Printer Friendly

Analysis of ball possession time and its influence in results of Futsal World Championship/ ANALISE DO TEMPO DE POSSE DE BOLA E A SUA INFLUENCIA NO RESULTADO DOS JOGOS DO CAMPEONATO MUNDIAL DE FUTSAL.

INTRODUCAO

Sendo hoje considerado uma das tres modalidades esportivas mais populares no pais, o Futsal tem, nos ultimos anos, conquistado lugar de destaque entre os esportes de quadra. E praticado por milhoes de pessoas em todos continentes, tanto como forma de esporte competitivo, quanto na otica de esporte de lazer (Voser, 2011).

Sob direcao da FIFA, o futsal ganhou maior visibilidade em nivel internacional, tendo algumas evidencias que ratificam, como a regularidade da Copa do Mundo--1989 (Holanda), 1992 (Hong Kong), 1996 (Espanha), 2000 (Guatemala), 2004 (China), 2008 (Brasil) e 2012 (Tailandia); a confirmacao da sua inclusao nos Jogos Pan-Americanos de 2007; a filiacao a FIFA de mais de 130 paises praticantes de futsal.

Por conseguinte, e possivel constatar que o futsal encontra-se em franca ascensao e sinaliza para um futuro promissor.

O futsal e, por definicao, um jogo de oposicao, imprevisivel, no qual os aspectos tecnico-taticos possuem grande relevancia. Assim como os demais jogos esportivos coletivos, a logica interna do futsal e composta por ataque, defesa, transicao ofensiva e transicao defensiva (Santana, 2008).

No atual cenario, observa-se que o Futsal tem sofrido inumeras alteracoes na sua forma de jogo, impostas pelas modificacoes das regras, pela evolucao da preparacao fisica (melhora da capacidade de marcacao das equipes e maior movimentacao dos jogadores) e pela profissionalizacao dos atletas e de toda a comissao tecnica (Voser e Giusti, 2002).

Identificar e interpretar comportamentos individuais e coletivos relacionados com a dimensao competitiva, bem como os respectivos fatores determinantes do resultado do jogo, constituise em uma das principais tematicas de estudos no ambito das Ciencias do Desporto (Grehaigne, Bouthier e David, 1997; Hughes e Franks, 2004).

Relativamente ao Futsal, ainda se observa certa carencia de informacoes a seu respeito, principalmente, no que diz respeito a analise do jogo no futsal (Tourinho Filho, Soares e Barbanti, 2010).

Atraves de observacoes de treinamentos e partidas pode-se analisar e compreender diversos fatores envolvidos no futsal, como por exemplo, a complexidade do sistema de jogo e suas concepcoes ofensivas e defensivas tanto individuais, quanto coletivas. A avaliacao dos jogadores durante a partida de futsal e importante para a comissao tecnica poder definir a gestao do treinamento, atendendo as especificidades inerentes as exigencias do jogo (Kumahara e colaboradores, 2009).

Em diferentes estudos realizados nesta modalidade, fatores foram identificados como variaveis correlacionadas com o resultado do jogo. Leite (2014) encontrou em seu estudo que as equipes que marcaram o primeiro gol do jogo sairam vitoriosa em 71.15% dos jogos, apresentando uma alta probabilidade de vitoria. Ressalta, tambem que os aspectos fisico, tecnico, tatico e, psicologico estao associados a essa probabilidade.

Bueno e Alves (2012) com base nos resultados encontrados em seu estudo afirmam que no futsal de alto nivel as acoes tecnico-taticos que se sobressairam foram o contra-ataque com 37,25% e ataque posicional com 30,85%. As jogadas de bola parada e com o uso do goleiro linha, somadas, resultaram em 30,85% dos gols. Em relacao ao tempo de ocorrencia dos gols os quatro momentos foram muito proximos, com uma ligeira diferenca nos 10 minutos finais, onde ocorreram mais gols.

Ganef e colaboradores (2009) estudaram a influencia do goleiro-linha no resultado do jogo de futsal que revelou uma efetividade da participacao do goleiro-linha no resultado da partida, as equipes que utilizaram dessa estrategia alcancaram o objetivo esperado, ocorrendo o gol de empate em um curto espaco de tempo.

As evolucoes que ocorrem nesse desporto normalmente sao percebidas durante grandes eventos internacionais, como a Copa do Mundo. Desta maneira, e relevante observar e analisar os dados da Mundial de Futsal 2012, evento que reune as selecoes internacionais de maior expressao no ambito da modalidade.

Baseado no exposto acima e dada a relevancia para o Futsal, levanta-se o seguinte problema de pesquisa: existe relacao entre o tempo de posse de bola e o resultado final do jogo?

O presente estudo teve por objetivo comparar o percentual medio do tempo de posse de bola entre os resultados de vitoria e derrota, geral e estratificado por fase, nos jogos do Campeonato Mundial de Futsal realizado na Tailandia em 2012.

MATERIAS E METODOS

O presente estudo possui carater descritivo com abordagem correlacional, por utilizar a observacao, registro e analise de dados (Thomas, Nelson e Silverman, 1990).

A amostra foi constituida por dados provenientes de tabelas publicadas no site oficial da FIFA (www.fifa.com), contendo informacoes sobre as variaveis estudadas (percentual de posse de bola; fase da competicao; resultado do jogo: vitoria, derrota). Foram analisados os 52 jogos oficiais do Mundial de Futsal realizado na Tailandia em 2012, tendo a participacao de 24 Selecoes. Os percentuais de posse de bola das equipes durante a competicao, conjuntamente com os resultados dos jogos nas referentes fases da competicao, foram inseridos na planilha do software SPSS V.20 para posteriormente realizacao das analises descritivas e inferenciais.

Para comparar os percentuais medios do tempo da posse de bola entre o resultado de vitoria e derrota no geral e estratificado por fase da competicao, adotamos o teste T Student para amostras independentes. O nivel de significancia adotado foi de 0,05 e o software utilizado nas analises foi o SPSS V.20.

RESULTADOS E DISCUSSAO

Os resultados indicaram que dos 52 jogos analisados, 48 jogos que houve vencedor, com relacao a posse de bola, 26 jogos houve vencedor daquele que obteve mais tempo de posse de bola durante todo o jogo. Em 18 jogos a equipe que teve menos posse de bola venceu, e em 5 jogos as equipes obtiveram o mesmo tempo de posse de bola, ocorrendo 1 empate e 4 vitoriosos.

Observa-se na tabela 1 que o tempo medio de posse de bola do vencedor foi de 51,44%, e o tempo medio da equipe que foi derrotada foi de 48,56%. Nao evidenciando diferencas significativas entre os percentuais apresentados (p=0,097).

Os dados apresentados na tabela 2 revelam que somente na fase de grupos encontraram-se diferencas significativas no percentual media de posse de bola (p= 0,004). As equipes que obtiveram a vitoria nos jogos foram as que apresentaram uma media maior no percentual de posse de bola. Acredita-se que esta diferenca significativa nessa fase tenha ocorrido pela diferenca de qualidade tecnica/tatica entre as equipes.

Nas demais etapas da competicao nao foram possiveis verificar diferencas significativas, pois ha um maior nivelamento entre as equipes.

De um modo geral, analisando todas as etapas nao e possivel verificar diferencas significativas. Um motivo que talvez justifique estes resultados, e que no futsal atual, muitas selecoes atuam com uma marcacao recuada linha 3 ou marcacao 1/2 quadra e linha 4 ou marcacao 1/4 quadra (Santana, 2007), permitindo que seu oponente fique muito tempo com a posse de bola, tentando infiltrar na sua defesa. Objetivo destas selecoes que atuam com uma marcacao recuada e surpreender o seu oponente numa situacao de contra-ataque. O contra-ataque e uma acao muito importante no jogo de futsal. Trata-se de uma situacao muito propicia a marcacao de gol, devido a desestruturacao da defesa adversaria e as dimensoes da quadra de jogo, pois rapidamente se chega proximo a meta da equipe adversaria (Andrade Junior, 1999). Alguns autores afirmam que a incidencia de gols no futsal em situacoes de contra-ataque podem ser fatores decisivos nos resultados das partidas (Bello Junior, 1998; Santana, 2007; Voser, 2011 ; Marchi e colaboradores, 2010).

Outro aspecto, que possivelmente possa ter contribuido para a configuracao dos dados encontrados, pode ter sido a utilizacao do goleiro linha por parte das equipes que enfrentavam resultado adverso durante a partida. O jogo de goleiro-linha ou de linhagoleiro aposta na vantagem numerica sobre o adversario. Na pratica, joga-se 5x4 na linha. Mas e preciso diferenciar como a equipe se organiza para atacar: no primeiro caso, usa o proprio goleiro fora da area (goleiro-linha); no segundo, um jogador de linha joga como goleiro e atua fora da area (linha-goleiro) (Santana, 2008). Com esta vantagem numerica de ter o goleiro atuando na linha, as equipes possuem mais tempo de posse de bola ao realizarem troca de passes tentando realizar o gol. E sabido que muitas vezes, estas equipes nao conseguem reverter o resultado e ainda acabam sofrendo gols.

CONCLUSAO

A analise dos jogos do Campeonato Mundial ocorrido em 2012 nos permitiu evidenciar, em geral, que o percentual medio de tempo de posse de bola nao apresenta diferencas estatisticamente significativas quando comparado entre os resultados de vitoria e derrota na partida de futsal. Ao analisar por etapas da competicao, somente na 1a fase encontramos diferenca significativa, demonstrando que as equipes vencedoras foram as que tiveram um percentual de tempo medio de posse de bola maior que as equipes que perderam.

Dessa forma, pode-se dizer que o resultado do jogo, vitoria e derrota, nao e explicado somente pelo percentual medio de posse de bola. Entretanto, este fator em conjunto com outras variaveis situacionais, embora nao tenham sido analisadas neste estudo, como o nivel de rendimento das equipes, resultado momentaneo do jogo e estado emocional do atleta talvez possa melhor elucidar a contribuicao de diferentes dimensoes no exito da competicao. Cabe como proposta para novos estudos verificar em outros campeonatos de selecoes, como tambem ligas nacionais e estaduais.

REFERENCIAS

[1-] Andrade, J. R. O jogo de futsal tecnico e tatico na teoria e na pratica. Curitiba: Expoente, 1999.

[2-] Bello Junior, N. A ciencia do esporte aplicada ao futsal. Rio de Janeiro: Sprint, 1998.

[3-] Bueno, L.; Alves, I. P. Analise dos gols na primeira fase da liga de futsal 2012. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, Sao Paulo, Vol. 4. Num. 12. 2012. p.118-123. Disponivel em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/vi ew/135/131>

[4-] Ganef, E.; Reis, F. P. C.; Almeida, E. S.; Navarro, A. C. Influencia do Goleiro-Linha no Resultado do Jogo de Futsal. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, Sao Paulo. Vol. 1. Num. 3. 2009. p.186-192. Disponivel em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/vi ew/24/24>

[5-] Grehaigne, J.; Bouthier, D.; David, B. Dynamic-system analysis of opponent relationship in collective action in soccer. Journal of Sports Science. Vol. 15. 1997. p.137-149.

[6-] Hughes, M.; Franks, I. Systems for Beter Coaching and Performance in Sport. Notational Analysis of Sport. London. Vol. 2. 2004.

[7-] Kumahara, R.; Barbieri, F. A.; Leme, J. A.; Machado, A.A. Analise qualitativa das acoes e do sistema de jogo de equipes profissionais de futsal. Colecao Pesquisa em Educacao Fisica. Vol. 8. Num. 1. 2009. p.65-70.

[8-] Leite, W. S. S. Relacao Entre o Primeiro Gol e o Resultado Final do Jogo de Futsal na Copa do Mundo de 2012. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, Sao Paulo. Vol. 6. Num. 19. 2014. p.32-36. Disponivel em: <http://www.rbff.com.br/index.php/rbff/article/vi ew/234/21>

[9-] Marchi, R. V.; Silva, C. E.; Scramin, L. R. R.; Teixeira, A. A.; Chiminazzo, J. G. C. Incidencia de Gols Resultantes de Contra-Ataques de Equipes de Futsal. Revista da Faculdade de Educacao Fisica da UNICAMP, Campinas. Vol. 8. Num. 3. 2010. p.16-22.

[10-] Santana, W. C.; Garcia, O. B. A Incidencia do Contra-Ataque em Jogos de Futsal de Alto Rendimento. Revista Pensar a Pratica, UFG. Vol. 10. Num. 1. 2007.

[11-] Santana, W. C. Futsal: Apontamentos Pedagogicos na Iniciacao e na Especializacao. 2a edicao. Campinas. Autores Associados, 2008.

[12-] Thomas, J. R.; Nelson, J. K.; Silverman, S. J. Metodos de pesquisa em atividade fisica. 5a edicao. ArtMed. 2007

[13-] Tourinho Filho, H.; Soares, B.; Barbanti, V.J. Analise do Desempenho em Quadra de Jogadores de Futsal: Um Estudo Longitudinal. Revista Digital. Buenos Aires. Ano 14. Num. 141.2010.

[14-] Voser, R. C.; Giusti, J. G. O futsal e a escola: uma perspectiva pedagogica. ArtMed. 2002.

[15-] Voser, R. C. Futsal: principios tecnicos e taticos. 3a edicao. Canoas. ULBRA. 2011.

Endereco para correspondencia: Rogerio da Cunha Voser. Rua Felizardo no 750, Jardim Botanico, Porto Alegre.

CEP: 90690-200.

Recebido para publicacao em 07/04/2014

Aceito em 20/06/2014

Rafael Acosta Caetano (1)

Rogerio Cunha Voser (2)

Jose Cicero Moraes (2)

Marcelo Silva Cardoso (2)

(1-) Faculdade SOGIPA de Educacao Fisica, curso de especializacao, Brasil.

(2-) Professor da ESEF/UFRGS, Brasil.

E-mail:

rafaelacostacaetano@hotmail.com rpvoser@ig.com.br cicero@esef.ufrgs.br marcelocardoso.esef@gmail.com
Tabela 1--Comparacao do tempo medio da posse de bola entre o
resultado de vitoria e derrota.

Variavel             Resultado   Jogos   Media   Desvio padrao     p

% de posse de bola    Derrota     48     48,56       8,404       0,097
                      Vitoria            51,44       8,404

Tabela 2--Comparacao do tempo medio da posse de bola entre o
resultado de vitoria e derrota por
fase.

Fase da competicao   Resultado   Jogos   Media   Desvio padrao     p

Fase de grupos        Derrota            47,09       7,768       0,004
                      Vitoria     32     52,91       7,768
Segunda etapa         Derrota            53,13       9,062       0,189
                      Vitoria      8     46,88       9,062
Quartas de finais     Derrota            52,00      13,589       0,692
                      Vitoria      4     48,00      13,589
Semifinais            Derrota            48,50       4,950       0,606
                      Vitoria      2     51,50       4,950

Finais                Derrota      2     47,00       2,828       0,168
                      Vitoria            53,00       2,828
COPYRIGHT 2015 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2015 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Caetano, Rafael Acosta; Voser, Rogerio Cunha; Moraes, Jose Cicero; Cardoso, Marcelo Silva
Publication:Revista Brasileira de Futsal e Futebol
Date:Jan 1, 2015
Words:2184
Previous Article:International transfers in football: a study of comparative case among the biggest clubs in Europe and Brazil/ TRANSFERENCIAS INTERNACIONAIS NO...
Next Article:The incidence of goals at level 1 in futsal school games in Itajuba, Minas Gerais/ INCIDENCIA DE GOLS NAS PARTIDAS DE FUTEBOL DE SALAO NOS JOGOS...

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2021 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters |