Printer Friendly
The Free Library
23,383,293 articles and books


Quando "negocio de menino com menina" acontece em sala de aula: analise da funcao mediadora do planejamento pedagogico.

Introducao

A analise proposta tem como fio condutor a tese de doutorado, que versa sobre "a funcao do planejamento na aula de leitura de textos literarios'" (PPGEd/UFRN). A presente investigacao compoe-se de tres etapas, porem, focaliza-se, aqui, a terceira (2002/2005), na qual desenvolveu-se pesquisa-acao participativa. Tem-se como participantes professores de Lingua lingua /lin·gua/ (ling´gwah) pl. lin´guae   [L.] tongue.lin´gual

lingua geogra´phica  benign migratory glossitis.

lingua ni´gra  black tongue.
 Portuguesa (3 ciclo) e outros segmentos de uma escola publica de Pau dos Ferros--RN, na qual se desenvolveram esses estudos.

A partir dos dados da sessao de leitura do conto "Negocio de menino com menina", de Ivan Angelo, objetiva-se, aqui, analisar a atuacao da professora e dos aprendizes, diante do trabalho com o conto, enquanto genero literario, tendo tendo /ten·do/ (ten´do) pl. ten´dines   [L.] tendon.

tendo Achil´lis , tendo calca´neus Achilles tendon.


tendo

[L.] tendon.
 como referencia de analise o planejamento pedagogico como mediador do processo de ensino-aprendizagem.

Tomam-se, como bases teoricas para essa investigacao, os estudos sobre planejamento participativo (VASCONCELOS, 1999; VIANNA, 2000), orientando-se, mais especificamente, pelo planejamento dialogico (PADILHA, 2002). A perspectiva de ensino de lingua/leitura adotada orienta-se pela concepcao socio-interacionista da linguagem (BAKHTIN, 1997; VIGOTSKI, 1996; GRAVES & GRAVES, 1995), enfatizando-se, tambem, os estudos de Smith (1991). Para o estudo dos generos textuais, apoia-se em Bronckart (1999), alem dos PCNs (1998) enquanto referenciais. A analise envolve, ainda, a Estetica da Recepcao (JAUSS, 1979; ISER, 1996/1999 e ECO E·co   , Umberto Born 1932.

Italian writer best known for his novels, including The Name of the Rose (1981). He has also written extensively on semiotics and British and American popular culture.
 2002), dada a atuacao do leitor e sua interacao com o texto.

1. Justificando a escolha do conto na aula de leitura

A sessao de leitura, em analise, foi desenvolvida pela professora Angela (nome Nome (nōm), city (1990 pop. 3,500), W Alaska, on the southern side of Seward Peninsula, on Norton Sound; founded c.1898, when gold was discovered on the beach there. It is the commercial, government, and supply center for NW Alaska, with an airport.  ficticio), no qual foi utilizado o texto "Negocio de menino com menina", que faz parte do livro "De conto em conto"--Volume 2. Esse livro se constitui numa antologia de contos, nove no total, escritos por diferentes escritores brasileiros. O referido conto foi escrito por Ivan Angelo, jornalista e escritor mineiro contemporaneo, apresentando uma vasta trajetoria como contista e cronista de diversos jornais e revistas de circulacao nacional. Das suas principais obras, destacam-se: A casa de vidro (1979); A face horrivel (1986); A festa (1976), este recebedor do premio Jabuti, entre outros.

Conforme resenhado pela professora-participante, a escolha do conto para essa sessao se justifica pelo fato de "agradar adultos e criancas, principalmente, por questionar o valor valor

a rodenticide no longer marketed because of toxicity in horses causing dehydration, abdominal pain, hindlimb weakness, inappetence, fishy smell in urine. Called also N-3-pyridyl methyl N1-p-nitrophenyl urea.
 do dinheiro" (cf. plano da sessao de leitura) e o poder que este exerce nas diferentes situacoes, no contexto da sociedade capitalista.

O seu foco traduz a dificil negociacao de um passarinho, entre o fazendeiro e um menino, de modo que o primeiro acredita que o dinheiro compra tudo, dado o comprovado poder de insistencia do fazendeiro; ja o menino expressa como unico desejo levar o passarinho para casa e mostra-lo a sua mae, enquanto resultado de sua cacada durante Durante, family: see Duran.  uma manha inteira. Toda disputa que envolve o enredo e impulsionada pela filha do dono da fazenda Fazenda is a Portuguese word for 'farm', but is used in the English language for the coffee estates that spread within the interior of Brazil between 1840 and 1896, which created major export commodities for Brazilian trade, but also led to intensification of slavery in Brazil. , que queria que o pai comprasse o passaro, independente do desejo do vendedor. O que surpreende o leitor na historia e a iniciativa do menino, ao afirmar que, no dia seguinte, o passarinho seria doado para a menina, sem nenhum custo, demonstrando nao ser este objeto de comercializacao, mas de afeto, ja demonstrado, a primeira vista, pela filha do fazendeiro.

Numa trama que envolve emocao e sensibilidade, atraves de uma linguagem concisa e adequada, a narrativa funciona como uma traducao dos mais diversos sentimentos experimentados pelo homem, ao revelar detalhes do comportamento humano, que vai do medo a simpatia, a inseguranca, a esperteza, a ingenuidade ate chegar ao alivio final. Com apenas tres personagens, o conto exprime relacoes de poder, embora o que prevaleca na historia e a resistencia, manifesta Manifesta is a biennial visual art event that began as a Dutch initiative to create a pan-European platform for the contemporary visual arts. Unlike most biennials, Manifesta is held in a different location each time it is held, and the concept of an itinerant event first took  pelo menino ao se contrapor as irresistiveis ofertas do comprador com·pra·dor also com·pra·dore  
n.
1. An intermediary; a go-between.

2. A native-born agent in China and certain other Asian countries formerly employed by a foreign business to serve as a collaborator or intermediary in
, demonstrando, assim, que ha outras formas de poder. O texto demonstra o compromisso social do narrador ao nao infantilizar o enredo, favorecendo, assim, a leitura do conto por pessoas de qualquer idade.

2. Planejando a sessao do conto literario "Negocio de menino com menina"

Para se discutir o plano da sessao de leitura do conto "Negocio de menino com menina", adotou-se o roteiro da andaimagem (GRAVES e GRAVES, 1995), que envolve duas fases: a primeira, de planejamento, e, a segunda, de implementacao. Na primeira fase, consideram-se pelo menos tres aspectos: os alunos, a selecao do texto e os objetivos da leitura. Para a segunda, devem se levar em conta tres atividades: pre-leitura, leitura e pos-leitura. Portanto, o plano dessa sessao esta estruturado com base nesses tres momentos distintos, mas interligados entre si.

Apresenta-se como objetivo central do plano "resgatar a audicao dos contos, sensibilizando os alunos para a pratica da escuta". Isso porque, de acordo com dados apresentados em pesquisa anterior anterior /an·te·ri·or/ (an-ter´e-or) situated at or directed toward the front; opposite of posterior.

an·te·ri·or
adj.
1. Placed before or in front.

2.
 (SAMPAIO, 2002), realizada pela professora-pesquisadora nessa mesma escola, ha uma grande dificuldade dos alunos em escutar os colegas, inclusive a propria pro·pri·a  
n.
Plural of proprium.
 professora em sala de aula. Para efeito de analise, optou-se por desmembrar o objetivo principal em dois objetivos relativos a atividade: 1) "resgatar a historia dos contos" e, 2) "sensibilizar os alunos para a pratica da escuta" em sala de aula.

Durante a fase de pre-leitura, combinou-se que o primeiro procedimento metodologico adotado pela professora-participante seria "relembrar algumas caracteristicas do conto", uma vez que, em tese, ja havia trabalhado o genero conto nessas turmas. Depois, seria o momento de instigar os alunos para que os mesmos pudessem "contar alguns contos por eles conhecidos", com vistas a propiciar a pratica de escuta em sala de aula.

Uma breve BREVE, practice. A writ in which the cause of action is briefly stated, hence its name. Fleta, lib. 2, c. 13, Sec. 25; Co. Lit. 73 b.
     2. Writs are distributed into several classes.
 "apresentacao da obra, autor e o ilustrador" seria o passo seguinte a ser explorado pela professora-participante. Em seguida, junto jun·to  
n. pl. jun·tos
A small, usually secret group united for a common interest.



[Alteration of junta.
 aos alunos, esta lancaria "previsoes sobre o texto" e, por ultimo ul·ti·mo  
adv. Abbr. ult.
In or of the month before the present one.



[Latin ultim (m
, a "entrega dos livros aos alunos", para o devido acompanhamento da leitura do conto pelos mesmos. Como registrado no plano dessa sessao, a leitura seria realizada, em voz alta, pela professora-participante e acompanhada pelos aprendizes, objetivando estimular a pratica da escuta.

Para a pos-leitura, elegeram-se apenas tres procedimentos no plano, quais sejam: "verificacao das previsoes apresentadas" durante a pre-leitura; depois, a "discussao do texto, com vistas a perceber a recepcao e atribuicao de sentido do mesmo junto aos alunos" e, por ultimo, "estabelecimento da relacao texto-vida a partir da leitura do conto". Consta, ainda, no plano dessa sessao, uma "atividade de producao oral e escrita", para ser desenvolvida a partir de dois procedimentos metodologicos: primeiro, a realizacao do "reconto oral e ou escrito da historia, com vistas a dramatizacao" e, segundo, a "criacao de desenhos com base no conto".

Para o momento da "analise linguistica (oral e escrita)", planejou-se que, a partir da observacao in loco In lo´co

1. In the place; in the proper or natural place.
, a professora-participante elegesse, pelo menos, "dois problemas apresentados nas producoes orais e ou escritas para discussao com a turma". Para finalizar a sessao, propos-se a "avaliacao da atividade", tanto Tanto may refer to several things. Please see:
  • Tantō - A Japanese weapon
  • Tanto, Stockholm - A district of Stockholm, Sweden.
See also: Tonto.
 pelos alunos quanto pela professora, alem da "indicacao de novas leituras do livro" aos alunos.

3. A funcao mediadora do planejamento em sala de aula

Visando a analisar a atuacao pedagogica da professora Angela no decorrer da sessao de leitura, com base no planejamento pedagogico, tiveram-se, como apoio, as transcricoes dos dados da referida sessao, bem como as observacoes in loco. O conteudo trabalhado foi o genero literario conto, mais especificamente, o conto "Negocio de menino com menina", cujo objetivo da sessao traduz a necessidade de "resgatar a historia dos contos, sensibilizando os alunos para a pratica da escuta".

A professora, ao apresentar o livro, e como forma de aproxima-lo dos alunos, alem de favorecer um clima pedagogico, fez questao de ressaltar que certamente muitos deles ja o tinham consultado, justificando que, naquela sala, havia uma "turminha boa que gosta de ler". Esse aspecto, ja manifesto MANIFESTO. A solemn declaration, by the constituted authorities of a nation, which contains the reasons for its public acts towards another.
     2. On the declaration of war, a manifesto is usually issued in which the nation declaring the war, states the reasons
 noutra sessao realizada por esta mesma professora, deve ser considerado, uma vez que ao considerar seus alunos leitores a professora contribui de forma positiva para a auto-estima dos mesmos, de modo que assim como o livro exerce prestigio social, eles como leitores, se sentem tambem valorizados.

Discutir o que seria um conto e relembrar algumas de suas caracteristicas foi o procedimento adotado pela professora-participante, conforme planejado. Dando sequencia ao plano, a professora Angela instiga os alunos a falarem de suas leituras, especialmente dos livros por eles recebidos da colecao "Literatura em minha casa". Os alunos, por sua vez, esforcam-se em relembrar suas leituras, revelando satisfacao em apresenta-las. E o que esse recorte pretende ilustrar:

Episodio 01:

Profa Angela--[...] Entao, o conto que a gente vai ver e bem interessante, muito bonita Bonita (Spanish and Portuguese for "beautiful") is the name of:
  • Bonita Magazine, an international men's magazine
  • Bonita, California
  • Bonita, Louisiana
 mesmo a historia. Alguem ja leu alguns contos do livrinho que receberam? Ja leu, Leandro?

Leandro--Eu ja.

Profa Angela--Qual foi o conto que voce leu, Leandro, do livro?

Leandro--O conto da da/

Profa Angela--Qual foi que voce recebeu, ne?

Aluno--Professora.

Profa Angela--Diga?

Aluno--Foi um conto que falava sobre as criancas. Era ate um livrinho rosa.

Profa Angela--Como era o nome do conto?

Aluno--Silva Orthof, sei la.

Profa Angela--Silvia Orthof, justamente

Aluno--Ai, na capa falava da vida dele de·le  
n.
A sign indicating that something is to be removed from printed or written matter.

tr.v. de·led, de·le·ing, de·les
1. To remove, especially from printed or written matter; delete.

2.
 de pequeno, ai estava falando que ele colecionava minhocas, jogava conversas paralelas, nao estudava, assim, so brincava de pipa.

Profa Angela--Ela estava contando a historia do menino.

Aluno--Ai ele estava falando que antigamente estava fazendo uma competicao de piroca.

Profa Angela--Competicao de piroca?

Aluno--Sim ((rindo)).

Profa Angela--Pra ver de quem era a maior? Quem mais que ja leu algum conto?

Aluno--Eu.

Profa Angela--Diga, Leandro.

Leandro--Li a historia da Iara.

Profa Angela--Voce leu a historia da Iara? Qual e a historia da Iara, diga ai?

Profa Angela--Ela embelezava os pescadores, nao e? Como o conto [inaudivel].

Leandro--Era [inaudivel] um passarinho, era levado pelos pescadores, ne?

Profa Angela--Serra, diga voce.

Serra--Eu ja li a lenda do Sucupira. Achei muito boa. Aquele conto folclorico.

Profa Angela--E o saci perere. Faz parte do folclore, ne?

Serra--Porque o negrinho de uma perna so ((risos)). Eu sempre sem·pre  
adv. Music
In the same manner throughout. Used chiefly as a direction.



[Italian, always, from Latin semper; see sem-1 in Indo-European roots.]
 gostei muito daquele conto.

Profa Angela--Maciel, voce gosta muito de ler. Diga, Maciel, um conto que voce leu?

Maciel--Esqueci.

Profa Angela--Esqueceu do conto? As meninas?

Maciel--O que eu li nao gostei muito.

Profa Angela--Ninguem mais leu? Um de cada vez, Joao Paulo.

Joao Paulo--Eu li um conto sobre/ que se chamava o vaqueiro que nao sabia mentir. Essa historia conta de um fazendeiro que tinha dois orgulhos, que era o boi dele, o boi barroso, que era considerado o boi mais bonito bonito: see mackerel.
bonito

Swift, predaceous schooling fishes (genus Sarda) of the mackerel family (Scombridae). Bonitos, found worldwide, have a striped back and silvery belly and grow to about 30 in. (75 cm) long.
, mais forte daquela regiao e o vaqueiro, que ele considerava um campeao. Serra--Ai, no final, eles se casaram e ficaram com o saco de dinheiro.

Nesse episodio, constata-se que as perguntas dirigidas pela professora-participante aos alunos, acerca de suas leituras, com vistas a fomentar a discussao do resgate dos contos por estes conhecidos, se apoiam nos livros recebidos pelos mesmos. Esse fato provoca questionamentos por parte da professora acerca dessas leituras, visto que, intencionalmente, a professora busca validar seus argumentos no decorrer das duas sessoes observadas de que ha de fato nessas turmas "uma turminha boa que gosta de ler", de "consultar livro na biblioteca". Porem, somente alguns sujeitos lembram vagamente o que foi lido, alem de confundirem o nome da autora com o titulo do conto.

A professora tambem demonstrou desconhecer os livros recebidos pelos alunos e, consequentemente, as historias que fazem parte desse repertorio que deveriam ser comum a professores e alunos. Ate porque os professores do Ensino Fundamental trabalham com varias turmas, o que dificulta dar conta dos diversificados titulos entregues aos alunos. Caberia aos responsaveis pela politica Politica is the undergraduate journal of the Department of Political Science at the University of California, Berkeley. Politica solicits original student essays on topics broadly political.  de leitura do MEC MEC Ministério da Educação (Ministry of Education)
MEC Ministerio de Educación y Ciencia (Spain: Ministry for Education and Science)
MEC Mountain Equipment Co-Op
 (Ministerio da Educacao e Cultura) enviar exemplares tambem para os professores, ja que dada as reais condicoes culturais e economicas, estes, assim como os alunos, sao excluidos de acesso a bens culturais, como livros literarios.

A dificuldade de acesso a livros de literatura motivou discussao entre os participantes no decorrer dos estudos teorico-metodologicos, quando se comentava a respeito da ausencia de um repertorio de leitura significativo por parte do professor. Esse aspecto realcou a dificuldade presente na acao pedagogica do professor, enquanto mediador e leitor mais experiente, dificultando, assim, o fornecimento de andaimes mais precisos acerca dos livros e dos contos mencionados.

Vale ressaltar que, em virtude da entrega nacional da colecao "Literatura em minha casa", foi promovido pelas Secretarias de Educacao de cada Estado do pais, inclusive no RN, alem de ser divulgado nacionalmente, um dia destinado a leitura, em todas as escolas, justamente para que os professores ajudassem e incentivassem os alunos para leitura desses livros doados. Conforme notas de campo cam·po  
n. pl. cam·pos
A large grassy plain in South America, with scattered bushes and small trees.



[Spanish, field, from Latin campus.]
, a escola ja havia realizado esse trabalho, mas a exemplo do que ocorreu em outras realidades, constatou-se que os alunos receberam esses materiais, no entanto, nao reconheceram sua importancia, visto que, na epoca da coleta de dados dessa pesquisa, verificou-se que ninguem da biblioteca e nem os professores sabiam que livros foram entregues as turmas e nem mesmo os alunos foram capazes de dizer quais haviam recebido. A ausencia de orientacao e controle nas entregas desses materiais fez com que a maior parte dos alunos nao conseguisse mais recolher em suas casas os livros para uso na pesquisa, sendo necessario que a professora-pesquisadora fotocopiasse material para complementar a atividade de leitura.

Sendo o leitor eminentemente seletivo, a ponto de que so permanece na memoria aquilo que tem significado (SMITH, 1991), ve-se, ainda, no episodio apresentado, que os alunos expoem algumas passagens lidas, mesmo de forma limitada, embora nao mencionem como, onde e com quem leram. Considerando-se que para os alunos, enquanto leitores em processo de formacao, a experiencia nem sempre e compartilhada, de maneira que as informacoes, e o enredo da historia geralmente nao se consolidam na primeira leitura, evidenciando-se, assim, que outras leituras cairam no esquecimento, de forma que alguns nao foram capazes de mencionar nenhum texto de seu conhecimento.

Considera-se, tambem, o fato de que as praticas de leitura que ainda se presentificam na escola se constituem numa leitura solitaria, individual, cuja acao do leitor e vista como algo de cunho pessoal, nao autorizado ao publico. Entretanto, emerge, ainda, a leitura partilhada ou pelo menos um repertorio em comum entre Joao Paulo e Serra. Este ultimo mostra indicios de ser conhecedor de outras historias, inclusive, nao se sabe onde e como teve acesso, mas sendo capaz de reconhecer ate mesmo o genero "conto folclorico".

Com vistas ao melhor adentramento no texto a ser lido, a professora, assim como planejado, passa a explorar as previsoes dos alunos acerca do titulo, de modo que estes chegam a prever que "Negocio de menino com menina" so pode ser namoro ou amizade. A professora Angela distribui os livros, apresenta o autor do conto e faz misterio em relacao a pagina do livro, na qual se encontra o conto, ficando algumas criancas curiosas; outras mais ansiosas. Em vez de os alunos buscarem o sumario do livro ou folhearem para identificar o titulo ja mencionado pela professora, alguns se dirigem ate a mesma para ver a pagina, outros perguntam insistentemente. Por fim, a professora explicita a pagina, pede silencio aos alunos para a leitura em voz alta e estes a acompanham sem nenhuma interrupcao.

Na atividade de pos-leitura, a professora Angela submete os alunos a confirmacao das previsoes e a discussao da historia. Embora Eco (2002, p. 56) tenha destacado que "os textos nem sempre sao tao maldosos e, em geral, tendem a conceder ao leitor o prazer de fazer uma previsao que se revelara correta", com esse conto essa assertiva nao pode se evidenciar verdadeira, pois, convicta da nao confirmacao da previsao, a professora logo introduz uma questao que direciona a relacao texto-vida, ao perguntar se "alguem conhece algum menino que caca". As criancas demonstram conhecimento a esse respeito, porem a professora testemunha conhecer alguem que tem como oficio cacar e pescar, e passa a relatar uma historia de uma pessoa da comunidade que caca desde os oito anos de idade. Esse depoimento envolve os alunos, inclusive no sentido de advertir os riscos de cancer de pele, como consequencia dessa atividade nessa regiao tropical.

Conforme o planejado, como atividade estabeleceu-se o reconto oral ou escrito, com vistas a dramatizacao. No entanto, a professora-participante encaminha essa atividade, mas redimensiona o plano a medida que utiliza ambas atividades e descarta a dramatizacao do reconto.

A atividade de recontar historia, no episodio em analise, aponta para dificuldade dos alunos em reconstituir de forma independente a narrativa. No processo de producao do reconto, outro For other uses, see Outro (album).

For other uses, see Outro (computer gaming).

An outro (sometimes "outtro") or extro means the conclusion to a piece of music, literature or television program. It is the opposite of an intro.
 elemento propulsor A propulsor is a mechanical device that gives propulsion.

The word is commonly used in the marine vernacular, and implies a mechanical assembly that is more complicated than a propeller. The Kort nozzle and Pump-jet are examples.
 destacado na atitude da professora, nesta e na sessao anterior, foi que, alem dos andaimes por ela oferecidos para auxiliar os sujeitos na construcao dos recontos, destaca-se, ainda, a necessidade de uma nova leitura como observado e sugerido pela professora.

Eco (2002, p. 18), ao falar de sua experiencia pessoal, afirma que a releitura nao mata a magia do texto, mas, ao contrario, o ato de reler nele provoca uma nova paixao "como se estivesse lendo pela primeira vez". Esse aspecto pode ser observado na fala de um aluno. Apos ouvir a releitura, este afirma: "Nao, a historia, eu li a historia, quer dizer eu escutei a historia, a historia e muito boa. Porque fala de um menino que pega passarinho, como esse povo ai, ne?". Outro ponto destacado e que a releitura provoca uma nova discussao sobre o texto, inclusive, de um elemento importante que e a identificacao de um aluno da sala enquanto cacador de passarinhos, como demonstrado a seguir.

Episodio 2:

Profa Angela--O exemplo aqui pode ser o Ernani, que caca, pega passarinho e vende tambem, nao e Ernani?

Aluno--E um trabalho!

Profa Angela--Ja e um trabalho, justamente.

Ernani--E ele fez muito bem de nao vender aquele passarinho, porque o cabra vende um passarinho por vinte mil An Internet address domain name for a military agency. See Internet address.

(networking) mil - The top-level domain for entities affiliated with US armed forces.
, trinta mil, trinta, da pra comprar uma ruma de coisa, nao e so uma bicicleta velha, um saco de feijao. Da para comprar uns tres bois.

Profa Angela--Dinheiro aqui para ele nao faltava, ne?

Ernani--E depois, no final do texto, ele deu o passarinho.

Profa Angela--Como foi que voce compreendeu isso ai? Por que sera que ele deu o passarinho a ela?

Ernani--Porque ele deve ter gostado dela, ter achado ela bonita e outras coisas. Bom, na hora ho·ra also ho·rah  
n.
A traditional round dance of Romania and Israel.



[Modern Hebrew h
 em que voce falou, como e mesmo o nome do texto, negocio de menino com menina [inaudivel]. Comecaram pensando que era alguma coisa de namoro. Mas ai quando todo mundo leu o texto, descobriu, e nao tinha nada a ver que nem esse aqui falou e outros ai falou.

Profa Angela--Nao tinha nada a ver, mas assim mesmo nao e interessante?

Ernani--E interessante.

No episodio anterior, observou-se a participacao de Ernani e sua identificacao com a historia. A proposito, Ernani se reconheceu como cacador e portador de um oficio, como ele mesmo define: "e um trabalho", e, por isso, a professora trata, tambem, de validar sua informacao. O referido aluno, ao opinar sobre o texto, exerce sobre ele a autoridade de quem lida com o assunto, porem pontua um aspecto abordado no texto, no que diz respeito aos valores da moeda, dada a informacao de que o proprietario chegou a oferecer cinquenta mil pelo passaro. Para Ernani, atualmente, esse valor em reais seria muito alto, cuja quantia mencionada nao daria so para "comprar uma bicicleta velha e um saco de feijao", pela sua avaliacao daria para "comprar uns tres bois".

Dando continuidade ao plano, ve-se que a professora redimensionou o que estava proposto, que seria optar por uma atividade oral e/ ou escrita, pois, como ja analisado, esta encaminhou a atividade oral, e, em seguida, passa a encaminhar a escrita, com ilustracao. Nesse processo de construcao do reconto escrito, e visivel a compreensao que a professora apresenta a respeito do principio subjacente ao processo de ensino-aprendizagem, que tem respaldo na teoria de Vigotski (1996), ao abordar o conceito de Zona de Desenvolvimento Proximal proximal /prox·i·mal/ (-mil) nearest to a point of reference, as to a center or median line or to the point of attachment or origin.

prox·i·mal
adj.
 (ZDP ZDP Zero Dividend Preference Share (UK)
ZDP Zamin Dis Pars (Iran)
ZDP Zero Defect Program
ZDP ZeroDayPhoto (Danville, CA)
ZDP Zeta Delta Phi
). Esse aspecto pode ser evidenciado nas atitudes da professora Angela, no tocante a conducao das atividades observadas, durante as sessoes por ela desenvolvidas, destacando-se a valorizacao dada aos trabalhos em equipes: "[...] vamos la, um ajudando o outro [...]". Considera-se que a genese desse conceito esta na compreensao de que o desenvolvimento intelectual converge con·verge  
v. con·verged, con·verg·ing, con·verg·es

v.intr.
1.
a. To tend toward or approach an intersecting point: lines that converge.

b.
 do social para o individual. Desse modo, qualquer pratica pedagogica comprometida com a dimensao desse conceito convem privilegiar a mediacao do adulto mais experiente ou a colaboracao com companheiros mais capazes, dele decorrendo, portanto, importantes implicacoes pedagogicas.

Observou-se, nessa sessao, que assim como nas demais ate entao desenvolvidas, nao houve avaliacao das atividades. Antes an·te  
n.
1. Games The stake that each poker player must put into the pool before receiving a hand or before receiving new cards. See Synonyms at bet.

2.
 que os alunos apresentassem a producao de seus recontos, a professora-participante estimulava-os a fazer outras leituras, ao assinalar que:

Eu ja andei dando uma lida ai e tem coisinhas diferentes. Na biblioteca, tem muitos contos interessantes e que voces podem consultar, ne? Muito conto interessante, tem outros que eu tenho certeza que voces vao gostar olhe, um conto que eu tenho certeza que voces vao gostar dele, e esse passeio [inaudivel], quem quiser saber o que se passava nesse conto, va na biblioteca e consulta esse livrinho. Leandro ja olhou, Leandro vai gostar. "Passeio" o nome do conto, depois voces vao la na biblioteca pegar o livro.

(TRANSCRICAO DA 4a SESSAO DE LEITURA--TURNO 202, p. 167)

Concorda-se com Smith (1991, p. 212), ao afirmar que "a leitura pode tornar-se uma atividade desejada ou indesejada". Dessa afirmacao se deduz a importancia do papel atribuido ao professor, ao estimular seus alunos a frequentarem a biblioteca, nela buscando subsidios para leitura. Essa atitude da professora-participante, atraves do convite a leitura, se constitui, portanto, em mais um provimento ou assistencia que deve ser dada aos alunos, principalmente se se considerar que, no contexto dessa pesquisa, a priori a priori

In epistemology, knowledge that is independent of all particular experiences, as opposed to a posteriori (or empirical) knowledge, which derives from experience.
, os alunos nao demonstraram familiarizacao com atividades de leitura nem tampouco um contato maior com o texto literario.

Apos a apresentacao dos recontos pelas criancas, estas fizeram questao de fazer mencao aos seus desenhos, explicando-os e colocando-os na direcao da camara filmadora, com vistas a registra-los. A professora Angela encaminha a atividade de analise linguistica, a unica desenvolvida no decorrer das cinco sessoes observadas, como destacado nesse segmento:

Episodio 3:

Profa Angela--[...] Eu vou copiar um pedacinho do texto de voces no quadro, pra gente analisar a ortografia. Vamos prestar atencao a maneira que estao escritas as palavras e, entao, eu vou comecar pelo titulo, pra gente analisar, pois a gente vai analisar a maneira como foram escritas as palavras.

Aluno--E para escrever?

Profa Angela--Nao, olhe, eu estou escrevendo do jeito que esta aqui na folha, certo? Vamos la, Leandro, analisando aqui o titulo. ((A professora escreve no quadro o texto de um aluno)) Olha, negocio de menino com menina ((escrito no quadro)), o que e que tem de diferente aqui nessa frase? Olhando pra ca, vamos, Joao Paulo.

Joao Paulo--O que e?

Profa Angela--Essas palavrinhas aqui, essa frase negocio de menino com menina tem alguma coisa diferente nessa frase? Nada de diferente aqui?

Aluno--[inaudivel].

Profa Angela--Nao estou nessa primeira frase, ainda. No titulo ((Leandro se aproxima e aponta o erro da acentuacao grafica na palavra negocio, que foi colocado um acento circunflexo, apaga-o e coloca um acento agudo)) Leandro vai consertar aqui. Como esse assento? Leandro disse que o acento e esse; como e o nome do chapeuzinho?

Aluno--Circunflexo.

Profa Angela--Entao, o da palavra negocio ele tinha colocado um acento circunflexo, ne? Aquele que da um som (1) (System Object Model) An object architecture from IBM that provides a full implementation of the CORBA standard. SOM is language independent and is supported by a variety of large compiler and application development vendors.  fechado a palavra. Se o acento circunflexo continuasse, como seria pronunciado essa silaba, com esse tipo de acento? Negocio, olha, nao e o som fechado? Ja mudaria o som, a pronuncia da palavra. Entao, a palavra negocio e o som aberto, som forte, tem uma silaba forte. Nessa palavra, que e acentuada, isso aqui e um acento agudo, ne? E um acento forte, que indica a silaba forte da palavra. Entao, negocio estava diferente o que? O acento, ne? E agora ficou com o acento agudo, forte. Entao, nessa frase tinha essa diferenca. Va'mbora, gente, continuando, aqui. Era uma vez Era Uma Vez (Once Upon a Time) is a Brazilian telenovela that produced and broadcasted by Rede Globo in 1998. It was written by Walter Negrão and directed by Jorge Fernando.  um minino ((Lendo no quadro)). Tem alguma coisa diferente aqui?

Aluno--Minino.

Profa Angela--Onde e?

Alunos--E me, ne? Menino, tinha colocado um "i" no lugar do "e". Vamos continuando para frente que "pergou um passarinho" ((lendo no quadro)).

Aluno--E, pegou nao tem esse "r", nao.

Profa Angela--Nao tem esse "r", ne? A palavra e pegou, entao, nos vamos refazer o texto, vamos tirar o r. Chamado bico-lacre, era assim que estava no texto? O nome do passarinho? Bico de lacre. Ele esqueceu de colocar o "de", nao foi? E Bico de lacre "quando foi passando com o passarinho na Gaiola" ((lendo)). Tem alguma coisa diferente ai? Vamos prestar atencao.

Durante as sessoes de leitura, bem como no planejamento previo destas, tornou-se visivel o desconforto das professoras em trabalharem a analise linguistica que versa sobre a possibilidade de o professor, junto aos seus alunos, refletir sobre a propria lingua em situacao real de uso.

De acordo com Rojo (2000, p. 30), os conteudos indicados para as praticas do eixo da reflexao sobre a lingua e a linguagem abrangem aspectos ligados a variacao linguistica; a organizacao estrutural dos enunciados; aos processos de construcao da significacao; ao lexico e as redes semanticas e aos modos de organizacao dos discursos". Alem disso, os PCN's (BRASIL, 1998) fazem referencia a importancia de se trabalharem outros aspectos como a ortografia, enquanto reflexao sobre o processo de aquisicao da escrita. Essas discussoes devem envolver os mais diversos aspectos da gramatica da lingua portuguesa, respeitando as especificidades das turmas.

No episodio em analise, a professora privilegiou o estudo ortografico, pois, conforme depoimento das professoras, de um modo geral, a dificuldade de uso da lingua, nesse aspecto da aquisicao da norma gramatical, se constitui numa das maiores preocupacoes do grupo de lingua portuguesa, no trabalho com a producao de textos orais e escritos. As falas subsequentes a esse episodio convergem para a reflexao a respeito do uso da lingua, com base num dos recontos de um dos alunos selecionados pela professora-participante.

No decorrer dessa atividade, percebeu-se que professora e alunos se sentiram a vontade e que essa pratica de reflexao sobre a lingua ja vinha sendo realizada nessa turma. Durante um dos encontros de fundamentacao (11 Encontro), ao se falar em reescritura de textos, a professora Angela havia informado que houve um trabalho nesse sentido nas suas aulas, realizado por uma estagiaria de lingua portuguesa da Universidade (UERN UERN Universidades do Estado do Rio Grande do Norte ), que estimulava os alunos a refletirem sobre a lingua, atraves da propria producao, de modo que teve aluno que chegou a reescrever seis vezes um unico texto.

Em funcao dessas evidencias, o trabalho pedagogico inovador da professora em relacao a analise linguistica, no contexto dessa pesquisa, veio desvelar a seguranca e a importancia demonstrada pela professora ao conduzir esse tipo de atividade, cuja recepcao dos alunos veio reforcar a eficacia desse tipo de tarefa, assim como possibilitar a constatacao in loco das reais necessidades e dificuldades dos alunos ao utilizarem a lingua culta em suas diferentes modalidades.

Conclusao

Com base nesse estudo, pode-se concluir, que em relacao a implementacao do plano nessa sessao, este foi trabalhado em sua totalidade, sendo incluido ate mesmo a analise linguistica, atividade nao explorada nas demais sessoes das outras professoras-participantes. O redimensionamento do plano da sessao, no tocante as proposicoes nele apresentadas, ocorreu apenas num unico momento: durante a atividade de producao oral e escrita, como mencionado anteriormente.

Das insercoes e omissoes na operacionalizacao do planejado, observa-se que, em relacao ao primeiro aspecto, constatou-se a insercao da leitura pelo aluno, apos a da professora; ja a respeito das omissoes, assim como aconteceu nas demais sessoes, a professora deixou de avaliar as atividades como um todo, o que vem apontar para uma dificuldade geral das professoras em avaliar o processo de ensino-aprendizagem.

As diferentes estrategias utilizadas pelas professoras-participantes, inclusive, no caso de Angela, por exemplo, no tocante ao reconto de historia, vem demonstrar que esse momento exige do professor ser conhecedor das reais condicoes da turma, de suas habilidades, da complexidade da estrutura narrativa apresentada pelo conto, bem como se a turma ja vivenciou essa pratica, noutros momentos.

Isso porque se verificou que a professora Angela, ao solicitar que os alunos recontassem o conto, apos a sua leitura, foi preciso que a mesma explorasse todo fio condutor da narrativa e, mesmo assim, nao houve internalizacao da historia por parte dos alunos, apesar do comprovado esforco destes. Outro aspecto que merece atencao em relacao ao planejamento, bem como sua funcao mediadora e o carater de flexibilidade que envolve sua implementacao, pois, embora sua elaboracao tenha sido em conjunto con·jun·to  
n. pl. con·jun·tos
1. A dance band, especially in Latin America.

2. A style of popular dance music originating along the border between Texas and Mexico, characterized by the use of accordion, drums,
, nunca e implementado da mesma forma, uma vez que este implica nas experiencias, conhecimentos e valores dos diferentes sujeitos da acao pedagogica, realcando, portanto, suas reais diferencas, as quais vem a tona durante a analise do processo de ensino-aprendizagem.

Referencias Bibliograficas

ANGELO, I. Negocio de menino com menina. In: De conto em conto: antologia de contos. Sao Paulo: Moderna, 2002.

BAKHTIN, M. Estetica da criacao verbal. Trad imp. 1.

imp. os> of Tread.

Noun 1. trad - traditional jazz as revived in the 1950s
jazz - a genre of popular music that originated in New Orleans around 1900 and developed through increasingly complex styles
. Maria Ermanita Galvao G. Pereira. Sao Paulo: Martins Fontes, 1997.

BRASIL. Ministerio da Educacao e Cultura. Secretaria de Educacao Fundamental. Parametros curriculares nacionais: terceiro e quarto quar·to  
n. pl. quar·tos
1. The page size obtained by folding a whole sheet into four leaves.

2. A book composed of pages of this size.
 ciclos do ensino fundamental--lingua portuguesa. Brasilia, 1998

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo socio-discursivo. Trad. Anna Rachel Machado; Pericles Cunha. Sao Paulo: EDUC EDUC Education
EDUC Commission for Culture and Education (COR) 
, 1999.

ECO, U. Seis passeios pelo bosque da ficcao. Trad. Hildegard Feist feist   also fice
n. Chiefly Southern U.S.
A small mongrel dog.



[Variant of obsolete fist, short for fisting dog, from Middle English fisting,
. 6. reimpressao. Sao Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GRAVES, M. F.; GRAVES, B. B. A experiencia de leitura pro andaime: uma referencia flexivel para ajudar os estudantes a obter o maximo do texto. USA: UKRA UKRA United Kingdom Rocketry Association (Kent, UK)
UKRA United Kingdom Registration Authority
, 1995.

ISER, W. O ato da leitura: uma teoria do efeito estetico. Vol. 1. Trad. Johanes Kretshmer. Sao Paulo: Editora 34, 1996.

--. O ato da leitura: uma teoria do efeito estetico. Vol. 2. Trad. Johanes Kretshmer. Sao Paulo: Editora 34, 1999.

JAUSS, H. R.; ISER, W. et al. A literatura e o leitor: textos de estetica da recepcao. Trad. Luiz Costa Lima. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1979.

PADILHA, P. R. Planejamento dialogico: como construir o projeto politico-pedagogico da escola. Guia da escola cidada. V. 7, 2. ed. Sao Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire Paulo Freire (Recife, Brazil September 19, 1921 - São Paulo, Brazil May 2, 1997) was a Brazilian educator and is a highly influential theorist of education. Biography , 2002.

ROJO, R. A pratica de linguagem em sala de aula: praticando os PCN's. Campinas, SP: Mercado For the hispanic surname "Mercado", please see de Mercado.

Mercado first originated in Spain. In English it means 'market'.

Is the last name of the 'Great' Fifa Soccer player Eswold.
 de Letras, 2000.

SAMPAIO, M. L. P. A relacao teoria-pratica no ensino de leitura: o planejamento pedagogico como referencia de analise. Dissertacao (Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) is a public Brazilian university funded by the Brazilian federal government, located in the city of Natal, Rio Grande do Norte, Brazil. . Natal Natal, city, Brazil
Natal (nətäl`), city (1991 pop. 606,887), capital of Rio Grande do Norte state, NE Brazil, just above the mouth of the Potengi River.
, 2002.

SMITH, F. Compreendendo a leitura: uma analisepsicolinguistica da leitura e do aprender a ler. Porto Alegre Porto Alegre

Port and city(pop., 2005 est.: city, 1,386,900; metro. area, 3,978,263), southern Brazil. Located along the Guaíba River near the Atlantic Ocean coast, it was founded c. 1742 by immigrants from the Azores. It was first known as Porto dos Casais.
: Artes Medicas, 1991.

VIANNA, J. O. de A. Planejamento participativo na escola: um desafio para o educador. 2. ed. Sao Paulo: EPU EPU Energy Processing Unit
EPU Economic Planning Unit (Malaysia)
EPU E Pluribus Unum
EPU European Payments Union (organization formed after WWII)
EPU Emergency Power Unit
, 2000.

VASCONCELLOS, C. dos S. Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto politico-pedagogico. 6. ed. Sao Paulo: Libertad, 1999.

VIGOTSKI, L. S. A formacao social da mente. Trad. Jose Cipolla Neto, Luiz Silveira M. B e Solange C. Afeche. Sao Paulo: Martins Fontes, 1996.

Maria Lucia Pessoa Sampaio (UERN)
COPYRIGHT 2009 Federal University of Juiz de Fora (UFJF)
No portion of this article can be reproduced without the express written permission from the copyright holder.
Copyright 2009 Gale, Cengage Learning. All rights reserved.

 Reader Opinion

Title:

Comment:



 

Article Details
Printer friendly Cite/link Email Feedback
Author:Sampaio, Maria Lucia Pessoa
Publication:Veredas - Revista de Estudos Linguisticos
Date:Jan 1, 2009
Words:5071
Previous Article:Mecanismos coesivos: um estudo sobre o que os professores do ensino medio apontam como problemas de coesao em textos escritos.
Next Article:O documento reorientacao curricular de lingua portuguesa da SEE do estado do Rio de Janeiro (2006): um trabalho com os generos.

Terms of use | Copyright © 2014 Farlex, Inc. | Feedback | For webmasters