Printer Friendly

Abundance and seasonality of two-spotted spider mite on gerbera cultivars/Abundancia e sazonalidade do acaro-rajado em cultivares de gerbera.

INTRODUCAO

A gerbera (Gerbera jamesonii Adlam.) e tradicionalmente cultivada como flor de corte estando entre as plantas ornamentais de maior importancia comercial no Brasil, mercado este que movimenta anualmente US$ 1,3 bilhao (BUAINAIN & BATALHA, 2007, SEBRAE, 2011). No Rio Grande do Sul, a gerbera e a terceira flor de corte mais vendida, sendo superada apenas pela rosa e pelo crisantemo (SEBRAE, 2003). O cultivo de gerberas em estufa proporciona maior protecao as flores em relacao a fatores climaticos prejudiciais como vento e chuva (FISCHER, 2008). No entanto, as condicoes ambientais no interior da estufa podem proporcionar temperatura e umidade relativa do ar otimas para o rapido crescimento de pragas, em especial os acaros (ZHANG, 2003).

No Brasil, levantamentos da acarofauna em plantas ornamentais tem constatado Tetranychidae como a familia de acaros fitofagos mais abundante (FERES et al., 2009, SANTOS et al., 2010). Entre as especies de Tetranychidae relacionadas como pragas comuns em cultivo protegido, destaca-se o acaro-rajado Tetranychus urticae Koch que atraves de sua alimentacao, provoca em gerberas, pontuacoes cloroticas na face adaxial das folhas, que evoluem para clorose intensa, bronzeamento e necrose dos tecidos afetados, ocasionando perda de area fotossintetica e reducao no tamanho e na produtividade da planta, afetando assim o tamanho das inflorescencias. Ainda se podem identificar distorcoes dos botoes em formacao e flores deformadas, em grandes infestacoes a planta pode ser coberta por teia e morrer prematuramente (GALLO et al., 2002, ZHANG, 2003). Estudos sobre a abundancia e a sazonalidade de T. urticae em G. jamesonii nao sao conhecidos. Todavia existem alguns trabalhos sobre interacoes entre estas duas especies, que tratam sobre a biologia, controle quimico, influencia de caracteristicas morfologicas da planta, como tricomas e interacoes tritroficas entre estas especies e acaros predadores (DICKE, 1988a, KRIPS et al., 1998, 2001, SILVA et al., 2009, SCHWERTNER, 2012). Considerando o fato da valorizacao da producao de flores de corte estar diretamente associada a qualidade estetica destas, o acaro-rajado representa um fator limitante em sua producao. Em razao da inexistencia de dados sobre a dinamica populacional do acaro-rajado em variedades de gerbera, este estudo teve como objetivo o conhecimento da abundancia e da sazonalidade de T. urticae nas cultivares 'Pink Snow', 'Essandre' e 'Sarinah' em cultivo protegido.

MATERIAL E METODOS

O presente trabalho foi desenvolvido em cultivo protegido de Gerbera jamesonii Adlam. na Floricultura Florist Ltda., municipio de Dois Irmaos, Rio Grande do Sul, Brasil (29[degrees]34'56"S, 51[degrees]5'40"0). As coletas foram realizadas de abril de 2011 a fevereiro de 2012 (11 meses de amostragem) sempre no horario entre as 9h e 10h30min, totalizando oito datas amostrais, duas a cada estacao do ano. Para determinar a abundancia de T. urticae nas diferentes variedades de gerbera, a cada data amostral foram coletadas aleatoriamente 10 flores e 10 folhas de diferentes plantas de cada uma das cultivares de G. jamesonii. "Essandre" (E), "Sarinah" (S) e "Pink Snow" (PS), totalizando 30 flores e 30 folhas por data amostral. A area foliar media para as tres cultivares e de 114,52[cm.sup.2] e o diametro medio das inflorescencias e de 9,87cm (SENAPATI et al., 2013). Os acaros foram retirados das amostras e montados em laminas contendo meio de Hoyer (JEPPSON et al., 1975). A identificacao foi realizada atraves de chaves (VILELA, 1975, BAKER & TUTLE, 1994, ZHANG, 2003).

Cada uma das variedades de gerberas foi cultivada separadamente em canteiros elevados com 50cmx100cmx500cm (A x L x C), formando blocos unicos em uma estufa agricola (5mx53mx54m), coberta com plastico (PEBD) com filtro UV. O controle da temperatura foi feito com o emprego de malha termo-reflectora e abertura das cortinas, realizadas diariamente para auxiliar na ventilacao do ambiente. O manejo fitossanitario da cultura foi preventivo, realizando-se semanalmente a aplicacao de agroquimicos com acao fungicida, inseticida, acaricida e acaricida/inseticida em sistema de rotacao de ingredientes ativos para evitar a inducao de resistencia as pragas. Como medida paliativa, foi realizada a lavagem das plantas com ducha de agua para eliminacao mecanica de acaros e insetos nos periodos de altas infestacoes.

A abundancia de T. urticae foi analisada considerando a localizacao na planta (flores e folhas) e sazonalidade (estacoes do ano), com base na media de acaros presentes em cada ocasiao de amostragem. Os dados foram submetidos a analise estatistica atraves do teste t de Student (t), teste de Mann-Whitney (U), ANOVA (F) e Kruskall-Wallis (H), com teste de Tukey a "posteriori', todos a 5% de probabilidade de erro (P<0,005) e processados com o programa SigmaStat versao3.5 (JANDEL, 2007).

RESULTADOS E DISCUSSAO

No total das amostragens, foram contabilizados 10.640 individuos pertencentes a Tetranychus urticae. Destes, 2.138 (20,1%) em E, 6.210 (58,4%) em PS e 2.292 (21,5%) em S, apresentando diferenca significativa entre PS x E e PS x S (ANOVA; h=48,851, P=<0,001). As diferencas no numero de acaros registrados apenas entre as flores das diferentes cultivares ou apenas entre folhas das diferentes cultivares, para cada uma das datas de coleta, estao representadas na tabela 1. De acordo com os resultados, para a maioria das datas de coleta, houve diferenca significativa entre o numero de acaros nas diferentes cultivares tanto em flores como em folhas. Nao foram constatadas diferencas significativas apenas em Novembro/2011para flores (H=4,48, P=0,107) e para as folhas (H=2,47, P=0,291) e em Fevereiro/2012 para o numero de T. urticae nas folhas (H=2,05, P=0,148). Em 87,5% das datas amostrais as diferencas entre PS e as outras variedades demonstraram-se significativas tanto para flores como para folhas. Em Janeiro/2012 houve diferenca significativa apenas entre PS e S para flores e entre PS e E somente para folhas. Esses resultados sugerem uma clara preferencia dos acaros por PS.

Estudos indicam que caracteristicas de diferentes genotipos de plantas de importancia economica como o algodoeiro, o morangueiro, o tomateiro e o mamoeiro, podem influenciar no desenvolvimento biologico de T. urticae (LOURENCAO et al., 2000, MARUYAMA et al., 2002, ESTEVES FILHO et al., 2010, MORO et al., 2012), evidenciando cultivares mais ou menos atrativas a especie. Um dos fatores que pode induzir diferencas no desenvolvimento desta especie ocorre em funcao da alimentacao dos acaros fitofagos. Esses acaros induzem a liberacao de compostos volateis produzidos pela planta hospedeira, podendo atrair tanto acaros fitofagos quanto acaros predadores (DICKE, 1988a, PALLINI et al., 1997). Segundo diversos autores (DICKE, 1988b, TAKABAYASHI et al., 1991; KIELKIEWICZ & DICKE, 1992), os volateis liberados podem variar entre as especies de plantas e entre as cultivares. No caso da gerbera, e possivel que diferentes cultivares de gerberas produzam volateis distintos a partir de danos ocasionados pelo acaro rajado o que pode influenciar na atratividade (KRIPS et al., 2001). Sendo assim, o maior numero de T. urticae na variedade PS poderia ser atribuido aos volateis emitidos por ela, os quais podem estar exercendo maior atratividade nesta do que as demais cultivares. Outra possibilidade a ser considerada seria a atratividade natural da variedade PS que, ao liberar volateis para comunicacao interespecifica pode se tornar preferencial ao acaro rajado (PALLINI et al., 2001). Alem deste, outros aspectos, como a coloracao das flores, forma das folhas, densidade de tricomas, caracteristicas bioquimicas e grau de resistencia a T. urticae tambem podem ter efeito sobre a abundancia dos acaros em cada cultivar (KIELKIEWICZ & DICKE, 1992, SUTERLIN & VAN LENEREN, 1997, KRIPS et al., 1999, STAVRINIDES & SKIRVIN, 2003, WATANABE, 2007).

No que diz respeito a influencia de tricomas foliares sobre o acaro-rajado, estudos (ARAGAO et al., 2002, GONCALVES et al., 2006, MATOS et al., 2009) apontam que a presenca de tricomas foliares em grande quantidade, pode atuar como fator de repelencia a presenca e restricao a mobilidade de tetraniquideos e tarsonemideos em diferentes cultivares de tomateiro e pimenteira. Neste estudo nao foi estabelecida a densidade de tricomas foliares presentes em cada uma das cultivares de gerberas amostradas, nao sendo possivel avaliar sua influencia sobre a popualcao de T. urticae. Entretanto, KRIPS et al. (1999) em estudo com gerberas, afirmam que a densidade de tricomas afeta principalmente os inimigos naturais de T. urticae, que sao em geral, acaros predadores da familia Phytoseiidae que, por serem mais ativos do que os acaros fitofagos, tem a sua mobilidade mais fortemente restringida pela presenca de tricomas. Todavia, neste estudo, apenas um individuo pertencente a Phytoseiidae foi registrado ao longo das amostragens, nao sendo constatada interacao tritrofica neste agroecossistema. Com base nos resultados obtidos, considera-se necessaria a continuidade de estudos sobre as relacoes tritroficas entre T. urticae, acaros predadores, a densidade de tricomas e volateis liberados pelas diferentes cultivares de G. jamesonii.

Quanto a preferencia do acaro-rajado por diferentes regioes da planta, a maior quantidade de T. urticae foi registrada nas folhas (6.123 individuos; 58,5%) (t=9.106,00; P=0,006). A diferenca no numero de acaros entre folhas e flores tambem foi significativa na analise independente para cada uma das variedades (Mann-Whitney). t=8.970,00, P=0,016 (ES); t=9.435,50, P=<0,001 (S); t=5.476,00, P=0,033 (PS). A analise das diferencas entre o numero de acaros presentes nas duas regioes amostradas de cada cultivar (flores e folhas) e apresentada na tabela 2. Considerando as variedades e as ocasioes amostrais, em apenas 33,3% das analises registraramse diferencas significativas, o que nao permite uma resposta conclusiva em relacao a maior presenca dos acaros em uma das regioes. Todavia, a preferencia de tetraniquideos por diferentes regioes do hospedeiro foi registrada no que diz respeito a idade das folhas por KRIPS et al. (1998) os quais constataram o tempo de desenvolvimento de ovo a ovo mais curto e o pico de oviposicao mais alto nas folhas novas da cultivar "Sirtake" em detrimento das folhas maduras e nao constaram diferencas significativas ente folhas novas e maduras para estes dois fatores na cultivar "Bianca". Estes autores discutiram a preferencia do acaro-rajado pelas folhas novas devido a diferenca de nutrientes presentes em folhas de diferentes idades, como constatado por KIELKIEWICZ & VAN DE VRIE (1990) que encontraram baixas densidades do acaro-rajado nas folhas jovens em comparacao a folhas maduras de crisantemo (Dendranthrema grandiflora Tzvelev) atribuindo este resultado a alta concentracao de mono e polifenois nas folhas jovens.

O numero medio de T. urticae presente em folhas e flores em cada uma das tres cultivares de gerberas ao longo das amostragens esta representado na figura 1. Todas as cultivares apresentaram maior numero medio do acaro-rajado nos meses de outubro e novembro. Este resultado difere da sazonalidade apresentada por T. urticae em outras ornamentais em ambiente protegido. No caso de algumas asteraceas como a dalia (Dahlia sp.), a margarida (Leucanthemum vulgare Lam.) e o tagetes (Tagetes erecta L.) o acaro-rajado apresentou as maiores populacoes durante o verao, periodo no qual sao, em geral, registrados os otimos de temperatura e umidade relativa do ar relacionados ao curto ciclo de vida destes acaros (DEMIROZER et al., 2011, HAQUE et al., 2011). Segundo JEPPSON et al. (1975), os otimos de temperatura para o rapido desenvolvimento de T. urticae oscilam entre 25 e 27[degrees]C. No presente estudo temperaturas dentro deste gradiente foram registradas nas amostragens de janeiro e fevereiro; desta forma e possivel que o numero de T. urticae registrado neste periodo (verao), 32% menor em relacao a primavera, possa ser atribuido a utilizacao da tecnica de controle com ducha de agua. Essa acao remove os acaros presentes em folhas e flores influenciando diretamente a abundancia registrada. A diminuicao do numero de T. urticae pela utilizacao da ducha de agua tambem foi constado por DEMIROZER et al. (2011) em roseiras, na Turquia.

A distribuicao do acaro-rajado entre as cultivares ao longo dos meses apresentou padrao semelhante, sem diferenca significativa entre S e E, com PS apresentando maior numero medio; com excecao de novembro, quando nao houve diferenca significativa entre as tres variedades (ANOVA, h=4,478; P=0,107) e fevereiro, em que PS e S nao apresentaram diferenca significativa, com a menor quantidade sendo registrada em E (h=16,812; P<0,01). O menor numero medio de T. urticae registrado no inverno (julho e setembro) nas cultivares E e S, pode ser considerado esperado, pois neste periodo as populacoes de acaros tendem a diminuir sua taxa reprodutiva em razao das baixas temperaturas. Este resultado e corroborado pelos estudos de DEMIROZER et al. (2011) e HAQUE et al. (2011) que registraram as menores densidades de T. urticae no inverno. Todavia, a cultivar PS que apresentou o maior numero medio do acaro-rajado em todas as amostragens, registrou a menor media em fevereiro (verao), possivelmente em razao do controle realizado com a ducha de agua.

O tratamento fitossanitario utilizado pelo produtor, no que diz respeito ao controle quimico, foi o mesmo durante todo o periodo de amostragens. E possivel que o controle quimico preventivo de T. urticae, principalmente no que diz respeito aos inseticidas e acaricidas com principios ativos a base de abamectina e milbemectina combinados com aplicacoes semanais de fungicidas, possa estar induzindo a populacao de acaros a resistencia. Esse fato pode ser evidenciado pelo alto numero medio registrado nas gerberas (24,3 acaros/ flor/amostragem e 25,5 acaros/folha/amostragem). Esse numero pode ser considerado alto quando comparado ao numero medio de T. urticae registrado em folhas de roseiras (2,1 acaros/folha/amostragem), que apresentavam injurias ocasionadas por esse acaro, nao tendo sido utilizado nenhum tipo de controle fitossanitario no cultivo (DEMIROZER et al., 2011). Apesar do produtor de gerberas em Dois Irmaos, RS utilizar o sistema de rotacao de ingredientes ativos para evitar a resistencia, de acordo com SATO (2010) em culturas como algodao, mamao, feijao, uva, morango e a ornamental crisantemo, sao necessarios alguns meses sem a aplicacao de abamectina e milbemectina para que se reestabeleca a suscetibilidade de T. urticae a estes principios ativos. O mesmo autor sugere ainda que a aplicacao de acaricidas seja realizada somente quando a populacao atingir niveis que possam causar prejuizo economico, pois favoreceria o manejo da resistencia devido a menor pressao de selecao com os acaricidas. Dessa forma, o controle quimico preventivo de T. urticae aplicado pelo produtor no cultivo de gerberas com aplicacoes semanais, provavelmente possa estar promovendo o desenvolvimento da resistencia dos acaros. Alem disso o uso de produtos nao seletivos aos inimigos naturais nao permite o estabelecimento de predadores, o que pode ser evidenciado atraves do registro de apenas um fitoseideo durante o periodo de amostragens.

Uma tecnica para evitar a resistencia de T. urticae e alternativa a lavagem com ducha em grande escala, que pode se tornar inviavel, seria a utilizacao do controle biologico aplicado com a liberacao massal de acaros predadores das especies Neoseiulus californicus (MacGregor) e Phytoseiulus macropilis (Banks) as quais estao disponiveis no mercado brasileiro e tem-se demonstrado eficientes no controle de acaros em cultivo protegido.

CONCLUSAO

A maior densidade do acaro-rajado foi registrada na cultivar 'Pink Snow'. As cultivares de G. jamesonii nao apresentaram diferencas significativas no numero de T. urticae presentes em folhas e flores. De acordo com a sazonalidade, a maior densidade do acaro-rajado foi registrada nos meses de primavera (outubro e setembro) nas tres variedades. A distribuicao sazonal da especie provavelmente foi influenciada pelas baixas temperaturas no inverno e pelo manejo fitossanitario no verao com a utilizacao da ducha de agua para o controle de T. urticae.

http://dx.doi.org/10.1590/0103-8478cr20131494

AGRADECIMENTOS

A Floricultura Florist, na pessoa do Sr. Yuuki Ban pelo apoio e incentivo a pesquisa cientifica. A Fundacao de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio Grande do Su (FAPERGS), ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciacao Cientifica (PROBIC) e a Fundacao Zoobotanica do Rio Grande do Sul (FZBRS) pela concessao de bolsa de iniciacao cientifica (Processo 11/0418-6) ao primeiro autor.

REFERENCIAS

ARAGAO, C.A. et al. Efeito de aleloquimicos em tricomas foliares de tomateiro na repelencia ao acaro (Tetranychus urticae Koch) em genotipos com teores contrastantes de 2-Tridecanona. Acta Botanica Brasileira, v.16, n.1, p.83-88, 2002. Disponivel em: <http://www.scielo.br.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062002000100010>. Acesso em: 22 out 2013.doi: 10.1590/S0102-33062002000100010.

BAKER, E.W., TUTLLE, D.M. 1994. A guide to the spider mites (Tetranychidae) of the United States. West Bloomfield: Indira Publishing House,1994. 347p.

BUAINAIN, A.M.; BATALHA, M.O. Cadeia produtiva de flores e mel. Brasilia: IICA: MAPA/SPA, 2007. 140p.

DEMIROZER, O. et al. Population fluctuations of some important pests and natural enemies find in Oil-bearing rose (Rosa damascena Miller) production areas in Isparta province (Turkey). Turkish Entomology Dergisi, v. 35, n.4, p.539-558, 2011. Disponivel em: <http://www.entomoloji.ege.edu.tr/files/arsiv/2011_35_4/2011_35_4_539-558.pdf>. Acesso em: 22 out 2013.

DICKE, M. Infochemicals in tritrophic interactions. Origin and function in a system consisting of predatory mites, phytophagous mites and their host plants. 1998a. 235f. Tese (Doutorado em Agricultura) - Agricultural University, Wageningen.

DICKE, M. Prey preference of the phytoseiid mite Typhlodromus pyri: Response to volatile kairomones. Experimental and Applied Acarology, v.4, n.1, p.1-13, 1988b. Disponivel em: <http://link.springer.com/article/10.1007/BF01213837#page-1>. Acesso em: 21 out. 2013. doi: 10.1007/BF01213837.

ESTEVES FILHO, A.B. et al. Biologia comparada e comportamento de Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranyhcidae) e Phytoseiulus macropilis (Banks) (Acari: Phytoseiidae) em algodoeiro Bollgard e Isolinha nao-transgenica. Neotropical Entomology, v.39, n.3, p.338-344, 2010. Disponivel em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1519-566X2010000300005>. Acesso em: 21 out. 2013. doi: 10.1590/ S1519-566X2010000300005.

FERES, R.J.F. et al. Acaros (Arachnida, Acari) de plantas ornamentais na regiao noroeste do estado de Sao Paulo, Brasil: inventario e descricao dos sintomas causados pelos fitofagos. Revista Brasileira de Entomologia, v.53, n.3, p.466-474, 2009. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/rbent/v53n3/24.pdf>. Acesso em: 21 out. 2013.

FISCHER, S.Z. Gerbera. In: BARBIERI, R.L.; STUMPF, E.R.T. (eds). Origem e evolucao de plantas cultivadas. Brasilia: Embrapa Informacao Tecnologica, 2008. 909p.

GALLO, D. et al. Entomologia Agricola. Piracicaba: FEALQ, 2002. 920p.

GONCALVES, L.D. et al. Relacao entre zingibereno, tricomas foliares e repelencia de tomateiros a Tetranychus evansi. Pesquisa Agropecuaria Brasileira, v.41,n.2, p.267-273, 2006.

HAQUE, M. et al. Seasonal abundance of spider mite Tetranychus urticae Koch on vegetable and ornamental plants in Rajshahi. University Journal of Zoology of Rajsahi University, v.30, p.37-40, 2011. Disponivel em: <http://www.banglajol.info/index.php/UJZRU/article.view/10745/7897>. Acesso em: 22 out 2013. doi: http://dx.doi.org/10.3329/ujzru.v30i0.10745.

JANDEL, C. 2007. SigmaStat. San Jose: Jandel Corporation, 2007. V.3.5.

JEPPSON, L. et al. Mites injurious to economic plants. Berkeley: University of California, 1975. 614p.

KIELKIEWICZ, M., DICKE, M. Effects of spider mite infestation on biochemical characteristics of different gerbera cultivars. Proceedings of the 8th International Symposium on Insect-Plant Relationships. In: MENKEN, J.H. et al. (Eds). Dordrecht: Kluwer Acad. Publ. , 1992. p.311-312.

KIELKIEWICZ, M., Van DE VRIE, M. Within-leaf differences in nutritive value and defence mechanism in chrysanthemum to the two-spotted spider mite (Tetranychus urticae). Experimental and Applied Acarology, v. 10, n.1, p.33-43, 1990. Disponivel em: <http://dowload.springer.com/static/pdf/957/art%253A10.1007%FBF01193971.pdf>. Acesso em: 29 set 2014.

KRIPS, O.E. et al. Intrinsic rate of population increase of the spider mite Tetranychus urticae on the ornamental crop gerbera: Intraspecific variation in host plant and herbivore. Entomologia Experimentalis et Applicata, v.89, n.2, p.159168, 1998. Disponivel em: <http://www.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1046/j. 1570-7458.1998.00.395.x /abstract>. Acesso em: 21 out 2013. doi: 10.1046/j.1570-7458.1998.00.395.x.

KRIPS, O.E. et al. Leaf hairs influence searching efficiency and predation rate of the predatory mite Phytoseiulus persimilis (Acari: Phytoseiidae). Experimental and Applied Acarology, v.23, n.2, p.119-131, 1999. Disponivel em: <http://www.link.springer.com/article/10.1023/A%3A1006098410165>. Acesso em: 21 out 2013. doi:10.1023/A:1006098410165.

KRIPS, O.E. et al.. Comparison of cultivars of ornamental crop Gerbera jamesonii on production of spider mite-induced volatiles, and their attractiveness to the predator Phytoseiulus persimilis. Journal of Chemical Ecology, v.27, n.7, p.1355-1372, 2001. Disponivel em: <http://dowload.springer.com/static/pdf/476/art%253A10.1023%53A1010313209110.pdf?auth66=1412185423_6b6dac1d35509a9f0165 31ebf8c6a0da&ext.pdf>. Acesso em: 29 set 2014.

LOURENCAO, A.L. et al. Resistencia de morangueiros a Tetranychus urticae Koch (Acari: Tetranychidae). Anais da Sociedade Entomologica do Brasil, v.29, n.2, p.339-346, 2000. Disponivel em: <http://dx.doi.org/10.1590/S030185592000000300023>. Acesso em: 29 set 2014. doi: 10.1590/S0301-85592000000300023.

MARUYAMA, W.I. et al. Resistencia de genotipos de tomateiro ao acaro rajado. Horticultura Brasileira, v.20, n.3, p.480-484, 2002. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/hb/v20n3/14474.pdf>. Acesso em: 12 fev. 2014.

MATOS, C.H.C. et al. Os tricomas de Capsicum spp. interferem nos aspectos biologicos do acaro-branco Polyphagotarsonemus latus Banks (Acari: Tarsonemidae)? Neotropical Entomology, v. 38, n.5, p.589-594, 2009. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/ne/v38n5a05.pdf>. Acesso em: 29 set. 2014.

MORO, L. B. et al. Parametros biologicos e tabela de vida de Tetranychus urticae (Acari: Tetranychidae) em cultivares de mamao. Ciencia Rural, v. 42, n.3, p.487-493, 2012. Disponivel em:<http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782012000300016>. Acesso em: 29 set. 2014. doi: 10.1590/S0103-84782012000300016.

PALLINI, A. et al. Odour-mediated responses of phytophagous mites to conspecific and heterospecific competitors. Oecologia, v.110, p.179-185, 1997. Disponivel em: <http://link.springer.com/article/10.1007/s004420050147>. Acesso em: 21 out 2013. doi: 10.1007/s004420050147.

PALLINI, A. et al. Infoquimicos de acaros mediando interacoes em teias alimentares. In: VILELA, E.F.; DELLA LUCIA, T.M.C. (Eds). Feromonios de insetos. Biologia, quimica e aplicacao. Ribeirao Preto: Holos, 2001. p.113-120.

SANTOS, R.M.V. et al. Acaros (Arachnida: Acari) associados a plantas ornamentais tropicais na regiao litoral sul da Bahia. Arquivo Instituto Biologico, v.77, n.1, p. 43-48, 2010. Disponivel em: <http://www.biologico.sp.gov.br/docs/arq/v77_1/santos.pdf>. Acesso em: 21 out 2013.

SATO, M.E. Manejo da resistencia do acaro rajado em culturas. IRAC- BR, Folder. 2010. Disponivel em: <http://www.irac-br.org.br/Arquivos/Folder>. Acesso em: 21 fev. 2014.

SCHWERTNER, C. Controle do Acaro rajado (Tetranychus urticae Koch) na cultura de gerberas (Gerbera jamesonii Adlam) em estufa. 2012. 76f. Dissertacao (Mestrado em Ambiente e Desenvolvimento), UNIVATES, Lajeado, RS.

SEBRAE. Diagnostico da cadeia produtiva de flores e plantas ornamentais do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Vangraf, 2003. 159p.

SEBRAE. Mercado de flores e plantas movimenta R$ 3,8 bilhoes no pais. Disponivel em: <http://www.agenciaseabre.com.br/noticia.kmf?canal=199&cod=10808941>. Acesso em: 21 out 2013.

SENAPATI, A.K. et al. Genetic variability and heritability studies on Gerbera jamesonii Bolus. African Journal of Agricultural Research, v.8, n.41, p.5090-5092, 2013. Disponivel em: <http://www.academicjournals.org/article/article1382093353_Senapati%20et%20al.pdf>. Acesso em: 29 set 2014. doi: 10.5897/AJAR2013.8038

SILVA, E.A. et al.. Tetranychus urticae (Acari: Tetranychidae) on Gerbera jamesonii Bolus and Hook (Asteraceae). Brazilian Journal Biology, v.69, n.4, p.1121-1125, 2009. Disponivel em: <http://www.scielo.br/pdf/bjb/v69n4/v69n4a16.pdf>. Acesso em: 21 out 2013. doi: 10.1590/S1519-69842009000500016.

STAVRINIDES, M.C., SKIRVIN, D.J. The effect of chrysanthemum leaf trichome density and prey spatial distribution on predation of Tetranychus urticae (Acari: Tetranychidae) by Phytoseiulus persimilis (Acari: Phytoseiidae). Bulletin of Entomological Research, v.93, n.4, p.343-350, 2003. Disponivel em: <http://journals.cambridge.org/dowload.php?file=%2FBER%2FBER93_04%FSF000748533000415a.pdf&code=b76900bbb144d785ae713db4 08d36660>. Acesso em: 29 set 2014. doi: 10.1079/BER2003243.

SUTERLIN, S., VAN LETEREN, J.C. Influence of hairiness of Gerbera jamesonii leaves on the searching efficiency of the parasitoid Encarsia formosa. Biological Control, v.9, p.157-165,1997. Disponivel em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1049964497905302#>. Acesso em: 21 out 2013.

TAKABAYASHI, J. et al. Variation in composition of predator-attracting allelochemicals emitted by herbivore-infested plants: relative influence of plant and herbivore. Chemoecology, v.2, p.16, 1991. Disponivel em: <http://link.springer.com/journal/49/2/1/page/1>. Acesso em: 21 out 2013. doi:10.1007/BF01240659.

VILELA, E. F. Acaros Tetranychoidea (Acari) do municipio de Vicosa, Estado de Minas Gerais. 1975. 39f. Dissertacao (Mestrado em Agronomia) - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" da Universidade de Sao Paulo, Piracicaba, SP.

ZHANG, Z. Mites of greenhouses: identification, biology and control. Cambridge: CABI Publishing, 2003. 244p.

WATANABE, MA. Fatores que influenciam a ocorrencia de acaros em flores de Lantana camara L. Jaguariuna: Embrapa Meio Ambiente, 2007. 24p.

Manuela Sulzbach (I) Ricardo Ott (II) Gilmar SchaferI Ana Paula Ott (I) *

(I) Programa de Pos-graduacao em Fitotecnia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), 90540-000, Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: ana.ott@ufrgs.br. *Autor para correspondencia.

(II) Museu de Ciencias Naturais, Fundacao Zoobotanica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Recebido 07.11.13 Aprovado 13.08.14 Devolvido pelo autor 28.11.14 CR-2013-1494.R3

Tabela 1 - Numero medio de Tetranychus urticae em flores e folhas de
tres cultivares de Gerbera jamesonii, no periodo de abril de 2011 a
fevereiro de 2012, no municipio de Dois Irmaos, RS, Brasil.

Data                Regiao      'Essandre'

Abril/2011          Flores         13,9a
                    Folhas         7,6a
Junho/2011          Flores         2,7a
                    Folhas         8,9a
Julho/2011          Flores         0,2a
                    Folhas         1,9a
Setembro/2011       Flores         0,1a
                    Folhas         0,8a
Outubro/2011        Flores         3,20a
                    Folhas         16,4a
Novembro/2011       Flores         33,4a
                    Folhas         52,3a
Janeiro/2012        Flores         14,0ab
                    Folhas         14,5ab
Fevereiro/2012      Flores         0a
                    Folhas         15,1a

Data              'Pink Snow'    'Sarinah'

Abril/2011           38,6b         10,7a
                     37,1b         11,8a
Junho/2011           45,2b         0,5a
                     50,4b         11,7a
Julho/2011           11,3b         0,4a
                     23,7b         3,3a
Setembro/2011        9,4b          0,8ab
                     26,1b         1,7a
Outubro/2011         90,0b         22,4a
                     66,6b         27,8a
Novembro/2011        49,8b         27,7a
                     70,9b         68,5a
Janeiro/2012         29,0b         2,7a
                     47,0b         15,4ab
Fevereiro/2012       0,5b          11,1a
                     20,1a         12,7a

Valores nas linhas seguidos pela mesma letra nao sao significativos
de acordo com ANOVA (P<0,05) e Kruskall-Wallis (Tukey) (P<0,05).

Tabela 2 - Numero medio de Tetranychus urticae por regiao da planta
em tres cultivares de Gerbera jamesonii, no periodo de abril de 2011
a fevereiro de 2012, no municipio de Dois Irmaos, RS, Brasil.

                  --'Essandre'--    --'Pink Snow'--

Data               Flor    Folha     Flor    Folha

Abril/2011        13,9a    7,6a     38,6a    37,1a
Junho/2011        2,7a     8,9b     45,2a    50,4a
Julho/2011        0,2a     1,9a     11,3a    23,7a
Setembro/2011     0,1a     0,8b     9,4a     26,1a
Outubro/2011      32,0a    16,4a    90,0a    66,6a
Novembro/2011     33,4a    52,3a    49,8a    70,9a
Janeiro/2012      14,0a    14,5b    29,0a    47,0b
Fevereiro/2012    0a       15,1b    5,8a     20,1a

                  --'Sarinah'--

Data               Flor    Folha

Abril/2011        10,7a    11,8a
Junho/2011        0,5a     11,7b
Julho/2011        0,4a     3,3a
Setembro/2011     0,8a     1,7b
Outubro/2011      22,4a    27,8a
Novembro/2011     27,7a    68,5b
Janeiro/2012      2,7a     15,4a
Fevereiro/2012    11,1a    12,7b

Valores nas linhas para cada variedade, seguidos por letras iguais
nao diferem estatisticamente de acordo com o Teste t de Student
(P<0,05) e Mann-Whitney (P<0,05).
COPYRIGHT 2015 Universidade Federal de Santa Maria
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2015 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:texto en portugues
Author:Sulzbach, Manuela; Ott, Ricardo; Schafer, Gilmar; Ott, Ana Paula
Publication:Ciencia Rural
Date:Apr 1, 2015
Words:4607
Previous Article:Thrips collected in watermelon crops in the semiarid of Rio Grande do Norte, Brazil/Tripes coletados na cultura da melancia no semiarido do Rio...
Next Article:Allogeneic bone graft devitalized in liquid nitrogen--sheep experimental study/Aloenxerto osseo cortical desvitalizado com nitrogenio liquido--estudo...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters