Printer Friendly

Relationships of acellerated aging time with bulk conductivity test and with physiological seed quality in common bean/Efeito do periodo de envelhecimento acelerado no teste de condutividade eletrica e na qualidade fisiologica de sementes de feijao.

Introducao

A obtencao de altas produtividades no feijoeiro nao esta estreitamente relacionada so com a utilizacao de variedades melhoradas e um manejo adequado da cultura, mas tambem com a qualidade das sementes colocadas a disposicao do produtor. A qualidade esta relacionada com o grau de pureza fisica e varietal, poder de germinacao, vigor e seu estado fitossanitario. Assim, o aprimoramento dos metodos de analise da qualidade fisiologica das sementes de feijao, no sentido de oferecer maior seguranca e precisao nos resultados obtidos de germinacao e vigor das mesmas se torna importante.

O uso de sementes com potencial fisiologico elevado e fundamental na obtencao de resultados satisfatorios em culturas de expressao economica. Uma das ferramentas essenciais para alcancar esses resultados e a analise de sementes. Avaliar a qualidade de um lote de sementes em termos de estimar com que sucesso ele estabelecera uma populacao adequada de plantulas em campo, sob uma ampla faixa de condicoes ambientais, e de grande importancia para atingir eficiencia na agricultura moderna (Arthur e Tonkin, 1991). A tecnologia de sementes tem procurado aprimorar os procedimentos para avaliar a qualidade de sementes, com o objetivo de obter resultados que expressem o desempenho potencial de um lote, destacando-se em particular, os estudos relativos aos testes de vigor (Vieira et al., 1994).

A qualidade fisiologica tem sido um dos aspectos mais pesquisados nos ultimos anos, em decorrencia das sementes estarem sujeitas a uma serie de mudancas degenerativas de origem bioquimica, fisiologica e fisica, apos a sua maturacao, as quais estao associadas com a reducao do vigor (Abdul-Baki e Anderson, 1972). Na literatura, observa-se que os testes rapidos mais estudados estao relacionados com os eventos iniciais da sequencia de deterioracao como a degradacao das membranas celulares e a reducao das atividades respiratorias e biossinteticas.

O objetivo basico dos testes de vigor e a identificacao de diferencas importantes na qualidade fisiologica entre lotes de sementes comercializaveis, principalmente, daqueles com poder germinativo semelhante. Dai, a importancia da disponibilidade de testes que procuram avaliar o estado atual das sementes, por meio da determinacao de parametros associados ao vigor. Existem tambem, testes dirigidos a avaliacao do comportamento das sementes, quando submetidas a condicoes especificas de ambiente, geralmente, estresses.

Os testes de vigor mais utilizados sao os de envelhecimento acelerado e o de frio. Levantamentos efetuados pela Association of Official Seed Analysts indicaram que 56% dos laboratorios dos Estados Unidos e Canada utilizam esses testes para avaliacao do vigor e as especies avaliadas com maior frequencia sao milho e soja (Spears, 1995).

O teste de condutividade eletrica e um metodo rapido para a avaliacao do vigor das sementes, sendo que o valor da condutividade eletrica da solucao de embebicao da semente e funcao direta da quantidade de lixiviados no exsudato do teste, a qual esta diretamente relacionada com a integridade das membranas celulares. Quanto maior o valor da condutividade eletrica, menor e o vigor das sementes, pois a maior quantidade de lixiviados no exsudato do teste de condutividade eletrica ocorre em funcao das perdas da integridade das membranas celulares, celulas danificadas, membranas mal estruturadas, perda de constituintes celulares, com menor capacidade reparacao aos danos causados a semente, alem de uma lentidao na reestruturacao das membranas durante a embebicao.

O potencial relativo de armazenamento de lotes de sementes, ou seja, o vigor das sementes pode ser avaliado pelo teste de envelhecimento acelerado. Este teste tem como base o fato de que a taxa de deterioracao das sementes e aumentada consideravelmente por meio de sua exposicao a niveis adversos de temperatura e umidade relativa do ar, considerados os fatores ambientais mais relacionados a deterioracao das sementes.

O objetivo do trabalho foi avaliar os efeitos causados por diferentes periodos de envelhecimento artificial na lixiviacao de acucares, proteinas, aminoacidos e ions no exsudato do teste de condutividade eletrica, e suas relacoes com a germinacao e vigor de sementes de feijao da cultivar Perola, para verificar o periodo de exposicao das sementes ao envelhecimento acelerado mais apropriado que permita avaliar adequadamente o vigor da semente.

Material e metodos

O trabalho foi conduzido no Laboratorio de Analises de Sementes do Departamento de Fitotecnia, Tecnologia de Alimentos e Socio--Economia da Faculdade de Engenharia--Unesp, Campus de Ilha Solteira no periodo de janeiro a marco de 2005. Foram utilizadas sementes da cultivar Perola produzidas no periodo de inverno de 2004 que estavam armazenadas em camara seca, cuja qualidade fisiologica esta apresentada na Tabela 1.

O delineamento experimental foi o inteiramente casualizados, sendo que as sementes foram submetidas a oito periodos de envelhecimento acelerado (zero, 24, 48, 72, 96, 120, 144 e 168 horas) e avaliadas quanto ao grau de umidade das sementes (%), primeira contagem de germinacao no teste de germinacao aos 5 dias, germinacao aos 9 dias (%), indice de velocidade de germinacao, comprimento do hipocotilo e da raiz primaria (cm), massa fresca e seca (g [plantula.sup.-1]), condutividade eletrica ([micro]S [cm.sup.-1] [g.sup.-1]), e lixiviacao de acucares, proteinas, aminoacidos e ions no exsudato da condutividade eletrica.

Envelhecimento Acelerado--Foi realizado com quatro sub-amostras de 200 sementes para cada tratamento, pelo metodo de gerbox descrito por Marcos Filho (1994), onde 200 sementes foram colocadas sobre a tela de inox de uma caixa plastica (Gerbox), contendo no fundo 40 mL de agua destilada.

Apos a colocacao da tampa, as caixas foram levadas ao germinador regulado a temperatura de 41([+ ou -]0,5[degre]C) onde permaneceram de acordo com os tratamentos utilizados, sendo: zero, 24, 48, 72, 96, 120, 144, 168 horas. Transcorrido esse periodo, as sementes foram avaliadas quanto a condutividade eletrica, germinacao, vigor e determinacao quimica dos lixiviados no exsudato do teste de condutividade eletrica.

Germinacao e vigor

Grau de Umidade--Foi determinado pelo metodo da estufa, a 105 ([+ ou -] 3[degre]C) durante 24 horas, com utilizacao de 2 amostras para cada tratamento, conforme a metodologia indicada pelas regras para analise de sementes (Brasil, 1992).

Condutividade eletrica--Quatro sub-amostras de 25 sementes foram pesadas com precisao de tres casas decimais e, posteriormente, colocadas em copo de plastico contendo 75 mL de agua deionizada e, em seguida, levada a incubadora BOD a 25[degre]C por 24 horas. Apos esse periodo foram realizadas a leitura da condutividade eletrica da solucao de embebicao. Os dados foram transformados em [micro]S [cm.sup.-1] [g.sup.-1], conforme Marcos Filho et al. (1987).

Primeira contagem de germinacao do teste de germinacao--Realizada juntamente com o teste de germinacao. Sendo o registro da porcentagem de plantulas normais verificadas 5 dias apos a instalacao do teste (Brasil, 1992), em tecnica semelhante a descrita por Nakagawa (1999).

Teste de germinacao--Foi realizada com 4 subamostras de 50 sementes em rolos de papel germinador apropriado a 25[degre]C, mantendo-se a temperatura constante. O papel foi umedecido com agua destilada numa quantidade equivalente a 2,5 vezes o peso do papel, de forma a uniformizar o teste. As contagens foram realizadas aos 5 e 9 dias apos a semeadura, de acordo com os criterios estabelecidos pelas Regras de Analise de Sementes (Brasil, 1992).

Indice de velocidade de germinacao--Foi realizado em conjunto com o teste de germinacao, no qual o indice de velocidade para cada tratamento foi calculado segundo a formula proposta por

Maguire (1962), apresentada a seguir:

VG = N1/D1+N2/D2+....+Nn/Dn

sendo;

VG = velocidade de germinacao; N1, N2,...., Nn = numero de plantulas germinadas a 1, 2,...., n dias apos a semeadura, respectivamente; D1, D2,...., Dn = numero de dias apos a implantacao do teste.

Comprimento do hipocotilo e da raiz primaria da plantula--Foram colocadas 20 sementes em papel substrato pre-umedecido sobre duas linhas tracadas longitudinalmente (10 sementes sobre cada linha) espacadas uniformemente com 4 repeticoes por tratamento para germinacao. Os rolos foram envolvidos em sacos plasticos e foram colocados em germinador regulado a 25[degre]C constante. Aos 5 dias, foram medidas em plantulas normais o comprimento do hipocotilo e da raiz primaria da plantula, com uma regua graduada em cm. Para as analises estatisticas foram utilizados os valores medios obtidos.

Massa fresca e seca da plantula--Foram coletadas as plantulas normais da analise anterior (Comprimento do hipocotilo e da raiz primaria da plantula), das quais foram determinadas as massas e os valores foram expressos em g plantula-1 para obtencao de materia fresca. Posteriormente, as plantulas coletadas foram submetidas a secagem em estufa de ventilacao forcada a temperatura media de 60-70[degre]C, ate atingir massa constante e determinadas as massas das mesmas e os valores expressos em g plantula-1.

Analise quimica dos lixiviados do exsudato do teste da condutividade eletric eletrica:

Quantificacao de aminoacidos--O metodo de Yemm e Cocking (1955) foi utilizado na determinacao de aminoacidos presentes no exsudato do teste de condutividade. A cada 1 mL da fracao aquosa obtida, acrescentaram-se 500 [micro]L de tampao citrato + 200 [micro]L solucao ninhidrina 5% em metil glicol + 1 mL de solucao de KCN 0,2 mM. Foi aquecido em banhomaria a 100[degre]C por 15 minutos e depois de resfriar por 10 minutos em agua corrente, acrescentou-se 1 mL de alcool etilico 60%. Em seguida, realizou-se a leitura em espectrofotometro a 570 nm. Os dados foram transformados em [micro]g de aminoacidos para cada 1 g de semente utilizada no teste de condutividade eletrica (75 mL de solucao de embebicao).

Quantificacao de acucares--Quantificados pelo metodo fenol-sulfurico descrito por Dubois (1956). Para 0,5 mL de exsudato obtido no teste de condutividade, adicionaram-se 0,5 mL de solucao aquosa de fenol a 5% (W:V) e 2,5 mL de acido sulfurico concentrado. A mistura foi agitada e deixada em repouso por 15 minutos para completar a reacao. Apos resfriamento dos tubos, foi realizada a leitura em espectrofotometro a 490 nm. Os dados foram transformados em [micro]g de acucares livres para cada 1 g de semente utilizada no teste de condutividade eletrica (75 mL de solucao de embebicao).

Quantificacao de proteina--Para quantificacao de proteina soluvel utilizou-se o metodo descrito por Bradford (1976). A cada 0,1 mL de exsudato obtido no teste de condutividade eletrica, foram acrescentados 5 mL do reagente de Bradford e mantido em repouso, por dois minutos, tempo necessario para se completar a reacao. A leitura foi realizada em espectrofotometro a 595 nm. Os dados foram transformados em [micro]g de proteina para cada 1 g de semente utilizada no teste de condutividade eletrica (75 mL de solucao de embebicao).

Determinacao de K, Ca, Mg, Zn, Mn, Cu e Fe no exsudato no teste da condutividade eletrica--Foi determinado em espectrofotometro de absorcao atomica. Os dados foram expressos em [micro]g para cada 1 g de semente utilizada no teste de condutividade eletrica (75 mL de solucao de embebicao).

Determinacao de P no exsudato no teste da condutividade eletrica--Foi determinado em espectrofotometro a 420 nm. Os dados foram expressos em [micro]g para cada 1 g de semente utilizada no teste de condutividade eletrica (75 mL de solucao de embebicao).

Todos os dados foram avaliados por meio da analise de variancia pelo teste F, assim como verificado se houve ajuste a regressao polinomial. Foi utilizado o programa SANEST, Sistema de Analise Estatistica para microcomputadores (Zonta e Machado, 1986).

Resultados e discussao

As analises estatisticas referentes ao vigor, germinacao e lixiviados no exsudato do teste da condutividade eletrica das sementes de feijao da cultivar Perola, apresentaram efeito quanto ao periodo de exposicao ao envelhecimento acelerado (artificial), sendo que os dados obtidos se ajustaram em regressoes polinomiais, pois quanto maior e o periodo de exposicao das sementes a um ambiente adverso com temperatura e umidade elevada, maior foi a taxa de deterioracao das sementes. Segundo Delouche (2002), a duracao do processo de deterioracao e determinada principalmente, pela interacao entre heranca genetica, o grau de umidade da semente e a temperatura. Santos et al. (2004) observaram que a atividade das enzimas fosfatase acida, malato desidrogenase, glutamato desidrogenase e esterase sao influenciadas pelo periodo de envelhecimento acelerado.

O grau de umidade da semente, que e influenciado pelo estresse decorrente da alta umidade relativa e temperatura elevada, foi crescente com o aumento da exposicao da mesma ao envelhecimento artificial (Figura 1), que leva a uma maior deterioracao da semente, o que provoca uma menor integridade do seu sistema de membranas e/ou menor seletividade, permitindo assim, a entrada de agua mais rapidamente nas celulas e elevacao no grau de umidade.

[FIGURA 1 OMITIR]

A porcentagem de plantulas normais oriundas das sementes de feijao avaliadas tanto na primeira contagem do teste de germinacao aos 5 dias como na germinacao aos 9 dias apresentaram reducao no numero de plantulas normais com a maior exposicao ao envelhecimento acelerado (Figura 2). Fator ja esperado, pois quanto maior a exposicao ao envelhecimento acelerado, maior e a taxa de deterioracao. Esse processo e consequencia da exposicao das mesmas as condicoes adversas de alta temperatura e umidade relativa, fatores ambientais que sao considerados os mais relacionados com a deterioracao das sementes. Apos 72 horas de envelhecimento acelerado verificou-se queda expressiva na germinacao, indicando que a partir desse periodo de exposicao ao tratamento de envelhecimento a semente ja nao apresenta capacidade de reparacao aos danos causados a semente pela exposicao a alta temperatura e umidade relativa, pois a perda da capacidade de germinacao e consequencia ou efeito final da deterioracao. Os valores da primeira contagem do teste de germinacao e a germinacao aos 9 dias estao muito proximos, sugerindo alto vigor das sementes utilizadas e por ser um teste realizado em laboratorio com condicoes controladas, de algumas ou de todos fatores externos, permitindo uma germinacao mais regular e rapida.

[FIGURA 2 OMITIR]

O envelhecimento artificial tem uma influencia negativa no indice de velocidade de germinacao (Figura 3) pelo fato das sementes sofrerem degeneracao, pois quanto maior a exposicao das mesmas ao envelhecimento acelerado maior sera a perda do vigor, consequentemente, menor sera a capacidade das sementes em estabelecer uma populacao de plantulas rapidamente, uniformemente e adequadamente.

[FIGURA 3 OMITIR]

Tanto o comprimento do hipocotilo e da raiz primaria de plantulas aos 5 dias (Figura 4), apresentaram aumento nos seus valores ate 48 horas de envelhecimento. O que pode estar relacionado com a ativacao de certas enzimas que podem influenciar nas atividades metabolicas e desta forma, promover um maior crescimento, verificado pelo aumento do comprimento do hipocotilo e da raiz primaria com exposicao curta com uma temperatura mais elevada.

[FIGURA 4 OMITIR]

Porem, a partir de 72 horas de envelhecimento acelerado, tanto o comprimento do hipocotilo como da raiz sofreram decrescimo no seu valor por causa da maior deterioracao da semente e menor capacidade de reparacao aos danos causados a semente pelo elevado periodo de exposicao ao envelhecimento artificial.

Concordando com resultados de parametros ja analisados e discutidos anteriormente, a massa fresca e seca (Figura 5) tem uma queda em seu valor com o aumento do periodo do envelhecimento acelerado, mostrando que o vigor da semente e influenciado negativamente pelo aumento do periodo de exposicao ao envelhecimento artificial.

[FIGURA 5 OMITIR]

Observa-se (Figura 6) que o aumento no periodo de envelhecimento acelerado eleva o valor de condutividade eletrica (parametro que avalia a permeabilidade das membranas), indicando aumento de lixiviados na solucao da condutividade, devido a maior exposicao das sementes a condicoes adversas de umidade e temperatura, que levam a perda da integridade das membranas celulares, de constituintes celulares e menor capacidade de reparacao aos danos causados a semente. E importante salientar que as condutividades em sementes submetidas a envelhecimento acelerado de 0 a 48 horas sao semelhantes, indicando que ate esse periodo de exposicao ao envelhecimento artificial a semente ainda apresenta capacidade para reorganizar e reparar danos nas membranas. Porem, essa capacidade se reduz a partir de 72 horas, como pode ser evidenciado pela diminuicao da germinacao e vigor (Figura 2 e 3). De acordo com Santos et al. (2004), a partir de 72 horas de envelhecimento acelerado artificial, ha reducao na atividade das enzimas fosfatase acida e esterase.

[FIGURA 6 OMITIR]

Na Figura 7 verifica-se que com o aumento da exposicao das sementes ao envelhecimento acelerado a quantidade de aminoacidos lixiviados no exsudato do teste de condutividade eletrica aumentou, indicando que a maior exposicao das sementes a condicoes adversas de umidade e temperatura resultou em uma maior perda de constituintes celulares, causadas pela perda da integridade das membranas celulares.

Em relacao a lixiviacao de proteinas no exsudato do teste da condutividade eletrica (Figura 8), observou-se valores semelhantes ate 48 horas e uma queda em seus valores aos 72 e 96 horas e posteriormente, aumento nos seus valores ate um valor maximo a 168 horas. Esse resultado sugere que as proteinas sao estaveis ou que a deterioracao da membrana que provocou aumento na condutividade eletrica observada (Figura 6) provocou a lixiviacao dos aminoacidos (Figura 7), porem, a de moleculas proteicas apenas com o tempo de 168 horas de envelhecimento acelerado. Com relacao ao teor de acucares no exsudato do teste da condutividade (Figura 8), verificou-se uma ligeira queda nos seus valores, mas posteriormente, ocorreu aumento com a maior exposicao ao envelhecimento acelerado.

[FIGURA 7 OMITIR]

[FIGURA 8 OMITIR]

Nas Figuras 9 e 10, estao os resultados de ions de fosforo, potassio, magnesio e calcio lixiviados no exsudato do teste de condutividade eletrica. Pode-se verificar de modo geral um aumento em seus valores com aumento do periodo de exposicao ao envelhecimento acelerado, em decorrencia, provavelmente, da perda da integridade da membrana. Com excecao ao fosforo que foi semelhante nos tempos de 0, 24 e 48 h, e queda nos tempos de 72, 96 e 120 h, e aumento a 144 e 168 h. A curva obtida a partir da perda de fosforo nos diferentes periodos de envelhecimento acelerado indica uma resistencia a lixiviacao nos periodos de envelhecimento acelerado de 24 e 48 h. A diminuicao de fosforo as 72, 96 e 120 horas pode estar relacionada ao aumento do metabolismo ligado a integridade da membrana, havendo queda na concentracao do mesmo.

[FIGURA 9 OMITIR]

[FIGURA 10 OMITIR]

Os ions de ferro e cobre so foram observados no exsudato do teste da condutividade eletrica nos tratamentos com 144 e 168 horas de envelhecimento acelerado (Tabela 2), entretanto, aparecendo em baixas quantidades. Ja os ions de manganes e zinco nao ocorreram no exsudato do teste da condutividade eletrica, em nenhum dos periodos de envelhecimento acelerado.

Na Figura 9 esta apresentada a quantificacao do ion de potassio na solucao de embebicao das sementes, que pode ser utilizado como um metodo rapido para avaliar indiretamente o vigor das sementes, uma vez que o aumento no exsudato do teste da condutividade eletrica, confrontado com a germinacao e vigor das sementes, permitem concluir que o aumento da concentracao deste na solucao de embebicao das sementes esta inversamente relacionado com queda na germinacao e vigor das sementes. Sendo assim, e de grande importancia novos estudos com esse ion para uma avaliacao mais rapida do vigor das sementes, podendo ate serem utilizados futuramente para avaliar o ponto ideal de colheita das sementes para que estas apresentem o maior vigor possivel. Dias et al. (1995 e 1996) e Custodio e Marcos Filho (1997) verificaram que a quantidade de potassio lixiviados mostrou-se como parametro adequado para a identificacao de lotes de sementes de soja com diferentes niveis de vigor e potencial de emergencia em campo. Entretanto, segundo Dias et al. (1998), o teste de lixiviacao de potassio necessita de estudos adicionais para adequar sua metodologia e viabilizar a sua utilizacao mais ampla.

Houve uma tendencia de queda na germinacao e maior quantidade de lixiviados no exsudato do teste de condutividade eletrica a partir de 72 horas de envelhecimento acelerado. Provavelmente, a partir desse periodo a semente nao apresente uma grande capacidade para reorganizar e reparar danos provocados pelo estresse de alta temperatura e umidade, indicando que o seu vigor ja foi afetado, refletindo assim em uma queda expressiva na germinacao.

Observa-se que a medida que aumentam as horas de envelhecimento acelerado (artificial), os valores da condutividade eletrica aumentam tambem por causa da maior perda da integridade das membranas celulares e de constituintes celulares (Figuras 7, 8, 9 e 10), afetando negativamente a germinacao e vigor das sementes (Figuras 2, 3, 4, 5). O aumento das quantidades de lixiviados esta diretamente relacionado com queda na germinacao e vigor das sementes. Isso evidencia que o teste da condutividade eletrica e um metodo eficaz para avaliar o vigor das sementes de feijao, dados que concordam com os obtidos por Dias et al. (1998), que por meio de uma analise global dos resultados observaram que o teste de condutividade eletrica mostrou-se eficiente para a avaliacao da qualidade fisiologica das sementes de feijao-de-vagem e quiabo, fornecendo informacoes rapidas que auxiliam na agilizacao dos programas de controle de qualidade de sementes.

Outro aspecto importante e que a maior parte de lixiviados na solucao de embebicao do teste de condutividade e constituido de aminoacidos e acucares, e os ions de potassio e fosforo, talvez em decorrencia da maior quantidade deles nas sementes, visto que sementes de feijao sao aleuro-amilaceas (principais produtos de reserva sao: proteina e amido) e os dois ions sao de macronutrientes, sendo exportados pelos graos de feijao em grandes quantidades.

Conclusao

A germinacao e vigor de sementes de feijao cultivar Perola e a quantidade de lixiviados no teste da condutividade eletrica sao influenciados pelo aumento do periodo de exposicao ao envelhecimento acelerado (artificial).

No exsudato do teste da condutividade, grande parte dos lixiviados sao constituidos de aminoacidos, acucares e ions de potassio e fosforo, sendo que o aumento das quantidades de lixiviados esta relacionado com queda na germinacao e vigor das sementes, evidenciando a eficiencia do teste de condutividade eletrica como metodo de avaliacao do vigor.

O periodo de exposicao das sementes de feijao ao envelhecimento acelerado, a partir de 72 horas ja produz resultados que refletem no potencial de vigor que as sementes apresentam, podendo assim, gerar dados que servem como base para determinar o possivel potencial de armazenamento da semente.

Received on March 09, 2006.

Accepted on October 09, 2007.

Referencias

ABDUL-BAKI, A.A.; ANDERSON, J.D. Physiological and biochemical deterioration of seeds. In: KOZLOWSKI, T.T. (Ed.). Seed biology. New York: Academic Press, 1972. p. 283-315.

ARTHUR, T.J.; TONKIN, J.H.B. Testando o vigor da semente. Inf. Abrates, Londrina, v. 1, p. 38-41, 1991.

BRADFORD, M.M. A rapid and sensitive method of microgrm quantitie of protein utilizing the principle of protein-dye binding. Anal. Biochem., New York, v. 72, p. 248-254, 1976.

BRASIL. Ministerio da Agricultura. Regras para Analises de Sementes. Brasilia: SNAD/CLAV, 1992.

CUSTODIO, C.C.; MARCOS-FILHO, J. Potassium leachate test for the evaluation of soybean seed physiological quality. Seed Sci. and Technol., Zurich, v. 25, n. 3, p. 549-564, 1997.

DELOUCHE, J. Germinacao, deterioracao e vigor da semente. Seed News, Pelotas, n. 6, p. 24-31, 2002.

DIAS, D.C.F.S. et al. Teste de lixiviacao de potassio para avaliacao do vigor de sementes de soja (Glycine max (L.) Merrill). Sci. Agric., Piracicaba, v. 52, n. 3, p. 444-451, 1995.

DIAS, D.C.F.S. et al. Potassium leakage test for the evaluation of vigour in soybean seeds. Seed Sci. and Technol., Zurich, v. 25, n. 1, p. 7-18, 1996.

DIAS, D.C.F.S. et al. Condutividade eletrica e lixiviacao de potassio para avaliacao do vigor de sementes de hortalicas: feijao-de-vagem e quiabo. Rev. Bras. Sem., Londrina, v. 20, n. 2, p. 170-175, 1998.

DUBOIS, M. Colorimetric method for determination of sugars and related substances. Anal. Biochem., New York, v. 28, p.350-356, 1956.

MAGUIRE, J.D. Speed of germination-aid in selection and avaliation for seedling emergence and vigour. Crop Sci., Madison, v. 2, n. 1, p. 176-177, 1962.

MARCOS FILHO, J. et al. Avaliacao da qualidade das sementes. Piracicaba: Esalq, 1987.

MARCOS FILHO, J. Teste de envelhecimento acelerado. In: VIEIRA, R.D.; CARVALHO, N.M. (Ed.). Teste de vigor em sementes. Jaboticabal: Funep, 1994. p. 133-149.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plantulas. In: KRZYZANOWSKI, F.C. et al. (Ed.). Vigor de sementes: Conceitos e testes. Londrina: Abrates, 1999. p. 2.1-2.24.

SANTOS, C.M. et al. Alteracoes fisiologicas e bioquimicas em sementes de feijao envelhecidas artificialmente. Rev. Bras. Sem., Pelotas, v. 26, n. 1, p. 110-119, 2004.

SPEARS, J.F. An introduction to seed vigour testing. In: VAN DER VENTER, H.A. (Ed.) Seed vigour testing seminar. Zurich: International Seed Testing Association, 1995. p. 1-9.

VIEIRA, R.D. et al. Teste de vigor e suas possibilidades de uso. In: VIEIRA, R.D.; CARVALHO, N.M. (Ed.). Teste de vigor em sementes. Jaboticabal: Funep/Unesp, 1994. p. 31-47.

ZONTA, E.P.; MACHADO, A.A. Sistema de Analise Estatistica para microcomputadores--Sanest. Pelotas: UFPel, Instituto de Fisica e matematica, 1986.

YEMM, E.M.; COCKING, E.C. Estimation of amino acids by ninhydrin. Analyst, London, v. 80, p. 209-213, 1955.

Flavio Ferreira da Silva Binotti (1) *, Kuniko Iwamoto Haga (2), Eliana Duarte Cardoso (1), Charline Zaratin Alves (1), Marco Eustaquio de Sa (1) e Orivaldo Arf (1)

(1) Departamento de Fitotecnia, Tecnologia de Alimentos e Socio-Economia, Universidade Estadual Paulista, Av. Brasil, 56, Cx. Postal 31, 15385-000, Ilha Solteira, Sao Paulo, Brasil. (2) Departamento de Biologia e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira, Sao Paulo, Brasil. * Autor para correspondencia. E-mail: flavio_agro@hotmail.com
Tabela 1. Grau de umidade, massa de 100 sementes e
qualidade fisiologica inicial de sementes de feijao da
cultivar Perola. Ilha Solteira, Sao Paulo, Brasil, 2005.

Grau de Massa de 100 1 contagem Germinacao
umidade das sementes (g) de germinacao (%)
sementes (%)

3,25 24,20 92,50 93,50

 Comprimento (cm)
Grau de Condutividade
umidade das IVG (1) eletrica ([micro]S
sementes (%) [cm.sup.-1]
 [g.sup.-1]) Hiyocotilo

13,25 9,30 67,8 6,43

 Comprimento (cm) Massa de materia
Grau de (g [plantula.
umidade das sup.-1])
sementes (%)
 Raiz Fresca Seca

13,25 8,10 0,8530 0,0673

(1) Indice de velocidade de germinacao.

Tabela 2. Relacao entre horas de envelhecimento acelerado e
ions de Fe e Cu ([micro]g) lixiviados no exsudato da condutividade
eletrica (75 mL de agua) para cada 1 g de semente utilizada no
teste. Ilha Solteira, Estado de Sao Paulo, 2005.

[micro]g
[g.sup.1]
de semente Periodo de envelhecimento acelerado (h)

 0 24 48 72 96 120 144 168

Ferro -- -- -- -- -- -- 29,700 12,927
Cobre -- -- -- -- -- -- 0,1795 0,4197
COPYRIGHT 2008 Universidade Estadual de Maringa
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2008 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

 Reader Opinion

Title:

Comment:



 

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Title Annotation:Texto en Portuguese
Author:Binotti, Flavio Ferreira da Silva; Haga, Kuniko Iwamoto; Cardoso, Eliana Duarte; Alves, Charline Zar
Publication:Acta Scientiarum Agronomy (UEM)
Date:Apr 1, 2008
Words:4359
Previous Article:Effect of the number of fungicide applications on the control of Asian soybean rust/Efeito do numero de aplicacoes de fungicidas no controle da...
Next Article:Sources and doses of zinc in common bean cultivated in different sowing seasons/Fontes e doses de zinco no feijoeiro cultivado em diferentes epocas...
Topics:

Terms of use | Copyright © 2015 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters