Printer Friendly

A INFLUENCIA DA PARTICIPACAO NAS AULAS DE GINASTICA LABORAL NA OCORRENCIA DE SINAIS E SINTOMAS DE INFECCOES RESPIRATORIAS.

RESUMO

Objetivo: Analisar a influencia da participacao nas aulas de Ginastica Laboral na ocorrencia de sinais e sintomas de infeccoes do trato respiratorio superior (ITRS). Metodologia: Participaram da pesquisa 31 voluntarios de ambos os sexos com idades entre 23 e 53 anos. Os seguintes questionarios foram utilizados para a coleta de dados: Wisconsin Upper Respiratory Symptom Survey (WURSS-21) para obter informacoes relacionadas a saude, o Internacional Physical Activity Questionnaire (IPAQ curto) avaliou o tempo semanal gasto em atividades fisicas pelos individuos estudados e o The Medical Outcomes Study 36 (SF-36) coletou informacoes referentes a qualidade de vida dos mesmos. A ferramenta utilizada para coleta de dados foi o Google Docs. Resultados: O nivel de atividade fisica nao demonstrou relacao com sintomas para ITRS, porem demonstrou correlacao positiva a melhora da qualidade de vida. Os sintomas e severidade para ITRS demonstraram relacao diretamente proporcional. Em dois dos quatro momentos da pesquisa a severidade dos sintomas teve relacao inversamente proporcional a qualidade de vida. E em um dos momentos os sintomas tambem demonstrou relacao inversamente proporcional a qualidade de vida. Conclusao: Foi possivel concluir que a Ginastica Laboral nao demonstrou relacao direta a diminuicao de sintomas de ITRS. Apesar disso, dicas de saude e atividades especificas abordadas em aula podem contribuir para promocao da saude e melhora da qualidade de vida dos trabalhadores.

Palavras-chave: Ginastica Laboral. Atividade Fisica. Qualidade de Vida. Infeccoes do Trato Respiratorio Superior.

ABSTRACT

The influence of enrollment in Gymnastics in the occurrence of signs and symptoms of respiratory infections

Objective: To analyze the influence of participation in Gymnastics classes in the occurrence of signs and symptoms of upper respiratory tract infections (URTI). Methods: The participants were 31 volunteers of both sexes aged between 23 and 53 years. The following questionnaires were used to collect data: Wisconsin Upper Respiratory Symptom Survey (WURSS-21) for health-related information, the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ short) assessed the weekly time spent in physical activities by individuals studied and The Medical Outcomes Study 36 (SF-36) collected information on quality of life thereof. The tool used for data collection was Google Docs. Results: The level of physical activity demonstrated no relationship with symptoms to URTI, but showed a positive correlation with improved quality of life. The symptoms and severity for URTI demonstrated directly proportional relationship. In two of the four stages of the research the severity of symptoms had inverse relationship to quality of life. And in one of the moments symptoms also showed inverse relationship to quality of life. Conclusion: It was concluded that the Gymnastics showed no direct relation to the reduction of symptoms of URTI. Nevertheless, health tips and specific activities discussed during the lesson can contribute to health promotion and improved quality of life of workers.

Key words: Gymnastics. Physical Activity. Quality of Life. Infections of the Upper Respiratory Tract.

INTRODUCAO

O trabalho e uma necessidade humana, um processo entre o homem e a natureza que resulta na producao, distribuicao, intercambio e consumo dos meios de vida.

Os avancos tecnologicos promoveram mudancas significativas nestes processos de trabalho, impondo ao trabalhador ritmos intensos de producao, jornadas prolongadas, ambientes ergonomicamente inadequados, entre outros (Sato e colaboradores, 1993; Codo, Acheida, 1997).

A Ginastica Laboral (GL) foi implementada em 1925 na Polonia, como pausa adaptada a cada ocupacao. Porem, foi na decada de 60 que tornou-se pratica mais efetiva, consolidando-se no Japao e chegando ao Brasil em 1969, trazida por empresarios japoneses (Bergamaschi, Deutsch, Ferreira, 2002).

Para Dias (1994), a ginastica laboral e composta por exercicios especificos de curta duracao, realizados de forma coletiva no proprio local de trabalho, atuando de forma preventiva e terapeutica, visando despertar o corpo, reduzir acidentes de trabalho, prevenir doencas por traumas cumulativos, corrigir vicios posturais, aumentar a disposicao para o trabalho, promover integracao entre os funcionarios e evitar a fadiga gerada pelo trabalho.

O objetivo da GL e promover adaptacoes fisiologicas (aumento da temperatura corporal, tecidual e da circulacao sanguinea), fisicas (melhoria da flexibilidade, mobilidade articular e postura) e psiquicas (preocupacao da empresa com o individuo, mudanca de rotina e integracao dos funcionarios entre os colegas e com superiores), por meio de exercicios dirigidos e adequados para o ambiente de trabalho (Lima, 2003), alem de restabelecer o antagonismo muscular utilizando exercicios fisicos especificos que fortalecem os musculos que estao alongados e alongam os que estao encurtados.

A infeccao viral das vias aereas superiores e uma doenca infecciosa aguda que acomete as vias aereas superiores. A cada inverno atinge mais de 100 milhoes de pessoas na Europa, Japao e Estados Unidos (EUA). Anualmente e causa de morte de cerca de 20 a 40 mil pessoas somente nos EUA (Simonsen, 1997).

Devido a permanente exposicao das vias aereas a agentes contaminantes como, por exemplo, inalacao de poeiras nocivas e agentes patogenos as doencas do sistema respiratorio tornam-se extremamente comuns. O resfriado e um exemplo disso, o trato superior e atacado com intervalos frequentes e regulares, e a frequente inflamacao do local pode levar a pneumonia aguda ou a doenca pulmonar cronica (Andrew, 2002).

O objetivo do estudo foi analisar a influencia da participacao nas aulas de Ginastica Laboral na ocorrencia de sinais e sintomas de ITRS, em trabalhadores, de ambos os sexos, com idade entre 23 a 53 anos, de uma empresa de Sao Jose-SC.

MATERIAIS E METODOS

A pesquisa caracteriza-se como uma pesquisa descritiva (Liberali, 2011). A instituicao pesquisada oferece e incentiva seus funcionarios a participacao do programa de GL, que tem aulas diariamente. Os responsaveis pelo programa na respectiva empresa autorizaram a pesquisa mediante a assinatura de um termo de consentimento livre e esclarecido.

Este estudo foi realizado com os trabalhadores (N=31) que participam e tambem os que nao participam das aulas de GL por diferentes motivos (trabalho externo, viagens, falta de interesse, horario de trabalho nao coincide com o horario das aulas).

Participaram da pesquisa 31 funcionarios voluntarios que atenderam aos seguintes criterios: assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido e preenchimento das quatro etapas da pesquisa, dentro do prazo estipulado, realizada atraves de aplicacao de questionario.

A identificacao dos individuos em cada etapa foi realizada atraves do nome. O convite para participacao da pesquisa foi realizado em um dia normal de trabalho onde a pesquisadora passou em cada setor explicando os objetivos e procedimentos da mesma. A pesquisadora principal se colocou a disposicao para prover qualquer tipo de esclarecimento. Todos que entregaram o termo de consentimento foram incluidos na primeira etapa da pesquisa.

No que refere aos aspectos eticos, as avaliacoes nao tinham nenhum dado que causasse constrangimento ao responde-las. Alem disso, foram incluidos no estudo os adultos que aceitaram participar voluntariamente, apos obtencao de consentimento verbal e uma autorizacao por escrito. Dessa forma, os principios eticos contidos na Declaracao de Helsinki e na Resolucao no 196 de 10 de Outubro de 1996 do Conselho Nacional de Saude foram respeitados em todo o processo de realizacao desta pesquisa.

Porem, do ponto de vista academico, o projeto nao foi submetido ao Comite de Etica em Pesquisa da Universidade, ainda que o termo de consentimento livre e esclarecido tenha sido assinado em duas vias pelos sujeitos entrevistados.

Para a coleta de dados foram aplicados os seguintes questionarios: WURSS-21 (Wisconsin Upper Respiratory Symptom Survey): desenvolvido por Bruce Barret (2004), e composto por 21 questoes que buscam obter informacoes relacionadas a saude do individuo, que sao negativamente influenciadas por resfriados comuns e inclui um item de severidade global ("O quanto voce se sente doente/enfermo hoje?"), dez itens baseados em sintomas de severidade media, nove itens relacionados a tarefas funcionais e qualidade de vida e um item de modificacao geral ("comparado com ontem, eu sinto que o meu resfriado esta... "). Todos os itens sao baseados em uma escala tipo Likert de severidade de 0 a 7.

O IPAQ versao curta (Internacional Physical Activity Questionnaire): permite estimar o tempo semanal gasto em atividades fisicas de intensidade moderada e vigorosa em diferentes contextos (trabalho, transporte, tarefas domesticas e lazer) e de inatividade fisica (posicao sentada). Trata-se de um questionario com sete questoes, desenvolvido por Hallal e Victora, (2004).

O SF-36 (The Medical Outcomes Study 36): criado por Ware e Sherbourne em 1992, foi traduzido e validado para a lingua portuguesa por Ciconelli em 1999 (Ciconelli e colaboradores, 1999).

Composto por 36 itens de autoresposta, esta subdivididos em oito dimensoes: capacidade funcional (dez itens), aspectos fisicos (dois itens), aspectos emocionais (tres itens), dor (dois itens), estado geral de saude (cinco itens), vitalidade (quatro itens), aspectos sociais (dois itens), saude mental (cinco itens) e mais uma questao de avaliacao comparativa entre as condicoes de saude atual e a de um ano atras, de extrema importancia para o conhecimento da doenca do paciente. Esse instrumento avalia tanto aspectos negativos (doenca) como os aspectos positivos (bem-estar) (Mchorney, 1994).

A ferramenta utilizada para coleta de dados foi o Google Docs. Apos inclusao dos questionarios nesta ferramenta, o mesmo gera um link de acesso, que foi enviado a todos os pesquisados que haviam entregado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido assinado, declarando concordar em participar deste estudo. O termo informava os objetivos da pesquisa e a forma com que seriam realizadas as quatro etapas--denominadas no presente estudo como Momento 1, Momento 2, Momento 3 e Momento 4. Os avaliados tiveram 14 dias corridos para responder ao questionario on line em cada momento. Todos foram orientados a responder individualmente, levando em consideracao sua interpretacao para cada questao para que nao houvesse interferencia nas respostas. Em caso de impossibilidade de compreensao a pesquisadora colocou-se a disposicao para orientacoes.

A GL realizada pelos funcionarios desta empresa e do tipo Compensatoria, que segundo Kolling (1980) tem por objetivo trabalhar e/ou relaxar os musculos exigidos excessivamente durante a jornada de trabalho. As aulas tem duracao entre 10 e 12 minutos.

E um programa de atividade fisica preventivo, socioeducativo e ludico, desenvolvido de forma coletiva pelo trabalhador da industria, no tempo e no local de trabalho. Pautado nos principios do Lazer Ativo, tem por objetivo a promocao do habito da atividade fisica, a socializacao e a melhoria na qualidade de vida.

Anualmente sao definidos e predeterminados temas dentro desses objetivos que serao abordados mensalmente. Tambem sao enfatizados os assuntos de maior relevancia para cada empresa, que faz esta definicao no momento da contratacao do servico.

Outro fator de extrema relevancia e a organizacao das aulas praticas, que levam em consideracao o posto de trabalho dos individuos e as posturas adotadas ao longo do dia para realizacao da sua funcao.

A analise dos dados foi atraves da estatistica descritiva. Para satisfazer os objetivos que se referem as relacoes existentes entre os questionarios (IPAQ curto, SF-36 e WURSS-21) foram utilizados testes nao parametricos, como de Spearman para correlacao dos dados e Wilcoxon para comparacao, uma vez que os dados nao sao normais.

Os dados foram tabulados no programa Microsoft Excel for Windows, sendo que as analises estatisticas foram realizadas no pacote estatistico SPSS versao 16.0.

RESULTADOS

Fizeram parte do estudo 31 trabalhadores, de ambos os sexos, com idade entre 23 e 53 anos, que participavam com frequencia e os que nao participavam das aulas de GL oferecidas diariamente pela empresa.

A tabela 1 apresenta os valores descritivos (media e desvio-padrao) dos questionarios aplicados a amostra.

O nivel de atividade fisica nao demonstrou relacao com os sinais e sintomas para doencas respiratorias (p>0,05). Porem, demonstrou correlacao positiva a melhora da qualidade de vida (IPAQ momento 1 e SF-36 momento 3: r=0,372 e p=0,11; IPAQ momento 2 e SF-36 momento 3: r=0,452 e p=0,40).

De acordo com resultados do WURSS21, a severidade apresentou correlacao diretamente proporcional aos sintomas de ITRS (Sintomas 1 e Severidade 1: r= 0,921 e p=0,000; Sintomas 1 e Severidade 2: r=0,569 e p=0,001; Sintomas 1 e Severidade 3: r=0,434 e p=0,015; Sintomas 1 e Severidade 4: r=0,569 e p=0,001; Sintomas 2 e Severidade 1; r=0,604 e p=0,000; Sintomas 2 e Severidade 2; r=0,961 e p=0,000; Sintomas 2 e Severidade 4; 0,515 e p=0,001; Sintomas 3 e Severidade 1: r= 0,454 e p= 0,010; Sintomas 3 e Severidade 2; r=0,371 e p=0,040; Sintomas e Severidade 3; r=0,942 e p=0,000; Sintomas 3 e Severidade 4: r= 0,572 e p=0,001; Sintomas 4 e Severidade 1: r=0,560 e p=0,001; Sintomas 4 e Severidade 2: r=0,547 e p=0,001; Sintomas 4 e Severidade 3: r= 0,548 e p=0,001; Sintomas 4 e Severidade 4; r=0,981 e p=0,000). No entanto, nao houve diferenca estatistica ao comparar a severidade e os sintomas de ITRS nos diferentes momentos (momento 1, 2, 3 e 4).

No momento 2 e 4, foi possivel perceber relacao inversamente proporcional (r= - 0,364 e p=0,044; r= - 0,412 e p=0,021) entre a severidade dos sintomas para ITRS e a qualidade de vida. Ainda no momento 4, a qualidade de vida tambem demonstrou relacao inversamente proporcional aos sintomas (r= -0,397 e p=0,027).

DISCUSSAO

O trato respiratorio superior compreende as cavidades nasais e os seios paranasais, a trompa de Eustaquio, o ouvido medio, a faringe e a laringe. A caracteristica comum deste sistema e a camada epitelial, que contem cilios e possui capacidade de intercambio passivo e ativo de calor e umidade e o transporte mucociliar de secrecoes. Esta mucosa que reveste as fossas nasais e chamada de pituitaria ou membrana de Schneider e possui abundante vascularizacao (Martinez e colaboradores, 2006).

A maior parte da modificacao do ar inspirado ocorre nas fossas nasais, que promove a purificacao, responsavel pela remocao de agentes infecciosos, alergicos e toxicos do ar; a defesa, onde a mucosa identifica, metaboliza e remove elementos xenobioticos; o aquecimento e umedecimento, alem de proporcionar a olfacao e contribuir com a audicao, fonacao e gustacao.

Constituem, portanto, funcao de protecao das cavidades paranasais e auriculares e das vias respiratorias inferiores.

A purificacao e realizada pela acao mecanica dos pelos (vibrissas), pela funcao ciliar e pela acao bactericida do muco nasal. O aquecimento do ar inspirado e assegurado pelo calor gerado pela intensa vascularizacao da mucosa nasal, controlada por inervacao simpatica e parassimpatica. E o umedecimento e promovido pela secrecao mucosa.

O aparelho respiratorio possui cerca de 100 metros quadrados de superficie de contato e e a principal interface entre o meio externo e interno, particularmente com o ar e seus constituintes, gases e aerossois, sob a forma liquida ou solida. Sabendo que um adulto inala entre 7 e 12 mil litros de ar por dia, e possivel imaginar as repercussoes relacionadas a essa interacao.

As infeccoes do trato inferior (formado pela traqueia, bronquios, bronquiolos e pulmoes), sao evitadas atraves do perfeito funcionamento do trato superior. Quando ha retencao de secrecao nos seios paranasais pode ocorrer edema de mucosa, diminuicao da atividade ciliar e producao excessiva ou alteracoes das propriedades do muco.

A secrecao exagerada de muco pode reduzir ou anular a atividades dos cilios, dificultando o trabalho constante de expulsao e eliminacao de particulas e microorganismos que invadem as vias aereas superiores. Ja a diminuicao da atividade ciliar facilita a penetracao e proliferacao de bacterias e virus. Este processo pode gerar um ciclo vicioso.

Atraves de estimulo, que pode ter diferentes causas, ocorre edema na mucosa que leva a obstrucao do ostio de drenagem, diminuicao da atividade ciliar e aumento na producao de muco. O acumulo de muco no interior dos seios nasais causa diminuicao da pressao intra-sinusal, convertendo o muco em mucopus, que diminui o ritmo ciliar e acumulase ao redor do ostio de drenagem.

Devido a permanente exposicao das vias aereas a agentes contaminantes como, por exemplo, inalacao de poeiras nocivas e agentes patogenos as doencas do sistema respiratorio do trato superior tornam-se extremamente comuns.

O resfriado comum e um exemplo disso, o trato superior e atacado com intervalos frequentes e regulares e a frequente inflamacao do local pode levar a pneumonia aguda ou a doenca pulmonar cronica. Alem disso, doencas virais causam necrose celular o que favorece a proliferacao de bacterias (Andrew, 2002).

As infeccoes de vias aereas superiores sao causadas por virus ou bacterias. Aproximadamente 80% destas sao causadas por virus e apenas 20% por bacterias. Os principais sintomas dessas infeccoes sao: tosse, coriza, dificuldade para respirar, dor de garganta e febre. Sao transmitidas pelo contato com pessoas infectadas, que liberam os microrganismos pela saliva e secrecao nasal. A disseminacao ocorre em sua maioria atraves do contato das secrecoes com as maos e destas com o rosto.

Nos meses de inverno a propagacao das infeccoes e maior devido ao ar seco e frio e ao aumento da aglomeracao de pessoas em locais fechados (Portal da Saude - Ministerio da Saude, 2013), porem a qualidade do ar, principalmente dos centros urbanos deve ser avaliada tambem como situacao adversa para manutencao do bem-estar e qualidade de vida dos individuos (Pitton, Domingos, 2004).

A poluicao do ar causa uma resposta inflamatoria no aparelho respiratorio que acarreta no aumento da producao, da viscosidade, da acidez e consistencia do muco, levando a diminuicao da resposta mucociliar (Bascom e colaboradores, 1996).

Para o tratamento das infeccoes do trato superior e recomendado hidratacao, analgesicos, antitermicos e repouso. O acompanhamento medico pode evitar complicacoes e evolucao das viroses para sinusite, otites ou faringolaringites. As infeccoes bacterianas sao controladas principalmente pelo uso de antibioticos.

Devido ao uso frequente destes medicamentos e a facilidade na disseminacao de agentes bacterianos, a resistencia bacteriana tem aumentado consideravelmente (Mocellin, 2011).

Segundo a Organizacao Pan-Americana da Saude (2003), as doencas cronicas nao-transmissiveis que incluem as doencas cardiovasculares, as diabetes, a obesidade, o cancer e as doencas respiratorias, sao as principais causas de mortalidade e incapacidade no mundo, responsavel por 59% dos 56,5 milhoes de obitos anuais. Mudancas nos habitos alimentares, na atividade fisica e no controle do fumo poderiam causar impacto substancial na reducao das taxas dessas doencas (Souza, Neto, 2008).

A American Thoracic Society (1999) considera que as exposicoes ambientais e ocupacionais podem ser responsaveis por ate 20% das doencas das vias aereas. A poluicao do ar nos ambientes de trabalho esta associada a uma extensa gama de doencas do trato respiratorio que acometem desde o nariz ate o espaco pleural. Entre os fatores que influenciam os efeitos desta exposicao estao as propriedades quimicas e fisicas dos gases e aerossois e as caracteristicas do individuo, como heranca genetica, doencas preexistentes e habitos de vida (Ministerio da Saude, 2011).

A prevencao das doencas do sistema respiratorio relacionadas ao trabalho baseia-se nos procedimentos de vigilancia em saude do trabalhador, que inclui a vigilancia epidemiologica de agravos e a vigilancia sanitaria dos ambientes e condicoes de trabalho (Ministerio da Saude, 2001).

No presente estudo nao foi possivel perceber relacao entre a participacao nas aulas de GL e a diminuicao dos sintomas de ITRS.

Alguns estudos tem demonstrado que o exercicio fisico moderado pode estar relacionado a melhora na resposta do sistema de defesa do organismo (Nieman, 2000; Smith e colaboradores, 1996).

Nesta intensidade ocorre melhora na funcao de celulas Natural Killer (desencadeiam defesa precoce contra infeccoes), neutrofilos (mais abundante dos leucocitos, possui capacidade de fagocitose) e macrofago (celulas de defesa que migram para os tecidos) (Nieman, 1997).

A intensidade do exercicio durante as aulas de GL tende a ser leve, o que pode ter sido fator determinante no presente resultado. Neste caso, alguns pontos importantes devem ser considerados, entre eles, que a GL e realizada no ambiente de trabalho e a vestimenta utilizada pelos alunos pode nao ser adequada. A sudorese e outro fator influenciador, visto que os trabalhadores darao continuidade a rotina de trabalho apos a aula.

Em contrapartida, o exercicio fisico intenso e prolongado pode enfraquecer os mecanismos de defesa. O mesmo se aplica para treinos excessivos (Fitzgerald, 1991; Heath e colaboradores, 1991).

Neste caso, o aumento da incidencia de infeccoes das vias aereas superiores e percebido, provavelmente devido ao periodo de imunossupressao (diminuicao da concentracao salivar de imunoglobulina A, de celulas Natural Killer e da atividade citolitica pos exercicio) (Keast e colaboradores, 1988; Mackinnon e colaboradores, 1987).

Com o crescimento da populacao, a industria precisou se adequar a competitividade e a demanda dos mais diversificados produtos em todos os setores da economia. Todavia, em diversos momentos o planejamento estrategico nao pode ser realizado, os trabalhadores nao estavam preparados para os novos desafios e para a mudanca brusca em seu estilo de vida e a cobranca por resultados (ganhos, lucros) era uma nova realidade, o que deu margem ao estresse, que ganhou espaco e se difundiu no meio produtivo (Pegado, 1995).

Sharkey (1998) e Nahas (2001) afirmam ainda que e impossivel viver sem o estresse, porem o seu excesso pode causar danos fisicos e emocionais, resultando na perda de produtividade e dificuldade de relacionar-se com outras pessoas. Segundo a OMS, o estresse e uma das maiores ameacas a saude humana no presente seculo.

Como consequencias ao estresse continuo tem-se o aumento de diversas patologias relacionadas ao trabalho (Sharkey, 1998).

O organismo levado a exaustao resulta em queda no mecanismo de defesa do organismo, com reducao das celulas linfaticas do timo, dos ganglios linfaticos e mesmo do sangue circulante de modo que fique mais suscetivel a infeccoes.

Alem disso, pode causar ulceras digestivas, aumento da pressao arterial, acidente vascular encefalico, infarto agudo do miocardio, cancer, artrite, disturbios nervosos, depressao, dores de cabeca, alergias, entre outros (Nahas, 2001).

Em dois momentos (Momento 2 e Momento 4) da pesquisa a relacao entre a severidade dos sintomas para ITRS e a qualidade de vida foi inversamente proporcional, ou seja, quanto melhor o indice de qualidade de vida do individuo avaliado, menor a severidade dos sintomas para ITRS (r= -364 e p>0,05; r= -0,412 e p=0,021).

Ainda, no momento 4 a qualidade de vida tambem demonstrou relacao inversamente proporcional aos sintomas (r= -0,397 e p=0,027).

Neste caso, vamos de encontro ao estudo de Carvalho e colaboradores (2010) que avaliou 116 funcionarios de uma empresa de Telemarketing de ambos os generos, praticantes e nao praticantes de GL e dentre os resultados constatou que num intervalo de 3 meses, periodo de duracao do estudo, o grupo praticantes obteve um total de faltas menor quando comparado ao grupo nao praticante de GL. Isso demonstra que programas de qualidade de vida e GL, podem atuar como fator preventivo ao absenteismo por doenca.

Um estudo foi realizado com 18 funcionarios do sexo masculino, com idade entre 22 e 56 anos que trabalhavam na linha de montagem de uma empresa multinacional do setor de metalurgia de Campinas-SP. Estes foram divididos em dois grupos com numero igual de individuos, um era o grupo controle (GC) e outro o grupo alongamento (GA). O GA realizava GL diariamente em dois periodos (manha e tarde), por 10 minutos.

Ambos os grupos realizaram coleta de sangue uma hora antes da sessao de GL do periodo vespertino para avaliar as concentracoes de cortisol. O GA realizou a ginastica enquanto o GC se manteve em uma sala, sentados, conversando informalmente. Logo apos a aula, a segunda coleta de sangue foi realizada e foi possivel observar que seis dos nove voluntarios do GA apresentaram diminuicao aguda na concentracao de cortisol (Oliveira, Silva, 2013).

Alguns outros estudos demonstram resultados interessantes com relacao a GL. Em 1982, Kolling verificou a reducao da fadiga apos sessoes de GL, Rocha (1999), estudou a influencia na postura dinamica do trabalhador e observou melhora e Martins (2000) analisou o aumento da flexibilidade e alteracao no estilo de vida que tambem foram influenciados positivamente pelas aulas de GL.

Alem disso a atividade fisica moderada foi tao eficaz na reducao de tensao quanto um tranquilizante, sendo que o exercicio fisico teve efeito mais duradouro.

O conceito de qualidade de vida e complexo e engloba um conceito multidimensional que reflete a avaliacao subjetiva de satisfacao pessoal em relacao ao bem-estar fisico, funcional, emocional e social (Pompeu, Meneses, 2008).

Sucesso (2002) relata que qualidade de vida no trabalho esta relacionada a renda capaz de satisfazer as expectativas pessoais e sociais; ao orgulho pelo trabalho realizado; a vida emocional satisfatoria; a auto-estima; a imagem da empresa/instituicao junto a opiniao publica; ao equilibrio entre trabalho e lazer; aos horarios e condicoes sensatos de trabalho; as oportunidades e perspectivas de carreira; a possibilidade de uso do potencial; ao respeito aos direitos; e a justica nas recompensas.

Pesquisas demonstraram alguns beneficios da GL que reflete diretamente na percepcao de melhora da qualidade de vida. Em pesquisa com funcionarios de um supermercado de Florianopolis, concluiu que os beneficios adquiridos com o programa de GL foram: melhor disposicao para o trabalho, diminuicao do cansaco fisico no final do dia, aumento do clima de amizade e espirito de grupo, tornando os funcionarios mais unidos e comprometidos com a empresa.

Em pesquisa com os funcionarios da companhia de seguros Folksam, na Suecia, observou-se que 87% dos trabalhadores achavam que a ginastica era um estimulante de ordem psicologica, 76% achavam que o trabalho se realizava mais facilmente apos a ginastica e 60,7% acreditavam que a fadiga diminuia.

No Brasil, um trabalho realizado com cinco empresas do Rio Grande do Sul, concluiu, atraves de entrevista com funcionarios que a ginastica laboral reduz significativamente afastamentos por doencas ocupacionais e faltas, devido aos efeitos de relaxamento, descontracao e diminuicao de dores que a ginastica laboral proporciona.

Autores tambem concluiram que o nivel de atividade fisica influencia de maneira positiva a qualidade de vida.

Silva e colaboradores (2010) pesquisaram 863 individuos, entre eles, professores, estudantes e funcionarios da Universidade Catolica de Pelotas atraves de questionario especifico de atividade fisica e qualidade de vida e percebeu que quanto mais ativa a pessoa, melhor sua qualidade de vida. Alem de diferencas positivas da qualidade de vida em aspectos fisicos, foram notadas melhoras em aspectos cognitivos e psicologicos.

Netto e colaboradores (2012) avaliou 352 estudantes universitarios da area da saude e concluiu que aqueles que realizavam atividade fisica com maior frequencia e intensidade implicaram melhores escores na qualidade de vida em aspectos fisicos e psicologicos.

Os resultados foram semelhantes para Cieslak e colaboradores (2012), que analisou a qualidade de vida e o nivel de atividade fisica de 178 universitarios de ambos os sexos e encontrou correlacoes positivas e fortes entre as variaveis estudadas.

Esses dados vao de encontro aos resultados deste estudo, que demonstrou correlacao positiva entre o nivel de atividade fisica e a qualidade de vida (IPAQ momento 1 e SF-36 momento 3: r=0,372 e p=0,11; IPAQ momento 2 e SF-36 momento 3: r=0,452 e p=0,40).

Ambos os temas sao centrais nas abordagens durante as aulas de GL do grupo pesquisado. Atraves de dicas e atividades estimula-se a pratica da atividade fisica habitual como fator primordial para manutencao do bem-estar e da qualidade de vida.

CONCLUSAO

Os resultados encontrados nesta pesquisa nos permitem inferir que a GL nao demonstrou relacao com a diminuicao de sintomas de ITRS, o que pode estar relacionado a baixa intensidade das atividades realizadas em aula.

Porem, a qualidade de vida demonstrou relacao inversamente proporcional a severidade de ITRS.

A qualidade de vida e foco no planejamento das aulas na empresa pesquisada e e incentivada e trabalhada atraves de dicas de saude e atividades especificas.

Alem disso, foi possivel concluir que o nivel de atividade fisica dos trabalhadores influencia de forma positiva sua qualidade de vida, o que enfatiza a importancia do incentivo a pratica para promocao da saude, comum durante as aulas.

REFERENCIAS

1-American Thoracic Society Documents. Basics of Occupational Lung Diseases. 1999.

2-Andrew, D.; Blakeley, A. G. H.; Kidd, C. Fisiologia Humana. Porto Alegre. Artmed. 2002.

3-Bascom, R.; Bromberg, P. A.; Costa, D. A.; Devlin, R.; Dockery, D. W.; Framptom, M. W.; Lambert, W.; Samet, J. M.; Speizer, F. E.; Utell, M. State Of The Art. Health Effects of Outdoor Pollution. Am. J. Respir. Crit. Care Med. Vol. 153. Num. 1. p.3-50. 1996.

4-Bergamaschi, E. C.; Deutsch, S.; Ferreira, E. P. Ginastica laboral: possiveis implicacoes para as esferas fisica, psicologica e social. Atividade Fisica e Saude. Vol. 7. Num. 3. 2002.

5-Carvalho, D. C.; Oliveira, E. S.; Gomes, E. R. Z. Analise do indice de absenteismo dos operadores de telemarketing praticantes e nao praticantes de Ginastica Laboral. Revista Digital - Buenos Aires. Ano 15. Num. 146. 2010.

6-Ciconelli, R. M.; e colaboradores. Traducao para a lingua portuguesa e validacao do questionario generico de avaliacao de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Revista Brasileira de Reumatologia. Vol. 39. Num. 3. p. 143-50. 1999.

7-Cieslak, F.; Cavazza, J. F.; Lazarotto, L.; Titski, A. C. K.; Stefanello, J. M. F.; Leite, N. Analise da qualidade de vida e do nivel de atividade fisica de universitarios. Rev. Educ. Fis/UEM. Vol. 23. Num. 2. p. 251-260. 2012.

8-Codo, W.; Acheida, M.C. LER: Lesoes por esforco repetitivo: diagnostico, tratamento e prevencao. Rio de Janeiro. Vozes. 1997.

9-Dias, M. F. M. Ginastica laboral: Empresas gauchas tem bons resultados com ginastica antes do trabalho. Protecao. Vol. 6. Num. 29. p. 24-25. 1994.

10-Fitzgerald, L. Overtrainning increases the susceptibility to infection. Internacional Journal of Sports Medicine. Vol. 12. p.55-58. 1991.

11-Hallal, P. C.; Victora, C. G. Reliability and validity of the International Physical Activity Questionnaire (IPAQ). Medicine & Science in Sports Exercise. Vol. 36. Num. 3. p.556. 2004.

12-Heath, G. W.; Ford, E. S.; Craven, T. E.; Macera, C. A.; Jackson, K. L.; Pate, R. R. Exercise and the incidence of upper respiratory tract infections. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol. 23. p.152-157. 1991.

13-Keast, D.; Cameron, K.; Morton, A. R. Exercise and the immune response. Sports Medicine. Vol. 5. p.248-267. 1988.

14-Kolling, A. Ginastica laboral compensatoria. Revista Brasileira de Educacao Fisica e Desporto. Vol. 44. p. 20-3. 1980.

15-Kolling, A. Estudo sobre os efeitos da ginastica laboral compensatoria em grupos de operarios de empresa industriais. 1982. Dissertacao.

16-Liberali, R. Metodologia Cientifica Pratica: um saber-fazer competente da saude a educacao. 2a edicao revisada e ampliada. Florianopolis. Postmix. 2011. 206p.

17-Lima, V. Ginastica Laboral: atividade fisica no ambiente de trabalho. Sao Paulo. Phorte. 2003.

18-Mackinnon, L. T.; Chick, T. W.; Vanas, A. Tomasi, T. B. The effect of exercise on secretary and natural immunity. Advances in experimental medicine in biology. Vol. 216. p.869-876.

19-Martinez, F. J.; e colaboradores. Predictors of mortality in patients with emphysema and severe airflow obstruction. Am J Respir Crit Care Med. Vol. 173. Num. 12. p.1326-34. 2006.

20-Martins, C. O. Efeitos da Ginastica laboral em servidores da reitoria da UFSC. Dissertacao de Mestrado em Engenharia de Producao. Programa de Pos-Graduacao em Engenharia de Producao. UFSC. 2000.

21-Mchorney, C. A.; e colaboradores. The MOS 36-item Short-Form Health Survey (SF-36): III. Tests of data quality, scaling assumptions, and reliability across diverse patient groups. Medical Care. Philadelphia. Vol. 32. Num. 1. p. 40-66. 1994.

22-Ministerio da Saude. Portal Brasil Saude. Infeccoes das vias aereas superiores, 2013. Disponivel em: <http://portalbrasilsaude.blogspot.com.br/2013/06/infeccoes-das-vias-aereas-superiores.html>. Acesso em: 25/05/2014.

23-Ministerio da Saude do Brasil. Organizacao Pan-Americana da Saude. Doencas relacionadas ao trabalho: Manual de procedimentos para os servicos de saude, 2011.

24-Mocellin, L. Como diagnosticar e tratar infeccoes das vias aereas superiores. RBM. Vol. 68. Num. 12. 2011.

25-Nahas. M. V. Atividade fisica, saude e qualidade de vida. Midiograf. 2001.

26-Netto, R. S. M.; silva, C. S.; Costa, D.; Raposo, O. F. F. Nivel de atividade fisica e qualidade de vida de estudantes universitarios da area de saude. Revista Brasileira de Ciencias da Saude, ano 10, no 34, out/dez 2012.

27-Nieman, D. C. Exercise immunology: practical applications. Internacional Journal of Sports Medicine. Vol. 18. p.S91-100. 1997.

28-Nieman, D. C. Is infection risk linked to exercise workload? Medicine & Science in Sports Medicine. Vol. 32. Num. 7. p. S406-411. 2000.

29-Organizacao Pan-Americana da Saude. Estrategia mundial sobre alimentacao saudavel, atividade fisica e saude. Brasilia. Organizacao Pan-Americana da Saude. 2003.

30-Oliveira, J. F.; Silva, F. M. M. Efeito agudo da ginastica laboral na concentracao de cortisol durante o turno de trabalho. TCC. Universidade Gama Filho. 2013.

31-Pegado, P. Saude & Produtividade. Protecao. p. 52-57. 1995.

32-Pitton, S. E.; Domingos, A. E. Tempos e doencas: efeitos dos parametros climaticos nas crises hipertensivas nos moradores de Santa Gertrudes-SP. In. Estudos Geograficos. Rio Claro. Vol. 2. Num. 1. p.75-86. 2004.

33-Pompeu, J. M.; Meneses, L. C. Estudo comparativo da qualidade de vida em pacientes com Doencas de Parkinson Idiopatica praticantes de atividades fisicas e nao 65 praticantes. TCC de Graduacao em Fisioterapia. Universidade da Amazonia. Belem-PA. 2008.

34-Rocha, A. S. A influencia da ginastica laboral na postura dinamica do trabalhador industrial. Dissertacao de Mestrado em Ciencias do Movimento Humano. Programa de Pos-Graduacao no Movimento Humano. ESEF/UFRGS. Porto Alegre. 1999.

35-Sato, L.; e colaboradores. Atividade em grupo com portadores de LER e achados sobre a dimensao psicossocial. Revista Brasileira de Saude Ocupacional. Sao Paulo. Vol. 21. Num. 79. 1993.

36-Simonsen, L.; Clarke, M. J.; Williamson, G.D.; Stroup, D.F.; Arden, N. H.; Schonberger, L. B. The impact of influenza epidemics on mortality: introducing a severity index. American Journal of Public Health. Washington. 87. p.1944-1950. 1997.

37-Silva, R. S.; Silva, I.; Silva, R. A.; Souza, L.; Tomasi, E. Atividade fisica e qualidade de vida. Ciencia & Saude Coletiva. Vol. 15. Num. 1. p.115-120. 2010.

38-Sharkey, B. J. Condicionamento Fisico e Saude. [4.sup.a] edicao. Porto Alegre. Artmed. 1998.

39-Smith, J. A.; Gray, A. B.; Pyne, D. B.; Maker, M. S.; Telford, R. D.; Weideman, M. J. Moderate exercise triggers both priming and activation of neutrophil subpopulations. The American Journal of Phisiology, 270:R838-R845.

40-Sucesso, E. P. B. Relacoes interpessoais e qualidade de vida no trabalho. Rio de Janeiro. Qualitymark. 2002.

Fernanda Cacciatori (1, 2), Rafaela Liberali (2) Fabio Henrique Ornellas (2), Francisco Navarro (3)

(1)-Graduada em Licenciatura Plena em Educacao Fisica pela Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil.

(2)-Programa de Pos-Graduacao Lato Sensu da Universidade Estacio de Sa em Fisiologia do Exercicio - Prescricao de Exercicio, Brasil.

(3)-Universidade Federal do Maranhao, Brasil.

E-mails dos autores:

fernanda.cacciatori@gmail.com

fabioornellas@uol.com.br

francisconavarro@uol.com.br

Recebido para publicacao 08/01/2015

Aceito em 26/05/2015
Tabela 1 - Valores descritivos (media e desvio-padrao) dos testes
realizados com a amostra e seus determinados momentos (1, 2, 3, 4).

Variavel                 Media    Desvio-Padrao

    IPAQ 1--Minutos      184,68   [+ or -] 167,675
WURSS-21 1 - Sintomas      4,68     [+ or -] 4,65
WURSS-21 1 - Severidade   10,16    [+ or -] 19,107
SF-36 1                  112,355   [+ or -] 14,4416
    IPAQ 2--Minutos      220,32   [+ or -] 268,7
WURSS-21 2--Sintomas       3,1      [+ or -] 4,061
WURSS-21 2 - Severidade    7,19    [+ or -] 15,762
SF-36 2                  116,158   [+ or -] 13,462
    IPAQ 3--Minutos      189,03   [+ or -] 252,849
WURSS-21 3--Sintomas       5,19     [+ or -] 5,036
WURSS-21 3 - Severidade   13,13    [+ or -] 17,661
SF-36 3                  114,348   [+ or -] 17,5259
    IPAQ4--Minutos       199,84   [+ or -] 218,356
WURSS-21 4 - Sintomas      3,39     [+ or -] 4,951
WURSS-21 4 - Severidade    6,74    [+ or -] 11,846
SF-36 4                  113,365   [+ or -] 18,5599
COPYRIGHT 2015 Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercicio. IBPEFEX
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2015 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Cacciatori, Fernanda; Liberali, Rafaela; Ornellas, Fabio Henrique; Navarro, Francisco
Publication:Revista Brasileira de Prescricao e Fisiologia do Exercicio
Date:Jul 1, 2015
Words:6556
Previous Article:CONSUMO MAXIMO DE OXIGENIO DE JOGADORES DE VOLEIBOL: COMPARACAO ENTRE POSICOES DE JOGO.
Next Article:VERIFICAR A PRESENCA DE DOIS FATORES RELACIONADOS A SINDROME METABOLICA EM JOVENS DE 12 A 14 ANOS DE UMA ESCOLA PUBLICA NO MUNICIPIO DE CACOAL-RO.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2022 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters |