Printer Friendly

La logica de asesores profesionales en comunicacion politica en Francia: entre el trabajo de las sombras y la institucionalizacion.

The logic of professional advisers in political communication in France: between the work of the shadows and institutionalization

As logicas profissionais dos conselheiros em comunicacao politica na Franca: entre trabalho das sombras e institucionalizacao

Introducao

Construindo uma nova concepcao de "publico" e de sociabilidade, a dinamica da instancia midiatica afeta diretamente o exercicio da atividade politica em diferentes niveis. Primeiro, destaca-se que o acesso a informacao e as acoes politicas sao majoritariamente difundidas e acessiveis pela midia, principalmente por meio do jornalismo, processo que obedece aos imperativos de selecao e e igualmente submetido as particularidades dos diferentes grupos midiaticos. Esta realidade obrigou a esfera politica a se adequar aos dispositivos informacionais modernos e a dominar as estrategias de comunicacao e o modus operandi da instancia midiatica.

Considerando-se a esfera midiatica e a esfera politica como polos opostos, mas que possuem uma relacao de interdependencia marcada por uma concertacao permanente, esta pesquisa, realizada durante o mestrado e sintetizada neste artigo, propos aprofundar o debate em torno das relacoes de forca entre estes dois dominios e discutir as transformacoes do jogo politico a partir de uma perspectiva comunicacional. Para isso, este estudo interessou-se especificamente a uma categoria de atores que participa da elaboracao das estrategias e acoes de comunicacao e construcao de imagem p ublica dos dirigentes politicos: os conselheiros de comunicacao politica.

A partir de um estudo de caso sobre as particularidades do campo da comunicacao politica e levando-se em conta as evolucoes deste meio na Franca nas ultimas decadas, este trabalho se interessou especificamente as logicas profissionais dos conselheiros em comunicacao politica na atualidade. Em um momento em que a midiatizacao em permanencia, a busca de visibilidade favoravel e a desconfianca em relacao a politica coexistem, parece pertinente interrogar os possiveis efeitos de uma profissionalizacao desta esfera, uma vez que esta e nao raro apresentada como uma das causas dessa situacao.

2. Estruturacao da pesquisa

2.1 Problematica e Hipoteses

Nao ha duvidas de que as relacoes entre midia e politica levantam questionamentos que nao sao necessariamente ineditos, mas que periodicamente revistos. Mas, tendo em vista o atual contexto, a seguinte pergunta, bem como as indagacoes complementares que ela suscita, orientou a elaboracao deste estudo: quais sao as implicacoes de uma midiatizacao cada vez mais proeminente da politica e da visibilidade resultante deste processo? Quais os desafios que se apresentam aos agentes da instancia politica em um momento em que as logicas midiaticas priorizam a imagem mais do que o debate politico em sua essencia ? Em que medida as evolucoes da paisagem midiatica induzem a uma profissionalizacao da comunicacao politica? Quais sao os interesses e os parametros favorizando ou, ao contrario, impedindo esta profissionalizacao? E quais sao as implicacoes de um tal processo em termos democraticos em um contexto de desconfianca em relacao a politica e suas instituicoes ? Obviamente, tais questoes demandam uma pesquisa mais aprofundada capaz de contemplar todas as dimensoes do problema que eles colocam. Deste modo, em vez de discutir as consequencias de uma tal profissionalizacao (assunto discutido na atual tese de doutorado sobre o tema), o estudo aqui sintetizado focou-se nos indicios que sugerem um tal processo no contexto frances.

Algumas hipoteses permitem responder, provisoriamente algumas das interrogacoes que nortearam este trabalho: I) os media levaram a uma reestruturacao da relacao entre governantes e governados; II) o poder de legitimacao dos discursos pela esfera midiatica se coloca como um desafio para a politica contemporanea; III) os principios democraticos e republicanos subjazem as acoes da comunicacao politica e IV) os conselheiros de comunicacao politica possuem formacoes, interesses e praticas bastante proximas, o que iria ao encontro de uma profissionalizacao na medida em que se produziria uma homogeneizacao dos perfis, identidades e rotinas neste meio.

2.2 Objetivos e metodologia

2.2.1 Objetivos

De maneira geral, buscou-se questionar o paradoxo que envolve a comunicacao politica contemporanea em um momento onde a efervescencia do ambiente informacional e a evolucao do proprio mundo social exigem uma inovacao permanente das praticas comunicacionais neste campo. Deste modo, este estudo exploratorio sobre o caso frances teve como objetivo especifico tracar um panorama da diversidade de perfis, assim como das representacoes e logicas profissionais dos assessores em comunicacao politica sondados.

2.2.2 Procedimentos metodologicos

Para verificar as hipoteses e responder a problematica que orienta a pesquisa, foram selecionados nove profissionais para constituir a amostra a ser estudada. A intencao foi reunirum grupo de conselheiros em comunicacao com um conhecimento solido sobre a esfera midiatica e que utilizam seu savoir-faire em beneficio dos dirigentes politicos para os quais trabalham. Em vista das limitacoes de prazo e dos objetivos almejados a titulo deste estudo, a construcao da amostra nao seguiu criterios de exaustividade ou de representatividade; trata-se, todavia, de avaliar a diversidade de perfis possiveis de nossos interlocutores.

Um guia de entrevista nao-diretiva foi a ferramenta utilizada para a realizacao das entrevistas em profundidade junto a amostra. Tal escolha se justifica pela ancoragem transdisciplinar mobilizada para a analise do corpus, que conjuga analise do discurso e sociologia compreensiva (Oger; Ollivier-Yanhf 2007). Tendo em vista os possiveis efeitos da situacao de entrevista sobre o discurso da amostra sondada, a nocao de ethos (Amossy 1999) foi outra dimensao igualmente considerada no quadro analitico.

Exceto por Nicolas Baygert, que mora em Bruxelas (Belgica) e que foi ouvido por Skype, todas as entrevistas foram realizadas pessoalmente e se articularam em torno de tres eixos: i) relacao entre a esfera midiatica e esfera politica na Franca; ii) a importancia da comunicacao em politica, principalmente em termos de concepcao e performance das praticas em comunicacao politica); iii) identificacao das transformacoes mais recentes e suas implicacoes sobre o modus operandi dos conselheiros em comunicacao politica.

Deste modo, a entrevista funciona como um conjunto de "sequencias narrativas" que permitem estudar e identificar, no discurso dos proprios atores, os indices que favorizam, dificultam ou justificam a evolucao ou mesmo a profissionalizacao de sua atividade, bem como sua compreensao das praaticas nesse nivel "operacional" comunicacao politica. Alem disso, a utilizacao conjunta dos dois metodos na analise das entrevistas possibilita identificar o continuum, isto e, as caracteristicas discursivas mais regulares, os marcadores de discurso que revelam suas motivacoes, principios e concepcoes do papel de conselheiro e, igualmente, da do seu espaco de atuacao. Enfim, por meio das grandes tematicas que emergem na totalidade dos discursos estudados, foi tambem possivel delinear os contornos de um ethos desses profissionais a partir dos tracos identitarios que eles apresentam.

3. Problematizacao teorica

3.1 Apolitica em um contexto de midiatizacao do espaco publico

Contemplando as contradicoes que marcam a relacao conflitual e de inter-dependencia entre as esferas midiatica e politica para, assim, interrogar as pistas que sugerem uma profissionalizacao do campo da comunicacao politica na Franca, uma primeira parte de nosso estado da arte articulou-se em torno de tres dimensoes, brevemente retomadas neste artigo: a legitimacao dos discursos pela instancia jornalistica, as tensoes entre a esfera midiatica e a esfera politica e as novas formas de participacao e de engajamento politico apoiadas na Internet.

As contribuicoes de Philippe Braud (2008) sobre o papel de integracao social e de socializacao politica dos media foram fundamentais para colocar em perspectiva as inter-relacoes entre essas duas esferas. Neste sentido, as rotinas produtivas jornalisticas e a nocao de angulo, conforme discutidos por Denis Ruellan (2006), e a dupla finalidade--uma de ordem etica, outra de ordem comercial--que orienta o contrato de enunciacao do campo jornalistico, questao problematizada por Patrick Charaudeau (2006), nutriram as discussoes em torno da complexidade e dos contornos por vezes confusos que norteiam o processo de producao da informacao na instancia midiatica.

Investidos de um papel que lhes habilita a promover uma especie de"tematizacao" do mundo (Charaudeau, 2006), os jornalistas, e sua tendencia a escolher o que dizer sobre determinado tema em funcao do que outros jornalistas dizem (Bourdieu, 1996), vao frequentemente ir alem do seu compromisso de informar.; mas tambem orientar o que pensar (1), problema que demanda um olhar critico sobre o papel do jornalismo e da esfera midiatica em seu conjunto em contextos democraticos. Aqui, pode-se citar o exemplo da eleicao presidencial de 2002 na Franca. Na ocasiao, a supervalorizacao da questao securitaria pela TF1 e France 2 (as duas principais emissoras francesas) a dois meses do primeiro turno foi apontada como a causa da chegada de Jean-Marie Le Pen, lider do Front National, ao segundo turno em uma campanha cuja expectativa de confrontacao se dava em torno de Lionel Jospin e Jacques Chirac (Terral, 2004). As manifestacoes que seguiram os resultados da primeira fase do processo eleitoral falavam de um "complo securitario", questionando o papel dos jornalistas na super-midiatizacao do tema a dois meses do pleito.

Segundo as mobilizacoes na epoca, o excesso de atencao dos media sobre a questao acabou beneficiando o Front National, donde o resultado inesperado.

Esse acordo tacito entre politica e midia em contextos democraticos e discutido por Louis Quere (2005), que destaca o espaco privilegiado dos meios de comunicacao na estrutura institucional democratica contemporanea. Funcionando como suportes de visibilidade, eles permitem alargar o processo de publicizacao e de participacao a vida publica, reconfigurando, assim, as relacoes da triade "politica--midias--publico" e revisando o sentido do proprio conceito de democracia e das acoes politicas, agora dependentes em certa medida do acesso a tribuna midiatica para serem legitimadas.

Obviamente, falar das transformacoes da politica no atual momento exige uma atencao especial as novas possibilidades oferecidas pela Internet e a emergencia de um espaco publico digital. Para discutir os pros e contras desse novo ambiente informacional, bem como suas implicacoes em termos de socializacao e engajamento politico, apoiou-se principalmente nas reflexoes de Dominique Cardon (2010) e de Bernard Miege (2010), para quem a Internet representa uma excelente oportunidade para a democracia, alertando, ao mesmo tempo, para as fortes tendencias mercadologicas deste meio, o que o distancia dos ideiais democraticos que presidiram inicialmente este medium. Deste modo, mesmo se o ambiente digital alargou o acesso a informacao, permitindo a difusao de discursos mais plurais e inaugurando uma nova interface de acompanhamento e de participacao a vida publica em detrimento da visao sagrada e inacessivel da esfera politica do passado, nao se deve superestimar seus verdadeiros efeitos no espaco publico fisico (Miege, 2010), os quais ainda esbarram nas fissuras do tecido social e na logica mercantil que tende a se impor ao funcionamento da rede (Cardon, 2010; Rebillard, 2007).

3.2 O que quer dizer "comunicacao politica"

Uma segunda parte de nosso estudo se interessou especificamente a precisar a nocao de comunicacao politica. Como abordar este dominio de um ponto de vista teorico e metodologico capaz de contemplar a fluidez semantica propria ao termo "comunicacao"? Como, igualmente, evitar a armadilha do midiacentrismo e nao enclausurar o campo politico e suas acoes nesta esfera de visibilidade? E possivel compreender as novas performances dos atores politicos como um processo natural face a midiatizacao da vida publica contemporanea?

A perspectiva sociologica da comunicacao politica de Philippe Riutort (2007) foi fundamental para colocar em perspectiva tais questionamentos. Para o autor, este ambito pode ser definido como um conjunto de praticas de valorizacao do trabalho e do poder politicos, ao que Braud (2008) acrescenta que a credibilidade dos governantes mistura elementos de ordem racional e emocional. Deste modo, a persona politica e representada por um perfil simbolico--construido simultaneamente pelos media e pela comunicacao politica--que possui uma base concreta, mas se apoia na "etiqueta" politica do personagem.

As reflexoes de Jacques Gerstle (2008), sistematicamente apresentadas em seu manual dedicado a polivalencia do termo "comunicacao politica", contribuiram as problematizacoes em torno das caracteristicas que delimitam este territorio semantico. Gertsle fala, entao, de tres dimensoes possiveis de abordar o objeto comunicacao pol itica: i) uma dimensao pragmatica, de comunicacao efetiva visando persuadir, convencer, seduzir, informar; ii) uma dimensao simbolica, onde a linguagem tem um papel central no combate politico, caracterizado pelas batalhas discursivas e iii) uma dimensao estrutural, ou seja, os canais, as redes, as midias que permitem os fluxos de informacao e de comunicacao. A partir dai, a comunicacao politica pode ser assim definida como um conjunto de esforcos apoiados em recursos pragmaticos, simbolicos e estruturais, visando mobilizar o apoio e a instaurar uma visao consensual de uma determinada situacao junto aos cidadaos. Uma tal compreensao revela a complexidade deste dominio, marcado pela negociacao permanente entre o pessoal politico, midias e cidadaos por meio da linguagem, da persuasao e dos canais de difusao de informacao sobre a vida da Cite.

Uma revisao da literatura cientifica sobre as particularidades que versam sobre p tema no contexto frances permitiu afinar a analise. Os trabalhos sobre a hoistria da midia e suas relacoes com a politica de Christian Delporte (2001; 2006; 2007), as reflexoes de Jean- Baptiste Legavre (2005) sobre jornalismo e politica, as consideracoes de Didier Georgakakis (1995) sobre a ambiguidade dos conselhos de comunicacao politica aos olhos dos jornalistas e os desafios da constituicao de um campo de estudo dedicado a analise da comunicacao politica apontados por Erik Neveu (1992; 1998), apenas para citar alguns, foram imprescindiveis para delinear, de maneira mais eficaz e prudente, as diretrizes que balizaram os questionamentos que orientaram nosso estudo, respeitando as caracteristicas intrinsecas a este dominio na Franca.

3.3 Uma atividade em vias de profissionalizacao?

A luz dos aportes da etapa sintetizada anteriormente, foi possivel prospectar a nocao de profissionalizacao, bem como as especificidades deste processo no contexto frances. Sabendo que a promocao midiatica das acoes governamentais e hoje uma condicao sine qua non da visibilidade social da acao politica (Riutort; 2007), discutiu-se, entao, as exigencias que pesam sobre os agentes deste campo em termos de familiaridade e de dominio das ferramentas informacionais modernas.

Para Legavre (1994), a sofisticacao das tecnicas e estrategias de comunicacao em politica e um sinal da racionalizacao desta atividade face ao enfraquecimento do contato entre eleitos e eleitores. Deste modo, as transformacoes do contexto informacional, especialmente com a televisao, a incapacidade do jornalismo na difusao de mensagens da instancia politica, a posicao dos atores no campo politico, assim como a situacao de competicao ou mesmo de concorrencia permanente no interior dos partidos e com adversarios favoriza a entrada de novos atores nos bastidores da politica. No concernente a Franca, esse processo comeca com o aparecimento dos spin doctors e se consolida com a instauracao dos conselhos de comunicacao no seio das instancias governamentais, a exemplo do Servico de Informacao Governamental (Service d'Information Gouvernementale--SIG), criado em 1963, e do Palais de l'Elysee, que conta com uma celula de pesquisa de opiniao em 1974, a qual culminara na institucionalizacao de uma equipe de comunicacao em 1984 sob a coordenacao do publicitario Jacques Pilhan durante o governo Miterrand.

A polissemia do termo "profissionalizacao" e discutida pela pesquisadora alema Christina Holtz-Bacha (2016). Holtz-Bacha salienta que a maioria dos trabalhos sobre o tema o fazem no sentido de sofisticacao dos partidos e de suas equipes em periodos de campanha, sendo a dimensao sociologica do fenomeno raramente analisada. E por esta razao que, em vez de preferir as abordagens instrumentais da comunicacao politica eleitoral, esta pesquisa se dispos a pensar a nocao de profissionalizacao de um ponto de vista sociologico, levando em conta o jogo de forca deste dominio com outros atores que participam de sua construcao.

O ato de nomear uma profissao funciona como uma marca distintiva que valoriza a sua posicao no espaco social (Bourdieu, 1984). No dominio da sociologia, a definicao do termo ainda e permeada por controversas teoricas, especialmente na corrente anglo-saxonica, que nao consegue chegar a um consenso sobre as atividades que merecem uma tal denominacao e aquelas frequentemente denominadas como "ocupacao", problematica com raizes historicas e que ainda hoje opoe sociologos, historiadores e juristas.

Problematizando a ambiguidade da questao, Claude Dubar, Pierre Tripier e Valerie Boussard (2011) apresentam diferentes universos semanticos possiveis para o termo "profissao", onde destacamos o seguinte: a profissao e uma funcao, uma competencia reconhecida no ambito de uma organizacao: o termo "reconhecimento" e central neste territorio de significado que foi, recentemente, revigorado pelo discurso politico. Soma-se a isso a nocao de "profissionalizacao", que, no caso da Franca, apoia-se no paradigma "individuo ator de sua vida profissional" (Wittorski, 2009 apud Dubar, Trippier, Boussard, 2011, p. 314, traducao nossa). Os autores retomam a definicao de Didier Demaziere, que permite precisar essas divergencias semanticas. Para o sociologo, a profissionalizacao e o resultado de interacoes, trocas, conflitos e negociacoes entre os diferentes atores do espaco social. A qualidade de profissional seria, segundo Demaziere, uma exigencia generalizada no mundo do trabalho, de modo que este "profissional" se aproxima cada vez mais da figura do trabalhador qualificado, expert, autonomo, guiado por valores de comprometimento e responsabilidade no desempenho de uma atividade especifica.

A partir dessas ponderacoes, procedeu-se a uma breve reconstituicao historica do movimento de insercao de outros atores no campo politico. Inicialmente considerada uma pratica exclusiva dos outsiders do jogo do Poder--a exemplo de Jean Lecanuet na emblematica eleicao contra o General Charles de Gaulle, em 1965--, o recurso aos conselheiros em comunicacao torna-se comum a partir dos anos 1970, com o aumento das sondagens de opiniao na vida politica francesa. Esse novo cenario representa o ajustamento estrutural e uma definicao de papeis desses atores: os tecnicos de sondagem, que "medem" a opiniao, o conselheiro de comunicacao que orienta o dirigente politico em funcao dos resultados e o jornalista politico, juiz da versao moderna deste jogo de poderes, que avalia a performance do representante do poder face as limitacoes.

Ora, essas diferentes etapas da comunicacao politica ate hoje traduzem um processo em constante evolucao e a importancia cada vez mais significativa desta atividade nos bastidores do poder. Entretanto, Legavre (1994) sensibiliza a um olhar menos tecnocratico e mais analitico do fenomeno, destacando que as praticas neste dominio sao permeadas por regras formais, mas tambem por crencas, o que nos leva a interrogar a natureza do fenomeno em soi: o que de fato representa essa profissionalizacao e como ela se apresenta? Os resultados deste estudo respondem a certas dimensoes destes questionamentos, algumas perguntas exigindo um arcabouco teorico e metodologico de maior robusteza, exigencia que propomos cumprir na atual pesquisa em doutorado.

4. Os conselheiros em comunicacao politica na Franca em 2015: que perfil e que logicas profissionais?

Antes da apresentacao dos resultados, algumas consideracoes se fazem necessarias. A primeira diz respeito a idade dos assessores de comunicacao. Esta informacao permitiu compreender, ou ate mesmo justificar, certas condutas desses atores, revelando um processo de evolucao no longo prazo. Assim, veremos, por exemplo, a maneira como os profissionais de diferentes geracoes distinguem-se tambem por suas formacoes, percursos e mesmo concepcao de sua atividade, variaveis que foram igualmente valorizadas ao longo do estudo. A consideracao dessas caracteristicas e central no quadro de nossa analise visto que elas podem revelar as diferentes condutas, principios e motivacoes que orientam as praticas e logicas profissionais desses atores e, paralelamente, apontar os indicios de uma profissionalizacao do campo da comunicacao politica.

4.1 Heterogeneidade dos perfis

Um primeiro resultado revela a heterogeneidade dos profissionais neste meio: formacao em comunicacao politica, antigos jornalistas, academicos, economistas, altos funcionarios do Estado. A ausencia de um perfil-tipo mostra a pluralidade das trajetorias e torna visivel a influencia do fator geracional sobre os percursos universitarios e profissionais e mesmo sobre a compreensao de seu papel e de seu espaco de atuacao na esfera politica. Ainda que a priori a diversidade de perfis pareca incompativel com a hipotese de profissionalizacao, os resultados apontam a predominancia de uma formacao mais especializada e de representacoes bastante proximas vis-a-vis do seu papel nos bastidores da politica nas geracoes mais jovens.

4.2 Distanciamento em relacao a politica

Outro resultado que vai efetivamente ao encontro de nosso argumento e a preferencia por um distanciamento em detrimento de uma postura politicamente engajada desses atores. Seu discurso revela a predominancia de um principio profissional fundado na separacao entre a forma (a comunicacao) e o conteudo (a politica), o que pode ser compreendido como uma maneira de informar e de legitimar seu papel. Identificou-se tambem duas categorias diferentes de assessores: aqueles que trabalham em interna, com estrutura fisica junto aos partidos, e os que trabalham em externa, que possuem agencias de comunicacao ou de consultoria politica ou empresarial). O recurso frequente a esta ultima revela um reconhecimento de suas competencias e know-how, cuja postura mais objetiva e exterior a atividade politica aparece como uma vantagem.

4.3 A representacao do conselheiro de comunicacao como um estrategista

A representacao do assessor de comunicacao como um estrategista do jogo politico e uma outra concepcao de sua funcao. Segundo nossos interlocutores, eles desempenham um papel de "sinalizadores" junto aos dirigentes, devendo ser capazes de identificar os obstaculos e as oportunidades, bem como as possiveis consequencias das acoes politicas visando orientar a agenda publica na direcao dos verdadeiros temas politicos em detrimento das questoes perifericas frequentemente valorizadas pelos media.

4.4 Crenca em uma expertise propria

A crenca em uma expertise propria sustentada pela i) compreensao do funcionamento do sistema politico face a ii) evolucao da paisagem infomidiatica e as iii) variaveis sociologicas no mesmo contexto figura entre os resultados. Tal constatacao indica as limitacoes do modelo profissional midiacentrico fundado no dominio das ferramentas "modernas" de comunicacao que marcou o periodo de frenesi dos spin doctors do passado; o atual contexto exige um profissional capaz de compreender ao mesmo tempo as "midiamorfoses" e as evolucoes sociais.

4.5 Concepcao democratica do papel do conselheiro de comunicacao

A predominancia de uma concepcao democratica do papel de assessor de comunicacao tambem foi detectada em nossa analise. Levando-se em conta a situacao de entrevista e os possiveis efeitos de ethos engendrados, constatou-se uma sensibilidade desses atores ao enfraquecimento dos lacos entre representantes e representados. Deste modo, eles falam de uma "racionalizacao inteligente" de sua atividade, onde o dominio de um repertorio menos tecnico que conceituai tende a prevalecer.

4.6 Uma concertacao permanente com os atores do sistema midiatico

A dimensao conflitual e de interdependencia que marca a relacao entre os media e a politica aparece em destaque no conjunto dos discursos estudos. Na Franca, a situacao se torna ainda mais complexa apos a Lei Rocard de 1990, que limita as despesas eleitorais, fazendo dos meios de comunicacao uma passagem obrigatoria para tornar os politicos conhecidos do publico. Nessa relacao semi-conflitual e semi-consensual que caracteriza a dupla midia e politica na Franca, podemos inferir, de um lado, a luta pela conquista de capital simbolico por parte dos conselheiros em comunicacao politica e, de outro, pela manutencao deste campo jornalistico, para retomar os termos bourdieusianos. A verdadeira disputa entre esfera midiatica e esfera politica se da, assim, advem da capacidade de uma ou de outra de cristalizar sua versao junto a opiniao publica.

4.7 Comunicacao politica: discurso visado versus discurso percebido

Os resultados descritos remetem a outro universo de representacao: o da comunicacao politica como uma interface de harmonizacao entre o discurso desejado e o discurso percebido. Assim, essa especialidade e apreendida dentro de uma perspectiva holistica, cujo objetivo maior e fazer compreender as ideias e de valorizar as acoes do dirigente politico, visando sensibilizar a atencao dos cidadaos para alem da esfera de visibilidade midiatica.

Consideracoes finais

A guisa de conclusao, este estudo permitiu identificar certas tendencias interessantes em termos de profissionalizacao deste meio na Franca. Neste sentido, a crenca em um savoir-faire ou mesmo de um savoir-etre, isto e, de uma maneira de ser propria aos conselheiros em comunicacao politica, a existencia de valores e de principios comuns, a rotinizacao e o emprego de praticas bastante proximas, bem como o sentimento de pertencimento a um grupo profissional particular--identificavel pelo uso de pronomes pessoais e possessivos na terceira pessoa do plural--aparecem como indices da delimitacao de um territorio profissional proprio.

Alem disso, chama-se a atencao ao fato que, na Franca, a criacao de formacoes universitarias especificas em Comunicacao Politica a partir dos anos 1990 revela o reconhecimento deste campo como um dominio autonomo em relacao a outros ramos da comunicacao, como o Jornalismo, por exemplo.

Deste modo, mesmo que seja ainda prematuro falar de uma profissao stricto sensu de conselheiro em comunicacao politica, os resultados desta pesquisa exploratoria sobre o caso frances sugerem um movimento nesta direcao no longo prazo. Tais pistas serao aprofundadas e discutidas de maneira exaustiva durante a realizacao da tese sobre o mesmo tema e que associa a problematica da profissionalizacao da comunicacao politica aquela da desconfianca em relacao a politica e as instituicoes democraticas na Franca e no Brasil.

Referencias bibliograficas

AMOSSY Ruth, << La notion d'ethos de la rhetorique a l'analyse du discours >>, p. 9. In. : AMOSSY Ruth, Collectif. Images de soi dans le discours : la construction de l'ethos, Delachaux et Niestle, 1999.

BOURDIEU Pierre. << Espace social et genese des "classes" >>. In: Actes de la recherche en sciences sociales. Vol. 52-53, juin 1984. Le travail politique, pp. 3-14. doi : 10.3406/arss.l984.3327 http://wwwpersee.fr/web/revues/home/prescript/article/arss_0335- 5322_1984_num_52_l_3327

--, Sur la television : suivi de l'emprise du journalisme. Raisons d'Agir, 1996.

BOUSSARD Valerie, DUBAR Claude, TRIPIER Pierre. Sociologie des professions. Armand Colin, 2011.

BRAUD Philippe. Sociologie Politique. 9e edition, Librairie Generale du Droit et de Jurisprudence, lextenso editions, 2008.

CARDON Dominique. La democratie Internet. Promesses et limites. Editions du Seuil, coll. << La republique des idees >>, 2010.

CHARAUDEAU Patrick, << Discours journalistique et positionnements enonciatifs. Frontieres et derives >>, Semen [En ligne], 22 | 2006, mis en ligne le 01 mai 2007.

DELPORTE Christian. << Image, politique et communication sous la Cinquieme Republique >>. Vingtieme Siecle. Revue d'histoire, 2001/4 no 72, p. 109-123. DOI : 10.3917/vmg.072.0109.

DELPORTE Christian, VEYRAT-MASSON Isabelle. << Campagnes politiques, tribunes mediatiques >>. Le Temps des medias, 2006/2 no 7, p. 5-9. DOI : 10.3917/tdm.007.0005.

DELPORTE Christian. La France dans les yeux: une histoire de la communication politique de 1930 a nos jours, Flammarion, 2007.

GEORGAKAKIS Didier. <<La double figure des conseils en communication politique : mise en scene des communicateurs et transformations du champ politique >>. Societes Contemporaines, no 24, 1995, pp. 77-94.

GERSTLE Jacques. La communication politique. Armand Colin, Pans, 2008. HOLTZ-BACHA, C. << Professionalization >>. In G. Mazzolem (Ed.) The International Encyclopedia of Political Communication, 2016, Oxford: Wiley Blackwell.

LEGAVRE Jean-Baptiste. << L'horizon local de la communication politique. Retour sur la diffusion d'une expertise >>. In: Politix. Vol. 7, No 28. Quatrieme trimestre 1994. pp. 76-99. doi : 10.3406/polix.l994.1884. URL : http:// wwwpersee.fr/web/revues/home/prescript/article/polix_0295- 2319_1994_num_7_28_1884.

LEGAVRE Jean-Baptiste, << La quete des origines >>, Questions de communication [En ligne], 7 | 2005, mais en ligne le 23 mai 2012, consulte le 13 septembre 2013. URL: http://questionsdecommunication.revues.org/ 5669.

MIEGE Bernard. L'Espace Public Contemporain--Approche info-communicationnelle. Grenoble : PUG, Collection Communication Medias et Societes. 2010.

NEVEU Erik. << La communication politique : petit refus de contribution au dictionnaire des idees recues >>. Cinemaction no 63, 1992, pp. 161-167.

--, << La communication politique : un chantier fort de la recherche francaise >>, 1998, Polis, Vol 5, URL: http://wwwpolis. sciencespobordeaux.fr/vol5n1/article3.html.

OGER Claire, OLLIVIER-YANIV Caroline, << Analyse du discours et sociologie comprehensive. Retour critique sur une pratique de recherche transdisciplinaire >>, p. 39-55. In. BONNAFOUS Simone,

TEMMAR Malika, Analyse du discours et sciences humaines et sociales, Collections << Les Chemins du Discours >>, Editions Ophrys, Pans 2007.

QUERE Louis. << Les << dispositifs de confiance >> dans l'espace public >>. Reseaux, 2005/4 no 132, p. 185-217. DOI : 10.3917/res.132.0185.

REBILLARD Franck. Le web 2.0 en perspective : une analyse socio-economique de l'internet. L'Harmattan, 2007.

RIUTORT Philippe. Sociologie de la communication politique. Collection Reperes, La Decouverte, 2007.

RUELLAN Denis, << La routine de l'angle >>, Questions de Communication, 2006, 10, p. 360-390.

TERRAL Julien, L'insecurite au journal televise, la campagne presidentielle de 2002, Paris, L'Harmattan, 2004.

(1) Cf. agenda-setting theory, de Maxwell McCombs e Donald Shaw.

Camila Moreira Cesar, Doutoranda em Ciencias da In formacao e da Comunicacao na Universite Sorbonne Nouvelle Paris III (Franca) em cotutela com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil), Mestre em Ciencias da Informacao e da Comunicacao pela Universite Sorbonne Nouvelle Paris III (2013-2015). Jornalista.

E-mail: camilam.cesar@gmail.com

Recibido: 9 de marzo de 2016

Aprobado: 3 de mayo de 2016

Leyenda: Foto: Danilo Arenas
COPYRIGHT 2016 Universidad Catolica de Pereira
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2016 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Moreira Cesar, Camila
Publication:Textos & Sentidos
Date:Jul 1, 2016
Words:5451
Previous Article:1 Quien oye que en Cartagena: perfil, percepcion y habitos de consumo de la audiencia radial.
Next Article:La administracion de marca en las Mipymes calenas : un barco a la deriva.
Topics:

Terms of use | Privacy policy | Copyright © 2019 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters