Printer Friendly

A. CASTRO SANTAMARIA, J. GARCIA NISTAL (coords.), La impronta humanistica (ss. XV-XVIII), saberes, visiones e interpretaciones.

A. CASTRO SANTAMARIA, J. GARCIA NISTAL (coords.), La impronta humanistica (ss. XV-XVIII), saberes, visiones e interpretaciones, Palermo, Officina di studi medieval, 2013. 515 pp. ISBN 978-88-6485-072-6

Estamos perante um amplo leque de textos de um notavel numero de estudiosos espanhois que partilham os resultados da sua investigacao sobre multiplos aspectos do humanismo, de acordo com aquilo que constitui o objecto de estudo do Instituto de Humanismo y Tradicion Clasica.

Sem descurar uma imagem mais lata do humanismo no resto da Europa, os trabalhos centram-se sobretudo em figuras ou tracos do humanismo espanhol. Lamenta-se a ausencia de referencias aos humanistas portugueses (a excepcao de uma alusao a Camoes e a algumas traducoes portuguesas de obras latinas).

Neste volume, reflecte-se o notavel contributo das edicoes e traducoes de obras humanistas levadas a cabo em Espanha, onde e visivel o enorme avanco cientifico no campo da literatura humanista latina, em contraste com o que so ha relativamente poucos anos se comecou a fazer em Portugal. Distinga-se, por exemplo, o trabalho notavel desenvolvido pela equipa do Corpus Hispanorum De Pace e pela Universidade de Lima.

A diversidade de temas esta em consonancia com a multiplicidade de areas abrangidas pelo fenomeno cultural do humanismo. Ha um objecto de estudo marcadamente presente neste estudo: os mais variados fenomenos suscitados pela descoberta do Novo Mundo (a nivel cultural, social, academico, juridico, teologico, filosofico, cientifico, religioso, artistico, etc.). Como linhas tematicas estreitamente ligadas a esta materia, sublinhem-se as seguintes: diferentes visoes e teorias sobre os indigenas e os diferentes povos encontrados, influencia dessas teorias nas cronicas sobre a expansao, avancos verificados na astronomia, imaginario europeu sobre a Asia, a Africa e a America, lendas e mitos em redor do tema das viagens, cosmografia, contributo dos jesuitas para o saber (cartografia, botanica, jurisprudencia), evangelizacao, aspectos educativos sobre a sociedade mexicana antiga, guerra justa, escravatura.

Alem destas, focam-se outras tematicas, tambem de indole muito diversa: economia, principios biblicos, percepcao historica de Espanha atraves da numismatica, redes de circulacao artistica, modos de difusao da cultura classica, meios para conhecer e localizar o paraiso, lingua sagrada, conceito de felicidade, educacao e valores.

As fontes utilizadas caracterizam-se pela sua enorme heterogeneidade, sendo de elogiar a importancia dada as fontes primarias, que dominam grande parte da bibliografia tratada e vao fundamentando seriamente cada estudo. Analisam-se ao pormenor documentos de extraordinaria originalidade: tratados teologicos, juridicos, cosmograficos e arquitectonicos, cartas (de humanistas, de emigrantes espanhois, etc.), escritos exegeticos, cronicas, mapas e outros documentos geograficos, inventarios de bibliotecas pessoais, compendios de astronomia, um tratado mitologico, gramaticas, florilegios, tratados sobre a educacao de principes.

Descreve-se e analisa-se a visao do mundo propria dos humanistas, a sua cultura solida e vasta e o tipo de fontes que circulavam por toda a Europa. Damo-nos conta daquilo que fazia parte da vasta formacao de tais letrados, quer pelo estudo de algumas bibliotecas privadas (por exemplo, a de Pedro Simon Abril) quer pelas inumeras provas de um vasto saber, desde o dominio das ciencias botanicas ao da arquitectura. Salienta-se o peso da formacao biblica, reflectida em inumeros tratados e outros tipos de escritos, assim como tambem a marcada presenca dos autores classicos antigos: Plinio, Horacio, Cicero, Virgilio, Marco Aurelio, Terencio, Suetonio, Dion de Prusa, Xenofonte.

Dao-se a conhecer e analisam-se documentos de singular novidade para o estado da investigacao actual: testemunhos epistolares de emigrantes guipuscoanos e navarros, mapas, cartas, estudos de botanica, antigas moedas hispanas, a fachada do antigo convento da ordem de Santiago de S. Marcos de Leon, gravacoes em livros, medalhas e livros de medalhas, inscricoes das catedras (tituli), emblemas, ilustracoes de livros. Num grande numero de artigos, acompanha-se o estudo com figuras dos documentos estudados.

A par dos nomes mais famosos de humanistas, estudam-se outros menos conhecidos, mas nem por isso de menor peso dentro deste vastissimo movimento cultural. Lado a lado convivem nomes que interessam a todos os que estudam humanistas e Renascimento: Arias Montano, F. Lopez de Gomara, Frei Antonio de Guevara, Lucio Marineo Siculo, Paulo Giovio, Frei Andre de S. Miguel, Pedro Guerrero, Pedro de Valencia, Bartolome Jimenez Paton, Jose Marchena, Frei Luis de Leon ... Em alguns textos parece que se isola o contributo de determinado autor apenas no seu tempo, mas em outros desenha-se uma linha de continuidade ou de ruptura ate ao seculo XVIII.

Afiguram-se de enorme interesse metodologico os estudos que se orientam, a partir da Historia da Arte, para a analise filologica de obras humanistas ou para a abordagem de variadissimos fenomenos culturais do seculo XVI ao seculo XVIII.

Em grande parte, os textos sao relativamente breves mas com conteudo substancial e carga de novidade. Alem disso, os autores vao enunciando lacunas na investigacao actual, deixam em aberto propostas de campos do saber que merecem investigacao, traducao e edicao, dao a conhecer novas publicacoes encontradas recentemente em diferentes arquivos (por exemplo, no Arquivo Geral das indias de Sevilha), sugerem indicacoes bibliograficas importantes para algumas materias e alertam para a necessidade de investigar terrenos cientificos de grande pertinencia cultural.

A presente monografia afigura-se um instrumento de inegavel interesse e utilidade nao so para os estudiosos das humanidades assim como tambem para os investigadores de variadas areas do saber. Nem por isso, porem, deixara a sua leitura de proporcionar prazer a qualquer pessoa com curiosidade intelectual.

MADALENA BRITO

Centro de Estudos Classicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

madalenacpbrito26@gmail.com
COPYRIGHT 2016 Universidade de Lisboa. Centro de Estudos Classicos da Faculdade de Letras
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Brito, Madalena
Publication:Euphrosyne. Revista de Filologia Classica
Date:Jan 1, 2016
Words:889
Previous Article:ALEJANDRO COROLEU, Printing and Reading Italian Latin Humanism in Renaissance Europe (ca. 1470-ca. 1540).
Next Article:JERRY TONER, Homer's Turk: How Classics Shaped Ideas of the East.

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters