Printer Friendly

Agro-ecology as a mediating science between the training of the agronomist and sustainable agriculture/La agroecologia como ciencia mediadora entre la formacion del agronomo y la agricultura sostenible/A agroecologia como ciencia mediadora entre a formacao do agronomo e a agricultura sustentavel.

Arevolucao verde no Brasil fez com que a agricultura artesanal fosse substituida por urna agricultura baseada em compostos quimicos artificiais e mecanizacao, adequando-se ao novo modelo capitalista de producao. (Zamberlam e Froncheti, 2001). Essa modernizacao na agricultura privilegiou somente o aumento da produtividade agricola como parametro para avaliar sua eficiencia, desconsiderando o agricultor e o ambiente como parte do mesmo processo de desenvolvimento, gerando diversos problemas sociais e ambientais (Aquino e Assis, 2005).

Entre os setores economicos, a agricultura e, sem duvida, o que tem seu processo produtivo mais intimamente ligado ao ambiente, o qual lhe impoe restricoes ecologicas, e, estas restricoes, por sua vez, tem induzido os agricultores a buscar novos processos tecnologicos que possibilitem a superacao (Padovan et al., 2005). Na concepcao de Raven et al. (2001) esse sistema e insustentavel, e so tornou possivel atraves do uso de energia e materias-primas, ambas abundantes e baratas, e tambem pela desconsideracao dos custos ambientais de sua exploracao em larga escala.

A necessidade de novos processos tecnologicos na busca por solucoes para a questao ambiental na agricultura tem estimulado o surgimento de diversas linhas de pensamento. Altieri (2009) aponta como caminho para a transicao, a substituicao de insumos, ou seja, substituir agroquimicos caros e degradadores do meio ambiente e tecnologias intensivas em insumos por tecnologias brandas, de baixo uso de insumos externos. Ja no entendimento de Soares e Braga (1997), o desenvolvimento agricola passa pela necessidade de inovacao quanto a organizacao, devendo ser centrado na sustentabilidade, de forma a atender o que e economicamente viavel e eficiente, ambientalmente equilibrado e socialmente equitativo.

A agricultura do futuro deve ser tanto sustentavel quanto altamente produtiva para poder alimentar a populacao humana, requerendo, portanto, uma nova abordagem da agricultura e do desenvolvimento agricola, que construa sobre aspectos de conservacao de recursos da agricultura tradicional local, enquanto, ao mesmo tempo se exploram conhecimentos e metodos ecologicos modernos (Gliessman, 2009).

Diante de tal contexto, ha de se entender que o trajeto regular para o processo de transicao agroecologica na agricultura perpasse pela formacao do agronomo. Sobre esse aspecto, Silveira Filho et al. (2011) argumenta que existe um vinculo historico de forte relacao entre a formacao do agronomo e o processo de transformacao da agricultura, e portanto nao da para tratar a formacao do agronomo e as mudancas pelas quais a mesma tem passado sem deixar de associa-las as transformacoes da agricultura.

Os sistemas de ensino, pesquisa e extensao foram desenvolvidos de forma a atender aos anseios dos grupos economicos hegemonicos, baseandose nas necessidades de desenvolvimento por eles estabelecidos (Maia et al., 2006). Os processos de educacao tradicional ainda formam individuos essencialmente tecnicos, numa perspectiva didatica cartesiana que compreende apenas transmissao e memorizacao de conhecimentos (Bica et al., 2007). Ainda segundo o posicionamento desses mesmos autores, nessa circunstancia o sujeito e eliminado do processo, que e realizado de forma determinista e reducionista.

A educacao para a cidadania representa a possibilidade de motivar e sensibilizar as pessoas para protagonizar o processo de transformacao social em busca da concretizacao de novos caminhos baseando-se em uma proposta de sociabilidade e na educacao para participacao (Jacobi, 2003).

Sobre a insercao e a abordagem da agroecologia enquanto ciencia e/ou disciplina nas instituicoes brasileiras de ensino agrario, verifica-se que ainda nao e uma realidade consolidada, porem, atualmente essa ciencia tem apresentado crescimento e despertado muita expectativa para o futuro (Campos, 2013).

Para Costa (2007) um dos possiveis entraves para a internalizacao dos principios agroecologicos nos dominios da agronomia tradicional, seja de ordem paradigmatica, pois segundo o autor, o referencial teorico-conceitual e analitico adotado na agronomia e de natureza cartesiana, especialista, compartimentada, enquanto a agroecologia prioriza uma matriz teorica holistica, interdisciplinar e generalista.

Outro fator importante segundo Costa (2007) e o peso politico e economico do setor privado nas universidades publicas. Para o mesmo autor, este setor e responsavel por uma parcela significativa da dotacao financeira da pesquisa universitaria, possibilitando assim que as pesquisas atendam aos seus interesses privados, muitas vezes incompativeis com os pressupostos da sustentabilidade e da agroecologia.

A agroecologia esta se confirmando cada vez mais entre as diversas propostas alternativas como estrategia para o desenvolvimento rural com sustentabilidade economica, social e ambiental (Silveira Filho et al., 2011). Para Aquino e Assis (2005) o potencial transformador da agroecologia consiste em alguns aspectos como inclusao social, equidade, soberania alimentar, diversidade cultural, construcao social da qualidade, entre outros que estao muito alem do circuito tecnologico. A agroecologia proporciona o conhecimento e a metodologia necessarios para desenvolver uma agricultura que e ambientalmente consistente, altamente produtiva e economicamente viavel (Gliessman, 2009).

Na perspectiva de que agroecologia ocupa um papel importante na implantacao do desenvolvimento sustentavel e o agronomo pode ser agente preponderante na disseminacao dessa cultura, estruturou-se este trabalho com o objetivo de analisar a participacao de academicos do curso de Agronomia do Instituto Federal de Educacao, Ciencia e Tecnologia de Mato Grosso, Campus Campo Novo do Parecis, em atividades agroecologicas, buscando observar a aceitacao, percepcoes e possiveis indicios de incorporacao desses principios na formacao.

Metodologia

A presente pesquisa foi classificada como pesquisa de investigacao do tipo exploratoria. Sobre a area de conhecimento, a mesma foi enquadrada na area de 'Ciencias Humanas' (Gil, 2010). Considerando-se a natureza dos dados em relacao ao procedimento de analise realizada, adotou-se a interacao entre dados 'quantitativos e qualitativos'. Para Flick (2009) os metodos qualitativos e os quantitativos podem ser associados de diversas maneiras no planejamento de um estudo. Em relacao a estrategia de pesquisa, foi adotado o 'estudo de caso', pois segundo Yin (2010) tem sido recomendado por diversos autores para a elucidacao de casos semelhantes.

Essa pesquisa foi realizada no periodo compreendido entre julho e dezembro de 2011, com os academicos do 6 semestre do curso de agronomia do IFMT, Campus Campo Novo do Parecis.

O inicio das atividades ocorreu atraves de uma reuniao realizada no Campus com os 24 academicos integrantes da turma. Nessa primeira reuniao, foram tratados os seguintes assuntos: apresentacao da problematica de estudo, os objetivos e a metodologia de trabalho a ser adotada na pesquisa. Na mesma oportunidade foi feito ainda, o convite aos academicos da turma, para a composicao de um grupo de estudos em Agroecologia. Dessa forma, o procedimento de ingresso dos academicos na pesquisa ocorreu por meio de adesao voluntaria.

Em seguida, em uma reuniao previamente programada com os academicos, formou-se o 'grupo de estudos em Agroecologia', composto por 12 alunos que manifestaram interesse e por adesao voluntaria passaram a compor esse grupo de estudos e efetivamente participar da pesquisa. Na proposta de desenvolver experiencias agroecologicas com o 'grupo de Estudos' contemplou abordagens teoricas e atividades de campo.

A abordagem do tema 'Agroecologia' iniciou-se pelas discussoes teoricas. O grupo se reunia sistematicamente uma vez por semana, para discutir e debater os assuntos mais relevantes sobre a tematica. As discussoes se deram atraves de seminarios, debates e relatos de experiencias. Os conteudos tratados pelo grupo durante as discussoes teoricas da pesquisa incluiram os seguintes assuntos: a relacao homem/agricultura/civilizacao; os ciclos tecnologicos da agricultura brasileira; o modelo tradicional da agricultura; o modelo da agricultura moderna ou convencional; historico, conceitos e principios da agroecologia (social, economico, ecologico, cultural etico e politico); a transicao agroecologica como novo paradigma; o manejo agroecologico das riquezas naturais; agroecologia colocada em pratica; a propriedade agroecologica: um sistema integrado; as unidades produtivas na propriedade agroecologica; estrategias para a transicao agroecologica; os principais problemas ambientais no Brasil; articulacao e acoes para a difusao da agroecologia; organizacao solidaria; tecnologias de producao agroecologicas; mercado justo; certificacao; politicas publicas para a agricultura familiar; a importancia da agricultura familiar e a etica da responsabilidade socioeconomica e ambiental; e a agricultura convencional e os possiveis caminhos para o processo de transicao agroecologica.

A escolha dos temas foi alicercada na proposta da Agroecologia que como disciplina ou ciencia apresenta uma serie de principios, conceitos e metodologias de abordagem paradigmatica.

As experiencias agroecologicas no campo foram desenvolvidas na comunidade rural Seis Lagoas, localizada a 18km do campus. O motivo da escolha dessa comunidade para a realizacao das atividades praticas se deu principalmente por se tratar de uma comunidade voltada para agricultura familiar. Dessa forma o contato vivenciado pelos estudantes envolvidos na pesquisa ficou muito mais proximo da realidade dos agricultores locais. Entre as atividades realizadas citamse algumas, tais como: preparo de compostagem, consorciamento entre hortalicas, consorciamento entre frutiferas, cultivo de leguminosas com potencial para a adubacao verde, atraves da fixacao biologica de nitrogenio (FBN), instalacao de experimentos com diferentes doses e fontes de adubacao de origem organica em hortalicas.

E importante que se escolha instrumentais adequados que preencham os requisitos de validez, confiabilidade e precisao para o levantamento de dados (Oliveira, 2011). De acordo com o entendimento de Gil (2010), na maioria dos estudos de caso bem conduzidos, a forma de coleta de dados e feita mediante entrevistas, observacao e analise de documentos.

Neste contexto, na presente pesquisa foram utilizados os seguintes instrumentos de coleta de dados: observacao participante e entrevista. Esse procedimento e importante e suficiente, para garantir a profundidade necessaria ao estudo e a insercao do caso em seu contexto, bem como para conferir maior credibilidade aos resultados (Gil, 2010).

A observacao constituiuse em um instrumento bastante utilizado nessa pesquisa, sendo adotado durante todo o periodo de desenvolvimento da mesma, observando-se os alunos envolvidos no grupo de estudos em agroecologia, onde os mesmos foram rotineiramente avaliados. A principal finalidade desse metodo foi captar informacoes relevantes ocorridas na rotina da pesquisa, sendo incluidas observacoes, tanto das discussoes teoricas, quanto das experiencias realizadas no campo. Atraves dessa tecnica o pesquisador se incorpora ao grupo, confundindo-se com ele, fica tao proximo quanto um membro do grupo que esta estudando e participa das atividades normais deste (Marconi e Lakatos, 2011). A observacao constitui na base da investigacao cientifica, pois permite o registro dos fenomenos da realidade para se planejar e sistematizar os dados que serao coletados (Oliveira, 2011).

A entrevista foi outro instrumento bastante relevante, sendo aplicado no final da pesquisa, sendo submetida apenas aos alunos integrantes do grupo de estudos em agroecologia. Sua finalidade foi verificar o processo de aceitacao da agroecologia como disciplina integrante do curriculo, buscando identificar as percepcoes da importancia do tema para a vida profissional do agronomo, alem disso, buscou-se ainda, avaliar a opiniao dos alunos sobre a experiencia vivenciada na pesquisa.

As entrevistas foram gravadas, de modo a evitar que nao ocorresse a interrupcao da linha de raciocinio dos entrevistados, posteriormente as respostas foram transcritas, preservandose a integridade do conteudo abordado. Quanto a categoria da entrevista, adotouse a do tipo estruturada, que segundo Marconi e Lakatos (2011) nesse tipo de entrevista o entrevistador segue um roteiro previamente estabelecido.

Resultados e Discussao

Motivacao para participar da experiencia

Ao serem questionados sobre as razoes que motivaram os estudantes a participarem do grupo de estudos em agroecologia, ficou demonstrado atraves dos resultados alcancados, que houve grande interesse e comprometimento dos mesmos pela tematica. Entre essas razoes foram relatadas as seguintes: vontade de aprender sobre a agroecologia, principalmente por se tratar de algo que ainda e relativamente novo no contexto das instituicoes de ensino agrario e que acena com boas promessas para o futuro.

Outra razao fortemente enfatizada e a possibilidade de se produzir alimentos de forma sustentavel, especialmente por ser uma contraposicao ao modelo de desenvolvimento regional, que e baseado em agricultura convencional. O interesse pelo aspecto 'sustentabilidade', pode ser observado atraves do seguinte depoimento: "O que tem me motivado a participar dessa experiencia e a preocupacao da agroecologia em produzir de uma forma mais sustentavel". Quanto a relevancia da experiencia para esse mesmo aspecto (a sustentabilidade), voltado especialmente a questao regional, tambem fica explicita a preocupacao dos alunos, atraves da seguinte explanacao: "Como nessa regiao ha grandes produtores de soja, a gente nao ve tanto a preocupacao com o lado agroecologico, entao eu acho interessante a gente ter um profissional que conheca tanto a agricultura convencional quanto a agroecologica".

Quando questionados sobre as contribuicoes das discussoes e das praticas agroecologicas para formacao do agronomo, os estudantes manifestaram que foram essenciais, pois possibilitaram um maior entendimento sobre o assunto e despertaram o interesse em resgatar conhecimentos perdidos, e que podem contribuir para um sistema de producao mais sustentavel. Segundo os mesmos, a experiencia ajudou ainda, a observar e repensar sobre a relacao que existe entre o meio ambiente e a agricultura.

Outro aspecto importante relatado e a percepcao de que os conhecimentos da agroecologia podem alicercar nao so o grande produtor, mas especialmente o pequeno, uma vez que este quase nunca se enquadra nas tecnologias geradas para atender a agricultura convencional. Esse olhar e percebido na seguinte declaracao: "Eu quero ter um conhecimento para ensinar e poder oferecer uma opcao para o pequeno agricultor, e nao somente ter uma visao voltada para o grande produtor (agronegocio)". Essa manifestacao demonstra a incorporacao do pensamento agroecologico, ja que uma das propostas da agroecologia e o compromisso com equidade social.

Dos conceitos a pratica agroecologica

Aborda-se aqui a relacao entre as discussoes teoricas e as atividades praticas realizadas pelos estudantes na experiencia agroecologica, buscando identificar qual dessas, despertou maior interesse pela agroecologia.

As respostas fornecidas pelos estudantes a esse questionamento foram bastante categoricas e unanimes, no sentido de que as duas fases sao igualmente importantes, quanto ao interesse e aprendizado sobre o assunto. Entre os depoimentos destacam-se dois: "E um conjunto, as discussoes feitas no grupo de estudos se complementam com a pratica, quando voce as leva ao campo junto ao produtor". "Eu acho que a pratica e a teoria se completam, talvez se a gente nao tivesse passado pelas discussoes que a gente teve durante o periodo de estudos eu nao teria a visao que eu tenho hoje, em relacao a teoria. E eu acho que a gente aproveita muito mais na pratica se a gente tem o embasamento teorico".

As manifestacoes de monstraram que houve satisfacao dos estudantes na observacao e realizacao das experiencias em campo fundamentadas em discussoes teoricas. Isso se tornou muito mais explicito, uma vez que eles constataram a eficacia das experiencias, e ficou perceptivel a credibilidade da proposta.

Trata-se aqui, a percepcao dos estudantes, atraves das respostas dadas quando questionados sobre o que mais lhes chamou a atencao durante a experiencia vivenciada junto ao grupo de estudos em agroecologia.

De acordo com os estudantes, o aspecto que mais despertou sua atencao foi "perceber que a 'coisa' estava acontecendo de fato, que nao era apenas uma conversa sem fundamento". Segundo eles, se tornou muito mais interessante pelo fato de participar da instalacao de uma 'unidade modelo' especifica para desenvolver projetos dessa natureza, para que professores e alunos possam testar suas hipoteses. Sobre esse aspecto foi mencionado tambem que a concretizacao de se produzir alimentos de forma mais saudavel, isentos de agroquimicos, foi um ponto muito marcante na experiencia.

A aceitacao da agroecologia enquanto disciplina

Buscando levantar a concepcao dos estudantes sobre o perfil do curso de agronomia ofertado no IFMT, Campus Campo Novo do Parecis, foi perguntado aos mesmos se achavam o curso mais voltado para a formacao alicercada no principio da sustentabilidade ou para a formacao mercadologica. Os estudantes foram categoricos e unanimes ao responder a essa pergunta, enfatizando que acham a formacao oferecida no curso, claramente mercadologica. Isso pode ser constatado a partir das seguintes opinioes: a) "Em minha opiniao e mais mercadologica, voce ouve falar alguma coisa de agricultura sustentavel, mas nunca muito focado, o foco mesmo e a agricultura convencional"; b) "Com certeza mercadologica, primeiro porque alguns nao entendem muito da area sustentavel e outros ate entendem, mas ja tem aquele pensamento convencional, entao a ganancia pelo acumulo de capital, por rentabilidade faz com que o curso seja mais voltado para isso".

Alem disso, os estudantes vincularam tambem o perfil do curso ao atual modelo de desenvolvimento regional, que e baseado na agricultura convencional. Outro aspecto importante mencionado e que o perfil do curso se confirma atraves de sua propria grade curricular.

Foi apresentada aos estudantes a possibilidade de fazer algumas sugestoes de mudanca em relacao a grade curricular do curso, caso houvesse alguma critica neste sentido. Entre as sugestoes apresentadas, a que teve maior enfase foi a proposta de incorporacao de outras disciplinas especificamente voltadas para a area sustentavel e conservacionista na grade curricular do curso, pois segundo eles, e importante tanto para o conhecimento profissional dos academicos, bem como para toda a populacao futuramente.

A possibilidade de se abordar no curso, a questao da agricultura familiar, tambem foi sugerida: "Minha sugestao e que o ensino seja um pouco mais voltado para agricultura familiar para que futuramente estivessemos preparados para trabalhar com eles tambem, e pudessemos oferecer a esses agricultores uma saida que nao seja a monocultura".

A percepcao da agroecologia para formacao do agronomo

Quando questionados sobre como vinham construindo conceitos e incorporando a proposta da agroecologia durante o desenvolvimento do projeto, foram obtidas algumas respostas que evidenciaram de forma bastante satisfatoria os objetivos propostos na pesquisa. Sao elas: a) "Tenho utilizado a proposta agroecologica no meu cotidiano, fazendo algumas praticas na minha casa, onde fiz uma compostagem, tenho tentado tambem passar isso para minha familia para que eles possam estar olhando para esse lado mais sustentavel"; b) "Depois da experiencia no projeto, aprendi a olhar os dois lados da situacao a gente tem as tecnicas da agricultura convencional, mas penso o lado da agroecologia, por exemplo, se eu for revolver o solo, vai ser bom ou ruim para o meio ambiente, passei a ver os dois lados".

Alem disso, estudantes afirmam que estao lendo, conversando e debatendo com outros colegas sobre o assunto, tentando passar um pouco do conhecimento que ja adquiriram, comecando com as pessoas que estao mais proximas.

Ao concluir essa etapa da pesquisa, perguntou-se aos estudantes quais os indicios de mudanca conceitual ou atitudinal que haviam observado no seu cotidiano, a partir da experiencia no projeto. Ao referido questionamento foram dadas algumas respostas que confirmam a incorporacao desses indicios, atraves das seguintes afirmacoes: a) "O olhar sobre a agricultura, principalmente a agricultura familiar que e a base da agricultura agroecologica, e que muito pode ser realizado"; b) "Alem de querer montar uma horta em casa, tenho passado para minha familia aquilo que temos visto sobre agricultura familiar, e com certeza voce leva esse aprendizado para a vida toda". c) "Estar fazendo uma producao de forma diferente"; d) "A forma como eu encaro esse assunto hoje, e muito diferente de antes, antes era como se eu tivesse um tapa olhos, nao me interessava saber, hoje eu me sinto muito mais flexivel para essa area, e gosto muito, e e uma coisa que eu quero levar, porque e um estudo que ajuda a cuidar de tudo aqui, o nosso meio"; e) "Meu interesse agora e o desenvolvimento de novas praticas que possam ajudar e contribuir para o sistema de producao agroecologico".

Dessa forma, entendemos que as respostas a esses dois ultimos questionamentos, falam por si so, onde estudantes que antes possuiam conceitos bem vagos, sem ter um entendimento formado sobre os principios e fundamentos da agroecologia, ao termino dessa experiencia vivenciada no projeto, apresentaram resultados que demonstram a percepcao de valorizacao e reconhecimento pela agroecologia para a vida profissional.

As discussoes no grupo de estudos em agroecologia

Nas discussoes realizas junto aos estudantes do grupo de estudos, foi bastante perceptivel o fato de que, apesar de ja haver certa conscientizacao em relacao aos aspectos conservacionistas da agricultura, nao se tinha uma conceituacao segura sobre a dimensao do tema 'sustentabilidade agricola'. Havia, portanto, uma forte vinculacao do termo a questao ecologica e economica, e poucas com os aspectos sociais, eticos, politicos e culturais.

Foi observado tambem, que houve um interesse voluntario por parte dos estudantes em participar das discussoes, ficando expresso que, embora, com pouco conhecimento, ja ha uma preocupacao entre os mesmos, com a questao da sustentabilidade. Alguns estudantes frisaram que estavam adentrando em um universo diferente, de grandes novidades, e que isso despertava muito interesse, pois o mundo contemporaneo exige mudancas de atitude.

Durante as discussoes os estudantes demonstraram bastante entusiasmo pelos principios agroecologicos, enfatizando que esses conhecimentos representam hoje a possibilidade de se estabelecer condicoes de vida mais digna a toda a cadeia produtiva, bem como a transformacao da comunidade ao seu entorno, reafirmando que essa tematica nao deveria ficar fora do quadro de prioridades das instituicoes de ensino agrario. Houve ainda, algumas manifestacoes de insatisfacao quanto ao atual curriculo do curso da instituicao, uma vez que na concepcao dos estudantes, possui um perfil essencialmente mercadologico.

Nas discussoes junto ao grupo de estudos, abordou-se ainda, a relevancia da pesquisa na perspectiva agroecologica, e destacou-se que uma pesquisa importante nem sempre e aquela que requer o aporte de muito recurso, mas sim, aquela que tem um carater participativo, comprometida com a necessidade real do agricultor. Dessa forma, pesquisas simples quando bem aplicadas, podem trazer grandes beneficios ao homem do campo, ao consumidor e ao meio ambiente.

As experiencias agroecologicas no campo

Ao desenvolver as experiencias no campo, foram realizadas algumas atividades que sao de extrema necessidade no contexto da agricultura alternativa, porem tao ausentes no cotidiano da agricultura local e inclusive nas praticas academicas do campus. Essas experiencias feitas no campo contribuiram muito para as observacoes da pesquisa, uma vez que, segundo os estudantes, a pratica foi uma oportunidade de consolidacao do aprendizado teorico. Era nitido o grau de satisfacao dos estudantes, quando se constatava que aquela teoria discutida pelo grupo, se concretizava de forma pratica, la no campo. Isso trouxe a tona, uma forte relacao de credibilidade aos principios da agroecologia, uma vez que se constatava que, com interesse e forca de vontade a realidade de hoje, pode ser outra amanha.

A montagem da compostagem foi feita com o uso de camadas intercaladas entre folhas secas e esterco bovino. Esse processo foi acompanhado durante o periodo de 90 dias e posteriormente o composto pronto foi testado na producao de rabanete (Raphanus sativus L.), cultivar 'Zaap'.

Nos testes com leguminosas foram utilizadas as seguintes especies: Crotalaria juncea L. e Stizolobium aterrum (mucuna preta), ambas com a finalidade de se avaliar o potencial, para a producao de biomassa e a fixacao biologica de nitrogenio (FBN), visando a melhoria da fertilidade e da estrutura do solo, para o uso em sistema consorciamento com a cultura da bananeira.

Sobre o consorciamento entre hortalicas foi testado tanto o uso de couve manteiga com cebolinha, bem como o uso de couve com nira (alho japones). Com essa tecnica foi possivel discutir os seguintes beneficios: uso racional do solo, economia hidrica, controle de ervas invasoras e controle de insetos atraves do efeito alelopatico. Essa pratica despertou bastante o interesse dos alunos, pois soluciona varias situacoes no processo produtivo alem de representar mais lucratividade em decorrencia da colheita de duas especies em uma mesma area.

Outra atividade realizada durante o periodo de experimentacao a campo foi o plantio de frutiferas em sistema de consorciamento. Nessa area foram intercaladas as culturas do caju, pinha, mamao, banana, maracuja, melancia e melao.

O que mais chamou atencao dos alunos nesse aspecto foi a possibilidade de se produzir frutas em diversas epocas do ano, tendo em vista o aumento da diversidade. Segundo o relato dos alunos, alem de aumentar a possibilidade de lucros do agricultor, aumenta tambem a oferta de alimentos na propriedade.

A instalacao de experimentos com diversas doses e fontes alternativas de adubacao organica com potencial para utilizacao em hortalicas foi outra etapa importante na pesquisa. Entre as fontes de adubos organicos utilizados temos: esterco bovino, esterco ovino, cama de frango e compostagem. Esses excrementos foram testados na cultura do rabanete cultivar Zaap e na cultura da abobrinha menina brasileira precoce.

Essa etapa constituiu-se em uma das fases mais ricas das experiencias agroecologicas no campo. Com a implantacao e conducao dos experimentos, houve muito empenho e mobilizacao dos alunos, onde os resultados obtidos foram significativamente importantes, de forma que conferiu credibilidade a proposta de reduzir a introducao de insumos externos a propriedade e garantir ainda, a seguranca nos aspectos qualitativos da producao agricola.

Ao concluir a coleta de dados dos experimentos instalados, muitos alunos afirmaram que nao haviam tido acesso a nenhuma outra experiencia com pesquisa dessa natureza, e tampouco acreditavam que isso se concretizasse com sucesso na pratica.

Resultados alcancados com a pesquisa

Alguns dos experimentos montados durante a pesquisa foram criteriosamente conduzidos com delineamento experimental bem definido e com o devido rigor metodologico. Entre os mesmos, sete trabalhos foram submetidos e contemplados para publicacao nos Anais do 52 Congresso Brasileiro de Olericultura. Esses trabalhos foram realizados com a finalidade de se verificar o potencial de diferentes fontes e dosagens e de adubos organicos alternativos, nas culturas do rabanete e da abobrinha menina brasileiros precoce (Balena et al, 2012; Campos et al., 20l2a, b; Santin et al., 2012; Santos et al., 2012; Souza et al., 2012; Steinke et al., 2012).

A participacao dos alunos no congresso motivou ainda mais, cada um dos integrantes do grupo de estudos em agroecologia a dar continuidade em outras pesquisas do segmento, uma vez que eventos dessa natureza potencializam muito o interesse pela pesquisa.

Um dos principais legados dessa pesquisa, foi a criacao e insercao da disciplina de Agroecologia e Gestao Ambiental (I e II), com carga horaria total de 80h cada uma, para o curso Tecnico em Agropecuaria na modalidade subsequente. Foi criada ainda, a disciplina de Agroecologia na modalidade optativa a ser ofertada ao referido curso de Agronomia objeto de estudo na presente pesquisa.

Consideracoes Finais

A experiencia no grupo de estudos despertou sensivelmente a motivacao dos estudantes pela proposta agroecologica. Ficou evidenciado que houve dos satisfacao dos estudantes no envolvimento com as atividades, principalmente ao constatar que teoria discutida por eles, no grupo de estudos, se concretizava de forma pratica em campo experimental, deixando perceptivel a credibilidade da proposta.

Os estudantes foram construindo conceitos e incorporando a proposta agroecologica durante todo desenvolvimento do projeto. Os indicios da incorporacao desses conhecimentos foram constatados nos relatos, nas observacoes, atraves da atitude desses alunos junto as suas familias, na comunidade academica, comunidade do entorno, bem como atraves do compromisso dos estudantes na realizacao de atividades e pesquisas de base sustentavel.

Sobre a percepcao da agroecologia para formacao do agronomo, os estudantes manifestaram nao estar plenamente satisfeitos com o perfil curricular do curso de agronomia oferecido na instituicao. Segundo esses mesmos estudantes, o curriculo do curso e alicercado essencialmente nos aspectos tecnico-produtivos da agricultura convencional, nao prevendo suficientemente as questoes ecologicas, sociais e os aspectos qualitativos que envolvem a atividade agricola. Nessa perspectiva, verifica-se, portanto, que o projeto formativo do curso nao contempla plenamente uma formacao para atender aos desafios e demandas atuais e emergentes da agricultura.

Outro fator bastante relevante levantado na pesquisa, e o fato de que todos manifestaram preocupacao com a questao da sustentabilidade na agricultura. O aumento da produtividade aliado a sustentabilidade foi apontado pelos estudantes como sendo o principal e maior desafio a ser enfrentado pelo setor agricola no futuro; alem disso, buscar conhecimentos para permitir que isso aconteca, ficou evidenciado como o principal papel do agronomo nesse contexto. Conhecimentos agroecologicos e conscientizacao da sociedade foram apontados, como aspectos que estao faltando atualmente, para que tenhamos profissionais mais engajados na questao da sustentabilidade agricola. A construcao coletiva do conhecimento e redesenho agricola, foram destacados como os possiveis caminhos para a transicao do sistema convencional de agricultura para o sistema agroecologico.

Em concordancia com pensamento proposto por Jesus (2003), acreditamos que a agroecologia vem surgindo com uma proposta filosofica menos contraditoria e um sentido de acao mais claro e adequado, pois segundo o autor, essa ciencia busca colocar em pratica e de forma mais explicita os tres pilares de uma agricultura verdadeiramente sustentavel: o social, o economico e o ambiental.

REFERENCIAS

Altieri M (2009) A Dinamica Produtiva da Agricultura Sustentavel. Editora UFRGS. Porto Alegre, Brasil. 120 pp.

Aquino AM, Assis RL (2005) Agroecologia: Principios e Tecnicas para uma Agricultura Organica Sustentavel. Embrapa Informacao Tecnologica. Brasilia, Brasil. 517 pp.

Balena E, Silva JN, Marchetto PJ, Campos AG, Pacheco EB, Nomelini QSS, Froelich Junior HJ (2012) Avaliacao das caracteristicas de repolho em funcao de diferentes doses de torta de filtro. Anais 52 Congr. Bras. Olericultura. 16-20/07/2012. Salvador, Brasil.

Bica GS, Paglia EC, Hoeller SC, Gandin RV (2007) Educacao e Agroecologia: caminhos que se completam. Rev Bras. Agroecol. 2: 1576-1579.

Campos AG (2013) Analise da Formacao de Alunos do Curso de Agronomia do IFMT-Campus Campo Novo do Parecis: Um Estudo de Caso sobre a Interface com a Agroecologia. Tese. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Brasil. 55 pp.

Campos AG, Bezerra FL, Nomelini QSS, Machado LVN, Golynski AA (2012a) Producao de Rabanete em Funcao da Adubacao com Residuo de Soja. Anais 52 Congr. Bras. Olericultura. 16-20/07/2012. Salvador, Brasil.

Campos AG, Pacheco EB, Bezerra FL, Machado LVN, Machado DH, Kissel C, Silva JL (2012b) Resposta da producao de cenoura a diferentes periodos de incorporacao de Crotalaria spectabilis L. ao solo como fonte de adubacao organica. Anais 52 Congr. Bras. Olericultura. 16-20/07/2012. Salvador, Brasil.

Costa MBB (2007) Formacao Superior em Agroecologia: a Experiencia da Universidade Federal de Sao Carlos. Sao Carlos, Brasil. 132 pp.

Flick U (2009) Introducao a Pesquisa Qualitativa. Artmed. Porto Alegre, Brasil. 408 pp.

Gil AC (2010) Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 5a ed. Atlas. Sao Paulo: Brasil. 200 pp.

Gliesseman SR (2009) Agroecologia: Processos Ecologicos em Agricultura Sustentavel. Editora UFRGS. Porto Alegre, Brasil. 685 pp.

Jacobi P (2003) Educacao ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cad. Pesq. 118: 189-205.

Jesus EL (1996) Perfil do profissional para atuar em Agroecologia: um novo desafio as escolas de ciencias agrarias. FEAB/CONFEA. Cruz das Almas, Brasil. 7 pp.

Maia VM, Alexandre RS, Silva RG (2006) Desafios a formacao do profissional em ciencias agrarias. Rev. Educ. Agric. Sup. 21: 34-37.

Marconi MA, Lakatos EM (2011) Fundamentos de Metodologia Cientifica. 6a ed. Atlas. Sao Paulo, Brasil. 320 pp.

Oliveira MM (2011) Como Fazer Projetos, Monografias, Dissertacoes e Teses. Elsevier. Rio de Janeiro, Brasil. 232 pp.

Padovan MP, Urchei MA, Mercante FM, Cardoso S (2005) Agroecologia em Mato Grosso do Sul: Principios, Fundamentos e Experiencias. Embrapa. Agropecuaria Oeste, Dourados: Brasil. 127 pp.

Raven PH, Evert RF, Eichhorn SE (2001) Biologia Vegetal. Guanabara Koogan. 6a ed. Rio de Janeiro, Brasil. 906 pp.

Santin MFM, Steinke MCK, Pessatto TC, Palomo LR, Campos AG, Nomelini QSS (2012) Influencia de diferentes doses de compostagem na producao de rabanete. Anais 52 Congr. Bras. Olericultura. 16-20/07/2012. Salvador, Brasil.

Santos ALM, Lemes AP, Campos AG, Nomelini QSS, Souza DA, Freitas HM (2012) Uso de esterco ovino na avaliacao de caracteres agronomicos do rabanete em campo Novo do Parecis--MT. Anais 52 Congr. Bras. Olericultura. 16-20/07/2012. Salvador, Brasil.

Silveira Filho J, Sales FJM, Haguette A (2011) A Sustentabilidade da agricultura e o projeto formativo no curso de agronomia da Universidade Federal do Ceara. Extens. Rural 18(21): 37-76.

Soares AMD, Braga AM (1997) Formacao profissional e demandas sociais. Educ. Agric. Sup. 165: 5-8.

Souza DA, Freitas HM, Gomes LAC, Campos AG, Silva JL, Lemes AP, Santos ALM (2012) Avaliacao de aspectos agronomicos de abobora menina brasileira precoce sob diferentes adubos organicos. Anais 52 Congr. Bras. Olericultura. 16-20/07/2012. Salvador, Brasil.

Steinke MCK, Santin MFM, Pessatto TC, Palomo LR, Campos AG, Nomelini QSS (2012) Desempenho produtivo do rabanete cultivado sob diferentes doses de esterco ovino. Anais 52 Congr. Bras. Olericultura. 16-20/07/2012. Salvador, Brasil.

Yin RK (2010) Estudo de Caso: Planejamento e Metodos. Bookman. Porto Alegre, Brasil. 248 pp.

Zamberlam J, Froncheti A (2001) Agricultura Ecologica: Preser-vacao do Pequeno Agricultor e do Meio Ambiente. Vozes. Petropolis, Brasil. 214 pp.

Recebido: 22/08/2014. Modificado: 17/02/2015. Aceito: 18/02/2015.

Arnaldo Goncalves de Campos. Tecnico em Agropecuaria, Escola Agrotecnica Federal de Cuiaba (EAFC), Brasil. Biologista, Universidade de Cuiaba (UNIC), Brasil. Mestre em Educacao Agricola, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Brasil. Professor, Instituto Federal de Educacao, Ciencia e Tecnologia do Mato Grosso (IFMT), Brasil. e-mail: arnaldo.campos@svc.ifmt.edu.br

Geison Jader Mello. Licenciado em Ciencias Naturais e Matematica, Mestre e Doutor em Fisica Ambiental, UFMT, Brasil. Professor, IFMT, Brasil. Endereco: Nucleo Avancado de Jaciara, Campus Sao Vicente, Instituto Federal de Mato Grosso. Rua Juruce, no. 1241, Centro Jaciara--MT, Brasil. e-mail: geison.mello@svc.ifmt.edu.br

Leone Covari. Tecnologo em Administracao Rural, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijui, Brasil. Mestre em Agricultura Tropical, UFMT, Brasil. Professor, IFMT, Brasil. e-mail: leone.covari@svc.ifmt.edu.br

Leandro Carbo. Quimico e Mestre em Saude e Ambiente, UFMT, Brasil. Doutor em Quimica, Universidade Estadual Paulista, Brasil. Professor, IFMT, Brasil. e-mail: leandro.carbo@svc.ifmt.edu.br

Jorge Luiz da Silva. Tecnologo em Alimentos, Centro Federal de Educacao Tecnologica de Cuiaba, Brasil. Mestre em Ciencia Animal, UFMT, Brasil. Professor, IFMT, Brasil. e-mail: jorge.silva@svc.ifmt.edu.br

Ronaldo Eustaquio Feitoza Senra. Doutor em Educacao, UFMT, Brasil. Professor, IFMT, Brasil. E-mail: ronaldo.senra@svc.ifmt.edu.br

Maria de Fatima Barbosa Coelho. Agronoma, Universidade Federal do Ceara, Brasil. Mestre em Genetica e Melhoramento, e Doutora em Fitotecnia Universidade Federal de Vicosa; Brasil. Professora, Universidade Federal de Mato Grosso, Brasil. e-mail: coelhomfstrela@gmail.com
COPYRIGHT 2015 Interciencia Association
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2015 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:articulo en portugues
Author:De Campos, Arnaldo Goncalves; Mello, Geison Jader; Covari, Leone; Carbo, Leandro; Silva, Jorge Luiz
Publication:Interciencia
Date:Mar 1, 2015
Words:5511
Previous Article:Identification and evolution of the strategic groups (SG) in the venezuelan banking sector/Identificacion y evolucion de los grupos estrategicos de...
Next Article:Parameterization of ALMANAC crop simulation model for non-irrigated dry bean in semi-arid temperate areas in Mexico/Parametrizacion del modelo de...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters