua possibilidade de substituicao e com base na concentracao de mercado, do percentual no valor do contrato em relacao ao faturamento anual do fornecedor, a dependencia da IF quanto ao fornecedor, verificou-se que a possibilidade de mudanca no perfil destes itens de facil substituicao para dificil substituicao variou pouco. Sendo assim, os resultados indicam que a IF, provavelmente nao encontraria dificuldades em fazer a substituicao dos fornecedores que esta possui.

Neste cenarios de baixa probabilidade na mudanca de perfil em seus itens de fornecimento, a IF pode considerar em rever sua estrategia de atuacao quanto a estes fornecedores, tendo em vista a possibilidade de negociacao com estes, observando-se os resultados encontrados no presente estudo. Vale ressaltar, que o poder dos fornecedores, antes centrado na fatia de mercado (poucos fornecedores), agora esta em outros aspectos, conforme foi observado no presente estudo. Nesse sentido, o estudo contribui para praticos e teoricos, tendo em vista o entendimento sobre as mudancas que podem ocorrer no status de um determinado fornecedores geram na organizacao e, por conseguinte na cadeia de fornecedores.

Cabe a observacao que a modelagem estatistica aqui feita, nao deve ser a unica fonte para a decisao em rever os precos que sao praticados em suas compras, tendo em vista a existencia de outras variaveis que podem ser consideradas nesta analise. Sendo assim, o estudo aqui feito, e mais um instrumento gerencial que pode auxiliar a IF em futuras compras, principalmente na negociacao de precos. Para trabalhos futuros, sugerimos a inclusao de outras variaveis, sejam elas dicotomicas ou nao, a fim de aprimorar o modelo, a fim de encontrar mais possibilidades, a fim de melhorar o processo de negociacao junto aos fornecedores.

Recebido em 08.02.2019

Aprovado em 25.03.2019

Referencias

Bensaou, M. (1999). Portfolios of buyer-supplier relationships. MIT Sloan Management Review, 40(4), 35.

Choy, K. L., Lee, W. B., & Lo, V. (2002). Development of a case based intelligent customer-supplier relationship management system. Expert systems with Applications, 23(3), 281-297.

Cooper, M. C., Lambert, D. M., & Pagh, J. D. (1997). Supply Chain Management: More Than a New Name for Logistics. The International Journal of Logistics Management, 5(1), 1-14.

Corrar, L. J., Paulo, E., & Dias Filho, J. M. (2007). Analise multivariada: para os cursos de administracao, ciencias contabeis e economia. Sao Paulo: Atlas.

Dwyer, F. R., Schurr, P. H., & Oh, S. (1987). Developing buyer-seller relationships. The Journal of Marketing, 11-27.

Dyer, J. H., Cho, D. S., & Chu, W. (1998). Strategic supplier segmentation: The next "best practice" in supply chain management. California Management Review, 40(2), 57- 77.

Favero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. D., & Chan, B. L. (2009). Analise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisoes. Rio de Janeiro, Elsevier.

Habib, F., Bastl, M., & Pilbeam, C. (2015). Strategic responses to power dominance in buyer-supplier relationships: A weaker actor's perspective. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, 45(1/2), 182-203.

Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Analise multivariada de dados. Bookman Editora.

Handfield, R.B. and Nichols Jr, E.L. (1999), Introduction to Supply Chain Management, Prentice-Hall, Englewood Cliffs, NJ.

Hiit, M. A.et al. Administracao estrategica: traducao da 10a edicao norte-- americana: traducao foco traducoes; revisao tecnica Paulo Roberto Giao , Moacir de Miranda Oliveira Junior.--2 ed. Sao Paulo: Cengage Learning.

Hoffmann, P., Schiele, H., & Krabbendam, K. (2013). Uncertainty, supply risk management and their impact on performance. Journal of Purchasing and Supply Management, 19(3), 199-211.

Hoffmann, P., Schiele, H., & Krabbendam, K. (2013). Uncertainty, supply risk management and their impact on performance. Journal of Purchasing and Supply Management, 19(3), 199-211.

Klassen, R. D., & Vereecke, A. (2012). Social issues in supply chains: Capabilities link responsibility, risk (opportunity), and performance. International Journal of Production Economics, 140(1), 103-115.

Kraljic, P. (1983). Purchasing must become supply management. Harvard Business Review, 61(5), 109-117.

Lambert, D. M., & Cooper, M. C. (2000). Issues in supply chain management. Industrial Marketing Management, 29(1), 65-83

Lambert, D. M., & Schwieterman, M. A. (2012). Supplier relationship management as a macro business process. Supply Chain Management: An International Journal, 17(3), 337-352.

Lambert, D. M., Cooper, M. C., & Pagh, J. D. (1998). Supply chain management: implementation issues and research opportunities. The International Journal of Logistics Management, 9(2), 1-20.

Lee, E. K., Ha, S., & Kim, S. K. (2001). Supplier selection and management system considering relationships in supply chain management. IEEE Transactions on Engineering Management, 48(3), 307-318.

Lee, H. L., & Billington, C. (1993). Material management in decentralized supply chains. Operations Research, 41(5), 835-847.

Martins, G. D. A., & Theophilo, C. R. (2009). Metodologia da investigacao cientifica para ciencias sociais aplicadas. 2. ed. Sao Paulo, Atlas.

Mentzer, J. T., Keebler, J. S., Nix, N. W., Smith, C. D., & Zacharia, Z. G. (2001). Defining Supply Chain Management. Journal of Business Logistics, 22(2), 1-25.

Mettler, T., & Rohner, P. (2009). Supplier relationship management: a case study in the context of health care. Journal of Theoretical and Applied Electronic Commerce Research, 4(3), 58-71.

Moeller, S., Fassnacht, M., & Klose, S. (2006). A framework for supplier relationship management (SRM). Journal of Business-to-BusinessMarketing, 13(4), 69-94.

Oliveira, M. M. (1997). Econometria. Alfragide, Portugal: McGraw-Hill.

Olsen, R. F., & Ellram, L. M. (1997). A portfolio approach to supplier relationships. Industrial Marketing Management, 26(2), 101-113.

Park, J., Shin, K., Chang, T. W., & Park, J. (2010). An integrative framework for supplier relationship management. Industrial Management & Data Systems, 110(4), 495-515.

Phillips, R., & Caldwell, C. B. (2005). Value chain responsibility: A farewell to arm's length. Business and Society Review, 110(4), 345-370.

Porter, M. E. (1986). Estrategia competitiva: tecnicas para analise de industrias e da concorrencia. Rio de Janeiro, Campus.

Prajogo, D., Chowdhury, M., Yeung, A. C., & Cheng, T. C. E. (2012). The relationship between supplier management and firm's operational performance: A multi- dimensional perspective. International Journal of Production Economics, 136(1), 123-130.

Roth, A. V., Tsay, A. A., Pullman, M. E., & Gray, J. V. (2008). Unraveling the food supply chain: strategic insights from China and the 2007 recalls. Journal of Supply Chain Management, 44(1), 22-39.

Sheu, J., & Gao, X. (2014). Alliance or no alliance--Bargaining power in competing reverse supply chains. European Journal of Operational Research, 233(2), 313- 325.

Tang, C., & Tomlin, B. (2008). The power of flexibility for mitigating supply chain risks. International Journal of Production Economics, 116(1), 12-27.

Wagner, S. M., & Bode, C. (2008). An empirical examination of supply chain performance along several dimensions of risk. Journal of Business Logistics, 29(1), 307-325.

Walker, H., & Brammer, S. (2009). Sustainable procurement in the United Kingdom public sector. Supply Chain Management: An International Journal, 14(2), 128-137.

Walker, H., & Jones, N. (2012). Sustainable supply chain management across the UKprivate sector. Supply Chain Management: An International Journal, 17(1), 15- 28.

Wognum, P. M., Fisscher, O. A., & Weenink, S. A. (2002). Balanced relationships: management of client-supplier relationships in product development. Technovation, 22(6), 341-351.

Xia, Y. (2011). Competitive strategies and market segmentation for suppliers with substitutable products. European Journal of Operational Research, 210(2), 194- 203.

Zhu, Q., & Sarkis, J. (2007). The moderating effects of institutional pressures on emergent green supply chain practices and performance. International Journal of Production Research, 45(18-19), 4333-4355.

Erivaldo da Silva Carneiro Junior

Doutor em Administracao pelo Programa de Pos-Graduacao da Universidade Nove de

Julho

erivaldo_carneiro@yahoo.com.br

Julio Araujo Carneiro da Cunha

Professor do Programa de Pos-Graduacao da Universidade Nove de Julho

Julio@yahoo.com
Tabela 1:

Variaveis Utilizadas

Variavel                    Atributo qualitativo     Pontuacao

Concentracao de mercado     Aberto                       1
                            Restrito                     3
                            Fornecedor unico             5

Concentracao na IF          Sim                          1
                            Nao                          0

Dependencia da IF ao        Baixo                        1
fornecedor/servico          Medio                        3
                            Alto                         5

Facilidade de reposicao     Sim                          1
                            Nao                          0

Relacionamento              Numero de contratos          --

Fonte: Elaborado pelos Autores

Tabela 2:

Classificacao Inicial dos Casos

                                                   Previsto

                                             Facilidade de Reposicao
Observado
                                               Facil       Dificil
                                             Reposicao    Reposicao

Facilidade de          Facil Reposicao             697            0
Reposicao              Dificil Reposicao            14            0
Porcentagem global

                                               Previsto

Observado                                    Porcentagem
                                                correta

Facilidade de          Facil Reposicao              100,0
Reposicao              Dificil Reposicao              0,0
Porcentagem global                                   98,0

Fonte: Elaborado pelos Autores

Tabela 3:

Estatistica Wald para a Constante do Modelo de Regressao

                           B      S.E.     Wald     df   Sig.

Etapa 0     Constante    -3,908   ,270   209,575    1    ,000

            Exp(B)

Etapa 0      ,020

Fonte: Elaborado pelos Autores

Tabela 4:

Testes de Coeficientes de Modelo Omnibus

                    Qui-quadrado    df   Sig.

Etapa 1    Etapa         100,404    4    ,000
           Bloco         100,404    4    ,000
           Modelo        100,404    4    ,000

Fonte: Elaborado pelos Autores

Tabela 5:

Resumo do Modelo de Regressao

 Etapa     Verossimilha     R quadrado    R quadrado
          nca de log -2    Cox & Snell    Nagelkerke

1            37,292 (a)           ,132          ,748

Fonte: Elaborado pelo Autores.

Tabela 6:

Teste de Hosmer e Lemeshow

Etapa    Qui-quadrado    df   Sig.

1               3,045    8    ,932

Fonte: Elaborado pelos Autores.

Tabela 7:

Classificacao Final dos Casos

Observado                                     Previsto

                                      Facilidade de Reposicao

                                        Facil       Dificil
                                      Reposicao    Reposicao

Facilidade      Facil Reposicao             695            2
de
Reposicao       Dificil Reposicao             2           12
Porcentagem global

Observado                               Previsto

                                      Porcentagem
                                        correta

Facilidade      Facil Reposicao              99,7
de
Reposicao       Dificil Reposicao            85,7
Porcentagem global                           99,4

Fonte: Elaborado pelos Autores

Tabela 8:

Variaveis do Modelo de Regressao Logistica

Variaveis              B       S.E.     Wald    df   Sig.     Exp(B)

Relacionamento        0,003    0,003    0,624    1   0,429      1,003
Conc_Inter            7,102    2,279    9,715    1   0,002   1214,726
Conc_Merc             3,125    0,558   31,347    1       0     22,752
Depend                0,532    0,348    2,333    1   0,127      1,702
Constante           -24,005    5,352   20,116    1       0          0

Fonte: Elaborado pelos Autores
COPYRIGHT 2019 Revista Gestao & Tecnologia
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Carneiro, Erivaldo da Silva, Jr.; da Cunha, Julio Araujo Carneiro
Publication:Gestao & Tecnologia
Date:Apr 1, 2019
Words:5227
Previous Article:An investigation of the indices effective on the development of sport entrepreneurship in Hamadan province/Uma investigacao dos indices eficazes no...
Next Article:Brazilian Exchanged Traded Funds (ETFs) pricing/Precificacao De Exchanged Traded Funds (ETFs) Brasileiros/Fijacion de Exchanged Traded Funds (ETFs)...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters