Printer Friendly

A poetica dos Beatles.

INTRODUCAO

Se existe um evento cultural que realmente serve como um divisor de aguas entre a visao de mundo da primeira metade do seculo XX e a visao de mundo da segunda metade do seculo XX este evento e o surgimento dos Beatles e da Beatlemania. Ate entao, todo fenomeno cultural era mais ou menos restrito ao seu pais de origem e constituia apenas isto: um fenomeno cultural. Com os Beatles, nao; com os Beatles, pela primeira vez se tem um fenomeno cultural globalizado e que ultrapassa o ambito de um simples fenomeno cultural para tornar-se uma revolucao cultural e social, uma atitude diante da vida, uma negacao dos valores ate entao tidos como absolutos.

Muito embora os Beatles fossem ate bastante comedidos em sua postura revolucionaria (os Rolling Stones serao bem mais ousados), eles pregam duas ideias altamente subversivas para a epoca: que os jovens nao sao adultos incompletos, mas seres humanos dotados de todo direito a se expressar e viver sua vida de acordo com seus parametros; e que as pessoas devem, antes de tudo e acima de tudo, buscar ser felizes.

Munidos dessas armas, o direito dos jovens de serem considerados como pessoas e a busca da felicidade, principalmente atraves do amor, os Beatles irao varrer da face da Terra muitas concepcoes erroneas e preconceitos profundamente arraigados e, infelizmente, ajudar a gerar algumas novas mazelas, como a cultura das drogas e a alienacao da juventude num mundo fantasioso e irreal. Infelizmente, o sopro de felicidade que os Beatles lancaram sobre o mundo parece ter durado bem menos do que as mazelas que, involuntariamente, eles ajudaram a criar.

Mas os Beatles nao eram pregadores da alienacao, pelo contrario, a partir do momento em que eles se fixaram como musicos, eles contribuiram em muito para a conscientizacao e engrandecimento de seus ouvintes, com uma obra em que se aliam a qualidade, a reflexao e a criatividade, o que explica cabalmente a sua perenidade.

O objetivo desse trabalho e tentar mostrar um pouco da trajetoria poetica dos Beatles, a evolucao de suas letras, sua tematica e sua genialidade e a maneira como, muitas vezes, suas experiencias pessoais e a realidade historica da epoca influenciaram sua musica. Como nem todos os que me lerem ou ouvirem dominam perfeitamente o ingles, apos os trechos em ingles virao suas traducoes.

A JUVENTUDE REFLETIDA NAS CANCOES

A primeira fase dos Beatles como compositores e letristas, que vai do seu primeiro compacto, "Love me do" (Ame-me de fato ou ameme mesmo) ate "Rubber soul" (Alma de borracha) e "Help" (Socorro!) e marcada por letras de tematica essencialmente juvenil: a procura por uma namorada, o amor que durara para sempre (mas nao dura!), a namorada que o trai ou larga, os amigos que riem, etc., com uma simplicidade e uma candura absolutamente irresistiveis, embora um tanto cansativas, as vezes. As musicas parecem um contraponto: numa musica, o rapaz faz tudo pela menina, noutra, e a menina que faz tudo pelo rapaz, como podemos verificar pelos trechos abaixo:
   If there's anything that you want,
   If there's anything I can do,
   Just call on me and I'll bring it along
   With love from me to you.
          (From me to you, 1963)

   Se ha alguma coisa que voce queira
   Se ha alguma coisa que eu possa fazer
   Apenas me chame e eu a trarei comigo
   Com amor de mim para voce

   You've been good to me, you made me glad when I was blue
   And eternally I'll always be in love with you
   And all I gotta do is thank you girl, thank you girl
          (Thank you girl, 1963)

   Voce tem sido boa para mim, voce me faz feliz quando eu estava
   triste
   E serei eternamente sempre apaixonado por voce
   E tudo que eu tenho de fazer e lhe agradecer a menina, lhe
   agradecer, menina


Outra hora, temos uma cancao em que o rapaz so faz chorar em oposicao a outra cancao em que o rapaz diz que tudo que ele tem a fazer e chamar que a menina vira correndo, como podemos constatar abaixo:
   I've got every reason on earth to be mad,
   'Cause I've lost the only girl I had.
   If I could get my way,
   I'd get myself locked up today,
   But I can't, so I'll cry instead.
          (I'll cry instead. 1964)

   Eu tenho toda razao no mundo para estar arrasado,
   Porque eu perdi a unica garota que eu tinha.
   Se eu pudesse trilhar meu caminho,
   Eu me trancaria em casa hoje,
   Mas eu nao, entao eu vou chorar (em vez disso).


Mas a maestria dos Beatles, mesmo nas letras simplistas desta primeira fase, ja esta presente. Reparem como eles usam bem o recurso estilistico da homonimia na seguinte musica:
   It won't be long, yeh yeh (three times)
   Till I belong to you
          (It won 't be long, 1963)

   Nao vai demorar, ie ie (3 vezes)
   Ate que eu pertenca a voce.


Sao dessa fase duas obras-primas dos Beatles: "She loves you" (Ela ama voce, 1963) e "And I love her" (E eu a amo, 1964), a primeira com sua vitalidade e otimismo, uma verdadeira celebracao da alegria de viver e de amar, e a segunda com um lirismo exacerbado e primoroso, como podemos perceber abaixo:
   She says she loves you,
   And you know that can't be bad,
   Yes, she loves you,
   And you know you should be glad.
   She loves you, yeh, yeh, yeh (two times)
   And with a love like that
   You know you should be glad.

   Ela disse que ama voce,
   E voce sabe que isso nao pode ser mau.
   Sim, ela ama voce,
   E voce sabe que voce devia estar contente.
   Ela ama voce, ie ie ie (duas vezes)
   E com um amor como esse

   Voce sabe que voce devia estar contente.

   I give her all my love
   That's all I do
   And if you saw my love
   You'd love her too.
   And I love her.
   She gives me everything
   And tenderly
   The kiss my lover bring
   She brings to me
   And I love her.
   A love like ours could never die
   As long as I have you near me
   Bright are the stars that shine
   Dark is the sky
   I know this love of mine
   Will never die
   And I love her.

   Eu dou a ela todo meu amor
   Isso e tudo que eu faco
   E se voce visse meu amor
   Voce a amaria tambem
   E eu a amo.
   Ela me da tudo
   E ternamente
   O beijo que minha amada traz
   Ela traz para mim
   E eu a amo.
   Um amor como o nosso nunca vai morrer
   Enquanto eu a tiver perto de mim.
   Brilhantes sao as estrelas que cintilam
   Escuro e o ceu.
   Eu sei que este meu amor
   Nunca morrera
   E eu a amo.


A REFLEXAO DO COTIDIANO

A partir dos albuns "Rubber soul" e "Help", a lirica dos Beatles ganha profundidade e desvincula-se, nao completamente, da tematica adolescente, de bailinhos e namoros, e passa a lidar com o cotidiano. Pela primeira vez, os Beatles vao lidar com as tristezas e os problemas humanos numa esfera mais ampla do que o simples sofrimento do jovem traido ou abandonado, como podemos notar na excelente cancao "Nowhere man" (1966):
   He's a real Nowhere Man
   Sitting in Nowhere Land
   Making all his Nowhere plans for nobody.
   Doesn 't have a point of view
   Knows not where he 's going to
   Isn 't he a bit like you and me?
   Nowhere Man please listen
   You don't know what you are missing
   Nowhere Man, the world is at your command.
   He's as blind as he can be
   Just sees what he wants to see
   Nowhere Man, can you see me at all?
   Nowhere Man, don't worry
   Take your time, don't hurry
   Leave it all till somebody else give
   Lends you a hand. (repeats all)

   Ele e um verdadeiro Homem de Lugar Nenhum
   Sentado em sua Terra de Lugar Nenhum
   Fazendo todos seus planos de Lugar Nenhum para ninguem
   Nao tem um ponto de vista
   Nao sabe para onde esta indo
   Ele nao e um pouquinho como eu e voce?
   Homem de Lugar Nenhum, nao se preocupe
   Va no seu tempo, nao se apresse
   Deixe isso tudo (para la) ate que alguem mais
   De-lhe uma mao. (repete tudo)


Nessa fase, nota-se pela primeira vez a maneira como a fama atinge e impressiona os Beatles, metonimizada na garota que deseja dirigir seu carro, ou na garota que se oferece a eles quando eles so querem dormir, como podemos conferir abaixo:
   Working for peanuts is all very fine,
   But I can show you a better time.
   Baby, you can drive my car,
   Yes, I'm gonna be a star,
   Baby, you can drive my car, and maybe I'll love you.
          (Drive my car, 1965)

   Trabalhar a troco de banana pode ser muito bom
   Mas eu posso lhe mostrar um tempo (muito) melhor
   Menina, voce pode dirigir meu carro
   Sim, eu vou ser um astro,
   Menina, voce pode dirigir meu carro
   E talvez eu te ame.

   And then she said "It's time for bed"
   She told me she worked in the morning and started to laugh
   I told her I didn't, and crawled to sleep in the bath
   And when I awoke I was alone,
   This bird had flown.
   So I lit a fire,
   Isn't it good? Norwegian wood.
          (Norwegian wood, 1965)

   E entao ela disse "Esta na hora da caminha"
   Ela contou que ela trabalhava de manha cedo e comecou a rir
   Eu disse a ela que nao e escorreguei para dormir na Banheira
   E quando eu acordei eu estava sozinho
   Este passaro tinha voado
   Entao eu acendi a lareira
   Isso nao e bom? Madeira de lei.


Nessa fase, os Beatles passam a te uma grande preocupacao social, mas ela nao e de modo algum panfletaria ou engajada, e sim mostra a caracteristica mais encantadora e permanente do seu trabalho, talvez a que lhes tenha garantido sua perenidade: sua extrema generosidade. Eles olham para as mazelas e miserias do mundo e das pessoas com uma condescendencia, com uma ternura, realmente enternecedoras, como e o caso das pessoas solitarias e fracassadas da cancao que se segue, que muitos criticos identificam como os proprios fas dos Beatles:
   Ah, look at all the lonely people.(two times).
   Eleanor Rigby picks up the rice in the church
   Where a wedding has been
   Lives in a dream.
   Waits at the window,
   Wearing a face that she keeps in a jar by the door,
   Who is it for?
   All the lonely people, where do they all come from?
   All the lonely people, where do they all belong?
   Father McKenzie, writing the words of a sermon
   That no- one will hear,
   No-one comes near
   Look at him working, darning his socks in the night
   When there's nobody there,
   What does it care?
   All the lonely people, where do they all come from?
   All the lonely people, where do they all belong?
   Ah, look at all the lonely people.(two times)

   Eleanor Rigby died in the church
   And was buried along with her name
   Nobody came.
   Father McKenzie, wiping in the dirt from his hand
   As he walks from the grave
   No-one was saved.
   All the lonely people, where do they all come from?
   All the lonely people, where do they all belong?
          Eleanor Rigby (1966)

   Ah, olhem toda essa gente solitaria (duas vezes)
   Eleanor Rigby cata o arroz na igreja
   onde aconteceu um casamento
   Vive dentro de um sonho.
   Espera na janela, (imaginando) sua face coberta
   por aquilo que ela guarda num jarro perto da porta
   Para que serve isso?
   Toda essa gente solitaria, de onde que elas vem?
   Toda essa gente solitaria, de onde elas sao?
   O pastor McKenzie, escrevendo as palavras
   De um sermao que ninguem ouvira
   Ninguem (nem) chegara perto.
   Olhem para ele trabalhando,
   Cerzindo suas meias a noite
   Quando nao ha ninguem la
   Para que ele se importa?
   Toda essa gente solitaria, de onde que elas vem?
   Toda essa gente solitaria, de onde elas sao?
   Ah, olhem toda essa gente solitaria (duas vezes)
   Eleanor Rigby morreu na igreja
   E foi enterrada (somente) com seu nome.
   O pastor McKenzie, limpando a sujeira das maos
   Conforme ele se afasta do tumulo
   Ninguem foi salvo.
   Toda essa gente solitaria, de onde que elas vem?
   Toda essa gente solitaria, de onde elas sao?


Tambem nesta fase, eles vao comecar a fazer a tecer criticas sociais e ironias por demais interessantes, como e o caso da musica sobre o cobrador de impostos, que na Inglaterra sao altissimos:
   Let me tell you how it will be
   There's one for you, nineteen for me
   'Cause I 'm the taxman, yeah,
   I'm the taxman.
   If you drive a car, I'll tax the street
   If you try to sit, tax your seat
   If you get too cold, tax your heat
   If you take a walk, tax your feet.
   And you're working for no-one but me.
          (Taxman, 1966)

   Deixe-me contar-lhe como vai ser
   E um para voce, dezenove para mim
   Porque eu sou o cobrador de imposto, sim,
   O cobrador de impostos.
   Se voce dirige um carro, eu taxo a rua
   Se voce tenta sentar, eu taxo seu assento
   Se voce fica com muito frio, eu taxo o calor
   Se voce da uma volta a pe, eu taxo seus pes.
   E voce nao trabalha para ninguem, exceto para mim.


A PSIDODELIA E A EXPERIMENTACAO

Em 1967, surge o album que vai revolucionar a historia da musica pop, provavelmente o melhor album dos Beatles, em que pela primeira vez um grupo pop utiliza recursos ate entao privativos da musica classica, tais como um conjunto de violinos ou um naipe de instrumentos de sopro, numa orquestracao sob a batuta do maestro George Martin, que funciona como um quinto Beatle neste album.

Embora muito influenciados pelas drogas nessa epoca, haja vista as letras de "Lucy in the sky with diamonds" (cujo titulo forma a sigla LSD) e "A day in the life", os Beatles alcancam neste disco um esplendido resultado, em que praticamente todas as musicas sao obras-primas, de grande lirismo e profundidade. Uma delas, em especial, tornou-se um icone da alegria de viver que nao conhece as barreiras da idade, do amor que supera o tempo, uma musica linda e extremanete generosa, como podemos conferir abaixo:
   When I get older, losing my hair
   Many years from now
   Will you still be sending me a Valentine
   Birthday greeting, bottle of wine
   If I 'd been out till quarter to three
   Would you lock the door
   Will you still need me, will you still feed me
   When I'm sixty four?
   You'll be older too,
   And if you say the word, I could stay with you.
   I could be handy mending a fuse
   When your lights have gone
   You can knit a sweater by the fireside
   Sunday morning go for a ride

   Doing the garden, digging the weeds
   Who could ask for more
   Will you still need me, will you still feed me
   When I'm sixty four?
   Every summer we can rent a cottage
   In the Isle of Wight, if it's not too dear
   We shall scrimp and save
   Grandchildren on your knees
   Vera, Chuck and Dave
   Send me a postcard, drop me a line
   Stating points of view
   Indicate precisely what you mean to say
   Yours sincerely wasting away
   Give me your answer, fill in a form
   Mine for evermore
   Will you still need me, will you still feed me
   When I'm sixty four?
          (When I 'm sixty four, 1967)

   Quando eu ficar velho, perdendo meus cabelos
   Daqui a muitos anos
   Voce ainda vai me mandar um cartao de namorados
   Saudacoes de aniversario, uma garrafa de vinho
   Se eu ficar fora ate um quarto para as tres
   Voce vai trancar a porta
   Voce ainda vai precisar de mim,
   Voce ainda vai me alimentar,
   Quando eu tiver sessenta e quatro anos?
   Voce vai ser mais velha tambem
   E se voce disser a palavra, eu poderei ficar com voce.
   Eu posso ser prestativo consertando um interruptor
   Quando suas luzes tiverem se apagado
   Voce pode tricotar um sueter perto da lareira
   No domingo de manha vamos dar um passeio
   Cuidando do jardim, enterrando as ervas-daninhas
   Quem pode pedir mais
   Voce ainda vai precisar de mim,
   Voce ainda vai me alimentar,
   Quando eu tiver sessenta e quatro anos?
   Todo verao nos podemos alugar uma cabana
   Na ilha de Wight se nao for muito caro
   Nos podemos economizar e poupar
   Com netinhos sobre seus joelhos
   Vera, Chuck e Dave
   Mande-me um postal, de um telefonema
   Declarando (seu) ponto de vista
   Indique precisamente o que voce quer dizer
   Esbanjando nos "sinceramente sua"
   De-me sua resposta, preencha um formulario
   Meu para todo o sempre
   Voce ainda vai precisar de mim,
   Voce ainda vai me alimentar,
   Quando eu tiver sessenta e quatro anos?


Em 1968, os Beatles lancam seu projeto mais ambicioso, o album duplo intitulado simplesmente The Beatles, conhecido como o album branco, por ter a capa toda branca com o nome do album em relevo. Nele, eles mostram todo seu talento, com melodias muito bem elaboradas e letras de altissima qualidade poetica. Destacam-se especialmente, neste album, a musica experimental Number Nine, que consiste simplesmente na repeticao do titulo da cancao durante todo o periodo de duracao da musica, com varias modulacoes e ritmos; as musicas experimentais e de dificil entendimento "Everybody's got something to hide except for me and my monkey" e "Helter skelter"; as cancoes de cunho politico-social "Revolution" e "Piggies" e a cancao de amor filial "Julia". Confira a qualidade excepcional das duas ultimas cancoes citadas:
   Have you seen the little piggies
   crawling in the dirt?
   And for all the little piggies life is getting worse,
   Always having dirt to play around in.
   Have you seen the bigger piggies
   In their starched white shirts?
   You will find the bigger piggies stirring up the dirt,
   Always have clean shirts to play around in.
   In their styes with all their backing they don 't care
   What goes around.
   In their eyes there's something lacking,
   What they need's a damn good whacking.
   Everywhere there 's lots of piggies living piggy lives,
   You can see them out for dinner with their piggy wives,
   Clutching forks and knives to eat their bacon.

   Voce ja viu os leitoezinhos chafurdando na sujeira?
   E par a todo os leitoezinhos a vida esta ficando pior,
   Sempre tendo (somente) sujeira para brincarem dentro.
   Voce ja viu os leitoes maiores
   Com suas camisas brancas engomadas?
   Voce vera os leitoes maiores pairando acima da sujeira,
   Sempre tendo camisas limpas para brincar dentro.
   Nos seus chiqueiros com todos aqueles traseiros
   eles nao ligam para o que se passa a sua volta,
   nos seus olhos ha alguma coisa faltando,
   o que eles precisam e uma surra daquelas.
   Em todos os lugares ha montes de leitoes
   Vivendo vidas porcas
   Voce pode ve-los saindo para jantar
   Com suas mulheres porcas
   Manejando garfos e facas para comerem seu bacon.

   Half of what I say is meaningless
   But I say it just to reach you, Julia.
   Julia, Julia, oceanchild, calls me
   So I sing a song of love, Julia
   Julia, seashell eyes, windy smile, calls me
   So I sing a song of love, Julia
   Her hair of floating sky is shimmering,
   Glimmering in the sun.
   Julia, Julia, morning moon, touch me
   So I sing a song of love, Julia
   When I cannot sing my heart
   I can only speak my mind, Julia
   Julia, sleeping sand, silent cloud, touch me
   So I sing a song of love, Julia
   Hum hum hum hum ... calls me
   So I sing a song of love for Julia, Julia, Julia.

   Metade do que eu falo e sem sentido
   Mas eu falo so para alcancar voce, Julia.
   Julia, Julia, crianca do oceano, chama-me
   E ai eu canto uma cancao de amor, Julia.
   Julia, olhos de conchas, sorriso de vento, chama-me
   E ai eu canto uma cancao de amor, Julia.
   Seus cabelos de ceu esvoacante estao tremulando,
   Cintilando no sol.
   Julia, Julia, lua da manha, chama-me
   E ai eu canto uma cancao de amor, Julia.
   Quando eu nao posso cantar meu coracao
   Eu so posso falar minha mente, Julia
   Julia, areia dormente, nuvem silenciosa, chama-me
   E ai eu canto uma cancao de amor, Julia
   Hum hum hum hum.... chama-me
   E ai eu canto uma cancao de amor, Julia, Julia, Julia.


A DESILUSAO DA DISSOLUCAO

Finalmente, para alegria de todos os malditos azuis (the blue meanies do desenho animado Submarino Amarelo), os Beatles ficaram exauridos da convivencia continua e resolveram se separar, principalmente devido a desavenca entre John e Paul. Mas essa separacao foi extremamente penosa para ambos e, muito embora ambos tenham se agredido em publico e pessoalmente, o sentimento maior desse periodo e o de perda, uma imensa perda pela amizade juvenil genuina que tinha que se acabar ou se modificar pela entrada em cena de um valor mais alto: as esposas, as maes dos seus filhos. Evidencia dessa dor e o fato de a maioria das musicas dessa epoca, dos albuns "Abbey Road" e "Let it be", como podemos constatar pelos seguintes trechos de cancoes da epoca:
   Get back, get back.
   Get back to where you once belonged.
   Get back Jojo. Go home.
          (Get back, 1970)

   Volte, volte.
   Volte para o lugar ao qual voce ja pertenceu.
   Volte Jojo. Venha para casa.

   Oh! Darling, if you leave me I 'll never make it alone
   Believe me when I beg you don 't ever leave me alone.
   Oh, querida, se voce me deixar
   Eu nunca vou conseguir (viver, fazer isso) sozinho
   Acredite-me quando eu lhe imploro
   Para nunca me deixar sozinho


CONCLUSOES

A poetica dos Beatles encantou e sobrevive ate hoje porque eles aliaram um grande talento a uma grande generosidade e tambem porque eles foram extremamente respeitosos e democraticos na defesa de suas ideias e ideais. Suas musicas falam das alegrais e tristezas mais comezinhas do ser humano assim como dos grandes problemas filosoficos e politicos, mas sem nunca querer impor suas ideias e sua estetica, de maneira que nos sentimos muito a vontade para ouvi-los, pois temos certeza de que, se nao concordarmos com suas ideias, elas nao nos serao impostas, como soem fazer varios artistas, que transformam suas obras em libelos. Por exemplo, os Beatles defenderam vigorosamente a paz sem nunca sequer usarem a palavra Vietnam, foram parte da cultura das drogas sem jamais fazerem qualquer alusao direta ao assunto. E essa elegancia, esse savoir-faire, esse respeito as liberdades individuais, aliados ao seu inegavel talen-to e a sua extrema generosidade e otimismo que permitiram que um disco dos Beatles recem-lancado, o Numero 1, tenha alcancado hoje, vinte anos apos a dissolucao do conjunto, o primeiro lugar na sua terra natal, a Inglaterra, e esteja vendendo muito bem em todo o mundo.

Afranio da Silva Garcia (UERJ)
COPYRIGHT 2002 Universidade do Estado do Rio de Janeiro- Uerj
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2002 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:da Silva Garcia, Afranio
Publication:Soletras
Date:Jan 1, 2002
Words:3785
Previous Article:Machado de assis dimensao diacronica de alguns aspectos do pessimismo.
Next Article:A questao da professora de amor em Amar, Verbo Intransitivo--Idilio de Mario de Andrade.

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters