Printer Friendly

ACADEMIC WEEK OF THE COURSE OF PEDAGOGY: MEMES IN PROL OF INFANCY VERSUS CONSUMMISM/ SEMANA ACADEMICA DO CURSO DE PEDAGOGIA: MEMES EM PROL DA INFANCIA PARA CRITICAR O CONSUMISMO/ SEMANA ACADEMICA DEL CURSO DE PEDAGOGIA: MEMES EN PROL DE LA INFANCIA PARA CRITICAR EL CONSUMISMO.

1. Introducao

Com sede em Florianopolis, o Centro de Educacao a Distancia--CEAD, e um centro que desenvolve atividades em nivel de Ensino de Graduacao, Pesquisa e Pos-Graduacao e Extensao. No ambito da graduacao, desde 2011 oferece o Curso de Pedagogia a Distancia em convenio com o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), tendo, no ano de 2015, graduado mais de 600 pedagogos, sendo que em 2017, a instituicao passa a ofertar mais dois cursos de graduacao na modalidade a distancia: Curso de Licenciatura em Biologia e Curso de Licenciatura em Informatica. Atualmente o centro atende aproximadamente 160 academicos, distribuidos na 1a, 3a e 7a fases.

Com enfase nas Tecnologias de Informacao e Comunicacao, o curso de Pedagogia a Distancia do CEAD--UDESC tambem aponta como principio norteador a "Formacao teorica interdisciplinar sobre o fenomeno educacional e seus fundamentos filosoficos, historicos, politicos e sociais, bem como sobre os conteudos inerentes a Educacao Infantil, aos Anos Iniciais do Ensino Fundamental". (UDESC, 2009, p.9).

A formacao teorica interdisciplinar e prevista na composicao dos eixos curriculares, e o PPC orienta, como uma das finalidades do curso, que as praticas pedagogicas estejam "subordinadas aos principios de unidade e interdisciplinaridade dos conteudos dos programas, a acao integrada dos docentes, e a relacao entre teoria e a pratica" (UDESC, 2009, p.9).

Desde 2014 o Nucleo Docente Estruturante e Coordenacao de Curso vem dialogando sobre como seria possivel expandir as discussoes e efetivacoes de propostas interdisciplinares. Foi entao que foi criada a figura do Coordenador de Fase, cujo papel principal e o de articular com as equipes da fase, propostas interdisciplinares entre disciplinas afins, bem como tematicas interdisciplinares que sejam discutidas por cada fase ao longo do semestre. Sobre essa questao, temos alguns relatos (GARCEZ; CARVALHO; RIPA, 2015) que elucidam algumas das propostas interdisciplinares que ja foram concretizadas ate o momento.

Em 2018/01, apos discussao com os professores do curso e o reconhecimento de que os momentos de interacao dos academicos do curso de Pedagogia a Distancia ocupa um lugar privilegiado na vida e no percurso academico e profissional dos educadores, a tematica elegida para Semana Academica da Pedagogia foi "Temas Contemporaneos da Educacao Infantil" com alguns subtemas para serem trabalhados pelos professores em oficinas presenciais, sendo eles:

Interacoes e Brincadeiras na Infancia; A BNCC e o Curriculo para a Educacao Infantil; Infancia e Interacoes Tecnologicas; Saude e Infancia (incluindo no debate temas como medicalizacao da infancia e alimentacao), Midias e Infancia (cinema, jogos e programas de TV), Novos Pressupostos da Literatura Infantil e Consumo e Infancia, sendo esta ultima o tema da oficina que sera relatada.

Os professores do curso participaram das reunioes que antecederam o Seminario, problematizaram os temas elegidos que destacam a centralidade dos referidos estudos e acao docente voltada para o debate das tematicas no processo de formacao de educadores e assim, escolheram sob qual tematica desenvolveriam sua oficina presencial.

A oficina em destaque neste artigo e a oficina "Consumo e Infancia", oficina produzida e ministrada por nos, cujo pressuposto abordado foi o aprofundamento da discussao em torno deste tema contemporaneo, no intuito de avancar na discussao de problematicas urgentes das infancias a partir do que ja conhecemos dos relatos e vivencias dos academicos nas escolas (excesso de personagens nos materiais escolares, alimentacao motivada por comerciais de televisao, desejo por brinquedos vinculados a videos dispostos na internet, entre outros) e do que presenciamos constantemente enquanto telespectadores nos ambientes virtuais que frequentamos, nos programas que assistimos na TV e no que observamos e vivenciamos em nosso entorno--experiencia sobre a qual nos debrucamos nos paragrafos seguintes.

2. A proposta desenvolvida na oficina Consumo e Infancia

No primeiro semestre de 2018 em que aconteceu a III Semana Pedagogica do curso de Pedagogia, a instituicao contava com um total de 300 alunos, distribuidos em 9 turmas/polos no Estado de Santa Catarina. O planejamento da III Semana Pedagogica iniciou ainda no mes de fevereiro de 2018, em reuniao com os colegas docentes com o objetivo de organizar o cronograma do semestre e conhecer os conteudos e equipe docente de cada disciplina, visando a busca por atividades interdisciplinares.

Cabe mencionar que a interdisciplinaridade aqui defendida, ancora seu sentido na insercao do trabalho do educador de forma coletiva na condicao de abertura cientifica e tecnologica, de modo a desenvolver uma pratica docente de pesquisa que seja investigativa, descentralizada e com fronteiras que ultrapassem os cerceamentos curriculares, os cerceamentos das disciplinas.

A sintese interdisciplinar, mencionada e apenas um passo previo para definir o que e proprio da Pedagogia, ou seja, investigacao da realidade educativa, visando, mediante conhecimentos cientificos, filosoficos e tecnico-profissionais, a explicitacao de objetivos e formas de intervencao metodologica e organizativa relacionados com a transmissao/assimilacao ativa de saberes. Esta ressaltada ai a intencionalidade educativa propria de toda pratica social, pois a Pedagogia envolve intervencao humana e, portanto, um comprometimento moral de quem a realiza. (LIBANEO, 2001, p.23)

Ou seja, a interdisciplinaridade se torna indispensavel, pois nesta condicao, o professor-educador trabalha com posicionamento critico a partir das diretrizes de sua propria disciplina, articulando as diversas possibilidades interdisciplinares a considerar o curriculo, o trabalho coletivo dos colegas, as demandas sociais, articuladas com os saberes de outros profissionais com vistas a inovacao.

Com relacao as tematicas da III Semana Pedagogica, desde o inicio do planejamento aventou-se a possibilidade de ter uma tematica envolvendo temas contemporaneos. Em um primeiro momento os professores manifestaram interesse em trabalhar sobre a atual reforma curricular (BNCC), porem, diante da realidade vivenciada e as polemicas geradas e narradas constantemente pelos nossos academicos em tempos de Cultura Digital, em que se possui grande acesso a informacao, as redes sociais, decidiu-se ampliar as possibilidades tematicas com temas urgentes para a infancia e que os academicos ja hav'am pontuado a necessidade de tais abordagens na universidade, ja que o consumo esta atrelado aos sujeitos desde que estao nos ventres de suas genitoras.

Num ambiente social centrado em buscas consumistas e em empreendimentos individualistas, o fascinio pelas mercadorias e o impulso compulsivo e vicioso de comprar tornam-se as principais virtudes a serem promovidas e cultivadas nas criancas desde seu nascimento. (ESPERANCA; RIBEIRO, 2014, p. 763)

A oficina teve inicio com explanacao geral a respeito da tematica, apresentacao de temas e noticias polemicas disponiveis nas redes, como por exemplo, alguns videos de Youtubers-mirins e debate acerca da exposicao das infancias e os impactos sociais do consumismo infantil.

A partir da problematizacao de alguns destes videos dispostos no YouTube e o debate do fenomeno unpacking (desembalar), em que as criancas mostram em seus videos caseiros os presentes recebidos de lojas e comerciantes ou ate mesmo presenteados pelos proprios pais, houve o consenso sobre a intencao dos mesmos: o de propagar! As criancas figuram como atores de comerciais, induzindo a compra dos produtos por eles expostos, alarmando o desejo de consumo escondido na narrativa de uma apresentacao inocente de um presente recebido naquele momento.

Segundo pesquisa da World Childhood Foundation (3), 65% das meninas exploradas sexualmente declaram usar o dinheiro conseguido para comprar celular, tenis ou roupas. A Organizacao Brasileira Crianca e Consumo complementa a pesquisa informando que outros fatores nocivos ao desenvolvimento da infancia tambem se relacionam com o consumismo infantil, como a obesidade infantil, erotizacao precoce, consumo precoce de tabaco e alcool, estresse familiar, banalizacao da agressividade e violencia, entre outras.

Afirmam tambem que a publicidade veiculada na televisao e apenas um dos fatores que contribuem para o consumismo infantil. A TNS/InterScience (4), instituto de pesquisa que atua em mais de 70 paises, divulgou dados em setembro de 2007 que evidenciaram outros fatores que influenciam as criancas brasileiras nas praticas de consumo. Elas sentem-se mais atraidas por produtos e servicos que sejam associados a personagens famosos, brindes, jogos e embalagens chamativas. A opiniao dos amigos tambem foi identificada como uma forte influencia. E a reproducao deste comportamento esta no cotidiano das escolas, esta na pauta das infancias contemporaneas.

Transmitimos um trecho do documentario "Crianca, a alma do negocio" e entao o debate foi direcionado para os impressionantes numeros sobre o consumismo infantil, como por exemplo, o tempo medio que as criancas passam em frente a TV e outros dispositivos eletronicos como celulares e tablets (nesse caso, 5 horas por dia); sobre comerciais voltados exclusivamente para alimentos processados para criancas com o uso de personagens de desenhos, filmes e personalidades do YouTube em suas embalagens, alem de dados sobre as criancas que preferem passear nos shoppings centers ao inves de frequentarem parques em areas abertas.

Avancando nas discussoes, ficou definido que os academicos aproveitariam o fluxo da internet, que semeia informacoes, fakenews e tambem sementes para o consumo e o desafio foi lancado: "Como a Escola pode agir, no intuito de pensar e materializar alternativas para discutir a tematica "consumismo na infancia" e conscientizar acerca deste problema?"

Diante do desafio lancado, a proposta foi de que os academicos criassem um texto viral ou um meme para responder o questionamento lancado pelo desafio. Esses momentos sao detalhados no subitem abaixo.

2.1 Memes e educacao

Ao mencionarmos o termo "meme", direcionamos o pensamento para a veia comica, ironica, para o humor. Porem, o termo foi criado pelo Zoologo Richard Dawkins em 1976 ao escrever sua teoria sobre o processo de transmissao cultural humana. Vem dai o nome empregado aos "memes" que conhecemos na web, que sao imagens ou pequenos videos, que se espalham, se ressignificam e se reformulam de maneira incansavel pelos meios de comunicacao e entre as pessoas.

O conceito de meme foi cunhado por Richard Dawkins (1976), que discutia a cultura como produto da replicacao de ideias, que ele chamou memes [...]. A partir de uma abordagem evolucionista, Dawkins compara a evolucao cultural com a evolucao genetica, onde o meme, o "gene" da cultura, se perpetua atraves de seus replicadores, as pessoas. (RECUERO, 2009, p. 123)

O meme auxilia na articulacao da escrita, da leitura e da reflexao. Foge das tecnicas formais de estudos escolares, suscitando compreensao de multiplas funcoes sociais da leitura no aluno (interpretacao, conhecimento do fator abordado, ironia, sagacidade de linkar as imagens com o codigo escrito, entre outras possibilidades) e acaba por cumprir uma funcao politica, ajudando a questionar estereotipos e posturas de temas necessarios de serem abordados na contemporaneidade, alem de promover identificacoes.

Ainda sobre a difusao dos "memes" na internet, pode-se dizer que expressos pelo conteudo dos "memes"--ou seja, as formacoes ideologicas presentes nas formacoes discursivas destes fragmentos. (SOUZA, 2001, p. 134)

E certo que existe uma diferenciacao de sentido entre o "meme" de quem o criou e de quem o recebe, ainda que a ideia chega ao receptor e cria um laco ideologico positivo ou negativo que faz sentido para aquele ator social, mas nao somente a ele. Partindo desse sentido, porque nao criar memes educacionais para auxiliar na conscientizacao de um determinado assunto para a sociedade? Porque nao utilizar dessa narrativa para avaliar, provocar, pensar conteudos e temas da educacao?

O filosofo Ricoeur (1994) estabeleceu uma ideia de mimese que escapa ao seu conceito original de imitacao. Ao construir narrativamente algo que a propria experiencia humana ja prefigura, mesmo nao havendo uma originalidade inventiva plena, o narrador nao imita, antes atua dinamicamente no seu processo de narrar. O filosofo discerne, entao, "a mimese (imitacao, representacao) da atividade mimetica mais que imitar ou representar, a narrativa exige um processo ativo de producao, processo esse dinamico, que pressupoe ainda o agenciamento dos fatos, conferindo um carater de atividade, acao". (RICOEUR, 1994, p.98)

Dessa forma, a narrativa e desenvolvida mediante tres dimensoes, que ele intitula triplice mimese: mimese I (pre-figuracao), II (configuracao) e III (reconfiguracao). Mimese I e o que referencia a composicao narrativa, mimese II e o que ele vai chamar de mimesecriacao e mimese III, mimese-invencao, o ponto de chegada, o lugar da reconfiguracao. (RICOEUR, 1994, p.98)

E mediante a atividade mimetica que as narrativas estudantis aqui serao avaliadas, posto que uma analise estrutural nao abarcaria as subjetividades imbricadas nessas tres etapas de construcao da narrativa. Os elementos de analise comecarao pela atividade referenciada pelo meme (mimese I), passando pela atividade dos relatos construidos em sala de aula (mimese II) ate a sua reconfiguracao ensaiada na analise aqui realizada e tambem na posterior correcao avaliativa do professor.

A ideia da utilizacao dos memes permitiu maior interatividade entre os sujeitos participantes e, ao passo em que a provocacao era inicialmente discutida pelas duplas que criariam o meme, outros academicos puderam participar propondo questionamentos, tirando duvidas sobre a criacao e viabilidade do mesmo, solicitando maiores esclarecimentos sobre este ou aquele ponto menos claro na concepcao da criacao de memes para o objetivo proposto, articulando com o foco da oficina--conscientizar sobre os perigos do consumismo infantil.

2.2 Os embates de criacao dos memes

Considerando as possibilidades disponiveis na internet e apos a contextualizacao da possibilidade do uso dos memes para fins didaticos, optou-se por trabalhar em duplas e utilizamos o site "Gerador de Memes"5, visto que os academicos nao se sentiram a vontade para eleger ou selecionar fotografias de livre escolha. O acesso foi realizado nos computadores do polo, embora alguns academicos tenham preferido acessar de seus proprios celulares. Os memes foram enviados para uma sala virtual no Moodle, ja que este espaco contribui "(...) para a melhoria dos processos de coordenacao, organizacao e gestao da disciplina, consequentemente para melhorar a qualidade social inerente ao processo educativo, incentivar o estabelecimento de mecanismos de interacao e trocas colaborativas entre os sujeitos da disciplina". (BORGES, 2012, p. 10).

Partindo desse pressuposto, o grupo dos oficineiros optou por fazer deste recurso o canal de criacao dos memes educacionais conscientizadores que encerrou o debate para o cumprimento do desafio proposto inicialmente: "Como a Escola pode agir, no intuito de pensar e materializar alternativas para discutir a tematica "consumismo na infancia" e conscientizar acerca deste problema?"

Estivemos envolvidos(as) com a tarefa de pensar, planejar e (com)partilhar memes que nos forcou a questionar os limites estreitos de nosso poder de sintese e de trabalhar tematica tao seria com determinada dose de humor. O momento para a criacao dos memes foi, antes de tudo, um lugar de encontro no qual uma mesma tematica ganhou tonalidades e contornos diferentes provocados pelas historias de vida, de consumo inconsciente muitas vezes fomentado pelas redes sociais e de formacao de cada um(a) dos(as) academicos que promoveram os mais diversos dialogos enquanto executavam a tarefa.

Relatos dos academicos a respeito de suas experiencias com alunos do ensino fundamental e infantil acerca de consumo de alimentos industrializados, excesso de personagens nos materiais escolares e disputa de posse de brinquedos da moda foram frequentes na oficina. Os relatos vieram acompanhados de reflexoes e cobrancas para a universidade que nao os prepara para essas lides cotidianas, eis a importancia de proporcionar momentos interdisciplinares como estes, seja em forma de oficinas ou debates. Dados que foram apresentados a universidade ao final do evento.

Muitos academicos nao sabiam da existencia do documentario assistido, das organizacoes que agem em favor da infancia e na conscientizacao sobre o consumo. Perguntas instigantes e necessarias ajudaram a compor um mosaico de historias de vida, de escolarizacao, lembrancas carregadas muitas vezes de preocupacao, outras de indignacao. Narrativas sendo "revividas" a partir de uma leitura outra, sustentada pelos ensinamentos praticos da vivencia proporcionada pela III Semana Pedagogica em uma tarefa que procurou estimular o movimento construido pelos proprios academicos na tessitura do debate sobre Infancia e Consumismo que lhes serviu como inspiracao.

E entre um relato e outro, a criacao dos memes educativos para "viralizar" a conscientizacao sobre os problemas no consumismo na infancia foram materializados.

2.3 Avaliacao do processo de criacao e as relacoes de aprendizagens conquistadas

Partindo do que se propunha na avaliacao das producoes dos academicos sobre os memes produzidos na Oficina Infancia e Consumo na III Semana Pedagogica da Pedagogia no CEAD-UDESC, consideramos as tres dimensoes propostas por RICOEUR (1994, p.77) na "triplice mimese": Mimese I--pre-figuracao; mimese II--configuracao e mimese III--invencao.

Nessa perspectiva, consideramos que a mimese I, constituida pela fase de prefiguracao, ou seja, a composicao da narrativa, foi realizada e apropriada nos momentos iniciais da oficina, com a fala da docente acerca da tematica, todos os dados e estatisticas apresentados, conteudos assistidos e visitados para o encadeamento da sensibilizacao dos academicos oficineiros acerca do debate apresentado.

A mimese II, que trata da configuracao, trata da mimese-criacao, do exercicio de colocar em pratica o que se esta pensando sobre a tematica abordada. Trata do exercicio de sintese que traduzira a mensagem que gostariam de levar aos seu interlocutores. Diga-se de passagem, a etapa mais dificil do trabalho, visto que os academicos participantes da oficina, sentiram-se surpreendidos com a possibilidade de criar seu proprio meme viral e isso os carregou de insegurancas.

A ideia inicial era que eles selecionassem o conteudos abordados e as imagens a serem utilizadas de maneira livre. Porem, diante das dificuldades apresentadas, e por forca do tempo da oficina, apresentamos o "gerador de memes" e, com isso, sentiram-se mais a vontade para pensar no conteudo de impacto/humor com vistas a problematizacao e conscientizacao, sem o tempo investido da selecao de imagem.

Por fim, na mimese III ou mimese-invencao, que trata do ponto de chegada, do lugar da reconfiguracao dos saberes trabalhados nas etapas anteriores, que pudemos perceber a evolucao da criacao da narrativa proposta e o resultado atingido em suas criacoes:

O olhar atento as infancias fez surgir uma nova possibilidade, nela foram propostas relacoes entre a perspectiva de conteudo informativo, conscientizacao e conhecimento. Essa perspectiva vem ao encontro do pensamento filosofico de Ricoeur quando afirma que

a atividade mimetica e mais que imitar ou representar, e uma narrativa conquistada a guisa de compreensao perspicaz de onde se pretende chegar e exige um processo ativo e dinamico de producao que pressupoe a compreensao dos fatos sociais, conferindo um carater de atividade, acao plenamente conscientes. (RICOEUR, 1994, p.60)

Inspirados nas reflexoes desta oficina e apoiados nas leituras indicadas, os academicos compartilharam experiencias de producao de memes em suas redes sociais particulares e estavam ansiosos para saberem da repercussao das mesmas.

Por fim, a oficina foi encerrada, em horario posterior ao combinado devida a empolgacao dos participantes com o debate, com a atividade e com a avaliacao deste trabalho, que servira de subsidio para novas proposicoes pedagogicas, bem como para continuidade dos trabalhos em outras oficinas e porque nao em disciplinas.

3. Consideracoes finais

A tematica interdisciplinar concretizada nos tres momentos descritos: videoconferencia coletiva, sala no Moodle e encontros presenciais, foi um projeto desenvolvido pela 2a fase do Curso de Pedagogia a Distancia do Centro de Educacao a Distancia--CEAD, da Universidade do Estado de Santa Catarina--UDESC. A proposta foi bem aceita pelos professores, coordenacao pedagogica e academicos, dado ultimo constatado principalmente pelo expressivo numero de participacoes dos educandos, muitas vezes em numero maior que suas intervencoes nas proprias disciplinas.

A oficina mencionada neste referido artigo, que deveria ter a duracao de quatro horas conforme combinado com a instituicao, teve seu tempo extrapolado para quatro horas e quarenta minutos em funcao dos pedidos dos academicos. E um dado muito significativo, considerando o total de alunos do curso e as condicoes de participacao presencial, que sabemos que dependem de inumeros fatores como disponibilidade de participar em dia nao obrigatorio de atividade formal academica, distancia das residencias do polo, entre outras.

A escolha por essa ferramenta didatica de gerador de memes para a materializacao do trabalho realizado na oficina Infancia e Consumismo possibilitou aos academicos a expressao de situacoes pessoais e profissionais partindo de tematica urgente a ser debatida em todos os contextos sociais. Entre as participacoes dos academicos e as mediacoes dos professores, totalizaram cerca de trinta e quatro participacoes no forum virtual "Memes a favor da Infancia contra o consumismo".

Na avaliacao da proposta, todos os academicos-oficineiros participaram. A expressividade dessa participacao demonstra o compromisso dos academicos com sua formacao, por nao se tratar de atividade obrigatoria e tampouco resultante de notas.

Essa experiencia formativa deixa, para nos professores, a sensacao de um projeto interdisciplinar bem pensado, desenvolvido e avaliado pelos alunos. Ja ansiamos pelos planejamentos das proximas oficinas, em que essa mesma tematica sera trabalhada com novas equipes, olhares e proposicoes, sem perder de vista o olhar que as praticas coletivas requerem, a adequacao dos saberes teoricos em consonancia a viabilizacao de estrategias praticas para problematicas educacionais cotidianas.

Referencias:

BORGES, Marilene. A. F. O uso da web 2.0 em cursos de educacao a distancia: criando novas possibilidades. In: II CONGRESSO INTERNACIONAL TIC E EDUCACAO, 2012, LISBOA. II CONGRESSO INTERNACIONAL TIC E EDUCACAO, 2012.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasilia: Ministerio da Educacao, 2017.

CASTELLS, Manuel. A galaxia da internet: reflexoes sobre a internet, os negocios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

DAWKINS, Richard. O Gene Egoista. Traducao de Rejane Rubino. Sao Paulo. Companhia das Letras. 2007

ESPERANCA, Joice Araujo; RIBEIRO, Paula Costa. Comprar, querer e desejar: problematizando as narrativas de criancas dos anos iniciais. Revista Perspectiva, Florianopolis, v. 32, n. 2, 759-790, maio/ago. 2014.

FONTANELLA, Fernando Israel. O que e um meme na Internet? Proposta para uma problematica da memesfera. III Simposio Nacional ABCiber--Dias 16, 17 e 18 de Novembro de 2009--ESPM/SP--Campus Prof. Francisco Gracioso.

GARCEZ, A. F.; RIPA, Roselaine. A interdisciplinaridade na Educacao a Distancia: DISCUTINDO PRATICAS PEDAGOGICAS NO CURSO DE PEDAGOGIA. In: XII Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distancia e I Congresso Internacional de Ensino Superior a Distancia (CIESUD), 2015, Salvador. Anais do ESUD 2015. Salvador: UNEAD--UNEB, 2015. v. 1. p. 1-10.

IBGE--Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica. Tabela 1383: taxa de alfabetizacao das pessoas de 10 anos ou mais de idade por sexo, 2010. Disponivel em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/cd/cd2010universo.asp?o=5&i=P>. Acesso em: 06 nov. 2018.

LIBANEO, Jose Carlos. Pedagogia e pedagogos: inquietacoes e buscas. Educar, Curitiba, n. 17, p. 153-176. 2001. Editora da UFPR. Acesso em 29 jan. 2019.

PACHECO, Jose. TEDxUNISINOS: Experiencias Inovadoras na Educacao. Disponivel em:< https://www.youtube.com/watch?v=reOEnY8jkjo >. Acesso em: 06 jun. 2016.

RECUERO, Raquel. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa, v. I. Campinas: Papirus, 1994.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA (UDESC). Centro de Educacao a Distancia. Projeto Pedagogico do Curso de Pedagogia a Distancia. Florianopolis, 2009.

SOUZA, Carlos Fabiano de. Memes: formacoes discursivas que ecoam no ciberespaco. Vertices, Campos dos Goytacazes, volume 15, no. 1, p. 127-148, janeiro a abril de 2013

DOI: 10.12957/periferia.2019.36456

Edna Araujo dos Santos de Oliveira (1)

Universidade do Estado de Santa Catarina

Roseli Zen Cerny (2)

Universidade Federal de Santa Catarina

(1) Pedagoga, Mestre em Educacao pela Universidade do Estado de Santa Catarina--UDESC, Doutoranda em Educacao pelo PPGE da Universidade Federal de Santa Catarina--UFSC, Professora Colaborado do Centro de Educacao a Distancia na Universidade do Estado de Santa Catarina, Pesquisadora Colaboradora Observatorio de Praticas Curriculares Itinera--UFSC. E-mail: ednaaoliv@gmail.com

(2) Doutora, Pedagoga, professora do Programa de Pos-Graduacao em Educacao da Universidade Federal de Santa Catarina--UFSC, Vice-Diretora do Centro de Ciencias da Educacao--UFSC, Vice-Lider do

(3) Disponivel em:http://www.childhood.org.br/. Acesso em 29/01/2019.

(4) Disponivel em: http://criancaeconsumo.org.br/consumismo-infantil/. Acesso em 29/01 /2019.
COPYRIGHT 2019 Universidade do Estado do Rio de Janeiro- Uerj
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2019 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:de Oliveira, Edna Araujo dos Santos; Cerny, Roseli Zen
Publication:Periferia
Date:May 1, 2019
Words:3854
Previous Article:THE ADVENTURES OF PAULO FREIRE AGAINST THE SELFISH MEME: THE FIGHT OF CLASSES IN SOCIAL NETWORKS/AS AVENTURAS DE PAULO FREIRE CONTRA O MEME GOISTA: A...
Next Article:A DISCURSIVE ANALYSIS OF MEMES ENEM 2015/UMA ANALISE DISCURSIVA DE MEMES DO ENEM 2015/ UNA ANALISIS DISCURSIVA DE MEMES DEL ENEM 2015.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2020 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters