Printer Friendly

AVALIACAO DA INFLUENCIA NUTRICIONAL NAS ATIVIDADES DE ATLETISMO, NATACAO E FUTEBOL DA ACADEMIA DA FORCA AEREA BRASILEIRA (AFA): UMA ABORDAGEM UTILIZANDO FOCUS GROUP/Evaluation of nutritional influence in athletics, swimming and soccer activities from Brazil Air Force Academy: an approach using Focus Group.

INTRODUCAO

O grande aporte atual de pesquisas sobre o papel da nutricao no exercicio e no esporte ja nao deixam duvidas de que a nutricao exerce papel vital no desempenho atletico.

O padrao alimentar focado em calorias preconiza o patamar de 2.800 kcal para homens, com atividade fisica intensa, e adolescente do genero masculino.

No entanto, os alimentos contem combinacoes de nutrientes e outras substancias saudaveis. Isso implica em dizer que nenhum alimento, por si so, pode suprir todos os nutrientes, nas quantidades de que se necessita, para a realizacao de uma determinada atividade fisica (Biesek, Alves e Guerra, 2010).

A Academia da Forca Aerea Brasileira (AFA), instituicao que forma os Oficiais da Forca Aerea Brasileira (FAB), nos campos da aviacao, intendencia e infantaria, prima pela higidez fisica dos militares.

Atividades esportivas de grande desempenho fisico sao estimuladas durante os quatro anos de formacao do cadete, atraves da Secao de Educacao Fisica (SEF), como forma de manutencao do ritmo energetico biofisico que se deseja impingir no militar (Comando da Aeronautica, AFA, 2017).

Atletismo, natacao e futebol, entre outras modalidades, sao exemplos de atividades desportivas de alto consumo energetico praticado na AFA, inclusive com proposito olimpico, dentro e fora do ambito militar.

No entanto, nao se conhece se a educacao nutricional associada aos cadetes praticantes de atividade fisica se mostra suficientemente adequada para um programa de controle mais especifico de resultados desportivos baseados em evidencias eficazes.

Todavia, os teoricos do esporte sao unanimes em afirmar que os alimentos podem ser usados em qualquer tipo de dieta, o que muda e a quantidade indicada para cada objetivo especifico, pois a prescricao da dieta vem sempre atrelada a fonte de energia e nutrientes que os componentes nela inseridos podem oferecer, como: antioxidantes, fibras, gorduras boas, carboidratos de baixo indice glicemico e proteinas de alta qualidade (FAO/WHO, 1998).

Buscar o dominio de uma dieta compativel as exigencias do sobre-esforco necessario ao condicionamento fisico pertinente a uma modalidade desportiva especifica vem sendo fruto de pesquisas e de altos investimentos no campo da nutricao desportiva.

Nos grandes centros, estabelecimentos e instituicoes preparadoras do condicionamento fisico focal, ja nao se medem esforcos para investir na educacao da contribuicao do valor nutricional no computo da meta final a ser perseguida pelo praticante (Aramuni e colaboradores, 2010).

Nesse contexto, o principal objetivo desse trabalho foi avaliar o conhecimento e opinioes dos cadetes da AFA, praticantes de algumas modalidades esportivas: atletismo, natacao e futebol, quanto a sua alimentacao e nutricao para essas atividades fisicas, utilizando uma abordagem qualitativa de Focus Group.

MATERIAIS E METODOS

O presente estudo foi delineado como pesquisa exploratoria qualitativa, atraves da tecnica do grupo focal (Focus Group).

De Acordo com Almeida (2016), a tecnica de Focus Group (FG) comecou a ser aplicada no final da decada de 1940, e desde entao vem sendo adaptada a varios tipos de abordagem--exploratoria, teorica, aplicada, clinica, entre outros.

E uma tecnica na qual o observador precisa se inserir no contexto dos participantes a serem observados em um determinado grupo, a fim de analisar o comportamento deles, no tempo e espaco preestabelecidos.

Foram realizadas 3 sessoes de aproximadamente 60 minutos cada, sendo cada sessao um grupo. Os grupos foram formados por participantes dentro da maxima homogeneidade funcional possivel, para cada modalidade desportiva em questao.

Foram excluidos os casos pessoais de interesse comum, por amizade, familiaridade ou qualquer outro vinculo que pudesse permitir vieses na discussao. Cada grupo, contendo 6 participantes, formados exclusivamente por cadetes da AFA, pareados, nas tres modalidades esportivas em questao: 1[degrees] Grupo de atletismo, 2[degrees] Grupo de natacao e 3[degrees] Grupo de futebol, onde foi aplicado o roteiro das sessoes, que se trata de um guia exploratorio utilizado por um moderador durante as sessoes em grupo.

Guia de Discussao--roteiro exploratorio

Aquecimento--(10 min)

Explicacao da Dinamica do Estudo (a opiniao de todos e importante, nao existe certo e errado, falar um de cada vez para podermos entender todos, desligar celulares, etc) Por que estao aqui?

Pode ser que seja mais grosseiro, cortar alguem, nao deixar o assunto descambar etc. Gravacao e confidencialidade Apresentacao dos participantes

1. Perguntas gerais: como forma de comecar. O que e uma alimentacao saudavel para voce? E possivel ter uma alimentacao saudavel durante a vida academica na AFA? O que voce acha do cardapio servido no rancho? Como voce considera que isso poderia ser melhorado?

2. Questoes sobre a modalidade de esportes e alimentacao Falando da modalidade de esporte__. O que e? Quais nutrientes que voces acreditam que sejam perdidos durante a atividade? Como seria a reposicao? Se faz necessaria? Como e alimentacao de voces pre e pos treino? Na sua opiniao, e necessario ter uma alimentacao diferenciada para praticar essa modalidade? Se existe, qual seria? Consomem suplementos? Se sim, e necessario? Voces acreditam que o cardapio do rancho atende a necessidade nutricional dos atletas dessa modalidade de esporte? Para encerrar a discussao: Na opiniao de voces, qual seria o cardapio ideal para esses atletas?

A tecnica foi pautada por um agente moderador que deu desenvoltura a conversacao para direcionar o debate no sentido das questoes a serem levantadas, em ambiente fechado com somente os participantes, um moderador e um agente observador, o qual so assistiu para contribuicao na analise dos resultados.

Os dados obtidos sao de natureza qualitativa, dessa forma nao foram avaliados resultados estatisticos. Gravacao por audio e video foram realizados, com autorizacao dos participantes, de forma a contribuir com a avaliacao dos resultados. A analise dos dados qualitativos foi interpretada de acordo com Escobar e Bonilla-Jimenez (2009), foram consideradas todas as opinioes, palavras, ideias das respostas e comentarios dos participantes.

O estudo foi aprovado pelo Comandante da Academia da Forca Aerea Brasileira e pelo Comite de Etica e Pesquisa da Universidade Federal de Sao Carlos do Estado de Sao Paulo, protocolo CAAE: 12630919.2.0000.5504. Todos os avaliados assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE).

RESULTADOS

Os resultados obtidos foram baseados no guia exploratorio usado pelo moderador nas tres diferentes sessoes do Focus Group.

A primeira informacao obtida foi relacionada sobre "alimentacao saudavel e cardapio do rancho": Todos os participantes dos diferentes grupos (modalidades) demonstraram ter conhecimento do que e uma alimentacao saudavel, descreveram como alimentos saudaveis: variedades de nutrientes, com proteinas, carboidratos, legumes e verduras.

Nos grupos das modalidades de futebol e natacao, ambos definiram sobre o aspecto de nao saudabilidade ingerir nutrientes em excesso, mesmo os considerados de valor nutricional.

Quanto a questao de ser possivel ter uma alimentacao saudavel durante a vida academica na AFA, o grupo de futebol definiu que sim, a partir do 3[degrees] ano, uma vez que, temse a facilidade de armazenar os alimentos nos alojamentos.

Para os grupos de natacao e atletismo foi considerado que algumas refeicoes como o cafe da manha e almoco seriam equilibrados nutricionalmente, entretanto, o cardapio do jantar, normalmente, possui muitos alimentos processados, os quais foram considerados nao saudaveis, como exemplos: salsicha, hamburguer, linguica, almondega, steak de frango, pejorativamente chamado de "chinelao" (alusao tipica a sola de calcado).

Outros pontos foram levantados pelo grupo de futebol, como o cardapio da ceia o qual foi definido como insuficiente para as atividades exercidas na rotina do cadete. O mesmo grupo de futebol comentou que o intervalo entre uma e outra refeicao e desfavoravel, por ser superior ao que deveria ser realizado.

Na AFA, o cardapio preconiza tres refeicoes basicas e um lanche de conveniencia (ceia). Toda a rotina alimenticia dos cadetes esta previamente estabelecida e publicada em documentacao interna.

Assim, o intervalo entre as refeicoes principais pode superar a 4h30min no primeiro turno e a 5h30min no segundo turno do dia (Comando da Aeronautica, AFA, 2014).

Do ponto de vista do grupo de atletismo o cardapio servido no rancho atende as necessidades nutricionais dos cadetes, embora, muitas vezes, o aspecto dos alimentos sao considerados pelos cadetes como nao atrativos, causando-lhes aversao; dessa forma, os usuarios deixam de se alimentar e buscam outras fontes de alimentos, como produtos industrializados (os citados foram: lasanha pronta e macarrao instantaneo) ou alimentos de cantina, lanchonetes que oferecem refeicoes ou lanches.

De forma geral, os cadetes afirmaram que o cardapio servido nas refeicoes poderia ser melhorado quanto a variedade oferecida, afirmaram que toda semana tem as mesmas ofertas de alimentos, alterando somente os dias da semana. Ou ate mesmo sempre e oferecido o mesmo "prato" de salada nao havendo variacao de legumes e verduras.

Quanto a questao levantada da "modalidade de esporte e alimentacao": Durante as entrevistas realizadas, os tres grupos revelaram praticar uma modalidade de alto gasto energetico e que sentem necessidade de ingerir alguns alimentos especificos pre e pos treino para reposicao dos nutrientes perdidos.

Quanto a alimentacao, o grupo de atletismo demonstrou sentir falta do consumo de alimentos energeticos anteriormente ao treino como: mel, barra de cereal, maltodextrina, pois precisa-se de muita energia para desempenhar bem a referida modalidade. Em relacao a alimentacao postreino, os cadetes acreditam que se deva consumir proteinas, carboidratos e verduras que nao disponham de muita gordura.

Os participantes do grupo de natacao apresentaram sua opiniao em relacao a necessidade de se alimentar melhor no postreino, consumindo alimentos como: arroz, feijao, carne sem gordura, macarrao e vegetais, tendo em vista que sentem muita fome apos a realizacao do exercicio e, tambem, acreditam que nao se exige uma alimentacao especifica no pre-treino, somente alguma fruta ou barra de cereal.

Todos os tres grupos mencionados concordaram que os atletas dessas modalidades necessitam de uma refeicao diferenciada devido a alta demanda energetica dos esportes de natacao, atletismo e futebol, porem foi ressaltado, muitas vezes, que o refeitorio da AFA talvez nao tenha conseguido suprir as necessidades nutricionais dos atletas, em vista a grande quantidade de cadetes que praticam modalidades esportivas.

Foi mencionado nos tres grupos que nenhum deles eram orientados por alguem quanto ao consumo alimentar para um melhor desempenho no esporte e que os cadetes se alimentam conforme o que eles acham correto.

Durante as sessoes foi levantado o assunto sobre a necessidade do consumo de suplementos alimentares para incrementar a alimentacao, os participantes dos tres grupos salientaram que a suplementacao demanda muito custo financeiro e que os cadetes nao conseguem manter uma rotina com a ingestao de suplementos, porem afirmaram que, com a devida orientacao de um profissional, a suplementacao pode ajudar no alcance de melhores resultados dentro das modalidades e, tambem, saciar a vontade de consumir "besteiras" (alusao a alimentos nutricionalmente pobres, como as guloseimas).

Quando questionados sobre o cardapio ideal para a referida modalidade, o grupo de atletismo sugeriu que o cafe da manha e o almoco mantivessem os mesmos que ja sao proporcionados e que antes da educacao fisica seja distribuido alimentos como: rapadura, mel, barra de cereal, para propiciar a energia necessaria ao treino. Para a refeicao do jantar, os cadetes acreditam que seja melhor consumir proteinas nao gordurosas, sanduiches naturais, verduras e carboidratos.

O grupo de futebol mencionou que o cafe da manha e bem regrado e possui todos os nutrientes necessarios, porem sugeriram que se distribua alguns alimentos entre o intervalo do cafe da manha e do almoco como: pao, iogurte, vitamina, barra de cereal, o que faria com que os cadetes evitassem comer "besteiras" na lanchonete. O almoco agrada a todos do grupo. Antes da educacao fisica, enfatizaram, a importancia de ter alimentos como: vitamina, mais de uma fruta e aveia, para terem energia. Apos o treino de futebol, sugeriram a disponibilidade de repositores eletroliticos e, na refeicao do jantar, propuseram o consumo de alimentos que nao pesam muito no estomago como: proteina, verduras, arroz, feijao e legumes. O enfoque do grupo foi na refeicao da ceia a qual sugeriram ter os seguintes alimentos: fruta, sanduiches e vitamina.

Os participantes do grupo de natacao tambem concordaram que o cardapio do refeitorio na parte do cafe da manha e do almoco atende as necessidades nutricionais dos atletas de natacao. Antes da educacao fisica, propuseram a disponibilidade de alimentos como: barra de cereal e frutas. Os cadetes enfatizaram a importancia de uma alimentacao mais completa na refeicao do jantar, pois apos o treino sentem muita fome e sugeriram: macarrao, variedade de carboidratos, arroz, feijao e proteinas sem gordura.

DISCUSSAO

Referente ao contexto do cardapio do rancho e as informacoes obtidas nos resultados dos Grupos Focais, notou-se que a maioria dos entrevistados consideram algumas refeicoes equilibradas nutricionalmente, como o cafe da manha e o almoco.

Entretanto o jantar e a ceia foram os citados, na sua maioria, como cardapios que ainda precisam de melhor diversidade. Alem desse ponto, o intervalo entre as refeicoes desses atletas foi compreendido como de longa duracao.

A Organizacao Mundial da Saude (OMS, 2010) sugere um intervalo de 3h30min, entre as refeicoes. Brasil e colaboradores (2009) recomendam a nutricao basica de seis refeicoes diarias, nao sendo aconselhavel concentrar a alimentacao em poucas refeicoes.

E, Minderico (2016), embora alerte para a individualizacao do suporte nutricional, tanto para a atividade desportiva, quanto para as caracteristicas proprias do atleta, cientifica que atletas em treino intensivo ou que fazem varios exercicios diarios podem precisar de mais de tres refeicoes e tres lanches diariamente, devendo considerar todas as ocasioes possiveis para um aporte nutricional.

Esses atletas devem considerar comer perto do fim do treino, ou seja, consumir mais um lanche durante a tarde ou um lanche substancial antes de dormir.

Nesse contexto, para manter um bom equilibrio na dieta dos cadetes atletas pode-se recomendar o uso do Guia Alimentar para a Populacao Brasileira (2014), do Ministerio da Saude, o qual preconiza um cardapio modelo, ilustrando como alimentos processados podem ser integrados a refeicoes com base em alimentos in natura ou minimamente processados.

Segundo o guia citado, no cafe da manha, frutas e cafe com leite sao presencas ja consideradas constantes para essa primeira refeicao do dia no lar do brasileiro, sendo possivel a substituicao de frutas por sucos naturais. Consumo de preparacoes a base de cereais ou de tuberculos e de ovos, alem das preferencias regionais para tapioca, cuscuz, bolo de milho, paes e queijo podem fazer parte dessa primeira refeicao (Ministerio da Saude, 2014).

Seguindo-se a orientacao do guia, no almoco, a mistura de feijao com arroz serve a quase todos os gostos. Lentilha pode ser substituto para feijao, assim como farinha de mandioca para o arroz; alem de preparacoes a base de milho (angu e polenta) como acompanhamento. Verduras ou legumes devem estar presentes em todos os almocos.

Os tipos mais tradicionalmente recomendados sao alface, tomate, acelga, couve, repolho, abobora, beterraba, quiabo, berinjela, jilo; em diversas formas de preparo, crus em saladas ou em preparacoes cozidas ou refogadas. Carnes vermelhas (de gado ou de porco) devem ser priorizadas em cortes magros e preparacoes grelhadas ou assadas.

Carnes vermelhas podem ser substituidas e/ou alternadas por preparacoes grelhadas, assadas ou ensopadas de frango ou peixe, ovos (omelete) ou legumes (abobora com quiabo). Destaca-se tambem a presenca alternada de frutas e doces caseiros de sobremesas (Ministerio da Saude, 2014).

Para a janta, o guia orienta a combinacao de feijao e arroz como tipica, alem da combinacao de macarrao servido com frango. Legumes e verduras sao convenientes, por vezes crus, na forma de saladas, cozidos ou refogados, acompanhando o feijao com o arroz; e, ainda, utilizados no preparo de sopas. Carnes de boi ou de porco devem ter consumo comedido, alternando-as por frango, peixe, ovos e varios tipos de preparacoes de legumes e verduras. As Frutas como sobremesas ou como parte do jantar e a melhor opcao (Ministerio da Saude, 2014).

Alem das refeicoes principais (cafe da manha, almoco e jantar), o guia preve as pequenas refeicoes como necessarias, dependendo da fase de desenvolvimento e do esforco despendido em atividades fisicas.

Frutas frescas ou secas sao excelentes alternativas, bem como, leite, iogurte natural; e castanhas ou nozes, na medida em que sao alimentos com alto teor de nutrientes, e grande poder de saciedade, alem de serem praticos para transportar e consumir (Ministerio da Saude, 2014).

Assim, embora o teor da natureza alimentar do cardapio da AFA nao difira muito do que preconiza o Guia Alimentar referenciado, o arranho nutricional e o intervalo entre refeicoes na academia nao acompanham o que vem preconizado nesse escopo de diretrizes nutricionais do Ministerio da Saude.

Na fala dos cadetes, o cafe da manha e a refeicao que mais se aproxima das necessidades funcionais de uma atividade fisica intensa, em contrapartida, a janta e a que mais se afasta, em virtude da grande frequencia em oferta de alimentos altamente processados.

Carencia no aporte nutricional de intervalo entre as refeicoes, tambem e um fator a ser considerado no ambito da AFA.

No contexto de modalidade de esporte e alimentacao, durante as sessoes realizadas, evidenciou-se que os tres grupos de diferentes modalidades necessitam de maior orientacao nutricional para melhorar rendimento no seu esporte.

Na modalidade de atletismo de resistencia em treinos longos ou em corridas de meia-maratona, maratona e ultramaratonas, necessitam de supercompensacao por carboidratos com o objetivo de maximizar os depositos de glicogenio, o que, segundo a literatura, pode ser benefico para atletas em exercicio continuo por 90 a 120 minutos.

O modelo de supercompensacao mais bem aceito pelos atletas e o que nao submete o organismo a deplecao total do glicogenio, traduzindo mais conforto fisiologico e psicologico (Bogea, 2005).

No pre-exercicio, o fornecimento de carboidratos de baixo indice glicemico (IG) e favoravel ao desempenho atletico, resultando na sintese de glicogenios muscular e hepatico e na contribuicao direta da glicose sanguinea circulante. Uma refeicao pre-evento (1h) com 2,5 g/kg de peso de carboidrato de IG moderado pode melhorar o desempenho em corridas de velocidade e treinos de intensidade (Bogea, 2005).

Durante o exercicio, o ritmo de utilizacao dos substratos energeticos pode ser alterado se for fornecida uma via alternativa durante a atividade, como o uso de carboidratos via oral.

No caso especifico do atletismo, fundistas normalmente consomem bebidas hidroeletroliticas e saches de carboidrato em gel durante treinos e competicoes com duracao superior a 90 minutos.

Geralmente o consumo indicado e de 120/150 ml de bebidas com 6 a 8% de concentracao de carboidratos mistos, a cada 15 a 20 minutos do evento e de 1 sache a cada 40 a 50 minutos, mas deve ter o aval da nutricao para cada atleta (Bogea, 2005).

Como refeicao pos-treino, de acordo com a literatura o atleta, de forma geral, e orientado a ingerir alimentos com alto IG, como bebidas energeticas especificas, muitas vezes compostas por uma solucao de carboidrato e proteina (4:1), sucos com elevado teor de carboidrato, bananadas, goiabadas, sanduiches com geleia, bolachas, entre outros. Essa pequena refeicao deve ser consumida o mais rapido possivel apos o termino da atividade, de preferencia no local de treino (Bogea, 2005).

Em relacao ao grupo de futebol, o qual expos sua opiniao sobre a necessidade de alimentos energeticos, em relacao a esse conceito gasto energetico de um jogador de futebol e estimado em 1.360kcal/jogo.

As atividades do segundo tempo sao 5% menores que as do primeiro, com variacoes diretamente relacionadas com os niveis do glicogenio muscular pre-jogo (Guerra, Soares e Burini, 2001).

Para atletas do futebol, as refeicoes oferecidas antes de treinos e de jogos tem como objetivo abastecer os estoques de glicogenio muscular, restaurar os estoques de glicogenio hepatico, especialmente quando o evento ocorre pela manha, ocasiao em que os estoques estao esgotados devido ao jejum da noite, assegurar que o jogador esteja bem hidratado, prevenir a fome e o desconforto gastrintestinal, incluir alimentos e praticas alimentares que sejam importantes para o psicologico do jogador e suas supersticoes e fornece energia para o exercicio. Na poscompeticao deve-se ficar atento a reposicao dos estoques de glicogenio muscular e dos liquidos perdidos pelo suor durante o jogo (Guerra, 2005).

Na modalidade de natacao, esses atletas questionaram sua a necessidade de melhoria na alimentacao pos-treino. Na natacao, pelo fato de a modalidade ser praticada dentro da agua, pode haver uma maior dificuldade em se consumir alimentos durante a pratica esportiva. O foco nutricional reside tanto no consumo energetico como na distribuicao de macronutrientes e suprimento de micronutrientes, em especial ferro, calcio e zinco (Schtscherbyna,2005).

Segundo Schtscherbyna (2005), antes do exercicio, o consumo de alimentos com baixo IG deve ser priorizado, devido ao ritmo mais lento de sua absorcao, permitindo uma elevacao lenta e constante da glicemia durante a pratica esportiva, o que interfere positivamente no desempenho.

Durante o exercicio, a frequencia do fornecimento do carboidrato (30 a 60 g por hora de exercicio) parece contribuir de forma bastante eficaz para a manutencao da glicemia ao longo da pratica esportiva.

Assim, na pratica, bebidas esportivas carboidratadas ou saches de gel de carboidrato sao consumidos em pequenos intervalos ao longo do treinamento da natacao, apesar de ambos terem alto IG. Durante as competicoes, o consumo de carboidrato ao longo da prova torna-se impossivel, aumentando a importancia do seu consumo adequado apos os eventos competitivos (Schtscherbyna, 2005).

No pos-competicoes ou treinamentos, e consenso que devem ser consumidos alimentos com alto IG no sentido de otimizar a recuperacao dos estoques de glicogenio muscular, em especial nas primeiras horas apos o exercicio, quando a enzima glicogenio sintetase encontra-se mais ativa. Recomendase a ingestao de 1,0 a 1,5 g/kg de peso corporal de carboidrato nos primeiros 30 minutos e, novamente a cada 2 horas, durante 4 a 6 horas apos o exercicio (Schtscherbyna, 2005).
Quadro 1 - Sugestao de cardapio aos atletas praticantes das atividades
de natacao, futebol e atletismo da AFA.

Cardapio   Natacao com          Futebol com base        Atletismo com
           base em 4500 kcal    Em 3900 kcal            base em 3500
                                                        kcal

Cafe da    1 xic. cafe c/leite  1 xic. cafe             1 xic. cafe
manha      2 fatias de          c/leite                 c/ leite
           pao integral         2 fatias de             2 fatias de
           1 colher de          pao integral            pao integral
           sopa de requeijao    1 colher de             1 colher de sopa
           2 fatias media       sopa de requeijao       de requeijao
           de presunto          1 fatia media           1 fatia media
           1 fatia grande       de presunto             de presunto
           de mamao             1 fatia grande          1 fatia media
           2 colheres de        de mamao                de mamao
           sopa de aveia        2 colheres de           2 colheres de
                                sopa de aveia           sopa de aveia
Lanche da  1 banana grande      1 banana grande         1 banana grande
manha      3 colheres de        2 colheres de
           sopa de granola      sopa de granola
Almoco     7 colheres de        7 colheres de           6 colheres de
           sopa arroz integral  sopa arroz integral     sopa de arroz
                                                        integral
           1 [1/2] concha       1 [1/2] concha          1 concha media
           media de feijao      media de feijao         de feijao
           2 colheres de        2 colheres de           2 colheres de
           sopa de farofa       sopa de farofa          sopa de farofa
           1 fatia grande de    1 fatia grande de       1 fatia grande
           carne bovina assada  carne bovina assada     de carne bovina
                                                        assada
           4 colheres de        3 colheres de           3 colheres de
           sopa de abobora      sopa de abobora         sopa de abobora
           Salada:              Salada:                 Salada:
           4 colheres de        3 colheres de           3 colheres de
           sopa de beterraba    sopa de beterraba       sopa de
                                                        beterraba
           6 fatias medias      6 fatias medias         6 fatias medias
           de tomate            de tomate               de tomate
           Alface a vontade     Alface a vontade        Alface a
           [1/2] colher de      [1/2] colher de         vontade
           sopa de azeite       sopa de azeite          [1/2] colher de
           Sobremesa:           Sobremesa:              sopa de azeite
           1 maca grande        1 maca grande           Sobremesa:
                                                        1 maca media
Lanche da  1 copo/300ml de      1 copo/300 ml de        1 copo/300ml de
tarde      vitamina de abacate  vitamina de abacate     vitamina de
                                                        abacate
           6 biscoitos
           de coco
Jantar     7 colheres de        6 colheres de           6 colheres de
           sopa de              sopa de arroz integral  sopa de arroz
                                                        integral
           arroz integral       1 [1/2] concha          1 concha media
           1 [1/2] concha       media de lentilha       de lentilha
           media de lentilha    1 peito grande          1 peito grande
           1 peito grande       de frango assado        de frango assado
           de frango assado     3 colheres de           3 colheres de
           4 colheres de        sopa de abobrinha       abobrinha
           sopa de abobrinha    refogada                refogada Salada:
           refogada             Salada:                 3 colheres de
           Salada:              3 colheres de           sopa de cenoura
           4 colheres de        sopa de cenoura         2 colheres de
           sopa de cenoura      3 colheres de           sopa de repolho
           4 colheres de        sopa de repolho         [1/2] colher de
           sopa de repolho      [1/2] colher de         sopa de azeite
           [1/2] colher de      sopa de azeite          Sobremesa:
           sopa de azeite       Sobremesa:              1 laranja media
           Sobremesa:           1 laranja grande
           1 laranja grande
Ceia:      1 pote de iogurte    1 pote de iogurte       1 pote de
           de morango           de morango              iogurte de
           4 biscoitos                                  morango
           de gergelim


Baseado nessas informacoes, buscouse nesse trabalho sugerir um cardapio elaborado (Quadro 1), especialmente como exemplo, para as modalidades de natacao, futebol e atletismo, fixando-se como parametros de consumo de calorias, 4500 kcal, 3900 kcal e 3500 kcal, respectivamente, utilizando como parametros a literatura e um profissional na area de nutricao (Domingos, 2018).

Os parametros caloricos, aqui, abordados, estimam as necessidades de consumo nutricional aquem dos centros de referencias para atividades desportivas de alto rendimento, mas superam aos de atividades esportivas por lazer, condicao, assim, mais apropriada ao ambiente da AFA.

CONCLUSAO

Os resultados evidenciaram uma uniformizacao no conhecimento dos atletas de todas as modalidades esportivas trabalhadas, quanto as necessidades ideais de consumo nutricional para um rendimento desportivo efetivo.

Na visao geral dos atletas, os cardapios do cafe da manha e do almoco, oferecido pela academia, sao os mais proximos para uma plena eficiencia desportiva.

Contudo, o cardapio da janta e insuficiente, principalmente, nos criterios de origem e especificidade da alimentacao ofertada, sendo os alimentos, em sua essencia, muito processados. A questao mais critica apontada pelos cadetes ficou para o intervalo entre as refeicoes, que chega superar a um tempo de 4h30min.

Os estudos internacionais apontam para isso como uma inconveniencia a cultura desportiva de boa performance, embora apontem para o foco da individualizacao entre porte atletico e funcao desportiva, como a mais pertinente a questao dos bons resultados no ambito desportivo.

Nesta perspectiva, o estudo apontou para um deficit de aporte nutricional especifico nas modalidades esportivas estudadas. Contudo, a despeito desta inferencia, outras dimensoes, tanto no que condiz a doutrina, como a logistica alimenticia, provavelmente nao foram devidamente sensoriadas neste contexto.

Por isso, novas pesquisas nessa area sao necessarias e oportunas, a fim de ser possivel alcancar diretrizes nutricionais mais adequadas para os cadetes da AFA que exercem atividades fisicas competitivas

REFERENCIAS

1-Almeida, R. Roteiro para o emprego de grupos focais. In: Metodos de pesquisa em Ciencias Sociais: Bloco Qualitativo. Sao Paulo: SESC/CEBRAP. 2016.

2-Aramuni, C.V.; Nacif, M.C.S.; Milton, M.; Navarro, A.C. Avaliacao dos conhecimentos basicos sobre nutricao em estudantes de educacao fisica de uma rede de academias em Belo Horizonte-MG. Revista Brasileira de Nutricao Esportiva. Vol. 4. Num. 24. p.524-531. 2010. Disponivel em: <http://www.rbne.com.br/index.php/rbne/article/view/224>

3-Biesek, S.; Alves, A. A.; Guerra, I.; Estrategias de Nutricao e Suplementacao no Esporte. 2a ed. rev. e ampl. Manole. 2010.

4-Bogea, C.P. Estrategias Nutricionais no Atletismo. In: Biesek, S.; Alves, L.A.; Guerra I. Estrategias de nutricao e suplementacao no esporte. Manole. 2005, Cap. 17. p. 281-293.

5-Brasil, T.A.; Pinto, J.A.; Cocate, P.G.; Chacara, R.P.; Marins, J.C.B. Avaliacao do habito alimentar de praticantes de atividade fisica matinal. Fitness & Performance. Vol. 8. Num. 3. p. 153-163. 2009.

6-Comando da Aeronautica; Academia da Forca Aerea (AFA). Manual do Cadete da Aeronautica. Portaria AFA no 226/CCAER_SDOUT. 12/12/2017. 2017.

7-Comando da Aeronautica; Academia da Forca Aerea (AFA). Norma Padrao de Acao do Comando da Aeronautica (NPA). Secao de Subsistencia, NPA 65-SDI. Boletim Ostensivo Num. 146. 6/8/2014.

8-Domingos, I.M. Entrevista com nutricionista CRN. 2018.

9-Escobar, J.; Bonilla-Jimenez, F. I. Grupos Focales: Uma Guia conceptual Y metodologica. Cuadernos hispano-americanos de psicologia. Vol. 9. Num. 1. p. 51-67. 2009.

10-Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO/WHO). Carbohydrates in human nutrition. Rome: FAO - Food and Nutrition Paper. Num. 66. p. 14-18. 1997. Reprinted. 1998.

11-Guerra, I. Estrategias nutricionais no futebol. In: Biesek, S.; Alves, L.A.; Guerra, I. Estrategias de nutricao e suplementacao no esporte. Manole. 2005. Cap. 18. p. 295-303.

12-Guerra, I.; Soares, E.A.; Burini, R.C. Aspectos nutricionais do futebol de competicao. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 7. Num. 6. 2001.

13-Minderico, C. Nutricao, treino e competicao. Manual de Curso de treinamento de desporto - Grau II. Programa Nacional de Formacao de Treinadores. Instituto do Desporto de Portugal (IPDJ). Vol. 1.0. 2016.

14-Ministerio da Saude (MS). Guia alimentar para a populacao brasileira 2a edicao. Brasilia. Ministerio da Saude. 2014. 156 p.

15-Organizacao Mundial de Saude (OMS). World Health Organization. (WHO). Global status report on noncommunicable. Diseases, 2010.

16-Schtscherbyna, A. Estrategias nutricionais na natacao. In: Biesek, S.; Alves, L.A.; Guerra, I. Estrategias de nutricao e suplementacao no esporte. Manole. 2005. Cap. 19. p. 305-313.

Recebido para publicacao em 06/03/2019

Aceito em 21/06/2019

Manoela Alves Pires (1) Iasmine Medeiros Domingos (1)

(1) - Academia da Forca Aerea Brasileira, Brasil.

E-mails dos autores:

piresmap@fab.mil.br

iasminedomingos@gmail.com
COPYRIGHT 2019 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Pires, Manoela Alves; Domingos, Iasmine Medeiros
Publication:Revista Brasileira de Nutricao Esportiva
Date:Jul 1, 2019
Words:5467
Previous Article:CONHECIMENTOS ACERCA DA ALIMENTACAO SAUDAVEL E CONSUMO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES POR ATLETAS DE JIU-JITSU DE UMA ACADEMIA DE MONTES CLAROS-MG.
Next Article:INSATISFACAO CORPORAL, ANTROPOMETRIA E DIETA DE ADOLESCENTES EM TREINAMENTO DE FUTEBOL/Body dissatisfaction, anthropometry and diet of adolescents...
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters